quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Retrospectiva 2020: as melhores atrizes e os melhores atores do ano

 Todo ano, a retrospectiva de melhores intérpretes fica gigantesca neste blog. Normalmente, em torno de 160 nomes. Mas 2020 foi um ano atípico. A pandemia do novo coronavírus interrompeu as gravações de todas as novelas e séries. Nacionais e internacionais. As reprises viraram as protagonistas do entretenimento. Mas, ainda assim, alguns nomes merecem entrar na lista por produções encerradas no primeiro semestre ou então breves especiais gravados com todos os protocolos de segurança para presentear o telespectador com cultura de qualidade. Vamos a eles. 


Melhores Atrizes:



1- Marjorie Estiano.
Foram apenas dois episódios de "Sob Pressão - Plantão Covid". Mas o especial valeu por uma temporada inteira somente pela entrega do elenco. E a principal foi Marjorie. Magnífica como sempre, a atriz deu um show de emoção em todas as difíceis cenas de Carolina fazendo de tudo para salvar os vários pacientes da covid-19. A cena mais emblemática do especial foi o momento em que a médica precisou tirar a máscara e sorrir para a foto de seu crachá do hospital de campanha. Um rosto cheio de marcas, os olhos vermelhos de tanto chorar e um sorriso que pareceu um pedido de socorro. Marjorie não precisou nem falar. Que cena! 


2- Fernanda Montenegro.
Elogiar Fernandona é chover no molhado. E a veterana esteve em dois especiais gravados em plena pandemia (pela sua própria família). A ranzinza Gilda foi brilhantemente interpretada tanto em "Amor e Sorte" quanto em "Gilda, Lúcia e o Bode", exibido na noite de Natal. A atriz mesclou momentos cômicos e dramáticos com a maestria que só alguém de seu talento consegue. A personagem é tão boa que vale a dica para a Globo fixar a série em sua grade. 



3- Fernanda Torres.
A atriz contracenou com sua mãe nos dois especiais mencionados e brilhou. Lúcia representa a sensatez da família e, embora seja a filha de Gilda, é quase a mãe da mãe. A dobradinha das Fernandas foi um presente para o telespectador. O especial de fim de ano "Gilda, Lúcia e o Bode" só foi criado por causa do sucesso do episódio protagonizado pelas duas em "Amor e Sorte". O reconhecimento do público. 


4- Andreia Beltrão. 
A série "Hebe" foi exibida na íntegra pela Globo e o show de Andreia na pele da inesquecível Hebe Camargo pôde ser visto pelo grande público. A atriz fugiu de todas as armadilhas da caricatura e copiou trejeitos da apresentadora que poucos percebiam, como o piscar de olhos e sua mandíbula um pouco presa. Sutilezas que fizeram toda a diferença em sua maravilhosa interpretação que rendeu até uma indicação ao Emmy Internacional. 



5- Gloria Pires.
A quinta Dona Lola tinha que ser dela. Em um deseus melhores desempenhos na televisão, a atriz deu um banho de emoção em inúmeras cenas de grande densidade dramática no quinto remake do romance de Maria José Dupré. E deu para ver o quão realizada Gloria estava na pele da icônica personagem. 



6- Grazi Massafera.
Paloma foi uma mocinha cativante e a atriz viveu um grande momento em "Bom Sucesso". Sua personagem tinha cenas dramáticas difíceis e Grazi também conveceu na comicidade da protagonista ao lado de Marcos. Sua química com Rômulo Estrela cativou logo de cara e a aposta dos autores Rosane Svartman e Paulo Halm foi um acerto. 



7- Leandra Leal.
Na pele da ativista Luísa, a atriz emocionou em "Aruanas", série da Globoplay exibida pela Globo neste ano. Foram muitas cenas intensas e vale destacar o momento final, quando a personagem acabou presa e gritou pelo nome de ativistas da vida real assassinados de forma covarde. 


8- Débora Falabella.
Uma atriz que se destaca em qualquer trabalho. Não foi diferente em "Aruanas". Natalie foi a ativista mais carismática do quarteto protagonista e tinha um programa de televisão como maior arma contra os destruidores do meio ambiente. Suas cenas tiveram uma elevada dose de tensão e Débora, claro, correspondeu. 




9- Camila Pitanga.
A atriz ganhou uma vilã em "Aruanas" e aproveitou a oportunidade. Após muitas mocinhas justiceiras, a talentosa atriz brilhou na pele de uma lobista inescrupulosa e principal obstáculo das protagonistas. O êxito foi tanto que seguirá na segunda temporada junto com o quarteto central. 


10- Valentina Herszage.
A atriz surpreendeu na pele de Hebe na juventude. A caracterização merece elogios, mas o desemepenho de Valentina comoveu quem assistiu "Hebe". A cena mais forte foi o aborto de Hebe e a intérprete honrou a importância daquele momento na vida da apresentadora. Já está escalada para "Quanto mais Viva Melhor", próxima novela das sete, prevista para 2021. 


11- Thainá Duarte.
Uma grata surpresa da minissérie "Se Eu Fechar os Olhos Agora" e que também convenceu em "Aruanas". A ativista novata Clara foi muito bem defendida pela atriz, que chegou para ficar e tem tudo para se destacar em futuros novos trabalhos. 




12- Regina Casé.
A Lurdes foi o maior acerto de "Amor de Mãe". Tanto que foi a única personagem que se manteve na memória do público. Tirando a procura desesperada da mãe pelo filho Domênico, quase  ninguém lembra mais do restante do enredo. Isso é fruto do carisma da personagem e do talento da atriz, que compôs uma mãe crível e de fácil identificação. Regina despertou risos e lágrimas com grande facilidade no enredo de Manuela Dias. 


13- Taís Araújo.
A atriz se destacou como a bem-sucedida Vitória, em "Amor de Mãe", mesmo a personagem perdendo o rumo ao longo da novela. E também mostrou seu conhecido talento como a advogada Verônica em "Aruanas", que enfrentou o conflito de uma relação com o marido da então grande amiga e ativista Natalie. Vale destacar ainda sua participação na série "Amor e Sorte", como Tábata, e no especial "Falas Negras", na pele de Marielle Franco. 


14- Adriana Esteves.
Elogiar a atriz virou um mais do mesmo, mas mesmo assim é necessário citar seu ótimo desempenho na pele da obssessiva Thelma em "Amor de Mãe". Mesmo com o enredo se perdendo ao longo dos meses, Adriana se manteve tão bem quanto no início do folhetim, quando a personagem ainda não tinha se transformado em uma vilã louca. 


15- Day Mesquita.
"Amor sem Igual" vem se mostrando uma boa surpresa e a autora Cristianne Fridman acertou quando escalou a atriz para viver a protagonista. Na pele da carismática garota de programa Poderosa, Day honra o destaque na novela da Record e ainda tem uma química incontestável com Rafael Sardão, intérprete do mocinho Miguel. 




16- Tainá Muller.
A série "Bom Dia, Verônica", já é a melhor produção nacional da Netflix. E Tainá Muller ganhou uma oportunidade que merecia há anos: ser a protagonista. A atriz esteve muito bem na pele da investigadora da polícia que descobriu um esquema criminoso dentro de seu próprio local de trabalho e a segunda temporada já está garantida. 


17- Juliana Paiva.
A atriz vive a única protagonista que não tem traços cômicos em "Salve-se Quem Puder". O que é ótimo, após tantos perfis com essa veia já interpretados tão bem por ela. E Juliana está perfeita como a sofredora Luna. Já foram muitas cenas emocionantes na novela das sete, como o momento em que encontrou seu "anjo salvador" (Teo - Felipe Simas) e quando viu a mãe Helena (Flávia Alessandra). Que venha mais uma leva de boas cenas com a retomada da trama. 


18- Deborah Secco.
Ela logo se destacou no início de "Salve-se Quem Puder" na pele da perua Alexia. E também teve uma deliciosa sintonia com Juliana Paiva e Vitória Strada. A personagem é uma grande caricatura e Deobrah não pode se livrar disso, mas segura algumas cenas bastantes infantis com competência. Vale citar ainda seu show como Iris, o melhor papel de sua carreira, na reprise de "Laços de Familia" no "Vale a Pena Ver de Novo". 


19- Vitória Strada.
Após duas mocinhas dramáticas ("Tempo de Amar" e "Espelho da Vida"), onde deu um show de emoção em cena, a atriz tem a oportunidade de fazer rir pela primeira vez em "Salve-se Quem Puder". E tem conseguido na novela das sete, mesmo diante de um perfil infantilizado pelo autor. Não é à toa o carinho que Vitória recebia do público infantil quando a novela estava no ar. 


20- Tatiana Tibúrcio.
O especial "Falas Negras" foi primoroso. Todo o elenco escalado merece aplausos. Mas a atriz encerrou o programa de uma forma visceral e impactante. Representando a mãe do menino Miguel, que caiu de um prédio e morreu por negligência da patroa branca, o choro daquela mulher foi dilacerante. Tatiana se entregou e suas lágrimas eram da atriz e da personagem. O choro da irmandade. 












Melhores Atores:



1- Antônio Fagundes.
O ator se destacou absoluto como o ranzinza Alberto Prado Monteiro, em "Bom Sucesso". E estava mesmo precisando de um bom protagonista há anos. Muito à vontade na deliciosa novela das sete, Fagundes divertiu, emocionou e protagonizou as cenas mais emblemáticas da novela de sucesso. Foi um perfil que conseguiu provocar empatia, risos e até raiva do público.



2- Rômulo Estrela.
Demorou para a Globo reconhecer o valor do intérprete e tudo mudou quando foi escalado às pressas para "Deus Salve o Rei", substituindo um colega que desistiu do trabalho. Honrou o protagonismo e atingiu outro patamar na emissora. Curiosamente, acabou escalado para viver o mocinho de "Bom Sucesso" porque Gianecchini tinha sido deslocado para "A Dona do Pedaço". E foi possível perceber que Marcos tinha mesmo que ser dele. O ator esteve genial e emprestou seu carisma ao personagem, que cativou o público logo no início.



3- Júlio Andrade.
O médico Evandro não poderia ser vivido por outra pessoa. Júlio transmite todas as nuances do denso personagem com imenso talento e suas cenas em "Sob Pressão - Plantão Covid" foram todas muito difíceis. É impossível não se envolver com a vida desse homem tão íntegro, que salva tantas vidas e deixa a sua de lado, muitas vezes sem se dar conta do que está fazendo consigo mesmo. O personagem ter contraído a covid-19 no especial de dois episódios e quase ter morrido significou toda a essência dos profissionais de saúde em 2020. Uma linda homenagem.


4- David. Júnior.
Após seu ótimo desempenho como o escravo Menelau de "O Tempo Não Para", o ator merecia um tipo de mais destaque e ganhou o Ramon, um dos perfis principais de "Bom Sucesso". O complexo papel foi muito bem interpretado por David, que protagonizou muitas cenas boas na trama das sete. Vale ainda citar seu desempenho na quarta temporada de "Sessão de Terapia", exibida pelo canal a cabo GNT, e sua participação em "Sob Pressão - Plantão Covid". 


5- Armando Babaioff.
Finalmente o querido ator ganhou um personagem que faz jus ao seu talento. Diogo era um vilão sarcástico e maniqueísta que caiu nas graças do público graças ao desempenho irretocável de Armando, que aproveitou todas as chances dadas pelos autores da novela das sete de imenso sucesso. Um canalha que despertou ódio e risos.


6- Eduardo Moscovis.
O policial Brandão aterrorizou em "Bom Dia, Verônica", da Netflix. O vilão era um psicopata, serial killer e agressor de mulher. O ator viveu um de seus melhores momentos na carreira na pele do perturbador personagem. Isso após muitos papéis ingratos nas novelas. Um grande papel para um grande ator. 



7- Felipe Simas.
O ator ganhou mais um mocinho em "Salve-se Quem Puder" e não decepcionou. Após ter brilhado na pele do íntegro Jonatas, em "Totalmente Demais" (reprisada em 2020), Felipe virou um dos pontos positivos da novela das sete de Daniel Ortiz. Téo é um sujeito íntegro e sua química com Juliana Paiva é visível. O ator defende o personagem com talento. 



8- Thiago Fragoso.
Alan é um tipo que o ator já está acostumado a interpertar: o advogado de caráter e solitário. Mas mesmo diante de tantas similaridades, principalmente com o Patrick, de "O Outro Lado do Paraíso", o intérprete consegue brilhar e diferenciar o papel. Vale destacar ainda a boa sintonia com Vitória Strada em "Salve-se Quem Puder". 


9- Bruno Ferrari.
O ator está muito bem na pele do carismático Rafael em "Salve-se Quem Puder". Ironicamente, o personagem tem um TOC de limpeza e vive andando de máscara. Sem querer, o autor criou um tipo perfeito para uma época de pandemia. Seria interessante ver Rafael reagindo ao caos que o mundo vive. Mas a novela não abordará a pandemia. Independente disso, Bruno merece elogios e tem uma química bonita com Vitória Strada. 

10- Irandhir Santos.
Figura rara na televisão, o ator sempre rouba a cena quando aparece. Não foi diferente em "Amor de Mãe". Irandhir está irretocável na pele do empresário Álvaro. O vilão é caricato e maniqueísta, mas mesmo assim o intérprete domina o papel e convence em todas as cenas. É um privilégio a produção que pode contar com seu talento. 




11- Silvio Guindane.
Todos os atores do especial "Falas Negras" merecem elogios, mas Silvio precisa de uma menção especial pela entrega na pele do pai de João Pedro, menino assassinado por policiais militares em São Gonçalo, Rio de Janeiro. Aquele choro somado a uma indignação raivosa representou o absurdo daquele crime bárbaro. 


12- Rafael Sardão.
Miguel é um mocinho muito cansativo. Só fala da Bíblia e está sempre orando. Há uma clara interferência de Cristiane Macedo, filha do bospo Edir Macedo, no texto da autora Cristianne Fridman. Fica claro através deste personagem. Por isso o desafio do ator é tão grande. Como convencer na pele de um tipo considerado perfeito e bonzinho demais? Mas Rafael convence e ainda tem uma ótima química com Day Mesquita. 











Melhores Atrizes Coadjuvantes:




1- Camila Morgado.
O desempenho da intérprete em "Bom Dia, Verônica" foi acima da média. Camila já deu provas do seu talento, principalmente em perfis dramáticos. Mas a sofrida Janete, da série da Netflix, entrou na lista de melhores personagens de sua carreira. Impossível não ter se envolvido e torcido por ela. 




2- Fabíula Nascimento.
Nana foi o perfil mais complexo de "Bom Sucesso" e a atriz esteve perfeita na trama das sete. Protagonizou muitas cenas dramáticas complicadas e inicialmente a filha de Alberto tinha pequenos ares vilanescos. Um desafio para qualquer intérprete e Fabiula tirou de letra. Vale destacar ainda seu ótimo desempenho na série "Amor e Sorte" e no especial "Gilda, Lúcia e o Bode". 


3- Carla Cristina Cardoso.
A atriz esteve simplesmente impagável em "Bom Sucesso". A falastrona Lulu cresceu ao longo da novela e foi a responsável pelas melhores cenas cômicas da história. Porém, a personagem também enfrentou dramas atrativos, como a separação do marido e a adoção de Waguinho (Lucas Leto). A parceria com Grazi foi outro acerto.




4- Ingrid Guimarães
Silvana Nolasco era tudo o que Elvira Matamouros, sua personagem de "Novo Mundo" (reprisada em 2020), sonhava em ser. E Ingrid se destacou na novela das sete tanto quanto brilhou na trama das seis de 2017. A atriz com o rei da barriga proporcionou momentos hilários em "Bom Sucesso".


5- Thais Garayp.
A intrometida Bezinha era um tipo que poderia não crescer muito se não fosse pelo talento da atriz. Empregada de Alberto, a personagem começou com poucas cenas e cresceu. Thais esteve muito bem e protagonizou cenas muito engraçadas com os colegas de núcleo.


6- Mariana Molina.
A tímida Evelyn tinha um certo destaque no início de "Bom Sucesso" através de suas tentativas de conquistar o homem amado. Mas a personagem perdeu um pouco a importância ao longo da história. Ainda assim, Mariana brilhou na trama e imprimiu um jeito atrapalhado que coube perfeitamente ao temperamento da menina.


7- Sheron Menezzes.
A dúbia Gisele foi conduzida com competência pela atriz, que se destacou com a face vilanesca da personagem nos primeiros meses e depois convenceu com a regeneração da ex-comparsa de Diogo em "Bom Sucesso". A cena de sua volta, no final da trama, foi maravilhosa.


8- Yasmin Gomlevsky.
A atriz esteve ótima na pele da sarcástica Thaissa em "Bom Sucesso". A personagem proferia uma pérola atrás da outra e sempre dava patadas em todos ao seu redor. Yasmin mereceu todos os elogios pelo seu desempenho.




9- Mariana Santos.
A atriz esteve ótima em "Malhação - Toda Forma de Amar" e Carla proporcionou para a atriz bons momentos dramáticos e cômicos. Após o bom desempenho em "Pega Pega", onde viveu a vilã Maria Pia, Mariana novamente convenceu em cena e já está escalada para a próxima novela das sete.



10- Simone Spoladore.
Após muitos anos na Record, a atriz voltou à Globo e emocionou na pele da solitária e infeliz Clotilde, de "Éramos Seis". As suas cenas sempre eram carregadas de melancolia e Simone esteve perfeita no papel. Mereceu muitos elogios.



11- Carol Macedo.
A atriz ganhou mais destaque em "Éramos Seis" quando Inês voltou para São Paulo e reencontrou seu pai. A atriz emocionou ao lado de Cássio Gabus Mendes e fez um ótimo casal com Danilo Mesquita, intérprete do correto Carlos. Após os elogios colhidos em "Malhação - Viva a Diferença" e "O Tempo Não Para", Carol brilhou de novo.


12- Kelzy Ecard.
Após ter dado um show em "Segundo Sol" com várias cenas dramáticas de violência doméstica, a atriz experimentou o humor com a fofoqueira Dona Genu, em "Éramos Seis". E seguiu maravilhosa. A personagem amava se meter na vida dos outros, mas era íntegra e amiga leal de Lola. Kelzy esteve bem demais. Ainda fez uma breve participação no especial "Gilda, Lucia e o Bode". 


13- Maria Eduarda de Carvalho.
A atriz sempre se destaca em todos os seus trabalhos e em "Éramos Seis" não foi diferente. Maria esteve hilária na pele da caipira Olga e o núcleo de Itapetininga, embora deslocado na história, sempre apresentou cenas divertidas.



14- Virgínia Rosa.
A doce Durvalina parecia um perfil pequeno em "Éramos Seis", mas teve sua importância no desenvolvimento da novela das 18h. A atriz conseguiu bons momentos ao lado de Glória Pires e a cena da despedida da empregada emocionou, além do encontro com o filho que tinha abandonado por dificuldades financeiras. 


15- Giullia Buscacio.
A atriz convenceu na pele da mimada Isabel em "Éramos Seis" e a caçula da família Lemos ganhou destaque na história. Giullia esteve bem nos tensos momentos do assédio que a sua personagem sofreu. Vale destacar ainda seu ótimo desempenho na "Dança dos Famosos", onde chegou até a final com méritos. 



16- Bárbara Reis.
A atriz teve bem mais destaque na primeira fase de "Éramos Seis" e esteve ótima na pele da controversa Shirley, mulher amarga que depositou suas frustrações amorosas na filha Inês. Bárbara ainda teve poucas cenas na segunda fase, mas protagonizou densos momentos ao lado de Carol Macedo e Caco Ciocler. Vale ressaltar também sua participação no especial "Falas Negras". 


17- Joana de Verona.
A atriz que fez carreira em Portugal esteve com um excelente papel em "Éramos Seis" e chegou roubando a cena como Adelaide, a filha feminista da conservadora Emília (Susana Vieira). Joana mereceu todos os elogios. Sua química com Nicolas Prattes, intérprete do Alfredo, foi outro acerto.

18- Rayssa Bratillieri.
A arrogante Soraia foi defendida com talento pela atriz e havia uma leve comicidade na personagem que ajudava Rayssa a expor uma faceta não vista na fraca "Malhação - Vidas Brasileiras". Era a típica "patricinha" dos anos 30 e foi bem defendida pela intérprete.




19- Camila Amado.
Após ter convencido em "Topíssima", a maravilhosa atriz voltou à Globo no remake de "Éramos Seis" e esteve impagável na pele da travessa Tia Candoca, que parecia uma criança de 12 anos. Suas cenas com Júlia Stockler eram uma graça.



20- Denise Weinberg.
A mãe de Lola mal conviveu com a filha, mas a talentosa atriz se destacou no núcleo cômico de "Éramos Seis" e protagonizou boas cenas com Maria Eduarda de Carvalho, Camila Amado, Eduardo Sterblitch e Júlia Stockler. A sua última sequência, a morte da personagem, comoveu. 



21- Susana Vieira.
A veterana não ganhou um papel grande em "Éramos Seis". Aliás, a conservadora Tia Emília tinha bem mais relevância no remake do SBT, de 1994. Mas, ainda assim, Susana brilhou com a personagem que chocava com sua frieza e crueldade na forma como fala com os outros. Mas no final a personagem se humanizou e destacou a intérprete. 


22- Karine Teles.
A talentosa atriz, premiada no cinema, não é uma figura recorrente na televisão. Mas esteve no elenco de "Malhação - Toda Forma de Amar" e emocionou na pele da amorosa Regina, mãe que defendia o filho homossexual dos ataques preconceituosos do pai. Vale destacar também seu desempenho como Lolita Rodrigues na série "Hebe". 


23- Ângela Vieira.
Uma participação que acabou virando fixa em "Bom Sucesso". Fruto, claro, do talento da atriz que merecia um tipo como a inteligente Vera há muito tempo. A personagem virou um dos vários acertos da novela das sete e Ângela ficou claramente feliz com o papel.




24- Isis Valverde.
Betina foi uma grande decepção em "Amor de Mãe". A personagem teve um início promissor em virtude da importante trama sobre violência doméstica, mas seu principal conflito acabou com o assassinato do agressor e a enfermeira ficou avulsa no enredo, entre idas e vindas com Magno (Juliano Cazarré). Depois um arco rocambolesco de vingança foi inserido, sem convencer. Mas Isis emocionou nas cenas fortes de violência e depois segurou bem o papel, mesmo quando o conjunto perdeu o rumo. 


25- Grace Gianoukas.
A atriz deu um show na fraca "Haja Coração" e repete a parceria com o autor Daniel Ortiz em "Salve-se Quem Puder". E está ótima na pele da caipira Ermelinda, fazendo uma dupla bem entrosada com Juliana Paiva. É a típica intérprete que faz crescer qualquer papel. 



26- Jéssica Ellen.
Foi a protagonista de uma das cenas mais emocionantes da novela, quando Camila acabou baleada enquanto pendurava uma faixa alertando sobre uma escola no local durante um tiroteio. Já internada e se recuperando, a personagem fez um discurso emocionante e a atriz se entregou. Aliás, se entrega em toda a novela. Está bem demais. 



27- Flávia Alessandra.
A atriz ganhou um bom papel em "Salve-se Quem Puder" e se destaca na pele da enigmática Helena, personagem que parecia uma quase vilã, mas que se mostrou a enganada da história. Suas futuras cenas ao lado de Juliana Paiva, intérprete da filha Luna, prometem bastante na retomada da trama. 


28- Michelle Batista.
Maria Antônia é uma ótima personagem em "Amor sem Igual" e a atriz virou um dos destaques da novela da Record. Embore protagoniza alguns momentos cômicos por conta do péssimo humor da garota, a atriz se entregou em um dos momentos mais dramáticos da história: o estupro da filha de Oxente. 



29- Bárbara França.
A atriz convence na pele da íntegra Fernanda em "Amor sem Igual", o que não é uma tarefa fácil. Isso porque a personagem foi feita de idiota pelos vilões durante a novela quase toda. Vale destacar sua atuação mais recente, quando a filha de Ramiro (Juan Alba) soube do assassinato do pai. Emocionou. 



30- Françoise Fourton.
Um dos destaques de "Amor sem Igual", a veterana engrandece qualquer cena com sua presença. A cafetina Madame Olympia é muito bem defendida pela atriz, que vem sendo valorizada como merece pela autora Cristiane Fridmann. 




31- Dani Moreno.
A atriz merece elogios pela sua composição em "Amor sem Igual". Furacão é um perfil caricato e Dani faz o que a proposta pede. Sua parceria com Day Mesquita, intérprete da protagonista Poderosa, é uma delícia de se ver. 



32- Elisa Volpatto.
Após ter brilhado na série "Assédio", na pele de uma jornalista íntegra, a atriz ganhou um perfil totalmente diferente em "Bom Dia, Verônica": a delegada sem escrúpulos Anita. E convenceu mais uma vez, provando que é uma atriz de várias possibilidades. 











Melhores Atores Coadjuvantes:






1- Lúcio Mauro Filho.
O ator ficou quase 14 anos em "A Grande Família" e se destacou em "Malhação - Viva a Diferença". Faltava voltar às novelas. Esteve ótimo na pele do boa praça Mário em "Bom Sucesso". O poeta era um perfil cativante e ficava até difícil imaginar outro ator interpretando.



2- Cássio Gabus Mendes.
O veterano precisava de um personagem como o Seu Afonso, de "Éramos Seis". Cássio esteve bem demais e foi valorizado como merecia na trama das 18h. Sua parceria com Carol Macedo foi muito boa, assim como a química com Glória Pires, sua parceira de longa data na carreira. O final feliz de Lola e Afonso foi merecido. 




3- Diego Montez.
William era um personagem caricato e o ator aproveitou os exageros do papel para se divertir em cena. E acabou virando um dos muitos acertos de "Bom Sucesso". Tanto que William seria assassinado pelo Diogo e os autores mudaram o rumo da trama para manter o ator no elenco.





4- Nicolas Prattes.
Após ter brilhado como mocinho de "O Tempo Não Para", o ator ganhou o complexo Alfredo de "Éramos Seis". Escalado inicialmente para viver o certinho Carlos, Nicolas comemorou a mudança e deu para entender o motivo. Ele esteve ótimo na trama e foi um dos grandes destaques. Já está na lista de seus melhores papéis.





5- Marco Ricca.
Não é fácil interpretar um personagem que realmente existiu. Ainda mais se foi uma figura controversa como Lélio, marido de Hebe Camrago. Mas o grande ator não só conseguiu como virou um dos trunfos da série sobre a apresentadora. Suas cenas com Andreia Beltrão eram fortes e muito bem interpretadas. 




6- Luiz Carlos Vasconcelos. 
O vilão Miguel, de "Aruanas", nem pareceu tão maniqueísta diante do ano de 2020, onde o próprio Ministro do Meio Ambiente do governo se voltou contra o meio ambiente. O poderoso empresário que não se importa com o desmatamento ilegal representou muitas figuras atuais de um Brasil destruído e o ator o interpretou com brilhantismo. 




7- Ernane Moraes.
Oxente é um dos melhores personagens de "Amor sem Igual". E o ator está ótimo na pele do queijeiro carismático e boa praça da novela da Record. Embora seja um perfil mais leve, Ernane também protagonizou cenas fortes quando o pai se viu diante de vários dramas pesados de seus filhos, como o estupro da caçula e o envolvimento com drogas do filho do meio. Ainda teve a reprise de "Chocolate com Pimenta", no Viva, onde o público pôde revê-lo na pele do delegado Terêncio. 



8- Antônio Grassi.
Na pele do delegado Wilson Carvana, o ator foi um dos ótimos atores do elenco da série da Netflix. Protagonizou ótimas cenas ao lado de Tainá Muller e o desfecho do personagem foi surpreendente. Vale destacar também seu desempenho em "Chocolate com Pimenta", reprisada recentemente no Canal Viva. 




9- Chay Suede.
O ator ganhou um papel importante em "Amor de Mãe" e segurou bem. Sempre ficou evidente que Danilo era o filho de Lurdes, o procurado Domênico, e o ator faz uma boa dobradinha com Adriana Esteves, intérprete da instável Thelma. Também tem uma ótima química com Jéssica Ellen (Camila). 



10- Murilo Benício.
Raul está longe de ser um grande personagem. E nem marcará a carreira do ator. Mas Murilo consegue boas cenas ao lado de Taís Araújo, Malu Galli e Humberto Carrão em "Amor de Mãe". Ainda emocionou na cena em que o personagem chorou a morte do filho ao lado da ex-mulher na trama. 




11- Eduardo Sterblitch.
Uma grata surpresa. Após a estreia na ótima "Shippados", série da Globo Play, o humorista estreou na teledramaturgia em "Éramos Seis" e garantiu ótimos momentos com o caipira Zeca. Sua parceria com Maria Eduarda de Carvalho deu certo.



12- Gabriel Contente.
O mimado Vicente teve uma trajetória de evolução em "Bom Sucesso", o que favoreceu o desempenho do ator. O rapaz agia como um babaca e mudou por amor a Gabriela, menina que o enfrentou com a mesma marra. Gabriel ganhou um bom papel e aproveitou.


13- Ricardo Pereira.
Mais uma vez o ator português que virou brasileiro de coração se destacou em uma novela. Ricardo mereceu elogios pelo seu desempenho na pele do controverso Almeida, em "Éramos Seis", e sua parceria com Simone Spoladore foi bonita de se ver.



14- Kiko Mascarenhas.
Após inúmeros personagens caricaturais, onde o exagero era a essência, o ator finalmente ganhou um papel comedido, sem afetações. Expôs uma face não muito conhecida pelo grande público e esteve ótimo como o justo Virgulino em "Éramos Seis".


15- Julio Machado.
O ator também se beneficiou de um tipo não muito comum em sua carreira: o honesto. Figura conhecida na pele de vilões ou bandidos, Julio brilhou como o Major Marco Rodrigo em "Malhação - Toda Forma de Amar".





16- Danilo Mesquita.
O ator teve o desafio de se destacar interpretando um tipo tão apático quanto o certinho Carlos, de "Éramos Seis". E conseguiu. O filho mais amado de Lola teve uma interpretação sóbria de Danilo, que emocionou em uma das cenas mais emblemáticas do folhetim: a morte de seu personagem. 





17- Humberto Carrão.
O ator está muito bem na pele de Sandro. O personagem despertou ódio do público no início de "Amor de Mãe" , mas a regeneração do bandido foi feita de forma crível e sua relação com Lurdes ficou muito bonita de se ver. Humberto tem uma bonita sintonia com Regina Casé e a dobradinha deu tão certo que a torcida para ser o verdadeiro Domênico era alta. 



18- André Luiz Frambach.
O ator esteve bem na pele do sonso e ambicioso Julinho, em "Éramos Seis". O personagem era um tipo difícil de ser interpretado, pois usava as pessoas e poderia cair no clichê do vilão ou típico 171. Mas André conseguiu escapar da armadilha.




19- Werner Shunemann.
Após inúmeros vilões, o ator ganhou um tipo com leves traços cômicos em "Éramos Seis" e conseguiu mostrar uma faceta pouco explorada em trabalhos anteriores. O sotaque característico que imprimiu para o sovina Seu Assad foi outro acerto da composição do personagem.






Revelações Femininas:





1- Bruna Inocêncio.
Uma maravilhosa surpresa de "Bom Sucesso". A atriz ganhou um perfil importante, a filha tímida e mais velha de Paloma. Suas cenas com David Júnior, Grazi Massafera, João Bravo, Lucas Leto e Giovanna Coimbra eram sempre merecedoras de elogios. Emocionava sem dificuldade.


2- Giovanna Coimbra.
A filha do meio da mocinha de "Bom Sucesso" ganhou outra intérprete novata. E outro talento lançado pelos autores. A atriz se destacou logo no começo na pele da voluntariosa Gabriela e foi crescendo ao longo da novela até ficar responsável por uma das viradas do penúltimo mês de trama. Giovanna vai longe.



3- Gabrielle Joie.
A atriz se destacou na série "Toda Forma de Amor", no Canal Brasil, e ganhou a Michelly de "Bom Sucesso". Ao contrário da série citada, infelizmente a personagem trans, assim como a atriz na vida real, não teve o destaque merecido e seu possível conflito ficou pelo caminho. Ainda assim, ficou visível como Gabrielle é talentosa e promissora. Que novas oportunidades venham em breve!



4- Alanis Guillen.
A atriz ganhou uma responsabilidade e tanto: protagonizar "Malhação - Toda Forma de Amar". Após um início naturalmente inseguro, Alanis se mostrou uma ótima intérprete e tem tudo para crescer muito na carreira. Rita foi uma mocinha difícil e bem defendida. A atriz, vale destacar, tem todas as características para ser a nova Juma do remake de "Pantanal", previsto para 2022. 



5- Caroline Dallarosa.
A invocada Anjinha corria o risco de virar uma caricatura forçada em "Malhação - Toda Forma de Amar", mas a atriz driblou bem as armadilhas do papel e brilhou no seriado adolescente. Suas cenas com Julio Machado e Gabriel Santana eram ótimas.



6- Gabz.
A cantora de talento estreou muito bem como atriz em "Malhação - Toda Forma de Amar". A carismática Jaqueline rendeu cenas complicadas para a intérprete, que tirou de letra. É mais um nome da atual temporada que tem um futuro promissor nessa outra carreira, pois como cantora já está bem encaminhada.



7- Dora de Assis.
Intérprete da tímida Raíssa, a atriz imprimiu naturalidade em cena e ficou visível como era boa no improviso em virtude dos cacos que inseria no texto. Muitas das falas da personagem eram adaptações de Dora, que se destacou em "Malhação - Toda Forma de Amar".


8- Triz Pariz.
Que ótima surpresa de "Éramos Seis". A linda atriz esteve muito à vontade na pele da tímida Lili e fez boas cenas ao lado de Kiko Mascarenhas e Kelzy Ecard. Com certeza ganhará novos trabalhos no futuro.



9- Júlia Stockler.
Justina era uma jovem que sofria de autismo em uma época onde o tratamento da doença era desconhecido, assim como sua nomenclatura. Uma personagem desafiadora para qualquer atriz, ainda mais em sua primeira novela. Mas Júlia não teve dificuldade alguma em "Éramos Seis". Esteve perfeita no papel e fez cenas maravilhosas.

10- Nathalia Altenbernd.
A interesseira Jeniffer era uma espécie de "Fatinha do mal" (personagem icônica de Juliana Paiva em "Malhação Intensa") e a atriz brilhou em "Bom Sucesso". A personagem não tinha muito destaque, mas participou de muitas cenas ótimas na novela e a atriz convenceu em todas. Sua morte, vale lembrar, foi marcante. 







Revelações Masculinas:




1- Lucas Leto.
A maior revelação do ano. O ator ganhou o complexo Waguinho e deu show em "Bom Sucesso". O personagem não era um tipo fácil de ser defendido, ainda mais por um novato na televisão. Mas Lucas esteve bem demais no papel e seu crescimento na novela foi merecido. Vai longe e que a Globo não bobeie.



2- Igor Fernandez.
O ator mereceu elogios pela sua composição em "Bom Sucesso". O jovem Luan era uma galinha irresponsável no início da novela e amadureceu quando iniciou um namoro com Alice. Vale destacar ainda sua performance nas cenas em que Luan trabalhou como rapper e protagonizou ótimas batalhas de rimas.





3- Pedro Novaes.
O filho de Marcello Novaes e Letícia Spiller puxou o talento dos pais. O rapaz esteve ótimo em "Malhação - Toda Forma de Amar" e convenceu na pele do mocinho da temporada, o íntegro Filipe. Sua química com Alanis Guillen foi outro êxito, assim como sua parceria com Paloma Duarte. Uma pena o final da temporada ter sido tão jogado.



4- Danilo Maia.
O ator tem uma facilidade com a comédia que impressiona. Se destacou logo no início na pele do destemperado Thiago, em "Malhação - Toda Forma de Amar", e seguiu mostrando seu talento no seriado adolescente. Com certeza será escalado para outros produções no futuro.


5- Pedro Alves.
O ator mereceu elogios pelo seu desempenho em "Malhação - Toda Forma de Amar" e protagonizou várias cenas dramáticas através dos conflitos de seu personagem com o pai preconceituoso. O homossexual Guga ganhou um bom intérprete.




6- João Pedro Oliveira.
O íntegro Serginho foi muito bem interpretado pelo ator, que se destacou em "Malhação - Toda Forma de Amar". O personagem começou pequeno e foi crescendo ao longo do tempo, iniciando um romance com Guga que rendeu vários conflitos. Pena que o contexto se perdeu na trama.


7- Caio Cabral.
O ator convenceu na pele do íntegro Patrick, em "Bom Sucesso". O personagem não teve tanto destaque, mas Caio não faz feio em cena e viveu alguns bons momentos ao lado de David Júnior, Gabrielle Joie, Giovanna Coimbra e Gabriel Contente.



8- Joaquim Torres.
O filho da atriz Fernanda Torres e do diretor Andrucha Waddington, neto da grande Fernanda Montenegro, tinha que herdar o talento da família. O ator foi uma grata surpresa do primeiro episódio da série "Amor e Sorte", onde atuou com a mãe e a avó. Ainda repetiu a boa parceria familiar no especial de fim de ano "Gilda, Lúcia e o Bode". O jeca Dimas era hilário. 







Atrizes Mirins:




1- Clara Galinari.
A grata surpresa de "Espelho da Vida", onde emocionou como Priscila e Teresa, ganhou um papel inicialmente promissor em "Amor de Mãe": a sofrida Brenda, menina que sentia a ausência da mãe, em coma por anos, e depois se deparava com a volta dessa mãe em sua casa, recuperada, e do lado do marido (Magno - Juliano Cazarré). Porém, as suas cenas foram muito poucas. Ainda assim, Clara conseguiu emocionar em todas as suas aparições e deu para constatar que chegou para ficar. Uma pena que não teve seu talento aproveitado. Resta torcer para que  tenha mais cenas na retomada do folhetim. 



2- Valentina Vieira.
Que menina talentosa. A neta de Alberto ganhou uma intérprete que parece gente grande. A atriz se mostrou segura em cena e protagonizou muitas cenas emocionantes em "Bom Sucesso", arrancando lágrimas sem fazer esforço. Valentina ainda divertia ao lado de João Bravo, colega igualmente talentoso. Sofia era um dos muitos acertos da novela das sete.


3- Maju Lima.
A menina surpreendeu como a caçula de Lola "Éramos Seis". Isabel ganhou uma carismática intérprete e Maju se saiu muito bem nas cenas dramáticas, que exigiram mais dela. Não é exagero afirmar que era a criança mais encantadora da primeira fase da novela das 18h.


4- Melissa Nóbrega.
A atriz esteve ótima na curta primeira fase de "Verão 90", na pele de Manuzita, e convenceu em "Éramos Seis", também na primeira fase, quando viveu a esnobe Soraia. Melissa soube compor uma criança antipática e mandona com talento.









Atores Mirins:




1- João Bravo.
O público tem acompanhado novamente o show do ator na reprise de "A Força do Querer" (2017), quando viveu o sofrido Dedé. O menino se destacou na pele do divertido Peter, caçula de Paloma que sonhava com a fama em "Bom Sucesso". Além de ter protagonizado boas cenas dramáticas na novela das sete, João mostrou que também tem talento para a comicidade. Seus momentos com Grazi Massafera, Giovanna Coimbra, Bruna Inocêncio e Valentina Vieira eram deliciosos.


2- Pedro Sol.
Foi o maior destaque entre as crianças na primeira fase de "Éramos Seis", onde viveu Alfredo, filho mais rebelde de Lola. Suas cenas densas com Antônio Calloni eram muito boas, assim como os embates protagonizados ao lado de Xande Valois, quando Carlos e Alfredo brigavam.


3- Xande Valois
O menino se destacou na minissérie "Se Eu Fechar os Olhos Agora" e depois conseguiu outro bom momento em "Éramos Seis", quando interpretou o tímido Carlos. Suas cenas eram sempre muito sérias e o sorriso só era aberto diante de seu amor, a doce Inês. Xande convenceu.


4- Davi de Oliveira.
Esteve muito bem na pele do sapeca Julinho, na primeira fase de "Éramos Seis". Ainda provocou uma grande emoção no público em uma das cenas mais tristes do início da novela, quando o menino precisou vender seu cachorro para ajudar na compra de um presente para a mãe, Lola.




5- André Cidade.
O menino esteve ótimo como o esperto Tavinho, filho mais velho de Olga e Zeca em "Éramos Seis". Protagonizou boas cenas com Eduardo Sterblitch, Maria Eduarda de Carvalho, Camila Amado e com Júlia Stockler. Foi uma das muitas boas surpresas da novela das seis.








A lista de atores e atrizes está um pouco menor em 2020, mas ainda assim foram 110 talentosos intérpretes na retrospectiva de 2020. Profissionais que encantaram o público levando um pouco de cultura e arte em tempos tão difíceis. 

13 comentários:

Anônimo disse...

Você é foda, Sérgio.

Zyn disse...

Que riqueza de detalhes. Voce deveria ser mais reconhecido pelo primoroso trabalho que faz.

Anônimo disse...

Neste penúltimo texto de retrospectiva do blog do ano de 2020, ficou constatado o excelente desempenho não apenas de atores e atrizes consagrados das mais diversas emissoras de TV, mas também de vários estreantes nelas.

Guilherme

Anônimo disse...

Voce é um grande valorizador dos atores, Sérgio. Por isso todos te adoram.

Pedrita disse...

saudade de amor de mãe. tainá muller e camila morgado arrasaram em bom dia verônica. vai ser estranha a segunda temporada sem a camila e o moskovis. beijos, pedrita

Pedrita disse...

gabrielle jolie realmente arrasou em toda forma de amor. q série instigante. irandhir tb impressionante em amor de mãe. q raiva q dá do personagem. maria eduarda carvalho brilhou realmente. uma graça mesmo caroline dallarosa, personagem e malhação muito chatinha, mas alguns atores foram muito bem. como júlia stockler arrasou. adoro a clara galinari, valentina vieira e Maria Luiza Galhano. tb adorei o otávio martins criança q estava em espelho da vida e em valentins. homônimo do outro ator. beijos, pedrita

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Faço pra voces, Zyn!

Sérgio Santos disse...

Exato, Guilherme.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Será mesmo, Pedrita. Os dois domionaram a cena.

Sérgio Santos disse...

Excelente comentário, Pedrita.

Anônimo disse...

Acho que faltou a Paloma Duarte em uma dessas listas.