terça-feira, 13 de agosto de 2013

Valdirene, Carlito, Márcia e Atílio: o divertido e talentoso quarteto de "Amor à Vida"

Os atores costumam dizer que é muito mais difícil fazer rir do que chorar. Mas a verdade é que a dificuldade está tanto na comicidade quanto no drama. Entretanto, em se tratando de novela das nove, pode-se dizer que a dificuldade em fazer rir é realmente muito maior. Os núcleos cômicos do horário nobre não costumam ter vida fácil, vide os praieiros de "Fina Estampa" e o Cadinho e suas mulheres de "Avenida Brasil", só para citar exemplos relativamente recentes. Em "Salve Jorge", somente Maria Vanúbia e Pescoço deram certo, os demais personagens do núcleo do Complexo do Alemão (incluindo Diva e suas fofocas) que teoricamente eram para divertir não funcionaram e foram rejeitados pelo público. Porém, em "Amor à Vida", contrariando essa 'lógica', o núcleo cômico é justamente um dos pontos altos da trama de Walcyr Carrasco.


Valdirene (Tatá Werneck), Carlito (Anderson Di Rizzi), Márcia (Elizabeth Savalla) e Atílio/Gentil (Luis Melo) formam um impecável quarteto. No início da novela, havia apenas a ótima dupla formada pela ex-chacrete e sua filha; porém, com o tempo, o filho de Denizard (Fúlvio Stefanini) foi se aproximando até ser totalmente 'inserido' na família. E após a primeira perda de memória do amigo de César (Antônio Fagundes), foi a vez de Atílio entrar para a trupe.

Ao longo dos capítulos, os quatro foram ficando cada vez mais entrosados e acabaram formando uma família. Família essa que vive protagonizando brigas impagáveis. A periguete é apaixonada por Carlito, que é apaixonado por ela; mas ambos vivem discutindo porque Márcia não desistiu de fazer a filha se casar com um milionário. Já Atílio recuperou sua memória e agora tem consciência de que se casou com
outra mulher mesmo sendo casado, o que é crime. Chantageado por Félix (Mateus Solano), o ricaço agora resolveu ficar com as duas famílias. Entretanto, tem ficado claro que ele gosta bem mais de estar com a ex-chacrete.

Embora consiga abordar dramas e temas mais pesados com competência, Walcyr Carrasco sempre foi um mestre no humor e todas as suas novelas costumam ser marcadas por um núcleo cômico forte. Sua estreia no horário nobre apenas comprovou essa sua característica. E o autor está sabendo conduzir muito bem a trama do quarteto. Seu único equívoco foi insistir na perda de memória do Atílio, o que acabou deixando a situação fantasiosa demais. Porém, com a recuperação definitiva da consciência do administrador, o erro conseguiu ser consertado bem antes da metade da novela.

E ainda que alguns tenham considerado a situação envolvendo a Valdirene e suas conquistas repetitiva, a verdade é que o humor do texto e a desenvoltura da Tatá Werneck faziam com que todas as trapalhadas da periguete ficassem divertidas, evitando qualquer tipo de esgotamento. Mas agora a personagem está em outra fase e cada vez mais envolvida com Carlito. Ou seja, novos rumos que servirão para tirá-la da mesmice. E de acordo com a sinopse, a garota viraria evangélica, entretanto, devido ao sucesso alcançado pelo carisma da filha de Márcia, o autor tem tudo para desistir da ideia.

Obviamente, que além dos divertidos e apaixonantes personagens, é preciso elogiar o excelente trabalho dos atores. Elizabeth Savalla é uma das atrizes preferidas do Walcyr e está emplacando sua sétima novela com ele. Tem sido um prazer ver uma profissional talentosa como essa se destacando no horário nobre, vivendo a batalhadora e muitas vezes contraditória Márcia. Só é pena que o autor seja o único responsável pela escalação e valorização da atriz nos últimos anos ---- ele, aliás, já a presenteou com inúmeros bons papéis. Anderson Di Rizzi e Tatá Werneck formam um cativante casal e a dupla têm sido a responsável pelos melhores momentos cômicos da trama. Vale até destacar o momento em que ambos discutem com Félix, após a morte de Nicole (Marina Ruy Barbosa). Foram cenas muito divertidas. Já Luis Melo tem brilhado ao viver um tipo que exigiu dele uma espécie de dupla personalidade na época da perda de memória. O ator conseguiu imprimir características totalmente distintas para Gentil, que o fez ser um tipo mais rude e grosseiro em comparação ao Atílio. E Luis esbanjou talento nos dois perfis. Mas agora, ao que tudo indica, ele ficará como Atílio mesmo até o final da trama, deixando seu outro 'lado' adormecido.

O núcleo composto pelo quarteto atrapalhado tem feito um merecido sucesso. Todos os personagens foram rapidamente aceitos e os atores vêm colecionando elogios desde a estreia de "Amor à Vida". Ainda que tenham seus momentos de emoção ---- demonstrando o talento do grupo também para o drama ----, Valdirene, Carlito, Márcia e Atílio são os responsáveis pelo alívio cômico em uma trama recheada de histórias fortes e intensas. Walcyr Carrasco acertou tanto na trama do quarteto, quando na escalação dos atores e construção dos personagens. Tem sido cada vez mais divertido acompanhar o desenvolvimento dessa nada harmoniosa família. Resta torcer para que continue assim até o último capítulo.

50 comentários:

✿ chica disse...

Esse quarteto tá muito legal, cada um fazendo sua parte. Marcia perfeita, Tatá idem...E as cenas de restaurante dela? Hilárias... Muito bom! abração,chica

Bell disse...

Adoro as atrapalhadas deles.. rs

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Concordo que o quarteto traz um alívio cômico à trama, mas as cenas apresentam altos e baixos. Os bordões usados por Valdirene e Marcia cansaram. Carlito é tolerante demais com tantos insultos feitos por mãe e filha. Também não gostei das repetidas perdas de memória do Atílio. Mas os atores estão muito bem.

Adriana Helena disse...

Bom dia querido amigo Sérgio!
Mas que bom saber que não só eu achava esse quarteto o melhor núcleo da novela!! rsrs
Confesso que só estou assistindo mais por eles, pois adoro as brincadeiras e a inserção do "Gentil" "Atílio" à família! Ficou muito bom mesmo!

Ah, e por favor, não desanime em relação aos abdominais amigo! Demora muito, mas os resultados vão aparecer tá? Fica tranquilo!
Beijos e uma semana maravilhosa!!

Felisberto Junior disse...

Olá!Boa tarde
Sérgio
é verdade, fazer rir é mais difícil do que fazer chorar.Mas sou da opinião de que é aí que a gente vê quem é um ator/atriz de verdade, aqueles que realmente atuam com excelência e em todos os sentidos da palavra – e que, às vezes, nunca chegará a ter o devido reconhecimento.Gosto muito da Tata e do Luis Melo.
Bela análise!
Obrigado
Bela terça feira
Abração

Barbie Californiana disse...

Eles estão roubando a cena... adoro a Valdirene... hahahaa beijos

Aline V. disse...

Tenho que concordar com tudo o que você disse. Minhas cenas preferidas são desse núcleo e do Félix. E como você mesmo citou, as cenas em que o Carlito estava de DJ na casa do Félix foram hilárias, além de eu ter rido muito durante a exibição, confesso que quis ver novamente na globo.com. Rs. "Flex" "cafonão", genial. Realmente, a parte da Valdirene ficar correndo atrás dos milionários famosos estava repetitivo, apesar de gostar das trapalhadas da dela, mas é sempre bom mostrar um pouco mais de profundidade nos personagens. Sinto falta de mais história no núcleo da Patrícia e da Perséfone. Toda vez que elas entram em cena já sabemos o assunto....

Clau disse...

Oi Sérgio!
Esse quarteto é realmente excelente.
As poucas vezes que assisto,me divirto ao vê-los em cena.
Como sempre teu poste tá formidável!
Bjs!!

Rosa Branca disse...

excelente - muito divertido, e é o que procuro na Tv, informação é necessária sim, mais diversão é essencial rss - e agora que o Atilio sabe que ele é quem é, rs, ficou muito melhor, e acho que ele vai dar mais valor para Marcia.

Van disse...

Oi Sergio

Eu também adoro esses quatro, dão leveza à novela. Luis Melo e Elizabeth Savalla já era de esperar que brilhassem, são veteranos e muito bons. Tatá Werneck já é unanimidade nem entra mais em discussão, agora o Anderson Di Rizzi, esse me encanta, perfeito no personagem, com aquela carinha de cachorro que caiu do caminhão de mudança, dá vontade de "estar levando pra casa". Valdirene que fique esperta! Rsrsrs

Brincadeiras à parte os 4 são realmente muito talentosos e deram muito certo juntos, e o Anderson como é novidade na TV está surpreendendo no seu terceiro trabalho, o primeiro que lhe deu destaque.

Beijos

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Percebo que este núcleo cômico tem crescido na novela e a cada dia ocupa mais espaço no desenrolar da trama. Luis Melo tem mesmo demonstrado grande talento em seu duplo papel, pois as características de Atílio e Gentil são bem distintas. Estou gostando e me divertindo com as trapalhadas deste desastrado quarteto.

Beijo.

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Olá amigo, eu adoroooooo esse quarteto, eles tem ganhado mais e mais espaço e a Valdirene arrasa, até o Atílio que parecia sem graça no inicio já me conquistou como Gentil, adoro! Aplausos p todos eles! Abraçosss

A viajante disse...

Essa novela tem altos e baixos. Mais baixos que altos... mas quando esse quarteto aparece, não há como não gostar das cenas... adoro!!

eder ribeiro disse...

Sérgio, aplausos para ti qdo vc menciona q o único autor q escala a Savalla é o Walcir. Os grandes responsáveis pelo sucesso do núcleo cômico da excelente novela é os atores encarnando personagens críveis. Eu acharia interessante ver a Tatá, com toda a sua comocidade, interpretando uma evangélica e sem perde a periguetice... seria hilário. Valeu. Abçs.

Filha do Rei disse...

Sérgio, divirto-me com eles. São exagerados, mas sem serem chatos e irritantes. Isto td é talento.
Tenha uma ótima noite. Bjs

Demian disse...

Sérgio, gosto demais desse núcleo. Sei que tem muita gente que implica com os bordões "Você é burra, Valdirene?" "Não, mãezoca, eu sou inteligência pura..." por achar que elas repetem a toda hora. Mas eu acho ótimo esse bordão e não me importo que seja repetido, até porque a entonação delas não é a mesma a cada vez que é dito, depende da situação. Mudando de assunto (ou quase) eu acho a atriz que faz a Vega muito forçada... Você conhecia o trabalho de Cristiane Tricerri antes, o que ela já havia feito em TV que eu não me lembro dela? Abçs

Smareis disse...

Olá Sérgio,Boa noite!

Que quarteto esse, me divirto com eles. Sabe que não via essa novela, mas agora vejo quase todos os dias, rsrs. Eles são talento só, além de super engraçados. A Elizabeth Savalla dá dando um banho de interpretação.

Que sua semana seja de muitas energias positivas muitas paz e muita luz.
Um abraço!

Luma Rosa disse...

Oi, Sérgio!!
Um pecado se a Valdirene se tornasse evangélica! Acho engraçado ela não saber andar de salto alto e andar com as pernas abertas, quase com o queixo no chão!! Se ela casar com o milionário, teremos mais um triângulo amoroso na novela. Você já fez a soma de quantos tem? :)
Boa semana!!
Beijus,

MARILENE disse...

No começo, não estava gostando muito. Mas eles foram crescendo e acabei me divertindo com as atrapalhadas de Valdirene e suas conversas com a mãe. Esse núcleo está ótimo e você, como sempre, fez uma avaliação correta e fundamentada. Bjs.

Pedro Bertoldi disse...

Oi, Sérgio!
Hoje eu não estou matando aula para ler o blog (tem período livre)!
Amor à Vida tem uma trama central muito densa. Mortes, desencontros, relações familiares em atrito... É necessário um "refresco", e esse quarteto cumpre com sua missão com maestria! A Elisabeth Savalla, como bem disse, é valorizada só pelo Walcyr, que aliás nos presenteia em suas novelas com Fúlvio Stefanini, Fernanda Machado, Anderson de Rizzi, Genésio de Barros, Luíz Melo. É uma pena que ultimamente só ele tem feito isso. Fina Estampa, por mim, nem precisava ter núcleo cômico, a história era uma palhaçada só, tanto que debochou da inteligência do público no último capítulo. Avenida Brasil deixou saudades em muitas coisas e principalmente da turma do Divino e as piadas perfeitas, Salve Jorge foi queimada pelo dragão, e Amor à Vida é a novela que me prende em frente à televisão, gosto de quase tudo, só acho o Caio Castro com a mesma expressão facial de sempre. Bruno (Malhação), Edgard (TiTiTi), Antenor (Fina Estampa) a agora o médico, que eu não lembro nome, são iguais na atuação, é bem canastrão!
Enfim, esse núcleo é muito bom, tem química, entrosamento, e o principal:comicidade! Vida longa ao núcleo!
Abraços, querido! Meu período livre acabou :-(!

Pedro Bertoldi disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Milene Lima disse...

Por que será que os outros atores não convocam a Savalla? Ela é mesmo incrível.

Gosto também do quarteto. O "vou estar fazendo" do Palhaço é uma delícia. Às vezes acho a Valdirene meio exagerada, mesmo pra um personagem de comédia, mas no geral gosto muito. Mas quem em arranca gargalhadas nessa novela é o "Flex" com suas tiradas geniais.

A Patrícia e a Perséfone acho que nem precisam decorar texto, ne´? Todo santo dia a mesmíssima coisa.

Beijo, Sérgio.

Rita disse...

Realmente Serginho esse quarteto levanta a alegria da novela, apesar da Marcia falar alto e gesticular muito, mas é o papel dela e eles estão de parabéns, cada um com seu jeito eu gosto de ver.....
os outros personagens estão indo.....
Bjuss com carinho
___________Rita!!!!

Sérgio Santos disse...

Chica, também adorei as cenas do restaurante. Hilárias. bjssss

Sérgio Santos disse...

Idem, Bell. rs bjsss

Sérgio Santos disse...

Ah, Elvira, eu discordo. Só vejo altos. E eu acho o bordão da dupla ótimo. O Walcyr ouviu as críticas aos bordões do Félix e agora cancelou os antigos, criando só expressões novas, porém, fico feliz que ele tenha mantido o da Márcia e Valdirene.

E o Carlito é bobão mesmo, mas elas ofendem mas dá pra ver que gostam dele.

Os quatro são ótimos e merecem o espaço que estão tendo. bjssss

Sérgio Santos disse...

Eu também adoro o núcleo, Adriana. Walcyr é fera no humor, sempre foi.

Olha, convenhamos que exercício é chato pra caramba. Não tenho essa sua disposição, mas tenho seguido, juro. rs bjsssss

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado, Felis. Fazer rir é difícil mesmo, principalmente no horário nobre. Mas o núcleo está perfeito. abraços.

Sérgio Santos disse...

Estão mesmo, Barbie. Como não amar? rs bj

Sérgio Santos disse...

Aline, sabe que fiz o mesmo? Depois eu fiz questão de ver a cena da festa na Globo.com. Foi engraçado demais. O núcleo merece o destaque que vem tendo.

É verdade, a trama da Patrícia e Perséfone fica cansativa, mas eu gosto das duas personagens e das atrizes. Creio que a volta do Márcio Garcia vá movimentar a trama. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado pelo carinho, Clau. bjão!

Sérgio Santos disse...

É verdade, Paty. Rir é sempre bom, ainda mais numa trama tão pesada como essa. Sim, agora que Atílio já sabe de tudo, o núcleo ficou ainda melhor. bjsss

Sérgio Santos disse...

Oi Van. Assino embaixo do seu comentário e nos elogios. O quarteto está em perfeita sintonia e isso é visível. Quem ganha é o público. bjssss

Sérgio Santos disse...

É verdade, Vera. E há tanto tempo que o Luis Melo tão tinha um destaque merecido em uma novela. Tem valido a pena ver e rir. Bjsss

Sérgio Santos disse...

Isso, Kellen! Difícil não gostar deles. Aliás, eu gosto do Atílio e do Gentil, e também do Atílio fingindo ser o Gentil rs Mas agora Márcia descobriu tudo e uma nova virada vem aí. bjssss

Sérgio Santos disse...

Ah, Ju, eu discordo. Acho que a novela tem infinitamente mais altos do que baixos. bjssss

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado, Eder. Walcyr é um autor que costuma valorizar ótimos atores e a Savalla é seu xodó. Pena que os outros autores não a escalem, só ele.

Olha, se fosse esse tipo de evangélica, com certeza seria engraçado. Mas vamos ver se o Walcyr vai continuar com essa ideia. abração

Sérgio Santos disse...

Exatamente, Cléu. O exagero é um incremento para o núcleo e não um demérito. bjsss

Sérgio Santos disse...

Eu também adoro o bordão, Demian! Não me incomodo em ser repetido e vc disse muito bem citando as diferentes entonações de voz delas.

Gosto da Cristiane Tircerri, mas não me lembro dela em outros papéis não. Só pesquisando mesmo. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Foi conquistada pela novela, né Smareis? Te entendo perfeitamente. rs

O quarteto é hilário e rende ótimas cenas. bjsss

Sérgio Santos disse...

Pois é, Luma, também espero que ela não vire. Amora o andar de cabrita desengonçada dela e a forma nada educada como ela come. É uma figura. Acho que o milionário é só uma participação porque ele é estéril e ela vai engravidar do Carlito. rs

Olha, não cheguei a contar, não. rsrs Beijossss

Sérgio Santos disse...

Me lembro que vc não gostava muito, Marilene! Mas pelo visto também foi seduzida! rs Muito obrigado pelo carinho. bjssss

Sérgio Santos disse...

Que bom, Pedro. Não me sinto tão responsável! rs

Sim, Fina Estampa era uma desgraça só e Salve Jorge foi um festival de erros. Já Av Brasil deixou saudades e incluo até o rejeitado núcleo Cadinho nisso. Era um dos poucos que gostavam.

Amor à Vida tem uma trama densa que também me prende diante da tv e o núcleo do quarteto é um dos melhores.

Realmente, o Walcyr tem uma panelinha ótima. Acrescento aí a Neusa Maria Faro e a Ana Lucia Torre. Abração! =)

Sérgio Santos disse...

Milene, é um grande mistério pra mim. Não entendo mesmo. Só o Walcyr a valoriza.

Ri muito quando o Carlito chamou o Félix de Fle. rsrs Sou fã dos quatro.

Gosto da Perséfone e da Patrícia, mas as tramas delas cansam mesmo. Acho que a volta do Márcio Garcia vai movimentar. bjssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Rita. A Márcia tem esse jeito espalhafatoso mesmo. Bjssss

Thallys Bruno Almeida disse...

Ótimo artigo, Sérgio.

A Valdirene, toda espalhafatosa e sem noção, se achando mais esperta do que realmente é; e ainda por cima protagonizou uma hilária discussão com o Félix. As cenas dela com o Carlito são maravilhosas, como a ideia de uma "despedida" do capítulo de ontem. Os dois tão mandando muito bem na comédia e no drama.

Mas Elizabeth Savalla e sua Márcia têm sido merecidamente a melhor coisa do núcleo nos últimos capítulos. Especialmente ontem que ela descobriu a vida dupla de Atílio/Gentil após ele ter recuperado a memória e quase foi reconhecida por César. Mais um pouco, entra a Pilar e ela volta a ser integrada ao núcleo principal, onde ela tem participação no parto da Paloma e sabe sobre o roubo da criança. Sua parceria com Luís Melo rendeu cenas emocionantes; além de ele próprio estar recebendo o destaque merecido em AAV e "Cravo" após ser mal-aproveitado em AEA. É uma pena que o Walcyr não permita improvisos do elenco, deixando-os muito presos ao texto. Pena mesmo, porque esses improvisos num núcleo de humor poderiam enriquecer ainda mais. Abçs!

Bete AER disse...

Eu gosto e agora com a cara de pau do Atilio de querer todas as mulheres, vamos ver como vai seguir a historia deles. São atores de primeira.

Sérgio Santos disse...

O núcleo é ótimo e faz um merecido sucesso. Valdirene é impagável mesmo, assim como Carlito.

Savalla e Luis estão merecendo cada cena e cada destaque dado pelo autor. Tem sido muito bom acompanhar.

Também acho que o Walcyr deveria permitir os improvisos e é uma pena que seja tão rígido nisso. Mas eu acho que a Tatá ele deixa dar uma pequena improvisada. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Concordo plenamente, Bete. A volta da memória do Atílio deixou o núcleo ainda melhor. bjs

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.