sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

Tudo sobre a coletiva online da reprise de "A Vida da Gente"

 A Globo promoveu nesta sexta-feira (19/02) uma coletiva online sobre a reprise de "A Vida da Gente", novela primorosa de Lícia Manzo, exibida em 2011, e a terceira mais vendida da Globo, que reestreia dia 1º de março. O diretor Jayme Monjardim não conseguiu participar, mas fez questão de deixar um recado carinhoso a todos. Estiveram na entrevista Marjorie Estiano, Fernanda Vasconcellos, Alice Wegmann, Paulo Betti, Gisele Fróes e a autora. Foi um bate-papo delicioso e com muitas boas lembranças. Fui um dos convidados e conto um pouco como foi neste texto. 

"Sempre fui uma menina de observar o ambiente e observar o subjetivo. Vendo hoje em dia as pessoas com dificuldade de ficar em casa e pensar no coletivo tem muito disso. A novela, mais do que o fato do coma da Ana (Fernanda Vasconcellos), mostra a repercussão do fato em volta das pessoas. As pessoas sempre procuram entender seus sentimentos sobre o que está acontecendo. E a novela faz esse convite a reflexão. E a cena que mais me marcou foi a da discussão das irmãs. Tinha oito páginas e lembro que não foi ensaiada. Acho que ali há um casamento muito bonito que mais busco e mais prezo, que o texto bota ressonância nos atores. Mas às vezes a gente investe tanto na palavra e a imagem é soberana", disse Lícia Manzo.

Ainda sobre as cenas que mais marcaram, Fernanda Vasconcellos concordou com a autora. "É também minha cena preferida. E lembro até hoje da minha mão suando e não sei se terei outra oportunidade de viver um texto desse. Com as irmãs às vezes se escutando, às vezes querendo se machucar. Depois de ter trabalhado em algo tão marcante é inevitável você não se frustrar com seus trabalhos posteriores. Parece que fica faltando algo.

Aprendi muito com a troca e com os profissionais dedicados que também valorizaram minha dedicação", disse a intérprete. Já Marjorie acrescentou: "O que mais me marca na novela são as conversas, as escutas. Eu com a Nicette eram conversas de muito acolhimento. Um paralelo entre Iná e Manu e Nicette e Marjorie. Me lembro que uma coisa me marcou bastante foi uma cena da Fernanda com a Ana Beatriz Nogueira (Eva) com a Ana acordando do coma. A esperança daquela filha acordar e ela ter ficado ali ao lado dela o tempo todo". 

"Difícil dizer uma cena marcante, mas lembro muito, era muito emocionante ver, a dedicação e a concentração da Fernanda e da Marjorie. Alice (Wegmann) que ainda era uma criança e ainda entregar aquele trabalho tão primário. Me comove. Lembranças de coisas que a gente vivia. As cenas comoviam também nos bastidores", complementou Gisele Fróes. Já Paulo Betti faz coro com as colegas: "É tão gratificante que a novela passe novamente agora. Parece que to fazendo tudo de novo. As conversas e como aquilo era a vida da gente. A escrita da Lícia, a direção do Jayme. Veja essa cena das irmãs com a proposta do Jayme. Não era um arroz com feijão. Tinha esse comprometimento geral com a novela. De cada um de nós. Isso foi muito marcante para mim", finalizou. 

Perguntei a Marjorie um momento mais marcante ou sensível que a atriz viveu ao lado de Nicette Bruno, tanto em cena quanto nos bastidores.  "Se eu for falar da Nicette vou dar uma chorada, Sérgio. A Nicette era maravilhosa. Éramos de gerações muito diferentes, mas ela não pertence a uma só geração. Falávamos de todos os assuntos. Parecia que ela já sabia tudo, estava à frente de tudo o que estava acontecendo. Tenho uma curiosidade de bastidor: a gente estava viajando pelo Sul e eu apaixonada pela Nicette, a gente filmando de madrugada, e ela acordava toda disposta. Paulo (Goulart) sempre ligava para dar bom dia. Aquilo me deixava tão encantada. Tantos anos de casamento. Aí estávamos indo embora de transporte para voltar para o Rio e eu estava ouvindo. Ela estava falando para ele que não precisava esperar não porque a gente ia chegar tarde. Aí não me aguentei de curiosidade e perguntei ele ia te esperar por qual razão? Ela deu uma mexidinha no cabelo e eu concluí que não precisava falar mais nada", contou a intérprete de Manu aos risos. "A narração da Nicette passou antes de saberem que a novela passaria de novo. A cena dela viralizou de uma forma. Tão forte a gente falar sobre isso, sobre o tempo", fez questão de complementar Paulo Betti. Alice Wegmann também quis opinar: "Um dia estava passando e vi a Marjorie ensaiando com a Nicette. Foi ali que eu vi que era aquilo o que queria fazer da minha vida". 

Questionada se houve alguma alteração na trama em sua estreia como novelista, Lícia afirmou: "A sinopse nunca foi mudada. Inclusive a cena final da caminhada deles. É algo comum meu. Aquela opinião do Belchior: o passado é uma roupa que ninguém usa mais. Até pela maturidade do personagem Rodrigo (Rafael Cardoso), o experimento que teve com a Ana, foi algo passional. Já com a Manuela foi uma construção amorosa bem mais aprofundada. Tendo a achar que o amor nesse sentido prevalece. A paixão tem sua força, mas o amor prevalece. Vi alguns xingamentos na internet. Uma falou que merda você fez, Lícia Manzo! Mas são aquelas pessoas mais românticas. Eu sempre soube o caminho que ia seguir. Se eu não tivesse escrito a novela e tivesse escrito essa novela de novo, continuo achando interessante. A história não caducou. Acho que um humano reconhece outro humano", declarou a autora. 

Perguntada sobre o relacionamento de sua personagem com a mãe na história, Alice Wegmann relembrou: "A mãe oprimia muito a filha. Era uma relação abusiva. Lembro de uma cena no vestiário que era só a Gisele (Fróes) entrando e descascando a Sofia. Era a primeira cena que tinha que me emocionar. E eu não sabia como fazer para chorar. Mas quando a cena começou a acontecer eu não estava entendendo nada, ouvindo apenas o que aquela mulher falava para mim e meu entendimento era limitado. Hoje entendo muito mais aquela relação. Acho que uma qualidade dela era a determinação. Talvez o defeito foi demorar um tempo para reagir". Já Gisele acrescentou: "Eu tive que buscar a compreensão de como uma pessoa consegue ser tão cruel com a outra. Tanto com as filhas quanto com a Ana. Mas o texto da Lícia também a coloca como muito correta. Quando ela descobre que a atleta está tomando elementos químicos para ficar melhor em quadra reage violentamente".

Questionadas sobre a rivalidade dos 'fandons' na internet, Fernanda e Marjorie falaram: "Existe uma tendência na vida de tomar um lado. Tomar partido de alguém. Você acaba sempre se relacionando a partir disso. Temos dificuldade de equilibrar esses lados. Mas foi a partir dessas torcidas que surgiram discussões interessantes", contou Marjorie aos risos. "Gente, confesso que não entendia muito isso de team fulana. Eu lembro que começou a surgir isso na época, mas acho que não tinha que escolher um lado. Elas eram irmãs, não rivais ou inimigas", complementou Fernanda. 

A reprise de "A Vida da Gente" sempre foi muito pedida pelo público nas redes sociais. Finalmente a Globo atendeu aos apelos e a coletiva virtual sobre esse bem-vindo retorno fez jus ao êxito de uma produção tão bem desenvolvida.

16 comentários:

Anônimo disse...

É uma honra ser o primeiro a comentar a respeito de uma novela tão grandiosa em todos os aspectos e que marcou a estreia de Lícia Manzo como autora titular no formato. "A Vida Da Gente" (2011) de fato mereceu toda a repercussão positiva que teve, e terei mais uma chance de acompanhar os momentos desse folhetim memorável. Merece ser re-exibida na íntegra (ao contrário da fraca "Haja Coração" (2016)) e obter sucesso em audiência na reprise que ganhará a partir de 1º de março. E se alcançar uma média geral de audiência maior do que a sua antecessora na época, "Cordel Encantado" (2011) e a edição especial da tediosa "Flor Do Caribe" (2013), será muito gratificante.

Guilherme

Anônimo disse...

SERGIOOOOOOOOOO QUE POST MARAVILHOSO!

FABIOTV disse...

Olá, tudo bem? Eu estive na festa de lançamento da novela aqui em São Paulo. Tive a oportunidade de conversar com os atores e atrizes. Comentarei sobre isso no meu blog. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

Anônimo disse...

Até que enfim a Globo atendeu o pedido do público. Adorei essa coletiva.

William O. disse...

A sua pergunta pra Marjorie foi a melhor, Sérgio. Foi até pro Gshow.

Anônimo disse...

Vou chorar tudo de novo!

Unknown disse...

Uma das melhores novelas q assiti em meus 46 anos, sensacional!!!! Ano passado eu revi ela em um canal do you tube, quase devorei, asstia cerca d 6 capítulos por dia. 💚💚💚💚💚💚💓💓💓💓💓💓💓

Maria disse...

É no espetáculo da vida que dedicamos toda nossa energia para vivermos intensamente. Bom dia!

Sérgio Santos disse...

Estou torcendo mt, Guilherme.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Que legaL, Fabio. abçs

Sérgio Santos disse...

Até que enfim, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Eu vi, William.

Sérgio Santos disse...

Idem, anonimo.

Sérgio Santos disse...

É excelente, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Boa noite, Maria.