quarta-feira, 25 de setembro de 2013

"Dona Xepa" termina sem conseguir elevar a audiência da Record

Após ficar no ar por menos de cinco meses, chegou ao fim (nessa quarta - 24/09) "Dona Xepa", uma novela que entrou para salvar o horário das 22h30 da Record, destruído pela baixa audiência da controversa "Máscaras" e mantido pela desastrosa "Balacobaco". Porém, o objetivo não foi alcançado. O remake saiu do ar tendo uma média geral de 7 pontos ----- mesmo índice obtido pela trama de Gisele Joras e um a mais que a trama de Lauro César Muniz ----, índice muito baixo para as expectativas da emissora.


Entretanto, a novela adaptada por Gustavo Reiz e dirigida por Ivan Zettel não optou pela ousadia como "Máscaras" e nem procurou fugir dos clichês de um folhetim. Pelo contrário, usou e explorou vários recursos já presentes na história, inspirada na peça de Pedro Bloch, que já foi reescrita duas vezes para a televisão ----- vide "Dona Xepa" e "Lua cheia de amor" (ambas na Globo) ---- e uma para o cinema. Mas o grande erro desse remake foi o horário escolhido pela Record.

A novela apresentou como tema central o tradicional drama da mãe batalhadora que luta para criar os filhos e acaba sendo alvo do preconceito deles. Porém, apesar da situação ser aparentemente 'dramática', não é algo para ser apresentado às 22h30m, horário que exige histórias mais pesadas e adultas.
O conflito da feirante (Ângela Leal) soa leve se comparado com as situações exibidas em "Amor à Vida", por exemplo, que é exibida ainda mais cedo.

"Dona Xepa" é um folhetim que foi feito para ir ao ar entre 18h e 20h. O conteúdo era visivelmente leve e até infantil. Apesar de ser difícil prever o resultado que isso daria na audiência, não há dúvidas de que uma história sem cenas muito fortes não é apropriada para tarde da noite. Outro bom exemplo é o caso de "Saramandaia". O remake escrito por Ricardo Linhares não tinha necessidade de entrar depois das 23h, uma vez que seu contexto cabia perfeitamente no horário das seis.

Mas a novela da Record, apesar de ter enfrentado a crise das demissões, perdendo vários profissionais por trás das câmeras, passou longe de ser um desastre como foram as duas antecessoras. A trilha sonora foi muito bem escolhida e o elenco, embora tenha sido bem irregular, apresentou bons destaques. Thais Fersoza fez uma excelente vilã, comprovando seu talento. Bia Montez, Bemvindo Siqueira, Castrinho, Manoelita Lustosa fizeram uma boa parceria e enriqueceram a história com seus tipos divertidos. Já Ângela Leal convenceu na pele da protagonista, mesmo tendo caído na caricatura. E, verdade seja dita, a novela foi repleta de tipos caricatos, portanto, era bem difícil fugir dessa armadilha. Aliás, ao mencionar personagens exagerados, fica impossível não citar Meg Pantaleão, vivida por Luiza Tomé, que viveu mais uma perua na carreira e acabou sendo um dos pontos negativos da história em virtude da repetição da atriz.

O último capítulo foi dominado pela Thais Fersoza, que conseguiu mostrar muito bem o desequilíbrio de Rosália. Porém não passou disso. As demais cenas foram cansativas e desinteressantes. Parecia até um capítulo qualquer --- com exceção de uma ou outra sequência ---- e não o encerramento de uma história. E é bom lembrar que a estreia sofreu do mesmo mal: não aparentava ser o início de uma trama e sim um capítulo aleatório.

O remake de Gustavo Reiz foi correto. Não foi uma novela empolgante e maravilhosa, mas também não foi um completo equívoco. Se fosse exibida mais cedo, "Dona Xepa" talvez tivesse obtido resultados melhores na audiência. Mas o erro da Record acabou 'punindo' uma produção que tinha boas chances de, pelo menos, conseguir os dois dígitos sonhado pela emissora. Agora a missão será de "Pecado Mortal", estreia de Carlos Lombardi fora da Globo.

22 comentários:

✿ chica disse...

Não assisti nenhum dessa reprise! E o que virá agora depois dela? Abraços, tudo de bom,chica e um lindo fds!

Anônimo disse...

Quem aí vê Dona Xepa? kkkkkkkkk

Fernanda disse...

Vi só o primeiro capítulo. Achei tão bobo que nem me animei a continuar assistindo. Nem sabia que ainda tava no ar... Bj!

paulo disse...

Não sou funcionário\parente\puxa-saco das organizações globo, portanto assisto outros canais quando me interessam. Aliás as novelas da globo já há algum tempo deixam bastante a desejar, muito aquém das produções que iam ao ar nas décadas passadas. Quanto a D.Xepa não acompanhei porque não é o tipo de novela que me atrai mas acho que Pecado Mortal promete, ainda mais que retrata a década de 70, vamos ver...

Anônimo disse...

Ninguém viu essa novela. FIM

setubal jackson disse...

To achando que Pecado Mortal sim será fiasco após uma decente novela como foi Dona Xepa... Esperaremos.

MM disse...

Essa novela foi uma tragédia e essa Pecado Mortal mostrou ser uma um besteirol do Carlos Lombardi. A Globo fez bem em se livrar dele.

eder ribeiro disse...

Sérgio minha bússola para avaliar uma novela é.minha filha, DX, ela assistiu só a primeira semana, não aguentou. Abçs.

Pedro Bertoldi disse...

Terminou coerente com o que foi a novela toda:Leve, com clichês...
A Thais Fersoza foi o destaque da novela! Estou aguardando tua análise para Pecado Mortal. O primeiro capítulo eu gostei!
Abraços, Sérgio!

Demian disse...

Já desisti das novelas da Record há muuuuuito tempo... Acho que a última que acompanhei (já meio desinteressado) foi Poder Paralelo. Vidas Opostas e Chamas da Vida foram as melhores. Ribeirão do Tempo desisti na primeira semana... Daí em diante nunca mais vi nem me interesso... Nunca vi um capítulo de Dona Xepa e pretendo passar longe de Pecado Mortal... Sinceramente, as novelas da Globo, mesmo as ruins, eu procuro assistir, já as de outros canais não consigo... Podem dizer que sou preconceituoso com as outras emissoras, mas em se tratando de telenovela, a Globo, na minha opinião, é sempre melhor (ai, será que vão me bater por causa dessa declaração???)

Sérgio Santos disse...

Pecado Mortal, Chica. Mas Dona Xepa não foi reprise, não. bj

Sérgio Santos disse...

Essa pergunta do Maurício Matter virou deboche, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário ,Fernanda. bj

Sérgio Santos disse...

Estava sumido, Paulo. Mas falando em puxa-saco, lembrei de vc quando vi aquela guerra de cuspe na Fazenda e as regras que deixaram a manipulação do programa bem evidente. Depois dessa edição acho que não há mais como criticar o BBB.

Pecado Mortal fez uma bela estreia.

Sérgio Santos disse...

Pouca gente viu, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Stubal, a novela tem todas as características do Lombardi. Teve uma boa estreia, mas se vai ser sucesso não dá pra saber ainda.

Sérgio Santos disse...

MM, não curto o estilo do Carlos Lombardi, mas achei a novela bem melhor que as anteriores da Record.

Sérgio Santos disse...

Boa bússola, Eder. rs abçs

Sérgio Santos disse...

Pedro, escrevi hoje o texto sobre Pecado Moral. ;) abraços.

Sérgio Santos disse...

Não se preocupe, Demian, é óbvio que as novelas da Globo são superiores. Tem os melhores autores, as melhores produções, melhores elenco, normal isso. Eu não vi nenhuma dessas novelas da Record porque não me interessei. Agora vejo ao menos as estreias e os desfechos pra poder escrever algo aqui senão me criticam dizendo que só falo da Globo. rs abçs

Thallys Bruno Almeida disse...

Bem, Sérgio, ficou visível o quão despretensiosa foi Dona Xepa. A trama praticamente não teve repercussão, nem mesmo negativa como houve em Máscaras. Além da estratégia errada de horário, faltou uma maior divulgação da trama.

Sobre a caricatura, o Nilson Xavier lembrou bem no blog dele que mesmo Yara Cortes, a Xepa de 1977, foi criticada na época. É um tipo difícil demais. Na cena da formatura de Edison (Arthur Aguiar), ficou difícil não lembrar do exemplo recente de Fina Estampa, que foi mais uma a adotar esse tipo de trama.

Thaís Fersoza foi de longe o maior destaque e defendeu perfeitamente sua Rosália, em especial no surto da personagem nos dois últimos capítulos. A turma vivida por Bemvindo, Castrinho, Bia e Manuelita era divertida. Mas Luiza Tomé, olha... tava puxada.

De fato, um remake correto e que não deixará mtas saudades. Com Pecado Mortal, deu-se a impressão de que a emissora reencontrou o seu rumo. Abçs!

Sérgio Santos disse...

Foi uma novela que foi ao ar no horário errado e que poucos se lembrarão, Thallys. Eu pouco vi, aliás, ver mesmo só vi o primeiro e o último capítulos. Thais foi muito bem mesmo, assim como os atores mencionados.

Pecado Mortal está apropriada para o horário, ao contrário dessa. Abçs