sexta-feira, 10 de maio de 2013

Capítulos movimentados e ótimas cenas marcam a semana de Flor do Caribe

Os capítulos mais recentes de "Flor do Caribe" foram muito movimentados. O novo sequestro de Cassiano (Henri Castelli) deu início a uma nova reviravolta na trama e acabou presenteando o telespectador com excelentes cenas e ótimas atuações. A sensação é de estar assistindo ao final de uma novela, afinal, tantos conflitos têm sido apresentados e segredos revelados que é até estranho constatar que a história está apenas no começo.


Em menos de duas semanas, o telespectador presenciou Hélio (Raphael Vianna) ser desmascarado por sua mãe (Cyria Coentro), que descobriu que o filho foi o verdadeiro responsável pelo atropelamento que acabou levando Donato (Luiz Carlos Vasconcelos) para a cadeia. Aliás, a cena foi lindíssima e os dois veteranos deram uma aula de atuação. Raphael também convenceu e merece elogios. Mas, pouco tempo depois dessa importante revelação, Ester (Grazi Massafera) descobriu que Alberto (Igor Ricki) foi o verdadeiro culpado pelo sumiço de Cassiano anos atrás graças ao golpe dos falsos diamantes. A mocinha imediatamente fez questão de confrontar o vilão e mostrou que já sabia de tudo.

Após tantos segredos sendo revelados, ainda houve tempo para, no capítulo seguinte, Alberto mandar sequestrar o mocinho novamente, para o desespero da esposa. Uma cena muito bem produzida de perseguição foi exibida, onde os sequestradores levaram Cassiano preso em um avião, enquanto os amigos
do piloto tentaram, em vão, impedir a decolagem. Depois do desespero inicial, todos combinaram de ajudar no resgate. Enquanto os tenentes (núcleo que finalmente teve uma função na novela) e Duque (Jean Pierre Noher) embarcaram atrás do amigo, Ester resolveu se separar do marido; o que gerou novos embates, resultando, novamente, em ótimas cenas.

Grazi Massafera está cada vez melhor na pele de sua mocinha e a atriz se saiu muito bem na intensa sequência onde Ester bate em Alberto e depois discute com Dionísio. Aliás, essa cena foi a mais forte da novela até então e contou com a presença de vários atores, onde Sérgio Mamberti e Juca de Oliveira foram os que mais se destacaram. Foi o primeiro embate de fato entre Dionísio, um nazista odiável e Samuel, um judeu que teve sua família dizimada no campo de concentração anos atrás justamente por causa da delação do rival. Esses grandes atores mostraram que foram as melhores escalações de Walter Negrão e deram um show. Outra profissional que merece destaque é Cláudia Netto, a Guiomar. A atriz entrou na história depois mas está se sobressaindo desde que chegou e também brilhou na cena em questão.

Ainda é preciso aplaudir todas as cenas do resgate de Cassiano. A invasão dos tenentes, o desespero de Dom Rafael (Cesar Troncoso) e a volta por cima de Duque proporcionaram uma virada digna de reta final. Foram sequências muito bem produzidas e tiveram toda a tensão necessária para uma situação de fuga. Elogios também para Jayme Monjardim e equipe, pois tudo teve uma direção impecável.

A novela das seis começou muito fraca, apresentando muitas obviedades e um ritmo nada atraente. No entanto, à medida que o tempo foi passando, Walther Negrão foi mostrando ao público que, apesar da trama comum, tem um enredo bem amarrado. Mais uma vez é preciso, e justo, elogiar a sua tentativa de corrigir erros cometidos em tramas anteriores. Até agora tem conseguido se renovar e prender o telespectador diante da tevê.

Walther Negrão está fugindo da monotonia de suas últimas novelas (principalmente "Araguaia") e parece ter muitas cartas na manga, uma vez que poucos mistérios ficam guardados por muito tempo na história. O autor já havia dado uma declaração enfatizando que se inspirou no trabalho de João Emanuel Carneiro em "Avenida Brasil" para escrever esse seu novo trabalho. Claro há de se que levar em consideração os estilos totalmente distintos e o fato das obras não terem absolutamente nada em comum (tirando a temática da vingança), porém, tem ficado claro que Walther está fazendo de tudo para inserir um bom ritmo à novela e tem evitado ao máximo enrolar o telespectador. A prova foi a semana agitada de "Flor do Caribe". Resta torcer para que a inspiração continue presente e que a novela das seis mantenha esse bom ritmo até o último capítulo.

38 comentários:

Kellen Bittencourt disse...

Boa noite amigo, eu gostei da novela desde o inicio, e sem duvida está cada dia melhor, Ótimas observações! Abraçoss

Wander Veroni Maia disse...

Oi Sérgio! Achei interessante esta semana parecer que Flor do Caribe estava em momentos finais com muitas revelações acontecendo ao mesmo tempo. Ponto para o autor que está sabendo colocar ritmo a história.

Um forte abraço,

http://cafecomnoticias.blogspot.com.br

Thallys Bruno Almeida disse...

Ótimo artigo, Sérgio. Arrisco dizer que Flor do Caribe se tornou uma das melhores novelas no ar atualmente, dividindo o posto com Sangue Bom.

Desde a primeira libertação de Cassiano e a descoberta de que Alberto tirou tudo o que era dele, a trama foi melhorando visivelmente e cresceu de uma forma surpreendente, até mesmo incrível. E nessas duas semanas, então, a trama ficou muito boa mesmo, com revelações e viradas dignas do horário das nove (sem medo de exagerar).

A Grazi Massafera cresceu bastante e agora comprovou isso, a cada capítulo mostra uma ótima entrega ao papel e sua Ester derrubou por terra a falsa impressão dos primeiros caps. Enfrentar pessoalmente o vilão é uma prova de personalidade forte, uma coisa de dar gosto de se ver. Não à toa, ela foi apontada como uma das queridinhas do grupo de discussão da novela.

Sérgio Mamberti e Juca de Oliveira, então, dispensam apresentações. É sensacional ver esses dois mestres de nossa atuação e também a Cláudia Netto, um talento de raras aparições, protagonizarem sequências épicas.

Isso sem falar em Luiz Carlos Vasconcellos, Cyria Coentro e Raphael Vianna, pelo excelente trio formado por Bibiana-Donato-Hélio; e pra dar a leveza a cenas tão eletrizantes, a sintonia de Daniela Escobar e Bruno Gissoni.

Walther Negrão e toda a equipe estão de parabéns por terem tornado a novela bastante atrativa a tempo e daí pra cima. Tem merecido o aumento de ibope que conquistou e tem todas as condições de manter esse ritmo até o fim. Torçamos. Abçs e bom finde!

Anônimo disse...

Flor do Caribe parece nome de novela mexicana, e ainda com esse elenco... tá feia a coisa. Boa novela pra quem gosta então, rsrsrs.

Filha do Rei disse...

Sérgio, realmente. A novela deu uma guinada. Confesso que fiquei um pouco cansada qnd o Cassiano ficou preso, estava muito cansativo. Mas agora, surgiram as novidades, os movimentos que nos estimula a assistir a novela.
Tenha um lindo fim de semana.Bjs

Zilani Célia disse...

OI SÉRGIO!
ACHO LEGAL ISTO, QUANDO A NOVELA INICIOU, ACHO QUE FALAMOS A RESPEITO DA FALTA DE ATRATIVOS DA NOVELA A NÃO SER AS IMAGENS, MAS, COM ALEGRIA VÊ-SE EXATAMENTE O QUE FALAS, A NOVELA CRESCENDO E COM ISTO LEVA OS ATORES A ÓTIMAS INTERPRETAÇÕES, TODOS SAEM GANHANDO, PARA SORTE NOSSA, NOVELEIROS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Carlos disse...

No momento eu tenho preguiça de novela e com esse elenco super talentoso então...

Abraços

A viajante disse...

Eu também tô gostando da novela... inicialmente achei que não conseguiria assistir Grazi atuando mal de novo, mas de fato ela está se empenhando em melhorar... beijo, querido!

Anônimo disse...

É Sérgio, ótima a tua observação sobre Flor do Caribe. Eu acho a melhor novela no ar atualmente. Mas, eu tenho algo a comentar. Tá muito na moda hoje, se exigir que as novelas tenham que ter um ritmo acelerado, com muitas viradas, a exemplo de Avenida Brasil. Porém, tem autores que não tem esse estilo, como Manoel Carlos e Benedito Ruy Barbosa por exemplo. As novelas desses autores tem um ritmo mais lento e prima mais pelos fortes diálogos do que pela ação. Eu acho que nem todas as novelas devem ter o mesmo ritmo. O problema é que existe uma cobrança quanto ao IBOPE, e as novelas vão ganhando um ritmo acelerado e perdendo a qualidade dos diálogos. Uma novela histérica, com muita gritaria, como foi Avenida Brasil, atrás da outra ninguém merece. O verdadeiro noveleiro aprecia todos os estilos. Apreciamos uma novela com muitas viradas sem formar a famosa barriga, entretanto os excessos, terminam por gerar histórias sem pé nem cabeça e desespeitando quem está do outro lado da telinha. Sinhá Moça, Por Amor, Renascer, Pantanal, Cabocla, Terra Nostra, Laços de Família são exemplos de novelas fortes, com diálogos maravilhosos e um ritmo mais ameno e que se tornaram verdadeiros clássicos da teledramaturgia.

Sérgio Santos disse...

Kellen, obrigado pelo comentário. bjs

Sérgio Santos disse...

Exatamente, Wander. Ponto pra ele que tá sabendo conduzir bem a trama. abraços.

Sérgio Santos disse...

A novela tá muito boa mesmo, Thallys. As cenas dessa semana foram ótimas e parecia uma novela das nove.

Walter Negrão tá de parabéns por tudo o que está fazendo. A Grazi evoluiu muito mesmo, embora eu sempre tenha gostado dela (com exceção do início dessa novela, onde ela parecia uma idiota falando).

Tomara que continue assim. Bom fds pra vc também. abçs

Sérgio Santos disse...

O nome não é dos melhores mesmo, anônimo. abç

Sérgio Santos disse...

Exato, Cléu, nessa época a novela tava chata mesmo. Mas agora tá muito interessante. Bjs.

Sérgio Santos disse...

Zilani, nós falamos mesmo sobre a falta de atrativos e das obviedades. E de fato começou muito fraca. Mas que bom que melhorou. bjssss

Sérgio Santos disse...

No início eu odiei a novela, Carlos, mas tem melhorado bastante. Porém, de fato, o elenco é irregular. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Ju, obrigado pelo comentário. bjsss

Sérgio Santos disse...

Oi anônimo. De fato, os tempos são outros e se exige muito mais rapidez nas novelas. Sobre as tramas do Maneco, é verdade que são mais amenas, porém, até Mulheres Apaixonadas estavam longe de ser lentas, pelo contrário, muitos acontecimentos enriqueciam a trama o tempo todo. Já a partir de Páginas da Vida o autor acabou imprimindo um marasmo que nunca foi presente em suas obras.

Sobre o Benedito Ruy Barbosa, o admiro muito, mas não gosto do seu estilo. É sempre a mesma coisa: dois fazendeiros se odeiam e os filhos se apaixonam, além de ter peão protagonista e um padre engraçado. Além disso, o ritmo das novelas dele me dá sono. A única trama dele que eu realmente gostei foi Terra Nostra. Os remakes de Cabocla e Sinhá Moça também foram muito bons. Mas Paraíso foi entediante demais...

Enfim esse tipo de ritmo não me agrada. Não precisa ter uma agilidade absurda como Avenida Brasil, mas também não precisa ser tão vagaroso assim. Abraços.

Rita disse...

Bom dia Sergio!!
Lugares bonitos ,cenas bonitas, estou gostando muito dessa novela, os atores tbém são ótimos, e vamos torcendo para que seja cada vez melhor.
Deixo um abraço com carinho bjuss
pelo dia lindo das mães
Rita!!!!!

Patricia Galis disse...

Confesso que gostei dessas novidades deu um ar de serie, vamos ver se continuar assim vai dar um bom ibope para o horário.

Felisberto Junior disse...

Olá!
Bom dia
Sérgio
nesse mundo dinâmico, onde as respostas estão num clique,creio que não existe forma melhor para se prender um telespectador de telenovelas do que mini tramas dentro do contexto geral, movimentadas e sendo resolvidas de forma rápida.Creio que W.Negrão está sabendo utilizar isso muito bem.Bela análise!
Obrigado pelo carinho de sempre
Bom final de semana
Feliz Dia das Mães.
Abraços

Lulu disse...

Sérgio, não assisto essa novela. Por isso não tenho como opinar.
Big Beijos

Mary disse...

amigo que bom que a novela deu uma boa guinada pra manter o ritmo da trama.. pena a novela ter começado durante minhas aulas, acabei por não pegar o pique e não assistir, mas as propagandas mostram que a novela promete, assim espero.. beijos mil, um Feliz e Abençoado Dia das Mães para as mulheres em tua vida e um ótimo domingo..

Fernando Oliveira disse...

A novela tem um elenco afinado, um enredo bem elaborado, um texto afiadíssimo e embates e viradas que geram atuações que estão acima do que é esperado para uma novela das 6. Gosto de destacar Cláudia Netto, pois nunca a vi numa atuação tão intensa e segura, o que requer a personagem. A novela está sendo uma grata surpresa, principalmente por ser concebida por um autor veterano que mostra que a criatividade aliada à boa direção de Jayme Monjardim pode resultar num primoroso trabalho.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Não vejo esta novela, mas concordo com suas assertivas no sentido de que o caminho para o sucesso de uma novela está em dar-lhe impulso, evitando enrolar o telespectador que a cada dia se torna mais exigente.

Um belo domingo.

Beijo.

Sérgio Santos disse...

Rita, obrigado pelo comentário. Beijos e bom dia das mães pra você também. bjs

Sérgio Santos disse...

Pois é, Patrícia, tomara que continue. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Exato, Felis, o Negrão está sabendo bem conduzir isso. Tomara que continue até o final. Bom dia das mães. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Sem problemas, Lulu. bj

Sérgio Santos disse...

Oi Mary, obrigado pelo comentário. Desejo igualmente pra vc. bjsss

Sérgio Santos disse...

Fernando, é verdade. E Cláudia Neto, além de estar ótima, é um rosto pouco frequente na televisão. A trama está bem amarrada e bem escrita. Que continue assim até o fim e não volte a ficar cansativa como em suas semanas iniciais. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Vera, obrigado pelo carinho de sempre. bjsssss

Milene Lima disse...

Estou tendo mais afeição pela novela, mas não ao ponto de fazer tudo para ver o capítulo. As cenas do resgate do Cassiano foram mesmo muito boas.

E eu que gostava da Grazi, simpatizava (simpatizo) com o seu jeito boa moça e carismática,mas me dá uma agonia ver a sua Esther, menino! O drama dela não me convence de jeito nenhum, acho fraquinha que só, mas sou apenas uma simples telespectadora, o que interessa é todo mundo gostar.
Agora, o que incomoda mesmo é o esteriótipo que certas produções da globo criam dos nordestinos. Aquilo dos netos da personagem da Laura Cardoso (esqueci o nome da personagem) chamarem computador de "aquela máquina que todo mundo vê a gente" (não lembro direito a fala) foi tosco. Até nas aldeias mais remotas da Amazônia o povo sabe o que é um computador, imagine num lugar supostamente tão em contato com as modernidades.
E por que eles, os personagens que parecem ser os únicos nordestinos de uma trama cuja cidade é do Nordeste, se vestem com aquelas roupas encardidas?
Só um falinha de protesto, nada demais. Rsrs...

Beijo, Sergio.

MARILENE disse...

Sergio, cheguei a pensar que seria monótona, nos primeiros capítulos. Mas está crescendo, por caminhos diferentes daqueles bem óbvios (rss).O horário pede algo leve e até que estão desenvolvendo situações interessantes. Bjs.

Sérgio Santos disse...

Milene, achei sua crítica válida. Aliás, emendando, é um erro ver somente o núcleo da Laura Cardoso ter sotaque. Se é pra ter sotaque que tenha com todo mundo, se não é pra ter que não tenha com ninguém. Fica forçado.

A novela tá muito boa, mas assim como vc, eu também não sou, digamos,vidrado ou apaixonado pela novela. Beijos!!!!

Sérgio Santos disse...

Pois é, Marilene, nem parece aquela novela chata do início. Melhorou muito. E que continue assim. O telespectador agradece. bjssss

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Concordo, Sérgio. "Flor do Caribe" está cada vez mais movimentada. Como já escrevi anteriormente, a novela foi me conquistando aos poucos. Também acho que Grazi Massafera talvez esteja tendo o melhor desempenho da sua carreira. A personagem não é uma "boazinha" qualquer, ela é firme e decidida quando necessário, e a atriz se sai muito bem. Henri Castelli tem surpreendido. Sempre gostei dos embates entre Samuel e Dionísio (agora, acrescidos com a participação da Guiomar) e do Donato com o filho Hélio.

Sérgio Santos disse...

Elvira, a Grazi está muito bem mesmo e a mocinha ´não tem nada de bobinha. Henri também surpreendeu. Porém, nas últimas duas semanas a novela deu uma parada novamente. Está voltando a ficar arrastada. Espero que o ritmo dessa semana que eu mencionei no texto volte a se repetir o mais rápido possível. bjs!!!