sábado, 13 de setembro de 2014

Com fortes cenas e grandes interpretações, "O Rebu" chega ao fim considerada uma das novelas mais caprichadas da Globo

Após 36 capítulos de muito luxo, qualidade, fortes embates, grandiosas interpretações e uma intensa investigação policial, chegou ao fim "O Rebu", uma das mais caprichadas novelas já produzidas pela Globo. O remake baseado na obra de Bráulio Pedroso impressionou logo no primeiro capítulo e manteve a boa impressão durante toda a sua exibição, prendendo o telespectador através de uma trama instigante, bem entrelaçada e repleta de tipos ambíguos.


Escrita primorosamente por Sérgio Goldenberg e George Moura, a novela teve uma direção impecável de José Luiz Villamarim e uma fotografia de encher os olhos de Walter Carvalho ---- mesma competente equipe de "O Canto da Sereia" e "Amores Roubados". Todo este belo conjunto foi acrescido de uma gama de personagens cheios de nuances e de um elenco maravilhoso. Para culminar, a trilha sonora era repleta de clássicos nacionais e internacionais. Com tantas qualidades reunidas, ficou difícil não se encantar por esta produção, que engrandeceu o horário das onze.

Aos poucos, foi sendo possível perceber que a história era muito mais que um simples 'Quem matou?'. Os autores fizeram questão de construir um enredo riquíssimo, inserindo fortes dramas na vida de todos os personagens, valorizando automaticamente a interpretação dos atores que fizeram parte deste tão bem escalado time.
A riqueza do roteiro também ficou claro nas cenas apresentadas ao telespectador, pois não havia uma sequência irrelevante ou desimportante. Todos os momentos eram vitais para a compreensão da trama.

Tendo uma narrativa contada em apenas 24 horas ---- que foi ousada na versão original e continuou fora do comum em pleno 2014 ----, a novela ainda acertou em cheio ao focar na noite da festa, na manhã seguinte e nos flashbacks, que revelavam o passado obscuro de todos os perfis. Os três tempos se complementaram com maestria e serviram para explicar detalhadamente, e aos poucos, todos os meandros que interligavam os mistérios, os crimes, o medo e as atitudes suspeitas de cada um. O telespectador ficava na confortável e privilegiada posição de espectador e investigador.

Os autores se preocuparam em não só desvendar o assassinato de Bruno Ferraz (Daniel de Oliveira), como também em mostrar os conflitos e problemas dos personagens, incluindo as protagonistas interpretadas brilhantemente por Patrícia Pillar e Sophie Charlotte, escaladas especialmente para o remake, já que na versão original os perfis eram masculinos. Tanto que, ao contrário da versão original, que demorou 50 capítulos para revelar quem tinha morrido, para só depois iniciar a investigação, o remake revelou logo na estreia a identidade do assassino.

Entre os bons dramas da novela, havia a relação conturbada entre Angela Mahler e sua filha adotiva Duda, a rivalidade entre Angela e Braga (Tony Ramos), as brigas entre Gilda (Cássia Kiss) e Bernardo (José de Abreu), os surtos de Oswaldo (Júlio Andrade), as aventuras sexuais de Vic Garcez (Vera Holtz) e sua filha (Maria Angélica - Camila Morgado), o conflito interno de Camila (Maria Flor), a cleptomania de Mirna (Bianca Muller), os destemperos de Lídia (Bel Kowarik), o mistério de Alain (Jesuíta Barbosa) e a relação entre o delegado Pedroso (Marcos Palmeira) e a investigadora Rosa (Dira Paes).

Além, claro, da interferência que Bruno teve na vida de todos estes tipos, que frequentaram a festa de luxo promovida pela grande empresária. Foram muitas brigas, embates, trapaças e romances também ---- incluindo uma cena de sexo a três. Destaque, principalmente, para o relacionamento vivido com Duda, repleto de cenas quentes e repletas de química. Daniel e Sophie estavam ótimos.

Aliás, em se tratando de bons desempenhos, é preciso destacar o talento deste time tão bem escalado. Tony Ramos deu um show na pele do canalha Carlos Braga, José de Abreu e Cássia Kiss fizeram uma parceria maravilhosa, Patrícia Pillar e Sophie Charlotte honraram a posição de protagonistas, Daniel de Oliveira fez bonito, Vera Holtz e Camila Morgado deram um alívio cômico para a novela com competência, Jesuíta Barbosa se mostrou uma grata revelação de "Amores Roubados", e Marcos Palmeira e Dira Paes imprimiram uma ótima seriedade aos seus personagens. Bianca Muller, Cesar Ferrario (Adão), Pablo Sanábio (Kiko), Cláudio Jaborandy (Severino), Maria Flor, Júlio Andrade, Mariana Lima (Roberta), Laura Neiva (Betina) Bel Kowarik, Olívia Torres (Valentina), Eucyr de Souza e Cyria Coentro também merecem menção e elogios.

O penúltimo e o último capítulos foram grandiosos e encerraram esta produção de uma forma primorosa. Na quinta-feira, o público viu uma sucessão de sequências reveladoras, onde foi possível ver Duda brigando com Bruno e dando uma pancada em sua cabeça, após descobrir que ele tinha roubado o dossiê para destruir Braga e Angela Mahler. A cena onde ela tranca o rapaz no freezer e depois limpa o sangue do chão com um pano, enquanto tenta segurar o vômito, foi impressionante. Sophie Charlotte mostrou o porquê de ser considerada uma das melhores atrizes de sua geração. O momento que Duda revela a Angela que matou seu namorado foi mais uma sequência ótima.

E após ter prendido o telespectador com um penúltimo capítulo revelador, os autores finalizaram a história com maestria e coerência. O último capítulo mostrou que Angela fez questão de matar Bruno, mexendo no termostato do freezer para -25ºC. O grito desesperador do rapaz e a expressão de terror da empresária fizeram desta cena uma das mais impactantes da produção. Vale destacar também a desfecho de Maria Angélica, que foi enganada por Alain; a prisão de Duda; o último acerto de contas entre Angela e sua filha (esclarecendo todos os detalhes do crime e ainda deixando nas entrelinhas um romance); e o momento que Braga reclama para sua esposa, algemado, das ineficiências dos serviços prestados no Brasil ---- em referência ao assassinato que encomendou. Aliás, crime que foi cometido na última cena, quando Angela é assassinada por Severino. A sequência da empresária caindo morta em sua mansão encerrou a novela de forma chocante e grandiosa.

O final do remake foi condizente com todo o seu roteiro e o desfecho fugiu de todos os clichês de um folhetim: não teve casamento, nem nascimento de bebês e muito menos felicidade. Uma trama onde todos os personagens eram ambíguos e tinham desvios de caráter, não havia como ter um encerramento de conto de fadas. As sombras estiveram presentes até o último minuto.

"O Rebu" foi uma produção onde tudo deu certo. Infelizmente não teve a audiência que merecia (a média final foi de 15 pontos, a mesma de "Saramandaia"), mas deixou sua marca na teledramaturgia. Com uma fotografia linda de Walter Carvalho, direção exemplar de José Luiz Villamarim, texto magnífico de George Moura e Sérgio Goldenberg, trama bem construída, trilha sonora impecável, personagens dúbios e elenco primoroso, este remake foi destinado a bons e privilegiados telespectadores. Quem viu do início ao fim prestigiou uma obra de imensa qualidade e não se arrependeu. Foi uma das mais caprichadas e bem feitas telenovelas da Rede Globo. Parabéns aos envolvidos neste belo trabalho. Valeu a pena ter acompanhado todos os capítulos.

85 comentários:

OX disse...

Sérgio, estava no aguardo da crítica. Essa novela foi uma das melhores que eu já assisti e fiquei impressionado com o grande último capítulo depois daquele penúltimo de tirar o fôlego. O casamento da direção com os autores e com o elenco foi perfeito e tudo funcionou. Foram cenas pesadas e bem interpretadas que deram magnitude à novela. Foi um presente para nós, público, ver algo tão bem feito. Não ficou devendo a nenhuma produção americana. E me arrisco dizer que se alguma série tivesse feito tudo como a novela fez estaria fazendo um baita sucesso nos EUA.

Duda e Angela terem assassinado Bruno foi mt coerente e as cenas chocaram. Acho até que chocaram mais pela atuação das atrizes e pela forma como foi feita. De impressionar qualquer um. Já estou com saudades da novela. Um abraço!

Anônimo disse...

Novela impecável e maravilhosa! Estou fascinada pelo desfecho. Nunca vi algo tão bom!

Anônimo disse...

Pra variar crítica impecável. Concordo com tudo o que foi bem explanado. Mas li alguma comentarista dizendo que vc tinha que fazer tb um texto só sobre os dois últimos capítulos e concordo. Seria legal. Beijo e bom fim de semana!




Thamires

William O. disse...

Novela impecável e merecedora de todas as premiações. Um produto de alto nível e que não foi destinado para as massas. Quem quer novela mastigadinha não gostou de O Rebu e nem se deu ao trabalho de prestar atenção na história. Lamento por essas pessoas limitadas. Duda e Angela terem sido as assassinadas foram muito coerente e ao mesmo tempo surpreendente pela forma como tudo foi feito. E o assassinato final foi a cereja do bolo. No final Braga, mesmo preso, conseguiu matar sua inimiga. E a incompetência da polícia que deixou Severino solto resultou em outro crime. Final ESPETACULAR! Novelão!

Lucas disse...

Patricia Pilar deu um show, talentosa, linda gostosa e maravilhosa, Cassia K como sempre ótima atriz, como a modinha do nosso querido autor agora é a tal sofhie... para mim nada de tão grandioso...

Anônimo disse...

Novela ótima que deixará saudades

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sergio, também gostei dos dois últimos capítulos de O Rebu. O elenco foi excelente.

Bia Hain disse...

Olá, Sérgio, como vai? Desde o princípio achei O rebu uma novela excelente, de qualidade primorosa, e já há algum tempo deconfiava da Duda. O elenco, perfeito... mostrar as diversas faces dos personagens deixa claro como todos temos segredos não revelados, hahaha. Ótima trama e formato! Um abraço!

Amanda Ventura disse...

Adorei o final, não foi fantasioso, foi até bem coerente com tudo o que foi apresentado no decorrer da trama. Muitos já desconfiavam da participação de Duda e Angela no crime devido à cumplicidade existente entre as duas, mas foi uma surpresa saber como os fatos aconteceram. E no fim tudo se encaixou tão bem, nada ficou sem sentido ou sem explicação.

Sobre a insinuação de um romance entre as duas mostrada no ultimo capítulo, acho que a intenção foi aquela mesma que já comentamos aqui: deixar que cada um fizesse a sua interpretação. Continuo achando que o sentimento de Angela por Duda não era de natureza sexual, era mais como se Duda fosse tudo o que lhe restou, uma espécie de tábua de salvação. Até porque se houvesse romance, Angela sentiria ciúme de qualquer homem que se aproximasse de Duda, e ela dava força pro relacionamento da garota com Gonzalez. Mas esta é apenas a minha interpretação.

Essa dubiedade de todos os personagens, que despertou diferentes avaliações do público, foi um dos muitos pontos altos desta novela sensacional, que deixará sua marca na teledramaturgia brasileira e a esperança de que sirva de inspiração para outras produções do gênero. O público tem mostrado que quer ver cada vez mais histórias bem elaboradas que levem à reflexão, e não apenas tramas de fácil assimilação.

Melina disse...

Sérgio, querido, a Kogut deu dez para O Rebu hoje e disse que foi uma das melhores produções do ano. Mas como vc já disse, foi a melhor novela de 2014. Que produção maravilhosa.

Faço coro com os comentaristas que querem que vc escreva um post especial só sobre os dois últimos capítulos que foram os mais bem produzidos da teledramaturgia.

Patrícia Pillar e Sophie Charlotte foram exemplares e tiveram uma parceria estonteante nessa novela vivendo duas personagens que fascinam pelo grau de complexidade. E no final as duas tiveram desfechos trágicos. A prisão de Duda por um crime que não cometeu e Angela assassinada a mando de Braga. Quem não gostou dessa novela merece ver essas porcarias que estão no ar porque fazem jus ao que está sendo exibido. Essa novela foi para um público privilegiado.

Estou ainda meio que sem palavras pelo final da novela e já estou muito saudosa e triste. A morte da Angela foi uma das cenas mais angustiantes que já vi. E o momento que ela diminui a temperatura para Bruno morrer também foi impressionante. Poderia ficar elogiando essa novela até 2020, mas vou guardar mais um pouco pro seu texto sobre os dois capítulos finais. (percebeu que é uma pressão, né) hehe Um beijo!

Anônimo disse...

Essa "serie" flopou total no ibope. Sim, porque novela com 36 capítulos é serie e dessa vez a globo exagerou no filtro da imagem, chegava ser preto e branco e azul, eram só essas cores que se via na tela, um horror. E muito, mas muito escuro mesmo. Sera que a globo não percebe que essa imagem de filme nas suas novelas vem afastando o publico? E a proposito, vi um colunista comentando e é verdade: a quase ausência de sonoplastia nas novelas atuais. Sabe aqueles toquinhos de suspense ou de tristeza ou mesmo de alegria que sempre teve nas novelas? Isso não existe mais. Em Imperio na cenas dessa semana isso ficou claro. As novelas da globo não são mais novelas. O Rebu seria ótima se fosse uma serie ou um filme em capítulos, mas novela não é, não parece novela, não cativa o publico que gosta desse formato, por todos os motivos que citei.

Andressa Mattos M. disse...

Sérgio, fiquei ontem esperando a crítica ansiosamente mas acabei indo dormir antes de você postar. Mas valeu a pena esperar, mais uma vez você escreveu um texto perfeito e detalhado sobre tudo o que foi esta novela.

Ai, eu vou aumentar a pressão pra uma crítica sobre os dois últimos capítulos. Os dois parágrafos que vc destinou na crítica final ficaram poucos para o que foram os desfechos.

O Rebu foi a melhor novela de 2014 sem muita discussão até porque as concorrentes estão bem fracas. Mas mesmo que fossem fortes seria difícil tirar esse posto do remake que marcou a teledramaturgia. Digo que O Rebu é dessas obras que engrandecerão a história da Globo que nem a minissérie Os Maias, Agosto, A Casa das Sete Mulheres e estas produções que demonstram uma qualidade gigantesca.

O elenco, a trilha, a história entrelaçada, os tipos repleto de nuances e complexidades, a fotografia do mestre Walter Carvalho, a direção primorosa, o texto cheio de frases ferinas e críticas ao nosso país, enfim, Sérgio, é difícil elogiar tudo. Mas tudo merece ser elogiado.

A cena da Angela morrendo assassinada pelo Severino foi chocante e surpreendente. Os que chamaram o final de previsível tiveram que engolir a língua. E eu estava até pronta para reclamar do furo de não terem pego o Severino, mas tinha um objetivo claro. Sophie e Patrícia fizeram uma cena final memorável e o mesmo vale pra Tony Ramos, José de Abreu e Cássia Kiss.

A Globo agora ficou mais pobre sem O Rebu em sua grade. E nós, telespectadores privilegiados, estamos de luto pelo fim da novela. Beijos e bom fim de semana!

Fabíola Oliveira disse...

Oi, Sérgio, você fez uma verdadeira cobertura da Novela O Rebu, hein.

Confesso que só assisti aos dois primeiros capítulos, mas o pouco que vi dessa trama me deixou ótimas impressões em todos os aspectos.

Dava mesmo para ver que aquela era uma trama diferenciada das demais. Pena que a audiência não correspondeu à altura da qualidade produto.

Não sei se isso se deveu ao fato de essa trama estar repleta de personagens complexos, intrincado demais ou até mesmo ao horário em que foi exibido, que mudava conforme o dia.

É que, apesar de a novela apresentar várias tramas paralelas, a história girava em torno de um suspense, né, e até mesmo as histórias paralelas serviam apenas para tentar desvendar o mistério do assassinato do Bruno, deixando a trama tematicamente falando de certa forma mononuclear e talvez isso tenha desagradado o grande público... Não sei..

Sophie Charlote é mesmo uma das maiores revelações de sua geração. E tá ganhando cada vez mais a confiança de autores e diretores para viver papéis cada vez mais complexos, né.Respeitem a moça..

Beijo, Sérgio. Ah, fala de as Pupilas do Senhor Reitor, Sérgio..

juliana s disse...

o final de O Rebu foi incrivel. Eu imaginei que Angela e Duda estariam juntas na cena do crime. Mas foi mais além do que pensei,e o final me surpreendeu, foi de tirar o fôlego. vai deixar saudade

Maíra disse...

Foi uma excelente produção. Tudo feito com um capricho impar. Dá gosto de ver que o Brasil é capaz.
Do elenco brilhante, faço menções honrosas a Patricia Pillar, Sophie Charlotte, Tony Ramos e Cássia Kis Magro que estavam magníficos.
Sobre o ultimo capitulo, nossa, maravilhoso! Gostei do desfecho de ser a Duda por uma discussão e a Ângela terminado o serviço, o que proporcionou cenas fantásticas, desde quinta quando mostrou-se que a Duda que começou e todas as sequencias que se mostrava em relação ao crime foram cenas maravilhosas, Sophie e Patricia brilharam em cada segundo, a cumplicidade das personagens foi outro ponto alto do crime. Mas aqui lembro de uma falha da novela, que para uma produção impecável, foi grave: no decorrer da novela mostrou uma cena em que Bruno cai (foi numa cena que falava-se do relógio dele estar quebrado)e parecia ser numa ponta de algum degrau com gramado ao fundo, e na revelação mostrou as duas levando do bar para a piscina já ao lado sem ter passado por outro lugar. Não curti essa falha, posso tá sendo chata, mas queria a novela perfeitinha, haha.
Outro ponto que não curti e que gostaria de mencionar é o fato da festa ter se esvaziado, ela era uma das protagonista da novela e ao longo dos capítulos a trama se concentrou mais no dia seguinte do que na festa e no flashback. Acho que deveria ter dosado melhor os três tempos da proposta da novela, ficou muito do dia seguinte.
E pra não repetir, concordo plenamente com o ponto de vista da Amanda Ventura sobre o ter ou não ter um romance entre Duda e Ângela. Pra mim ficou evidente que a Ângela tinha uma dependência de afeto, digamos assim, pela Duda. Ela perdeu as pessoas que amava de verdade e a única relação de afeto familiar era a Duda, tanto que mesmo sabendo do desvio ela prometeu tirar a Duda da cadeia porque não podia perde-la, a Duda era tudo que ela tinha em questão de amor, mas amor de mãe, de amiga, de ter alguém, sem ser romance. Basta olharmos pra nós mesmo, conseguiríamos viver só. Tanto assim que eu acho que a Ângela se permitiu ser assassinada. Depois que a Duda rompeu com ela, a Gilda se desligou da empresa, ela se sentiu sozinha. Com todo aquele patrimônio, representado pela mansão em que ela estava sozinha, depois de uma festa de arromba cheia de gente, no fim ela não tinha ninguém, nada de concreto. Eu acho que ela se entregou ao atirador. Sendo ou não sendo, o final da Ângela foi o melhor que ela podia ter, que triste seria se ela terminasse viva? Que sentido a vida dela teria dali pra frente?
O melhor também foi a solução do crime, não foi épico como o da 1ª versão, mas foi excelente. Qualquer outro, como por exemplo se fosse o Braga, ou o Bernardo pelas suas razões mostradas na novela, ficaria chinfrim. Eu já acreditava que fosse alguém dos personagens principais.

MARILENE disse...

Sergio, apesar de não a ter assistido, não resisti e vi o último capítulo. Foi sensacional. Conhecia o enredo e mesmo tendo perdido os fatos e as descobertas, aos poucos, pude perceber que terminou com chave de ouro. Só não gostei de Duda ter assumido, sozinha o crime e de Ângela ter sido assassinada. Bjs.

Denner Castro disse...

Estou oficialmente de luto pelo fim desta obra prima. Não haverá outra novela igual tão cedo na Globo. Deixou as outras novelas das onze comendo poeria e chutou a bunda de todas as outras novelas que estão no ar. Os autores que me desculpem, mas todos parecem meros amadores diante da equipe de O Rebu. Essa novela foi algo indescritível. E sua crítica está perfeita. Eu concordo com todos os pontos mencionados por você!

Anônimo disse...

Não custa repetir que tu é o melhor crítica que tem. Seus textos são sempre completos.

Evanir disse...

A vida é uma luta para que
eu viva com coragem e consciência de minhas limitações,
é preciso ter coragem para ser feliz!
Não é nada fácil termos a coragem de nos atirarmos na luta
todos os dias para tanto é preciso ter fé e esperança.
A vida é um caminho a ser percorrido
infinitamente único e sem atalhos.
Quantos encontros e desencontros
vivenciamos beleza risos ,
mais também temos dificuldades.
Um pensamento te deixo
desejando um abençoado final de semana.
beijos meus.
Evanir.

Fabrício disse...

Sérgio, essa novela foi absurda. Absurda de boa!!!!!!! Saboreei cada capítulo e estou entupido de tanta coisa boa. Tô sentindo aquele vazio quando uma novela incrível acaba, sabe? Não tem mais nada de atrativo pra se ver agora. Tá tudo bem ruim. Talvez essa Dupla Identidade seja boa, mas o resto...

Letícia disse...

Boa noite meu caro Sérgio.

Em primeiro lugar... Adorei, o visual de "O Rebu". Foi de um capricho primoroso. Escolheram uma linda mansão na Argentina para ambientar toda a estória. O clima tenso de cada capítulo. A fotografia impecável do Walter Carvalho, que já tinha feito tão lindamente na primeira fase de Lado a Lado, ajudou e muito a dá um tom sombrio a trama, tudo meio cinza, mas ao mesmo tempo tudo muito bonito. Também temos o figurino impecável, Patrícia (Ângela) com a grande senhora de tudo aquilo, Sophie Charlote (Uma boneca da mãe adotiva) que era exibida ricamente vestida. A maneira como foi construído o caráter de cada personagem. A humanidade e a perversidade de cada personagem, do que se é capaz. Foi muito bem construído. Os atores, liderados pela Patrícia Pillar e Tony Ramos... Dois grandes atores fazendo personagens dúbios... Mantendo a aparência, na frente dos outros, mas travando uma guerra nos bastidores. A Patrícia, acredito eu, já fez mais vilãs e o Tony, em sua maioria, faz bons moços e, de repente, temos um personagem que participa de uma orgia, que está condenado a morte, que contrata um assassino profissional... Foi um personagem muito rico e cheio de nuances... Capaz da piores canalhices, mas que é afetuoso com a esposa. E ainda temos a personagem da Patrícia, Ângela, sua relação incestuosa com a filha adotiva Duda. A cena final delas, na delegacia, foi ótima... Mostrando que a Duda se sentia desconfortável com isso, mas mesmo assim aceitando... O "rompimento" delas, e mesmo assim a existência de pacto, Duda assume o crime cometido pela empresária, que também roubou a "mãe", pois tinha consciência que um dia poderia ser jogada para escandeio... E tudo isso leva a cena final, em que Ângela, se deixa assassinar, afinal de contas, ela sabia que a polícia não tinha pego ainda o atirador que horas antes tentou matá-la. Na minha opinião ela se deixa matar já que Duda deixa claro que não quer mais saber dela. É uma estória que não teve os clichês do último capítulo como você comentou tão bem.
Mas uma vez lamento que a proposta não foi tão bem aceita e perdeu parte da audiência pelo caminho. Eu, particularmente, gostei muito. Foi uma estória bem construída, tenho que reconhecer uma coisa, não acho que tenha sido tão surpreendente que a assassina tenha sido a Ângela para incumprir o ato da Duda. Para mim surpreendente se fosse a personagem da Vera Hortz, da Camila Morgado, ou da Maria Flor... Algo que levasse a elas, sei que são personagens "secundários". Mas que estavam ali.
Foi um ótimo trabalho que gostei muito, pena que não deve o reconhecimento devido... Tomará que seja indicada ao Emmy, assim como Meu pedacinho de Chão e que uma delas leve o Emmy. Vamos vê como vai ser...

Um abraço meu caro Sérgio, tentarei não sumir tanto... Mas nunca esqueço... Gosto muito de comentar aqui... bjs... Amanhã comento sobre o final de "A grande Família" e eu li seus post sobre LAL no facebook.

Maxxi disse...

Olá, Sérgio...

Infelizmente, não acompanhei as duas últimas semanas de O REBU por conta do estudo. Por favor, esclareça algo para mim: AFINAL, QUEM ASSASSINOU O COZINHEIRO PIERRE?

Concordo com muita coisa, sobretudo o final óbvio... E a atmosfera de romance que você se refere? Não interpretei dessa forma, não...

Vi seu comentário no Mauricio Staycer e concordo uma coisa com ele: não gostei de não terem obedecido à característica principal do remake. O que mais me fascinava na sinopse dessa novela, era como Braulio tinha conseguido manter em sigilo a identidade do assassinado, já que manter a do assassino é bastante fácil. E os autores infelizmente não tentaram manter esse recurso, o que foi triste. E continuo achando as cenas da festa muito escuras, o que de certa forma retira o interesse do público. Mas quando o assunto é texto, O Rebu arrebentou... Queria que a Globo continuasse investindo nesses remakes de produções dos anos 70...

Anônimo disse...

Aproveitando o comentário da Letícia e a sua comparação no Twitter, é preciso dizer que Lado a Lado e O Rebu foram duas produções grandiosas e como vc bem disse não foram valorizadas como mereciam. E ainda há essa coincidência do Walter Carvalho ter estado nas duas. E nas duas teve gente idiota reclamando da cor escura (no caso de LAL era o tom esfumaçado). Gente que quer sempre o mesmo padrão, a mesma coisa, nada de diferente e um festival de mesmice. A primeira não foi valorizada pelo público mas foi pelo Emmy. Espero que a segunda repita a trajetória.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Gostei do emprego da palavra 'desimportante'. Até me lembrei da Milene-rsrs.
Como já lhe disse, não assisti à trama em sua integralidade, mas fiquei de plantão para assistir ao último capítulo. Como não vi todos os capítulos, imaginei que antes do término da novela haveria a incriminação também da Ângela, embora tal fato já estivesse praticamente comprovado. Duda acabou assumindo sozinha a autoria pelo assassinato de Bruno.
Por tudo que vi, foi mesmo uma produção primorosa e digna de elogios.
Parabéns por sua excelente análise/crítica.

Ótimo domingo.

Abraço.

Arthur Brandão disse...

Olá Sérgio! Acompanhei O Rebu do início ao fim , e foi realmente muito bom acompanhar essa nov6ela brilhantemente escrita pelos autores. Também ficava ansioso pra ver todas a suas críticas sobre essa investigação que cativou muita gente! A cada dia , ficava mais impressionado com as atuações desse elenco maravilhoso : Cássia Kiss como sempre nos presenteando com suas magistrais interpretações , Tony Ramos, como sempre arrasando em todo personagem que interpreta , Patrícia Pilar como sempre honrando o posto de uma das melhores atrizes que a televisão brasileira possa evidenciar e claro , não podia deixar de falar da talentosa e linda Sophie Charlotte , que vem a cada trabalho nos mostrando que é uma atriz de peso e a melhor de sua geração.Todas as cenas dela com Patrícia eram encaixadas no lugar certo, sem nenhuma fala desnecessária. Além disso, os impressionantes penúltimo e último capítulos, que exibiram com primor toda a entrega e profissionalismo de Sophie Charlotte. Não posso deixar de falar que sou fã de carterinha dessa grande atriz! No mais, todo o elenco estava primoroso e não tivemos nada do que reclamar dessa incrível e instigante obra chamada de O REBU! Segue essa novela uma das melhores produções que a Tv Globo já produziu e que jamais vai se esquecer . (Arthur)

Ana Carolina disse...

Sérgio, vc acreditaria se eu lhe dissesse que ainda estou sob o efeito do último capítulo da novela? Ainda penso nas cenas, nas interpretações e no desfecho grandioso. Compartilho da opinião dos colegas e também estou nesse clima de vazio pelo término da novela.

O seu texto já explanou tão bem tudo o que representou essa novela e os demais comentaristas já fizeram observações tão pertinentes que nem tenho mais o que colocar aqui. Apenas faço coro com alguns e lhe peço um texto sobre os dois últimos capítulos. Assim ainda aproveitamos mais um pouquinho dessa produção tão caprichosa.

Anônimo disse...

Difícil alguém não ter gostado dessa novela. Digo alguém que assistiu e não os chatos de plantão que criticam sem assistir.

Anônimo disse...

novela boa é A Viagem no viva, essa tal de O Rebu é boazinha perto das tranqueiras que a globo faz hoje em dia.

Anônimo disse...

Aliás A Viagem e Historia de Amor estão com ibopes altíssimos no canal viva, a ponto da globo ter alterado toda a sua programação pra não concorrer com seu próprio passado. Enquanto isso a reprise da patética Cobras e Lagartos flopa na globo, kkk... Aceitem, a globo do novo milênio é uma droga!

Anônimo disse...

Essa O Rebu é um fracasso, só quem ainda insiste em prestigiar as novelas atuais gostou dessa coisa escura e chata.

Anônimo disse...

Gente que critica novela alegando que foi um fracasso como se isso tivesse alguma coisa haver com qualidade: ATÉ QUANDO?

Amanda Ventura disse...

Sérgio, se for possível escreva um texto sobre o que se esperar do novo seriado Dupla Identidade. Com o fim de O Rebu, a estreia do seriado é o que mais tem me atraído na programação atual da Globo.

Lulu on the Sky disse...

Essa novela foi sensacional e o final ficou uma coisa no ar que se quiserem, dá pra montar uma continuação.
já votou no blog Lulu on the sky?
Big beijos
Lulu

Gustavo Nogueira disse...

Que novela é essa, Sérgio?O Rebu foi uma trama ótima, ágil, com bons ganchos e ótimas atuações.Destaco a evolução da Sophie Charlotte, que convenceu como Duda.Patrícia Pillar, Tony Ramos, Cássia Kis, José de Abreu, Vera Holtz, Camila Morgado, Jesuíta Barbosa, Daniel de Oliveira, Marcos Palmeira e Dira Paes também se destacaram e mostraram o quanto são talentosos.Na minha opinião a Angêla e Duda tinham um caso amoroso, até pela forma como elas se olharam no último capítulo.Mas como já disseram, aí é a interpretação de cada um.O penúltimo e o último capítulo foram os melhores, recheados de revelações.Não me surpreendeu a Duda e a Angêla terem matado o Bruno, até porque já estava desconfiado das duas.Uma pena que a audiência não tenha correspondido e que tenha ficado com a mesma média geral da fraca Saramandaia, com 15 pontos.

Sissym Mascarenhas disse...

Sergio, gostei muito do seriado. Das sequencias, dos atores, muito bom. E do jeito que gosto: rapido.
E o final foi sensacional, ficou um ar de suspense! Quem sabe mais para o futuro!

obs: seu blog está otimo!

Bjs

Pedro Bertoldi disse...

Olá Sérgio. Sem dúvida uma bela novela e uma ótima adaptação.
O que me incomodou foi a pouca ênfase a festa e o final original não ter sido mudado. Também achei muito interessante não ter finais felizes. O elenco deu show, assim coma a direção e o roteiro.
P.S> To sabendo tudo que aconteceu por aqui pois não aguentei um Globo Reporter sobre insônia pq me deu sono. Aliás a Globo deu uma de Record com o Rebu pois convenhamos que não tinha horário fixo!

Anônimo disse...

Excelente crítica. Essa novela foi a melhor do ano e marcou a dramaturgia. E tb quero que tu escreva mais um texto. Quem manda escrever bem, agora aguenta!

Raquel disse...

Sérgio, você sabe que eu não assisti o Rebu, mas só queria dizer uma coisinha: Segunda psicopata seguida da carreira de Sophie Charlotte, heeeeinnnnn??!!!!!!! :P
Comentário no twitter: Que medo da Duda, ela é fria, parece uma psicopata! Sophie Charlotte está arrasando!
Resposta: Mas é claro que está, ela treinou por mais um ano fazendo a personagem com nome de fruta em Sangue Bom!

PS.: Sei que você gostava da Amora e acreditava que ela daquele jeito porque tinha tido uma infância difícil e zzzzzzzzzzzzzzzz... Mas não resisti a brincadeirinha. É com muito amor, tá?! ;)

Filha do Rei disse...

Realmente, foi tudo muito cuidado, com excelência.Que possamos assistir a outras produções como esta.
Obrigada pelo carinho em meu niver.
Tenha uma semana abençoada. Bjs

Alexandra disse...

Sergio, assisti apenas a primeira semana e achei impecável, mas perdi muitos capítulos e o interesse de assistir tb. Infelizmente. :/ Só acho que Patricia Pillar, Tony Ramos, Cássia Kiss e Sophie Charlotte dão um show sempre.

Sérgio Santos disse...

OX, eu tb fiquei impressionado. E já estou com saudades da novela. A Globo perde mt sem essa grandiosa produção no ar. O final foi perfeito e coerente com tudo o que foi exibido. Deu pra constatar, inclusive, qd voltou a cena do primeiro capítulo. Mt bom. abçs

Sérgio Santos disse...

Foi bom demais, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Thamires. E pode deixar, vc pediram tanto que acabei escrevendo mais um texto sobre a novela. ;) bj

Sérgio Santos disse...

De pleno acordo, William. Foi um novelaço em todos os sentidos. É raro uma novela não errar em nada, mas essa conseguiu esse feito. Trama, trilha, elenco, personagens, direção, valorização dos atores, trama instigante e bem entrelaçada, enfim, quanta coisa boa teve em O Rebu.

Sérgio Santos disse...

Patrícia e Cássia incríveis, Lucas, mas não só elas, o elenco brilhou absoluto. E Sophie deu um show. E ainda bem que não é modinha minha, é uma grande atriz msm.

Sérgio Santos disse...

Já está deixando, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Foi uma novela maravilhosa, Elvira.

Sérgio Santos disse...

Oi Bia, tudo indo. Eu também. E de fato foi uma engenhosa trama e mt bem amarrada. Deu gosto de assistir. bj

Sérgio Santos disse...

Foi um final espetacular, Amanda. E coroou o final com maestria. Há tempos desconfiávamos de Duda e Angela mesmo, mas apesar disso jamais imaginamos como seriam as situações realizadas e os autores surpreenderam. E quando voltou a cena do primeiro capítulo deu pra ver como ambas estavam dissimulando mesmo. E Duda cantar Sua Estupidez era uma pista clara e logo na estreia. Novelaço.

E tb acho que os autores deixaram pra cada um interpretar a relação de Angela e Duda. Eu, por ex, acho que ela não sentia ciúmes de Gonzales justamente pq ela via que Duda não gostava dele, o que não ocorria com Bruno. E no final da cena delas, ficaram tão próxima que muitas vezes parecia uma coisa mal-resolvida ali. Mas nada ficou explícito, fato.

Olha, sobre Dupla Identidade, creio que não vai dar pra escrever antes da estreia, mas depois do primeiro capítulo eu escreverei. Parece boa. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Melina, o 10 da Kogut foi mt justo. Foi mesmo uma das melhores produções do ano e a melhor novela de 2014 de longe. Que trama boa!

E já escrevi o texto pedido. :)

Patrícia e Sophie tiveram uma parceria magnífica mesmo e as personagens eram fantásticas. Enfim difícil arrumar algo pra criticar nessa novela.

A morte da Angela foi mt triste mesmo e deu pena, mesmo sabendo que ela tinha matado Bruno. No fundo ela queria se matar. Foi um final apoteótico. Bjsssss

Sérgio Santos disse...

Anônimo, confesso que não entendo quem reclama de mesmice e quando surge algo novo tb reclamam. A fotografia diferenciada foi uma qualidade. Aliás, em Lado a Lado reclamaram que era esfumaçada, em Av Brasil era laranja, em Amor à Vida cinza, em O Rebu escuro, até pq era um ambiente sombrio, inclusive a festa, repleta de tragédias e feita de madrugada. Queria uma luz clara? Como assim? A fotografia do Walter Carvalho foi primorosa.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Andressa, acabei demorando um pouco pra terminar o texto pq ainda estava sob o impacto do último capítulo devastador. E que bom que gostou. Pode deixar que o outro texto já foi escrito.

E é difícil mesmo não elogiar e aplaudir tudo, foi um conjunto tão maravilhoso e bem feito, enfim... Concordo que O Rebu entrará na lista dessas grandes produções da Globo, assim como essas citadas por vc. E tomara que seja indicada ao Emmy. Merece mt. Confesso que ri desses malas chamando o final de previsível antes da Angela ter sido assassinada, calando a boca deles. Bjs

Sérgio Santos disse...

Deu trabalho, Fabíola. rs E na verdade o que mais prejudicou a novela foi o horário político porque antes dessa desgraça começar, a novela estava com uma média maior que Saramandaia. Mas depois a trama foi indo ao ar cada vez mais tarde e ferrou tudo, acabou ficando com a mesma média. Mas embora os números tenham deixado a desejar, a novela não deve ser considerada um fracasso e mereceu cada elogio que recebeu.

Não sei se vou escrever sobre essa novela, mas vamos ver. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Foi bom demais, Juliana. Pois é, as duas eram as grandes suspeitas, mas a forma como tudo foi feito surpreendeu. Final incrível. bjs

Lucas disse...

hum.. acho que seus parâmetros para "grande atriz" são bem largos...tipo minha opinião

Sérgio Santos disse...

Maíra, de pleno acordo. Essas suas menções honrosas são merecidas, em meio a esse elenco brilhante.

E vc não foi chata, foi observadora. Confesso que nem me recordava disso. Mas acabou sendo algo pequeno.

Sobe a festa, com certeza ela teria mais destaque se a novela fosse mais longa. A original teve 112 e essa só 36. Por isso não entendo quem disse que a novela foi longa demais. Como assim? Foi a mais curta já feita. E todas as cenas do dia seguinte foram vitais para as revelações dos mistérios, por isso defendia uma novela com uns 70 capítulos, assim como foram as outras das onze. Aí teria mais festa.

Tb acho que Angela quis se matar. Ela estava profundamente triste com tudo e ainda tinha o rompimento com a Gilda, pra culminar tudo. Ela perdeu sua aliada. Ainda soma-se com Duda presa por algo que ela fez, o fim da única relação afetiva que ela tinha depois do trágico acidente, enfim, já era. Final espetacular. bjs

Sérgio Santos disse...

Marilene, essa novela eu tenho certeza absoluta que vc iria se fascinar. E foi um final em grande estilo mesmo. Duda assumiu o crime sozinha pq, apesar do ódio que estava guardando, ela tem gratidão pela Angela. Foi uma sacada de mestre dos autores. Bjsss

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Denner. E eu comprtilho do seu luto, principalmente nessa semana que a ausência ficará mais forte. A grande da Globo ficou mais pobre sem O Rebu.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, anônimo. abç

Sérgio Santos disse...

Obrigado pela mensagem, Evanir. bj

Sérgio Santos disse...

Eu tb saboreei, Fabrício. Foi uma produção fantástica! Não me canso de elogiar mesmo. E fará muita falta! Já está fazendo. Tb só me animei com a estreia de Dupla Identidade. abçs

Sérgio Santos disse...

Minha cara Letícia, onde eu assino? Concordo integralmente com seu comentário e O Rebu e Lado a Lado têm muitas coisas em comum, além do Walter Carvalho. O não reconhecimento da audiência, por exemplo, a grande trama, o capricho, enfim... Quem sabe não faço um texto fazendo uma comparação.

O final foi totalmente avesso aos clichês. A última novela que eu lembro que não teve casamento no final foi A Vida da Gente, aliás, que novela linda. Outra produção primorosa.

Uma novela com tantas sombras, mistérios e tipos complexos e infelizes não tinha como ter um final de conto de fadas. Foi tudo apropriado.

E Angela deixou se matar mesmo. Ela estava desiludida de tudo e Severino estava escondido na mata o tempo todo, ou seja, ele nem soube que Braga foi preso e que a ordem já não valia de nada. Foi tudo mt genial!

Tb espero que seja indicada ao Emmy e Meu Pedacinho de Chão tb merece. Bjss e não suma mesmo!

Sérgio Santos disse...

Foi o Severino, Maxxi. O penúltimo capítulo revelou em mais uma cena grandiosa.

A versão original demorou 50 capítulos pra mostrar quem tinha morrido, mas ela tinha 112. Uma de 36 não poderia se dar a esse luxo pq ficaria tudo mt corrido e feito porcamente. A construção precisou ser feita detalhadamente. E ainda teve gente que criticou o ritmo da novela, que era excelente. Imagine se tivessem demorado pra revelar o morto...

A novela foi impecável e deu gosto acompanhar. A próxima das onze será uma inédita, a Globo resolveu dar um tempo dos remakes. Abçss

Sérgio Santos disse...

Concordo plenamente com vc, anônimo. E tb torço para que O Rebu repita a trajetória pq merece mt.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Vera. Vc tinha que ter visto essa novela que foi boa demais! E o final foi em grande estilo. Terminaram com chave de ouro. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Eu tb acompanhei do início ao fim, Arthur e não consegui perder absolutamente nada. E que bom que aproveitamos a produção em sua integralidade. Concordo plenamente com seu comentário, incluindo os elogios a Tony, Cássia, Patrícia e Sophie, que deram um show. O bacana é que Tony, Cássia e Zé de Abreu brilharam nos dois primeiros da última semana e Patrícia e Sophie nos dois últimos. Abçssss

Sérgio Santos disse...

Claro que acredito, Ana. Até pq compartilho dessa sensação. E foi um desfecho espetacular de uma produção caprichosa demais.

Pode deixar que o texto já tá pronto. bjsss

Sérgio Santos disse...

Difícil mesmo, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, A Viagem foi uma novela excelente, mas a comparação é meio sem sentido.

Sérgio Santos disse...

Anônimo a reprise de Cobras & Lagartos tá um fracasso mesmo. Pediram tanto pra reprisar e agora isso. Paciência.

Sérgio Santos disse...

Até quando, anônimo?

Sérgio Santos disse...

Audiência e qualidade nem sempre andam juntas.

Sérgio Santos disse...

Dá pra montar uma continuação de O Rebu facilmente, Lulu. Deixaram várias situações propícias. Pena que não terá, eu faria questão de ver.

Sérgio Santos disse...

Foi um espetáculo, né Gustavo? Novela impecável e repleta de acertos. Foi um prazer ter acompanhado. Tb acho que elas tinham um caso até pela forma como se olhavam e se aproximavam, mas vai de cada um e isso deixa tudo mais interessante. Sophie deu um show novamente e é uma das melhores de sua geração, enquanto que Patrícia, Cássia, Tony, enfim são gênios. Pena mesmo que a audiência não tenha sido maior. Merecia e muito. abçs

Sérgio Santos disse...

Sissym, obrigado pelo carinho! =)

Foi uma primorosa produção mesmo e o final abriu várias brechas de continuação. Pena que não terá. Se tivesse eu veria sem dúvida alguma. E provavelmente seria tão boa quanto essa. bjs

Sérgio Santos disse...

Pedro, infelizmente as novelas das onze não tem horário fixo pq ficam presas no final da grade noturna. Por mim a Globo colocava diariamente depois da novela das nove. Mas preferem deixar mais tarde... E o primeiro final o Conrad mata pq ele tinha um caso amoroso com o rapaz e sentiu ciúmes, nesse caso foram outras situações, envolvendo ainda Duda. Então não foi igual não. abçs

Sérgio Santos disse...

Ok, anônimo, obrigado. Já tá escrito.

Sérgio Santos disse...

Raquel, acredito no seu amor. ;) E a Amora era daquele jeito por causa de tudo aquilo que a novela apresentou tão genialmente bem. Mas não era psicopata, tanto que teve seu merecido final feliz com Bento, de janeiro a janeiro. E zzz era aquela mala da Malu, que amava flores, crianças carentes, odiava dinheiro, vivia com aquela cara de vítima e mimizzzzzzzzzzz rs Bjão!

Sérgio Santos disse...

Cléu, depois vc me dá um pedaço de bolo. E outra novela como essa será difícil. bjs

Sérgio Santos disse...

Que pena, Alexandra. Eu acho que vc iria gostar, foi uma grande produção. E esses citados por vc dão show sempre msm. bjs

Sérgio Santos disse...

Tudo bem, Lucas.

Luma Rosa disse...

Oi, Sérgio!
Assisti apenas os 3 primeiros episódios, mas achei tão escura a filmagem que me lembrei de outras filmagens que atualmente foram feitas com esse filtro e desisti.
Mas era de se esperar que com tantos atores de peso, a série iria vingar!
Vou esperar sair em DVD para conferir!
Beijus,

Sérgio Santos disse...

Luma, veja em DVD pq eu garanto que vale a pena! bjsss

Anônimo disse...

QUE SAUDADES DA NOVELA!!!!!!!!!!!!

Sérgio Santos disse...

Muitas saudades, anônimo.