quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Elenco, personagens e bom desenvolvimento da história evidenciam a qualidade de "Sangue Bom"

A novela das sete estreou com o 'pé direito'. Tramas atraentes, ritmo ágil e personagens excelentes foram apresentados ao público. Não por acaso, a estreia recebeu uma merecida avalanche de elogios. No entanto, com o passar das semanas, "Sangue Bom" começou a ficar cansativa por causa da demora dos seus acontecimentos. O prólogo (fase inicial onde ocorre a apresentação da história e dos perfis) estava se estendendo demais e era comum a trama andar em círculos. Porém, Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari conseguiram movimentar o folhetim; o que nem foi uma tarefa difícil, afinal, estava tudo pronto: bastava começar de fato.


E começou. Todos os ótimos e bem escritos personagens, incluindo protagonistas e coadjuvantes, começaram a ter seus conflitos desenvolvidos. O resultado tem sido a exibição de excelentes e imperdíveis capítulos, onde há um evidente 'rodízio' de acontecimentos, fazendo com que cada dia ou semana seja especialmente voltada para um personagem ou núcleo 'X'. Há mais de um mês a trama ganhou um novo fôlego que até agora não foi perdido.

Amora (Sophie Charlotte) e Fabinho (Humberto Carrão) estão movimentando a trama do sexteto central ---- ela está fingindo ser tão pura quanto Malu e ele tão bondoso quanto Bento (o que tem evidenciado o talento dos intérpretes) ----, enquanto os núcleos paralelos têm apresentado bons desdobramentos em cima da trama do Érico (Armando Babaioff), Verônica (Letícia Sabatella) e Renata (Regiane Alves), que só ganhou com a entrada da divertida Carmem Verônica vivendo a perua Karmita Lancaster. O drama liderado pela grandiosa
Yoná Magalhães também tem rendido boas cenas, principalmente agora que a sofrida matriarca sabe que Bento (Marco Pigossi) é seu neto. O preconceito velado de Rosemere (Malu Mader) a respeito da homossexualidade de seu filho (Felipinho - Josafá Filho) e a recaída com Perácio (Felipe Camargo) são outros pontos positivos do núcleo.

Aliás, apesar do ator estar fraco e do personagem ser irritante, a situação vivida por Felipinho é muito pertinente, principalmente nos novos tempos, onde o mundo midiático é tão valorizado. Para que a repercussão em torno da sexualidade do rapaz fosse neutralizada, inventaram um namoro com a Mulher Mangaba (Ellen Roche). Qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência.

Outro ponto positivo tem sido o crescimento, ainda que tímido, de Giane (Isabelle Drummond) na história. A filha de Silvério (Norival Rizzo) passou a se valorizar mais e começou a trabalhar como modelo, despertando a inveja de Amora e o ciúmes de Bento. Passou a ter até um admirador: Caio (Thiago Amaral), que se envolverá com ela em breve. É necessário, também, elogiar o desempenho da atriz no momento em que sua personagem se declara para o florista, que sempre a tratou como irmã. Isabelle emocionou e mostrou seu já conhecido talento.

A vingança de Tina (Ingrid Guimarães), inspirada claramente em "Avenida Brasil", continua divertida e agora há uma maior participação de Fafy Siqueira, interpretando a engraçada Madá. E o sonho da atual empregada doméstica (exibido nessa quinta-feira - 01/08) homenageou a clássica cena em que Nina humilha Carminha e fala a inesquecível frase: "Me serve, vadia!". Os autores ainda inseriram a trilha de "A Favorita" na sequência, esbanjando genialidade.

Bárbara Ellen (Giulia Gam) e Damáris (Marisa Orth) continuam sendo os grandes destaques da novela, mesmo vivendo novas 'fases'. A atriz decadente, após passar um tempo se escondendo, foi internada no mesmo manicômio onde tinha colocado a mãe e depois foi expulsa de lá. Agora retornou para sua mansão e terá que conviver com Irene (Débora Evelyn), sua rival. Já a perua descompensada deixou a nova religião de lado para voltar a infernizar a vida dos empregados e do ex-marido (Wilson - Marco Ricca). Aliás, a parceria de Marisa com Joaquim Lopes (Lucindo) e Izabella Bicalho (Nice) sempre rende hilárias sequências.

Maria Helena Chira (Lara Keller), Marco Ricca (Wilson), Mayana Neiva (Charlene), Norival Rizzo (Silvério), Cris Nicolotti (Odila), Wandi Doratiotto (Nestor), Tuna Dwek (Sueli Pedrosa), Carla Salle (Mel), Letícia Isnard (Brenda) e Tatiana Alvim (Socorro) também brilham na pele de seus personagens, ainda que alguns deles apareçam pouco. Já Sylbeth Soriano tem conseguido se destacar cada vez mais vivendo a divertida Sandrona. Só é lamentável que uma atriz talentosa como Louise Cardoso esteja sendo tão mal aproveitada ---- esse fato, aliás, é um dos poucos pontos negativos do folhetim.

Além da metalinguagem quase sempre presente, o texto da trama continua cada vez melhor e repleto de frases inspiradíssimas. E isso somado a personagens complexos, e muitas vezes dúbios, resulta em entretenimento de qualidade para o telespectador, que consegue rir, odiar, amar e ainda refletir a respeito da personalidade de cada um.

"Sangue Bom", embora (infelizmente) não seja um sucesso ---- até agora tem conseguido pouco mais de 24 pontos de média geral, bem abaixo dos 30 pontos estipulados pela Globo como índice mínimo para o horário ----, consegue reunir todos os elementos necessários para uma agradável novela das sete. Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari têm escrito uma ótima e bem amarrada história, onde o drama e o humor são mesclados com muita competência. Os telespectadores do horário não têm do que reclamar.

52 comentários:

Bruno Marques disse...

Sérgio,concordo com tudo!!!
Sangue Bom é ótima e mesmo com tantos personagens,quase todos os núcleos conseguem um belo destaque!!!
Mas entre todos os destaques o maior é a Damáris de excelente Marisa Orth!!!
A personagem é tão engraçada que, mesmo com toda o seu puritanismo,fica impossível torcer contra!!!
Enfim,adoro a novela e lamento a sua rejeição!!!
Maria Adelaide Amaral e Vincet Villari estão mandando muito bem!!!

Abraços!!!

Thallys Bruno Almeida disse...

Sérgio, antes eu até concordava com a opinião de "um grande prólogo", mas isso era mais porque alguns capítulos eram um pouco menos sensacionais do que eu esperava, embora ainda ótimos. Mas agora digo que a novela tá excelente desde o início, me identifiquei com a mesma logo de cara e não me furto a dizer ser superior à antecessora (já que só fui gostar mesmo de Guerra quando foram introduzidas as leves mudanças do Sílvio, lá pra novembro/Dezembro).

Sobre Sophie Charlotte (Amora) e Fernanda Vasconcellos (Malu), nem vou me repetir, já deixei clara minha visão e preferência, mas admito que estou gostando da Sophie nos capítulos mais recentes da decadência da Amora e sua rivalidade com Fabinho. Fico feliz pelo crescimento do espaço do Humberto Carrão e seu personagem, ainda mais na convivência difícil com Plínio e o sentimento de culpa de Irene, como se ela tentasse ajudá-lo; e da Giane, que descobriu a luz própria que tinha e parou de ficar eternamente se lamentando por Bento, fazendo-o enxergar o quão idiota ele foi ao não perceber o que a mesma sentia. Bento tem irritado pela indecisão entre o trio feminino de protagonistas, mas compensa isso em sua relação com a família de seu pai, agora que Glória descobriu ser avó do mesmo. Nem dá pra mencionar o Maurício no meio de tudo, mas hoje gostei da cena dele e da Verônica confrontando Natan e fazendo-o engolir sua arrogância.

O Felipinho irrita demais e é a cota de vergonha alheia da trama, mas sua tentativa de ser famoso tem totalmente a ver com o universo de armações que envolve o mundo da fama, como os relacionamentos midiáticos pra tentar afastar suspeitas relativas à sexualidade da pessoa. Rosemere chama atenção pela superproteção ao filho e Perácio tem sido um total frouxo, mas ainda assim Malu Mader e Felipe Camargo emocionam como em Anos Dourados.

Como disse noutro artigo, Bárbara diverte demais pelas referências ao mundo artístico e Damaris pelo falso moralismo religioso, as confusões com os empregados e o tresloucado par com Lucindo.

Mas a melhor coisa mesmo dessa novela é o texto repleto de referências e metalinguagens. É uma coisa sensacional. Diálogos perfeitos demais como poucas vezes vi.

É uma pena que seja um fracasso, pois pra mim Sangue Bom é a melhor novela no ar com certa folga (e olha que eu adoro Amor à Vida, mas Sangue ainda mais). E que venham muito mais obras dessa parceria genial. Abç!

Carlos disse...

Nossa, essa novela é um samba do crioulo doido. Já tentei assistir mas é difícil. Hoje encarei mais uma vez e senti vergonha alheia das cenas Ctrl-C + Ctrl-V que recheiam essa novela. Atores fracos, só salvo a Giulia Gam que acho que é quase uma unanimidade quanto a interpretação, no entanto faz uma personagem esquecível.

Nessas horas que vejo que o Paulo tem razão ao falar que as novelas antigas eram melhores. Tudo muito fraco e ruim no momento, e isso já têm uns 5 anos. Saudades Cheias de Charme e Cordel Encatado, as últimas novelas realmente diferentes e boas.

Celina Alves disse...

Não tenho acompanhado com tanta frequência, mas estou achando fraquinha, a novela não me deixa com vontade de ver o capítulo seguinte, como tem acontecido comigo em Viver à Vida.
BjoBjo;)
Celina Alves
Luxos e Luxos

jhwz2011 disse...

Acho a novela sensacional e a melhor do momento por mim teria dois capítulos por dia da novela rsrs, hoje não vi porque tinha aniversario e não vou ver amanha e sábado por causa de outros aniversários mas vou ver pelo site e já senti muita falta da novela

Regina Rozenbaum disse...

Engraçado Sérgio, essa novela não me capturou...fico zapeando em outros canais (paga). Gosto mesmo das flores!rsrs
Beijuuss

Jaciara Rocha disse...

Sérgio, olá..Gostei de sua análise..(tb tou amando a novela), mas não gosto da forma como vc "menospreza" a personagem Malu..Acho ela tão complexa quanto a Amora, pois já reconheceu que sente inveja da irmã, é honesta..e adoro o relacionamento dela com o Bento, mas a mesma vem demostrando uma constante insegurança, típica das mulheres que apesar de serem lindas, legais, inteligentes, não se dão bem no amor..(é fácil se identificar cm ela), pois o mundo tá cheio de pessoas assim..Acho ela diferente da Ana de ADVG, e de outras mocinhas dela..Eu faço teatro e sei como é difícil interpretar uma personagem como a Malu (boazinha, íntegra e com discursos pra lá de moralistas) e mesmo assim não ser enjoativa..Fernanda Vasconcelos conseguiu convencer com sua Malu e emocionar a gente..Sophie é boa tb, mas não gosto da Amora (tenho este direito rs), ela não é uma pessoa que eu gostaria de conviver, é um ser humano mal construído, fato..mas não justifica seus atos pra lá de egoístas..Ela não é A vilã, mas não vejo ela como a Nina (eu amava a Nina e torcia d+ por ela..).Seria bom se ela realmente mudasse, não pelo Bento, mas por ela mesma..Enfim, gosto de suas análises, só acho que vc pega muito no pé da Malu, às vezes, dá a impressão que vc não gosta da atriz..Só acho..rsrs!

A viajante disse...

Gosto muito da novela. Você está correto em sua análise. Os diálogos são realmente o ponto alvo da trama. Perdi a declaração de Gianne para Bento! Que pena... vou tentar encontrar no site da novela. Beijo, querido!

Lulu on the Sky disse...

Só acho que a personagem Giane tem pouco destaque.
Big Beijos
Lulu on the sky

Raquel disse...

Oi Sérgio!

Gosto muito de Sangue Bom, tanto que é a única novela que eu acompanho (e que comento, rs...). Não tenho paciência para os dramalhões das novelas das nove e prefiro novelas como essas: leves, românticas e com humor na dosagem certa.

Fazia muito tempo que não acompanhava novelas e só tow assistindo essa porque emendou com Guerra dos Sexos. Depois do comentário do Carlos não sei se estou gostando porque é boa mesmo, ou se faz tempo que não vejo nada melhor... rs...

Mas até agora a trama não me irritou e isso geralmente é raro. Provavelmente por causa do texto que é realmente muito bom. Os jovens atores também estão ótimos (salvando algumas excessões) e me fazem acreditar que são personagens reais que a gente pode encontrar por aí. Sobre os veteranos eu nem comento porque é chover no molhado. :P Maravilhosos!

Minha única crítica é em relação ao tal "fio condutor" da trama. Não consegui ainda enxergar (com profundidade) o tal conflito entre o ter e o ser. Até agora eu só consegui enxergar um romance com conflitos por causa do preconceitos que cada um tem do outro lado. É uma história interessante, mas não sei se suficiente pra carregar a novela; ainda mais porque já estamos com meses de novela e o Bento e Amora ainda não se moveram um milímetro em relação às suas convicções.

Bom, é isso! Beijos!

Rafael Barbosa disse...

Eu sempre gostei da novela, pelos diálogos, personagens e a proposta de falar sobre as sub-celebridades e o meio midiático, mas no inicio realmente faltava algo para empolgar, a história não se movia, focava mais na apresentação. Quando as coisas começaram a acontecer, o que já era bom se tornou ainda melhor, afinal os autores começaram a explorar todas as potencialidades da trama, investindo mais em ritmo, ganchos fortes, cenas de impacto e etc. Amo Sangue Bom, e olha que achei que depois de Cheias de Charme ia demorar até amar novamente uma novela das sete, Hoje considero sangue Bom um novelão de primeira, tirando o sub-aproveitamento de Suely Cardoso como você bem disse no texto Sérgio, tudo funciona na novela, está tudo em perfeita harmonia.A homenagem ontem a Avenida Brasil e A favorita foram incríveis e impagáveis, dos melhores momentos de toda a novela. Os seis protagonistas,
Damáris, Bárbara Ellen, Lucindo, Charlene, Tina, Verônica, Rosemere, Perácio, Dona Glória, Érico, Tio Lili, Renata, Madá, irene e Suely pedrosa são personagens excelentes e meus prediletos. É uma pena que a audiência não corresponda a altura, para mim merecia alcançar Cheias de Charme tanto em números quanto em repercussão. Apesar de não ser um sucesso de audiência, também não a vejo como um fracasso, haja vista a boa aceitação nas redes sociais e tópicos em blogs e sites, a crítica positiva, e sem falar que por mais baixo que sejam os números a novela cumpriu o papel de elevar a audiência do horário em quase 4 pontos, enfim, espero que os números cresçam e deem um up na média geral da novela, mas de qualquer modo será sempre um prazer acompanhar a trama, tem sido o melhor momento do meu dia ultimamente hehe. Não entendo os critérios de quem não gosta para julgar a novela ruim, não consigo ver nada passível de crítica em Sangue Bom.

Abraços

Barbie Californiana disse...

Anovela é ótima mesmo, Sérgio, parece até novela das 9. ;] beijins

eder ribeiro disse...

Sérgio, do pouco q vi de Sangue bom, destaco a complexidade das personagens e das ótimas interpretações dos atores. Abçs.

Paty Michele disse...

Poxa, Sérgio, faz tempo que não assisto Sangue Bom, mas pelo que vc relatou, aconteceu tanta coisa boa...
Vou dar uma olhadinha hj!
rsrs

Um beijo.

Neli Souza disse...

Sergio, gosto demais de Sangue Bom. Enumerar as razões seria difícil, mas em primeiro lugar vem o texto. Leve, divertido, crítico, inteligente.É o grande diferencial da novela.E ainda há o elenco afinadíssimo, talentoso. Ter um bom texto e atores que o interpretem bem é um luxo.Foi o caso da hilariante cena de ontem em que a carente Damáris pede ao sentimental Lucindo que leia a pequena sereia pra ela dormir,uma sutil crítica ao sadismo das histórias infantis.Joaquim Lopes e Mariza Orth sobraram, deram show. Some-se a isso, uma trilha sonora apaixonante e apropriadíssima - o 'Zoião' pro Fabinho;'Vagalumes' pra Giane;'De janeiro a janeiro' Bento&Amora;'Açucena' Malu e por aí vai.Plasticamente tudo é bonito e colorido: o universo da Acácia Amarela, da Toca do Saci, além das casas, como a do Bento.A direção é da maior competência.Inesquecível a apresentação da personagem Irene:quase não houve palavras por desnecessárias,mas a estátua viva na praça e depois a ida pra aquela casa dela ,o gato, os livros, foi magistral.Aliás, Irene é uma personagem muito interessante.São personagens nada esteriotipados.Por mais que Fabinho seja um clássico vilão,Bento um clássico mocinho/herói, há neles traços incomuns aos arquétipos, muito contemporâneos embora originais e peculiares.Enfim,temos uma trama com autoria e digitais.Os autores selecionaram e combinaram traços de caráter e personalidade muito diferentes dos que as novelas,em geral, nos apresentam.Irene é um exemplo de sensibilidade voltada pra arte meio à margem do sistema, como o Bento, empresário com suas flores e seu amor pelas ruas e espaços públicos.Já me estendi demais .Desculpe.Mas é que vejo tantas qualidades nesta produção, que tenho de me segurar pra não tomar demais seu espaço.Não vejo a novela com rejeição. Muitas pessoas veem pelo site.Aliás, esta aferição de audiência precisa ser revista depois da integração TV internet.Bjs

Narinha disse...

Sou fã de primeira hora de Sangue Bom.E de carteirinha.Até da abertura. Confesso que quando li no início que era uma Malhação mais sofisticada,discordei em altos brados.
Como você apontou,Sergio, e alguns dos seus comentaristas também, o texto faz toda a diferença. Perfeito para o horário, discute o que se propõe o ter X o ser sem pedagogismos fáceis, sem lição de moral.E com muito humor.
São poucos os pontos fracos de alguns personagens ,núcleos ou atores.Nem vale mencionar.
Só sei que Ioná Magalhães me emociona a cada cena.Com Marisa Orth rio muito.
Não quero que a novela chegue ao fim.É muito bom,a cada noite, ter um encontro marcado com tantos personagens que aprendi a amar .
Beijo Sérgio.

Mary disse...

quase não tenho acompanhado sangue bom, apenas alguns trechos, li sobre o começo com gás total e os problemas que se seguiram, fico feliz em saber que a novela, mesmo ñ dando tanta audiência quanto o esperado, está agradando no horário, na minha época áurea de noveleira da globo, o horário das 7 era um dos meus preferidos.. beijos mil e ótimo final de semana amigo..

Sérgio Santos disse...

Bruno, eu também sou fã da Damáris. Ela é genial! A novela toda é muito bacana e também lamento a rejeição, não merece. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Thallys, vc sabe que eu sempre gostei da novela, porém, nas semanas iniciais foi difícil se empolgar porque, como eu cheguei a citar, era muita apresentação para pouco desenvolvimento. Nada acontecia, tanto que Giane só foi crescer e Fabinho começou a atuar de fato recentemente.

Eu fui fã de Guerra dos Sexos, embora tenha reconhecido no início que ela apresentava suas falhas (corrigidas posteriormente por Silvio).

Eu sou fã de Sangue Bom e Amor à Vida igualmente. Acho as duas excelentes e, por enquanto, não opto por uma melhor. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Carlos (sumido), o problema é que quem não acompanha a trama acha mesmo esse samba do crioulo doido que vc citou. Talvez por isso quem não viu a novela desde o início não se sinta interessado em acompanhar.

Também discordo sobre o elenco, porque acho ótimo em sua maioria. Essas cenas que vc citou como cópias, na verdade são uma deliciosa metalinguagem que os autores usam e abusam. Me divirto.

Não acho a Bárbara Ellen esquecível e fiquei feliz em ver a Giulia Gam sendo valorizada após tantos papéis sem grande importância. Abraços!!!

Sérgio Santos disse...

Celina, eu observo que a novela ganhou o público adolescente. O adulto não se empolgou muito. bjs

Sérgio Santos disse...

Eu também acho sensacional, jhwz! Abçsss

Sérgio Santos disse...

Pois é, Regina, acho que o fato do sexteto ser uma turma de adolescentes acabou afastando o público adulto. Mas eu adoro a novela. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Jaciara, já falei aqui várias vezes que eu não tenho nada contra a Fernanda Vasconcellos, muito pelo contrário, a acho uma simpatia e tenho elogiado sua atuação. Porém, como também já disse, acho Malu parecida com suas mocinhas anteriores (inclusive na situação envolvendo namorado da irmã) e as frases moralistas dela, a mim, soam extremamente enjoativas.

E já disse também que sei que ela tem sua complexidade, só acho bem menos 'rica' do que Giane/Fabinho/Amora.
Aliás, no Twiter, muitos talifãs extremados da Fernanda vem me acusar de não gostar dela. Mas, é aquilo, se para provar que eu gosto dela terei que escrever um texto elogiando a Malu, com certeza não provarei isso mesmo.

Vc amava a Nina e eu também amava, mas muita gente odiava justamente porque ela manipulava pessoas inocentes e deixava a ética de lado para enfrentar Carminha. Esse tipo de personagem gera muitas divisões entre o público. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Ju, obrigado. A declaração foi muito bonita, vale a pena ver mesmo. bjssss

Sérgio Santos disse...

Lulu, a personagem cresceu, mas como citei no texto, foi um crescimento tímido. Ainda acho que ela não aparece como deveria. bjs

Sérgio Santos disse...

Poxa, Raquel, vc deveria ver Amor à Vida. Tá tão boa!

Sangue Bom me conquistou desde as chamadas e só me desanimei depois que vi que os conflitos não se desenvolviam. Depois que os autores iniciaram a trama de fato, virei fã de carteirinha. Texto, elenco, personagens, tudo é muito bacana.

Realmente isso de ter e ser não é lá muito bem retratado. Talvez só Amora exiba isso quando não quer deixar seus luxos de lado em prol de um amor. Vejo mais o meio midiático sendo abordado como condutor central.

Espero que os autores não deixem tudo pra última hora. Odeio correria. Beijos!!!

Sérgio Santos disse...

Eu também sempre gostei da novela, Rafael, mas as semanas iniciais cansaram. Escreveria de novo o texto criticando o marasmo e os núcleos que não saiam do lugar. Parecia um prólogo demorado. Mas depois que começou, pronto, ficou excelente.

Gosto de todos os personagens citados por você. E a Louise Cardoso está muito mal aproveitada.

Bem, sobre aumentar o ibope, nós já falamos sobre isso. Ia acontecer independente da novela, até porque dar menos ibope que Lado a Lado e Guerra dos Sexos é quase impossível. Eu também acho que merecia ter o mesmo desempenho que Cheias de Charme teve. Sempre acho lamentável quando uma produção de qualidade não recebe o valor que merece.

Lado a Lado também era elogiadíssma pela crítica e citada no Twitter e em blogs, mas mesmo assim foi considerada um fracasso. E citação em Twitter nem sempre significa muita coisa. Dona Xepa, por exemplo tá todo dia liderando os TTs.

E também não consigo enxergar motivos para criticarem essa novela. Tem tudo que uma novela das sete precisa. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Barbie, não acho que pareça novela das nove. Ela tem cara de novela das sete mesmo. rs bjsss

Sérgio Santos disse...

Eder, destacou muito bem! Abraços.

Sérgio Santos disse...

Poxa, Paty, vc tava gostando tanto da novela... Ela tá muito boa. bjssss

Sérgio Santos disse...

Neli, não se desculpe por escrever demais. Adorei seu comentário e assino embaixo de tudo. Só discordo sobre o Fabinho, porque não o considero um clássico vilão, pelo contrário, vejo nele traços que diferem disso. A novela não tem rejeição em críticas, mas infelizmente tem na audiência. Hoje, por exemplo, a novela das seis (embora também esteja longe da meta) deu mais ibope que a das sete. Não é normal isso.

Eu ainda tenho um pouco de esperança que o ibope suba pelo menos mais um pouco. A novela merece. Beijos!!!!!

Sérgio Santos disse...

Também sou fã, Narinha! A novela é muito gostosa. Yoná Magalhães está espetacular e Marisa tá hilária. Realmente o texto é inspirado e os personagens são quase todos ótimos. Nem fiz questão de citar o fraquíssimo Romulo Arantes Neto como um ponto negativo porque o personagem é interessante. A escalação é que foi triste.

E eu também não quero que acabe. Até porque na próxima, embora tenha a ótima Juliana Paiva, terá o Thiago Rodrigues substituindo o Fiuk, ou seja, o seis substituiu o meia dúzia... Bjssss

Sérgio Santos disse...

Mary, obrigado pelo seu comentário. Tava sumida. bjssss

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sangue Bom cativou mais o público adolescente e jovem do que o adulto, porque fala de sentimentos comuns àquelas faixas etárias. Enquanto os núcleos dos personagens mais maduros não são tão atraentes.
Gosto do visual e da trilha sonora da novela.

GustavoGM disse...

Sangue Bom é de longe a melhor novela no ar atualmente. A trama é divertida, empolgante, muito bem amarrada e com um texto maravilhoso( Vê se aprende a escrever diálogos seu Walcyr...)

Bárbara Ellen e Amarylis já eram o destaque desde o início, mas agora a Tina tb entrou nesse meio. Além é claro dos protagonistas principalmente Amora, Fabinho e Giane.

Na parte dramática ponto para a trama da grande Yoná Magalhães que estava apagada mas agora está vindo com tudo emocionando muito à todos.

Os outros personagens destacados por vc realmente estão indo muito bem.

Só tenho três pontos para criticar:

1- A Irene está me irritando horrores! Ô personagem mala. Bondosa demais, ingênua demais, fraca demais ou como diz a Bárbara Ellen e a Amora um legitima SONGA-MONGA. Adorei a cena em que a Bárbara encontra ela em casa e joga na cara dela que ela abandonou o filho e nem ao menos deu a oportunidade dele viver com o pai. A personagem é muito HIPÓCRITA!!! Fez uma burrada gigante e depois fica apontando o dedo na cara dos outros. Ela junto com o Plínio então...

2- Outra história que está beirando o ridículo e a da Verônica. Cê jura que dois autores tão talentosos estão escrevendo isso. Aposto que foi o estagiário. O que salva nessa trama é a química incrível dos dois atores. Só torço para que quando o Érico descobrir td não faça piti entenda a Verônica( se é que tem alguma coisa para ser entendida na atitude retardada dela) e os dois fiquem junto logo.

3- Concordo com vc o ator que interpreta o Filipinho é muito ruim. Sem contar que nunca entendi aquele vídeo dele. Era para ser engraçado?

Rafael Barbosa disse...

Não sei Sérgio, não acho que qualquer novela teria o mesmo desempenho que Sangue Bom está tendo, pois Sangue Bom começou praticamente com o msm desempenho que GDS, se não me engano e depois foi subindo, e eu espero que suba mais. Mesmo assim eu vejo como mérito, ela ter elevado a audiência do horário. Eu acho que esse negocio de estipular uma meta terá que ser revisto, ou reduzid o número exigido, pois cada vez mais fica mais difícil uma novela bater a meta, mesmo fenômenos como Cheias de Charme e Avenida Brasil, que foram bem mais repercussão, ficaram apenas na meta, e por pouco não ficaram por baixo. Sou do time que acredita que o sucesso de uma novela deve ser medido de várias formas hoje em dia, não só o número de televisores ligados em SP. Mesmo não sendo fã de Lado a Lado e ter tido minhas ressalvas com a trama, concordo que merecia ter tido uma audiência maior. Também acho que Twitter não determina audiência, sucesso ou insucesso de uma novela, mas é ótimo pra ver como as novelas são vistas por parte do público, como um termômetro mesmo.

Demian disse...

Eu havia desistido de acompanhar Sangue Bom... Vou ver se volto a assistir depois desse seu post... A novela é divertida, ok, tem personagens bons e atuações perfeitas, mas não via a história acontecer, se desenvolver. A novela "fala" de que, especificamente, qual a trama principal dela? A exposição, o mundo das subcelebridades, a mídia??? Eu não conseguia enxergar o que movia a história...

Sérgio Santos disse...

Exatamente, Elvira. Também percebo ue o público adulto realmente não foi conquistado. Por mais que a novela esteja longe de ser uma Malhação, a escalação de seis protagonistas jovens acabou deixando o telespectador adulto sem interesse nos conflitos adolescentes. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Gustavo, acho Sangue Bom e Amor à Vida excelentes novelas e sou fã das duas.

Olha, realmente essa eterna cara de vítima da Irene cansa mesmo, embora Debora Evelyn esteja excelente. Também vejo hipocrisia na personagem. Aliás, esse tipo de personagem sempre me cansou.

Apesar de gostar dos conflitos envolvendo Érico e Verônica, concordo com você: realmente a situação em si é bem boboca. Já tá começando a ficar cansativo esse 'medo' dela em ser descoberta, como se estivesse cometendo algum crime.

Pois é, parecia mesmo que era pra ser engraçado, mas não foi. Só os personagens da novela riram. Achei aquilo bem idiota. Abraços.

Sérgio Santos disse...

É, Rafael, isso aí de meta tá precisando ser revisto mesmo. E a média nacional teria que virar oficial, não a de SP. Tudo bem, é a capital que mais gera investimento no país, mas ainda assim, a média nacional seria mais justa. E nem sempre sucesso implica em um ibope altíssimo mesmo, tem razão. Vide a A Vida da Gente, que foi um fiasco no ibope, mas tinha uma gigantesca repercussão, a ponto dessas revistas que sempre colocam na capa matérias sobre tramas das nove, terem colado matérias sobre a novela das seis. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Demian, no início a novela não saia do lugar mesmo e fiz questão de criticar isso. Cansava muito. Mas agora começou mesmo. Sobre o tema, realmente é confuso. Não há um fio central, e talvez seja um dos problemas. Ás vezes parece que o meio midiático é o protagonista, outras que o tal o ser e o ter, mas sempre varia... abçsss

Jaciara Rocha disse...

Tudo bem, Sérgio..Não sou nenhuma talifã da Fernanda..rs! A Nina realmente era diferente das típicas mocinhas, mas vc via humanidade nela (as conversas dela com a Lucinda, o amor dela pelas crianças, ela realmente se importava cm a família do Tufão..etc), ela era bem diferente da Amora..Acho que falta isso, falta a gente ver um outro lado dela, porque por enquanto, eu só vejo seu lado arrogante, cruel e manipulador..Não só com a Malu, mas com todos que cercam ela..com exceção do Bento e do Maurício..Um abraço!

Sérgio Santos disse...

Que bom, Jaciara. rs Eu também via muita humanidade nela, mas parte do público tinha um ódio até inexplicável. Vejo humanidade na Amora também, mas ela só mostra quando está fragilizada, o que é raro. Acredito que esse outro lado dela vá ser liberado aos poucos, assim como o do Fabinho. bjsss

jhwz2011 disse...

Fico curioso em todas cenas que tem essas tiradas engraçadas se ela é improviso do ator ou do próprio texto mesmo?

Na cena do DNA amanha saiu ha algum tempo no Extra que Plínio dará um tapa na cara de Fabinho e o chamará de verme mas pelo que apareceu no site quem da o tapa em Fabinho será Barbara e Plínio não o chama de verme pelo menos é o que parece na noticia espero que passe porque seria forte demais mas a cena seria melhor, mais interessante e épica se ele der tapa e o chame de verme

Sérgio Santos disse...

Acho que depende, às vezes é improviso, mas muita coisa creio que é do texto mesmo.

As cenas que resultaram do falso DNA foram excelentes. Humberto Carrão deu um show. Abçs

jhwz2011 disse...

Verdade e a cena teve o tapa do Plínio sim agora nao percebi se Plinio o chamou de verme, só teve o da Barbara também, então foi melhor ainda a cena, e a cena do parapeito não havia saído em nenhum lugar me surpreendi com a cena menos com a interpretação magistral do Carrão que eu já esperava

Sérgio Santos disse...

Humberto deu um banho no capítulo. Grandes cenas. Aliás, Giulia Gam, Herson Capri e Débora Evelyn também brilharam. abçs

jhwz2011 disse...

Esqueci dizer que sou carrezete rsrsrs, adoro sou ganezetes (Giulia Gam), yonazetes (Yoná Magalhaes),

Sérgio Santos disse...

Imaginei. Vai gostar do post novo, então.

jhwz2011 disse...

Adorei estava em duvida se ia fazer um post mas o Carrao te fez mudar de idéia com o show dele, só falta dancar melhor ou foi de proposito a cena?

Sérgio Santos disse...

Acho que foi proposital.