segunda-feira, 6 de maio de 2013

Reprise de "A Favorita" mata as saudades do público, marca a volta do Novelão da Semana e levanta a audiência do Vídeo Show

Estranhamente, após completar 30 anos de existência, o "Vídeo Show" resolveu abolir o quadro que mais estava fazendo sucesso no programa desde que foi colocado no ar: o "Novelão da Semana". Sem nenhuma explicação, eliminaram o compacto das novelas que costumava ser exibido durante uma ou duas semanas. Porém, provavelmente por causa das reclamações dos telespectadores ou então devido a algumas derrotas no ibope para o apelativo "Balanço Geral" da Record, o sumiço não durou muito. Na semana passada, o quadro voltou ao ar exibindo o primeiro sucesso de João Emanuel Carneiro no horário nobre: "A Favorita".


A escolha foi mais do que acertada e isso se refletiu nos índices de audiência. O "Vídeo Show" tem marcado nos últimos dias em torno dos 9/10 pontos, mas com a exibição dessa marcante trama no "Novelão da Semana", o programa chegou a atingir picos de 15 pontos enquanto o quadro ia ao ar. E não é muito difícil saber os motivos que levaram a isso.

A novela revolucionou o horário nobre ao apresentar para o telespectador um enredo onde não havia uma vilã declarada, apenas duas mulheres defendendo seus pontos de vista e contando diferentes histórias a respeito de um assassinato. Logo no início, o público se encantou com Flora (Patrícia Pillar), afinal,
o autor conduzia a trama justamente para que a cara de vítima da personagem conquistasse a confiança de quem assistia. Já Donatela (Cláudia Raia) muitas vezes tinha atitudes suspeitas e muito contraditórias, o que levava o público a achar que a perua era o lobo em pele de cordeiro. No entanto, os gestos amorosos da ricaça acabavam deixando no ar uma dúvida que nunca era confirmada: Quem está falando a verdade? E João Emanuel Carneiro conseguiu deixar essa pergunta sem resposta até a grande virada de sua obra.

Contrariando os clichês dramatúrgicos, onde a vilã é sempre a rica e a mocinha a pobre, o autor apresentou um capítulo recheado de tensão (sua principal característica) e o telespectador viu, após muitas semanas de mistério, a mulher humilde se revelar um demônio quando ficou cara a cara com sua rival. Naquele momento, a novela tomava um novo rumo e caía definitivamente nas graças do público ---- uma vez que devido ao início inovador, a trama enfrentava uma certa rejeição e o ibope deixava a desejar. Patrícia Pillar, que já brilhava desde a estreia, mostrou sua capacidade cênica e fez de Flora uma das melhores vilãs da teledramaturgia, justamente a partir da emblemática cena em que cai a máscara da víbora. E Cláudia Raia comprovou que sabe fazer drama com a mesma competência que faz comédia. Sua Donatela, que no início da obra estava no comando, sofreu horrores e comoveu o público.

"A Favorita" marcou a estreia de João Emanuel Carneiro no horário nobre e carimbou sua permanência no time de autores do primeiro escalão da Globo. Contendo cenas inesquecíveis de suspense ---- como o macabro assassinato de Gonçalo ----, várias viradas, ótimos ganchos e uma trama central empolgante baseada no trágico fim de uma dupla sertaneja (Faísca e Spoleta), a novela foi um sucesso de público e crítica. Ainda tinha em seu elenco grandes nomes como Glória Menezes, Mauro Mendonça, Mariana Ximenes, Ary Fontoura, Tarcísio Meira, Murilo Benício e Lilia Cabral, que protagonizaram grandiosas sequências ao longo da trama.

O "Novelão da Semana" voltou ao ar relembrando esse sucesso durante duas semanas e matou as saudades do público que até hoje se lembra dos épicos embates entre Flora e Donatela, além de tipos como Silveirinha, Doutor Salvatore, Dodi, Lara e tantos outros bons personagens. O "Vídeo Show" acabou unindo o útil ao agradável: agradou o telespectador trazendo de volta um quadro que estava fazendo falta, presenteou os noveleiros com a reprise compacta de "A Favorita" e ainda ganhou uns pontinhos a mais no ibope graças ao sucesso de uma novela que marcou a teledramaturgia.

55 comentários:

Carlos disse...

Essa sim foi uma novela boa, mas o público, apesar de dizer o contrário, gosta de mesmice e queria "vilã x mocinha". Mas o autor, pelo menos, já tinha tudo planejado e executou tudo como deveria. E como dito por mim antes, Patrícia Pillar pegou todos os prêmios pra si. Por que será? Foi uma brilhante interpretação mas o fato de fazer vilã... Triplica as chances.

obs.: nem sabia que tava passando no video "xô" rs.

abraços

Narinha disse...

Tenho a impressão de que eles estavam já há algum tempo com este quadro, Sergio.Vou me certificar e confirmo.De qualquer forma, foi mesmo muito bom rever cenas daquela inesquecível trama.

Natynha disse...

Amei seu post,aliás isso já não é novidade kkk Sim, sobre ''A favorita'', essa trama foi um grande acerto do João Emanuel fez disso uma obra Extraórdinária e inesquecível, como não amar as duas protagonistas (Donatela e Flora) junto com a co-protagonista (Lara) hein? elas brilharam muito,com grande competência, atitude e talento. Essa foi a melhor novela das , amo demais <3

Sérgio Santos disse...

Pois é, Carlos, o JEC teve que adiantar a revelação da vilã porque o público estava rejeitando a novela. Mas mesmo assim, como vc bem disse, tudo já estava muito bem encaminhado e ele soube levar a trama com maestria. A reprise acabou sexta passada. A dessa semana será do remake de Anjo Mau. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Narinha, já estavam sim. Mas justamente quando o programa completou 30 anos o quadro simplesmente sair do ar sem maiores explicações. Voltou semana retrasada justamente com A Favorita. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Natynha, obrigado! ;)
Novela inesquecível mesmo. Quanta cena boa nós vimos. E Mariana Ximenes deu um show como a Lara. Já Patrícia e Cláudia é chover no molhado elogiá-las. Fizeram embates épicos.

Valeu a reprise, até porque nunca poderá ser reprisada no Vale a Pena Ver de Novo por causa da classificação indicativa. Beijos.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Pra variar, não assisto ao Video Show-rsrsrs.
"A Favorita" foi mesmo uma excelente novela e a escolha do Video Show ao compactá-la para exibição foi muito feliz. Sou grande admiradora da atuação da Patrícia Pillar. Ela é muito carismática e se sai bem em qualquer interpretação.

Muito bom te ler, Sérgio.

Ótima segunda-feira.

Beijo.

paulo disse...

Sem duvida A Favorita foi sim uma ideia inovadora, uma novela onde tudo fazia pensar que a flora era a mocinha injustiçada e Donatela a vilã e depois era exatamente o contrario. Ai o JEC a exemplo da maioria dos autores(que se repetem e se auto plageiam) achou que poderia repetir essa fórmula em AB onde se tinha uma duvida toda a novela se realmente a Carminha era má e Nina boazinha, porque as atitudes delas davam margem pra duvidas. E creio que toda novela dele daqui pra frente repetirá essa fórmula. Mas dou nota 7 pra favorita e 5 pra AB(vou ser bonzinho).

Felisberto Junior disse...

Olá!
Bom dia
Sérgio
puxa vida, não sabia disso!
Eu assistia o Vídeo Show por causa do "Falha nossa".Parei de assistir.
Mas, pode crer, A Favorita foi a última telenovela que acompanhei mesmo ( ou acompanhava por causa de minha ex, sei lá, não vem ao caso, risos). Essa foi uma grande obra mesmo de JEC. Prendeu a atenção, mesmo a dualidade Flora x Donatela.
Vou dar uma "sapiada" no Novelão, então!
Bela análise
Obrigado pela visita
Boa semana
Abraços

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Alguns filósofos diziam que a religião era o ópio do povo...
Parece-me que as telenovelas fazem o mesmo e existem pessoas que deixam de pensar e vivem os dramas e as paixões das telenovelas.

Seria óptimo que não estivesse enganado....

Fernando Oliveira disse...

Comentei em outro blog sobre o fato de a reprise de "O Profeta" estar recebendo uma audiência baixa do Vídeo Show justamente quando resolveram sumir com o melhor quadro do programa. Na TV existe isso, sempre mexem em time que está ganhando. O Vídeo Show ao longo dos anos foi perdendo a sua característica essencial que é falar sobre novela. O Novelão da Semana que logo depois virou simplesmente Novelão e passou a ser exibido em duas semanas, recuperou um público no qual me incluo.

A viajante disse...

Essa novela foi um marco... assim como Av. Brasil! E o melhor, teve Cauâ em duas lindas atuações!!! beijo, querido!

Aleatoriamente disse...

Olá Sérgio querido, passando para te deixar um beijinho.
Desculpa a pressa, mas só vim tomar um cafezinho e aproveitei rsrsr.

Beijo

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Fizeram bem em voltar com o Novelão, porque sem este quadro o programa fica um tanto desinteressante rs. E voltaram em grande estilo, colocando logo uma "A Favorita" e acertaram em cheio. Amei essa novela, está entre as primeiras de minhas preferidas. Assisti do inicio, sofri com o suspense do inicio, vibrei com a revelação e com todos acontecimentos seguintes. é daquelas novelas que você fica com frio na barriga antes de cada acontecimento decisivo. Amava Donatela e Flora, o sacana Dodi, beijinho doce enfim. Um novelão maravilhoso, das melhores coisas que já vi, um grande acerto do JEC. Durante algum tempo cheguei a preferir A Favorita ao fenomeno Avenida Brasil, pois a primeira teve uma abordagem mais inovadora no sentido de deixar em segredo quem era vilã e quem era a mocinha, mas A Favorita teve mais uma trama central impecável e as paralelas não muito, já Avenida Brasil foi feliz no conjunto todo.De qualquer forma, adoro as duas novelas, é tudo JEC e ele é fera rs.

Abraços

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, também gostei muito da escolha de "A Favorita" como o "novelão da semana". Essa novela marcou época, pela trama, pelos desempenhos. Mas senti falta, na condensação dos capítulos, dos personagens Copola e família, Catarina e Leo. Sei que o tempo é curto, mas ao menos poderiam ter sido mostradas algumas cenas, inclusive porque, na época, muito se falou na Lei Maria da Penha.

Clau disse...

Oi Sérgio,boa tarde!
'A Favorita',foi um marco na teledramaturgia.
Eu,que não sou fã de novelas,fiquei impressionada com a trama.
Lembro de muitas cenas,até hoje.
Pena que,como não assisto ao Vídeo Show,não vi a reprise compacta dessa novela...
Bjs :)

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Gosto de vir aqui e saber das
novidades, suas matérias são imparciais.
Recomendo seu blog pra meus
familares e amigos.
Bjins e bela semana!

Filha do Rei disse...

Sérgio, realmente esta novela marcou a tv:Patrícia Pilar mais uma vez estava maravilhosa na atuação.A novela era cheia de vida no transcorrer da história e nos intrigava muito, esperando o desfecho de cada ação entre os personagens.
Espero que não terminem com este quadro no Vídeo Show.

A pergunta que deixaste no comentário lá meu blog fez-me refletir e virou um novo post: toda moeda tem os dois lados, né. A irresponsabilidade dos políticos e também muitas vzs a nossa por não fiscalizarmos ou por simplesmente nos deixarmos enganar, de não agirmos como devemos.Obrigada. Bjs

Bruno Marques disse...

Foi muito bom rever A Favorita no Vídeo Show.João Emanuel Carneiro é gênio e provou isso nesse novelão,aonde ele enganou o telespectador por um bom tempo.Já o Vídeo Show conseguiu ótimos índices com,mas essa semana já deixaram de exibir o quadro novamente!!!
Espero que retornem com o quadro urgentemente e de preferência com uma novela de forte apelo popular!!!
Abraços Sérgio!!!

EDER RIBEIRO disse...

Sérgio, A Favorita fez com q eu tomasse gosto pelas novelas, ainda mais q sou fã da Patrícia Pilar. Realmente foi uma novela q marcou. Abçs.

Lucas disse...

Acompanhei um pouco pela TV e outro pouco pela internet. Não podia ficar sem assistir...

Barbie Californiana disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Barbie Californiana disse...

Você é um apaixonado por novelas, né Serginho? ;] beijos e linda semana.

Ps.: Aonde foi que você viu a matéria sobre a campanha de livros? Dia e canal?

MARILENE disse...

Essa foi uma ótima novela e você até me fez recordar alguns detalhes (rss). Tirar o quadro do programa é um grande erro, realmente. Bjs.

VERINHA TIBURSKI disse...

Olá Sergio
A Favorita foi uma das novelas mais espetacular que assisti, nossa foi um sufoco aguentar tantas emoções, que diria que a vilão era a mocinha. Patricia Pilar desempenhou o papel divinamente, não tem como não assistir novamente, por mais que seja por pouco tempo.
Uma bela semana
agradeço o carinho da visita.
Beijos.

Anônimo disse...

Aqui tem a lista de todas as novelas que já passaram pelo quadro. Segue o link >>> http://navegandopelasnovelas.blogspot.com.br/p/novelao-da-semananovelao.html

Francine Baudelaire disse...

Não sou fã de novela, mas confesso que A Favorita me cativou como nenhuma outra... Quer dizer, como quase nenhuma outra. Avenida Brasil e A Favorita sem dúvidas são as melhores novelas que já assisti. Ambas com personagens marcantes e vilões singulares! Abraços!

francinebaudelaire.blogspot.com.br

Sérgio Santos disse...

Oi Vera, obrigado. A novela foi um marco e Patrícia deu um show! Beijos!

Sérgio Santos disse...

Puxa, Paulo fiquei surpreso com seu comentário. Pensei que fosse descer a lenha. Mas sobre Avenida Brasil, no caso só houve dúvidas sobre a real motivação da Carminha. A Nina sempre foi declaradamente uma mocinha porque vimos a desgraça que foi a infância dela. Só era uma mocinha politicamente incorreta. Abraços.

Sérgio Santos disse...

A novela foi um marco, Felis. Flora e Donatela protagonizaram grandes cenas e as atrizes foram excepcionais. Ainda tinha Lilia Cabral e Jackson Antunes nas fortes cenas d violência doméstica, enfim... Abraços.

Sérgio Santos disse...

Luís, eu discordo totalmente do seu comentário. Acho isso de alienação uma bobagem... abraço

Sérgio Santos disse...

Vai entender porque fizeram isso, né Fernando? Pelo menos se arrependeram. O Profeta foi uma excelente novela e não merecia estar com uma audiência baixa na reprise. Outra razão sem explicação... Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Ju. Gostei do Cauã em A Favorita mas não gostei em Av. Brasil. Bjsssss

Sérgio Santos disse...

Oi Fernanda. Outro pra vc. bjs

Sérgio Santos disse...

Exatamente, Rafael. A Favorita tiveram tramas paralelas que não deram certo e outras que ficaram bem apagadas, já em Avenida Brasil houve um acerto total. Por isso prefiro a segunda, mas fica difícil fazer a escolha tendo Flora e Donatela como adversárias. Grande novela. Que bom que voltaram com o Novelão. Parece que agora não será mais semanalmente. Mas pelo menos voltaram... Abraços!

Sérgio Santos disse...

Elvira, marcou época mesmo. Acho que ignoraram a trama da Catarina porque era muito violenta e não poderiam passar. Nem mostraram a morte do Gonçalo direito... Mas foi uma reprise mais do que bem-vinda! bjs

Sérgio Santos disse...

Clau, quem viu essa novela jamais esquecerá. Foi um marco na teledramaturgia. bjs

Sérgio Santos disse...

Oi amiga, que bom que vc recomenda. Fico feliz.

Sérgio Santos disse...

Ou Cléu, a trama foi instigante e recheada de tensão. Aliás, principal característica do autor.

Sim, nossos políticos são uma vergonha mas quem vota neles também é. Claro que há exceções também. bjs

Sérgio Santos disse...

Deixaram de passar essa semana, Bruno? Pensei que viriam com Anjo Mau. Mas então essa reprise virá depois. Porque eu li que o quadro não seria mais semanalmente. Uma pena.

A Favorita foi genial! abraços.

Sérgio Santos disse...

Eder, como não ser fã da Patrícia Pillar? Após tantas mocinhas, ela deu um banho vivendo essa psicopata. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Lucas, não tinha como. Pelo menos um pouquinho era preciso rever. abraços.

Sérgio Santos disse...

Deu pra notar, né Barbie? rs Foi no Jornal Hoje de sábado. bjs

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Marilene. bjs

Sérgio Santos disse...

Verinha, até vc que não é muito fã de novelas adorou, né? Foi uma revolução no gênero. Muito bom recordar. bjssss

Sérgio Santos disse...

Francine, também amo A Favorita e Avenida Brasil. Suas grandes obras do JEC. Beijos.

Thallys Bruno Almeida disse...

A Favorita foi simplesmente GENIAL. Digna do termo novelão.

A primeira fase, onde a audiência não tava lá essas coisas, trouxe bons elementos ao mostrar Irene antipatizando com Donatela, como se deixasse claro que ela carregasse toda a culpa da morte de Marcelo Fontini. E a Flora lá, se fazendo de santa, conquistando o público pra depois nós percebemos que JEC nos "enganou com elegância", utilizando uma expressão atribuída a Janete Clair.

O JEC inicialmente antecipou a grande revelação para o cap 56 porque a audiência tava baixa, mas isso acabou sendo um ponto positivo porque permitiu a ele trabalhar em cima disso e mostrar que grandes revelações não precisam ficar para as últimas semanas/capítulos, exemplo que seria seguido também por outros autores (a menos que já tenham feito isso antes dele).

Mariana Ximenes fez uma Lara brilhante, inteligente, mocinha de personalidade forte de verdade. A química dela junto com o Cauã foi visível, embora Halley fosse um completo mala. Patrícia e Cláudia dispensam mais comentários, especialmente a primeira. Isso sem falar em Ary Fontoura e Mauro Mendonça.

Sobre as tramas paralelas, o Video Show até fez bem em deixá-las de fora, por não terem dado certo. A única que eu ainda lamento é a da Catarina (Lília Cabral), pela violência doméstica.

A Favorita foi a consagração merecida do JEC e daí pra cima. Novelão de verdade.

Por falar em Novelão: a partir da semana que vem Avenida Brasil terá três semanas no especial. A novela foi aquilo tudo mesmo, mas fico pensando se não era melhor dar o mesmo prazo pra A Favorita, aproveitar essa semana que o quadro não tá passando (ou se está eu não tô vendo) pra abordar um pouco mais da trama. Apesar disso, o reconhecimento a JEC é mais que merecido. Abçs!

Thallys Bruno Almeida disse...

Reformando o último parágrafo: em vez de voltar com Avenida Brasil no Novelão, dar essa chance a uma mais antiga dos 80/90.

Milene Lima disse...

O novelão me fez assistir o Vídeo Show a semana inteirinha. Amei rever fragmentos da melhor de todas as novelas, na minha desimportante opinião.

Beijo, Sérgio.

Sérgio Santos disse...

Thallys, foi genial mesmo e eu fui enganado totalmente pelo autor. Realmente acreditei que Flora era a boazinha. Levei um susto. Que grandiosa novela!

Merecia ser sucesso logo de cara mas infelizmente o público rejeitou porque o autor quis fugir da mesmice. Pelo menos valorizou a novela a tempo.

A única trama paralela que deu certo de fato foi a da Catarina. As demais não deram, principalmente a do núcleo do Milton Gonçalves, Fabrício Boliveira e Taís Araújo.

Olha, amei Avenida Brasil, vc sabe, mas achei essa reprise muito cedo. Desnecessário. Claro que vou adorar rever, mas deveriam, sim, ter esperado. Ainda mais que já reprisou A Favorita do mesmo autor. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Foi muito bom, né Milene? E para de dizer que sua opinião é desimportante. bjssss

Raquel disse...

Oi, Sérgio!

A Favorita foi uma das poucas novelas que eu acompanhei nos últimos anos. Não peguei o início da novela porque fazia um tempo que as novelas das 9 não despertavam meu interesse (com aquele mesmo rodízio de autores que sempre trazem mais do mesmo, como já tinha comentado antes). Comecei a assistir justamente após ler uma crítica de que a novela estava com uma proposta inovadora e de que a maior parte do público que assistia era formada por pessoas que geralmente não gostavam de novela. O texto ágil e as reviravoltas imprimiam um ritmo de série e isso foi um refresco para o gênero que estava começando a ficar desgastado.

Não é preciso dizer que eu AMEI a novela e não perdia um capítulo! Realmente essa me fez acreditar em uma luz no fim do túnel para a novela das 9. Como crítica, achei que o JEC pesou um pouco a mão na Flora no final fazendo ela ficar quase uma vilão de desenho animado, mas dá pra perdoar pelo conjunto geral da obra.

Não consegui acompanhar AB e nem tive muita vontade. Ainda estou pra descobrir o que de revolucionário tinha numa história (Conde de Monte Cristo) que já foi explorada tantas e tantas vezes. Talvez algum dia tenha paciência pra ver alguma reprise. Enquanto isso, a obra-prima de JEC pra mim vai continuar sendo "A Favorita".

Abraços procê!

Raquel disse...

Só pra elaborar um pouco mais sobre AB, entendo que a novela foi um fenômeno de repercursão e realmente saiu do lugar-comum do gênero. Acredito que exista uma espécie de efeito cascata nessas coisas; com tanta gente dizendo que a novela era boa e com todos os seus amigos comentando e assistindo, muita gente acaba acompanhando junto. Lembro de uma crítica do Stycer que dizia que fazer novela não é uma ciência, mas é muito interessante pensar em como sucessos e fracassos de audiência e de crítica nascem.

No meu caso, não assisti porque a idéia não me apeteceu mesmo. Essa história de vingança é ótima para um filme ou uma minissérie, mas pra novela fica complicado porque tem que enrolar MUITO. Os outros núcleos também não despertaram meu interesse: a piriguete e o marido gay, o safado com 3 mulheres, o mocinho da história que mais parecia uma mocinha, o casal maduro que ficava se pegando e pegando outros personagens mais jovens. Hum, acho que a super-sexualização da história me incomodou um pouco, não sei. Acho que é questão de gosto.

Mas entendo o auê em torno da história. Já me conformei em ter o gosto geralmente diferente da maioria...

Sérgio Santos disse...

Oi Raquel! Coincidentemente A Favorita e Avenida Brasil tiveram uma parte desse público que justamente odeia ver novela. O autor conseguiu em seus dois últimos trabalhos conquistar esse telespectador.

Não vi exagero no caso da Flora na reta final, não, mas respeito sua concepção.

Olha, a novelão da semana vai reprisar Avenida Brasil. Será muito compacta, se vc quiser dar uma olhada... Confesso que achei essa reprise precipitada, mas enfim...

Achei que AB teve um conjunto muito melhor do que AF. A primeira tinha um tema central impactante, mas os demais núcleos, com uma ou outra exceção, não deram certo. Já na segunda, o autor soube corrigir esses seus erros e tudo funcionou mais harmonicamente.

E não tem nada de errado em ter um gosto diferente da maioria. Aliás, eu fui um apaixonado pelo remake de Guerra dos Sexos. A maioria não... Beijão!

Anônimo disse...

Lixo essa coisa ai