sexta-feira, 25 de outubro de 2019

A questionável gestão de Silvio de Abreu na Globo

Que Silvio de Abreu é um dos maiores autores do país e escreveu vários sucessos de audiência não resta a menor dúvida. Sua respeitável carreira como dramaturgo fala por si, tanto que várias das novelas que marcaram a história da televisão são dele. Entretanto, o escritor tem deixado bastante a desejar como responsável pelo setor de teledramaturgia da Globo. Não são poucos os equívocos cometidos desde que assumiu a função, em 2014. E os erros ficaram ainda mais evidentes ao longo dos anos de sua administração, levando em consideração as aprovações/reprovações de sinopses, além das interferências externas movidas em função dos números no Ibope.


Silvio de Abreu não foi promovido ao posto por acaso, é bom ressaltar. Sua competência é amplamente conhecida, tanto pelos profissionais da emissora quanto por público e crítica. Mas algumas atitudes parecem amadoras. O caso mais lembrado foi o ocorrido na época da catastrófica "Babilônia", em 2015. A novela de Gilberto Braga, João Ximenes Braga e Ricardo Linhares se mostrou equivocada desde o início, mas ficou ainda pior depois das mudanças sofridas em função do grupo de discussão. O próprio Silvio precisou escrever alguns capítulos, mexendo na estrutura da trama. De nada adiantou, vale recordar. Seria melhor ter deixado tudo como estava. O erro foi a aprovação da sinopse.

Já em 2016, foram vários os problemas em torno do trabalho do Silvio na função. "Liberdade, Liberdade" era a primeira novela de Márcia Prattes, mas, após equívocos históricos observados em alguns capítulos escritos, foi decidido desligá-la do projeto, escalando Mário Teixeira para a função. A questão é: não poderiam ter observado isso na hora da aprovação da produção?
Precisava ter deixado chegar ao extremo de afastar uma autora com sua novela já em pré-andamento? Mas, infelizmente, esse caso pareceu até menos grave se comparado com o que veio depois: a transformação de "Jogo da Memória", folhetim das 23h previsto para 2017, em minissérie e depois cancelada. Essa situação foi um grave desrespeito com Lícia Manzo.

A autora, após a primorosa "Sete Vidas", já estava dedicada a esse novo projeto e a escalação do elenco se mostrava em franca evolução, contando com nomes de peso, como Cássia Kiss, Adriana Esteves, Irandhir Santos, Sophie Charlotte, Fabíula Nascimento, Gabriel Leone, Andrea Beltrão, entre outros. A direção estava acertada com José Luiz Villamarim. Todavia, Silvio de Abreu 'constatou' que a história (dividida em três fases e que tinha um incesto como foco principal) não se sustentaria por cerca de 90 capítulos (previstos para a produção da faixa de 2017). A solução, então, foi transformar o folhetim em minissérie, o adiando para janeiro de 2018. Outra alegação foi um suposto cansaço do diretor, o que acabou sendo visto como uma desculpa esfarrapada, pois poderiam escalar outro para a função, até mesmo Jayme Monjardim com quem ela sempre trabalhou. O resultado final? Produção cancelada. Nem minissérie, nem novela.


A alteração brusca implicou na transferência de praticamente todo o elenco para a nova escolhida para a faixa das 23h: uma novela escrita pelas estreantes Ângela Chaves e Alessandra Poggi, chamada de "Os Dias  Eram Assim", que explorou a época da Ditadura Militar e se mostrou decepcionante, sem estrutura para mais de 50 capítulos. Será que Silvio de Abreu não poderia ter percebido que "Jogo da Memória" não se sustentaria como folhetim antes do elenco ser quase todo escalado e da autora ter modificado sua trama para atender aos 90 capítulos? E não percebeu que sua substituta também não tinha fôlego?

A decisão mais equivocada do autor foi com "A Lei do Amor". Além do grave erro de adiar a estreia da novela alegando conteúdo político em época de eleições ---- "Velho Chico", sua substituta, tinha muito mais política em voga do que a outra produção  ----, Silvio ainda resolveu colocar Ricardo Linhares para modificar toda a estrutura da história de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari por causa da baixa audiência. Não adiantou nada. As consequências das mudanças bruscas foram catastróficas para o roteiro, que já apresentava dificuldades. Personagens tiveram suas características destruídas, perfis sumiram com viagens inventadas de última hora, enfim, tudo deu errado.


Outra decisão controversa foi sobre "Órfãos da Terra". Inicialmente prevista para a faixa das onze, a história de Duca Rachid e Thelma Guedes virou novela das seis. Folhetim que não tinha fôlego para durar mais de um mês. O enredo se perdeu rapidamente e a produção andou em círculos até o final. Uma decepção. Obviamente, seguiria decepcionando às 23h; todavia, teria bem menos capítulos e o conjunto poderia não ter sido tão ruim. Já a próxima novela das nove, de Manuela Dias, estreante como autora de novelas e em pleno horário nobre, também sofreu alterações e sua data de lançamento acabou adiada --- viria depois do fracasso "O Sétimo Guardião". Silvio mexeu na estruturação de "Amor de Mãe" e, enquanto as mudanças eram feitas, chamou, às pressas, Walcyr Carrasco para escrever "A Dona do Pedaço". Vale lembrar que a mesma 'ajuda' foi pedida quando desistiu de exibir o folhetim de Duca e Thelma (chamado "O Homem Errado", hoje cancelado de vez) na faixa das 21h ---- Walcyr, então, criou "O Outro Lado do Paraíso", em 2017. O autor emplacou dois grandes sucessos de audiência e virou a salvação do horário nobre. Porém, Silvio parece dependente dele.


Afinal, em uma nova decisão polêmica, anunciou (ontem) o cancelamento de "O Selvagem da Ópera", supersérie sobre Carlos Gomes, escrita por Maria Adelaide Amaral, planejada para abril de 2020, já em pleno andamento e com elenco escalado. Para culminar, extinguiu a faixa de novelas (chamadas de "superséries" recentemente) das 23h. Agora as produções com cerca de 50 capítulos ficarão exclusivas da Globo Play,  serviço de streaming da emissora. E como chamariz para essa nova estratégia usará "Verdades Secretas 2", continuação do fenômeno das onze de Walcyr, em 2020. O irônico é que o próprio Carrasco declarou anteontem, dia 22, em entrevista ao "Conversa com Bial", que tiraria um ano de férias e só depois se dedicaria ao novo projeto, em 2021. Pelo visto, novamente seu descanso foi cancelado pelo colega manda-chuva.


Silvio de Abreu é um profissional de extrema competência e sua carreira expõe isso ---- uma das provas, aliás, foi a reprise de "Torre de Babel" no Viva, evidenciando como foi preciso nas alterações do roteiro primeiramente rejeitado pelo público, transformando a produção em um sucesso. Mas sua gestão no setor de teledramaturgia da Globo precisa de uma maior atenção. Já foram detectados muitos problemas que nem deveriam ter sido de conhecimento público. Resta torcer para que "Em Seu Lugar", novela que marcará a estreia de Lícia Manzo no horário nobre, prevista para junho de 2020 ---- finalmente, após tantos cancelamentos ----, não seja, com o perdão do trocadilho, a próxima vítima.

30 comentários:

Andressa Mattos M. disse...

Que texto! QUE TEXTO!!!!!

Anônimo disse...

Concordo com quase todo o texto, Sérgio. Apenas discordo de quando você diz que a decisão mais equivocada de Silvio de Abreu foi com a novela "A Lei Do Amor" (2016), apesar de reconhecer quão péssima foi aquela obra. A pior mesmo foi ter encurtado "Malhação - Viva A Diferença" (2017) para apressar a estreia da infame fase substituta. Tentando reparar a injustiça para com a lendária temporada roteirizada por Cao Hamburger, aprovou o spin-off dela, "As Five? - Malhação", mas o que se lê a respeito dessa série derivada da obra é desanimador. Enfim, seria melhor que se confirmassem os rumores de que Silvio escrevesse um último folhetim e depois se aposentasse, pois a credibilidade da Rede Globo não pode ser colocada em xeque, ainda mais pelas questionáveis decisões do atual diretor de Dramaturgia Diária da emissora. Sem mais.

Guilherme

Anônimo disse...

ELE QUE SE ATREVA A CANCELAR A NOVELA DA LÍCIA DE NOVO!!!!!!!!!!

Unknown disse...

Cocordo plenamente e ainda teve a adaptação de o arroz de Palma que estava sendo escrita pela Edmara Barbosa que já foi adiava inumeras vezes deve ter sido cancelada também

DiogoC disse...

Silvio deveria voltar para suas novelas das 21h que apresentam plots interessantes. Como executivo ele é um verdadeiro desastre. Quando a gente acha que ele finalmente tá acertando, vai lá e comete erros primários. Não me admira nada que Walcyr volte a escrever pra televisão mesmo ano que vem. Aliás, colocar uma novela inédita e exclusiva no Globoplay é uma tolice na minha opinião. E pode até encarecer o preço do serviço, já que não vai ter os lucrativos intervalos comerciais.

Unknown disse...

O que eu acho um absurdo é ele esperar escalar quase todo o elenco para depois cancelar as novelas.Adorava as novelas das 11 nunca concordei com a nomenclatura de superserie mas não gostei de saber que foram extintas.

Anônimo disse...

Creio que ele deveria voltar a escrever novelas. E só.Sinto falta das tramas dele.

Vinicius disse...

Concordo com tudo que foi dito a respeito do Silvio de Abreu, porém nesse caso recente do cancelamento da superserie da Maria Adelaide Amaral, acho que o que pesou foi o baixo desempenho comercial da maioria das produções deste tipo no mercado internacional. A direção da Globo deve ter chegado à conclusão de que essa produção não será viável economicamente nesse formato. A escolha por produzir Verdades Secretas 2 com certeza está vinculada ao sucesso de audiência da primeira versão, agora não sei se lançar a produção diretamente na Globoplay é uma estratégia acertada.

Pedrita disse...

exatamente, questionável. grande profissional, mas não tem habilidade para o cargo que ocupa. é muito bom em outras funções, mas nessa é muito retrógrado. não entendo pq continua mesmo com queda absurda de ibope. a globo anda com medo demais de ousar, e demora muito pra agir. então está promovendo uma emenda que não remenda atrás da outra. ótimo texto. beijos, pedrita

FABIOTV disse...

Olá, tudo bem? O problema não é do Silvio de Abreu, mas da nova geração de autores e diretores que gostaria, de verdade, produzir séries ao invés de telenovelas. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

Matheus Nogueira disse...

Sérgi.vou fazer um comentário sobre a Larissa Manoela ter decidido deixar o SBT.ela foi muito corajosa,está na fase mais madura de sua vida.tomar uma decisão como essa,sair da emissora que deu a ela uma visibilidade,que lhe possibilitou ser uma grande estrela,uma grande atriz,enfim,a hora dela tomar um outro caminho chegou,como chegará a hora da Maísa tomar outros caminhos fora do SBT também,não sabemos quando Maisinha tomará essa decisão.e,meu amiggo Sérgio,que bom que surgiu uma galera nova,uma galera de valor como Sophia Valverde(14 anos),Igor Jansen(15 anos),Bela Fernandes(15 anos).esses meninos darão muitas alegrias ao Sílvio Santos por mais algum tempo.eu gostaria de saber de você,Sérgio.Larissa Manoela deixa o SBT pela porta da frente?por quê?e exponha seu ponto de vista sobre o meu longo comentário.abraços,cara

Unknown disse...

Espero que o selvagem da ópera saia do papel na faixa das 6 é o mínimo de consideração com Maria Adelaide Amaral

Unknown disse...

Estava louco pra ver a adaptação de Um defeito de cor que a autora Maria Camargo estava escrevendo e agora o que será que vai acontecer com o projeto?
Gostava do horário das 11 porque permitia algumas ousadias.

Anônimo disse...

E NÃO MENTIU EM NADA! Texto excelente. ��

Anônimo disse...

Sérgio, estão especulando que o BBB20 será uma edição comemorativa. Metade novatos e metade veteranos. Algo semelhante ao BBB13. Eu gostaria de saber o que você acha a respeito, se vc acha uma boa ideia. Eu, particularmente, não acho uma boa. Afinal de contas, vão sobreviver de veteranos, agora? É melhor se esforçar e conseguir uma boa seleção com apenas novatos. Conseguiram no BBB16 e BBB18. Basta se esforçar mais. Eu também aproveito para perguntar se você concorda que o sistema de votação do Reality deve ser alterado? Tipo, um voto apenas por cpf. Muita gente concorda e eu sou um deles. Afinal, as três campeãs mais recentes: Gleici, Paula e Emilly foram imensamente beneficiadas pela edição e venceram graças a essa votação de torcidas obcecadas. Eu, inclusive, acho que Munik foi a última campeã que menos recebeu um alto benefício. Ela não foi tão protegida como as que venceram depois. Vc concorda? O seu texto ficou excelente e muito imparcial. O Silvio de Abreu se equivoca muitas vezes. Xau.

-Matheus-.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Andressa.

Sérgio Santos disse...

É mesmo, Guilherme, nem citei essa e outras pq o texto ficaria ainda maior do que já ficou.

Sérgio Santos disse...

Pois é, anonimo....

Sérgio Santos disse...

Verdade, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Tb prefiro o Silvio escrevendo, Diogo...

Sérgio Santos disse...

Exatamente esse o ponto, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Idem, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Tem razão, Vinicius.

Sérgio Santos disse...

Valeu, Pedrita.

Sérgio Santos disse...

Discordo, Fabio.

Sérgio Santos disse...

Deixa, Matheus, mas duvido que volte e sua ida pra Globo é questão de tempo.

Sérgio Santos disse...

Sim, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Tb acho lamentável acabar com a faixa das 23h, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Valeu, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Assino embaixo, Matheus..Tb nao acho boa ideia e votação unica era o ideal.