sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Com um final repleto de emoção e metalinguagem, "A Grande Família" fecha seu ciclo em grande estilo. Adeus, família Silva!

Uma das séries mais longevas da Globo chegou ao fim. Depois de ter ficado quase 14 anos no ar (13 anos e seis meses mais exatamente), "A Grande Família" se despediu do público nesta quinta-feira (11/09), fechando seu ciclo definitivamente e com sensação de dever cumprido. Foram 489 episódios, inúmeras participações especiais, algumas perdas irreparáveis e muitas histórias em cima da família muito unida e muito ouriçada.


A série original foi exibida entre 1972 e 1975. A versão atual estreou em março de 2001 e o intuito da Globo era apenas fazer um especial de 12 episódios em homenagem ao formato do passado. Porém, o sucesso foi tanto que o término foi sendo adiado e mais episódios eram encomendados. O resultado todos já sabem: quase 14 anos no ar e sempre no mesmo horário, às quintas-feiras, logo após a novela das nove. Um êxito e tanto.

Os personagens originais foram criados por Oduvaldo Vianna Filho e Armando Costa e todos os perfis se mostraram atemporais justamente por causa da fácil identificação. Os personagens estão presentes nos lares de vários brasileiros de tão reais que são e a versão de 2001, comandada por Cláudio Paiva,
----- o último ano foi escrito por Adriana Falcão e Mauro Wilson ----- conseguiu mostrar esta essência da mesma forma e ainda foram criados muitos outros personagens tão interessantes quanto os da Família Silva.

Nenê (Marieta Severo), Lineu (Marco Nanini), Agostinho (Pedro Cardoso), Bebel (Guta Stresser) e Tuco (Lúcio Mauro Filho) fizeram companhia aos telespectadores por anos e ainda ganharam ótimos colegas e amigos que também marcaram presença na série. Beiçola (Marcos Oliveira), Paulão (Evandro Mesquita) e Mendonça (Tonico Pereira) foram os principais coadjuvantes da história e viraram figuras tão queridas quanto os principais. O saudoso Rogério Cardoso (Seu Flor) é outro ator emblemático que deu um show ----- infelizmente não conseguiu ficar por muito tempo na produção, mas sua presença sempre foi lembrada.

Andrea Beltrão ficou na história por um bom tempo e também fez sucesso com sua Marilda, até migrar para "Tapas e Beijos". O mesmo vale para o grande Francisco Milani, que roubava a cena com o Tio Mala, mas, assim como Rogério, faleceu, deixando o público órfão. Márcia Manfredini foi outra participação que deu muito certo. A fofoqueira Dona Abigail virou uma das personagens mais engraçadas da série e agradou. Natália Lage foi mais um acerto da história, que brilhou na pele da despojada Gina, namorada de Tuco. Vale destacar ainda Diogo Vilela, interpretando o bandido Remela, entre outras boas participações, como Fábio Porchat, Luís Miranda, Leandra Leal e Maria Clara Gueiros.

A série foi se modificando ao longo dos anos para não se esgotar, mas não conseguiu evitar os sinais de desgaste quando resolveu focar mais no drama do que na comédia. A partir do momento que Lineu entrou em coma, "A Grande Família" optou por uma linguagem mais densa, com o intuito de renovar de ares. Porém, a produção ficou aquém do que era, perdeu a identidade, embora tenha mantido a essência da história.

Obviamente, o tempo que ficou no ar foi um empecilho e tanto para manter o público interessado na trama e ainda evitar um esgotamento do formato. Mas apesar dos períodos turbulentos, pode-se dizer que a série conseguiu manter o fôlego e a união da Família Silva esteve presente o tempo inteiro sem grandes dificuldades.

E o elenco foi um show à parte. Marco Nanini e Marieta Severo fizeram uma dupla maravilhosa, enquanto que Pedro Cardoso ficou marcado como o Agostinho e transformou este malandro em uma das figuras mais queridas da história. Guta Stresser e Lúcio Mauro Filho também se destacaram positivamente ao longo destes anos e o mesmo vale para Marcos Oliveira, que fez um Beiçola cativante (incluindo a Dona Etelvina, mãe do pasteleiro vivido pelo próprio); Tonico Pereira, cujo Mendonça divertia com seu carinho extremo por Lineu; e Evandro Mesquita, que transformou o ignorante mecânico Paulão em um dos tipos mais engraçados da trama.

O último episódio encerrou a produção em grande estilo. Fazendo uma ótima e divertida metalinguagem, a história girou em torno do interesse da Globo em fazer uma série sobre a Família Silva. Com a participação de Daniel Filho vivendo o diretor interessado em produzir o seriado, a trama também contou com várias outras ilustres presenças para interpretar os personagens de "A Grande Família" dentro de "A Grande Família": Glória Pires virou a Nenê, Tony Ramos o Lineu, Lázaro Ramos o Agostinho, Deborah Secco a Bebel, Alexandre Borges o Paulão, Marcelo Adnet o Tuco, JP Rufino o Florianinho e Luana Piovani a Lurdinha.

O fechamento do ciclo foi primoroso e não poderiam ter feito um final melhor do que este. O episódio foi repleto de emoção e comédia, fazendo ainda uma justa homenagem a todos os atores. Vale destacar o ótimo momento quando Tony contracena com Marco e quando Marieta e Glória se emocionam em cena. Outra linda sequência foi a participação de Andrea Beltrão vivendo Marilda, quando a atriz interpretou ela mesma e a personagem, já que ambas tinham algo em comum: a amizade pela mesma pessoa, no caso Marieta/Nenê.

A bela homenagem feita ao Tonico Pereira, colocando o ator para contracenar com o Mendonça, foi mais um grande momento do final. E a última cena, com os atores emocionados e Daniel Filho chegando a conclusão que nenhum ator seria capaz de viver os personagens tão bem quanto a própria Família Silva, foi tocante. E um clipe com os melhores momentos das 14 temporadas (incluindo imagens do Rogério Cardoso) foi exibido antes do surgimento da palavra 'fim'. Sem dúvida, um adeus cheio de sentimento, nostalgia e saudosismo.

"A Grande Família" saiu de cena com chave de ouro e com certeza será uma produção lembrada com muito carinho pelos telespectadores. A turma suburbana fez história na televisão e fez parte da vida dos brasileiros por quase 14 anos. Foi uma série que deixou sua marca. Mas após tanto tempo marcando presença, todos estes carismáticos personagens precisam descansar e com uma sensação de dever cumprido. E o dia finalmente chegou. Agora, resta lembrar de todos com carinho e guardar várias situações inesquecíveis na memória. Todos saíram de cena e entraram para a história. Adeus, família Silva!

46 comentários:

Zyon Waisterg disse...

A Grande Família foi uma produção que deixou sua marca e fez história no mundo. Isso porque não são muitas as séries que ficaram tanto tempo no ar quanto essa. E muito menos que tenham tido um final tão bom quanto esse.

Concordo que algumas temporadas deixaram a desejar e a série já estava cansativa. Tava na hora de acabar. Mas a despedida foi em grande estilo e deixará saudade sim. Até porque foram muitos anos esbanjando qualidade e bom gosto. Foi um fim bonito.

Anônimo disse...

Crítica completíssima! Resumiu em um preciso texto tudo o que foi essa série. Teve altos e teve baixos, mas o final é com sensação de dever cumprido. No fundo valeu a pena. O elenco está de parabéns, os personagens ficarão marcados e a história fez um merecido sucesso nesses quase 14 anos. Estava precisando acabar e que bom que encerraram em grande forma.

Anônimo disse...


Perfeito Sérgio. Estava mesmo esperando a sua crítica quanto ao desfecho da série. Lindas, comovente e sábias palavras. Parabéns.

Estou até agora emocionada com o fim da série. Afinal, são 14 anos, que desde 2001, todas as quintas, após a novela, nos sentamos em nossos sofás como nossas respectivas famílias, para assistir a essa deliciosa série. De fato é um marco na TV brasileira, um grande sucesso! Como não se identificar com pelo menos uma das situações representadas? Impossível. Não sei se ao longo desses 14 anos, fomos nós que passamos a fazer parte da "família Silva", ou se eles que passaram a fazer parte da nossa. O indiscutível é que criou-se um forte laço. Deixará saudades, muitas saudades. Mas enfim, igual vc bem falou: era hora dar adeus. E eles, elenco, direção, equipe, todos fizeram de forma magistral. Por cima, deixando ótimas lembranças e muitas saudades.

ps: É uma série tão querida pelo público que em nosso dia-a-dia, nos deparamos muito, com pessoas as quais atendem por apelidos referentes aos nomes dos personagens do programa. Quantos “beiçolas, Agostinhos, bebels, Tucos, Lineus e Nenês” existem por aí... Rsrs.

Abraços Sérgio. E novamente, meus parabéns pela belíssima crítica.

Luna.

✿ chica disse...

Essa família que por tanto tempo nos fez rir, divertir, teve grandes momentos.
Sinceramente fico com pena que acabou,ainda que todos precisem descansar desses papéis. Não adiantaria colocar novos atores, eles foram e sempre serão a nossa grande família! Um FIM que deixa saudades, acompanhamos muitos, sempre que deu e era uma bom motivo pra descontrair! Mas valeu! Missão cumprida! abração,chica

Lulu on the Sky disse...

Não assisti muitos episódios da Grande Família, mas gostei desse último epísódio, foi uma grande homenagem a todos que participaram.

Estou participando de um concurso entre blogs e convido você Votar no blog Lulu on the sky

Big beijos
Lulu

Rita Sperchi disse...

Olá Serginho querido, acho que não podia acabar melhor, Toni e Glória são mesmo a marca registrada.....Cada um fez seu papel divinamente bem, Agostinho vai deixar saudade com as roupas bregas que usava....Talento todos tem de sobra, vai fazer falta sim

Bom final de semana
Bjusss

└──●► Rita

BIA disse...

Oi Sergio!

Nossa! O que era para ser apenas alguns episódios, se estendeu por longos anos, realmente grandes famílias devem ter se identificado! Gostei de ler mais aqui sobre a série. Sua avaliação é sempre bem feita!

Bom fim de semana! :)

Bjs

Felisberto Junior disse...

Olá, Boa tarde, Sérgio
sim, parabéns pela bela análise/homenagem...creio que a série , durante esses quase 14 anos,cumpriu com seu papel de belo entretenimento,mesmo com seus altos e baixos... mas como todo produto , televisivo, que fica muito tempo exposto, a tendência é de saturação e para se evitar isso, começa as mudanças constantes e muitos personagens novos, mesmo com a essência da família Silva sendo mantida,o que aconteceu muito em seu finalzinho.
sim, assisti o último programa e sim, foi muito bom...fecho de ouro!
Obrigado pelo carinho,belo final de semana,abraços!

Andressa Mattos M. disse...

Sérgio, estava cansa de A Grande Família, não vou negar. Já estava mais do que na hora de chegar ao fim. Mas esse último episódio fiz questão de ver e me emocionei. Senti saudades até do tempo que gostava da série. Foi um final em grande estilo de fato e muito emocionante. Amei!

Observação: E O Rebu? Que novela, Sérgio! Ela humilha as outras que estão no ar e a Globo ficará sem uma produção de ouro quando acabar hoje. O penúltimo capítulo foi algo indescritível. Acho que até vc deveria fazer um post só sobre os dois últimos capítulos e outro com o balanço geral. Beijo.

Anônimo disse...

O final foi bonito mas gostaria de te perguntar se vc leu a crítica onde a Kogut humilha Boogie Oogie? Eu assino embaixo do que ela postou. Aquela novela é medonha. E pena que O Rebu acaba hoje. ÚNICA NOVELA QUE PRESTA.

Amanda Ventura disse...

Assim como Andressa escreveu acima, eu também já estava um pouco cansada do programa e assisti poucos episódios das últimas temporadas, mas me emocionei com o final, que fez merecida homenagem a todos os envolvidos ao longo destes 14 anos.

Talvez tenha sido o programa de humor que melhor atingiu todas as classes sociais, através de personagens tão identificáveis na nossa própria família ou na família de alguém que conhecemos.

Sem nenhuma dúvida cumpriu sua missão e fez bonito, e deixará saudades.

Paulo Roberto disse...

Eu vi as duas versões. A primeira foi a excelente e a segunda foi melhor ainda. Claro que eu já estava cansado dessa série. 14 anos é muito tempo, mas a Marieta e o Marco são excelentes. Eles criaram personagens reais, aqueles personagens que a gente acredita mesmo que são pessoas do nosso ciclo de amizade. Agora eu espero que todos do elenco estejam escalados para alguma novela em 2015 (de preferência Rio Babilônia)

Uma Interessante Vida disse...

Amava esse programa, Sérgio! Não tinha que acabar... tem tantos outros programas chatos para a Globo tirar do ar e não tira. :/

Gustavo Nogueira disse...

Ah, Sérgio, infelizmente não pude assistir a esse último episódio, mas gostei de A Grande Família e acompanhava assiduamente até o ano de 2005.Depois, não tive muito interesse, pois acabei enjoando da série.Mas com toda a certeza foi uma ótima série, Marieta Severo, Marco Nanini e Pedro Cardoso se destacaram como Nenê, Lineu e Agostinho.Andréia Beltrão, Marcos Palmeira e Tonico Pereira também se destacaram como Marilda, Beiçola e Mendonça, respectivamente.Guta Stresser e Lúcio Mauro Filho não fizeram feio, mas seus personagens não era meus preferidos, gostava muito mais dos outros que citei.

Anônimo disse...

A Globo espera seus programas chegarem ao limite do desgaste pra enfim acabar com eles, ou não. A Grande Familia devia ter acabado há uns cinco anos atrás quando começou o desgaste, nem os atores aguentavam mais e deixavam isso claro nas entrevistas. Agora falta dar fim também em Malhação, BBB, Zorra Total, Faustão, etc, etc...

Sérgio Santos disse...

Isso, Zyon, a série estava desgastada e eu mesmo reclamei muito nos últimos anos. Mas fez história e foi uma grande produção por muito tempo. E o encerramento foi com chave de ouro. Não poderiam ter feito melhor.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, anônimo!

Sérgio Santos disse...

Luna, mt obrigado. Fico feliz que tenha gostado da crítica! E eu fui fã da série até 2010/2011. Depois ela se desgastou e perdi o interesse, mas sem dúvida fez história e o final deixou saudades mesmo. Foi emocionante fez o fechamento desse tão longevo ciclo.

E os personagens eram de fácil identificação mesmo, não por acaso fizeram tanto sucesso. Mas chegou a hora do adeus. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Missão cumprida, Chica! E não tinha mesmo como colocar outros atores, foram quase 14 anos. É mt tempo. São insubstituíveis. E encerraram com chave de ouro. Foi mt bonita a despedida. bjsss

Sérgio Santos disse...

Foi uma bela homenagem mesmo, Lulu. bjs

Sérgio Santos disse...

Rita, chamar Tony e Glória pra serem Lineu e Nenê foi uma sacada de mestre. Como poderiam ter escolhido melhor? E foi um encerramento maravilhoso. Deu gosto de ver cada cena e se despedir de cada um deles. Valeu. bjsss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Bia! Pois é, eram apenas alguns episódios e olha o tempo que ficou no ar. Impressionante. Os atoes envelheceram diante do público. Bjsss

Sérgio Santos disse...

Pois é, Felis, não tinha como evitar o desgaste por mais mudanças que viessem a ser feitas. Mas entre altos e baixos, os altos prevaleceram, sem dúvida. E deu pra constatar isso no último episódio, que emocionou e divertiu. Foi mt bacana. abçs

Sérgio Santos disse...

Andressa, eu tb estava cansado e a prova eram meus últimos textos sobre a série. Mas até 2010/2011 era fã. E o encerramento do ciclo foi grandioso. Deu uma saudade danada relembrar e se despedir.

Pois é, que novela, Andressa! O Rebu ficará marcada como uma produção impecável e inesquecível. Nossa, nem sei se farei isso sobre os posts, mas pode até ser. Vamos ver! bjsssss

Sérgio Santos disse...

Anônimo, tb acho que O Rebu nem se compara com nenhuma outra que está no ar. Mas gosto de Boogie Oogie. E eu li a crítica e concordo, realmente essa repetição fica cansativa até porque não há mudança de tema pra dar uma variada. E o excesso de coincidências mtas vezes irrita. Mas ainda acho bacana a trama e gosto.

Sérgio Santos disse...

Concordo plenamente com vc, Amanda! Tb estava cansado, eixei de ver vários episódios das temporadas recentes, mas o final foi grandioso e fechou tudo com chave de ouro. E o programa fez história e deixou sua marca na televisão. bjs

Sérgio Santos disse...

Paulo, pois é, 14 anos é tempo pra caramba. Já era hora de encerrar. E ver Marieta e Nanini de novo nas novelas será um presentão. Eles são geniais.

Sérgio Santos disse...

Eu acho que já estava na hora, Barbie. bjssss

Sérgio Santos disse...

Gustavo, se conseguir veja o último episódio na internet pq vale a pena pra fechar o ciclo junto com a série. E tb gostava mt mais desses personagens que vc citou.

Sérgio Santos disse...

Acho que a série deveria ter acabado há un 3 anos, anônimo. E não acho que Malhação tenha que acabar. Zorra Total é ruim mas dá ibope.

Danizita L. disse...

Ótima série, atores incríveis, mas já estava na hora mesmo de chegar ao fim...e acho que a missão foi lindamente cumprida.

Bjos.

Anônimo disse...

Quero ler logo a crítica de O Rebu!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Dou dez pelo conjunto da obra e pelo talentoso elenco. Algumas historias foram melhores do que as outras, mas o saldo final deixará saudades;

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Foi uma ótima ideia encerrar s serie com a presença de ilustres convidados.

MARILENE disse...

Sergio, houve uma época em que assistia, com prazer, a série. Sempre gostei dela. A finalização ficou muito boa e, certamente, deixará saudade. Bjs.

Letícia disse...

Boa tarde meu querido Sérgio,

e lá se foi "A Grande Família", quem poderia imaginar que duraria tanto tempo, 14 temporadas e para ser uma série de 12 capítulos, realmente foi um sucesso. Mas como a vida é feita de ciclos e há um momento em que se deve fechar um para se iniciar outro. E o legal é o que encerramento foi ainda no auge, ou muito perto dele ainda.
Engraçado é que é uma estória com uma premissa muito simples, é sobre uma família comum, lidando com situações cotidianas e, é claro, com humor. É como se fossemos retratados ali. Você tem o funcionário público que se aposenta (Lineu), tem a dona de casa que começa a desejar um pouco mais da vida e ir em busca de seus sonhos (Dona Nenê), você tem a moça deslumbrada (Bebel), o malandro (Agostinho), o sonhador (Tuco), o ingênuo (Paulão) e assim vai... Enfim, quem nunca se deparou com um tipo assim... Particularmente eu já não prestava muita atenção no seriado, no início era uma espectadora mais assídua, depois fui deixando um pouco de lado, mas vez ou outra assistia um capítulo. Reconheço que neste último ano da família Silva não foi muito diferente, nestes últimos dei uma olhada mais atenciosa. E gostei do que assisti, mas nada que me fizesse cair de amores.
Sobre o último episódio, o derradeiro, gostei como foram criativos em nos dizer adeus, mas sem necessariamente dizer isso. Apenas nos mostrou um novo recomeço para a família de Lineu e Nenê só que agora este recomeço não pertence ao espectador, fica na imaginação de todos nós. Vê-los visitar a cidade cenográfica inspirada no bairro deles e olhavam para tudo aquilo como se fosse uma imensa novidade, vê-los conhecer os atores que os interpretariam em um primeiro momento e a Globo não economizou e trouxe para os supostos papeis um time de atores de primeira encabeçados pela Glória Pires e Tony Ramos (Aliás foi ótimo vê o Tony como o bondoso Lineu e no programa seguinte, O Rebu, como o corrupto Braga, de fato um grande ator).
Enfim, fechou-se um ciclo de "A Grande Família" e a vida continua. Foi uma bom seriado que teve altos e baixos, mas que no final soube deixar a cena em grande estilo valorizando os seus atores.

Um abraço meu caríssimo Sérgio e até a próxima... Tentarei não sumir muito...

Sérgio Santos disse...

Pois é, Danizita, estava na hora de acabar. E o saldo geral é positivo. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Já tá feita, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Concordo com vc, Elvira. Aliás, vc sumiu. Saudades. bjs

Sérgio Santos disse...

O fim foi em grande estilo, Marilene. bjsss

Sérgio Santos disse...

Minha cara Letícia, concordo com vc, pra variar. A família Silva era comum e de fácil identificação. Não foi por acaso que deu tão certo. E eu tb não era mais assíduo do programa. Era fã até 2011. Depois a série enveredou por um caminho dramático que não gostei e nunca mais assisti assiduamente, só um ou outro episódio.

Mas o final fiz questão de ver e valeu a pena. Foi um final em grande estilo e mt bonito. Bateu saudade dos bons tempos da série e fará falta, claro. Tb achei ótimo constatar a pluralidade do Tony, vivendo o bondoso Lineu e logo depois encarnando o canalha Braga. Baita ator.

E sim, não suma. bjs

Filha do Rei disse...

Foi muito bom assistir a este episódio, não poderia ter terminado melhor.Diverti-me muito com todos. :)
Vai deixar saudades, mas aprendi que temos que saber quando um ciclo se fecha.

Anônimo disse...

Foi um fim melancólico e bonito. A série deixa saudades.

Sérgio Santos disse...

Exato, Cléu. O ciclo precisava ser fechado e foi feito em grande estilo. Valeu a pena. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Concordo, anônimo.

Worm Tail disse...

A Grande Família foi por muito tempo um seriado de altissimo nivel e o meu seriado favorito, mas reconheço que houve tropeços no meio do caminho. Foi uma imensa infelicidade o seriado perder Seu Floriano tão cedo. Ele era um dos personagens mais engraçados e era o unico que sabia colocar o Agostinho em seu devido lugar. Porém, a qualidade e a graça ainda mantiveram-se de pé por várias temporadas mesmo após a morte de Seu Flor. Tivemos muitos momentos marcantes, como Bebel e Agostinho se mudando para a casa ao lado, a chegada da lendária Marilda - a melhor personagem mulher da série, na minha opinião - e a gravidez da Bebel. As temporadas de 2002 à 2007 foram as que eu mais acompanhava e foram os episódios que mais me marcaram. Infelizmente nunca gostei do filho da Bebel e do Agostinho. Talvez por que durante a gravidez a criança era pra ser uma menina, mas eles decidiram trazer outro menino pra homenagear o seu Floriano. Sei que a intenção era bonita, mas acompanhei toda a gravidez da Bebel, e me acostumei com a ideia e achava mais engraçado e interessante o Agostinho ser pai de uma menina. No entanto, foi a partir da saída da Marilda e da estréia da temporada 12 que a Grande Família decaiu na qualidade e sofreu uma grave crise de identidade. Personagens foram descaracterizados e as histórias ficaram com um clima muito pesado e dramático, que em nada lembravam os anos dourados do seriado. O filho crescido do Agostinho, na minha opiniao era péssimo, nao combinava com a família e não tinha a menor graça, o que me fez desaprovar ainda mais o personagem.