segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Lindas imagens, elenco bem escalado e produção caprichada marcam estreia de "Joia Rara"

Uma viagem no tempo para resgatar valores que se perderam. Uma maneira diferente de pensar sobre o mundo. Lapidar a joia rara que existe dentro de cada um para tornar bom o que é ruim, tornar etéreo o que é mundano. Dos templos budistas aos cabarés da Lapa, das lutas comunistas às adversidades de um amor proibido. Com base nessas premissas, estreou --- nessa segunda-feira (16/09) --- "Joia Rara", a nova novela das seis.


Escrita por Duca Rachid e Thelma Guedes, e dirigida por Ricardo Waddington (núcleo) e Amora Mautner (geral), a trama apresenta como tema central a reencarnação mesclada com a filosofia budista, tendo a complicada relação amorosa entre um bem-sucedido rapaz (Franz - Bruno Gagliasso) e uma humilde moça (Amélia - Bianca Bin) como pano de fundo. A filha do casal (Pérola - Mel Maia) será a possível reencarnação do líder espiritual Ananda (Nelson Xavier), budista que fez um grande laço de amizade com Franz.

O primeiro capítulo conseguiu mostrar com perfeição todo o contexto da história em meio a lindíssimas e cinematográficas imagens. A saga começou em 1934, com Franz, Manfred (Carmo Dalla Vechia) e Eurico (Sacha Bali) escalando os Himalaias. A aventura do trio acaba virando uma tragédia porque Manfred sabota o equipamento do meio-irmão, que sofre uma grave queda e desmaia. Para culminar,
todos são atingidos por uma avalanche ---- com efeitos especiais de primeiro mundo, vale ressaltar. Mas Franz é encontrado desacordado por um monge, que o leva para o mosteiro fictício de Padma Ling. Lá o mocinho é cuidado pelos monges, conseguindo se recuperar. Dias depois acorda e tem uma boa conversa com Ananda. A partir desse encontro, os dois viram bons amigos.

Foi um grande começo. A trama se mostrou tão envolvente que o tempo do capítulo pareceu curto demais. O capricho do figurino e a preocupação com a intensidade das cenas impressionaram. As imagens dignas de cinema serviram para fechar esse conjunto que mostrou qualidade de sobra. Ficou claro que a equipe, autoras e diretores trabalharam duro para conseguir produzir algo tão bem acabado.

O núcleo dos budistas tem uma luz mais clara que a do núcleo do Rio de Janeiro dos anos 30, o que evidenciou a proposital ideia de criar um contraste, implicando em um belíssimo resultado fotográfico. Embora alguns personagens ainda não tenham entrado, foi possível entender toda a trama da novela e ainda identificar a índole de cada perfil.

Apesar da abordagem do budismo ser uma situação nova, a trama em si não apresenta nenhuma novidade. Todos os elementos clássicos de um folhetim estão presentes: o irmão invejoso, o rapaz rico que se apaixona pela moça pobre, o empresário ambicioso, a governanta que tem falhas de caráter, enfim, tudo o que o telespectador noveleiro está acostumado a ver. Ainda terá a jovem que quer vingar o que fizeram com seu pai, o senhor que perde a filha no jogo e reencarnação. A cena final do primeiro capítulo também usou o mais puro clichê: enquanto cai uma forte chuva, Franz e Amélia se olham e se apaixonam. Situações clássicas mas nem por isso menos atraentes.

O elenco se mostrou um grande acerto. É até injusto citar nomes, porém, ficou claro que o núcleo do Cabaré Pacheco Leão será um dos melhores. Rosi Campos, Nicette Bruno e Marcos Caruso já se destacaram e Letícia Spiller deu um show de sensualidade e talento dançando no palco. José de Abreu, Ana Lucia Torre, Carmo Dalla Vechia, Rafael Cardoso e Luisa Valdetaro também mostraram que farão bonito em cena. Domingos Montagner foi o grande destaque do núcleo operário e promete brilhar tanto quanto na época de "Cordel Encantado".

Aliás, ao lembrar do último sucesso da dupla de autoras, fica difícil não fazer nenhuma associação ao observar o núcleo central. Bruno Gagliasso e Bianca Bin não fizeram feio na estreia, porém, é quase impossível olhar para eles sem lembrar de Timóteo e Açucena. Talvez tivesse sido melhor colocá-los e núcleos separados. E a abertura é outro ponto que faz lembrar a trama passada. Apesar de ter ficado linda e de muito bom gosto, a sua estrutura é praticamente igual, também retrata o contexto da história e ainda tem o mesmo Gilberto Gil cantando. Porém, são detalhes que ficaram muito pequenos diante da qualidade da nova obra.

O primeiro capítulo alcançou 21 pontos de média, o mesmo índice do último capítulo de "Flor do Caribe" e "Lado a Lado". Nada de significativo por enquanto. Mas por tudo o que foi apresentado na estreia, "Joia Rara" tem todas as características para ser um sucesso. Infelizmente nem sempre o ibope reconhece a qualidade de uma produção, mas se a nova novela das seis conseguir manter a excelente primeira impressão que causou, o retorno do público será mais do que merecido. Após as bem-sucedidas "O Profeta", "Cama de Gato" e "Cordel Encantado", Duca Rachid e Thelma Guedes estrearam uma outra produção que encantou quem assistiu. Que venham os próximos capítulos!

53 comentários:

Anônimo disse...

Olá Sérgio! Leio sempre suas postagens e considero você superior ao Nilson Xavier e a Patrícia Kogut. Você consegue observar a alma das novelas e eu acho isso sen-sa-cio-nal! Gostaria que você fizesse uma postagem sobre a novela Água Viva, cuja reprise acontecerá a partir do dia 30 desse mês. O que você acha? Afinal, voltar no passado para relembrar coisas boas sempre faz bem.

Anônimo disse...

Sérgio, como sempre excelente texto, já estou repetitiva, mas você sempre faz ótimas críticas, não tem como não elogiar. Joia Rara tem tudo pra ser a melhor novela do ano. Texto, elenco e direção impecáveis. Apostando muito no sucesso e na tomada do horário das seis, que não alcança grandes índices desde Cordel Encantado. Esperando desde já a segunda fase com minha linda Mariana Ximenes. Bjs.

Thallys Bruno Almeida disse...

Bem, Sérgio, se eu for usar uma palavra pra definir a estreia de Joia Rara, eu definiria como: poética. Uma fotografia impressionante, paisagens belíssimas, bons momentos de ação (como a avalanche) e uma direção precisa sob o comando da Amora Mautner. Encantadoramente linda, uma verdadeira joia mesmo.

Depois de inovarem ao misturarem sertão e realeza em Cordel, agora Duca e Thelma apostam com sucesso na fórmula tradicional sem a menor vergonha de ser, embalada por todo esse conjunto de qualidades.

Incrível como a Letícia Spiller tá sensual, não envelhece nunca, continua tão espetacular quanto mais nova. E já anseio pelos duelos entre ela e Mariana Ximenes (outra que vai chegar na novela abusando da sensualidade, como nos mostrou no clipe). Um toque de ousadia bem-vindo ao horário.

Entre os maiores destaques, dou ênfase especial a José de Abreu, Carmo Dalla Vecchia, Ana Lucia Torre, Letícia e Domingos Montagner. Gagliasso e Bin eu vou esperar o fim da primeira semana pra dar uma opinião mais definida.

Sobre a abertura, o uso de contar a sinopse através das imagens também já podia ser visto em A Favorita. Mas a semelhança com a trama de JEC para por aí. Um conjunto lindo, de bom gosto, bela letra do Gilberto Gil. Mas o que me chamou atenção na trilha sonora foi Nascente, na voz do Milton Nascimento ao fim do cap.

Como vai enfrentar o horário de verão, acho que vai ser um tanto difícil chegar próximo dos índices de Cordel, mas ainda assim torço pra que marque mais que a antecessora e tenha uma média maior que AEA, por exemplo. As qualidades da trama já mostraram que Duca e Thelma chegaram com tudo. Que venham os próximos. Abçs!

Luan Bruno disse...

Olá, Sergio!

Estou aqui, mais uma vez, comentado. Acho que já estou viciado em seu blog. (rs)

Olha, acho que "Joia Rara" será uma linda novela. Me encantei. Tudo perfeito! Não tenho nem o que dizer, pois você já falou tudo em seu texto.

Já estou apaixonado pela novela. Ansioso para assistir o próximo capítulo.

#Sucesso

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia
Sérgio
meu PC "deu pau", e só fui ver as imagens da novela agora, e a minha impressão inicial "combinou" a sua bela e imparcial análise... texto, elenco, direção e fotografia impecáveis e o contraste do núcleo dos budistas com a do núcleo do Rio de Janeiro.Os protagonistas B e B não me empolgaram, mas gostei de ver Rosi Campos, Nicette Bruno , Marcos Caruso, Letícia Spiller e José de Abreu.Apostando muito nessa nova novela, que irei acompanhar mais por aqui mesmo!
Agradeço
Bela semana
Abraços

Bia Jubiart disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Bia Jubiart disse...

Hummmm... Sérgio quase não assisto novela, mas pela sua análise deu vontade de assisti, histórias que transcendem costumam ser bem interessantes, e quando tem uma equipe de primeira linha, melhor ainda!

Tenha um dia luz!

Bjoooo

euzim disse...

Eu trocaria toda a produção das novelas atuais e elenco fraco e inexperiente pelas grandes novelas do passado. Hoje só se fala no twitter do histórico suicídio da Laurinha ontem em Rainha da Sucata. Mas falando da novelinha das 6 achei tudo tão insípido, sem emoção. Mas também o elenco não ajuda. E o logo da novela estilo Caminho das Indias, o que é aquilo?

Rita disse...

Bom dia Serginho com muita chuva por aqui....

Assisti e adorei ver as belas imagens dessa novela.....Amo de paixão novela de época acho bem mais bonitas as roupas......o cenário foi lindo
Enfim vamos ver daqui pra frente, com a chegada depois da garotinha linda que tbém aprendi a gostar demais
Uma coisa vou te dizer....espero que a história seja boa mesmo, pq temos ótimos atores!!

tenha um lindo dia de terça feira até!!!

└──●► ¸.·*´¨) ¸.·*Rita!!

Barbie Californiana disse...

Minha vida estava tão agitada, Sérgio que nem vi... hahaa mas vou tentar acompanhar depois para ver como é. ;] beijinhos

Demian disse...

A estreia foi muito boa mesmo, afinal Duca e Thelma sempre trazem um frescor, um texto brilhante, um enredo sempre novo... Porém, acho difícil que desbanque a força de Cordel, que trouxe novidade à teledramaturgia.
Embora entenda que as autoras dêem preferência a um determinado grupo de atores, achei um pouco demais retornarem nos papéis principais o quinteto Gagliasso, Bianca Bin, Carmo, Nathália Dill e Montagner. Parecia que a qualquer hora o Cauã entraria em cena... Mas isso é porque Cordel está muito nítida na minha mente ainda... No decorrer da novela, provavelmente eu esqueça do coronelzinho Timóteo e da princesa Açucena e veja apenas o Franz e a Amélia...
Esteticamente, a novela está excelente, embora tenha me incomodado um pouco a escuridão em algumas cenas.
Bom, mas Duca, Thelma, Amora é impossível deixar de assistir, né? Garantia de qualidade total...

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Olá amigo, eu assisti e gostei bastante, tomara que siga nos agradando! Abraçosss

Sissym Mascarenhas disse...

Sergio,

Não pude ver, a não ser os trailers que foram passando entre um programa e outro. Parece que a historia vai ser boa.

Beijos

Letícia disse...

Boa noite meu caro Sérgio,

Assisto neste momento a novela enquanto escrevo. Minhas primeiras impressões foram as melhores possíveis. A fotografia é linda, os cenários maravilhosos, tudo muito primoroso. Ainda bem que a Globo não deixou de lado as novelas de época. Realmente é muito bonita, apesar de seu enredo não diferenciar muito do clichê. Irmão invejoso, casal que se apaixona a primeira vista, o vilão que ameaça a felicidade alheia, enfim o de sempre. Mas a novela é muito bonita, dá gosto que assistir.

Particularmente não teria escolhido o Bruno Gagliasso como protagonista, provavelmente aproveitaria o Thiago Lacerda, acredito que seria uma escolha melhor, mas quem sabe estou enganada. Bianca Bin mal saiu de Guerra dos Sexos e já protagonista uma novela, será que isso não desgasta a imagem? Por exemplo Thiago Fragoso saiu de Lado a Lado direto para Amor à vida, não é um dos protagonista, o que não causaria um desgaste na imagem, apesar de que me lembrei agora que teve reprise de "O Profeta", nossa a imagem do rapaz está no ar a mais de um ano. A Globo poderia ter resguardado mais a imagem de seus atores. Isto volta aquele velho dilema que a emissora carioca tem dificuldades de fechar seus elencos.

Mas voltado a Joia Rara, foi uma grata surpresa, gostei bastante e vou acompanha, mas sem compromisso. Foi interessante ver que aproveitaram a cidade cenográfica de LAL, foi legal tentar reconhecer algumas partes do cenário.

Boa sorte para Joia Rara, eu particularmente gostei. Acho que a Globo fez bem em fazer uma nova novela de época. Foi um delícia assistir...

Um abraço Sérgio... Até a próxima...

Bruno Marques disse...

Linda,linda e linda.Estou completamente apaixonado por essa obra de arte chamada Joia Rara!!!
que fotografia maravilhosa.Que cenografia genial!!!
Que texto perfeito!!!
Tem tudo para fazer sucesso!!!
Abração Sérgio!!!

Anônimo disse...

Essa novela vai fracassar que nem as outras. Guarde isso.

Anônimo disse...

Grande crítica! Resumiu muito bem tudo o que a novela apresentou até agora e ainda citou os pontos fracos. Parabéns!

Bia Hain disse...

Sérgio, adorei o início dessa nova novela! Embora tenha alguns elementos já vistos em obras passadas e até atores e abertura que lembra obra anterior, achei interessante o contraponto entre uma história clássica e a cultura budista, inovador, inesperado...penso que terá grandes chances de se tornar uma obra inesquecível. Um abraço!

eder ribeiro disse...

Sérgio, excelente crônica. Infelizmente mudaram meu horário no trabalho e não consegui acompanhar a novela, e pela sua excelente crônica já me bateu arrependimento.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Imaginei que você fosse abordar a estréia de 'Joia Rara' e, como não vi, vim me inteirar acerca da trama. Pelo que se observa de sua excelente análise, a novela promete. Se der, vou tentar acompanhar, embora que não assiduamente.

Beijo.

Anônimo disse...

Essa novela é bem parecida com Lado a Lado no quesito qualidade,portanto,vai fracassar também porque o zé povinho não sabe aproveitar o que é bom.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Também gostei do capítulo de estreia, Sérgio. As imagens do Nepal e do Chile foram cinematográficas, a direção foi ágil, boas atuações de Nelson Xavier, Ana Lucia Torre, Domingos Montagner, José de Abreu, Carmo Dalla Vecchia, Marcos Caruso, Letícia Spiller,Bruno Gagliasso e Bianca Bin. Linda abertura.
No capítulo de ontem, gostei da atuação comedida da Carolina Dieckmann.
As cores escuras dos ambientes interiores lembram as de Avenida Brasil.
Quanto à trama, pouco trouxe de novo.

Milene Lima disse...

Não vi o primeiro capítulo, vi um pouco do segundo. Hoje espero ver completo e, apesar da mesmice da Bianca Bin, acho que vou gostar.

Beijo!

Patricia Galis disse...

Não vi o primeiro capitulo esqueci rsrs, mas ontem o segundo assisti não entendi muita coisa mas agora depois de ler o texto sim. Concordo o núcleo dos pobres digamos assim esta maravilhoso, espero que a novela agrade e que não fique muito enrolada.
Legar tratarem o tema sobre budismo gosto de conhecer as coisas e novela de época é minha preferida. Pelo jeito o Carmo vai ser uma peste afff rs.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, obrigado pelo carinho. A Kogut é uma excelente jornalista. E fico feliz que goste dos textos e da forma como eu escrevo. Da próxima vez diga seu nome. Olha, estou pensando em escrever sobre A Próxima Vítima, já Água Viva eu não sei. Quem sabe.. abçssss

Sérgio Santos disse...

Oi Mainy! Obrigado pelo carinho. Nem precisou se identificar e nem apagar o comentário, já sei que é você. =) A novela está linda e tem sido uma delícia assistir. Também estou no aguardo da Mariana Ximenes. bjs

Sérgio Santos disse...

Também torço para que a novela dê um bom ibope, apesar das dificuldades que enfrentará, Thallys. A estreia foi encantadora mesmo e com tantas qualidades que fica difícil citar todas.

Eu já não gostei da música do Gilberto Gil. Achei a letra cansativa e a música muito chata. A do Milton Nascimento combinaria muito mais com a abertura. Erraram nisso. Mas o resto foi e tem sido muito bom. Essa é a típica novela de época que eu amo acompanhar. Sem vergonha de ser novela. abçs

Sérgio Santos disse...

Que bom que ficou viciado, Luan! rs E a novela estreou muito bem e até agora os três capítulo foram ótimos. abçs

Sérgio Santos disse...

Pelo menos conseguiu ver depois, Felis. Olha, até do casal protagonista eu tô gostando. Vejo química e entrosamento. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Bia, obrigado pelo comentário. bjs

Sérgio Santos disse...

Euzim, lendo seu comentário senti saudades do Paulo. Vc realmente achou essa novela parecida com as a Glória Perez? Tá né...

Sérgio Santos disse...

Rita, aqui no RJ tá chovendo bem pouquinho, mas pelo menos isso porque tava fazendo um calor desgraçado em pleno inverno... As imagens ficaram lindas mesmo e a nova novela promete. Também gosto muito de trama de época. bjs

Sérgio Santos disse...

Imagino, Barbie! bjssss

Sérgio Santos disse...

Oi Demian. Realmente esses atores todos participarem do mesmo núcleo deixou tudo muito parecido mesmo com Cordel e foi um erro, mas pequeno. Olha, eu adorei as imagens escurecidas e espero que não mudem porque Lado a Lado começou meio esfumaçada (era lindo) e depois tiraram porque reclamaram. Não entendo as pessoas não gostarem de algo novo. Aliás, fizeram o mesmo com o 'cinza' de Amor à Vida. Mas a dupla de autoras não tá de brincadeira! Abraços!

Sérgio Santos disse...

Tomara mesmo, Kellen! bj

Sérgio Santos disse...

Sissym, a história é linda! ;) bjs

Sérgio Santos disse...

Olá minha cara Letícia. Foi uma estreia linda, né? A novela está muito bem desenvolvida e caprichada. Tudo de muito bom gosto.

Olha, dessa vez discordo (milagre). Não escalaria o Thiago não. O acho um ator mediano e mais uma vez está interpretando aquele mesmo papel de sempre. Tô gostando do Gagliasso como protagonista.

Sobre a Bin, é verdade, desgasta mesmo. E vc fez uma boa comparação com o Thiago. Ele emendou mas saiu de um protagonista para um coadjuvante, isso é menos pior e o papel também era totalmente desafiador pra ele. No entanto, até que tenho gostado dela. Tá fazendo uma boa dupla com o Bruno.

E a trama, de fato, é repleta de clichês e muitos fatos até lembram novelas anteriores, além da própria Amor à Vida, com relação ao irmão invejoso. Mas tá muito boa. bjão!

Sérgio Santos disse...

Concordo com você, Bruno! Abração!

Sérgio Santos disse...

Tá rogando praga, anônimo?

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anônimo. abçs

Sérgio Santos disse...

Bia, é verdade, lembra mesmo outras novelas, mas isso não tira o mérito da obra. Tá tudo muito bem feito. bjsss

Sérgio Santos disse...

Acho que vc ia gostar, Eder. abraços!

Sérgio Santos disse...

Promete mesmo, Vera. Tente ver nem que seja alguns trechos. Vale a pena. bjsss

Sérgio Santos disse...

Anônimo, concordo que parece mesmo Lado a Lado em todos os níveis de qualidade, mas não dá pra saber se irá fracassar. abçs

Sérgio Santos disse...

Tá tudo muito bonito, Elvira. E os atores estão muito bem. Concordo com sua opinião sobre a Carolina Dieckmann. Realmente a história é 'mais do mesmo', mas parece muito boa. bjsss

Sérgio Santos disse...

Espero que tenha conseguido ver hoje, Milene! bjsssssss

Sérgio Santos disse...

Que bom que o texto te esclareceu suas dúvidas, Patrícia. Também amo novela de época e o Carmo será mau mesmo. rs bjssss

Thairys Moreno disse...

Olá Sérgio! Já tô apaixonada pela nova novela, não fez feio no primeiro capítulo, e acho que os próximos tb não farão. Tudo de muito bom gosto, as imagens, cenário, figurino, enfim, Joia Rara tem tudo pra emplacar e ser um grande sucesso.

Não morro de amores pelo Gagliasso e pela Bianca, e como vc falou é impossível ver eles e não lembrar de Timóteo e Açucena, mas reconheço que os dois estão entrosados e rolou química entre o casal da trama.

Só senti falta de um pouco mais de inovação, a impressão que tenho é que as autoras não gostam muito de arriscar e preferem seguir o mesmo padrão, senti resquícios na nova novela da antiga Cordel Encantado, em trechos como vc mesmo citou, mas felizmente nem por isso a novela se tornou menos atraente.
Beijos.

Waldir disse...

Difícil ver novelas por causa dos meus horários de trabalho, vi a novela e achei o elenco maravilhoso, acredito que a historia promete.

Sérgio Santos disse...

Thairys, também estou apaixonado. A trama é muito envolvente. Acho que autoras arriscaram muito em Cordel, mas agora optaram pela segurança. Não vi problema, mesmo que muitas tramas lembrem outras novelas e não sejam novas. Beijão!

Sérgio Santos disse...

A história promete mesmo, Waldir. abraços.

Tropiczine disse...

Olá, Sérgio!
Passei para ler a sua análise da novela "Joia Rara".
Ah, como você tem o dom de escrever com primor!
Um grande abraço!

Sérgio Santos disse...

Tropiczine, muito obrigado pelo seu carinho! bjsss