segunda-feira, 30 de março de 2015

Mariza e Adrilles formaram a melhor dupla do "BBB 15"

Faltando poucos dias para o final do "Big Brother Brasil", pode-se constatar que a décima quinta edição não foi o 'melhor BBB de todos os tempos', como era anunciada antes de estrear. Porém, o reality teve o mérito de ter selecionado mais pessoas 'normais' e fora dos esteriótipos da atração. E dos escolhidos, dois se destacaram, formando uma dupla que foi a melhor do programa: Mariza e Adrilles.


Mariza, de 51 anos, e Adrilles, de 40, são os mais velhos desta edição e a identificação foi imediata. Inicialmente, os dois formaram um trio com Marco e tiveram uma briga logo nas primeiras semanas em virtude de todos os desdobramentos provocados pela liderança dela. Mas, alguns dias depois, voltaram a se aproximar e, após a eliminação de Marco, estabeleceram uma união que foi ótima de se ver.

A professora de artes plásticas e o poeta conversavam sobre inúmeros assuntos, inclusive a respeito de temas jamais imaginados em um BBB, vide os papos sobre psicanálise, Sigmund Freud, Fernando Pessoa, Lady Macbeth, política, questões sociais, as diferentes formas de poesia, enfim, o que não faltou foi diálogo enriquecedor. Como bem colocou o jornalista Maurício Stycer, o 'par' calou a boca de quem manda o telespectador do reality ler um livro.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Núcleo da família de Tina é um dos acertos de "Alto Astral"

A atual novela das sete tem conseguido bons números de audiência, comparada aos números obtidos pelas recentes antecessoras. Nesta terça, inclusive, houve algo raro: a trama marcou 25 pontos, apenas um a menos que "Babilônia", produção do horário nobre que vem enfrentando dificuldades no Ibope. Já na quarta as duas empataram. "Alto Astral" tem feito por merecer este retorno, uma vez que seu conjunto é muito harmônico. A trama está toda bem entrelaçada e não tem grandes pretensões. E entre os acertos da história, está o núcleo de Tina (Elizabeth Savalla).


Inicialmente, toda a história da família (cujos integrantes têm nomes de países) era voltada para a comicidade e servia para inserir leveza à trama. Porém, aos poucos, o autor Daniel Ortiz fez questão de expor os dramas daquelas pessoas, engrandecendo os personagens. Foi possível constatar que não seria apenas a comédia o pilar de sustentação do núcleo. Cada um dos filhos tem um conflito individual bem interessante (que vem sendo explorado com competência) e a revelação do segredo de Tina foi o mote para mergulhar a família em uma grave crise.

A matriarca tem uma vida dupla e na verdade é milionária. Porém, seu marido é um perigoso empresário (Pedro - Kadu Moliterno), metido em várias negociatas. Apesar de ser casada com ele há anos, estabeleceu um forte vínculo amoroso com Manoel e manteve a farsa por muito tempo.

quinta-feira, 26 de março de 2015

"Os Dez Mandamentos" tem um bom início e Record acerta ao investir em sua primeira novela bíblica

Para substituir "Vitória", folhetim de Cristianne Fridmann (com 208 capítulos) que não teve boa audiência e apresentou uma repercussão nula, a Record montou duas estratégias: mudar o horário de exibição da nova trama ---- para fugir da concorrência com a novela das nove da Globo ---- e apostar em uma obra bíblica, temática que a emissora costuma dominar com competência. Assim sendo, estreou nesta segunda (23/03), às 20h30, "Os Dez Mandamentos".


Dirigida por Alexandre Avancini e escrita por Vivian de Oliveira (autora que também foi responsável por "A História de Ester", "Rei Davi", "José do Egito" e foi uma das roteiristas de "Milagres de Jesus"), a novela conta a saga de Moisés, desde o seu nascimento, até a chegada de seu povo à Terra Prometida, passando pela fuga do Egito através do Mar Vermelho e o encontro com o Deus do Monte Sinai. Ou seja, parte da trama será semelhante (guardada as devidas proporções, obviamente) ao filme "Êxodo - Deuses e Reis", exibido recentemente nos cinemas. A equipe, inclusive, orientou o elenco a assistir ao longa.

A Record está apostando alto nesta nova produção. Cada capítulo custará R$ 700 mil e, ao todo, serão 150 capítulos exibidos. O alto investimento pôde ser observado no capricho dos cenários, figurinos e também nas locações escolhidas para algumas externas ----- vide as cenas gravadas no deserto do Atacama, no Chile, para retratar o famoso rio Nilo.

quarta-feira, 25 de março de 2015

"Anjo Mau": a elogiada primeira novela de Maria Adelaide Amaral

Exibida entre setembro de 1997 e março de 1998, "Anjo Mau" teve 173 capítulos e foi um excelente remake escrito por Maria Adelaide Amaral, sua primeira novela como autora titular. Adaptação da obra original de Cassiano Gabus Mendes (1976), o folhetim teve supervisão de texto de Silvio de Abreu e foi dirigido por Denise Saraceni e Carlos Manga. A história foi brilhantemente protagonizada por Glória Pires e foi reprisada pela Globo entre agosto de 2003 e janeiro de 2004 no "Vale a Pena Ver de Novo", além de ter sido exibida também pelo Canal Viva entre julho de 2013 e março de 2014.


A história era em torno de uma moça dissimulada e gananciosa, ou seja, um tipo totalmente fora dos padrões da tradicional 'mocinha'. Inconformada com sua vida medíocre, Nice busca ascender socialmente e não mede esforços para atingir seu objetivo. Filha adotiva de Augusto (Cláudio Corrêa e Castro) e Alzira (Regina Dourado), e irmã de Luiz Carlos (Márcio Garcia), a mulher consegue emprego na mansão dos Medeiros, onde seu pai já trabalha como motorista há muitos anos. Ela ganha a vaga de babá do filho de Stella (Maria Madilha) e logo se interessa pelo irmão da patroa, Rodrigo (Kadu Moliterno).

Sonhando em ser a dona daquele casarão, Nice inicia um plano para conquistar o rapaz, sem se importar nas consequências. A babá descobre que a noiva de Rodrigo (a arrogante Paula, vivida por Alessandra Negrini) tem um com o irmão dele (Ricardo - Leonardo Brício) e arma para que o romance seja descoberto.

terça-feira, 24 de março de 2015

Oitava edição do "Prêmio Quem" de TV valoriza a qualidade de "Meu Pedacinho de Chão"

A cerimônia de entrega da oitava edição do "Prêmio Quem" aconteceu na noite da última quinta-feira (19/03). Foram várias categorias e muitos premiados. A categoria TV consagrou a elogiada "Meu Pedacinho de Chão" com três troféus, desbancando, inclusive, a favorita "Império", que levava vantagem por ter sido uma novela das nove, ainda por cima recém-terminada. A maioria dos vencedores foi justa e a reunião contou com a presença de vários indicados.


Na categoria Melhor Ator, ganhou o grande Irandhir Santos em virtude do seu impecável trabalho em "Meu Pedacinho de Chão". O Zelão foi um personagem cativante e o intérprete conquistou os telespectadores. Sua entrega era visível e absolutamente todas as suas cenas eram sensíveis, tendo a poesia como pano de fundo. O capataz virou o mocinho da história, dirigida brilhantemente por um inspirado Luiz Fernando Carvalho. Nada mais merecido do que Irandhir levar o troféu para casa e colocá-lo ao lado do outro que ganhou no prestigiado "APCA" (Associação Paulista dos Críticos de Arte).

Cláudia Abreu faturou na categoria de Melhor Atriz. Ela esbanja talento e sempre se destaca quando está em alguma produção, entretanto, a Pâmela Parker, do fracasso "Geração Brasil", não foi um de seus grandes momentos na carreira.

sexta-feira, 20 de março de 2015

A desnecessária polêmica do beijo gay e a importância do casal Estela e Teresa em "Babilônia"

A estreia de "Babilônia" foi promissora e o grande trunfo da novela foi exposto logo nas primeiras cenas: a rivalidade entre as duas vilãs, Inês (Adriana Esteves) e Beatriz (Glória Pires). As sequências despertaram interesse assim que começaram a ser exibidas e não chegou a ser uma surpresa, levando em consideração o talento das atrizes. Porém, um outro momento também marcou o início da nova novela das nove: o bonito beijo do casal Estela e Teresa.


O par está junto há 35 anos e a cumplicidade ficou evidente desde a primeira cena. Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga conseguiram criar um casal lindo e ainda escalaram duas das melhores atrizes brasileiras para interpretá-lo: Nathalia Timberg e Fernanda Montenegro. Qualquer produção fica engrandecida quando tem duas intérpretes tão respeitadas em seu elenco. E colocá-las juntas em cena foi um acerto.

Amigas de longa data, elas transmitem com ainda mais facilidade o amor das personagens. A cena do primeiro beijo, exibida no capítulo de estreia, foi repleta de sensibilidade e as duas emocionaram. Estela e Teresa se declararam e comemoraram o tempo que estão juntas. Foi, inclusive, o primeiro casal mostrado na história. Mas, infelizmente, a sequência provocou 'polêmica' e críticas dos preconceituosos.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Em busca de audiência a qualquer custo, Gugu volta à TV sem novidades e abusa do sensacionalismo

Após um longo período no SBT, Gugu Liberato foi para a Record em 2009, onde estreou o "Programa do Gugu", que ficou no ar até 2013, quando saiu da grade da emissora no dia 9 de junho, depois de um rompimento de contrato nada amigável. O apresentador, então, ficou quase dois anos curtindo férias, enquanto recebia propostas para voltar. Band e SBT estavam interessadas, porém, por mais estranho que possa parecer, ele resolveu retornar justamente na empresa que encerrou sua atração sem grandes explicações. E esta nova 'saga' iniciou-se no dia 25 de fevereiro.


O programa não é mais dominical e terá um regime de temporadas. Gugu agora surge na tela da Record toda terça, quarta e quinta. Mas esta é a única mudança da atração. O apresentador voltou usando as mesmas armas em busca de audiência: sensacionalismo, números musicais e quadros cansativos no palco. Logo na estreia, inclusive, foi exibida a primeira parte de uma entrevista exclusiva com Suzane Von Richthofen, a criminosa que mandou matar os próprios pais.

Gugu tratou a assassina com benevolência e a conversa não acrescentou nada de novo ao crime já esclarecido. A 'reportagem' foi mostrada em várias partes para sustentar a audiência e, obviamente, a estratégia de conseguir bons índices a qualquer custo surtiu efeito. O programa chegou a liderar no Ibope e ficou na vice-liderança isolada na média geral.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Sequestro de Karina em "Malhação" e o mal do politicamente correto

Após uma sucessão de cenas fortes e muito dramáticas, "Malhação Sonhos" voltou a ficar mais leve e cômica. Depois que sua armação com Bianca (Bruna Hamu) veio à tona, Pedro (Rafael Vitti) foi humilhado por Karina (Isabella Santoni) e está fazendo de tudo para reconquistá-la. Claro que os planos são todos estapafúrdios, o que resulta em inúmeras trapalhadas, proporcionando cenas hilárias. Seu ato mais 'ousado' foi um sequestro, organizado por ele e sua trupe de amigos. E foi justamente esta situação que originou uma polêmica recentemente.


Todas as sequências envolvendo o rapto da esquentadinha foram repletas de comicidade e serviram para imprimir um pouco de humor novamente à temporada, após tantos momentos pesados exibidos nos primeiros capítulos de março. Mais uma vez, Rafael Vitti e Isabella Santoni transbordaram sintonia e, no fundo, Karina gostou da maluquice do Pedro, que foi 'ordenado' pelo melhor amigo João (Guilherme Hamacek), autor do plano. Porém, uma parcela do público parece que não entendeu muito bem a proposta.

Algumas pessoas se mostraram indignadas com as cenas e classificaram como um 'incentivo à violência contra a mulher'. Estes indivíduos ficaram 'chocados' com os momentos de agressividade e com o fato da menina ter sido 'coagida' pelo ex. Quem acompanha a atual temporada e sabe todo o contexto da trama, constata o ridículo destas reclamações.

terça-feira, 17 de março de 2015

Com bom ritmo, "Babilônia" faz ótima estreia e aposta no duelo de vilãs para prender o público

Aguinaldo Silva saiu de cena e cedeu lugar para três colegas. Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga são os autores de "Babilônia", nova novela das nove, que estreou nesta segunda (16/03) com missão de aumentar os índices de "Império", que podem ser considerados satisfatórios depois do fracasso de "Em Família" (aumentou a média em 3 pontos). Dirigida por Dennis Carvalho, a trama apresentou um atrativo e movimentado primeiro capítulo, despertando interesse pelo enredo que aborda os diferentes tipos de ambição.


A história tem três mulheres como protagonistas. Glória Pires vive a poderosa e devoradora de homens Beatriz e Adriana Esteves interpreta a recalcada e infeliz Inês. As duas eram amigas de infância, mas a relação acaba com o tempo e as duas viram inimigas mortais quando se reencontram depois de anos. Já Camila Pitanga é Regina, o vértice deste triângulo feminino ----- afinal, o assassinato do pai dela é o ponto que entrelaça o trio. Ao contrário das outras duas, que transbordam ganância e veneno, a mulher batalha para sustentar a família e não passa por cima de ninguém para atingir seus objetivos. Ou seja, há uma mocinha e duas vilãs no núcleo central.

Através destas três mulheres, a ambição será mostrada das mais diversas formas e, de uma certa maneira, servirá de pano de fundo para basicamente todos os conflitos da nova novela. O primeiro capítulo priorizou o nascimento da rivalidade entre Beatriz e Inês, com a história começando a ser contada no ano de 2005.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Sustentada pelo núcleo central e marcada por altos e baixos, "Império" foi uma novela apenas mediana

Foram 203 capítulos. "Império" estreou em julho de 2014 e chegou ao fim nesta sexta (13/03), encerrando a saga do comendador José Alfredo de Medeiros (Alexandre Nero), após quase oito meses de novela no ar. Aguinaldo Silva escreveu um folhetim clássico e muitas das situações apresentadas no núcleo central lembraram "Suave Veneno", produção que foi o seu maior fracasso na carreira. Mas desta vez o autor conseguiu conquistar a audiência e aumentou em três pontos a média geral do horário nobre, derrubado por "Em Família".


Apesar do êxito nos números do Ibope, a trama pode ser classificada apenas como regular. Não foi uma obra péssima e conseguiu ser bem melhor do que o último folhetim do autor ---- a fraca "Fina Estampa" ----, entretanto, esteve longe de ser uma novela ótima. A história teve muitos equívocos, mas o núcleo central sustentou bem "Império", sendo o seu maior acerto. A família Medeiros teve dois perfis de destaque muito complexos (Zé Alfredo e Maria Marta) e os embates pelo comando da empresa de jóias sempre eram atrativos.

O autor foi muito corajoso ao colocar um homem repleto de desvios de conduta e extremamente arrogante como protagonista, e ainda escolher Alexandre Nero para interpretá-lo. Toda a coragem valeu a pena, afinal, o comendador (um típico anti-herói) caiu nas graças do público, fez sucesso e o ator deu um verdadeiro show na pele do personagem que já é o melhor de sua carreira.

quinta-feira, 12 de março de 2015

"Babilônia": o que esperar da próxima novela das nove?

Gilberto Braga e Ricardo Linhares começaram uma parceria (como autores titulares) na ótima "Paraíso Tropical" (2007) e depois mantiveram a dupla na fraca "Insensato Coração" (2011). Eles, agora, ganharam mais uma companhia: João Ximenes Braga, um dos responsáveis pela caprichada "Lado a Lado" (2012) e antigo colaborador de Gilberto. Portanto, o trio será responsável pela nova trama das nove, cujo título é "Babilônia" ----- o clipe você pode conferir aqui.


Dirigida por Dennis Carvalho, a trama falará sobre diferentes tipos de ambição e terá três protagonistas: duas vilãs e uma mocinha. Glória Pires e Adriana Esteves serão Beatriz e Inês, respectivamente ------ as, até então, amigas de infância viram inimigas mortais quando se reencontram depois de anos. Tudo porque Inês sente inveja do sucesso e da riqueza da rival, que se casou com um poderoso empresário (Evandro - Cássio Gabus Mendes), dando um golpe do baú. Já Regina (vivida por Camila Pitanga) terá pavio curto e será uma típica mulher batalhadora, honesta, que luta para viver dignamente para sustentar sua família.

A história das três será entrelaçada por um crime: Beatriz matará o pai de Regina, incriminando Inês. A motivação da vilã milionária está diretamente ligada à 'amiga', uma vez que a mesma grava Beatriz traindo o marido com Cristóvão (Val Perré). A empresária mata o amante e ainda joga a culpa na pessoa que virou uma pedra em seu sapato.

quarta-feira, 11 de março de 2015

Momento romântico entre Maria Marta e José Alfredo resulta em uma linda cena na última semana de "Império"

No capítulo de terça-feira da última semana de "Império", Aguinaldo Silva presenteou o telespectador e os atores com uma das cenas mais bonitas da novela. Foi o raro momento em que Maria Marta (Lília Cabral) e José Alfredo (Alexandre Nero) se desarmaram e se declararam um para o outro. Uma situação muito esperada pelos fãs do casal (apelidados de Malfred) e também pelo público da trama que aguardava um momento mais sensível do principal par do folhetim que está perto do seu fim.


Após o casamento de Cristina (Leandra Leal) e Vicente (Rafael Cardoso), a imperatriz debochou do desejo dos recém-casados de passar a lua de mel no quartinho da noiva em Santa Teresa. Ao ouvir a ironia, o comendador falou sobre sua relação com ela e afirmou que luxo não tem nada a ver com amor, já que eles não foram felizes e não adiantou nada uma lua de mel em um hotel cinco estrelas. Porém, Maria Marta não ouviu calada e fez questão de dizer que os dois tiveram, sim, momentos de felicidade.

"Sinceramente, Zé? Uma vida fantástica, maravilhosa, com todos os momentos que um verdadeiro casal tem direito. Inclusive aqueles de pura baixaria. Nós fomos muito felizes, Zé. Demais da conta. Teve dias, até, que nós explodimos de tanta felicidade. E não adianta dizer ou fingir que não foi assim."

terça-feira, 10 de março de 2015

Estreia de "Sete Vidas" esbanja qualidade e traz de volta a sensibilidade de Lícia Manzo

"Às vezes uma parte do que a gente é vai embora e nos deixa para trás. E se a vida trouxesse de volta partes suas que você sequer conhecia? Quantas marcas deixamos pelo caminho? Não conhecer a própria origem é como estar distante de si mesmo. O desafio de buscar suas próprias origens é grande. Meio-irmão, meio-pai, meio-filho, de quantas metades é feita a nova família? Falta uma parte, sobram perguntas." Tendo estas dúvidas e premissas como base, estreou, nesta segunda (09/03), "Sete Vidas", a nova novela das seis da Globo.


Escrita por Lícia Manzo e dirigida por Jayme Monjardim, a história gira em torno da trajetória de Miguel (Domingos Montagner), homem solitário que faz questão de se manter livre de laços ou amarras. No passado, foi acusado pelo pai de ser o responsável pela morte da própria mãe, e este fato sempre o marcou. O protagonista se apaixona por Lígia (Débora Bloch), mas, com medo de se envolver, resolve fazer uma perigosa expedição à Antártica, deixando o amor de sua vida para trás, sem saber que a mesma está grávida dele. E em meio a todo este drama, há ainda os filhos gerados através de uma doação de sêmen ---- feita pelo navegador, 30 anos atrás, nos Estados Unidos, para ganhar dinheiro na época.

Ou seja, tudo o que Miguel não queria acontece: se vê apaixonado por uma mulher, a engravida e ainda 'ganha' seis filhos espalhados pelo mundo. No total, são as Sete Vidas do título. Repensar as relações familiares é a proposta da autora, que criou um universo interessantíssimo e muito envolvente. A saga dos jovens oriundos da inseminação em busca do pai e das próprias origens (o que implica em uma aproximação entre eles também, claro) é uma sacada e tanto para um folhetim.

segunda-feira, 9 de março de 2015

"Império": uma novela onde os núcleos paralelos não funcionaram

A trama central de "Império" sempre foi o ponto alto da novela. Porém, há alguns meses, a estagnação, com o perdão do trocadilho, 'imperava' na obra de Aguinaldo Silva. A situação envolvendo a falsa morte de José Alfredo (Alexandre Nero) foi prolongada demais e cansou. Mas com o retorno do comendador ao 'mundo dos vivos', o núcleo principal voltou a despertar interesse e apresentar qualidades. Entretanto, em plena reta final (esta é a última semana), pode-se constatar que os núcleos paralelos não funcionaram.


Desde que a trama entrou em sua segunda fase, a família do protagonista se mostrou como o grande trunfo do autor. Os conflitos envolvendo o dono do império, Maria Marta (Lília Cabral), Maria Clara (Andreia Horta), João Lucas (Daniel Rocha), Du (Josie Pessoa), Zé Pedro (Caio Blat), Cristina (Leandra Leal) e Cora (Drica Moraes/Marjorie Estiano) são atrativos e promovem uma boa movimentação na história. Mas os enredos paralelos são desinteressantes e muitos se perderam ao longo da história.

Inicialmente, o núcleo envolvendo a bissexualidade de Cláudio Bolgari (José Mayer), a incrível benevolência de Beatriz (Suzy Rêgo) e a homofobia de Enrico (Joaquim Lopes), era responsável por boas cenas e dramas convincentes. No entanto, o romance do ricaço com Leo (Klebber Toledo) não caiu nas graças do público e, aos poucos, toda a trama daquela família foi se diluindo depois que o filho homofóbico abandonou Maria Clara no altar e viajou.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Com trama desgastada, "Boogie Oogie" termina sem fôlego e com saldo negativo

Foram praticamente oito meses no ar. Após uma promissora e movimentada estreia, "Boogie Oogie" chegou ao fim nesta sexta-feira (06/03) com um saldo para lá de negativo. A trama de Rui Vilhena ---- autor português (nascido em Moçambique) que estreou seu primeiro folhetim no Brasil ----, dirigida por Ricardo Waddington e Gustavo Fernandez, não teve fôlego para se sustentar por tanto tempo e foi se perdendo à medida que os capítulos passavam.


Os primeiros meses empolgaram. Apesar de alguns absurdos ---- como a vingança fajuta de Suzana (Alessandra Negrini), que só contou que havia trocado os bebês vinte anos depois ----, a novela despertou interesse pelo ritmo ágil e bons ganchos. O enredo em torno de Sandra (Isis Valverde) e Vitória (Bianca Bin), que tiveram suas vidas trocadas na maternidade, conduziu muito bem o início do folhetim. Os conflitos funcionavam e movimentavam a história. A grande virada aconteceu quando as duas protagonistas descobriram o crime da amante de Fernando (Marco Ricca), o que resultou em ótimas cenas.

Entretanto, depois desta revelação, o autor passou a explorar dois temas, que dominaram todos os núcleos: o segredo de Carlota (Giulia Gam) e a identidade do pai de Vitória. Inicialmente, o mistério envolvendo o passado da vilã e o drama da patricinha atraíram a atenção. Mas não por muito tempo. A novela começou a andar em círculos, ficando repetitiva e desgastada.

quinta-feira, 5 de março de 2015

O merecido crescimento de Othon Bastos na reta final de "Império"

A reta final de "Império" está voltada para o mistério envolvendo a identidade do enigmático Fabrício Melgaço, inimigo número um de José Alfredo (Alexandre Nero). Mas enquanto as especulações dominam as últimas semanas e Aguinaldo Silva lança pistas falsas para os telespectadores, um ator tem conseguido se destacar graças ao crescimento do seu personagem, que virou uma das principais figuras da história. E o nome dele é Othon Bastos.


Silviano tinha pouco destaque na novela e a maioria de suas cenas era com Lília Cabral. Os dois, aliás, tinham (e têm) uma ótima parceria cênica. E apesar das poucas sequências, ele fez falta quando precisou se ausentar do folhetim ---- logo no começo da produção ---- por questões de saúde (precisou tratar de uma doença chamada erisipela). Mas o mordomo de Maria Marta teve sua importância aumentada quando seu passado com a patroa foi desvendado: os dois foram casados antes da imperatriz conhecer o comendador.

A partir desta revelação, o personagem ganhou novos contornos e uma faceta desconhecia veio à tona: seu ódio por José Alfredo. A passividade e a fineza do empregado foram deixados de lado, cedendo espaço para uma fúria que fez Othon Bastos brilhar absoluto.

quarta-feira, 4 de março de 2015

"Mulheres de Areia": mais uma novela clássica de Ivani Ribeiro

No dia 1º de fevereiro, a estreia de "Mulheres de Areia" completou 22 anos. O remake da saudosa Ivani Ribeiro, com direção de Wolf Maya, foi um imenso sucesso e marcou a carreira de vários atores que participaram da produção. Foram muitos personagens emblemáticos e a história arrebatou o público, da mesma forma como ocorreu em 1974, quando foi exibida a versão original, protagonizada por Eva Wilma. A novela foi reprisada no "Vale a Pena Ver de Novo" duas vezes: entre novembro de 1996 e abril de 1997, e entre setembro de 2011 e março de 2012.


A trama central abordava a clássica rivalidade de duas irmãs gêmeas, que, embora fisicamente idênticas, tinham personalidades completamente distintas. Glória Pires brilhou absoluta interpretando Ruth e Raquel, em uma época onde os efeitos visuais ainda estavam engatinhando, o que provocava um trabalho ainda maior nas cenas que necessitavam da presença das irmãs juntas. A doce Ruth é uma mulher tímida que volta para a fictícia cidade Pontal D`Areia, após dar aulas para alunos em uma fazenda do interior. Raquel (que tem um caso com o malandro Wanderley - Paulo Betti) é uma mulher ambiciosa e extremamente sedutora que tem como principal objetivo de vida ficar rica sem fazer esforço.

As duas são filhas de Isaura (Laura Cardoso) e Floriano (Sebastião Vasconcellos), humildes pescadores que lutam para ter uma vida digna. A mãe tem uma clara predileção por Raquel, enquanto que o pai se identifica com Ruth.

terça-feira, 3 de março de 2015

Reviravolta na vida de Karina destaca elenco e promove uma sucessão de cenas fortes em "Malhação Sonhos"

Após alguns meses de espera, dois dos principais segredos de "Malhação Sonhos" foram revelados, provocando uma grande reviravolta na trama. Mas as revelações não foram nada surpreendentes para o público, que já sabia sobre tudo, assim como vários personagens da novelinha. A grande questão foi a reação de Karina (Isabella Santoni) ----- a maior enganada e a última a saber -----, que implicou em uma sucessão de ótimas cenas e belos embates.


Um dos segredos estava ligado ao relacionamento da lutadora. Bianca (Bruna Hamu) pediu para Pedro (Rafael Vitti) namorar sua irmã e ele cobrou pelo 'serviço'. No entanto, com o tempo, o garoto acabou se apaixonando de verdade. Aos poucos, todos foram descobrindo sobre este pacto entre a irmã da Esquentadinha e o guitarrista, mas guardavam a informação. Até que a bomba estourou quando Jade (Anaju Dorigon) soube do acordo e fez questão de contar para todo mundo, depois que seu plano para sequestrar a mocinha (e assim ficar com o papel de Julieta) deu errado.

Em um ataque de fúria e após uma forte discussão, a filha de Lucrécia (Helena Fernandes) expôs Bianca para toda a plateia que estava presente para assistir ao espetáculo 'Romeu e Julieta', incluindo Karina. A partir de então, as feridas de todos os envolvidos ficaram expostas, resultando em uma leva de cenas bem interpretadas.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Alexandre Nero, Lília Cabral e Marjorie Estiano: os maiores destaques de "Império"

Que o ponto alto de "Império" foi o seu núcleo central, não há contestação. O drama da família milionária foi o grande atrativo da novela de Aguinaldo Silva, até porque os núcleos paralelos não funcionaram. E, neste enredo principal, já com a história perto do seu desfecho, ficou evidente que três atores se destacaram mais e foram os pilares da trama: Alexandre Nero, Lília Cabral e Marjorie Estiano. O trio sustentou o folhetim.


Alexandre Nero ganhou o melhor personagem de sua carreira. O comendador é um tipo ambíguo, que mescla momentos de fúria com instantes de doçura e sofrimento. Enriqueceu por meios ilícitos e se envolveu em vários crimes, forjando até mesmo uma falsa morte para escapar da justiça; entretanto, não é um mau-caráter e preza valores em sua família. Um perfil engrandecedor para qualquer ator e que 'vestiu' perfeitamente no intérprete, que dominou o papel logo no primeiro capítulo, honrando seu protagonismo.

E Lília Cabral estava merecendo uma ótima personagem depois de "Fina Estampa" e do remake de "Saramandaia". Ganhou. Mesmo não tendo sido a grande vilã prometida pelo autor, Maria Marta se revelou uma mulher sarcástica que sabe ser cruel quando quer, embora tenha seu lado humano. Apesar de todos os seus defeitos, ela ama de verdade José Alfredo e tem um imenso carinho pelos filhos.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Bianca Bin mostrou uma nítida evolução em "Boogie Oogie"

"Boogie Oogie" está chegando ao fim e a reta final da trama de Rui Vilhena se resume ao desgastado e onipresente segredo de Carlota. Todos os personagens estão em função deste cansativo assunto, o que implica em um esvaziamento do roteiro e perda de função de vários personagens. Entretanto, apesar das várias falhas, a trama teve alguns destaques, entre eles Bianca Bin, que brilhou na pele da patricinha Vitória.


A personagem começou com ares de vilã, mas depois começou a apresentar traços de humanidade e carência afetiva. Bianca soube aproveitar a oportunidade dada pelo autor, conseguindo se sobressair nas muitas cenas que contavam com sua presença. Este papel foi um dos principais da história e exigiu bastante da atriz, principalmente nos momentos dramáticos, que foram inúmeros.

Porém, infelizmente, Rui não soube conduzir os rumos da filha de Beatriz (Heloísa Périssé) e jogou fora a interessante complexidade da patricinha ao transformá-la em uma obcecada por Rafael (Marco Pigossi), além de colocá-la como detetive em busca do famigerado segredo de Carlota.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

"Celebridade": um sucesso de Gilberto Braga

Exibida entre outubro de 2003 e junho de 2004, "Celebridade" foi um grande sucesso de Gilberto Braga. A trama, com ótimos personagens e grande elenco, agradou e conquistou a audiência. Dirigida por Dennis Carvalho, a novela abordou a busca pela fama, os malefícios que a superexposição pode causar para uma pessoa e o nível de obsessão que alguns têm pelo poder e pelo dinheiro.


Protagonizada por Malu Mader, a história tinha como eixo central a vida da poderosa Maria Clara Diniz, modelo que conheceu o sucesso quando (aparentemente) seu então namorado compôs para ela "Musa do verão", música que estourou em todas as rádios em 1988. E a tragédia que abalou sua vida ----- no dia do seu casamento, o compositor foi assassinado por um boêmio (Ubaldo) que afirmava ter sido o verdadeiro autor da canção ----- não encerrou sua carreira, pelo contrário: a profissão de modelo cedeu lugar para a de empresária. Ela passou a buscar novos talentos e agenciar estrelas, produzindo shows também.

A novela começa de fato quando Laura Prudente da Costa (Cláudia Abreu) inicia um plano para entrar na vida de Maria Clara. Filha da verdadeira "Musa do Verão", a vilã finge ser uma fã da ex-modelo com o intuito de se vingar. Com a ajuda de Marcos (Márcio Garcia), seu namorado e cúmplice, ela consegue trabalhar na empresa da 'rival' e vira amiga íntima da toda poderosa.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

"Sete Vidas": o que esperar da próxima novela das seis?

Prevista inicialmente para estrear na faixa das 23h, "Sete Vidas" foi remanejada para o horário das seis. Assim, algumas mudanças foram necessárias, tanto no número de capítulos (teria 56 e passou a ter 101), quanto no desenvolvimento de algumas tramas. Porém, o conjunto não mudou e os temas permaneceram da mesma forma como a autora planejou. E o clipe de 13 minutos apresentado (você pode ver aqui) foi bastante promissor.


O texto primoroso de Lícia Manzo já pôde ser notado com facilidade e as imagens deslumbrantes impressionam. O elenco foi muito bem escalado e os dramas dos personagens são muito envolventes. Aliás, a autora e o diretor Jayme Monjardim fizeram questão de ressaltar que a grande vilã da história será a vida, ou seja, a novela terá a mesma base da impecável "A Vida da Gente", produzida pela mesma dupla.

O enredo contará a história de Miguel (Domingos Montagner), um homem solitário que tem uma grande dificuldade em assumir relações duradouras. Quem sofre com isso é Lígia (Débora Bloch), uma competente jornalista que sonha em ser mãe (correndo contra o relógio biológico) e se apaixona por ele.