sábado, 12 de julho de 2014

Com um final surpreendente, "Segunda Dama" abre brecha para uma ótima segunda temporada

A série escrita e protagonizada por Heloísa Périssé ---- que também contou com a ajuda no roteiro de Paula Amaral e Isabel Muniz ---- terminou nesta quinta-feira (10/07). Com supervisão de texto de João Emanuel Carneiro e dirigida por Rogério Gomes, "Segunda Dama" começou repleta de todos os clichês dramatúrgicos que envolvem a história de irmãs gêmeas, mas chegou ao fim surpreendendo o telespectador.


A história de Marali e Analu foi muito bem construída e apresentada ao público aos poucos. Embora o primeiro episódio tenha deixado clara toda a trama da série, ao longo dos episódios foi possível observar que o passado das irmãs explicava toda a intensão da troca de identidade do presente. No início, não havia ficado clara a razão de Analu, a irmã rica e esnobe, ter proposto para Marali, a irmã pobre e ignorante, a inversão momentânea de papéis; entretanto, depois foi possível detectar a razão da vilã: assassinar a mãe de seu marido (interpretada magistralmente por Laura Cardoso, em uma participação especial), para que ele, como único herdeiro, passasse para a esposa todos os seus bens.

A grande virada da trama foi justamente quando Analu, vestida de Marali, empurra a senhora de cadeira de rodas em uma cachoeira, com o intuito de se livrar da inimiga, transformar Paulo Hélio (Dan Stulbach) no herdeiro e ainda incriminar a irmã gêmea, se livrando de qualquer suspeita, unindo o 'útil ao agradável'.
E o plano teria dado certo se Marali não tivesse se envolvido afetivamente com o marido da irmã. Graças ao romance, o homem, que desenvolveu um agudo transtorno obsessivo compulsivo por causa da quantidade de remédios que sua mulher o fazia tomar, desconfiou de toda aquela história, investigou tudo e desmascarou Analu no penúltimo episódio, em uma das melhores cenas da série.

Já o último episódio encerrou a primeira temporada de forma surpreendente, abrindo brecha para uma segunda. Isso porque após tentar matar Paulo Hélio e escapar da polícia fazendo sua irmã refém, Analu revelou para Marali que ela tinha planejado a morte do irmão caçula, deixando a gêmea boa em estado de choque, ocasionando um acidente. A Kombi onde ambas estavam caiu de um penhasco. Teoricamente, Analu não sobreviveu e Marali escapou, indo morar com Paulo, curtindo uma merecida felicidade. Seria um lindo final feliz, se a última cena não revelasse que na verdade a sobrevivente tinha sido a gêmea má. Porém, ao que tudo indica, Marali está viva. Ou seja, uma possível continuação não está descartada e se ocorrer será ainda mais interessante, pois abordará o retorno de uma irmã para se vingar e desmascarar a outra.

Apesar de todos os clichês e das caricaturas (todos os personagens tinham tintas fortes), a trama foi ótima de se acompanhar e prendeu atenção em todos os episódios. Vale destacar também o elenco, onde Dan Stulbach fez mais um bom trabalho, tendo, inclusive química com sua parceira Heloísa Périssé. Heloísa, por sua vez, novamente comprovou que tem talento para a comédia e para o drama. A atriz brilhou na pele da espalhafatosa e engraçada Marali e soube também imprimir um tom dramático e debochado muito interessante em Analu. Já Elizângela (Edineia, melhor amiga de Marali), Zezeh Barbosa e Carolina Pismel (as hilárias empregadas Ditinha e Ceição) foram outros bons nomes da produção e conseguiram se destacar quando apareciam. Pena que José Loreto tenha se repetido (seu Kaíke era a cópia do Darkson, de "Avenida Brasil") e João Pedro Zappa (Gregório) tenha deixado a desejar, sendo as exceções do bom escalado time.

"Segunda Dama" não foi uma produção de encher os olhos e nem inesquecível, mas com certeza foi uma série que conseguiu divertir, entreter e apresentar uma boa história para o telespectador, onde o drama e a comédia se misturaram de uma forma mais escrachada e o desfecho fugiu do óbvio, surpreendendo o telespectador com um fim para lá de inesperado.

25 comentários:

✿ chica disse...

Sérgio, dos poucos programas que consegui ver, gostei! Ela trabalha muito bem,adoro! abração,chica

Lulu on the Sky disse...

Só assisti um pedaço, mas não curto muito a Heloísa Perissé.
big beijos

Thallys Bruno Almeida disse...

Confesso que não vi a série toda. Não é ruim, longe disso, apenas não despertou a atenção que eu esperava. Vi o primeiro episódio e alguns trechos isolados.

E nesses trechos destaco o final de ontem e a virada onde Analu mata a personagem da Laura Cardoso (essa mestra).

Das atuações, gostei de Heloísa Perissé, Elizângela, Zezeh Barbosa e Dan Stulbach. Do Loreto ñ posso falar pq não vi mta coisa dele, mas o Zappa foi péssimo msm.

Espero que, caso haja mesmo uma segunda temporada, ela me conquiste mais. Muito embora eu ache que das estreias de Abril nada se comparou ao Tá No Ar.

Amanda Ventura disse...

Gostei da série, apesar de da falta de originalidade da trama, dos personagens, da abertura (muito parecida com a de A Favorita, inclusive no tango eletrônico). Mas a série divertiu e prendeu a atenção, sem maiores pretensões.

Admiro Heloisa Perissé como atriz e como roteirista, e foi uma boa surpresa ver Hélio de La Peña numa atuação diferente dos personagens do Casseta. Enfim, valeu, e terminou com um bom gancho para a segunda temporada.

Anônimo disse...

Achei mt ruim com exceção do final que realmente surpreendeu. Mas se não fosse por isso seria descartável.

Barbie Californiana disse...

Caramba, vi quase todos os episódios, mas perdi o final... Caramba, nem acredito, Sérgio! hahaa beijos

Felisberto Junior disse...

Olá,Boa noite, Sérgio
ixi, só estou aqui lendo a sua bela análise, porque, realmente, não assisti nenhum episódio de "Segunda Dama" e confesso que mais porque , não gosto da Heloísa Perissé!
Obrigado pelo carinho, belo domingo,abraços!

Barbie Californiana disse...

Sérgio, tinha esquecido de mencionar, mas você acertou o desafio dinâmico e ganhou a premiação de 3 anos do blog. Para receber seu prêmio, envie um e-mail para barbiecaliforniana@gmail.com. beijinhos e parabéns!!!

Anônimo disse...

Sérgio, vc viu que o Thiago Fragoso curtiu e compartilhou seu post no Facebook falando dos 3 anos de estreia de O Astro? Ele gosta do teu blog!

Anônimo disse...

Esse sergio é um robô, um humanoide? Que ser é esse que assiste tudo que tem na tv? Não faz outra coisa na vida? Quem com mais de 16 anos ainda vê malhação? Quem dá importância a esses programas bobos feito segunda dama? E ate antes de começar uma novela ele já escreve texto, se empolga. Esse sergio é desse planeta?

Ana Carolina disse...

Eu fiquei surpresa com o final. Não esperava. E deve ter sido coisa do João Emanoel mesmo. Mas não é original pq numa novela mexicana já teve esse desfecho da gêmea má se dar bem no fim e da boa morrer.

Anônimo disse...

Realmente o Zé Loreto tava a cópia do Darkson!

Filha do Rei disse...

Sérgio olhei a poucos episódios,mas pelo que vi também gostei.

Saudade em "andar" aqui pelo teu cantinho.Tenha uma abençoada semana! bjs

Sérgio Santos disse...

Tb gosto dela, Chica. bjs

Sérgio Santos disse...

Ok, Lulu.

Sérgio Santos disse...

Mas o Tá no ar não é série, Thallys, é um humorístico, então nem tem como comparar. E foi a grande surpresa desse início de ano no quesito humor. Segunda Dama começou razoável, mas foi ficando interessante.

Sérgio Santos disse...

Amanda, tb gostei da série. E realmente a abertura era uma cópia de A Favorita. Até cheguei a comentar no Twitter na época. E tinha mt clichê msm e caricaturas. Mas foi uma boa série e o final valeu a pena. Surpreendeu mt. bjs

Sérgio Santos disse...

Tudo bem, anônimo. Mas se o final fosse tradicional realmente o saldo não seria tão positivo.

Sérgio Santos disse...

Ganhei, Barbie? Que bom, nunca ganho nada. rs bjs

Sérgio Santos disse...

É mesmo, Felis, lembro que vc chegou a dizer uma vez que não gostava dela. Abçs

Sérgio Santos disse...

Vi, sim, anônimo. Fiquei feliz que o Thiago tenha gostado. abçs

Sérgio Santos disse...

Talvez eu seja um alienígena, anônimo. Mas e vc? Acho que não é lá mt normal pra acessar às duas da manhã de um sábado um blog que detesta pra fazer um comentário besta desses.

Sérgio Santos disse...

Ana, é verdade, apesar de fugir do clichê, não é original. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Tava mesmo, anônimo. O personagem era parecido mas ele tb não se preocupou em fazer nenhuma mudança.

Sérgio Santos disse...

Oi Cléu. Tava com saudades tb. bjs