sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Intensos conflitos e constantes reviravoltas marcam capítulos de "Amor à Vida"

Uma novela que evita enrolar o telespectador é merecedora de elogios. Por isso mesmo, "Amor à Vida" merece ser valorizada pela grande quantidade de acontecimentos que cercam seu enredo. As últimas semanas da trama têm sido repletas de reviravoltas e os capítulos mais recentes presentearam o telespectador com excelentes cenas.


Após o fim do sequestro de Paulinha (Klara Castanho), Paloma (Paolla Oliveira) começou a sofrer uma sucessão de desgraças. Alejandra (Maria Maya) colocou drogas na bolsa da rival e a denunciou para a Polícia Federal, que a prendeu em flagrante. A mocinha viveu dias de terror na prisão e ainda foi espancada por uma presa que a assediou. As cenas foram fortes e Paolla se entregou totalmente. Brilhou absoluta. Mas era apenas o início do sofrimento da filha de César (Antônio Fagundes). 

Félix acabou convencendo a família que seria melhor internar a irmã para que ela respondesse ao processo em uma clínica, no lugar de um presídio. Ainda alegou que via claramente o quanto que 'seu doce' estava perturbado. Apesar das boas atuações dos envolvidos, é preciso dizer que todo esse contexto foi totalmente
absurdo. O juiz jamais poderia pedir a internação da Paloma tendo como base depoimentos, sem exigir um laudo de um psiquiatra. A inteligência do telespectador foi subestimada e o autor poderia ter resolvido essa questão caso colocasse o vilão subornando o juiz, tornando a situação mais 'aceitável' do ponto de vista da triste realidade brasileira. Porém, apesar desse equívoco, as cenas da internação foram intensas e muito bem interpretadas. Paolla mais uma vez se destacou e impressionou nos momentos em que Paloma era eletrocutada e dopada. 

Aliás, em relação a esse caso, o Conselho de Psiquiatria enviou uma nota repudiando a postura dos psiquiatras que usavam o eletrochoque em uma paciente sem necessidade. Uma nota bastante desnecessária, diga-se, uma vez que ficou claro para o público que aquela clinica era composta por profissionais sem um pingo de ética e totalmente despreparados. O que não é nada absurdo, já que no Brasil há clínicas ilegais de aborto em cada bairro e nem por isso são fechadas definitivamente. 

Mas voltando aos acontecimentos da trama, é preciso aplaudir as cenas do resgate da mocinha. Lutero (Ary Fontoura), Ordália (Eliane Giardini), Carlito (Anderson Di Rizzi), Pérsio (Mouhamed Harfouch) e Rebeca (Paula Braun) ajudaram Bruno (Malvino Salvador) a salvar sua noiva e todos os atores foram ótimos e a sequência ficou muito bem dirigida, inserindo ainda um clima de tensão no ar. Vale destacar também o magistral desempenho de Nathalia Timberg (principalmente quando Bernarda vê Paloma dopada) e a grande cena protagonizada por Ary Fontoura e Antonio Fagundes, quando Lutero enfrenta César.

Como se não bastasse todas essas reviravoltas, Félix ainda foi desmascarado após o resultado da auditoria, que comprovou o superfaturamento dos contratos do hospital San Magno ---- onde Walcyr Carrasco ainda fez questão de colocar no texto que a corrupção é normal no país e que há médicos que cobram um 'extra' dos planos de saúde. César demitiu o filho, o estapeou e ainda o humilhou diante dos demais funcionários. Mais uma vez Mateus Solano fez uma dobradinha magnífica com Fagundes e ambos deram um show em cena. 

Já o capítulo 100 de "Amor à Vida" foi ao ar nessa quinta-feira (12/09). E fez jus ao número. Após enfrentar a fúria do pai no hospital, Félix também teve que enfrentar as humilhações de César em casa. Pilar tentou defender o filho e Bernarda interferiu, mas o dono do San Magno fez o irmão de Paloma confessar o superfaturamento dos contratos diante da família. Foi uma cena tensa, com um texto forte e todos os atores envolvidos brilharam. Fagundes, Susana Vieira, Nathalia Timberg e mais uma vez Mateus Solano deram um show.

Porém, Walcyr também fez questão de movimentar, quase que ao mesmo tempo, o núcleo da finada Nicole (Marina Ruy Barbosa). Leila se assustou ao ver um vestido idêntico ao que Nicole usou em cima do sofá --- fruto da armação de Lídia (Angela Rebello) ---- e acabou caindo da escada, sofrendo um grave acidente. Após ser internada, é constatado o risco da lesão, que pode deixá-la paraplégica definitivamente. Fernanda Machado virou a grande protagonista do núcleo, tem aproveitado todas as sequências da vilã e impressionou na cena da queda, demonstrando um claro olhar de dor.

A novela das nove tem exibido uma sucessão de conflitos, evitando qualquer tipo de barriga. Apesar do equívoco no desenvolvimento da internação de sua protagonista, Walcyr Carrasco tem conseguido prender o telespectador diante da televisão através de histórias bem amarradas e constantes revelações. Ponto para o autor. 

50 comentários:

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia
Sérgio
...caraca, como a Paloma (Paola) sofre.Uma sucessão de sofrimentos.
Ficou meio "estranho" ,mesmo, essa internação.
Belas interpretações do M.Solano e do A.Fagundes na cena da descoberta.
Fui ver as fotos do Projac, Jóia Rara, na fanpage. Muito bom!
Agradeço
Belo dia
Abraços

Anônimo disse...

Desculpe a sinceridade mas eu apostava que um dia você chegaria a rede globo. Você é o maior telespectador dela. Amor a Vida é motivo de chacota em tudo que é lugar e aqui é só elogios. Parabéns! A globo precisa de gente fiel como você pra ver se volta a ser o que era, pelo menos em repercussão.

Barbie Californiana disse...

Estou a espera do momento em que a paloma vira o jogo... essa novela tá emocionante, Sérgio. beijinhos

✿ chica disse...

Cenas tão fortes que chegam a quase dar uma coisa em mim, rs Fico tensa... E não só eu, sei de mais pessoas. Mesmo assim, gosto e a cada dia, uma nova emoção! abraços,chica e lindo fds!

Bell disse...

Coitada da Paloma, oh mulher que sofre, mas no final ela será mais que feliz.
A novela é boa, porém acho vocabulário usado nos textos pesado, está repleta de traições,picaretagem, todo mundo lá quer tirar vantagem.

Estou ansiosa para tentar assistir a nova novela das 18:00.

tenha um maravilhoso fds =)

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Também observei 'furos' no foco da internação da Paloma, mas novela é novela, né?
Tenho achado a trama bem envolvente e gosto da celeridade com que os fatos acontecem e se desenrolam.
Fiquei com dó do Félix ontem. Que judiação! Forte a cena entre pai e filho e muito bem trabalhada.

Enfim, estou gostando, apesar de alguns despropósitos, mas que são próprios de novelas.

Excelente final de semana e 'de olho nos detalhes'-rs.

Beijo.

MARILENE disse...

Você comentou as cenas mais importantes dos últimos capítulos. E foram, de fato, excelentes.
A internação, sem julgamento, principalmente por se tratar de "suspeita" de tráfico, não foi coerente, em todos os sentidos.
Há um exagero no comportamento de Cesar, que não tem a vida fundada em princípios éticos, para ser tão
radical. Mas isso faz parte da trama.
Até fiquei sensibilizada com a situação de Felix, mesmo sabendo que ele vai se vingar (rss).
Bjs.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, também gostei destas cenas e dos desempenhos marcantes de Mateus Solano, Antônio Fagundes, Nathalia Timberg, Ary Fontoura e Susana Vieira. Quanto a Paolla Oliveira, ela convenceu nas cenas da internação da personagem. Só acho um tanto implausível que César e Pilar não tenham interesse em descobrir o paradeiro da moça, após a fuga da clínica.

Patricia Galis disse...

Nunca mais vi a novela mas gostei de saber de todos os detalhes aqui, muito bem escrito parabéns Sergio.

Sissym Mascarenhas disse...

Sergio,

Muitos furos e exageros, mas... acabo assistindo! rsss

Eu vim desejar um otimo final de semana. Voltarei logo que possível para ler mais e comentar.

Beijos

Clau disse...

Oi Sérgio :)
Walcyr Carrasco é tão competente que esse deslize sobre a internação,sem o devido julgamento,é até desprezível,afinal novela é novela...
e essa merece muitos aplausos e elogios.
Bjs e bom fim de semana \o/

Celina Alves disse...

Apesar da internação da Paloma ter sido um fiasco, já que a mesma é médica e vem de uma família de médicos, estou adorando o enredo.
BjoBjo;)
Celina Alves
Luxos e Luxos

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Oiii amigo, a novela está ótima eu perdi mais de 10 dias e ficava perguntando p minha filha o que estava acontecendo, meu marido ficou até bravo comigo, rsrs tem coisas fantasiosas mas qual novela não tem né, o fato é que estou adorando! Abraçossss

Vanessa disse...

Sérgio, meu querido,

Sei que vc é um admirador de "Amor à Vida". Já eu sou do grupo que curtia, mas, com o tempo, a deixou de lado.

Confesso que nunca fui muito fã do Walcyr. Acho suas novelas cafonas, com textos um tanto quanto pobres. A que eu mais gostei dele foi "O Cravo e a Rosa". Mas admito que ele é o tipo de autor que sabe escrever para as massas, algo como o Aguinaldo Silva, e isso é louvável.

Pra mim, o ponto alto de "AAV" é a direção muito competente do Mauro Mendonça Filho.

De resto, acho uma colcha de retalhos mal feita. A impressão que eu tenho é que o Walcyr pegou tudo o que dá certo em novelas e vomitou em "AVV". São clichês atrás de clichês. E muitos núcleos não saem do lugar. Aquele da Valdirene já cansou faz tempo. O do casal Michel/Patrícia idem.

E o que dizer da internação da Paloma? Acho que voltamos séculos e mais séculos. Aliás, o excesso de drama colocado sobre a personagem ficou cansativo, over. Não precisava de tanta tinta. Já deu para entender que a Paloma é uma pobre coitada.

Me incomoda demais também a sequência das cenas, muito, mas muito longas. Em um bloco só, somos entupidos de histórias da Valdirene, Félix, etc. Prefiro cenas curtas, com vários núcleos mesclados, torna uma obra menos enfadonha.

Bom, era isso. Ando amarga com a trama do Walcyr. Até o núcleo da Paloma, que era o que eu achava mais interessante, perdeu o encanto pra mim. E nem no Félix vejo mais graça. Aliás, a necessidade de ele fazer tiradas em toda cena já torrou.

Beijos, querido

A Viajante disse...

As cenas foram bem fortes... mas as melhores foram as que Félix e Edith estavam juntos. Muito legal. Tô gostando mais, embora Paloma, Bruno, dilha e cachorro são realmente enfadonhos.... beijo!

Letícia disse...

Querido Sérgio, bom dia.

Volto a dizer que Walcyr Carrasco, para mim, esteja trabalhando nesta novela a muito tempo mesmo. A estrutura é bem acabada, não tem barriga, como é usual na maioria das novela, em que nada de novo acontece durante semanas. É claro que por se tratar de uma obra aberta, sempre há uma modificação, ali ou acolá, mas é nitidamente fácil de perceber que a sua base foi trabalhada de modo a dar ao autor fôlego para levar seu trabalho para mais de duzentos capítulos.

Soube que haverá uma passagem de tempo e já nasce os três bebês, a Amarylis, Aline e Valdirene. O quê trará novas situações. Confesso que a história da primeira é a que me chama mais atenção porque ela terá que entregar a criança, mas agirá como mãe e não abrirá mão do filho e obviamente baterá de frente com seu amigo Niko e obviamente o fará sair de seu mundo cor de rosa e encarar os fatos. A Aline usará seu filho para se vingar, nada de novo neste aspecto e o César, pelo jeito caiu na armadilha como um pato bobo. A Valdirene (nossa querida periguete), pelo jeito terá uma nova chance com Ignácio, para desespero de Palhaço/Carlito.

Daqui a poucos dias já teremos o casamento da Paloma como o Bruno (posso ser honesta, vejo muitos falar da química entre eles, mas eu acho um casal tão sem sal), e a vida mais humilde que a moça levará a partir de então. A volta do Ninho por cima e querendo a guarda da filha, para desespero do casal...

Enfim, são vários outros acontecimentos que não estão citados aqui, mas que enriqueceram a novela nos próximos capítulos. Espero que o autor continue no mesmo nível que chegou aqui. A única ressalva que faço é que, ás vezes, tenho a impressão que ele fica muito tempo sem trabalhar em um determinado núcleo e este fica muito tempo fora do ar. Há muito atores que não aparecem a semanas e nem há previsão de volta. Outro dia mesmo li que ele não estava gostando do trabalho da Bruna Linzmeyer como Linda, mas não sei se há verdade nisso ou não, mas sei que a personagem e seu núcleo ficaram bastante tempo desaparecidos. Muitos atores bons, ficam apenas na espera de serem chamados de volta para participar da drama. Vejo nomes na abertura que vi duas ou três vezes aparecerem e que nem sei se tem um papel relevante para a história. Não sei talvez o autor esteja guardando algumas cartas na manga.

Um abraço..

Pedro Bertoldi disse...

Oi Sérgio!
Adoro essa novela. É instigante,muita ação, reviravoltas. Avenida Brasil ganhou uma "pós substituta" a altura. O único porém, que eu acho, é que às vezes, o texto do Walcyr é didático demais. Mas ele é excelente, escreve bem ,tem ótimas ideias, não tem medo de arriscar e mostra que deveria ter entrado no horário nobre há muito tempo.
Abraços, querido!

Maxxi disse...

Continuo considerando que nesta novela o Walcyr perdeu os freios... E olhe que desse assunto, ele entendia bem. A novela realmente parece uma colcha de retalhos, com a sucessão de "acontecimentos" clichês. Sinceramente, sou um grande apreciador da obra de Carrasco, desde Xica da Silva, porém pela primeira vez uma novela na qual o autor parece perdido, repete-se demais e ainda apresenta histórias rápidas (como em Caras e Bocas) porém sem a mesma necessidade. Espero que ele melhore. Hoje para mim, apenas as "tiradas" do Félix me são interessantes. A Valdirene e a Perséfone estão insuportáveis, bem como o núcleo do Atílio. E de preferência que não mostrassem mais o núcleo do autismo, está escancarado que o autor inseriu apenas para dar um tom politicamente correto a uma novela que desafiou isso. Paradoxal aquele núcleo!

Sérgio Santos disse...

Ela sofre muito, Felis. rsrs Mas agora parece que terá um período de aparente calma. Que bom que gostou das fotos! abçsss

Sérgio Santos disse...

Anônimo, vc me acompanha há muito tempo? Acha que eu só elogio coisas da Globo e não critico nada? Comentava aqui antigamente com nome? Mas enfim, acho que houve uma mal entendido. Do jeito que vc fala parece que eu fui contratado para atuar na próxima novela das oito. Eu fui convidado para conhecer os estúdios e conhecer mais sobre a nova novela. Me senti honrado, sim, porque meu blog está longe de ser um fenômeno como o dos colunistas famosos, mas é bom ver que tem reconhecimento.

Sérgio Santos disse...

Verdade, Barbie. bjssss

Sérgio Santos disse...

Sofre mesmo, Bell. E gosto dos temas pesados, mas veja, tem gente que acha os diálogos 'bobos'. Eu gosto muito. bjssss

Sérgio Santos disse...

Pois é, Vera, novelas têm suas licenças poéticas, nas não podem subestimar a inteligência do público. No caso da internação subestimaram. Mas quando a novela é muito boa, dá pra perdoar alguns deslizes. É verdade, a cena do Félix com o César foram fortes e muito bem interpretadas. Aliás, sempre são. bjssss ;)

Sérgio Santos disse...

Tentei, Marilene! =)

A situação ficou muito forçada mas os desdobramentos ficaram muito bons. O resultado foi positivo e os capítulos estão ótimos. bjssss

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira. Foram grandes desempenhos mesmo. Teve uma cena do César exigindo que Lutero contasse aonde tava Paloma, sendo até afrontado (merecidamente) pelo amigo. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Patrícia. bj

Sérgio Santos disse...

Oi Sissym. Sem problemas! bjssss

Sérgio Santos disse...

Olha, Clau, achei esse furo péssimo, mas concordo com você. Sou um admirador do trabalho do Walcyr e não tenho muito o que reclamar dessa novela. bjs

Sérgio Santos disse...

Concordo com você, Celina. Bjsss

Sérgio Santos disse...

Sua filha te contou tudo direitinho, Kellen? rs Bjsssss

Sérgio Santos disse...

Pois é, Vanessa, adoro a novela e não tenho muito do que reclamar. Aliás, sempre fui fã dos trabalhos do Walcyr. Gostei de todas as novelas dele, com exceção de A Padroeira, que não vi, e Sete Pecados, que achei mediana.

Não acho que AAV seja uma colcha de retalhos, até porque tem muita coisa ousada. O próprio vilão gay, além do pai homofóbico, é um deles.

Acho o núcleo da Valdirene bem desenvolvido e acabaram com aquilo de um famoso por semana. O bordão do Félix também foi acabado e agora ele fala cada hora uma frase diferente. Eu me divirto.

Mas eu entendo que vc não goste. Tem autores que acabam sendo nossos favoritos ou preteridos. Beijão!

Sérgio Santos disse...

Ju, essa cena do Félix com a Edith foi muito boa. Eu gosto das cenas do Bruno com a Paloma. Coitado do cachorro, sobrou pra ele também? rs bjsssss

Sérgio Santos disse...

Minha cara Letícia, sei que já virou um clichê, mas assino embaixo do seu comentário.

Concordo plenamente com você e realmente é uma trama sem barriga e repleta de acontecimentos. Não é fácil manter esse ritmo. E, de fato, todas as tramas são muito bem amarradas.

Sim, soube dessa passagem de tempo e achei ótimo. Aliás, Amarilys engravidou do Niko e não do Eron. A inseminação funcionou. Olha, que sacada genial! Valdirene de mãe será hilário e Aline vai tirar a máscara diante dos demais. Será muito bom.

Olha, eu não acredito nisso da Linda porque se fosse verdade, o autor teria sumido com ela logo depois da primeira cena, afinal a atriz tá assim desde o inicio. Li que ela vai ter um namorado e vai voltar a aparecer mais. Tomara.

Vejo valorização de quase todos os atores, por enquanto. Carolina Kasting é que não tem aparecido como merece, mas li que a entrada de José Wilker (pai da Gina) vai crescer o papel. Enfim... Beijão!

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Pedro. Também gosto muito da novela. Realmente ás vezes há momentos de didatismo, mas não acho que prejudica a trama. A história foi mt bem escrita. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Maxxi, discordo da sua opinião, mas respeito. Eu tenho adorado a novela e a sucessão de acontecimentos é um dos motivos. Aliás, essa sempre foi uma característica do Walcyr.

Acho o núcleo da Linda excelente e quero mais é que cresça. Não acho que seja gratuito e a Bruna está magistral. A novela de fato tem clichês, mas como toda trama tem. E todos, a meu ver, estão sendo muito bem trabalhados. Abraços!

eder ribeiro disse...

Sérgio, qdo eu assisti a cena com o juiz, soou mto forçado a cena, mas seria injusto condenar essa grande obra q é Amor à vida. Abçs.

Sérgio Santos disse...

Foi forçado mesmo, Eder, mas concordo que isso não apaga a ótima novela que é. abçsss

Anônimo disse...

Concordo. A novela está excelente e muito bem trabalhada. A internação foi ridícula, assim como aquela imbecilidade de prisão comum mesmo Paloma sendo médica,mas não abala a novela e nem a história que está a cada dia mais envolvente.Walcyr tá me surpreendendo.

Anônimo disse...

O melhor da novela é a rivalidade do Félix com o César. Mateus e Antônio tão incríveis.

Anônimo disse...

O Walcyr tá de parabéns por ter conseguido se reciclar.Acabou aquelas guerras de comidas ridículas e entrou cenas mais sérias e bem escritas.O horário nobre tá bem defendido.

Anônimo disse...

E amanhã terá a surra da Pilar na Aline. Tá cheio de reviravoltas mesmo. Abraços! (Vinicius)

Thallys Bruno Almeida disse...

Bem, Sérgio, depois do comentário no post anterior, voltei a me animar com a novela. E pensar que essa virada começou logo na segunda semana do sequestro, quando Bruno e Paloma foram ao Peru e resgataram não apenas Paulinha, mas a paixão que ainda sentiam um pelo outro.

Pra começar, a Paolla Oliveira conseguiu o que há certo tempo eu queria numa mocinha: sentir vontade de torcer pela mesma (e olha que Paloma passou por uma fase irritante). Sua personagem é de longe a melhor mocinha da carreira dela. Hipnotizante, complexa, sofre, enfrenta os pais (embora se deixe enganar pelo irmão ainda), linda, sensual... uma personagem maravilhosa que encaixou como uma luva nela. Sua química com o Malvino Salvador salta aos olhos e cada cena mais quente do casal prima pela boa dosagem da sensualidade com o bom gosto. Eu "reclamo", rsrs, mas é um acerto inserir essas cenas sensuais deles apenas quando é estritamente necessário, pra evitar que canse o público como ocorreu com Michel e Patrícia.

As cenas da internação da Paloma me arrepiaram, a Paolla estava impressionantemente perfeita, a reação, a entrega dela, o desespero da personagem... tava muito real, arrasou mesmo. E ainda emocionou junto com a Nathalia Timberg na visita da Bernarda. Gostei da parte do resgate e especialmente do enfrentamento de Lutero e César.

Félix voltou a ganhar importância nos confrontos com o pai. O amor que ele tem pela mãe chega a ser quase uma devoção, a ponto de querer enfrentar Félix para evitar que ela sofra e ao mesmo tempo se vingar das humilhações que o vilão recebe do pai. Tanto que graças a ele a Pilar vai descobrir que o marido a trai com a Aline. É visível o quanto o Mateus Solano está genial e confesso que sou dos poucos que se divertem com as variantes bíblicas do "salguei a Santa Ceia" (até porque reclamam até disso). Antônio Fagundes igualmente excelente num personagem extremamente realista e Susana Vieira voltando a ser a grande atriz que sempre foi antes de SDD.

A Fernanda Machado tava fazendo falta após o núcleo ter sido "destruído" (sim, destruído porque nem os embates entre Leila e Lídia apareciam) e brilhou tanto na queda quanto ontem, quando a Leila descobre a paraplegia e ainda assim não larga a arrogância, destratando todo mundo.

Acrescento ainda Maria Maya, no retorno de Alejandra ao Brasil e em sua morte, confessando que prejudicou Paloma ao colocar as drogas na bolsa da Paloma (se bem que ela deu mole na época tbm ao permitir que a Paulinha abraçasse o Ninho, era no mínimo pra terem chamado a polícia).

Amor à Vida voltou a me animar e torço pra que mantenha o ótimo ritmo no núcleo principal, pra mim o mais atraente. Abç!

Anônimo disse...

O capítulo de hoje foi de alto nível. Vai escrever um post sobre a surra da Pilar na Aline e sobre mais essa leva de reviravoltas? Escreve, por favor!

Sérgio Santos disse...

Anônimo, só discordo sobre a prisão. A Paloma ficou numa cela especial porque tinha até colchão e travesseiro. Mas ela nem chegou a ir para um presídio. Abçs

Sérgio Santos disse...

Mateus e Fagundes estão incríveis mesmo, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, não acho as guerras de comidas ridículas quando utilizadas em horários apropriados ou dependendo da situação. Porém, em Gabriela o Walcyr não usou esse recurso e agora não usou em Amor á Vida. abç

Sérgio Santos disse...

Vinícius, a cena da surra foi sensacional. abçs

Sérgio Santos disse...

Thallys, eu nunca me desanimei e acho a trama excelente. Os últimos capítulos estão espetaculares e recheados de grandes cenas e ótimas atuações. Esse post parece até desatualizado diante de tudo o que aconteceu depois.

Sobre o núcleo da Lei,a li que a entrada da Sophia Abraão vai movimentar e muito. Realmente o núcleo foi destruído mas infelizmente tá clara a razão. Aliás, cada vez mais clara.

Paloma é uma mocinha ótima e Paolla está a defendendo muito bem. Foram muitas cenas boas e reconciliação com Bruno foi uma delas. Aliás, os mocinhos vão se casar antes do último capítulo, o que prova a agilidade da trama e a coragem do autor.

Eu sempre gostei dos bordões do Félix, mas quem odeia o autor precisa arrumar razões para criticar. Até mesmo as variações. Abçs

Sérgio Santos disse...

Anônimo, não sei se escreverei sobre a cena, mas talvez escreva sobre a Vanessa Giácomo porque tô devendo um texto pra ela.

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.