sexta-feira, 14 de junho de 2013

A hora e a vez dos vilões

A novela é a paixão do brasileiro. Por mais que as tramas não estejam com a mesma audiência de 20 anos atrás, é fato que a teledramaturgia ainda tem sua força. E as tramas brasileiras são conhecidas no mundo todo graças ao mercado, onde a Globo figura como a principal 'exportadora' do país. No mundo da ficção, pode-se dizer com certa tranquilidade que, entre as muitas paixões do telespectador, a vilã está no topo da lista. Afinal, é ela quem movimenta a história e faz as situações acontecerem. E por muitos anos foram as víboras as grandes 'protagonistas' das novelas. Odete Roitman ("Vale Tudo"), Branca Letícia de Barros Motta ("Por Amor"), Cristina ("Alma Gêmea"), Laura ("Celebridade"), Nazaré Tedesco ("Senhora do Destino"), Bia Falcão ("Belíssima"), Flora ("A Favorita") e, claro, Carminha ("Avenida Brasil") são apenas alguns exemplos dessa soberania. Porém, atualmente, por incrível que pareça, a Globo está sem nenhuma grande vilã no ar. Agora, a maldade está sendo exercida por um time masculino.


Em "Malhação", por exemplo, é Sal o responsável pelas vilanias da novelinha. O rapaz atormentou a vida de Lia (Alice Wegmann), uma das mocinhas da atual temporada, até ser finalmente preso pela polícia. Pedro Cassiano tem se mostrado uma boa surpresa e convence na pele do irresponsável sujeito que acabou se perdendo ao se meter com traficantes.

Já em "Flor do Caribe", o vilão da vez é Alberto. O homem é um psicopata obcecado por Ester (Grazi Massafera) e está ficando cada vez mais surtado. Não tem medido esforços para destruir a vida de sua ex e acabar com Cassiano (Henri Castelli). Igor Rickli é um ator muito inexperiente e infelizmente começou muito mal na pele do antagonista, transbordando inexpressividade; no entanto, tem sido visível a sua
evolução. Ainda está longe de ser aplaudido de pé, mas o esforço tem sido válido e convenceu em algumas cenas que exigiram bastante dele. Ainda na mesma novela é preciso destacar o avô de Alberto, Dionísio, um nazista frio e arrogante. Sérgio Mamberti tem feito um ótimo vilão e é um dos acertos da novela. A trama das seis também tem mais um personagem mau caráter: Hélio, vivido por Raphael Vianna. Ele se encaixa na categoria de 'vilão que se faz de vítima'. Ou seja, a história de Walter Negrão contém três tipos de vilões.

A novela das sete não tem um vilão e sim um garoto revoltado. Entretanto, Fabinho também pode entrar nessa lista de 'malvados'. Apesar de não ter feito muita coisa na trama, o garoto deixou a mãe assumir um crime que ele cometeu e não sentiu um pingo de remorso. Nos próximos capítulos, o 'bad boy' vai voltar a colocar em prática esse seu lado obscuro, movimentando a história de "Sangue Bom", que tem precisado mesmo de mais 'agitação'. E ao citar o vilãozinho, é necessário elogiar o ótimo trabalho de Humberto Carrão na pele desse complexo personagem. Outro quase vilão da trama de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari é Natan, vivido pelo repetitivo Bruno Garcia. O empresário já demonstrou sérios desvios de caráter e não é nada confiável.

O time de vilões no ar já estava cheio, levando em consideração o elevado número de vilãs que sempre se fez presente e que agora está bem escasso. Com o fim de "Salve Jorge" --- eliminando consequentemente três pestes (Lívia Marini, Rosângela e Wanda) ---, sendo substituída por "Amor à Vida", a seleção de maquiavélicos recebeu mais um integrante: Félix, o vilão homossexual vivido magistralmente por Mateus Solano. A novela tem menos de dois meses e mesmo assim já é possível dizer que o irmão de Paloma (Paolla Oliveira) é o melhor mau-caráter que está no ar. Com certeza entrará para a lista de personagens inesquecíveis. O papel é cheio de nuances, tem sempre uma ironia na ponta da língua e o ator está espetacular. Muitos o chamam de 'Carminha de calças', porém, é uma comparação que se refere mais ao potencial do vilão, uma vez que são personagens totalmente distintos.

Coincidentemente, a Globo ainda está com outro grande vilão no ar: o maquiavélico Clóvis, do remake bem-sucedido de "O Profeta", exibido atualmente no "Vale a Pena Ver de Novo". Dalton Vigh brilhou naquele papel e foi merecidamente elogiado na época. Todos os personagens da novela sofriam na pele do psicopata que era obcecado por Sônia (Paolla Oliveira) e algumas cenas eram até consideradas 'pesadas demais' para o horário --- 18h.

Claro que já existiram muitos outros vilões na teledramaturgia, caso do Felipe Barreto, de "O Dono do Mundo" (1992), vivido brilhantemente por Antônio Fagundes. Tarcísio Meira, outro bom exemplo, aterrorizou com seu asqueroso Dom Jerônimo na minissérie "A Muralha". Fábio Assunção também brilhou na pele do inescrupuloso Renato Mendes em "Celebridade", enquanto que Wanger Moura fez um gigantesco sucesso vivendo o arrogante Olavo em "Paraíso Tropical". E o próprio Santiago (Juca de Oliveira), em "Avenida Brasil", pode e deve ser lembrado. Porém, não há dúvidas que a Globo vive um atual período bastante incomum.

Após uma sucessão de vilãs, que muitas vezes funcionaram como o grande trunfo das novelas, está claro que o jogo virou. Agora as maldades estão a cargo dos homens ---- tendo como únicas exceções a Leila, de "Amor à Vida", vivida pela linda e talentosa Fernanda Machado, e a Rosália, de "Dona Xepa" na Record, interpretada pela ótima Thais Fersoza; mas, é bom ressaltar, ambas não chegam a ser 'grandes vilãs' e sim interesseiras. A verdade é que, atualmente, os autores resolveram tirar o time feminino diabólico de campo, implicando em uma completa escassez de víboras odiosas em todos os horários. Definitivamente chegou a hora e a vez dos vilões dominarem a teledramaturgia.

65 comentários:

Thallys Bruno Almeida disse...

Bem, Sérgio, em Malhação, mesmo o Sal sendo o bandidão, o Vitor me dava mais raiva que ele. E isso pelo fato de ficar tentando reverter e redimir o cara o tempo todo, mesmo causando perigo à Lia.

Em "Flor", Igor se saía melhor nas cenas dos conflitos entre Alberto e Guiomar. Ontem, ele fez sua até então melhor cena, junto com a Grazi, que foi a expulsão da Ester da casa do vilão. Quanto ao Mamberti, foi o maior acerto do Negrão trazer um ator que fazia falta e num papel de destaque digno de sua grandiosidade. O Raphael desfez a impressão de "ator de um tipo só" que tinha causado em Amor Eterno Amor e convence especialmente nos conflitos com o pai.

Em "Sangue" o Natan não apenas é mau-caráter, mas ególatra total. Suga as ideias da esposa descaradamente e não admite a possibilidade de qualquer pessoa o superar na agência, o que talvez fosse a coisa mais fácil do mundo. Fabinho tá mais pra bad boy revoltadão, que a maior maldade que fez foi atropelar o garoto e revirar a floricultura, mas a conflituosa relação dele com a mãe tem tudo pra render.

Mateus Solano tirou a sorte grande na pele do Félix, embora o bordão de "salguei a santa ceia" esteja cansando. A composição dada por ele é de uma excelência tal que ao mesmo tempo que causa asco, diverte pela ironia fina.

Entre os já citados, Olavo Novaes foi superior a Renato Mendes pelo fato deste segundo ter um pouco menos de "poder de fogo" em relação a Laura. Ainda assim, duas composições geniais de autoria e atuação. Isso pra não falar em Felipe Barreto, Comendador Leôncio (Rubens de Falco) de Escrava Isaura (1976), Marco Aurélio (Reginaldo Faria) de Vale Tudo (1988), Barão de Araruna (Osmar Prado) em Sinhá Moça 2006...

Sobre o Dalton, eu acredito que o Clóvis no conjunto da obra foi mais vilão que o Ferraço, já que a maior maldade deste era no início de Duas Caras (que foi roubar o mestre Hermógenes - Tarcísio Meira - e o golpe na Maria Paula - Marjorie Estiano -, que foi a tôncia da história). Ferraço depois da plástica virou mais um cara arrogante do que um vilão prop. dito, ainda mais com a paixão dele pela Maria Paula, que o redimiu e "repassou" a vilania pra Sílvia (Alinne Moraes).

Os autores vêm fazendo bem em apostar na vilania masculina. A gente agradece. Abç!

Rafael Barbosa dos Santos disse...

ainda ñ foi dessa vez que fui o primeiro rs!!

Bem, to adorando isso de todas as novelas serem movimentadas por vilões masculinos, pra variar um pouco né. De todos citados no texto, meus preferidos são Félix e Alberto, ainda que tenha perdido um pouco do meu encanto pelo primeiro. O Solano realmente está incrível, e ainda acho o personagem fascinante, o "dono" da novela, mas ainda acho suas piadas extremamente forçadas. Acho que todo vilão, antes de mais nada é feito pra ser odiado, o humor deles acaba sendo uma consequência do conjunto todo, espontâneo. Mas o Félix parece ter sido especialmente concebido para ser desses vilões amados e idolatrados pelo público tal como Nazaré e Carminha, por exemplo. Não acho isso um erro, adoro amar odiar um vilão hehe, só que no caso do Félix, isso poderia ser mais natural. Carminha era engraçada, mas não ficava fazendo piada o tempo todo. Acho que o Walcyr poderia dosar um pouco isso. Mas de qualquer modo tenho amado Amor A Vida, e ainda gosto do Félix, tirando suas piadas rs é um vilão extraordinário, e a novela é maravilhosa.
E o Alberto, acho um vilão com V, desses que a gente só odeia. O acho completo, perverso, passional, com uma boa dose de loucura, e ele faz e acontece na trama, ainda nessa fase meio morna de Flor do Caribe. Sinceramente, não acho o Igor tão mal assim, acho ele até muito bem, por ser ainda sua primeira novela, já com um vilão, personagem de peso tão grande. E ele me parece ser um cara esforçado, que estuda e procura se aprimorar, faz teatro e enfim. Acho que ele evoluiu muito do inicio pra cá, e sempre o achei um ator de interpretação sutil, trabalha muito bem com o olhar, a gente sente todo ódio e o rancor do personagem só pelo olhar de Alberto, nuca o vi como inexpressivo, apenas um pouquinho cru, rs Acho que tem futuro, da de 10x0 em muito galã jovem de hj em dia. Também adoro o Dionísio.
Quanto aos os outros, ainda não vejo Fabinho como um grande vilão, e sim como um projeto de um né, mas se em CDC eu simpatizava tanto por Elano, dessa vez eu detesto com toda minha força o Fabinho rs. Mérito do Humberto que está ótimo, embora eu ache que ele mereça um maior destaque em Sangue Bom, o vilão ta muito parado.
Não vejo Malhação, mas o ator que faz o vilão, se não me engano esteve em Rebelde né? Bem, não gostei muito da atuação dele no pouco que vi, nesses últimos dias em que teve um sequestro. O achei fraco, daqueles que só decora o txt e pronto rs, pd ser só impressão, não posso falar mto porque não vejo.
Enfim, para Mim Alberto e Félix, se juntam a essa lista de grandes vilões (Renato, Olavo, Felipe e etc), encabeçando a lista.

Abraços

Thallys Bruno Almeida disse...

Isso, Rafael. O Pedro Cassiano foi o Binho de Rebelde.

Mary disse...

colocar o time masculino em campo é uma boa ideia, movimenta mais as tramas e mudar um pouco, se não tudo cai na mesmice de sempre.. de todos os vilões que vc mencionou só conheço mais Félix, é a única novela que tenho acompanhado ultimamente, o ator recebeu um bom presente, está conseguido demonstrar à que veio.. dos demais, só vi algumas poucas cenas.. beijos mil amigo e ótimo final de semana..

Emerson Nasck disse...

Cara sensacional seu blog. Novelas, confesso que eu gosto muito e vilãs e vilões são meus preferidos. Ah você cita várias que eu amo. Laura Cachorrona, Olavo, e claro Carminha e Felix. Muito bom!!!

MARILENE disse...

Sergio, não havia refletido sobre isso (rss). Estamos vendo grandes vilões na telinha, sendo o melhor, certamente, o maquiavélico Félix. Você foi tão claro em sua explanação, com a qual concordo, que nada tenho a acrescentar. Parabéns pela postagem. Bjs.

Carlos disse...

Ainda bem que não me apaixono por qualquer coisa e estou livre dessas paixões rsrs.

Como já disse, os autores tem investido até demais nos vilões. Não sei como vocês aguentam vê-los se dando bem a novela toda e só se dando mal no final.

Abraços

✿ chica disse...

Só posso falar do Felix, esse tá demais,rs Maldade ali e pouco! Ele está muiiiiiiiiiiiiiito mau! Trabalhando muiiiiiiiiiiiiiiiiiiito bem! abração,chica

✿ chica disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Em Malhação acho o Pedro Cassiano apenas correto.
O Alberto é um personagem riquíssimo, mais que um mau caráter, um psicopata perigoso mesmo, o Igor melhorou ainda em tempo, mas um ator mais preparado enriqueceria muito o personagem.
O Fabinho é uma prova de que é o vilão quem movimenta a trama, ele aparece pouco, Sangue Bom tem pouco ritmo,mas o Humberto está ótimo, como de costume, espero um melhor destaque, mas está encaminhado já uma redenção para o personagem.
O Félix é um tipo complexo, o Solano está perfeito, mas realmente, o bordão e a chuva de frases de efeito atrapalham, se bem que vejo que o Walcyl "podou" os excessos nesses últimos capítulos, pq bordão é coisa de núcleo cômico, convenhamos.
Fico entre o Alberto e o Félix em questão de quem é pior, mas como o Matheus vem sendo melhor que o Igor, Félix vence! AUSHSHAU

Paty Michele disse...

Adoro!
São eles que dão a tônica às novelas. O meu preferido atualmente é o Félix.
Mais conhecido como #BichaMá.

rsrsrs

Um bjo, Sérgio

luzes dobem disse...

Bom dia, gostei do post!
Realmente, e olha que não havia notado, agora é a vez dos homens! O Felix é um personagem bem complexo, acho que "vence" dos demais.
Compartilhado, bom final de semana, bjs, Flavia=)

Anônimo disse...

Nossa, 2013: grandes atores, grandes novelas, grandes vilões, ícones da teledramaturgia.☺

Regina Rozenbaum disse...

Será que essa identificação com os vilões tem haver com o lado mau que habita todos nós e que é sublimado? De qq maneira os vilões e vilãs fazem sempre um sucesso danado! O Alberto... acho fraquíssimo! Já o Solano está a cada dia melhor na construção de seu personagem...expressões faciais fantásticas.
Beijuuss

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Fico impressionada com seus conhecimentos televisivos-rsrs. Você não deixa passar nenhum detalhe. Não tinha me detido neste fato de que os vilões atuais são masculinos. Como não sigo Malhação, Flor do Caribe e Sangue Bom, tenho que me ater ao adorável vilão de Amor à Vida, que tem dado uma pitada especial à novela. O interessante é que o personagem Félix é tão original e divertido que não desperta reação de raiva, como é comum em relações aos vilões das novelas.

Excelente, como sempre.

Beijo e ótimo final de semana.

Rita disse...

Boa tarde!!
Olha Sergio de todos nem sei qual mais MARVADINHO ai acho que cada um com seu papel faz muito bem,o Alberto faz a maldade bem devagar, esse sabe como fazer sofrer, agora o Felix com o jeitinho de santo tbém vai roendo pelas beiras e atacando, enfim maldade não falta em cada um, parabenizo a todos pelo bom trabalho

Deixo um abraço e um bom final de semana
Bjuss
Rita╭•⊰✿¸.•*ღ ღ¸╭•⊰✿

Lulu on the Sky disse...

Sérgio,
Os vilões são melhores construídos e um ator qdo sabe interpretá-los, marca nossas vidas.
Big beijos

Barbie Californiana disse...

É verdade, Sérgio, atualmente, os vilões são masculinos e o Félix é o que está ganhando mais destaque... você repara mesmo nos detalhes, né? rs rs rs beijos e bom sábado.

Clau disse...

Oi Sérgio,
Vc é observador.E tem boa memória!
Sim,os vilões estão dominando a teledramaturgia...
E conforme dizem por aí:
'Não existiria um grande herói sem seu vilão.'
Bom fim de semana.
Bjs \o/

Cristiano disse...

O grande problema de novela é q elas não são dinâmicas como filme ou profundas como serie.

jhwz2011 disse...

O que acha de Thiago Fragoso e Marcelo Antony como atores no geral e como estao nesta novela?

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Obrigado Sérgio pela tua visita em Figuras da nossa terra. Só hoje pude retomar os agradecimentos .
O tempo e o cansaço estão a complicar-me a vida.
Sabes como são saborosos os comentários recebidos. Sem eles parece que estaríamos "a falar pró boneco"
- expressão corrente -

Gosto desse olhar nos detalhes da TV.

A viajante disse...

Sérgio, eu penso que uma novela sem vilão nem faria sentido... torcer por quem, por que? É a luta entre o bem e o mal que nos move. Beijão!

Bia Hain disse...

Oi, Sérgio, como vai? Tirando o Alberto, que acho muito chato (aliás, acho a novela das seis muito chata)acho que os outros estão ótimos como vilões. Mas é claro que o Félix tem sido imbatível. É curioso como, quando um vilão faz bem seu papel, você acaba de alguma forma gostando dele, não no sentido de torcer por ele, mas de esperar para vê-lo em cena.
Um abraço!

Sissym Mascarenhas disse...

Sergio,

Eu só tenho tempo para ver a novela de 21Horas, e curto o Felix, ele é teatral, comico, e, francamente, existem pessoas como ele.

Beijos

Sérgio Santos disse...

O Vitor é irritante mesmo, Thallys.

Não vi essa cena do Alberto expulsando a Ester então nem posso opinar, mas o Dionísio é um ótimo vilão.

Félix é o maior destaque no ar, sem dúvida, e já vejo uma redução do bordão "Salguei a Santa Ceia".

Não citei o vilão do Reginaldo Faria em Vale Tudo justamente porque a grande estrela da novela era a Odete Roitman e até a Maria de Fátima, duas vilãs. Olavo foi superior justamente por isso, o Renato era um bom vilão mas a grande estrela era a Laura.

O Ferraço foi um vilão que não deu certo e o Aguinaldo acabou transformando ele em mocinho. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Quase, Rafael... rs

Olha, eu tenho adorado o Félix e gostei da cena recente onde Amarilis e Eron dizem que acham que ele é gay. Isso foi uma boa resposta do autor aos críticos que insistem em dizer que o Félix tá exagerado. Ele tá mesmo e por isso mesmo todos desconfiam, só não tem certeza justamente por causa do casamento. Não acho as piadas dele forçadas, só o bordão mesmo que cansa.

Eu também acho que o Igor evoluiu tanto que digo isso no texto. Só não o acho incrível ainda. Mas sem dúvida está melhor que antes. Só te achei benevolente com "fase meio morna". A fase da novela tá muito chata.

Infelizmente Fabinho não consegue fazer nenhuma vilania porque sua trama se arrasta... Pena.

Também acho ótimo que esteja havendo uma onda de vilões. As vilãs precisam descansar um pouco. rs Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Mary, obrigado pelo comentário. Verdade, sair da mesmice é sempre válido. bjsss

Sérgio Santos disse...

Puxa, obrigado, Emerson. É um blog simples mas limpinho. Volte sempre. abraços.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Marilene. Né? Há tempos que não tínhamos tantos vilões juntos. Era quase sempre só vilã. bjs

Sérgio Santos disse...

Mas Carlos, isso depende do novelista. O Gilberto Braga, por exemplo, adia o quanto pode a punição dos vilões. Só no último mês que eles começam a cair. Mas há vários atores que colocam os vilões se estrepando durante a novela. Até agora, por exemplo, nada do que o Félix fez deu certo. Abraços.

Sérgio Santos disse...

O Mateus Solano tá ótimo, né Chica? Bjs!!!

Sérgio Santos disse...

Anônimo, assino embaixo de todo o seu comentário. Nada mais a acrescentar. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Paty, o Félix também é o meu preferido. Aliás, Amor à Vida é a minha novela preferida. bjssssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Flávia. Boa semana pra vc. bjs

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, anônimo. Abraços! =)

Sérgio Santos disse...

Com certeza, Regina. Muitas vezes ele falam e fazem coisas que nós não podemos fazer. O Igor começou muito mal como Alberto, mas evoluiu. Já o Mateus roubou a cena logo de cara. bjs

Sérgio Santos disse...

Vera, obrigado pelo seu carinho de sempre! Pois é, todos são masculinos, o que enfatiza uma fase incomum da teledramaturgia. As vilãs tiraram uma folga. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Pois é, Rita, o Alberto faz maldade devagar porque a novela é devagar, né? rs O Félix é irônico e mau na mesma medida. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Exatamente, Lulu. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Oi Barbie. Sempre de olho nos detalhes... rs bjs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Clau. Como bem disse a Adriana Esteves, não existiria Carminha sem Nina. bjssss

Sérgio Santos disse...

Sim, Cristiano, por isso que existe filme, série e novela. Mas novelas podem ser profundas também. abçs

Sérgio Santos disse...

Jhwz2011, estou achando o Thiago excelente e totalmente à vontade no papel. O Antony não compromete.

Sérgio Santos disse...

Eu que agradeço sua visita aqui, Luís. abçs

Sérgio Santos disse...

Verdade, Ju. Toda obra precisa ter ao menos um personagem de caráter duvidoso. bjsss

Sérgio Santos disse...

Oi Bia, tudo indo. Concordo. Achei o início de Flor do Caribe péssimo, mas cheguei a gostar da novela depois. Porém, voltou a ficar chata e agora pouco tenho visto.

O Félix está roubando a cena e o sucesso do Mateus é merecido. Bjsssss

Sérgio Santos disse...

Oi Sissym. Existem mesmo. O que mais tem por aí é homem casado mas que dá tanta pinta que não há como não desconfiar. Bjsss

Anônimo disse...

I am really enjoying the theme/design of your
weblog. Do you ever run into any browser compatibility problems?
A few of my blog visitors have complained about my website not working correctly in Explorer but looks great in Safari.
Do you have any ideas to help fix this issue?

Feel free to visit my homepage :: vakantiewoning frankrijk **

silvioafonso disse...

.


Bom, isso aqui.
Vou seguir você...

Um abraço,

silvioafonso






.

Letícia disse...

boa tarde Sérgio, tudo bem.

Por mais que se torça pelos mocinhos, são os vilões que roubam a cena. O escrúpulo não é uma característica deles, são amorais, ou imorais, não têm enxergam o limites para conseguir chegar no seus objetivos, muitos são sociopatas mesmo. Outros são egoístas e invejosos, há aquelas que praticam acredita que a vida lhes devem algo, enfim são vilões, adorados ou odiados, mas não passam despercebidos (quando obviamente bens construídos).

Da atual novela das seis, não tenho muito que dizer, simplesmente não assisto, mais sei que Sérgio Mamberti é um ator extraordinário, então suponho que seu vilão deva ser terrível.

Acredito que o personagem do Humberto Carrão seja um aprendiz de vilão, é o típico que acredita que a vida lhe deve tudo, mesmo que conheça seus pais e conviva com eles não acredito em regeneração. Sua conduta é de mau caráter mesmo, é invejoso, pois não consegue nem chegar perto da admiração que o Bento desperta.

Félix é o personagem que qualquer ator sonha em interpretar, cheio de nuances que faz aumentar ainda mais sua vilania. Obviamente que foi extremamente reprimido pela família, mas desconta tudo nos mais fracos, como o filho e na esposa, apesar de aparentemente ter tudo, não se contenta e deseja cada vez mais, também é invejoso, já que não tem o mesmo carinho que o pai dispensa a irmã Paloma e é protegido da mãe. Vive um mentira para os outros e para si mesmo. Sejamos honestos é preciso um ator muito bom, disciplinado e sortudo para ter um personagem desses na mão, sorte de seu interprete Mateus Solano.

Normalmente não sou de assisti o Vale a Pena Ver de Novo, mas tenho assistido a reprise atual de "O Profeta", e tenho gostado bastante, Dalton Vigh, realmente, deu um show com seu perverso Clóvis, como não senti raiva do vilão. O interessante que mostra ser um homem doente, um psicopata, que criou a filha da esposa falecida como se fosse sua apenas para manter as aparências, é como aquele ditado popular: Por fora bela viola, por dentro pão bolorento.

Enfim, para se ter um bom vilão é necessário, primeiro ter um bom texto, em seguida um ótimo ator e um excelente direção, estes são o segredo de sucesso para qualquer produção de qualidade.

Um abraço e uma ótima semana...


Rafael Barbosa dos Santos disse...

Oi Sérgio, sobre do Félix dar pinta, eu discordo das críticas, e não vejo problema nisso, se assim não fosse, o personagem não teria 1/3 da graça que tem, só o que incomoda mesmo são os bordões, e as piadas que ele diz fora de hora, ele não precisa ser engraçadinho o tempo todo, tem cenas que as piadas ficam desnecessárias.
Também não disse que o Igor está incrível, o vejo como um ator esforçado que melhorou bastante, mas o personagem sim, é muito interessante e bem construído. Flor do Caribe está em um ritmo lento, mas para mim está longe de ser chata, e não vejo barriga, não chega a estar arrastada, talvez porque me apeguei a trama rs!

Abraços

Edivaldo Ferreira disse...

Algo a acrescentar…

Os vilões sempre foram aqueles que colocam ação em qualquer trama. Até nas histórias infantis, os vilões roubam a cena. Imagina o que seria da história de Branca de Neve, sem aquela rainha má que se vislumbra diante do espelho e por inveja persegue a coitadinha da princesa.

Porém, ha autores que conseguem escrever novelas sem precisar da ação de um vilão tradicional que sai distribuindo maldades e fazendo caras e bocas na telinha.

Manoel Carlos é um desses autores. Discordo que a Branca de Suzana Vieira tenha sido uma vilã que movimentou a trama de "Por Amor", apesar de ser sido uma das melhores atuações de Suzana na TV. A Helena, da brilhante Regina Duarte, com seu drama da troca dos bebês foi o que deu peso aquela inesquecível novela.
Aliás, as personagens de Maneco tem essas características. Personagens com atitudes mais parecidos com a vida real. Sem aquelas atitudes maniqueístas dos vilões tradicionais citados no teu texto.
A Malhação, com a sua atual temporada, fugiu um pouco desse tema. A trama se desenvolveu de forma diferente das outras temporadas que tinha sempre um vilão ou uma vilã que sempre "armava" para atrapalhar o romance de algum jovem casal principal. Não vimos isso nessa temporada. Acredito que a Fatinha (Juliana Paiva), longe de ser uma vilã maniqueísta, foi uma personagem que com a sua paixão obsessiva pelo Bruno (Rodrigo Simas)tem movimentado, e muito, essa temporada. "Bingo" Rosane Svartman e Glória Barreto. Vejo o Sal (Pedro Cassiano), apenas com ações pontuais na trama. Ou seja, "enchimento de Linguiça".

Concordo que em "Flor do Caribe" o Alberto de Igor Rickli, é o personagem que movimenta a história central. Lembra da história infantil da Branca de Neve? O que seria da história do casal Cassiano e Esther se não fosse as maldades de Alberto, apenas um casalzinho feliz, cheios de filhos e… nada mais a contar.

Não acompanho "Sangue Bom", mas me parece que essa trama de Maria Adelaide Amaral me parece ser mais inteligente, não um vilão terrível a movimentar a trama. Os dramas vividos por seis jovens me parece que é o que traz graça a novela.

Já em "Amor à Vida", o Félix, do brilhante Matheus Solano, é o típico vilão, porem nada convencional. Pois o que mais chama a atenção não são as ações promovidas pela personagem, mais sim, as nuances de seu caráter. "Bingo" Walcir Carrasco.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, não tenho tido problemas com meu navegador, não. Mas o meu é Chrome. Não tenho como te ajudar porque sou uma negação nisso! Abçs

Sérgio Santos disse...

Bem vindo, Silvio. Abraço.

Sérgio Santos disse...

Oi Letícia. Concordo com vc, pra variar.

Olha, o Dionísio nem é terrível, ele foi terrível. Suas vilanias são baseadas no que ele fez não no que ele faz. Até isso prejudica a 'ação' da novela.

Fabinho é um aprendiz mesmo e Félix o mestre. Mateus está fantástico. Que grande personagem.

Há muito tempo que não vejo o VAPVDN, mas lembro perfeitamente do Clóvis e o quanto o Dalton deu show. Um baita vilão.

Realmente são os vilões que acabam ficando com as melhores cenas, inevitável. Beijos e boa semana.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Rafael, os bordões encheram mesmo e isso eu concordo. Vejo que o Walcyr moderou isso mas ainda precisa diminuir mais. Não acabar, mas diminuir. Já as piadinhas eu acho ótimas justamente porque são inoportunas. Ele é aquele típico cara que deixa todos constrangidos.

Igor melhorou muito e isso é visível. Mas eu perdi o ânimo com a novela das seis porque tudo voltou a estaca zero. Os mocinhos só ficam dizendo que vão "acabar" com o Alberto e blá blá, mas não sai disso. Claro que ele não pode ser punido agora, mas essa enrolação cansa. Tava assim pelo menos até umas 3 semanas atrás quando eu ainda via mais frequentemente. Agora é um ou duas vezes por semana e olhe lá. rs abraços.

Sérgio Santos disse...

Edivaldo, ótimo comentário. Sobre o Maneco, é verdade, porém, ainda assim, ele insere personagens de caráter dúbio. Vide a Marta de Páginas da Vida, o Marcos de Mulheres Apaixonadas, a vilãzinha da Viviane Pasmanter na mesma Por Amor da Branda Letícia. São personagens que se enquadram na categoria de vilões mesmo sem serem "clássicos".

Lícia Manzo tem um gênero parecido com o do Maneco e ainda assim inseriu a Eva (Ana Beatriz Nogueira), que não era uma vilãzona ,as tinha suas falhas de caráter. Sem isso não tem movimentação na trama.

Concordo sobre as autoras de Malhação. Conseguiram fugir do mais do mesmo. abraços.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, gostei da sua análise e também acho que os atores citados estão se saindo bem nos papeis.

Anônimo disse...

Eu acredito que Aline vai ser mais mais malvada do que Felix em Amor a Vida,ses vao ver,ela esconde muita coisa

Thairys Moreno disse...

Adorei o post Sérgio! Eu já havia percebido, os papéis de vilões estão sendo dominados pelos homens, apesar que ainda prefiro as vilãs no comando, rsrs, vilão feminino sempre impacta mais, e quando elas resolvem ser más, são péssimas, a eterna Carminha que o diga!
Mas os homens tb não ficam pra trás não, o Mateus Solano então está se saindo super bem, Félix frio e calculista como todo bom vilão deve ser, além de ser cômico, por vezes morro de rir com ele! Confesso que ultimamente só tenho acompanhado mesmo a novela das 9, Sangue Bom e Flor do Caribe na minha opinião tem deixado a desejar, inclusive quando se diz respeito aos seus vilões, Sangue Bom parece o tipo de novela direcionada aos adolescentes, com seus arroubos e fantasias juvenis, esse tipo de novela não me atrai, e Flor do Caribe me parece monótona e chata, tanto em relação ao roteiro como aos personagens, enquanto Amor à Vida tem sido espetacular, então não dá pra falar muito em relação aos vilões das outras novelas.
Mas como sempre, vc fez ótimas observações!
Beijos. =)

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Elvira! bjsss

Sérgio Santos disse...

Anônimo, acho que a Aline que se vingar por algo que aconteceu com ela. Não acho que seja realmente má. abçs

Sérgio Santos disse...

Oi Thairyz. Olha, Flor do Caribe tá chata mesmo e realmente Sangue Bom agrada mais os adolescentes. Já Amor à Vida continua cada vez melhor e com ótimas tramas. O Félix é um caso á parte. Mateus está muito bem. Realmente as vilãs costumam impactar mais até porque estão em maior números e há bem mais atrizes talentosas do que atores... Beijossss

adailton77 disse...

Falando-se em vilões, um que eu posso lembrar aqui é de César Brandão (Roberto Maya) de Final Feliz (1982/83), de Ivani Ribeiro, onde ele era um poderoso usineiro de açúcar em Pernambuco, mas residente no Rio de Janeiro, que dava um golpe em sua própria empresa, levando todo o dinheiro embora e ao mesmo tempo, deixando várias personagens na lona como por exemplo, seu amigo e comparsa França (José Augusto Branco) e sua família, a esposa Maria Luiza (Lillian Lemmertz) e as filhas Débora (Natália do Vale) e Suzy (Lídia Brondi), tudo isso para poder usufruir de todo o dinheiro que roubou e para poder escapar ileso de tudo isso, simulou sua própria morte. Era odiado por várias personagens como por exemplo, Marina (Mirian Pires), mas o castigo veio para ele: reapareceu na trama e foi morto de verdade misteriosamente e o mais surpreendente foi a revelação de que o seu assasino foi o seu próprio amigo, o França, que não suportou o fato de ter sido passado pra trás por César e por isso o matou.
Mencionando o Vale a Pena Ver de Novo, segundo o que já rola em alguns sites, o Clóvis (que em O Profeta já é acompanhado por duas vilãs, Ruth e Wandinha) vai sair de cena no começo de agosto, as víboras voltarão a entrar em ação e e ele estará dando lugar a uma vilã e uma interesseira, sim, mas quem são elas? Estou falando respectivamente de Leona (Carolina Dieckmann) e Ellen (Taís Araujo) com a volta de Cobras & Lagartos. Abraço e até a próxima!!!