terça-feira, 20 de agosto de 2013

Paolla Oliveira convence na pele de Paloma, a sofrida mocinha de "Amor à Vida"

Mocinha: a heroína das novelas, dos filmes e das histórias. A mulher que preza a ética, a honestidade e a bondade. Em suma: personagem que tem inúmeras chances de ficar pedante, irritante e cansativa. Interpretar um papel desses não é fácil, ainda mais quando o autor opta por uma mocinha mais tradicional e menos 'maquiavélica' (ao contrário da Nina de "Avenida Brasil" e Amora de "Sangue Bom": exemplos de casos mais recentes que fogem dessa tradicionalidade). Portanto, Paolla Oliveira sabia do risco que corria quando aceitou viver a Paloma de "Amor à Vida".


A protagonista está longe de ser uma santa imaculada, verdade seja dita. Afinal, fugiu com Ninho (Juliano Cazarré), um rapaz que mal conhecia, engravidou dele e ainda se achou no direito de enfrentar a família quando voltou. É mimada e já cometeu várias injustiças com a mãe (Pilar - Susana Vieira) e com seu noivo (Bruno - Malvino Salvador). Porém, apesar de Walcyr Carrasco ter inserido essas características 'humanas', fica claro que Paloma é muito mais voltada para os dramas tracionais de uma mocinha. Teve seu filho roubado assim que nasceu, sofre em quase todos os capítulos, chora muito e ainda passará por muitos percalços.

Ou seja, é um desafio e tanto para qualquer profissional. E após seis novelas no currículo, pode-se dizer que Paolla Oliveira está enfrentando esse desafio da melhor forma possível. A atriz tem conseguido convencer em
todas as difíceis sequências da personagem e tem demonstrado segurança no papel. Ela sabe 'explodir' e se conter nas horas certas, dominando os sentimentos da sua sofrida mocinha.

O momento em que a personagem sabe que sua filha foi roubada, no início da novela, exigiu muito da atriz, que correspondeu plenamente. Mais recentemente, o telespectador pôde ver Paloma constatando (graças a Bruno, que guardou a echarpe dela) que Paulinha é mesmo sua filha. Novamente foi possível ver a emoção transmitida por Paolla, que protagonizou uma ótima cena. E o sequestro de Paulinha ocorrido nas últimas semanas, além de proporcionar um clima de tensão na trama central, ainda evidenciou a química entre o casal protagonista.

Bruno e Paloma combinam e formam um ótimo casal. Malvino Salvador e Paolla Oliveira estão bem entrosados (já até trabalharam juntos em "O Profeta") e isso fica explicitado para o público. Os dramas enfrentados pela dupla são fortes e fogem de qualquer tipo de fragilidade, como uma crise de ciúmes boba, por exemplo. A trilha sonora que embala os momentos de romance também foi inspirada ---- no início da história era Paula Fernandes cantando "Um ser amor" e atualmente Bruno Mars com "When i was your man". Ou seja, química, entrosamento, trama atraente, conflitos e boa música: um conjunto harmonioso para qualquer bom casal central. O par convence e nem teve como Ninho (Juliano Cazarré) ameaçar a união formando um triângulo amoroso. Paloma já tem seu 'escolhido'.

Paolla começou em "Matemorphoses", o maior fracasso da história da teledramaturgia da Record. No entanto, sua estreia de fato foi em "Belíssima (2005), sucesso de Silvio de Abreu, onde viveu a sensual Giovana. Esse primeiro trabalho na Globo lhe rendeu inúmeros elogios, o que acabou 'colocando' a atriz no posto de protagonista da novela das seis no ano seguinte. Foi a sofrida Sônia, do remake de "O Profeta". Em 2008, Paolla ainda participou do remake de "Ciranda de Pedra", também no horário das seis, vivendo a tenista Letícia. Já em 2009, teve a chance de mostrar uma outra faceta para o público, interpretando Verônica, a grande vilã de "Cama de Gato", outro folhetim das 18h. Até então os elogios eram maiores do que as eventuais críticas. Entretanto, foi em "Insensato Coração" que a atriz caiu em desgraça. Vivendo sua primeira protagonista no horário nobre, Paolla enfrentou uma enxurrada de críticas severas e quase todas merecidas. Ela não convenceu na pele da mocinha, apresentava uma constante cara de vítima e ainda não teve química alguma com Pedro (Eriberto Leão, igualmente fraco), o que transformou o casal no mais odiado da novela. Definitivamente, Marina, além de ser uma personagem naturalmente irritante, não foi bem interpretada, o que acabou despertando a rejeição do público desde o início da obra.

E, após o período difícil enfrentado na trama de Gilberto Braga e Ricardo Linhares, pode-se dizer que a chegada da protagonista de "Amor à Vida" serviu como uma espécie de 'redenção'. Paolla Oliveira tem conseguido mostrar seu talento para os telespectadores, emociona em suas sequências e está especialmente linda nesse trabalho. Com certeza Paloma estará no time de personagens que lhe proporcionaram ótimas cenas; e Walcyr Carrasco fez muito bem em confiar na capacidade de Paolla e acertou ao escalá-la para viver a mocinha de sua primeira novela das nove.

64 comentários:

jhwz2011 disse...

Vc acha que Maria Maya é uma boa atriz ou só tem papéis por causa do pai del Wolf Maya?

✿ chica disse...

Gosto do trabalho dela, embora ache que ela já foi muito chata nesse papel. Certas cenas foram muito chatas com ela, mas, vamos engolindo e esperando que melhore mais, dê mais emoção... abração,chica

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Respeito sua opinião, Sérgio, mas acho oscilante o desempenho de Paolla Oliveira no papel. Ela emociona em algumas cenas, mas em outras deixa a desejar. A personagem também não ajuda, pois, assim como a Marina, de Insensato Coração, não decola. Para mim, suas melhores atuações foram em Belíssima e Cama de Gato.

Ana Ma disse...

Não sou fã de Paolla, mas neste papel ela esta maravilhosamente bem! Sua atuação é muito boa e transparece no olhar o que ela sente,é de uma delicadeza e sutileza ao falar que me deixam mais e mais proxima a personagem!Só assisto por causa da Paloma e do Bruno,espero que eles fiquem juntos o mais breve possivel.Impossivel deixar de elogia-lá .

Lucinha Lima disse...

Linda,é apenas um dos adjetivos, mocinha desde as novelas de 1990 eram muito mais sofridas,as falas eram horriveis, ainda bem que hoje mudou isso! A era é outra,as mocinhas são outras e os roteiros também.Apenas elogios a esta moça,que me emociona,me identifico com ela, pois já fui aventureira em minha vida,quando somos adolescentes fzemos loucuras,e isso prova a nossa personalidade!Paolla sucesso e mais sucesso.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

No início da novela eu não sentia química ente o casal protagonista, mas observo que o entrosamento entre os dois tem se tornado mais interessante, a ponto de convencer acerca do amor que há entre eles.
Paolla está fazendo um ótimo trabalho. Achei interessante a sua colocação inicial a respeito das heroínas das novelas. Você tem razão quando afirma que tais personagens tendem a ficar pedantes e cansativos. É preciso talento do intérprete para que tal situação não se configure.

Gostei de suas bem colocadas considerações.

Ótimo dia.

Beijo.

Pedro Bertoldi disse...

Oi,Sérgio!
A Paolla é outra atriz nessa novela. Deixou a Marina pra trás. Nem sabia que existia essa Metamorphoses, deve ter sido ruim mesmo. Gostava muito dela em Cama de Gato,a Verônica e a novela em si, me parecia coisa de horário nobre. Em Insensato Coração, gostava da Norma, ela merecia ser a protagonista e não a Marina. Palloma é uma personagem muito bem construída,assim como a maioria da novela, e a atriz está convencendo. ÀS vezes acho o Malvino Salvador exagerado, e nas chamadas apesar de achar a história muito boa, quando via o casal protagonista,torcia o nariz.E mordi a língua. Os dois estão muito bem.
Gosto muito da novela!
Abraços, querido!

Paty Michele disse...

Acho que algumas atrizes têm uma mão ruim pra mocinhas, deixando-as sempre chatinhas. rsrrs
Em Insensato Coração o bom mesmo era ver o vilão Léo em ação. Adorava!!!

Acho que os autores poderiam escrever mocinhas menos politicamente corretas, sem ser más. Como a Nina, mesmo.

Um bjão, Sérgio.

A viajante disse...

Concordo em parte, Sérgio. A medicina não tem sido bem referenciada na médica Paloma. Sua personagem, que é médica, praticamente não trabalha... aliás, aquele hospital, mais parece um tribunal de justiça. Só se encontram para resolverem relações amorosas e acordos judiciais, até reunião para leitura de testamento (me poupe) já rolou.... beijo, querido!

Clau disse...

Oi Sérgio,boa tarde \o/
A Paolla Oliveira é lindíssima,
gostei mais da atuação dela como Sônia,do remake de 'O Profeta'.
Em 'Amor à Vida',ela é boa mas não convence.
Bjs!

eder ribeiro disse...

Realmente, Sérgio, a Poala está espetacular no papel. Abçs.

Adriana Helena disse...

Boa tarde Sérgio, meu querido amigo!
Mais um texto que adorei!

Paolla está tão bem no papel! Geralmente as mocinhas sofrem tanto a novela inteira e só no final tem a recompensa por tanto chororô! Mas a personagem Paloma, apesar de sofrer bastante, continua mantendo uma postura de lutadora e não de vítima da situação!
É por isso que estou gostando!
Sem contar que as roupas, a beleza e a elegância da Paolla também contribuem muito para o engrandecimento de sua personagem!!

Arrasa como sempre amigo!!
Beijos e uma semana liiinda!! :))))

Léticia disse...

Boa tarde meu caro Sérgio,

Paolla Oliveira não é uma das minhas atrizes favoritas, mas reconheço que tem feito um bom trabalho em Amor à Vida. Ela ainda não me comoveu o suficiente. Mas ser mocinha ultimamente não tem sido fácil, é quase como tirar leite de pedra, afinal de contas, uma vilã é bem mais rica em nuances que uma mocinha, principalmente as antigas mocinhas clássicas que já ficaram para trás, ainda bem.

Em Lado a Lado tínhamos a Laura (Marjorie Estiano, em um excelente papel)e a Isabel (Camila Pitanga), ambas sofreram horrores, mas a primeira, mesmo sendo uma mocinha, não era chata como a segunda (eu admiro muito a Camila), vai entender...

Mas voltando a Paolla, confesso que ela ainda não me arrebatou, mas me sensibilizou com a cena em que aceita a condição do irmão Félix, mas, ao menos, tem a coragem de aceitar papeis que são difíceis como é o caso da sua Paloma.

Não acompanhei em Ciranda de Pedra, Cama de Gato e nem em Sensato Coração. Mas no caso da última, temos que lembrar que ela caiu de paraquedas na novela, já que Ana Paula Arósio resolveu abandonar tudo e viver num sítio deixando todos sem saber o que fazer. Paolla foi muito corajosa em aceitar o desafio de uma hora para outra, pena que o resultado não foi satisfatório na época. Mas agora tudo isso são águas passadas, a moça tem mostrado seu talento. Acompanhei boa parte da reprise de "O Profeta" e é percebível que melhorou bastante deste então. Ali ela ainda tinha rosto de menina, agora se ver uma bela mulher.

Um abraço e ótima semana...

Luana Rocha disse...

Olá Sérgio.

Eu gosto muito da Paolla, a acho muito bonita e simpática, além de esforçada. Ela foi muito bem em seu primeiro papel como a Giovanna em Belíssima e logo conseguiu galgar o seu lugarzinho no time de protagonistas.

É evidente a evolução que vem apresentando, e ainda considero acho que o seu melhor papel foi como a Verônica em Cama de Gato, mas repare bem que muitos atores e atrizes sempre conseguem seus melhores personagens como vilões.

Fico feliz em saber que o seu nome foi apresentado por Aguinaldo Silva como uma das atrizes com quem ele gostaria de trabalhar em sua próxima novela ( e espero que ele acerte a mão nessa, e não faça uma Fina Estampa 2.0, talento pra isso ele tem) e se isso se concretizar, espero que a Paolla ganhe uma nova vilã, para que ela possa brilhar como fez em Cama de Gato, no horário nobre.





Thallys Bruno Almeida disse...

Ótimo artigo, Sérgio. Ela merece esse reconhecimento. Aliás, pelo que eu reparei, ela só fez novela das 6 e das 9, não chegou a atuar em tramas das 7.

Já a tinha visto em Belíssima, mas comecei a prestar atenção nela em O Profeta. Na mesma hora me encantei pela doçura e pelo rosto dela, praticamente uma princesa. A química dela com o Thiago Fragoso era nítida e rendeu cenas lindas. Mesmo sendo uma típica mocinha sofredora, Sônia era encantadora e ela emocionava em cada sequência. A Letícia de Ciranda de Pedra foi outro ótimo papel e a parceria com o Osmar Prado era maravilhosa.

Acrescento ainda que, mesmo ela já tendo vivido uma personagem sensual em Belíssima, esse lado seria melhor explorado quando ela fez o "Entre Lençois". Impossível resistir a tanta sensualidade, de acelerar corações e deixar todo mundo babando com aquelas curvas.

Em Cama de Gato ela foi simplesmente maravilhosa. A Verônica foi merecidamente um dos maiores pontos positivos, fez cenas excelentes com o Marcos Palmeira e o Carmo Dalla Vecchia, brilhou intensamente de tal forma a ser o seu melhor papel na carreira. Acrescento ainda o ótimo desempenho dela em As Cariocas e Afinal o Que Querem as Mulheres (mesmo essa série sendo uma chatice pretensiosa).

Insensato Coração foi o acidente de percurso. Foi escalada na pressa, pegou uma personagem chatíssima, teve que se preparar na correria, se saiu mal na atuação, não teve química com o Eriberto.. em suma, um conjunto de erros onde não apenas ela, mas todos tiveram culpa nisso.

E essa fraca atuação me deixou inicialmente desconfiado de sua escalação para mais uma mocinha das 9. Porém, essa desconfiança foi se esvaindo ao longo da divulgação das notas da pré-produção da trama e, juntando-se isso com a rejeição à Morena (não tanto à Nanda, mas a personagem) e o o fato de eu ter gostado dela em tudo antes de IC, me permitiu apostar de novo na Paolla pra essa personagem. E a aposta foi certeira.

Paloma é uma personagem difícil. Enfiou o pé na jaca diversas vezes, especialmente quando acusou Bruno de roubar sua filha sem dar-lhe a explicação (e mesmo ele não poderia fazê-lo pra não prejudicar a mãe e a dra Glauce) e chegou a procurar Ninho para tentar fazer a filha se convencer de que este era o pai. Porém, veio o amadurecimento e aos poucos a personagem se tocou das besteiras que aprontou e decidiu conquistar a filha de uma forma mais madura.

A química da Paolla com o Malvino é intensa e as duas músicas couberam como luva nas cenas mais românticas deles (sendo que a do Bruno Mars por enquanto só foi usada em flashbacks). Sem contar que ela tá abusando do direito de ser linda nessa personagem.

Atualmente, considero Paloma o melhor trabalho dela juntamente com a Verônica (CDG) e tô adorando a interpretação da Paolla de tal forma que sua trama é uma das que mais me atrai em AAV, juntamente com a de César, a do Félix, a da Leila/Nicole/Thales e a da Valdirene/Márcia. Ela merece aplausos por estar se saindo tão bem numa mocinha difícil. E que venham mais ótimos papeis pra essa linda. Abçs!

Luana Rocha disse...

Lembrei que a Açucena da maravilhosa Cordel Encantado era para ser interpretado pela Paolla, mas tiraram ela as pressas dessa novela e a jogaram em Insensato Coração. Acredito que ela teria se saído bem melhor em Cordel Encantado.

Anônimo disse...

Desculpe Sérgio mas vou ter que discorda. Sinceramente acho a Paloma um purgante, e mesmo com todo o drama da personagem não da para torcer por ela. Na minha opinião a Paolla é especialista em mocinhas chatas, já tivemos a Sonia e a Marina ( essas eu lembro bem )e agora a Paloma apenas mais uma para aumentar a lista.

Celina Alves disse...

Não sei bem o porquê mas não estou gostando da Paolla nesse papel de Paloma, não me convence, está sempre com a mesma cara. No entanto a conheço pessoalmente e ela é um amor e tem essa mesma cara mesmo rsrs
BjoBjo querido;)
Celina Alves
Luxos e Luxos

Barbie Californiana disse...

Realmente, a Paola está dando um show de interpretação, Sérgio. Estou adorando a novela. beijos

maxxi disse...

Gosto também de Paolla no papel, porém concordo com que disse que ela oscila... Mas a personagem não ajuda, né? Ela ama o Bruno, mas a gente ainda percebe certa desconfiança com seu amado em relação à filha. GOsto de Paloma, mas acho que esse não é ainda seu melhor papel. A diferença é que com a horrível Marina de Insensato Coração, ela relaxou. Aqui, não. Sabe que a personagem tem um potencial, por isso luta incansavelmente para firmar sua mocinha, defendendo-a com unhas e dentes. Quanto ao Malvino, até que eles têm química... O problema do Malvino é que ele faz os papéis sempre iguais... É só ver uma cena do Gabriel de Caras e Bocas que se percebe que ele atua da mesma forma... Mas se tratando de um protagonista tão insosso, não há como mesmo perceber :)

GustavoGM disse...

Coitada da Paolla, depois da ótima vilã de Cama de Gato, pegou dois papéis horríveis. Duas mocinhas do horário nobre chatas pra caramba!

E para piorar, nessa novela atual, ainda tem para atrapalhar o texto horrível do Walcyr e o par romântico inexpressivo.

Fica pra próxima querida. E vê se escolhe um papel melhor. Pq aguentar outra pamonha seguida vai ser dose.

MARILENE disse...

Sergio, não conhecia a trajetória da atriz, mas me lembro de seu fracassado trabalho (rss). Não é a primeira que passa por uma situação assim e se levanta, mostrando talento. Gosto dela no papel da "mocinha". A cena que mencionou, da echarpe, foi muito boa e convenceu, realmente. Bjs.

jhwz2011 disse...

Verônica foi a unica vilã de Paolla Oliveira? se foi então ela parece ser melhor como vila do que como mocinha, assim com Sophie Charlotte mas não significa que não saibam fazer mocinhas mas fazem melhor vilas

queminteressa disse...

Ola!

Adorei o blog!

Já acompanho!

Não gosto dessa atriz, acho ela ruim, sem dramaturgia cenica e ainda por cima, de péssimo carater.

Mas enfim, cada um tem uma opinião diferente! Ainda bem.. rs..

Beijos

Luana Mendes disse...

Olá Sérgio! Acredito que a Paolla se dê melhor com vilãs do que com mocinhas, mas é só minha opinião. Além de uma pequena implicância com a atriz (não sei porque, só sei que tenho e pronto hahaha) acredito que o papel de Paloma ficaria perfeito feito pela Ana Paula Arósio, que para mim é a melhor atriz para fazer papéis de quase-louca :)

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Amigo eu vou concordar com a sua leitora Elvira, lá em cima kkk acho que ela oscila, tem momentos muito bons e outros nem tanto, assim como o Malvino, que em muitos momentos é totalmente Malvino em atuação teatral, não convence, agora a Alejandra, é péssima atriz, não convence mesmo, não a mim, kkk Abraçossss

Sissym Mascarenhas disse...

Sérgio,

É bem verdade que as "mocinhas" podem cansar, preferimos sempre as que se destacam seja pelo lado comico, seja pela acidez ou agilidade. O jeito de falar de Paolla é sempre o mesmo, tal como a novela O Profeta. Porém, existem muitas pessoas como a Paloma. Que podem ter dado algumas cabeçadas (Nino), mas que são íntegras. Eu gosto dela, do par romantico, das musicas deles e diante de tantas maldades neste mundo, e tambem na novela (traiçoes), me sinto bem ve-la em cena com o Malvino.

Beijos

Filha do Rei disse...

Sérgio, sempre achei que as mocinhas é um desafio maior do que as vilãs. Sendo vilã pode-se ir ao exagero, mas no caso das mocinhas: o exagero mata.A Paola ainda não me convenceu:não consigo ter uma reação diante das personagens que ela defende como atriz. Na minha análise ela não cresce, não fico ansiosa para assistir as cenas em que ela aparece, sinto-me indiferente.Mas td pode mudar :)
Bjs

Sérgio Santos disse...

Jhwz, a acho uma boa atriz, embora nada de incrível. E ela já trabalhou com o Walcyr em Chocolate com Pimenta, que não era dirigida pelo Wolf.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, chica. bjssss

Sérgio Santos disse...

Elvira, sem problemas, também respeito sua concepção. Mas acho sem sentido comparar Paloma com aquela insuportável da Marina, cuja única trama era um relacionamento amoroso cansativo com um personagem igualmente irritante. Em Cama de Gato ela foi ótima. bjsss

Sérgio Santos disse...

Ana, obrigado pelo comentário. Eu critiquei muito a Paolla em Insensato Coração, mas a elogio muito agora porque vejo que ela tá mt bem. O casal é ótimo msm. bjs

Sérgio Santos disse...

Lucinha, vc tem razão. Antigamente as falas das mocinhas eram extremamente piegas. Não que agora não sejam, mas melhorou muito. bjs

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado pelo carinho, Vera. O casal agrada porque, além da química, há uma trama sólida e bem amarrada os envolvendo. Isso ajuda e muito. bjsss

Sérgio Santos disse...

Oi Pedro. Também não vi essa novela e nem teve final, de tão fracassada que foi.

Norma e Tia Neném eram os grandes pontos positivos de Insensato Coração. Nem do Léo eu gostava muito. Da Marina então...

Mas agora Paolla tá mt bem e forma um ótimo casal com o Malvino. Abração.

Sérgio Santos disse...

Paty, eu gostava da Norma e da Tia Neném. Do Léo só gostei quando ele falou a clássica frase "Pronto, morri!". Tirando isso... Sim, esse tipo de mocinha politicamente incorreta é o melhor. bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Ju. O hospital é apenas o pano de fundo para os conflitos dos personagens. Acho que para passar os conflitos da medicina em tempo integral já tem o Manoel Carlos. Mas respeito sua visão. bj

Sérgio Santos disse...

Oi Clau. Também gostei muito da Sônia. Como sofreu... Bjão!

Sérgio Santos disse...

É verdade, Eder. abç

Sérgio Santos disse...

Adriana, obrigado pelo seu carinho de sempre! =)

Não reparo muito nas roupas da Paloma, mas ela tá sempre linda mesmo. E é verdade, apesar de chorar muito, ela não fica deitada no canto. Beijos!!!

Sérgio Santos disse...

Olá, minha cara Letícia! Ela também não é uma das minhas favoritas, não. Mas, com exceção de IC, havia gostado de todos os seus trabalhos.

Ana Paula Arósio foi anti-profissional em recusar o papel em cima da hora, mas imagino que ela deve ter detestado o tipo, afinal, era muito mal construído msm.

A cena da Paloma compreendendo o Félix foi a melhor da personagem até então. A hora em que ela debocha foi melhor ainda.

Sem dúvida é uma mocinha complicada, embora mais consistente do que a anterior. E há muito tempo que a mocinha virou o grande pesadelo das atrizes. Beijão!

Sérgio Santos disse...

Ou Luana. Também gosto mt dela. Evoluiu a olhos vistos mesmo. Olha, só espero que o Aguinaldo faça uma boa novela. Pq as últimas não foram nada animadoras.

Acho que Paolla faria uma Açucena muito melhor que Bianca Bin. Aliás, acredito que ela deve ter se arrependido da troca. Beijos!!!!

Sérgio Santos disse...

É verdade, Thallys, até agora ela não fez uma trama das sete. No filme Entre Lençóis, ela e o Gianecchini fizeram uma excelente parceria.

Não citei essa série "Afinal..." porque vi pouco, já que detestei o início. As Cariocas eu a achei regular.

Também acho que Paloma pode ser considerada um dos seus melhores desempenhos até então ao lado da Verônica, que foi uma ótima vilã.

Ela merece o reconhecimento mesmo e fiz questão de escrever esse texto pra ela. Abçs

Sérgio Santos disse...

Anônimo, sem problemas. Respeito vc não gostar da atuação dela e nem da personagem. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Vc a conhece pessoalmente, Celina? Bacana. Bem, se ela tem a mesma cara é porque é linda desse jeito mesmo. rs bjssss

Sérgio Santos disse...

Eu também, Barbie. bjssss

Sérgio Santos disse...

Oi Maxxi. É até normal ela desconfiar, afinal, a garota foi parar nos braços dele e ainda teve o DNA adulterado. Mas dá pra ver que ela está mais confiante nele e o sequestro da Paulinha os uniu ainda mais.

O Malvino não é um grande ator mesmo, mas pelo menos não tem comprometido e forma um bom par com ela. Gosto das cenas dele com a filha. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Gustavo, obrigado pelo comentário. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Como esquecer, né Marilene? Mas agora ela tá muito bem. A cena da echarpe foi emocionante mesmo. bjssss

Sérgio Santos disse...

Foi sim, jhwz. A única até então. Espero que deem outras pra ela. Porém, a Sophie está maravilhosa como Amora (que não considero vilã), mas errou muito como a Sthefany de Ti ti ti. Ficou forçada e artificial, parecia vilã de história infantil.

Sérgio Santos disse...

"Queminteressa", que bom que gostou do blog. Bem vindo. Discordo da sua opinião, mas sei do que vc está falando. abçs

Sérgio Santos disse...

Oi Luana. Olha, ela só fez uma vilã, mas foi muito bem. Tomara que venham outras.

E implicância é assim mesmo, não tem explicação. Também tenho as minhas, não se iluda. rsrs

Nunca achei a Ana Paula Arósio essa grande atriz que pintavam. Não era péssima, mas via muita teatralidade nela que atrapalhava suas personagens. Beijão!

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen! Sem problemas! rs Eu tô achando a Maria Maya bem, embora não a ache uma atriz incrível. rs bjssss

Sérgio Santos disse...

Oi Sissym. Pois é, mocinha caem fácil na figura do ser pedante e chato, por isso é tão difícil. Mas Paloma foi bem construída pelo autor e está sendo bem interpretada pela atriz. E, sim, há muitas Palomas por aí. bjssss

Sérgio Santos disse...

Exato, Cléu. O exagero no vilão às vezes dá pra aceitar, mas na mocinha nunca.
Respeito sua concepção sobre a atriz. ;) bjão!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Maxxi e Kelly Bittencourt, obrigada pelo reforço. Também acho oscilantes os desempenhos de Malvino Salvador e Maria Maya.
Sérgio, concordo que as melhores cenas do Malvino são com Klara Castanho. Não gostei da Marina, assim como não consigo sentir empatia pela Paloma. Talvez o perfil das personagens não ajude, talvez seja devido à discutível atuação da Paolla.

Anônimo disse...

Impossivel não se emocionar com a Paloma -Paolla Oliveira. A insensibilidade esta em quem assiste ,não em que dá vida a Paloma, sofro junto com os dramas da Paloma, porque muita das vezes é tão injusto.Walcyr errou ao transformar ela em uma vilã quando a mesma se recusou a escutar o Bruno ...mas todas as cenas ela demonstra no olhar sofrimento,alegria...Gente parem de critica-lá pela vida pessoal, e venhamos e convenhamos que Paloma é uma mocinha ótima ! Pq as outras que passaram antes de AAV, sem comentarios.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sérgio Santos disse...

Elvira, hoje a Maria Maya fez uma excelente cena com o Juliano Cazarré e com Neusa Maria Faro. Foi bacana. A relação do Bruno com a Paulinha é muito bonita. Sim, talvez a atuação da Paolla ajude vc a não gostar tanto das personagens. bjssss

Sérgio Santos disse...

Anônimo, mas o Walcyr não a transformou em vilã. O problema foi que a acusação dela despertou raiva no público, o que era compreensível. Porém, a certeza dela também era compreensível, afinal, são muitas 'coincidências'. Mas Paolla tá muito bem mesmo. abçs

Nicole disse...

Amo a Paolla, adorei o texto!
Acho ela uma ótima atriz e me emociona no papel de Paloma, que mãe no lugar dela não teria a mesma atitude? Passar 12 anos sem ter ao menos uma foto pra lembrar de sua filha, viver na incerteza sem saber se sua filha está viva ou morta, se está com saúde, se está sendo maltratada por bandidos.. então ela descobre que a filha estava ali mais perto do que ela imaginava, que ela teve a filha nos braços e amamentou sem saber que se tratava de sua filha.. eu teria feito pior..
Enfim, não gostava muito da Marina, mas amei ela como Giovana, Letícia, Verônica, Paula, Cate.. Pra mim é uma excelente profissional!
Sergio parabéns pelo blog, bjs *-*

Sérgio Santos disse...

Concordo, Nicole. A reação dela foi perfeitamente compreensível, embora tenha gerada raiva no público porque todos sabem da inocência de Bruno.

Odiava a Marina e não gostei da Paolla no papel. Foi muito fraca. Mas considero uma exceção. E agora ela só comprova isso. bjs e que bom que gostou do blog.

Vanessa disse...

Sérgio, meu querido,
Só agora consegui vir aqui com calma pra comentar sobre o desempenho da Paolla Oliveira em "AAV".

Confesso, nunca gostei da atriz. Achei seu trabalho fraquíssimo em "O Projeta" e em "Insensato Coração". As outras novelas não vi, por isso, sempre tive a imagem da Paolla como Sônia e Marina. E esse foi um dos pontos para eu não me empolgar com "AAV".

Mas mordi a língua, reconheço. rs. Embora ache que a Paolla escorregue algumas vezes, tenho gostado muito do trabalho dela, a ponto de encabeçar o único núcleo que me interessa na trama. Na verdade, o único que tenho visto nas últimas semanas. A novela, de um modo geral, me cansou. E, pelo que li dos próximos caps, a tendência é 'mexicanizar' de vez. Passo! rs

Achava também a Paloma uma personagem rica, por vezes complexa. Mas, ultimamente virou uma mocinha mexicana demais. E achei que perdeu espaço na trama. Aliás, o núcleo central perdeu força. O Bruno só aparece em função da Paloma, que, por sua vez, ficou preterida diante das histórias do Félix, Valdirene.. Ás vezes, até esquecemos que a Paloma e o Bruno são os protagonistas!

Beijos, querido.

Vanessa



Vanessa disse...

Esqueci de comentar...

Pra mim, a tarefa mais difícil de uma atriz é defender uma mocinha. Poucas conseguem ter a aprovação do público, muito mais aberto a aplaudir as vilãs. Claro que uma mocinha bem construída ajuda, por isso, o trabalho do autor também é fundamental.

Uma das nossas colegas usou como exemplo as protagonistas de "LAL". Achei a citação pertinente. Laura e Isabel sofreram muito na última novela das seis. A Camila, porém, apesar da gde atriz que é, não conseguiu fazer sua Isabel cair nas graças do povo, diferente da Marjorie, que fez uma Laura apaixonante.

Quis trazer as duas para lembrar que nem sempre a atriz tem relação com o sucesso de uma mocinha. Ela pode ser acima da média, como a Camila, mas nem sempre convence, faz o público criar torcida. Não é por acaso que muitas ficam marcadas por fazer tantas mocinhas, afinal, não é fácil encontrar atrizes que consigam defendê-las. E que autor/diretor quer ter uma mocinha que não emplaque, não é?

Beijos, Vanessa.