terça-feira, 28 de junho de 2016

Desaparecimento de Ciça reforça o equívoco na condução da personagem e de "Malhação - Seu Lugar no Mundo"

"Malhação - seu lugar no mundo" será encerrada em agosto. Ou seja, pouco mais de dois meses restam para o final da temporada. E foram muitos os problemas e erros da trama de Emanuel Jacobina ao longo de sua exibição. O principal deles foi a falta de conflitos atrativos e bem construídos envolvendo os personagens, fragilizando o enredo. Tanto que esse defeito grave tem novamente sido evidenciado através do misterioso desaparecimento de Ciça (Júlia Konrad).


A personagem era uma das figuras centrais do seriado adolescente e parecia promissora em virtude de sua dubiedade, vista logo nas primeiras semanas. Afinal, nada é mais rico para uma história (e para o intérprete) do que um perfil que mescla momentos de fragilidade e vilania. Ciça namorava João (João Vithor Oliveira), mas acabou se interessando pelo irmão dele (Rodrigo - Nicolas Prattes), pouco tempo depois que seu namorado morreu em um acidente de carro. Armou algumas situações para ficar com o rapaz, fingindo até que o filho que esperava era do falecido, e ainda era alvo da paixão platônica de Uodson (Lucas Lucco).

Em suma, era um dos poucos perfis da história que apresentava uma boa estruturação, capaz de ser sustentada por vários meses, rendendo interessantes desdobramentos. Tanto que quando foi atropelada pelo inconsequente Luan (Vitor Novello), ficou temporariamente paraplégica, sendo cuidada por Uodson, que a humanizava com sua imensa ingenuidade.

domingo, 26 de junho de 2016

"SuperStar" se transformou em um programa de vital importância para o rock no Brasil

O "SuperStar" encerrou a sua terceira temporada neste domingo (26/06), após várias rodadas e algumas ótimas bandas competidoras. Embora não tenha sido tão atrativa quanto as duas anteriores (e do horário vespertino não ter funcionado), a temporada mais uma vez serviu para lançar vários talentos para o mercado musical, incluindo os integrantes da grande final. E um fato que tem se tornado cada vez mais incontestável é a importância do programa para o rock.


A final deste ano contou com três ótimas bandas de rock que também utilizam o pop e o folk: Bellamore, Plutão Já Foi Planeta e OutroEu. Ao longo da temporada, outros grupos também se destacaram positivamente no gênero, como Pagan John, Georgia, Valente e Playmobille. É necessário, ainda, relembrar outros destaques das temporadas anteriores, como Scalene, Suricato, Malta, Jamz, Supercombo, Reverse, Versalle, entre outros. Várias delas, inclusive, triplicaram o número de shows e tiveram músicas em trilhas de novelas.

Portanto, é notória a representatividade que o "SuperStar" passou a ter desde a sua estreia. Mesmo não obtendo índices respeitáveis de audiência e batalhando duro para se manter na liderança, a atração se transformou em uma válvula de escape em um país onde o sertanejo (que deixou de ser o de raiz, virando o chamado sertanejo universitário), o funk e o axé passaram a dominar todo o mercado musical.

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Nathalia Dill diverte na pele da mimada Branca em "Liberdade Liberdade"

A atual novela das onze tem apresentado um bom enredo e os conflitos em torno da destemida Joaquina (Andreia Horta) vêm despertando atenção, evidenciando o trabalho do autor Mário Teixeira e o grande desempenho do elenco, muito bem escalado. Entre os atores do ótimo time formado, inclusive, há uma Nathalia Dill em grande momento, interpretando com visível competência uma menina deslumbrada e que tem como único objetivo na vida se casar, despertando o respeito da sociedade de 1808.


Branca é uma espécie de patricinha do século XVIII. Arrogante, fútil e preocupada apenas com seu próprio umbigo, a personagem vomita ideias conservadoras e preconceituosas o tempo todo, expondo uma constante hipocrisia, pois não se preocupou com 'sua honra' quando resolveu transar com o noivo Xavier (Bruno Ferrari) várias vezes mesmo antes de se casar, por exemplo. A menina tem no seu 'futuro marido' uma verdadeira fixação, vivendo praticamente em função dele. Para culminar, ainda faz de tudo para a família realizar suas vontades, se comportando como uma criança birrenta.

O perfil não chega a ser uma grande vilã e tem a comicidade como o seu principal ponto de apoio. É justamente o humor que faz de Branca um dos destaques da trama, proporcionando para Nathalia Dill momentos impagáveis, muito bem aproveitados por ela. A personagem começou timidamente na novela, com poucas cenas, mas foi crescendo à medida que as semanas se passavam.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

"Êta Mundo Bom!" tem todos os ótimos ingredientes de uma novela das seis de Walcyr Carrasco

A atual novela das seis estreou em janeiro e emplacou logo na estreia. O público estava sentindo saudades de ver Walcyr Carrasco no horário das seis, após três tramas de imenso sucesso ("O Cravo e a Rosa", "Chocolate com Pimenta" e "Alma Gêmea"). E "Êta Mundo Bom!" agradou imediatamente. A partir de então, os números do Ibope foram só aumentando até a produção se transformar em um fenômeno de audiência, repetindo o feito dos outros três êxitos do autor na faixa. E não é difícil perceber as razões para o sucesso do folhetim.


A trama reúne absolutamente tudo o que Walcyr já apresentou no horário das seis, cujos resultados foram os melhores possíveis: um núcleo de caipiras, muita guerra de comida, várias quedas no chiqueiro, animais que se destacam, dramas que se misturam com comédia pastelão e vilões que são simplesmente maus, sem maiores dubiedades. Há anos que a faixa não apresentava esse conjunto. Aliás, curiosamente, desde "Alma Gêmea", do mesmo autor. O folhetim ainda marca o retorno da parceria bem-sucedida do escritor com o diretor Jorge Fernando, que dirigiu quatro novelas suas.

Porém, apesar de reunir todos os ótimos ingredientes o que o escritor já apresentou na faixa ---- e o objetivo do Walcyr ter voltado ao horário das seis foi realmente esse ----, a novela tem suas particularidades, pois se baseia na obra de Voltaire ("Cândido ou o otimismo") e tem um protagonista muito cativante: o Candinho, vivido pelo ótimo Sérgio Guizé, cujo papel parece ter sido criado especialmente para ele.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Encontro de Miguel e Santo proporciona ótimas cenas em "Velho Chico"

A atual novela das nove segue com audiência indesejável e vários problemas aparentes, como ritmo arrastado e tramas tediosas. Porém, o folhetim de Benedito Ruy Barbosa consegue apresentar alguns bons momentos esporádicos, como foi o caso do capítulo desta segunda-feira (20/06). O esperado encontro de Miguel (Gabriel Leone) e Santo (Domingos Montagner) fez valer a espera, mesmo tendo sido uma 'apresentação' entre quase sogro e quase genro, ao invés de pai e filho, uma vez que ambos ainda desconhecem o laço sanguíneo que os une.


O rapaz tem flertado com Olívia (Giullia Buscacio), filha de Santo e Luzia (Lucy Alves), e a relação cada vez mais próxima deles fez com que o ousado garoto fosse até a casa do inimigo número um de seu avô Afrânio (Antônio Fagundes). O intuito de iniciar uma tentativa de apaziguar as relações se fez presente em todos os momentos e ele ainda fez questão de apresentar seu projeto de ajudar todos que fazem parte da cooperativa da região, comandada por Santo. Esse encontro proporcionou uma sucessão de ótimas cenas.

Primeiramente, Irandhir Santos, Domingos Montagner e Giullia Buscacio se destacaram quando a menina foi avisar que Miguel chegou. A indignação e a fúria de Bento foram mostrados por um sempre brilhante Irandhir, enquanto a surpresa de Santo foi exposta pelo talentoso Domingos.

domingo, 19 de junho de 2016

"Ding Dong" foi um grande acerto do "Domingão do Faustão"

O "Domingão do Faustão" carece de bons quadros há um bom tempo. O dominical sobrevivia apenas com dois formatos longevos e que definitivamente foram os maiores acertos do programa ao longo dos anos: o "Arquivo Confidencial" (exibido esporadicamente) e a "Dança dos Famosos" (exibida em temporadas anuais). A exibição das "Vídeo-Cassetadas" também merece menção, pois os vídeos caseiros estão no ar desde a estreia (1989) e ainda divertem. Porém, a atração não apresentava mais nada de convidativo além da 'trinca' citada. Só que, após muitas tentativas frustradas ----- vide "Artista Completão, "Truque Vip" e afins ----, Faustão conseguiu inserir um novo quadro ótimo: o "Ding Dong".


É bem verdade que a 'novidade' não é nada de nova. O jogo consiste na disputa entre dois trios (ou duplas) de convidados (normalmente integrantes dos elencos da Globo) e os times precisam adivinhar quem está atrás das sete portas, após ouvirem 20 segundos de uma melodia. Ou seja, é uma 'adaptação' de um dos famosos quadros do extinto "Qual é a música?", do SBT, embora seja um formato comprado de um fornecedor inglês. Vale mencionar ainda que o formato estreou no início de 2015 e era bem desinteressante, pois os cantores que ficavam escondidos eram covers e não os originais --- algumas vezes, inclusive, as apresentações dos imitadores eram constrangedoras de tão ruins.

Mas tudo mudou quando Faustão fez uma importante alteração no quadro, trazendo os artistas para o palco, cada vez que uma porta se abria. Primeiramente, funcionava apenas como edições especiais. Porém, não demorou para o apresentador fixar a mudança, trazendo todos os cantores originais. A iniciativa foi um golpe de mestre, pois muitos deles já estão 'esquecidos' ou então não têm mais oportunidade em outros programas de televisão.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Dez anos sem Bussunda

Nesta sexta-feira, a morte de um dos maiores humoristas do país completou dez anos. Bussunda deixou o país mais triste no dia 17 de junho de 2006, enquanto realizava a cobertura da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha. Foi lá que ele faleceu, em virtude de um ataque cardíaco fulminante, logo depois de acordar no hotel onde estava. O comediante morreu oito dias antes de completar 44 anos, desfalcando o querido time do "Casseta & Planeta Urgente" e deixando o Brasil em choque.


Bussunda era ator, dublador, cronista esportivo, escritor, editor de revista, jornalista e humorista. Um profissional de vários talentos e que se destacou em todas as áreas, principalmente, claro, no humor. Tanto que deixou algumas matérias prontas para o "Casseta", dias antes de falecer, interpretando um de seus personagens de maior sucesso: o Ronaldinho Fofômeno, imitação do Ronaldo Fenômeno, fazendo jus ao período da Copa do Mundo. Ou seja, saiu de cena trabalhando no mais amava: divertir os outros.

Ele foi o integrante mais popular do "Casseta & Planeta", programa que ajudou a criar juntamente com os companheiros inseparáveis Helio de la Peña, Cláudio Manoel, Reinaldo, Marcelo Madureira, Beto Silva e Hubert. A atração surgiu em virtude da junção das turmas do tabloide "O Planeta Diário" e da revista "Casseta Popular", fazendo um imenso sucesso e ficando no ar ao longo de 18 anos na Globo.

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Após o fim de "Totalmente Demais", público é presenteado com a ótima websérie "Totalmente Sem Noção Demais"

"Totalmente Demais" chegou ao fim no dia 30 de maio, excepcionalmente uma segunda-feira. O fenômeno das sete saiu de cena com um saldo muito positivo e deixando saudades, tanto no público quanto na própria Globo, que era beneficiada com uma audiência que não era vista desde 2012 -- época de "Cheias de Charme". Porém, a novela não acabou de vez. Isso porque, em uma ação nova na teledramaturgia, a trama vem apresentando episódios inéditos somente na internet, através da GloboPlay, em um formato de websérie. E são tão bons quanto os que foram exibidos na televisão, ainda que bem mais curtos, obviamente.


Chamada de "Totalmente Sem Noção Demais", a nova história é na verdade um spin-off (muito comum em seriados, quando personagens secundários de uma determinada série ganham outra série onde eles são os protagonistas). No caso, o núcleo do Bairro de Fátima da novela passou a ser o foco central, onde Cassandra (Juliana Paiva), Hugo (Orã Figueiredo) e Débora (Olívia Torres) são os perfis principais. São três capítulos por semana ---- toda terça, quinta e sábado ---- e a história vem tendo a redação final de Cláudia Sardinha, que foi uma das colaboradoras do folhetim e agora está sob a supervisão de Rosane Svartman e Paulo Halm. Os novos roteiros estão sob domínio da equipe que colaborou com os autores.

O enredo é todo voltado para o período que antecedeu a novela, ou seja, mostra a rotina da família de Cassandra antes do surgimento do concurso da Garota Totalmente Demais e de todos os desdobramentos que originaram o folhetim de sucesso. Além dos três personagens citados, a trama ainda conta com a presença de Dorinha (Samantha Schmutz), Zé Pedro (Helio de la Peña) e os filhos deles: João (Leonardo Lima Carvalho) e Maria (Juliana Louise), além de Lurdinha (Carolyna Aguiar) e Kátia (Aline Borges), periguetes que vivem atrás de Hugo.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Bem conduzida, "Liberdade Liberdade" vem se mostrando uma boa novela das onze

Após vários problemas de bastidores e trocas de autor, a atual novela das onze estreou no início de abril (dia 11) e desde então vem contando a saga de Joaquina (Andreia Horta) ----- claramente inspirada no livro "Joaquina, filha de Tiradentes", de Maria José de Queiroz ----- de uma forma competente. A trama teve uma rápida primeira fase (com menos de dois capítulos) e logo começou a ser ambientada em 1808, época da chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil. Ao menos até o momento, pode-se afirmar que Mário Teixeira conseguiu assumir muito bem os rumos da produção de Márcia Prattes (retirada do projeto).


Dirigida pelo talentoso Vinícius Coimbra, a novela tem conseguido despertar atenção através de bons personagens, ótimo elenco e uma história que tem sido costurada para atingir o clímax do embate entre revolucionários e os representantes da Corte Portuguesa. Tendo Vila Rica (atual Ouro Preto, em Minas Gerais) como pano de fundo, o enredo é dividido em poucos núcleos e quase todos os personagens têm uma ligação, direta ou indiretamente. As tramas não apresentam uma sucessão de acontecimentos, mas são bem estruturadas e contêm bons conflitos pontuais.

O maior destaque é a herdeira do homem que iniciou uma revolução silenciosa, vivida impecavelmente por Andreia Horta. A atriz estava merecendo há tempos uma protagonista e ganhou uma destemida Joaquina, que está à frente do seu tempo e não teme nada e nem ninguém. A filha de Tiradentes tem o objetivo de vingar a morte do pai e ainda libertar o Brasil, honrando a missão do inconfidente morto enforcado.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Na pele da destemida Maria, Bianca Bin rouba a cena em "Êta Mundo Bom!"

O sucesso de "Êta Mundo Bom!" é incontestável e a novela apenas comprovou mais uma vez que Walcyr Carrasco é o mestre do horário das seis. Há vários motivos para o êxito da trama e o elenco da produção conta com vários ótimos nomes, como Sérgio Guizé, Eliane Giardini, Marco Nanini, Flávia Alessandra, Elizabeth Savalla, Ary Fontoura, Flávio Migliaccio, Rosane Gofman, Suely Franco, Ana Lucia Torre, Camila Queiroz, Rosi Campos, entre tantos outros. Mas, em meio ao time de peso, tem uma atriz que foi ganhando cada vez mais destaque no folhetim: a Bianca Bin.


A história de Maria sempre foi uma das mais interessantes da novela e envolveu o público assim que começou a ser contada. A personagem era muito ligada ao noivo e a felicidade aumentou quando a mesma contou ao rapaz que esperava um filho dele. Sem pestanejar, o íntegro homem planejou se casar. Tudo parecia perfeito. Entretanto, a alegria do casal durou pouco, pois um grave acidente de carro vitimou a futuro marido da sonhadora menina. A partir de então sua vida virou um verdadeiro inferno.

Os ricos pais da vítima não acreditaram que ele era o pai do bebê que ela esperava e, quando resolveram crer na palavra da garota, propuseram que Maria entregasse a criança para cuidarem. Para culminar, Severo (Tarcísio Filho) expulsou a filha de casa assim que soube que seria mãe solteira e a menina acabou virando empregada na mansão de Anastácia (Eliane Giardini), após morar alguns dias de favor na pensão de Camélia (Ana Lucia Torre).

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Volta do "TV Mulher" é mais uma ótima iniciativa do Canal Viva

O Canal Viva acertou em cheio quando resolveu trazer de volta, através de especiais, vários programas clássicos da Globo. A sua empreitada melhor sucedida foi a produção dos quatro episódios de "Sai de Baixo", exibidos em 2013, gravados especialmente pelo canal. Depois ainda houve o "Globo de Ouro Palco Viva" ---- que segue sendo exibido em temporadas temáticas ----, além da "Escolinha do Professor Raimundo - nova geração" (2015). Agora, a 'novidade' foi a volta do emblemático "TV Mulher", atração pioneira comandada por Marília Gabriela e Ney Gonçalves Dias na década de 80.


O programa, até hoje lembrado pelo público e pela crítica, ousou ao se dedicar exclusivamente ao sexo feminino, ainda mais em uma época (em pleno regime militar) onde o machismo era quase uma regra na sociedade e os direitos da mulher eram muitas vezes deixados em segundo plano. Marília Gabriela foi a apresentadora mais icônica da atração, que também contou com Irene Ravache, Esther Góes, César Filho, entre outros, no time de apresentadores ao longo dos anos. O formato saiu do ar em 1986 e voltou em 2016, na última terça-feira de maio (31/05), às 22h30, 36 anos depois de sua estreia em 1980.

E foi um ótimo reinício. Marília abriu o 'novo' programa lendo uma carta para Elis Regina, a madrinha da atração, pois foi a primeira entrevistada e voltou várias outras vezes, levando até a filha Maria Rita, que ficou brincando no palco enquanto a mãe conversava com a apresentadora.

terça-feira, 7 de junho de 2016

Após quase 14 anos em "A Grande Família", Marieta Severo, Tonico Pereira, Marco Nanini e Marcos Oliveira retornaram aos folhetins em grande estilo

Foram quase 14 anos em "A Grande Família", uma das séries mais longevas da Globo. Marieta Severo, Tonico Pereira, Marco Nanini e Marcos Oliveira abrilhantaram o seriado da família Silva por todo esse tempo e deram show vivendo Dona Nenê, Mendonça, Lineu e Beiçola, respectivamente. Entretanto, os quatro (principalmente Marieta e Nanini, sempre bastante requisitados antes da produção) estavam fazendo muita falta nas novelas. E a ausência deles já tem sido devidamente preenchida desde que a série chegou ao fim. Todos, por sinal, tiveram muita sorte, pois ganharam ótimos papéis em bons folhetins.


A primeira agraciada foi Marieta Severo. Convidada por Walcyr Carrasco, a atriz aceitou na hora interpretar a arrogante e ambiciosa Fanny em "Verdades Secretas". A novela --- que estreou nesta segunda em Portugal --- virou um fenômeno de audiência e repercussão, se transformando no maior sucesso das 23h e de 2015. Ela ganhou do autor um perfil que representava o oposto do que era aquela doce dona de casa do subúrbio. Uma quase vilã, cuja profissão de agenciadora de modelos era usada como disfarce para um esquema de prostituição de luxo. Ou seja, um tipo que qualquer atriz gostaria de interpretar.

A personagem era um dos pilares da trama das onze e Marieta fez jus ao tamanho do papel, como já era de se esperar. Sua atuação angariou inúmeros elogios e ela chegou a ganhar o Prêmio Extra de Melhor Atriz pelo seu admirável desempenho. Suas cenas com Rodrigo Lombardi, Camila Queiroz, Drica Moraes, Agatha Moreira, entre outros ótimos nomes, eram sempre boas e bem interpretadas.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Após vários adiamentos, "Escrava Mãe" finalmente estreia e surpreende

Prevista inicialmente para substituir "Os Dez Mandamentos" na faixa das 20h30, "Escrava Mãe" foi deixada de lado pela Record. Parecendo não confiar no material produzido, a emissora resolveu cancelar a exibição da novela de última hora, decidindo padronizar o horário com apenas tramas bíblicas. Ao tomar essa decisão, o canal estendeu a história bíblica em mais alguns meses e ainda inseriu várias reprises de minisséries bíblicas enquanto a segunda temporada do seu grande sucesso não era produzida.


Após muitas dúvidas sobre o destino da novela ---- que, em virtude dos constantes adiamentos, já estava toda gravada ----, a Record decidiu usá-la para inaugurar um novo horário de teledramaturgia. E assim foi feito. A trama foi transferida para a faixa das 19h30 (que anos atrás já chegou a ser ocupada com a versão nacional da novela adolescente mexicana "Rebelde"), concorrendo diretamente com a novela das sete da Globo. Entretanto, um novo empecilho foi observado: o imenso sucesso de "Totalmente Demais". Com medo dos estragos que os elevados índices de audiência da história de Rosane Svartman e Paulo Halm poderiam fazer com seu novo produto, a emissora decidiu adiar mais uma vez a estreia. 

Ou seja, o início desse folhetim acabou virando uma nova novela, causando até reclamações do elenco, como Jussara Freire, que alegou ter perdido um papel em "Velho Chico" por causa dos constantes adiamentos ---- afinal, nenhuma emissora quer uma atriz que possa aparecer no ar na concorrência a qualquer momento. Segundo divulgado na imprensa, Milena Toscano também perdeu um papel em "Carinho de Anjo" (nova novela do SBT) por causa disso. E o esticamento de "Totalmente Demais" em duas semanas também fez a Record adiar novamente a estreia de sua nova trama.

quinta-feira, 2 de junho de 2016

"Haja Coração" faz boa estreia e tem tudo para agradar

Estreou, excepcionalmente em uma terça-feira (31/05) ---- em virtude do esticamento do final de "Totalmente Demais" para o fenômeno das sete não cair em uma emenda de feriado ----, "Haja Coração". A nova novela das sete é escrita por Daniel Ortiz (responsável pela agradável "Alto Astral", exibida entre 2014 e 2015) e recebe uma excelente audiência da produção que a antecedeu. Portanto, o objetivo do autor é ao menos conseguir segurar os bons índices da trama de Rosane Svartman e Paulo Halm e, claro, contar uma história atrativa.


A nova novela, ambientada em São Paulo, é uma releitura de "Sassaricando", sucesso de Silvio de Abreu que também era exibido no horário das sete, entre 1987 e 1988. Mas não é um remake porque apresenta novos conflitos e outros personagens. A personagem que era uma coadjuvante na obra original, agora, é a protagonista, interpretada por Mariana Ximenes. A inesquecível Tancinha era vivida por Cláudia Raia e foi um de seus papeis mais marcantes. Se o caricato perfil repetirá o sucesso não há como saber, entretanto, será defendido por uma talentosa atriz que já se destacou no primeiro capítulo.

Aliás, a estreia foi focada nas duas personagens que serão mesmo grandes destaques da história: Tancinha e Fedora Abdala. Mariana Ximenes está exuberante no papel e imprimiu um tom um pouco menos exagerado que o de sua colega anos atrás. Não é um perfil de fácil interpretação e muitas comparações serão feitas, mas a intérprete já mostrou seu talento e tem tudo para honrar o protagonismo do enredo com louvor.

terça-feira, 31 de maio de 2016

Fenômeno de audiência e cativante do início ao fim, "Totalmente Demais" fez jus ao seu título

Foram 175 capítulos. Sete meses de muito romance, conflitos, humor e tensão inseridos em um conto de fadas moderno. "Totalmente Demais" chegou ao fim nesta segunda-feira (30/05), se consagrando como um dos maiores fenômenos da faixa das sete e o único grande sucesso do horário depois do término de "Cheias de Charme", em 2012 ---- média geral de 27 pontos, quatro a mais que a antecessora. O folhetim de Rosane Svartman e Paulo Halm deu tão certo que a Globo decidiu esticar a produção em duas semanas ---- o objetivo, na verdade, era esticar em um mês ---- e ainda adiou seu final em dois dias, transferindo o último capítulo para a segunda com o intuito de escapar da emenda do feriado. Ou seja, um feito quase inédito ("Estúpido Cupido", em 1977, também teve seu desfecho indo ao ar em uma segunda, excepcionalmente, assim como "Duas Caras", em 2008, apresentou seu último capítulo em um sábado, sem exibir a tradicional reexibição).


E a reprise do último capítulo acabou migrando para a faixa do "Vale a Pena Ver de Novo", na terça-feira. Essa sim uma situação nunca antes vista. Mas a novela de sucesso não inovou somente no encerramento ---- no caso, uma ousadia da Globo. A produção também ousou na estreia, ao preparar para o telespectador um "capítulo zero", exibido primeiramente na internet. Foram apenas seis minutos de trama, portanto foi apenas um teaser. Porém, a novidade se deu pela exibição das cenas do quarteto protagonista (Jonatas trabalhando nas ruas, Carolina e Arthur jantando juntos e Eliza vislumbrando uma fuga), que justamente antecediam o começo do primeiro capítulo. A novidade funcionou, despertando ainda mais o interesse pela história.

Tanto que o enredo conquistou o público logo no início. Rosane Svartman e Paulo Halm já haviam experimentado o sucesso com duas temporadas bem-sucedidas de "Malhação" ---- a "Intensa", escrita em parceria com Glória Barreto em 2012, e a "Sonhos", exibida entre 2014 e 2015 ---- e conseguiram emplacar o terceiro êxito seguido na carreira. Eles apostaram no clássico e acertaram em cheio.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Reta final de "Totalmente Demais" proporciona cenas tensas e emocionantes protagonizadas por Jonatas e Eliza

Faltando apenas dois capítulos para o final, "Totalmente Demais" tem apresentado uma ótima reta final, quase toda voltada para os rumos do quarteto central ---- composto por Jonatas (Felipe Simas), Eliza (Marina Ruy Barbosa), Arthur (Fábio Assunção) e Carolina (Juliana Paes) ----- da história de Rosane Svartman e Paulo Halm. Todos os momentos dos quatro personagens têm sido marcados pela emoção e no capítulo desta quinta-feira (26/05) houve a inserção de uma boa dose de adrenalina, através do ataque do asqueroso Dino (Paulo Rocha), que foi para cima de Eliza.


Os autores costumam ter um esquema de rodízio de tramas e núcleos em suas produções, incluindo também o revezamento de vilões. Isso pôde ser observado em "Malhação Sonhos", exibida no ano passado. Quando o vilão Heideguer (Odilon Wagner) agia, por exemplo, o psicopata Lobão (Marcelo Faria) perdia um pouco da importância, assumindo uma posição de 'espera'. E foi assim durante a temporada toda. Portanto, em "Totalmente Demais não foi diferente. No início da novela, Dino era o grande vilão que vivia tentando abusar sexualmente de Eliza e agredia a esposa.

Ao longo da história, o padrasto da mocinha desapareceu por um tempo, cedendo lugar para as armações de Carol e crueldades de Jacaré (Sérgio Malheiros). Depois foi a vez da interesseira Lorena (Adriana Birolli), até chegar a hora da sociopata Sofia (Priscila Steinman) agir. Já na reta final, com Carolina arrependida, Sofia morta, Lorena na sarjeta e Jacaré preso, o pedófilo Dino voltou a aparecer para ocupar essa 'vaga'.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

"Joliza", "Arliza" e o triângulo de "Totalmente Demais" que despertou torcidas passionais

O triângulo amoroso é um clássico da teledramaturgia. Toda boa novela que se preze tem pelo menos um. Porém, durante um longo período, esse conflito romântico era quase sempre composto pelo casal de mocinhos (ou de bonzinhos) e um vilão ou vilã. Entretanto, já há algum tempo que os autores vêm compondo o trio com perfis repletos de defeitos e qualidades, ou seja, humanos ----- vide Manu, Rodrigo e Ana em "A Vida da Gente"; Amora, Bento e Malu em "Sangue Bom"; e Júlia, Pedro e Felipe em "Sete Vidas", citando exemplos mais recentes. E isso provoca uma clara divisão no público, afinal, todos os envolvidos têm pontos positivos e negativos, deixando de lado o maniqueísmo da vilania, o que costuma ajudar bastante a destinar a torcida toda para apenas um par. Foi exatamente essa situação que aconteceu em "Totalmente Demais", fenômeno das sete que se aproxima do seu desfecho.


Jonatas (Felipe Simas), Eliza (Marina Ruy Barbosa) e Arthur (Fábio Assunção) formaram um triângulo na trama das sete e Rosane Svartman e Paulo Halm conduziram os relacionamentos em fases, mas sempre deixando claro os reais sentimentos de cada um através de sutilezas nas cenas (como troca de olhares) e no texto. O romance "Joliza" ---- junção de nomes muito comum na internet que significa 'shippar' o casal (torcer pelo par) ---- sempre teve como fonte de inspiração o clássico filme "Luzes da Cidade", estrelado por Charlie Chaplin em 1931, cujo enredo era o amor que nascia entre um vagabundo e uma florista cega. Já "Arliza" é oriundo da peça "Pigmalião", de 1913, produzida por George Bernard Shaw (já inspirada no mito do "Pigmalião"), onde um culto professor transforma uma humilde florista em uma mulher refinada e se encanta com sua criação.

As duas relações foram bem conduzidas em "Totalmente Demais" e ajudaram a inserir inúmeros bons conflitos na trama. Os mocinhos do enredo sempre foram Jonatas e Eliza, tanto que os primeiros meses de novela foram todos voltados para a linda relação dos dois, que crescia pouco a pouco. Arredia e agressiva por conta dos abusos sofridos com o padrasto, a menina chegou ao Rio de Janeiro sozinha, foi roubada por duas picaretas e se viu abandonada nas ruas.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

"Tempero Secreto" é uma série atual e com bons toques de humor

Estreou no início de abril, "Tempero Secreto", a nova produção do GNT. O canal a cabo tem se firmado como um dos que mais produz séries e já tem ótimas tramas no 'currículo', como "Sessão de Terapia", "3 Teresas", "Vizinhos", "Odeio Segundas", "Surtadas na Yoga", entre outros. O atual seriado tem grandes chances de entrar para o bom time citado, pois até o momento vem exibindo episódios bem roteirizados, conseguindo despertar atenção através de uma historinha agradável de ser acompanhada e com toques de sarcasmo que, com o perdão do trocadilho, temperam o contexto.


O enredo é sobre a saga de uma ex-publicitária que vê sua vida virar um inferno depois que uma entrevista sua 'viraliza' na internet. Ela era executiva de marketing de um parque de diversões, mas viu sua carreira ser arruinada quando surtou durante uma coletiva de imprensa, brigando ao vivo com um rapaz que havia se acidentado na montanha-russa. É justamente esse momento, devidamente gravado, que se espalha no mundo virtual, virando 'meme' (quando algo se transforma em chacota através de imitações) aumentando seu desespero.

A personagem em questão é a egocêntrica Cecília, interpretada muito bem pela talentosa Alessandra Maestrini. E a descompensada mulher acaba tendo uma ideia de recomeçar do zero graças aos dotes culinários de sua avó. Dona Maroca (Walderez de Barros em uma luxuosa participação) prepara um frango caseiro delicioso e a neta resolve criar um restaurante cujo prato principal é justamente esse. Porém, a receita do molho é um segredo guardado a sete chaves e jamais relevado pela carismática Maroca.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Na pele da complexa Carolina, Juliana Paes vive seu melhor momento em "Totalmente Demais"

A reta final do atual fenômeno das sete tem sido tão atrativa quanto foi toda a trajetória do folhetim de Rosane Svartman e Paulo Halm. E as últimas semanas da novela têm servido para destacar o quarteto central da história, composto por Jonatas (Felipe Simas), Eliza (Marina Ruy Barbosa), Arthur (Fábio Assunção) e Carolina (Juliana Paes). Os dramas e relacionamentos dos personagens estão ainda mais em vigor, valorizando o talento os atores. Mas Juliana Paes tem sido a mais exigida, pois o seu papel é o mais complexo de todos. E esse aumento de destaque tem servido para evidenciar o grande momento profissional da atriz.


Carolina sempre foi o perfil mais dúbio da história, passeando pela vilania e fragilidade o tempo todo. A até então diretora da Revista Totalmente Demais fez muitas armações para prejudicar Eliza no concurso com o intuito de ganhar a aposta feita com Arthur, herdando assim a empresa do seu grande amor. Porém, como o agenciador de modelos se apaixonou pela mocinha, a personagem não interrompeu suas 'maldades', mesmo com o fim do concurso. A sua atitude mais condenável foi o plano elaborado com Rafael (Daniel Rocha), onde os dois doparam a menina para simular que a mesma havia dormido com o fotógrafo. Ela ainda fez Leila (Carla Salle) de bode expiatório.

E Carol tinha o costume de esbanjar arrogância diante de seus funcionários, com exceção de Pietro (Marat Descartes), seu grande amigo. Também utiliza de ironias e deboches para enfrentar seus inimigos, como a colunista Lorena (Adriana Birolli), por exemplo. Ou seja, analisando superficialmente, a poderosa mulher seria uma vilã. Mas nunca foi. Esse era apenas um lado seu, o que sempre era exposto como forma de defesa, principalmente diante de Arthur para não mostrar a mulher amorosa e frágil que guardava dentro de si.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Os vencedores da 58ª edição de um obsoleto "Troféu Imprensa"

A 58ª edição do "Troféu Imprensa" foi ao ar neste domingo (22/05), tendo Silvio Santos como o grande protagonista, fazendo jus aos anos anteriores da premiação, que contou com praticamente o mesmo time de jurados já conhecidos das outras edições: Sônia Abrão, Leão Lobo, Décio Piccinini, Flávio Ricco, Ricardo Feltrin, José Armando Vanucci, Cristina Padiglioni, Nelson Rubens, entre outros. O esquema de votação seguiu da mesma forma equivocada (selecionando apenas cinco jurados por categoria) e a escolha dos finalistas se mostra a cada ano mais absurda por conta do método utilizado (votos pela internet).


Portanto, fica claro o quanto que a premiação perdeu a sua relevância ao longo do tempo, não conseguindo evoluir e ficando estagnada. Até porque uma das poucas mudanças feitas durante os últimos dez anos, por exemplo, foi justamente a seleção dos finalistas por escolha popular, conseguindo deixar o conjunto ainda pior e mais injusto. Afinal, é natural que o produto ou o artista que tenha fãs mais dedicados seja beneficiado com larga vantagem. E é exatamente isso que acontece. Vide, por exemplo, Alexandre Nero ter como concorrentes na categoria de Melhor Ator Caio Castro e Guilherme Winter (cujos desempenhos foram apenas medianos).

Ou seja, embora costume ser considerado mais justo por abranger todas as emissoras, o "Troféu Imprensa" insiste em manter falhas nas votações que já deveriam ter sido corrigidas há tempos. E outro fato que comprova a obsolescência da premiação é a categoria Melhor Programa Infantil. Todas as emissoras abertas já extinguiram seus eventos infantis e a única emissora que ainda mantém é justamente o SBT. Não por acaso o "Bom Dia e Cia" ganhou a estatueta mais uma vez, pois seus concorrentes eram de bem menos relevância ---- "Mundo Disney" (formato comprado de fora pelo mesmo SBT) e o ótimo "Cocoricó" (que deixou de ser produzido há um bom tempo) .

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Terceira temporada do "SuperStar" deixa muito a desejar

O "SuperStar" estreou em 2014 e não demorou muito para ficar desacreditado. Isso porque, exibido logo após o "Fantástico", a atração não foi um sucesso de audiência e perdia várias vezes para o "Programa Silvio Santos", do SBT. Entretanto, independente dos números, o formato funcionou no quesito entretenimento e ainda alcançou um feito que o "The Voice Brasil" nunca conseguiu: lançar vários talentos no mercado musical. E, apesar de alguns erros pontuais, o programa se firmou na grade da Globo com méritos. Mas, infelizmente, a terceira temporada não se mostrou muito atrativa.


Após duas ótimas temporadas ---- embora com alguns problemas no juri, pois Ivete Sangalo, Fábio Jr. e Dinho Ouro Preto foram muito bonzinhos na primeira temporada e a presença de Thiaguinho na segunda foi um equívoco completo ----, a atração não vem apresentando uma competição interessante neste terceiro ano. Ao contrário dos anos anteriores, não houve uma quantidade boa de bandas promissoras. Poucas se destacaram realmente e não há uma franca favorita. Isso até poderia ser bom se fosse por causa do alto nível, mas é justamente ao contrário. São muitas bandas parecidas e sem identidade.

O nível da competição caiu e as rodadas não empolgam, principalmente se comparadas com as duas outras temporadas. Claro que há alguns grupos bons e de talento, porém, não são o bastante para deixar o programa realmente convidativo. Tanto que a produção inseriu uma novidade nessa edição, com a atração já em andamento (ou seja, evidentemente criada de última hora): a presença de uma banda convidada, encabeçada por algum ator ou atriz que tem também uma carreira musical.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Glória Menezes e Reginaldo Faria formaram uma ótima dupla em "Totalmente Demais"

Os dois são grandes atores e a junção deles em "Totalmente Demais" só poderia resultar em algo ótimo. E foi o que aconteceu de fato. Glória Menezes e Reginaldo Faria formaram uma dupla perfeita no atual fenômeno das sete que está perto do seu fim. Na pele dos interesseiros Stelinha e Maurice, pais do bon vivant Arthur (Fábio Assunção), os intérpretes foram os responsáveis por alguns dos melhores e mais divertidos momentos da trama. Porém, nem sempre estiveram juntos em cena. A dobradinha aconteceu apenas na reta final.


Stelinha entrou na história em janeiro e não demorou para roubar a cena. A perua, que tinha horror a pobre, se destacou assim que chegou, protagonizando cenas impagáveis. A personagem veio de Paris com o objetivo de dar aulas de etiqueta para Eliza (Marina Ruy Barbosa), cumprindo sua missão com louvor, apesar das constantes reclamações em virtude da convivência com uma 'mendiga'. O sucesso da mãe de Arthur foi imenso e sua participação foi crescendo a cada capítulo, honrando o talento de Glória Menezes, que divertia em todas as situações propostas pelos autores Rosane Svartman e Paulo Halm.

Entretanto, a atriz estava sendo muito exigida e acabou se afastando por um tempo para descansar ---- algo previamente concordado com a equipe, que já havia feito essa promessa. A sua saída temporária foi explicada com o retorno de Stelinha para Paris, após um desentendimento com Arthur. E, como essa ausência já estava prevista, os escritores tinham uma carta na manga, que era justamente a chegada de Maurice, o pai galinha do agenciador de modelos.