terça-feira, 17 de setembro de 2013

Patrícia e Michel: o casal repetitivo de "Amor à Vida"

Nada pior em uma novela do que repetição. Personagens ou núcleos que não saem do lugar e repetem exaustivamente a mesma situação cansam o telespectador e acabam irritando todas vezes em que aparecem. É exatamente isso que está acontecendo com Patrícia (Maria Casadevall) e Michel (Caio Castro) em "Amor à Vida".


No início da novela, a história de Patrícia parecia atraente. Logo após ter se casado com Guto (Márcio Garcia), a mulher flagra o marido a traindo em plena lua de mel. Traumatizada com a situação, a secretária pede divórcio e passa a dar em cima todos os homens para se vingar da 'classe masculina'. Mas o encontro com Michel acabou sendo um empecilho para essa sua retomada. A atração falou mais alto e o casal passou a transar inúmeras vezes e, involuntariamente, a relação acabou virando uma espécie de namoro, por mais que ambos negassem essa condição.

Entretanto, o que era até interessante no início, acabou ficando extremamente cansativo. O casal perdeu a função na história e o jogo de gato e rato já esgotou todos os recursos. E, para piorar, a trama que os envolve atualmente é simplesmente transar em vários locais diferentes porque o ex-marido de Patrícia voltou a
morar com ela. Aliás, a entrada de Silvia (Carol Castro), esposa de Michel, e o retorno de Guto ajudaram a movimentar um pouco o núcleo, porém, nem eles conseguiram tirar o contexto da mesmice.

Walcyr Carrasco, inclusive, está conseguindo desvencilhar um pouco a excelente personagem de Carol Castro das idas e vindas do casal. Depois de se envolver na defesa de Bruno (Malvino Salvador) e nos embates familiares de Félix (Mateus Solano) com sua família, a advogada agora descobriu um nódulo no seio. O autor irá tratar do câncer de mama e a atriz ganhará mais destaque. Ainda em relação aos personagens que servem (iam) de 'escada' para Patrícia/Michel, é bom também elogiar o novo rumo de Perséfone (Fabiana Karla). Se antes ela só se preocupava em ouvir os conselhos da amiga para perder a virgindade, agora a enfermeira resolveu desistir dessa obsessão e aos poucos tem se envolvido -- sem perceber -- com Daniel (Rodrigo Andrade). Os dois, inclusive, formam um ótimo casal.

Ou seja, até os personagens que viviam praticamente em função do casal que transa a toda hora estão tendo suas respectivas histórias desenvolvidas. Já Patrícia e Michel continuam protagonizando cenas repetitivas e que já estão mais do que desgastadas. Não há fôlego que resista a conflitos que se resumem exclusivamente ao sexo, ainda que a atriz envolvida seja talentosa.

Afinal, é bom ressaltar que Maria Casadevall é uma grata revelação e que está ótima na novela. Após ter feito uma rápida participação na péssima minissérie "Lara com Z", a atriz ganhou sua primeira personagem de destaque e está mostrando que veio para ficar. A Globo inclusive planeja assinar contrato longo com ela, merecidamente. Já Caio Castro continua fraco e se mostra um ator limitado. Difícil ver alguma diferença na sua interpretação se for comparar com os tipos vividos por ele em "Malhação", "Ti ti ti" e "Fina Estampa". Tem sido 'útil' apenas para agradar o público feminino em cenas sem camisa e até pelado, às vezes.

Patrícia e Michel ---- que enfrentam uma nova crise, dessa vez por causa da doença de Silvia ----, formam um casal que esbanja química e isso não há como contestar. Entretanto, a falta de um contexto atraente, o fraco desempenho do ator, a repetição da trama e o excesso de cenas gratuitas de sexo acabaram transformando a dupla no grande ponto negativo de "Amor à Vida".

66 comentários:

eder ribeiro disse...

Sérgio, concordo plenamente com você. Abçs.

Thallys Bruno Almeida disse...

De longe a pior coisa de Amor à Vida, Sérgio. Fui um dos primeiros a me cansar dessa trama e a coisa toda só piorou ao longo do tempo. Patrícia é o tipo de mulher totalmente vulgar, que não se valoriza. E Michel é um completo arremedo de pessoa. Babaca, pretensioso, machista, um pulha.

A Maria Casadevall nem tem muito o que fazer presa a um contexto repetitivo ao extremo e Caio Castro, bem... só chama atenção por aquilo mesmo. Aquelas cenas do Michel nu foram de um mau gosto sem precedentes, só pra ele se exibir. E nem a volta do Márcio Garcia tem qualquer função naquilo.

Mas a personagem da Carol Castro é a mais afetada. Ela vinha num interessante conflito quando Bruno e Paloma ainda estavam brigados por causa da menina, mas conforme estes foram se entendendo, ela acabou sendo jogada nesse núcleo e servindo de escada para Patrícia e Michel. Felizmente, Walcyr a presenteará com uma trama própria (abordagem do câncer de mama). A Carol merece muito ter na novela o mesmo destaque que teve na Dança. Quanto a Perséfone, não morro de amores, mas só de ter largado a obsessão em perder a virgindade, já vale MUITO. Gostei da cena dela expulsando os dois folgados de casa e de sua integração ao núcleo da Linda (Bruna Linzmeyer).

Se alguma vez esse casal tinha o objetivo de deixar o público com inveja e babando pelos atores, falharam miseravelmente. Tanto que eu até perdi a "atração" que sentia pela Maria Casadevall por causa desse excesso. E quanto ao talento dela, ainda quero vê-la em um personagem melhor no futuro, já que no Lara Com Z ela era figurantíssima. Pra mim sua melhor cena foi ainda na primeira semana, descobrindo a traição do Guto.

Cena sensual por cena sensual, prefiro infinitamente as poucas cenas mais quentes da Paloma com o Bruno. Bom gosto, sensualidade na dose certa, são inseridas quando se realmente é necessário, isso sem falar na diferença entre as duas atrizes (a Casadevall é bonita, mas Paolla tá uns vááááários níveis acima nesse sentido).

No fim das contas, Michel e Patrícia são o grande erro de "Amor à Vida" e lamento que se perca tempo demais com eles. Abçs!

Celina Alves disse...

Oiii Sérgio, concordo com tudo o que vc falou, tá cansativo e chato esse casal, quando aparece a cena dos dois eu páro de assistir e volto aos meus afazeres até a próxima cena.
BjoBjo querido;)
Celina Alves
Luxos e Luxos

F Silva disse...

Sérgio concordo com a tua crítica em relação a esse casal, o Carrasco tem errado a mão...
Agora, a única coisa de que discordo é sobre o Caio Castro.
Ele é bom ator, deu conta do recado como o Bruno (Malhação) e como o Edgar (TiTiTi), foi sua melhor atuação, batendo um bolão com a ótima Isis Valverde (a Marcela).
Já como Antenor (Fina Estampa) esteve bem no início, porém se perdeu no caminho como toda aquela novela.

Não há como negar que o rapaz é talentoso. Só precisa de um bom papel e ser melhor dirigido.

Anônimo disse...

Aquele Caio Castro só faz novelas porque tem um pistolão lá dentro, no caso o Wolf Maia. Péssimo! Essa novela também já encheu, aquele Félix que era a única coisa boa já virou uma caricatura de si mesmo, infelizmente. Enfim, é mais uma novelinha que será esquecida depois do seu término.

Carlos disse...

Estão algumas pessoas achando que você foi ao Projac gravar uma participação em Sangue Bom para ser o suposto sabotador que saiu no Extra

✿ chica disse...

Esse casal não precisava ter aparecido NUNCA na trama. São nojentos, tarados e asquerosos!Além de trabalharem mal são tri chatos e NINGUÉM mais aguenta! Ontem adorei a SURRA,rs Merecida.Faltou mais um pouco pra ficar ainda melhor,rs

Boazinha,né? abração,lindo dia! chica

Pedro Bertoldi disse...

Oi, Sérgio.
Que casalzinho mais irritante. Eles tem química, mas o texto e atuação do Caio Castro (engolido pela Maria),não ajudam muito.
A Perséfone e o irmão da Linda tão formando um par bonito.
E o que foi a descoberta da traíção do Cézar, ontem? Perfeito.
Desculpa te corrigir, Sérgio...Mas a Patrícia não é médica, é secretária.
Abraços!

MARILENE disse...

Concordo, plenamente, com você. O que, no início da novela, era até engraçado, ficou cansativo e chato. E essa conduta de um médico utilizar o apartamento onde reside uma mulher, para encontros, é ridícula. Pena, porque a atriz é talentosa. Bjs.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, concordo que o casal Patrícia e Michel praticamente não tem trama, e as situações são repetitivas. Parece que têm o intuito de polemizar e/ou de alavancar a audiência, porque se imagina que há quem goste de sequências mais apimentadas.
Bom mesmo o autor investir no crescimento dos personagens Sílvia, Perséfone e Daniel.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Maria Casadevall é linda e talentosa, Caio Castro está sempre igual nos papeis.

Letícia disse...

Boa tarde Sérgio, tudo bem?

Realmente o casalzinho já cansou. No início era interessante ver a moça traída que resolveu "passar o roto", mas que fica com o Michel. Acho que seria interessante se a história fosse por um outro caminho, sei lá talvez ainda apaixonada pelo ex, mas que não consegue perdoar e se envolve com o médico, mas surge o ex e embola o meio de campo. Seria interessante.

A relação ali é muito pobre, apenas baseada no sexo, não mostra eles com outros interesses. Outro dia vi uma cena que gostei muito, foi o Pérsio e a Rebeca passeando por uma galeria de arte(tudo bem que era propaganda de um famoso banco, um centro cultural), mas a cena em si foi delicada, um casal se descobrindo. E é um casal que quase não aparece acho muito mais interessante do que Patrícia e Michel. Espero que a entrada do personagem do Márcio e da Carol conseguem mexer este trama, dá mais profundidade ao núcleo, já que a esposa do Michel terá um sério problema de saúde.

Ainda bem que o Walcyr deu uma mudança na história da Perséfone, realmente já estava deprimente. Eu, como expectadora, já me sentia constrangida pela abordagem, estava ridículo, grotesco mesmo. Ainda bem que o autor caiu na real e resolveu amenizar a mão. No início poderia ser até engraçadinho, mas o desespero da personagem para perder a tal virgindade foi muito constrangedor.

Outra coisa que me deixou um tanto decepcionada foi a sequência de cenas da Pilar, César e Aline. O surra ridícula, o perdão fácil demais enfim, achei um fiasco. A cena merecia mais e poderia ter sido mais caprichada. Dificilmente uma mulher perdoaria tão fácil assim, mesmo que haja um perdão depois, isso demora principalmente depois de tantos anos de casamento. A baixa autoestima da personagem ficou evidente, mesmo com todo do botox, cremes e megahair.

Enfim, ainda acho que a novela muito boa, mas, na minha opinião, são temas que poderia ter um desenvolvimento mais interessante.

Um abraço...

Anônimo disse...

Um detalhe, entre Caio Castro e Márcio Garcia, o primeiro que me perdoe, mas o segundo é muito mais interessante e talentoso.

Milene Lima disse...

Isso dela não querer ir pra motel e topar transar em qualquer lugar, é ridículo. Seu texto faz o retrato perfeito.

Beijo, Sérgio.

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Olá amigo, concordo com vc, a atriz é ótima mas a história perdeu força, já o Caio a gente assisti pela beleza rsrs no entanto o romance dos dois perdeu o interesse do telespectador, quer transar vai p o motel, que saco esse negocio de querer quarto emprestado, vai p o motel e pronto, mas a história está tão sem conteudo que o autor inventou essa histórinha de quarto, agora botou um cancer na Silvia p mudar o foco! Afff Abraçosss

Patricia Galis disse...

Bem como disse essa novela parei de ver, mas é uma pena pq no começo falaram tão bem deles, é culpa do autor que não sabe redirecionar as mudanças.

Filha do Rei disse...

Eles são ótimos atores:carismáticos, possuem química.É só esperar que o autor dê boas cenas para eles.
Bjss

Vanessa disse...

Sérgio, meu querido.

Desculpe compartilhar um link aqui no seu blog, mas quero fazê-lo pq enfim encontrei a "tradução" do que acho de "Amor à Vida". rs. O Maurício Stycer foi no ponto: http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2013/09/18/carrasco-aplica-terapia-de-choque-no-espectador-de-amor-a-vida/

Sobre o casal citado, prefiro não comentar. rs. Detesto os dois, no mesmo nível Cadinho (Avenida Brasil) e teatro/Zé Maria (Lado a Lado). rs.

Beijão!

Barbie Californiana disse...

Também acho que a história deles ficou chata, Sérgio e na boa? Acho que teria sido mais interessante se no momento em que ela descobriu que ele era "casado", tivesse separado dele, pois se sujeitar a ficar com um cara enrolado com outra é pior do que ser traída na lua de mel... a posição dela diante de tudo isso não faz sentido... não faz sentido mesmo. beijinhos e tudo de bom.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, eder. abçs

Sérgio Santos disse...

No início eu gostava, Thallys, mas depois encheu o saco. Eu gostei da volta do Guto e acho que o Márcio Garcia tá muito bem. Também acho que Maria Casadevall está ótima e a personagem também é boa, só a situação é cansativa. Caio Castro é péssimo como sempre.

Eu sempre gostei da Perséfone, inclusive das cenas de 'perda' de virgindade. Mas achei ótimo ver o Walcyr a integrando ao núcleo da Linda e formando um belo par dom Daniel. A Silvia também está bem evidenciada e tem se destacado.

Mas esse casal é insuportável. abç

Sérgio Santos disse...

As cenas dos dois cansam msmo, Celina. O ponto fraco da novela. bjssss

Sérgio Santos disse...

R Silva, obrigado. Porém, discordo sobre o Caio. O acho um péssimo ator. E ele tem tido muita sorte porque até agora só pegou papel bom, mas não soube aproveitar nenhum deles. É sempre a mesma interpretação e nem nenhuma nuance. Abçs

Sérgio Santos disse...

Anônimo, também acho o Caio Castro muito limitado, mas discordo sobre Amor à Vida.

Sérgio Santos disse...

É verdade, Carlos, farei também um amante da Amora. Deve aparecer semana que vem.

Sérgio Santos disse...

Chica, também acho o casal inútil e detesto a trama deles. Sobre a sura, concordo, foi ótima! Haja tapa! rs bjsss

Sérgio Santos disse...

Oi Pedro. Casal chato mesmo e cansativo. Maria engole o Caio mesmo em todas as cenas. Perséfone e Daniel formam um lindo casal.

Jura que é secretária? Sem problemas, me corrija sempre que eu errar. Jurava que era médica... abçsssss

Sérgio Santos disse...

Eu nunca achei graça, Marilene, mas a situação não me cansava. Porém, depois foi ficando insuportável. É o ponto negativo da novela. bjssss

Sérgio Santos disse...

Elvira, esse casal é muito chato e não sai do lugar. Precisava escrever sobre isso. Caio tá sempre igual mesmo e Maria é uma ótima revelação. Também gostei do crescimento de Perséfone, Daniel e Silvia. bjsss

Sérgio Santos disse...

Oi Letícia. Tudo indo.

No início realmente a trama parecia interessante, mas se esgotou. Ficou chata e repetitiva. A entrada do Guto serviu pra movimentar o núcleo, mas acabou não resolvendo por enquanto.

O Walcyr é um autor que ouve muito as críticas. Fez bem em mexer na trama da Perséfone e agora a personagem tá perfeita e ainda vai perder a virgindade com um amor de verdade. Bonito.

Sobre a cena da surra, discordo. Achei sensacional! Vanessa, Susana e Fagundes foram geniais e todas as cenas também. Não acho que seja irreal uma mulher perdoar o marido daquele jeito humilhante da Pilar, infelizmente. Tem muita gente assim. E hoje a situação já se inverteu e ele saiu de casa. Ou seja, bem feito pra ela que perdoou tão fácil. Nada tenho a reclamar disso. Beijão!

Sérgio Santos disse...

Também acho o Márcio Garcia mais talentoso. Aliás, não acho o Caio nada talentoso.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Milene! =) bjssss

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen! Perdeu a força mesmo e cansou. Mas eu gostei do autor ter criado esse tumor na Silvia. Fez a personagem crescer. bjs

Sérgio Santos disse...

Patrícia, obrigado pelo comentário. bjs

Sérgio Santos disse...

Cléu, química eles têm, mas discordo que Caio Castro seja talentoso. Carisma ele tem, isso é. Mas o casal é chato e Maria, apesar de boa atriz, não tem muito o que fazer. Bjsss

Sérgio Santos disse...

Sem problema, Vanessa. Li o texto do Stycer, mas discordo. Não acho que a trama tenha sido irreal, muito pelo contrário, e também discordo totalmente de que a novela não tem história. É o que ela mais tem e todas bem entrelaçadas. Mas eu respeito a visão dele porque ele é assim com quase todas as novelas das oito. Bjão

Sérgio Santos disse...

Exato, Barbie. Ela aceitar continuar com ele mesmo depois de saber de tudo foi ridículo, embora tenha mulher que aceite mesmo... Bjsssss

Thairys Moreno disse...

Concordo em grau e gênero Sérgio. Se tornou irritante as cenas protagonizadas pelo casal, exaustante e cansativo, e sinceramente acho que não merecem o destaque na novela dado a eles, não contestando o talento da Maria Casadevall, ela tem sido uma grata surpresa, quanto ao Caio, lindo, mas sem mais atrativos, só serve mesmo para o deleite das mulheres, rsrsrs.

Mas sim, contestando a trama que envolve o casal, as cenas que deveriam ao meu ver ser cômicas, na verdade são ridículas e de mau gosto, um casal que só transa o tempo todo, onde todas as suas conversas só envolvem sexo e a preocupação de um lugar para transar, não existe um envolvimento emocional (tb nem poderia, eles não conversam e não se envolvem um na vida do outro), apenas um tesão incontrolável.

As cenas do casal são pobres, repetitivas e cansativas.
Acho até que se tirassem eles de cena não fariam falta, há histórias mais atraentes na novela que o autor poderia dar mais vazão, como o autismo, o amor proibido entre o palestino e a judia, que com certeza não tem sido bem aproveitados.
Beijos e ótimo restinho de semana!

Anônimo disse...

O casal é sem função e os atores péssimos! Mas concordo que o resto da novela está bom! O autor tinha que sumir com esses dois.

Anônimo disse...

Como você mesmo costuma dizer no Twitter: Todos os núcleos 10000 X 0 Michel e Patrícia. FIM

Francisco disse...

Primeiramente gostaria de te parabenizar pela sua coerência e forma com que trata as produções. Mesmo que goste de alguma novela você faz questão de citar os defeitos ou o que não gosta. Ainda dialoga como poucos, sempre expondo seus argumentos, quase sempre bem embasados.

Sobre esse casal imundo, não tenho muito o que explanar. Um ator péssimo e uma atriz medíocre vivendo cenas que só servem para expor seus corpos nus.

Walcyr está escrevendo uma novela muito interessante, cheia de reviravoltas e os capítulos estão muito bons. Mas essa duplinha aí não dá para digerir. Grande abraço, meu caro.

Carlos disse...

Nossa se deu beem hein, seu sonho de consumo contracenar com a Charlotte rs

Clau disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Clau disse...

Olá,boa tarde \o/
Anda bem que não sou a única que não gosta desse casalzinho 'Patrícia e Michel';eles são a parte mexicana da
novela,pois são repetitivos!
Sérgio,suas observações são sempre bem feitas,pois Maria Casadevall é realmente ótima atriz,e Caio Castro só é bonitinho,mas continua a cara de 'Malhação'.
Bjs!

Demian disse...

Quando Caio fez Ti-ti-ti eu até achei bacana a atuação dele... Depois parece que ele só veio regredindo... Em Fina Estampa, eu constatei o quanto ele era sem sal (mas como a novela toda foi ruim, não comprometeu tanto assim). Agora em Amor à Vida, o cara está tão fraco, que até dá pena da ótima Maria Casadevall, que precisa contracenar com um ator tão limitado... Ela é maravilhosa, tão natural em cena... E ele foooorçado toda vida...
Quanto ao seu post, excelente, como sempre... Walcyr precisa pensar numa reviravolta urgente para esses personagens... O pior da novela, sem dúvida, é esse casal... Sobra química, mas falta história... Abraços...

Anônimo disse...

Casal que nada acrescenta. Excelente crítica. Mas a novela é ótima!

Sérgio Santos disse...

Thairys, concordo com você! Eles têm um destaque excessivo (embora isso tenha sido reduzido, felizmente) e as situações ficam cansativas e forçadas. Já deu, literalmente. rs Amo a novela mas esses dois eu não aguento. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anônimo. abçs

Sérgio Santos disse...

É verdade, anônimo. rs abçs

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado, Francisco. Tento manter minha coerência porque vejo que muita gente não prima pela mesma. E também tento sempre embasar bem meus argumentos.

O casal é insuportável e nada acrescenta. Não acho Maria medíocre, mas respeito sua opinião. Já o Caio eu acho é péssimo mesmo. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Clau, obrigado! =) Não, além de vc muita gente os odeia, acredite. rsrs Beijos!

Sérgio Santos disse...

Demian, em Ti ti ti eu já não gostava dele. Depois constatei que é ator de um tipo só, nada faz de diferente. Maria é infinitamente melhor e é uma pena que tenha que sempre contracenar com ele. Abraços e obrigado!

Sérgio Santos disse...

Verdade, anônimo. abç

Maxxi disse...

Oi Sérgio....

Devo admitir que o Caio está longe de ser um bom ator, embora acredite que ele ainda possa mudar já que tem em mãos sempre excelentes papeis. Acredito em isso, porque ele ainda mostrou certo carisma em Ti ti ti, no qual ele fazia o Edgar e o público torceu para que ele ficasse com a personagem Marcela e também porque outros que achava péssimos atores tais como Marcelo Novaes e Murilo Benício mostraram a veio em recentes atuações.

Eu sinceramente sou um dos que ainda acredita e gosta do núcleo "Michelícia", porém admito que a repetição ultrapassa os níveis e eles não têm mais função, nem mesmo o riso pelo riso. Portanto, o Walcyr necessita com urgência rever esse núcleo antes que ele continue a aborrecer os moralistas e aqueles que somente já se "encheram".

Thallys Bruno Almeida disse...

Sérgio, voltando a Amor à Vida. A Keila Jimenez publicou recentemente que Amor à Vida pode ser esticada até o dia 31 de Janeiro, duas semanas depois do original (17 de Jan); o que acarreta que a trama passa a ter 221 capítulos, contra os originais 209. Se for confirmado, sou 100% contrário.

Lembro que a emissora estaria adotando uma política de novelas mais curtas em todas faixas de horário. Pra se ter uma ideia, Avenida Brasil e Salve Jorge tiveram, ambas, 179 capítulos. Se Amor à Vida tivesse essa mesma quantidade, terminaria fatalmente no meio de Dezembro, perto do Natal e fim de ano, o que prejudicaria seriamente a novela do Maneco já que neste período estão as mais baixas audiências do ano. E se terminasse em Novembro talvez ficasse curta demais pra uma trama das 9.

Portanto, se terminasse em 17 de Janeiro (como antes), mesmo sendo um pouco mais longa, eu ainda entenderia, pois já havia tempo suficiente pra abordar outras tramas que não estão tão em evidência (como a Linda) e outras surgindo agora (o câncer da Sílvia). Mas esticar até dia 31, sendo bem franco, não tem a menor utilidade. Se a novela não tem barriga agora, fatalmente poderá ter se esticarem mais porque 221 capítulos é um pouco demais (ainda mais que a gente criticou muito a longa duração de algumas novelas recentes da rival Record). E torço pra que Walcyr consiga abordar tudo de forma decente. Até porque vc sabe que não sou desses reclamões que criticam tudo que o WC faz. Mas, se não me animar, preferirei esperar a trama do Maneco. Abçs!

Thallys Bruno Almeida disse...

PS: portanto, quero esperar o Walcyr vai se pronunciar sobre isso, já que ele desmentiu muita coisa publicada pelos portais. E torço pra que essa informação de esticamento até 31/Jan tbm seja fake.

Sérgio Santos disse...

Maxxim, carisma o Caio tem ele não tem é talento. Tomara que ele melhore mesmo no futuro porque até agora só decepcionou em tudo o que fez. Achava aquele casal Marcela e Edgar insuportável, apesar do grande desempenho da Isis.

Eu gostava do núcleo no início mas depois me cansei. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Thallys, o Walcyr também já teve que esticar Alma Gemea e Caras e Bocas por causa do sucesso e se deu muito bem. Se tiver que esticar essa, espero que consiga se sair tão bem quanto. Trama pra isso ele tem.

Agora se isso causará barriga ou não, só esperando pra ver. Até agora não teve nada de barriga. Acredito que o Maneco fará uma ótima novela de encerramento e torço pra isso, mas vejo tanta gente depositando imensas expectativas que acho que a chance de frustração é bem grande. Principalmente dos que acham Amor á Vida 'lenta'. abç

Anônimo disse...

Casal chato e atores sem talento.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, anônimo.

Laís disse...

Até concordo em partes com o texto, mas chamar o casal de "o grande ponto negativo de "Amor à Vida" é exagerar demais.

Sim, Caio Castro é um ator fraco ainda. Sim, a época que os dois só transavam ficou cansativa. Porém, você querendo ou não, a dupla faz sucesso SIM. Considero o casal um dos mais populares da novela, com Valdirene e Carlito. São muito mais populares que os próprios mocinhos, conhecidos pelas redes sociais como "casal água de salsicha".

Enfim. Acho que esse tempo longe um do outro será importante pra história deles. Dará um "gás" no núcleo Michel/Patricia/Silvia/Guto.

Em tempo; sim, adoro o casal e a trama proposta pelo Carrasco para eles. A acho original e divertida e achei que a dupla deu super certo.

Parabéns pelo site.

Sérgio Santos disse...

Laís, reconheço que o casal faz sucesso. Nunca neguei isso, mas eu considero mesmo o grande ponto negativo em comparação com os outros núcleos. Ainda mais porque Caio é um péssimo ator e um dos poucos que destoa do grande elenco da novela.

Acho Paloma e Bruno um excelente casal.

Mas respeito que vc goste de Michel e Patrícia, sem problemas. Bjs e obrigado pelo elogio.

Thiciane Diniz. disse...

Maria Casadevall é uma grata revelação nesta novela. Faz tempo que não acompanho Amor à Vida, pois algumas tramas foram ficando muito repetitivas e cansativas, para o meu gosto. Essa era uma delas. Uma pena que o talento da atriz tenha sido tão mal aproveitado. Caio Castro, assim omo você disse, continua fraco e é sim, um ator muito limitado, que sempre se repete em seus trabalhos. É quase como ver um poste em cena, não tem expressão. Márcio Garcia retornou com um personagem que é completamente vazio, sem muito à acrescentar. Já Carol Castro, é bastante talentosa (e já provou antes), uma pena ter sido colocada logo neste núcleo, mas ela pelo menos está tendo seus momentos para brilhar sozinha, e realmente torço para que ela tenha mais sorte no próximo trabalho.

Sérgio Santos disse...

Eu amo Amor à Vida, Thiciane. E gosto de todos os núcleos e acho que todos estão sendo muito bem desenvolvidos. A exceção é esse casal que fiz questão de escrever até pra ser justo também.

Maria é uma excelente revelação, mas não teve sorte: foi escalada pra fazer dupla com um ator que se destaca mais por suas pegações do que por seu trabalho. Ele é fraco mesmo.

Já a Carol está emocionando com o drama da Silvia, inserido por Walcyr, que engrandeceu o papel dela. Beijos!

Anônimo disse...

Não acho só eles, mas essa novela toda cansativa, copiada, repetitiva, sem noção muitas vezes e por aí vai.
Na minha opinião o que tinha para agradar e me chamou atenção pelo que fiquei sabendo antes de começar, o autor estragou.
Não sei o que deu no Walcyr, apesar de que já não estava gostando tanto das últimas novelas dele... Parece que ele fez um tipo de "sopão", ou sei lá.
E acho um casal bonito e que combina, até apostei neles nas chamadas, mas também acho que é aquele casal que é química por mil cenas de pegação, como muitos, e não o tipo de química que poucas novelas conseguem.
Gosto também da atriz, apesar de exageros pequenos.

Mas é uma pena que só acabe em Janeiro, porque no momento só acompanho Sangue Bom e pelo famoso casal que já esperava desde o começo: Giane e Fabinho. Infelizmente, acho que a Globo, ou os autores que seja, voltaram com as novelas ruins ou que só salvam alguns personagens e núcleos, de novo. E piora quando colocam atores ruins que ganham destaque desnecessário, quando há atores muito melhores.

Já comentei que novelas boas andam sendo raras e de anos em anos agora, pelo menos para mim.
As últimas que consegue assistir mais de dez minutos foram duas ou três, e a maioria sempre do horário das seis, que acho que estão quase sempre bem melhores.

Para mim, está sendo mais agradável acompanhar novelas de fora recentes e séries americanas que antes não me chamavam tanta atenção, ou não pelo menos como a maioria que muitas vezes gosta de exaltar para desmerecer as daqui.
Mas as últimas e essa...

E Sérgio, sei que você gosta da novela e do autor e respeito sua opinião, claro, mas não querendo ser chata, implicante ou qualquer coisa, fico feliz por pelo menos uma coisa de "negativo" você ter citado no seu blog dessa novela. Ter visto algo, quero dizer.

Porque confesso que gosto do seu blog e acompanhava muito mais antes quando descobri, mas parei de acompanhar como antes porque comecei a achar, até o momento que acompanhei, pelos seus comentários que por gostar de tais novelas você não vê ou comenta tanto os defeitos de algumas, quando gosta, como enxerga em outras que não gosta, por exemplo.
E até pode ser por ter uma visão bem diferente de você, dessa vez, quanto a algumas novelas que isso acontece, mas vi erros nessa novela, por exemplo, que na minha opinião aconteceram em Salve Jorge e você comentou, como muitos e eu também, mas não nessa.
Assim ficou parecendo para mim que você deixa passar quando gosta ou se for em uma novela que te agrada, o defeito da outra se torna qualidade e bonito nessa para você, entende?

De qualquer forma, entrei no seu blog de novo por causa da crítica da Fazenda, vi o post e parei para deixar minha opinião aqui.
Achei legal que você comentou sobre esse casal que para muitos é óbvio o quão chato, desgastado e repetitivo é (mas não verdade absoluta porque muitos concordam, deixando claro.) e opinou, como em outras e mesmo nessa que você gosta. Assim desfez mais essa minha impressão.
Espero que não fique chateado com o final do comentário, realmente gosto do seu blog e críticas, ainda mais sendo sobre novelas e da forma que você escreve, já que aqui ultimamente, ainda mais na internet, é sempre mais fácil encontrar quem detesta elas ou muitas vezes só querem desmerecer. Por mais que eu não esteja gostando de muitas das últimas.

É isso. Beijos!

Rosa

Sérgio Santos disse...

Rosa, não se preocupe, não fiquei chateado. Eu gosto mesmo de Amor à Vida e nunca escondi. Acho que novelas muito boas podem cometer alguns deslizes, porém, ainda assim, fiz questão de citar aqui o que não gostei, como o caso da internação da Paloma.

E fiz questão também de escrever esse texto porque esse casal é justamente a única coisa que eu detesto na novela. Então postei justamente pra não passar a impressão que ignoro o que não gosto. Mas de resto, realmente eu não tenho nada pra falar.

Não acho a novela repetitiva, muito pelo contrário, vejo o autor procurando se renovar e apostar em novos e mais pesados conflitos.

Eu odiei Salve Jorge e critiquei muito a novela, mas fiz questão de escrever o que gostava. Tanto que postei textos elogiando Totia Meirelles, a Giovanna Antonelli, enfim...

Também não gostei de Flor do Caribe, mas ainda assim postei textos elogiando alguns núcleos e atores.

Não deixo passar nada em Amor à Vida não, é que eu realmente não vejo nem 1/3 do horror que algumas pessoas veem na novela. E vejo, sim, implicância de alguns pra cima do Walcyr. Ele não pode fazer X, mas se outro autgor faz, ok, aí pode. Mas enfim...

E não há problema algum em vc estar discordando dos meus últimos textos, sem problemas. Faz parte isso. Beijos!