quarta-feira, 12 de junho de 2013

Canal Viva comemora três anos e presenteia o público com a volta do inesquecível "Sai de Baixo"

Para comemorar os três anos do Viva, o canal a cabo resolveu presentear o telespectador com quatro episódios inéditos de um programa que até hoje é lembrado: o "Sai de Baixo". Desde que começou a ser reprisado pela emissora, o humorístico, que conta a vida de uma hilária família falida do Arouche, não demorou muito para entrar na lista de atrações mais vistas do canal. Caco Antibes, Cassandra, Edileusa, Neide, Ribamar, Vavá e Magda nunca saíram da memória do público e a comprovação desse carinho pôde ser vista na estreia do primeiro episódio inédito exibido na última terça-feira (11/06).


Intitulado como "Sai de Baixo Chatice", o programa voltou se adequando aos novos tempos. Se aproveitando da nova 'PEC das domésticas', Neide Aparecida (Márcia Cabrita) enriqueceu após processar uma ex-patroa e comprou o apartamento do Arouche. Vavá (Luis Gustavo), aliás, perdeu o apartamento por não pagar o condomínio. O episódio se inicia quando os moradores do Largo do Arouche, que não se reúnem há 11 anos, recebem um convite anônimo para um jantar no apartamento onde viveram. Caco (que havia sido preso na Dinamarca), Vavá (que estava na Floresta Amazônica), Magda (que, depois de deportada, morava no aeroporto) e Cassandra (que estava morando na casa de uma tia pão-dura) aceitam o convite movidos pela curiosidade. Ao chegarem no local, se chocam quando vêem a antiga empregada como a nova proprietária do imóvel. Porém, apesar do susto, como estão todos falidos, acabam aceitando o convite da nova ricaça para morar de favor no antigo endereço. Entretanto, no final do episódio, graças ao golpe dado por Caco, Neide volta a ser pobre e o apartamento retorna para as mãos da família. Em suma: o "Sai de Baixo" está de volta.

E o retorno dessa inesquecível turma foi fantástico. O telespectador matou as saudades das piadas politicamente incorretas do Caco sobre a pobreza (agora envolvendo a famigerada classe C), das imbecilidades ditas pela Magda, dos improvisos de Miguel Falabella, do riso frouxo de Aracy Balabanian e
Luis Gustavo, das maluquices da Neide Aparecida e da diversão que os erros de gravação proporcionam. Nem parecia que o humorístico estava fora do ar desde março de 2002. O texto estava inspiradíssimo e ácido como de costume. Houve até espaço para fazer piada com o elevado preço do tomate e com o estado deprimente dos aeroportos brasileiros. Caco Antibes ainda protagonizou uma cena antológica gritando para a plateia: "Chupa Feliciano!" (deputado que integra a Comissão de Direitos Humanos e que já foi alvo de muita polêmica por causa de suas declarações racistas e homofóbicas).

Também foi divertido demais ver Miguel Falabella e Aracy Balabanian brincando em cena um com o outro, como nos velhos tempos. Aliás, todos os atores estavam explicitamente felizes de estarem reunidos novamente. E todos afiadíssimos e totalmente à vontade, afinal, foram muitos anos vivendo esses personagens impagáveis. Com roteiro de Artur Xexéo e texto final de Miguel Falabella, o primeiro episódio --- dirigido por Dennis Carvalho --- ainda contou com a luxuosa participação de Tony Ramos, vivendo um mordomo picareta. Apesar de ter tido uma duração maior que o normal, nem deu para sentir o tempo passar e essa estreia já despertou curiosidade a respeito das três continuações.

Ideia de Luis Gustavo, o "Sai de Baixo" foi apresentado ao diretor Daniel Filho. A proposta era fazer um programa de televisão, com a estrutura de um sitcom, gravado ao vivo em um teatro, com direito a todos os imprevistos que uma peça teatral pode ter, assim como aconteciam em programas quanto a tevê era feita ao vivo. E a trama seria baseada na vida de uma família de classe média paulista. O diretor adorou a ideia, fez as modificações que achou necessárias e o que viria a ser um dos programas de maior sucesso da Rede Globo estreou em março de 1996, logo após o "Fantástico".

Aliás, é impossível não mencionar a "Família Trapo", uma atração da década de 60, que se desenvolvia em torno da vida do atrapalhado Bronco (Ronald Golias), e também era apresentada em um palco com plateia. A produção agradou e muito na época, mas repetir esse formato na década de 90 foi uma ousadia que poderia dar muito errado. Mas não deu. O "Sai de Baixo" estreou em 1996 e só chegou ao fim no início de 2002, deixando milhares de fãs órfãos e saudosos.

Segundo os atores, até hoje o público cobra a volta da atração. O elevado ibope que as reprises do humorístico sempre alcançaram no Viva e a imensa repercussão que a gravação de quatro episódios inéditos causaram, apenas comprovam a veracidade dessa informação. Só é de se lamentar que Cláudia Jimenez tenha recusado participar desse rápido retorno da turma. Edileusa foi a empegada mais querida do programa e sua ausência, apesar dos ótimos desempenhos de Márcia Cabrita (Neide) e Cláudia Rodrigues (Sirene), sempre foi sentida. Já Tom Cavalcante (Ribamar) não participou desse reencontro por problemas que o humorista ainda tem com a Globo ---- ninguém confirma, mas parece que a emissora nunca engoliu a ida repentina dele para a Record, uma vez que esse fato implicou em uma quebra de contrato.

O retorno do "Sai de Baixo", após tantos anos fora do ar, poderia ter sido uma grande equívoco. O risco de soar forçado ou então de parecer ultrapassado era grande. No entanto, repetindo o que aconteceu em 1996, a ousadia valeu a pena e o resultado não poderia ter sido melhor: Caco, Magda, Neide, Cassandra e Vavá voltaram tão geniais quanto antes e proporcionaram ótimos momentos aos fãs do humorístico.

O Viva foi criado justamente para agradar o público saudosista. E desde que foi lançado, há três anos atrás, vem cumprindo com louvor esse objetivo. Depois de ter reprisado inúmeras atrações da Globo, matando as saudades do telespectador, o canal acertou em cheio na comemoração do seu aniversário. Afinal, exibir quatro episódios inéditos de um humorístico que ainda está no coração do brasileiro é um presente e tanto. O humor politicamente incorreto está de volta, ainda que por um curto período. Para a alegria do telespectador, a turma do Arouche retornou e em grande estilo! Sai de Baixo Chatice!

56 comentários:

Neli Souza disse...

Sergio, há muito tempo não rio tanto como hoje com a volta do Sai de Baixo. Uma delícia ver tanta descontração, tantos talentos reunidos,pra matar saudade de um humor genuíno, que provoca gargalhadas.E,realmente, o "Chupa Feliciano" do Miguel levando o mordomo pelo braço foi inesquecível.Nem parecia que tantos anos se passaram com a atração fora do ar.Único senão: o horário que bate com o de Amor à Vida. Eles teriam ainda maior audiência se evitassem a coincidência.Mas, valeu. Não vou perder nenhum dos 4 episódios. Abraços

paulo disse...

DETESTO esse tal de sai de baixo, nunca gostei. Aquilo não tem graça nenhuma. Sei que muita gente gosta mas eu acho aquilo muito bobo e forçado, enfim, gosto é gosto. Os únicos que tinham ALGUMA graça eram o Falabela, a Claudia Gimenez e a Marisa Orth, o resto Deus que me livre!

Anônimo disse...

Sem contar a guerra de egos visível que era aquele programa, inclusive a Claudia saiu porque brigou com a Marisa. E era bem bobo mesmo aquele humor ali, repetitivo e cansativo.

eder ribeiro disse...

Sérgio, até onde eu sabia, o Viva só passava reprises, é frustrante o que a Globo faz com os telespectadores em não anunciar a volta do programa, mesmo que seja em um canal pago.
PS: qdo digo em anunciar, estou falando em todos os canais da Globo pago e principalmente no canal aberto, devido a sua audiência. Abçs.

Claudia Kalman disse...

Sérgio..amei o episódio de ontem...só achei um pouco longo demais. Amo o Viva e qdo foi lançado estava de licença maternidade..maravilhoso, mas tb tem o defeito de passar uns programas nada a ver (tipo SOS Baba). Preferia que funcionasse tb como horário alternativo do programa da Fátima, como já acontece com o Video Show, Mais Voce, etc..

Kellen Bittencourt disse...

Oii amigo, eu assisto de vez em qdo o canal Viva, qdo estou zapeando com o controle remoto, bacana ver eles juntos assim novamente, uma pena a ausencia dos outros integrantes! Abraçosss

✿ chica disse...

O SAI DE BAIXO é muito legal e dá pra rir bastante já só com as caras do CACO,sr ; Gosto de todos! abração,chica

Mariana Nascimento disse...

Oi Sergio
Amei quando li a noticia que o Viva iria apresentar 4 episodios inéditos do Sai de Baixo.
Sou uma das milhares de orfas que o programa deixou.
Eles fazem agente rir só de olhar pra cara deles.
Dava para perceber a felicidade de cada um dos atores em estar novamente com as personagens de tanto sucesso.
O que dizer de Aracy e Miguel?? como eles se divertem, GENIAL
E a Magda...11 mais burra rsrrs..e o Luis Gustavo maravilhoso, cantando água de coco...quase morri
(aliá achei até que a Marisa ia cantar solteirinha da pompeia, trela rsrsrsr)
Amo todos os personagens, porém nunca fui muito fã da Marcia Cabrita, acho forçada, então pra mim, a única parte "ruim" foi nao ter a Claudia Jimenez e sua inesquecivel Edileuza.
Ah e tbm uma pena o horário, que depois das 9:15 tive que ficar pulando entre Sai de Baixo e Amor a Vida, então perdi um poruco das duas atrações.
Bjos
Mariana

Barbie Californiana disse...

Esse programa era demais... o bordão cala a boca magda, tá até hoje fixado em minha mente, Sérgio... rs rs rs

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia, ops boa tarde
Sérgio
Sim..foi uma bela ideia da Vida comemorar seus três anos com o "Sai de baixo".É é uma pena que será só episódica, e que não pudemos ver Claudia Jimenez e Tom Cavalcanti,de volta!...Eu gostei!Até hoje, me lembro, que apesar do sucesso do humorístico ,no início ele foi muito
criticado pelo politicamente incorreto do Caco...
Obrigado pelo carinho
Boa quarta feira
Abraços

Milene Lima disse...

Poxa, como sou desantenada. Ouvi boatos desse retorno mas não sabia do que se tratava, então perdi o episódio de ontem.

É uma pena a Claudia Gimenez não está no elenco, porque as cenas dela com o Falabella eram as melhores.

Estarei atenta para o segundo episódio.

Beijo, Sergio.

Carolina Lima disse...

Sérgio,
achei o máximo essa novidade!!!
Adoooro 'Sai de Baixo'.

beijinhos :*
Carol
Um blog simples
Facebook

Patricia Galis disse...

Como sinto falta da tv a cabo afff, no final o Sai de baixo já estava sem graça mas tbm foram anos, mesmo assim sempre me diverti muito, a Magda era engraçada demais.

Zilani Célia disse...

OI SERGIO!
CASUALMENTE HOJE PELA MANHÃ FALEI COM UMA PESSOA QUE ESTEVE NO TEATRO ONDE FOI GRAVADO O PROGRAMA DESTA TERÇA FEIRA E ME DISSE TER GOSTADO MUITO.
ACHO QUE ONDE ESTIVER O "FALABELA" HAVERÁ SUCESSO, AINDA MAIS COM ESTA MESMA TURMA QUE AGRADOU TANTO A TODOS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

Tom Cavalcanti, Claudia Jimenez não fizeram falta, e muito menos a chatíssima Claudia Rodrigues

VERINHA TIBURSKI disse...

Boa noite amigo Sérgio.
Fiquei super feliz com a novidade do canal, ri muito com o sai de baixo, adoro o canal viva e estou acompanhando a novela Renascer, matando a saudade de uma novela que amava. Sai de baixo, Toma lá da cá e tantos outros programas que mata a saudade.
Claro que os atores que não estão mais fazem falta, mas fizeram muito bem na volta do programa.
Maravilhoso post.
Beijinhos.

Smareis disse...

Olá Sérgio!

Dei uma sumidinha, mais cá estou de volta.
Eu sempre gostei de assisti o Sai de Baixo, e os improvisos do Falabella, muito legal mesmo. O Viva fez uma ótima escolha.

Rir é a melhor solução nesse mundo tão cheio de problemas.

Beijos e uma ótima semana!

Carlos disse...

Já gostei (nos 3 primeiros anos), depois achei uma chatice. E esse episódio novo também. Nem falo pelas situações absurdas, porque isso o programa sempre teve, mas pelo texto.

Ok, o programa nunca teve um "texto", eles sempre fugiram, mas nos últimos anos eles começaram a fugir demais e o ego começou a falar mais alto. Só pra servir como exemplo, nas falhas finais só deu Falabella. Tenho a sensação de que ele força pra errar. Achava isso legal, mas não mais.

As piadas... Bem, pra quem tem boa memória, eles reprisaram várias, teve uma que o próprio Falabella "confessou" com a Márcia Cabrita. Teve uma outra cena em que a Márcia Cabrita fala que tinha passado 2 meses, a mesma piada que teve no último episódio de 2002... Tomate? Ok, deu pra engolir essa piada velha que até a Ana Maria já fez, agora o PEC das domésticas foi bem forçado. Artur Xexeo fez com o Sai de Baixo a MESMA coisa que faz com Pé na Cova. Um "humor" que dizem ser ácido e engraçado, a diferença é que aqui tem personagens que sentimos saudade, mesmo com o desgaste dos últimos anos. Me desculpe, mas essa piada do "chupa Feliciano" só teve graça para o público que agora "ama os gays". Não acho correto o Feliciano, mas essa piada seria inteligente se fosse do nível Pé na Cova (não gosto, mas assumo que a cena em que todos foram representados pelo beijo do Ruço foi interessante, não perfeita, mas isso tenho uma explicação que não cabe aqui) e de A Grande Família (o bafafa pelo tal beijo que fez mais barulho na vida real do que dentro da série), aí sim seria interessante e inteligente, mas "chupa"? Piada nível Pânico? Adoro programas politicamente incorretos, mas até pra isso tem que ter uma certa inteligência, uma realidade que Sai de Baixo perdeu com o tempo graças a saída de alguns autores e egos. Os Normais era politicamente incorreto e apesar da queda no ano final e de algumas baixarias, não ia para a piadinha comum, como os que citei.

Assisti em família e apesar da plateia, que as vezes achei que forçavam o riso, afinal todos ali eram "amigos", não esboçamos riso uma única vez. No máximo achei graça da Aracy falando em outra língua e rindo. Apesar de gostar dela e de alguns atores, se for pra rir de erros, prefiro rir dos erros no vídeo show ou entre meus amigos fazendo graça.

Abraços

Thallys Bruno Almeida disse...

Sensacional essa volta, Sérgio. Ri como poucas vezes. Me senti voltando aos anos 90. Imagina quem estava na platéia do Procópio Ferreira, então...

E fiquei feliz pela acidez, agora com os temas atuais, continuar forte e impagável. Várias referências atuais: ascensão da nova classe C, a doença da Jolie, os figurinos dos sertanejos atuais, a situação dos aeroportos, o "chupa Feliciano", a alta do tomate...

Tony Ramos foi uma das cerejas do bolo mostrando seu talento internacional agora como um francês, ainda que picareta. Falabella e Aracy impagáveis, Marisa com o mesmo excelente timing de comédia e Márcia Cabrita sensacional. Adorava a Edileusa, mas ainda assim fiquei feliz com a volta da Neide Aparecida. Sobre a Sirene da Cláudia Rodrigues não posso falar por não ter visto seus episódios. O Tom com ctz não volta, ainda mais depois das palavras do Schroder.

Em tempos de tanta interferência da censura indicativa nos conteúdos dos programas de TV, nada como nos deliciar com o humor que não tem o menor medo de ser direto e ácido. Presentaço do canal Viva. Abç!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, boa análise. O elenco do "Sai de Baixo" é ótimo, mas não via muita graça no programa. Apesar de reconhecer que ele fez sucesso.

Lulu on the Sky disse...

Adoro Sai de Baixo. É o melhor humoristico de todos os tempos.
Big beijos

BIA disse...

Sai de Baixo foi mesmo um ótimo programa humorístico, era de rolar de rir!!!
Que legal que estão passando 4 episódios inéditos!!! Vale à pena ver!!!
Bjs :)

Luma Rosa disse...

Oi, Sérgio!!
Assisti muito pouco o "Sai de baixo", porque era em uma época em que estava fazendo faculdade, mas os episódios que assisti, gostei bastante.
O Bordão “Eu sou pobre, mas sou limpinha”, dita pelo personagem Sirene, de Claudia Rodrigues, repercute até os dias atuais. Vários trejeitos e jeitos dos personagens cairam no gosto popular.
Bom restinho de semana!!
Beijus,

Sérgio Santos disse...

Neli, eu também ri muito! Foi um prazer ver aquela turma toda de volta! Uma pena mesmo o horário coicindir com Amor à Vida, mas eu deixo gravando um ou outro. rs bjs

Sérgio Santos disse...

Paulo, quase sempre prevejo seus comentários, mas dessa vez confesso que fiquei surpreso. Jurava que vc gostava. Eu sempre fui fã da série. Principalmente dos improvisos dos atores. Aquilo é uma grande brincadeira. A Cláudia Jimenez era uma das melhores mesmo, mas todos formam um bom conjunto. Com exceção do Ribamar, esse sim, pra mim, nunca fez falta. abç

Sérgio Santos disse...

Anônimo, pelo que eu sei a Cláudia brigou com o Daniel Filho e não com a Marisa. Mas nem tem o que se preocupar, essa volta, infelizmente, será curta.

Sérgio Santos disse...

Entendi o que vc quis dizer, Eder. Realmente só são reprises, mas dessa vez, para homenagear o aniversário do canal optaram por essa volta. A reprise do Sai de Baixo é uma das que mais fazem sucesso. Parece que estão planejando uma nova versão do Globo de Ouro especial também. Espero que seja com as bandas da época, porque se for com a musicalidade atual... abç

Sérgio Santos disse...

Oi Cláudia! Eu gostei da longa duração, até porque só teremos 4 inéditos, então quanto mais melhor. Depois nunca mais mesmo. O Viva também passa filmes que não tem nada a ver, mas o canal precisa preencher a grade senão não haverá tanta reprise que aguente. bj

Sérgio Santos disse...

Kellen, só lamentei mesmo a ausência da Edileuza, porque o Ribamar era um mala pra mim. A Cláudia Rodrigues não pode porque está com dificuldades na fala por causa da esclerose múltipla. bj

Sérgio Santos disse...

O Caco é genial, chica. rs bj

Sérgio Santos disse...

Também sou um órfão, Mariana! E adorei revê-los. Apesar do horário coincidir com a novela, pelo menos tem reprise no sábado às 20h e nos domingos às 23h30. Eu amo a Márcia Cabrita e gostaria muito de vê-la ao lado da Jimenez. Mas não deu, infelizmente. Aracy e Miguel formam a melhor dupla do programa. Hilários. bjssss

Sérgio Santos disse...

Ninguém esquece, Barbie! rs bj

Sérgio Santos disse...

Pois é, Felis, se o Caco era criticado naquela época, imagine agora com esse infernal politicamente correto? Gostei muito dessa ideia do Viva e torci para que fossem mais de 4 episódios. Pelo menos o dobro, mas... Abraços.

Sérgio Santos disse...

Milene, vc ainda poderá ver o primeiro: sábado às 20h ou domingo às 23h30. bjão!!!

Sérgio Santos disse...

Também achei, Carolina. bjs

Sérgio Santos disse...

Imagino sua abstinência, Patrícia. rs Foi um grande retorno! bjsss

Sérgio Santos disse...

Zilani, se a gravação fosse num teatro do RJ com certeza eu tentaria ir ou então arrumar um convite. Mas foi só em SP, então... Pena porque deve ter sido impagável. bjs

Sérgio Santos disse...

Anônimo, concordo sobre o Tom Cavalcante, mas discordo da Cláudia Jimenez. Ela era magistral. Cláudia, infelizmente, está doente, mas eu gostava da Sirene.

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado, Verinha. O Viva foi um dos melhores acertos da Globosat, que já tinha bons canais como GNT, Multishow, GloboNwes, Sportv e todos os Telecines. A volta do Sai de Baixo foi um presentão.

Achei Renascer uma trama muito arrastada, aliás, esse é um mal do Benedito Ruy Barbosa. Mas que bom que vc tá matando as saudades. bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Smareis. Tava sumida mesmo, pensei que tivesse acontecido alguma coisa. Bem vinda de volta. bj

Sérgio Santos disse...

Ah, Carlos, o que menos importa no Sai de Baixo é a história sem nexo. Achei o Sai de Baixo chato na época em que a Neide apareceu para substituir a Jimenez. Ficou um bom tempo assim. Mas depois ela foi se entrosando e o programa voltou a ficar ótimo. A fase em que Ary Fontoura e o saudoso Luis Carlos Tourinho entraram também foi muito boa.

Olha, Carlos, eu sou hétero e acho o Feliciano um ser desprezível. Ele não fala só absurdos de gays, fala de negros e falou uma quantidade aguda de imbecilidades sobre o acidente dos Mamonas Assassinas e o assassinato do John Lenon. Pra piorar, ainda resolveu defender o pastor Marcos, aquele que está preso acusado de lavagem de dinheiro, inúmeros estupros e assassinatos. Achei esse Chupa Feliciano mais do que bem-vindo.

No caso do tomate, foi tardio mas não por culpa deles. A volta só ocorreu agora, meses depois do auge da inflação, paciência.

O Miguel disse que aquilo é uma grande brincadeira entre eles e concordo. Não vejo guerra de egos. Até porque, os que tiveram guerra saíram e infelizmente a Jimenez tá no pacote, tanto que se recusou a voltar por isso.

Não acho que o Miguel força pra errar não. Força sim pra fazer a Aracy rir e acho ótimo. Não perderei os três restantes até porque depois nunca mais. E agora é pra valer. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Fiquei com inveja daquela plateia, Thallys. Queria estar lá.

Realmente os temas atuais foram muito bem explorados e ainda me esqueci da Angelina Jolie. Aliás, vi que num episódio o Falabella vai reviver a Dona Caca. Mal posso esperar.

Não lamento essa 'não volta' do Tom pra Globo. Nunca vi graça nele. Em nada. Nem João Canabrava, nem aquele Pit Bicha, nem Ribamar, nem nada.

Seria legal ver Neide e Edileuza juntas porque se Jimenes topasse, não excluiriam a Márcia. Mas ela não quer...

A fase da Cláudia Rodrigues foi muito boa também. Aliás, eu revi todos os episódios no Viva. Foi ótimo. abçs

Sérgio Santos disse...

Elvira, esse retorno foi muito bem-vindo. Sempre fui fã do programa. bjssssss

Sérgio Santos disse...

Oi Lulu. Também adoro. bj

Sérgio Santos disse...

Vale a pena mesmo, Bia. bjssss

Sérgio Santos disse...

Luma, o programa foi um fenômeno. Impressionante o sucesso que fez. Não por acaso que deixou tantos órfãos. A Sirene era ótima. Bjssss

Clau disse...

Oi Sérgio,td bem?!
Nem sabia que os episódios inéditos do Sai de Baixo,iriam passar no Viva.
Agora eu sei!
Perdi o primeiro,mas quero ver os próximos.
Obrigada.
Bjs \o/

Sissym Mascarenhas disse...

Que bacana, Sergio.
Eu já me diverti muitas noites com esta turma. Parece que a nova trama vai gerar boas gargalhadas.

Beijos

Carlos disse...

Falei do texto porque vi elogios ao mesmo, mas aí me perguntei: que texto? Por exemplo, o que tinha a ver a Magda perguntar sobre ser filha da Cassandra? O programa nunca foi salva pelo texto, mas sim pelos improvisos e deles não conseguirem segurar riso. O programa se transformou numa esculhambação, diferente da proposta, e isso foi ótimo. Só acho que elogiar o texto é forçar a barra.

A piada do tomate pode não ter sido culpa, mas e a da "mesma roupa"? Óbvio que não existe piada inédita, o meu problema foi mais com o fato de que todos já fizeram essa piadinha do tomate trocentas vezes. Poderia ter sido muito bem retirado, mas era notório que o "roteiro" foi feito na sacanagem, diferente de inteligência que alguns amam falar (alguns inclusive usam isso para parecer o intelectual por entender um humor inteligente. Detesto isso rsrs.)

Sim, sei disso tudo do Marco Feliciano, só não achei a piada genial ou antológica, porque isso de "chupa" o Pânico já faz um bom tempo e ninguém considera isso antológico. Só porque o Falabella disse agora é? A crítica discreta do Pé na Cova e da Grande Família foram geniais.

Nunca tive problemas com a Neide. Achava que o problema era o carisma da anterior e saudosismo que todos temos, alguns mais, outros menos. Eu tenho menos. Com o Ary e o Luiz Carlos Tourinho achei a pior fase do programa. Tudo soava repetido e forçado. Com a empregada nordestina a coisa piorou.

Vi uma entrevista em que o Miguel falou que tinha visto um jornal citando em letras garrafais o nome de Claudia e Tom, com o resto do elenco tendo seu nome reduzido. E que nos programas seguintes ele resolveu juntar forças com Marisa inventando cenas de sexo para os dois. Vou nem entrar na questão de apelação (apesar de ser um pouco, eu não sou careta) mas na dos egos. Aí já dá pra ver o ego. A vontade dele de querer aparecer e ser o engraçado. Quem é fã dele vai dizer que é "brincadeirinha do Miguel". Eu já tenho minhas dúvidas. Uma coisa é se unir pra juntar forças pra esquentar o programa, outra é pra aparecer. Apesar de achar que eles deixaram qualquer desentendimento no passado, ainda acho o Miguel amostradinho. Toda hora ficava naquela palhaçada de "quero sexo", errou uma porta (Aí que achei que ele errou forçadamente. Ele esqueceu onde fica a porta principal? Eu que não trabalho lá sabia rsrs). Quando os outros erravam lá vinha ele e falava algo. Só não daria zero pela piada que ele fez com a Aracy sobre a Armênia (e de novo uma piada típica dele, com uma palavra com "X/Ch" que lembre "xota").

Mas ok, não gosto mesmo, não sei porque perco tempo falando sobre rsrs.

Abraços

Sérgio Santos disse...

Clau, se quiser vc ainda poder ver a reprise desse primeiro no sábado (20h) ou no domingo (23h30). bj

Sérgio Santos disse...

Sissym, já está gerando! rs Beijos!

Sérgio Santos disse...

Pois é, Carlos, o texto sempre foi o que menos importou no Sai de Baixo. Os improvisos e a reação da plateia são muito mais atrativos.

Acho que o texto também merece elogios justamente porque soube se adequar e não deixou o programa com cheiro de mofo.

O Falabella e a Cláudia são melhores amigos desde sempre. Com o Tom surgiram boatos de um desentendimento, mas com ela não. Vejo no Falabella uma pessoa generosa e a reação dos demais com ele no palco comprova isso. Se ele fosse um 'estrelão' por melhores atores que fossem, ninguém ia se divertir com ele como se diverte. E todos riem dele. Luis, Aracy, Marisa, Márcia, enfim...

Sobre o erro da porta principal, nem acho que tenha a ver com porta principal e sim em sair de cena. Era a hora dele sair e ele só não lembrou por onde. Não vi forçação, até porque aquilo nem foi engraçado.

Isso aí de elogiar pra parecer entendido em humor inteligente eu concordo. Também acho isso bem besta. Abraços.

Carlos disse...

Mas renovação do texto nem seria tão difícil, já que os personagens são todos malucos. Mesmo que eles percam a essência ainda estarão dentro da ideia doida da série. Vejamos: Caco bi? (conveniente pra plateia gay/simpatizante presente), tio Vavá trabalhando no meio do mato? (ele não vendia passagens?), o de Magda me nego a comentar, o da Cassandra foi plausível.

Sim, Falabella e Claudia são amigos e até onde eu sei ela saiu brigada com o diretor da época, e depois disse estar arrependida (não entendo porque não voltou então). Com o Tom acho que todos sabem. Quanto ao Falabella, o acho amostradinho apenas. Não o acho tão talentoso assim (Caco, Mario Jorge e Ruço são os mesmos), mas tem quem goste. E quanto a ser "estrelão" ou não, bem, eu não sei, mas tem uns atores aí que parecem simpáticos mas que nem são e ninguém nem imagina, mas vou deixar pra lá porque não me chamo Léo rsrs.

Na cena da porta, ele fala que vai pra rua. Por mais que eles estejam 11 anos sem fazer a série, eles ficaram 6 anos entrando pela porta mais elevada do palco. Uma coisa é ele falar que vai pra cozinha e ir em direção a uma das entradas laterais, mas poxa ele iria sair e não consegue ir em direção a porta, aliás a única porta do cenário. E pra piorar ainda tem dedo dele no texto = melhores falas (piadas) e palavras com "x" ("piXiriquita" = piriquita. "Siri siru cocei xibiu" = preciso nem dizer. Obs.: Cunaré.) e personagens falando no pretérito. Logo logo poderei escrever um texto estilo Falabella rsrs.

Obs.: A parte do Siri siru cocei xibiu só ri por causa da Aracy não aguentando porque se eles falassem sério...

Abraços

Bia Hain disse...

Nessas horas sinto falta de não ter canal pago em casa! =/ Ótima semana, Sérgio!

Sérgio Santos disse...

Carlos, concordo que Mario Jorge e o Caco são a mesma coisa, mas jura que vc vê semelhança no Ruço? Eu vejo uma interpretação totalmente distinta.

A Cláudia alegou estar se recuperando da cirurgia que ela fez no coração, mas não colou muito. Ela não quis voltar mesmo e teve uma época que ela chegou a dizer que odeia voltar ao passado.

Realmente a renovação do texto não era tão difícil, ainda assim corria o risco do programa cheirar a mofo, o que não aconteceu.

Realmente o que vc disse sobre a saída do cenário faz sentido msm.

A parte do 'xibiu' foi genial. Eu ri pra caramba!!!! Abraços!

Sérgio Santos disse...

Bia, eu não sei mais viver sem. Instalei a net assim que ela surgiu e olha que já faz tempo. rs bjs