terça-feira, 14 de maio de 2013

Lívia Marini: a vilã rejeitada de Salve Jorge

"Salve Jorge" está em sua última semana de exibição. Na reta final da novela, o único real atrativo é a ida de Maria Vanúbia (Roberta Rodrigues) para a Turquia. A periguete do Complexo do Alemão foi enganada e também caiu nas mãos dos traficantes, o que está rendendo boas cenas e uma interpretação magistral de Roberta Rodrigues. Porém, as demais situações continuam sem atrativos. Investigações da Polícia Federal que se arrastam, núcleos avulsos que só agora começam a se desenvolver, cenas repetitivas e que nada acrescentam, erros de continuidade, enfim. E todos esses problemas estão sendo apenas corroborados nesses momentos 'decisivos', inclusive a nulidade do que foi a suposta grande vilã da história: Lívia Marini.


A personagem despertou rejeição do público poucos dias depois da estreia da novela. E não porque era má e sim por causa das expressões robóticas de Cláudia Raia. Para piorar a situação, a grande vilã aparecia muito pouco 'em ação' e ficava boa parte do tempo fazendo cara de paisagem através de suas feições engessadas. Ainda estava sendo ofuscada por sua comparsa, a cínica Wanda, vivida pela ótima Totia Meirelles, que protagonizava todas as grandes maldades da história. O tempo foi passando e as críticas aumentando. Até que Glória Perez resolveu colocar Lívia com a 'mão na massa', digamos assim.

A chefe do tráfico de pessoas passou a ir pessoalmente verificar a mercadoria (no caso, bebês que seriam comprados e revendidos). Porém, a artificialidade da atriz continuava presente e o próprio contexto das situações apresentadas soavam falsas e inverossímeis. Afinal, Lívia se envolver diretamente
nos crimes era como se o Fernandinho Beira-mar (um dos chefes do tráfico mais perigosos do país) resolvesse ele mesmo vender drogas para os viciados. Algo totalmente irreal.

A verdade é que o estrago já estava feito e dificilmente algo conseguiria reverter a rejeição sofrida pela personagem. E, lamentavelmente, tudo o que foi sendo desenvolvido posteriormente acabou apenas afundando ainda mais o papel. Principalmente o envolvimento amoroso com Theo (Rodrigo Lombardi).  As idas e vindas do 'casal' nada acrescentaram e ainda prejudicaram a construção de um papel que deveria ser frio e calculista. Se a chefona ainda tivesse se apaixonado e perdido a razão, tudo bem, mas contrariando inclusive o que Cláudia Raia achava, o que aconteceu nesse caso foi apenas uma tentativa de 'dominação', de acordo com as palavras da própria autora. Ou seja, a mulher resolveu esquecer a sua quadrilha e passou a mirar em um capricho. Agora, por exemplo, a Polícia Federal está cada vez mais perto de prender Lívia, e ela, apesar de saber disso, prefere ficar preocupada com o namorado da Morena (Nanda Costa).

E entre tantos equívocos dessa personagem, pode-se dizer que o único acerto foi a tática usada pela chefe do tráfico para matar quem descobria sua identidade: a seringa letal. Apesar de muitos acharem ridículo, valeu pela inovação e por imprimir uma marca na vilã. Porém, as circunstâncias dos assassinatos --- incluindo a deprimente cena onde Rachel (Ana Beatriz Nogueira) morre no elevador --- já não podem ser incluídas nisso.

Cláudia Raia é uma ótima atriz e já comprovou seu talento em diversos trabalhos. Ao contrário do que alguns dizem, ela não é competente só na comédia. Em "Torre de Babel", provou que também tinha talento para incorporar uma víbora (no caso a Angela Vidal) e em "A Favorita" o telespectador se emocionou com o drama de Donatela e aplaudiu a entrega da atriz. Sem dúvida foram duas novelas que exigiram muito seu lado dramático. E, justiça seja feita, em comparação com o início de "Salve Jorge", Cláudia melhorou muito. Ainda é preciso lembrar que a própria atriz disse, em uma entrevista, que recebeu orientações da direção para manter um ar mais duro em cena. Ou seja, o erro, teoricamente, não foi dela e sim dos diretores.

Lívia Marini não é a primeira vilã de Glória Perez que não deu certo, afinal, basta lembrar das duas novelas mais recentes da autora. Em "América", a arrogante May foi irrelevante e pouco repercutiu na história, embora nesse caso não tenha havido nenhum problema com a interpretação da atriz ---- Camila Morgado teve um desempenho admirável. Já em "Caminho das Índias", a vilã que pouco rendeu foi Yvone, vivida por Letícia Sabatella, que ficou pouco à vontade no papel.

Ao menos em "Salve Jorge", o fracasso de Lívia pôde ser compensado por outros dois vilões que agradaram: Russo (Adriano Garib) e Wanda (Totia Meirelles). O que a chefe do tráfico teve de críticas, a dupla de capangas teve de aceitação e elogios. O fato é que, infelizmente, Cláudia Raia não teve sorte nesse papel e Lívia Marini entrou na lista de vilãs que tiveram um destino pior do que prisão, loucura ou morte: a rejeição do público e da crítica.

66 comentários:

Thallys Bruno Almeida disse...

Bom artigo, Sérgio. Cláudia não deu sorte.

De início, a declaração dela de que Lívia "seria pior que Carminha" soou pretensiosa, já que estávamos vivendo o furor provocado por Adriana Esteves, mas até que fazia seu sentido, já que Carminha tinha um núcleo mais específico de personagens em seu raio de atuação visto durante a trama, enquanto Lívia era uma chefe de tráfico internacional, crime de recall mundial.

Mas diante do que foi mostrado no início, acabou perdendo espaço pra Wanda, que consagrou a Totia Meirelles. Até a Rosângela (Paloma Bernardi) convencia mais, mesmo sendo "peixe pequeno". E aquele envolvimento com Theo foi uma coisa deprimente. Artificialismo ali reinou.

É uma pena, devido ao histórico de bons papéis que Cláudia tem, como a já citada A Favorita. Mas Lívia foi um erro do qual ninguém se lembrará. Abçs!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
paulo disse...

Sinceramente não sei qual interpretação é pior, se a engessada e robótica Claudia Raia nessa novela ou as caras, bocas, caretas e gritinhos da superestimada e exagerada Adriana Esteves na novela anterior. EMPATE!

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Realmente foi lastimável o desempenho de Cláudia Raia no papel de Lívia. Ela é excelente atriz e acredito que grande parte de seu fracasso é resultado do que foi desenhado e escrito para o seu personagem. Sua atuação foi muito limitada, o que propiciou que outros personagens crescessem na trama e a ofuscassem. Também entendo que ela melhorou agora na reta final, mas o envolvimento de Lívia com Théo não foi uma boa ideia por parte da Glória, pois soou muito estranha a fragilidade de uma chefe de tráfego diante de uma "apaixonite"-rsrs. Isto colaborou ainda mais para o fracasso da pretensa vilã.

Beijo.

Sérgio Santos disse...

Essa declaração foi infeliz mesmo, Thallys. E a personagem foi um fiasco. Cláudia Ria é talentosa e agora até que tá bem, mas esse papel não foi feliz. Totia roubou a cena e Paloma também não fez feio e conseguiu se renovar. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Paulo, discordo totalmente. Vc sabe que eu achei Adriana magistral. Cláudia é ótima mas essa vilã dela foi um mico. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Exato, Vera. A culpa nem é muito da atriz até porque a própria disse que foi orientada a ser mais robótica, ou seja, a direção mais uma vez deu um tiro no pé. Aliás, a direção dessa novela foi trágica. Cláudia é ótima atriz mas Lívia não foi uma boa personagem.

E tudo já estava ruim e ainda resolveram colocá-la com Theo... Ficou ainda pior... Beijos.

✿ chica disse...

Livia foi um fracasso total e como Cláudia sabe disso, está a cada aparição desfigurada,patética.

Ontem morri de rir da Vanúbia,rs.. Muito legal e agora, na reta final por lá! Vamos ver! Mas a outra das 9 será boa,rs ( Único horário que ewjo, se algo me atrai)E assim vamos!!! abração,chica

lino j disse...

Conheci o seu blog ontem e ja estou adorando !! Roberta rodrigues esta exelente e as suas perolas estao cada vez melhores so acho quea gloria erro em nao te colocado o bordao pipipi desde o inicio concerteza ele teria sido um sucesso bem maior do que é mas mesmo assim aplausos a roberta pela suas otimas roubadas de cena toda vez que aparece e ate que em fim ela saiu do nucleo zorra total da novela onde tudo se repitia .
E sobre Claudia raia um papel mediocre para um otima atriz espero que em sua proxima novela ( torço pra que seja uma do joao ) ela tenha mais sucesso e eu gostava da yvone da Leticia o lance e que ela era um pisicopata e pessoas assim sao calmas e calculista e ela fazia isso sem parece robotica e nao tem como esquecer da surra que ela levou da Melissa e pelo oque eu me lembro ela ganhou muitos premios pela sua atuaçao algo que nao deve acontecer o Claudia a menos que seja o framboesa de ouro!!

Fernando Oliveira disse...

O erro de Salve Jorge: a direção.
Acho também que Cláudia Raia começou mal, mas está encerrando a novela melhor do que o inicio. Não vejo total incoerência na paixão dela pelo Théo. Aliás, eu preciso entender onde há erro em se apaixonar por alguém e perder a razão?! (na ficção). Em se tratando de grandes vilãs como foi prometido, o erro aí é ela se enveredar pelos caminhos de uma vingança à base de um capricho e esquecer que a delegata Helô está prestes a prendê-la. A novela foi péssima e arrastada no começo, mas na reta final está melhor. Acredito que nos últimos capítulo, talvez quinta e sexta, já não tenhamos nada de interessantes para ver, mas a novela se equilibrou entre erros e acertos e a ponta dos erros está mais pesada.

Rosa Branca disse...

A Livia tá de pipipipi Recalque kkkk a Vanubia é praticamente uma vila por ser uma periguete antipática mais agrada muito e é super querida.

Letícia disse...

Bom dia Sérgio,

apesar de não estar na minha lista de atrizes favoritas, admiro o trabalho da Claudia Raia, adorei sua Jaqueline em Tititi. Mas em Salve Jorge realmente a atriz não mostrou seu potencial. Como foi dito acima a culpa foi da direção em dá essa orientação a atriz, mas acredito que também foi culpa da própria autora que não soube criar uma vilã carismática, também se pode levar em conta a vilã Carminha de Avenida Brasil que conquistou a quase todos, a comparação foi inevitável.

Na minha opinião a Lívia, com sua cara de paisagem, poderia ser uma psicopata, mas a partir do momento que perde a razão pelo Théo, mas não é o caso, senão teria mantido sua frieza.

Outro erro, talvez foi dá um ar sofisticado a personagem, uma pessoa cosmopolita, cidadã do mundo, não há nenhum problema nisso, mas uma pessoa com tais características podem ser alguém mais naturais, com expressões mais naturais, o que não foi o caso. Talvez seria uma saída para personagem fosse investir um pouquinho no humor sutil dando ao papel uma leveza e talvez atraindo um pouco de simpatia, apesar das maldades cometidas. Outro erro foi o figurino que lembrava, na cartela de cores, o da Carminha (pode parecer idiota, mas acaba ajudando na comparação.)

Outro detalhe que pode ter ajudado a afundar a personagem foi seus próprios aliados, Wanda e Russo, ambos estavam mais verossímeis e isto ajudou na empatia junto ao público, eram terríveis mais tinham até humor, apesar de serem terríveis e odiosos.

Enfim, Glória Perez foi bem sucedida em construir seus personagens secundários do que muito dos principais, também não se pode negar o talento destes atores que ajudaram a destacar personagens pequenos em algo relevantes para a história.

Um abraço

Danizita L. disse...

Pois é Sérgio, claro que a Glória é uma boa autora, mas é interessante observar alguns casos em que os personagens principais de suas novelas não emplacam e os coadjuvantes é que acabam roubando a cena. Além dos exemplos que você citou, tem o caso de "Caminhos das Índias" com o personagem do Márcio Garcia, que perdeu o posto de mocinho para o Rodrigo Lombardi, que ironicamente hoje está na mesma situação de viver um protagonista rejeitado pelo público. Mas é claro que os coadjuvantes também não estão imunes, como não lembrar do,pode-se dizer, lendário cigano Ígor (Ricardo Machi)? O galã que foi um fiasco na novela "Explode Coração".E em Salve Jorge ainda teve o equívoco da Glória em colocar um elenco numeroso demais, que não agradou em nada, e acabou forçando um boicote de várias personagens...

Regina Rozenbaum disse...

Vc Sérgio, que é um crítico fantástico, disse tudo e mais um pouco. Nunca tive nenhuma simpatia pela atriz e não sei explicar o motivo (lingua presa, grandona demais, sei lá rsrs)e com a falta de ajuda da autora para a personagem...piorou. Já acaba tarde essa novela!
Beijuuss

Lulu disse...

Quem vê a Claudia Raia como Lívia não acredita que é a mesma pessoa que fez a Jaqueline em Tititi.
Lamentável.
Big Beijos

MARILENE disse...

Tenho que concordar com você, Sergio. Lamento pela atriz, que é muito boa, e ficou com a imagem prejudicada, diante de tantas críticas. Essa novela será lembrada pelos erros, incontáveis. No finalzinho, ainda colocam Antônia na prisão e Celso como filho do ricaço. Fatos que nem terão tempo para serem explorados. Sem contar que o problema emocional da delegada não foi abordado. Bjs.

Raquel disse...

Oi, Sérgio!

Não acompanhei a novela, então não sei de muitos detalhes sobre a atuação da Cláudia Raia (tudo o que eu sei vem da leitura de blogs como o seu e de críticas). No entanto, eu acho que vale a pena refletir num comentário que eu vi aqui mesmo no seu blog, acho que do Carlos se não me engano.

No comentário ele argumentava que brasileiros gostavam de vilãs divas, espalhafatosas e exageradas. Automaticamente me lembrei de exemplos como Carminha, Tereza Cristina e Nazaré que caíram nas graças do povo. Talvez isso explique em parte a rejeição do público a uma vilã mais fria e calculista. E talvez até reflita numa falta de experiência dos diretores brasileiros em dirigir esse tipo de personagem; no final o resultado só pode ser esse: uma atuação robótica que gera no máximo indiferença.

Nesse caso, eu acho que a culpa pode ser dividida com a direção, mas também deve recair nas costas da atriz. Admito que esse tipo de papel é dificílimo e não deu pra Claudia Raia, infelizmente. Pensando assim de bate-pronto lembro-me da chefa sem coração interpretada pela Meril Streep em "O diabo veste Prada". Mas aí é outro nível, né, Sérgio!

Espero que outros autores não se intimidem com esse fracasso e continuem apostando em personagens assim. Quem sabe um dia não rola né?! Beijão, Sérgio! "That's all" ;)

Clau disse...

Oi Sérgio,td bem?!
A Claudia Raia é boa atriz,mas sendo mal dirigida não teve como atuar de uma maneira brilhante e convincente...
Pôxa! Ainda bem que Salve Jorge tá acabando \o/
*Gosto muito de passar por aqui e ler suas críticas embasadas,coerentes e bem escritas.
Bjs!!

Rita disse...

Boa tarde Sergio, vou dizer a verdade
não gosto dela como atriz, não é minha preferida não, achei ruim o papel ,mas como vc disse faltou uma boa direção para ser melhor, com certeza vanda e Russo, foram melhores que ela.Desculpe a franqueza, eu acho a Claudia parecida com um travesti, pode ser o jeito dela rsrsr,desculpe mas eu gosto de falar a verdade, tomara que pelo menos ela tenha um final na cadeia , e não que fuja pra continuar depois....
Abraços com carinho, e vamos esperar a sexta pra ver tudo!
Bjãoo
Rita!!!

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Bem, realmente a vilã não funcionou. Cláudia Raia, que é uma de minhas atrizes favoritas, apresentou um péssimo desempenho no início aliado a um personagem mal desenvolvido, que ficava de fora das situações mais importantes para história. Concordo totalmente que de lá para cá, com a virada da personagem, em que ela mata Jéssica (numa boa cena), seu desempenho veio melhorando bastante, e a Lívia passou a ter uma aceitação maior, a seringa como marca da personagem também colaborou para isso, por tudo isso, embora uma vilã com uma pegada trash e as situações envolvendo a perseguição desnecessária com Théo, eu acho que a Lívia de Raia não foi de todo um equívoco e nem foi uma nulidade para trama. Claro que Totia se sobressaiu como Wanda, até porque a personagem é muito melhor, mas Cláudia Raia acabou que reverteu a situação inicial e não se deixou ofuscar tanto assim, acho que no futuro quando lembrarem de Salve Jorge e se lembrarem, a vilã das seringas será lembrada hehe. Ah, e não achei a declaração de Cláudia Raia, de que Lívia seria pior que Carminha, infeliz, pretensiosa e um fator para a rejeição de Lívia,porque o que ela falou é verdade, afinal em termos de maldade Carminha era só uma vigarista que deu o golpe do baú e abandonou a enteada no lixão, já Lívia chefia uma quadrilha internacional que trafica e escraviza pessoas, acho que isso o que ela quis dizer, talvez tenha se expressado mal, mas não falou nenhuma besteira, e nem acho que foi pretensiosa.

Abraços

Kellen Bittencourt disse...

Oii amigo, no momento vou dizer o seguinte, ainda bem que esta novela cheiaaaa de equívocos como este e muitos outros está acabando rsr abraçoss

A viajante disse...

Nossa Sérgio! De fato, ela não conseguiu imprimir uma marca pessoal... muito boa a sua crítica! Beijo!

Adriana Helena disse...

Sérgio, muito boa noite!
Você é sempre muito perspicaz na análise do conteúdo e do desempenho das atrizes e atores das novelas e demais programas da tv. E hoje, como sempre , não fugiu à regra!

Eu também fiquei bastante decepcionada e contrariada com a atuação a Cláudia Raia, que é excelente atriz, mas nesta novela, está muito esquisita. Parece, como você disse, engessada, sem expressões, em um papel de vilã que nada acrescentou.

Só nos resta saber qual será o seu final em Salve Jorge: terminará presa? louca? assassinada?
De qualquer maneira, não será muito lembrada!

Uma ótima semana para você amigo!
Abração!

EDER RIBEIRO disse...

A Claúdia não me apetece como atriz, acho ela mto limitada, e para piorar, uma novela da Glória, são poucas personagens que se saem bem, pois suas novelas são repetitivas. Abçs.

Lu Nogfer disse...

Ola Sergio

É super prejudicial ao artista quando não há entrega total ao personagem ou quando falta algo para desenvolve-lo melhor.
A Vilã Lívia Marine certamente será esquecida em breve. O que será lamentável para a atriz.

Parabéns pela perspicácia do contexto.

Um abraço

Sérgio Santos disse...

Chica, a Maria Vanúbia tem roubado a cena msm. E, sim, a próxima novela parece muito boa. bjs

Sérgio Santos disse...

Lino, que bom que você gostou do blog. Bem-vindo!

Vanúbia, assim como 90% do elenco, não foi aproveitada na novela como deveria. Com certeza renderia muito mais se não ficasse restrita em situações tão repetitivas.

Achei todos os prêmio que a Sabatella ganhou injustos porque não a achei bem no papel. Mas respeito sua opinião. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Fernando, a direção é um dos muitos erros. E a questão é justamente essa; ela não etá apaixonada de acordo com as palavras da própria autora, que contradisse a Cláudia quando a mesma enfatizou que sua vilã tinha se apaixonado. O saldo dessa novela será negativo. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Ela é hilária, Rosa. E a atriz está ótima. bjs

Sérgio Santos disse...

Letícia, posso assinar embaixo de tudo o que você disse? Concordo plenamente com tudo. Porém, gosto muito da Cláudia Raia e a acho uma ótima atriz. Tanto no drama quanto na comédia.

Quanto aos atores, é uma pena que muitos não tenham tido nem uma chance para se destacar. Bjs!

Sérgio Santos disse...

Danizita, é verdade. Glória não tem sorte com seus personagens centrais, ou então não consegue escrever tipos atraentes mesmo. Vc fez boas lembranças de mais exemplos equivocados dela. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Regina, obrigado pelo carinho. E realmente essa novela já vai tarde. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Irreconhecível mesmo, Lulu. bjs

Sérgio Santos disse...

Marilene, essa novela foi uma das mais criticadas do horário. Será lembrada, sim, mas pelos erros, como vc bem disse.

Agora, na reta final, a autora resolveu desenvolver os núcleos que sempre deixou jogados de lado. Como pode? Claro que não daria certo e ficaria tudo corrido. bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Raquel. É verdade, as vilãs mais agressivas, digamos assim, são as que mais despertam aceitação. Porém, faço questão de dizer que Tereza Cristina era uma vilã ridícula e a Torloni ficou exageradíssima e caricata no papel. Tanto que a Lilia Cabral acabou ganhando bem mais prêmios que ela.

Sim, sem dúvida o erro da Lívia foi um conjunto: um tipo mal construído, uma direção equivocada e uma atuação que fracassou. Obrigado pelo comentário. Beijão! ;)

Sérgio Santos disse...

Clau, sexta-feira caba! GRAÇAS! rs Eu que agradeço o seu carinho de sempre. bjssssss

Sérgio Santos disse...

Rita, adorei a sinceridade! rsrsrsrs A Cláudia é grandona mesmo mas não acho ela parecida com um travesti não. rsrsrs Beijos e obrigado pelo comentário!!!!

Sérgio Santos disse...

Eu adoro a Cláudia, Rafael. A m,arca da seringa foi o único acerto que eu vi no papel. Embora a maioria tenha achado isso patético, eu achei muito interessante e criativo. Mas de resto...

Agora ela melhorou mesmo e dá pra ver claramente. Mas tudo foi equivocado desde o início: papel, direção e atuação.

Não acho que ela será esquecida, mas quando lembrarem, será pelo escracho e deboche em cima da novela não pela força da vilã e nem pela atuação. Sim, com certeza foi uma declaração infeliz que acabou soando pretensiosa mesmo sem ser. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Tá quase, Kellen... rsrsrs bjs!

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Ju. bjs

Sérgio Santos disse...

Adriana, obrigado pelo seu carinho! Cláudia ´ótima mas nessa novela quase tudo deu errado e, infelizmente, ela acabou fazendo parte desse pacote. Uma pena porque gosto dela. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Eder. Abração.

Sérgio Santos disse...

Lu, acho que nem será esquecida propriamente e, sim, lembrada justamente em cima das situações nada verossímeis que a cercaram. Beijos.

André disse...

Ola Sergio.
Sabe uma coisa sempre gostei dos viloes da Gloria Peréz por um motivo,eles sao pessoas que a gente encontra normalmente na nossa vida,eles nao tem necessidade de matar o elenco todo ou de ser debochadabamente exagerados
Os 5 viloes da Salve Jorge sao bizarros,e adorei isso pois todo ser humano tem suas bizarrices

Wanda foi a melhor,foi otima
O Russo tambem foi otimo vilao
Rosangela foi um acerto tambem

Agora sobre Irina e Livia tenho algumas reflexoes

Irina é uma vila humanizada,ok,isso é aceitavel,porem odiei o fato de um personagem que tinha tanto potencial,nao ter feito nada na novela inteira.
Gostei do começo dela,quando mataram seu amor e quando ela mostrava compaixao por Morena,depois disso ela so ficou na caixa,ela poderia ter traido a mafia,matado o Russo,ameaçado seus comparsas,enfim foi um personagem disperdiçado

Agora sobre a Livia no começo foi um fracasso ok,dai depois quando ela matou a Jéssica eles fizeram um grande acerto,pois deu raiva aos telespectadores,pois Jéssica era um personagem importante,porém dai essa historia do assassinato foi meio que esquecida,e dai depois matou a Rachel que nao tinha nenhuma revalancia na trama e se apaixonou pelo Théo fez com que ela se tornasse uma vila mais bizarra do que temida,isso tirou toda a misteriosidade da personagem e a afundou.

Barbie Californiana disse...

Você gosta de "pegar no pé" de Salve Jorge, né Serginho? rs rs rs Brincadeiras a parte, a interpretação de Claudia Raia não está tão boa quanto poderia ser, pois ela é uma boa atriz. beijins

Bia Hain disse...

Oi, Sérgio, como vai? A Lívia acabou ficando muito caricata, lamentável para a atriz com talento inquestionável. Fazendo papel de mulher apaixonada, acho que ficou pior ainda...mas concordo que Russo fez muito bem seu papel de capanga, apesar das trapalhadas, além da Vanda.
O que será que nos espera na novela que está chegando aí? Não me agradou num primeiro momento...vamos ver.
Um abraço!

Carlos disse...

O problema da personagem foi um conjunto de erros da: direção, autora e atriz.

Atriz - pra um personagem ser frio, ele não tem que viver olhando as pessoas de cima. Flora e Yvone eram frias e funcionaram. Elas agiam, riam, faziam piadas, de uma forma seca, mas com um rosto diferente. Lívia, não. Se estava feliz, triste, irritada era sempre a mesma cara de mulher fechada. Isso é típico de quando a gente pede pra alguém fazer cara de mau e a pessoa só franze a testa... Convence ninguém.

Direção - o erro da atriz foi não impor sua vontade, mas da direção foi de querer direcioná-la pra uma vilã diferente. Se pegarmos alguns chefes de máfia do cinema, veremos vários "sérios". Talvez queriam isso. No entanto isso não precisa ser uma regra. No próprio Cidade de Deus, o bandidão era frio, mas esboçava seu sorriso. É o mesmo que acreditar que o Fernandinho beira-mar, como vc citou, vive como um robô, mesmo nas suas festinhas... Acabei complementando, mas é pq acho que atriz e direção erraram na mesma medida. Pra mim o pior erro foi da autora.

Autora - ela gosta de fazer vilões reais, assim como Maneco. A diferença é que Maneco, talvez por ter colaboradores, mesmo com diversos personagens, eles tem trajetos planejados. Os personagens caminham e os vilões tem razão de existir. Suas maldades muitas vezes estão nas falas. Não me esqueço da Marta, de Páginas, falando "eu passo" para a própria neta!!! Isso me choca mil vezes do que a cena da seringa, mesmo sabendo que tbm é real. Infelizmente, Glória planeja muito mal os seus vilões. Miss May tinha tudo pra ser uma ótima personagem, no entanto ela ficava só nas denúncias. Yvone era mais introspectiva, uma sociopata, e a calma da Letícia Sabatella encaixou muito bem, por isso pegou e o público ficou com raiva dela, porque Yvone não era vilã-diva. Já Lívia, mesmo sendo a "chefa" não executava. Ela na teoria é sim mais perversa que a Carminha, no entanto Lívia nada fez. O papel só iria pegar se fosse investida nas falas, assim como Maneco faz, porque é uma vilã "distante", assim como são os chefões.

A queda está muito forçada. O bom seria se a queda dela tivesse sido, de dentro pra fora, com uma traição. E aí sim, ela tentasse voltar por cima, arrebentando com quem tentou destruí-la. Uma que poderia traí-la era a Irina, que demonstrou em alguns capítulos um certo arrependimento. Poxa, vilão comendo vilão, em uma quadrilha enorme como essa, no MEIO da novela, seria GENIAL. Veríamos a queda e ascensão da Lívia Marine. Aliás, não sei se vc lembra, mas dei essa idéia em relação a vingança da Nina no capítulo 100.

O que falta nesses autores é ousadia. Por isso nenhuma novela tem me chamado atenção. Eles demoram meses pra desenvolver e depois ficam na correria e fazem coisas malfeitas e que não se fecham. Personagens que ficam burros do nada (mocinhos e vilões, esses só na última semana), histórias que não se encaixam, núcleos que faltam, trilha sonora equivocada, títulos sem sentido: Salve Jorge (santo esquecido durante a novela toda, mesmo nos momentos de apuro. Só lembrado nas semanas finais), Avenida Brasil (ok, uma morte ocorreu lá, mas e? Autor tentou explicar que os personagens passavam por encontros e desencontros como uma avenida... Explicação tão podre como a do pendrive), Fina Estampa (frase dita pela vilã no final, mas nem foi explorado isso na novela. Não tinha personagens julgando pela aparência. Naquele universo de personagens, acho que só Tereza e Antenor que julgavam. O resto nada tinha a ver com o título)... São os erros mais comuns das últimas novelas.

E até onde eu estudei, o título tem que ter a ver com o texto. É o que te chama e o que introduz a leitura, indicando um assunto. Talvez tenha aprendido errado.

Abraços.

Unknown disse...

A Glória nunca conseguiu fazer um(a) vilã(o) de destaque, eu já esperava.

Bruna disse...

Essa novela foi um erro, o que é uma pena pois eu via muito potencial nessa trama, quando vi que seria de tráfico humano me animei na hora, porém a Glória desenvolveu muito mal, muitos personagens foram mal aproveitados, a Vanúbia por exemplo é uma ótima personagem, deveria ter ganho destaque mto antes, porém ficou a novela inteira sendo paquerada por Pescoço e discutindo com Delzuite, sempre a mesma coisa. Personagens em excesso e deixados de lado (pq a Glória não desenvolveu antes a trama lá do Celso, Arturo .. ?) sem contar que a Lívia foi um erro, vilã sem expressão alguma, não é pq é fria que tem que ser tão inexpressiva, e o envolvimento dela com o Théo piorou td, Totia e o que faz o Russo se destacaram bem mais.

E o que foi aquela cena da Ayla e Zyah ? lamentável o discurso machista da Ayla, não consigo acreditar que Glória fez uma porcaria dessas.

Sérgio Santos disse...

André, eu nunca gostei das vilãs da Glória. Não por serem 'reais' e sim por serem apáticas mesmo. As vilãs do Maneco são reais e são excelentes.

Wanda, Russo e Rosângela foram ótimos vilões e não os achei bizarros. Já Lívia e Irina... Sem dúvida a Irina poderia render mais, porém, ficou sentada naquela cadeira o tempo todo. Lívia começou péssima e foi piorando gradativamente. A cena da morte da Rachel foi o estopim para tudo o que viria a seguir... Uma sucessão de erros. Mas entendi sua concepção. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Barbie, é que a novela foi muito ruim.... rs Mas que bom que vc gostou! rs bjão

Sérgio Santos disse...

Pois é, Bia, foi tudo piorando cada vez mais. A paixonite pelo Theo então... Eu tô bem animado com a próxima. Vamos ver... bj

Sérgio Santos disse...

Exatamente, Carlos. O conjunto de equívocos foi catastrófico. Assino embaixo. A Marta de Página da Vida foi espetacular e nem a considerava uma vilã. Acho que as últimas vilãs do Maneco, de fato, eram a Branca Letícia de Barros Mota e a personagem da Viviane Pasmanter que odiava a Gabriela Duarte. Ah, tem o inesquecível Marcos de Mulheres Apaixonadas também.

Lívia entrou para a lista de vilãs equivocadas da autora.

O título Salve Jorge realmente foi totalmente equivocado e nada teve a ver com a história. Fina Estampa acho que tinha mais a ver porque, teoricamente, a trama baseava no conflito entre o ter e o ser. No entanto, poucas semanas depois o autor ligou o dane-se e transformou a novela numa zona patética.

Avenida Brasil foi porque o atropelamento de Genésio na avenida desencadeou toda a trama. Achei coerente. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Unknown, concordo com você. Nunca conseguiu msm. abraços.

Sérgio Santos disse...

Bruna, assino embaixo do seu comentário. O tema do tráfico foi ótimo mas pessimamente desenvolvido. Aquela cena do Ziah com Ayla foi muito ruim. Domingos Montagner foi subaproveitado, aliás, um dos muitos... bjs

Milene Lima disse...

Pois é, muita coisa maluca. Três capítulos pra desenvolver essa coisa do chato do Celso ser filho do ricaço, é patético. E tantas outras coisas citadas.

Fosse eu a Claudia Raia, processaria a estupidez da Glória Perez, que espero demore uns dois séculos pra escrever outra novela.

Beijo!

Carlos disse...

Pois é Milene, é de admirar que uma mulher que já fez o ótimo Barriga de Aluguel tenha desenvolvido a trama do Celso só na última semana. Tenho cada vez mais vergonha desses autores de novela, com textos cada vez mais cretinos, infelizmente.

Tá certo você gostar de Avenida, Sérgio, mas espere lá. A trama teve milhares de personagens e o título só cabe as principais? Vcs falam tanto de que o autor desenvolveu os personagens (do início até o meio, pq do meio pro fim...), mas no título só destaque pras protagonistas? Nem título, nem abertura tem a ver. Kuduro nunca foi charme. Nem na novelas eles dançavam charme. E só dançavam quando o autor lembrava kkkkk.

Abraços

Sérgio Santos disse...

Vc viu, Milene? O núcleo ficou avulso a novela toda e agora a autora lembrou que existe. Um pouco tarde, não? Aliás, esse é só um dos problemas. E escrever sobre o saldo geral dessa novela será duro. Terei que digitar muito, porque haja erro e haja problema... bjsss

Sérgio Santos disse...

Sim, Carlos, mas os principais estavam totalmente interligados com todos os outros, incluindo até mesmo o fatídico Cadinho. Isso que quis dizer. Agora, quanto ao Kuduro, concordo plenamente. Nada teve a ver com charme e a dança pouco acrescentou à novela. Fato. Abraços.

Patricia Galis disse...

Claudia Raia que veio da maravilhosa Jacqueline de TITITI, gente a novela que é ruim, claro teve alguns papeis em que os atores se destacaram e cresceram como a Helo, e outros mas é duro para um ator estar numa produção ruim, basta ver o que fizeram com a Nicete Bruno, Stenio Garcia, Murilo Rosa e outros que a autora não papeis horríveis...eu teria pedido pra morrer como fez a Ana Beatriz Nogueira.

Sérgio Santos disse...

Cláudia Raia esteve impecável em Ti ti ti, Patrícia. Que bomba ela pegou em Salve Jorge. Sim, a Ana Beatriz acertou em sair e agora voltará em Saramandaia. bjssss

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Boa crítica, Sérgio. Claudia Raia alternou altos e baixos e ficou longe de viver uma vilã marcante como Adriana Esteves e sua Carminha, de "Avenida Brasil".

Sérgio Santos disse...

Passou muito longe mesmo, Elvira. Mas ela até melhorou na reta final. bjssss

adailton77 disse...

Essa novela realmente foi um festival de erros, o pior deles foi o engessamento da vilã Lívia Marini, que na parte de expressar emoções diversas: raiva, alegria, tristeza... acabou seguindo o modelo do Dr. House, do seriado de mesmo nome. Nessa questão das vilãs de Glória Perez, uma que me veio à lembrança foi a Nágila, interpretada pela ótima Natália Thimberg em De Corpo e Alma (1992/93) e que soube mostrar uma atuação mais enérgica e já tinha mostrado a que veio logo no início da trama, apesar de alguns críticos falarem naquela época que ela estava apenas repetindo o papel que ela mesma já tinha feito antes como a personagem Constância, mãe do vilão principal Felipe Barreto (Antônio Fagundes) em O Dono do Mundo (1991/92) Mas houveram outros erros como personagens em excesso, que fez com que muitos atores fossem mal aproveitados, aquele (péssimo e inútil) núcleo turco com aquelas expressões que acabaram soando como babaquice e por consequência, acabaram não caindo nas graças do público e outras coisas mais. Uma coisa que eu não suportava naquela novela era aquela coisa do personagem Pescoço (ou seria "peRcoço"?) que sempre quando dialogava com alguma mulher, ficando tratando as mulheres como "cumpade" (curruptela de COMPADRE, tratamento masculino), se ele falava pras mulheres, por que não chamar de "cumade" (curruptela de COMADRE, no feminino) e sobre a Roberta Rodrigues, que teve uma ótima atuação, mas quando ela inventava de fazer aquele gesto imbecil e ridículo de ficar fazendo aquele coraçãozinho com as duas mãos... (ô que modinha infeliz, maldita) haja saco pra aturar, coisa mais cafona impossível! Pra variar teve acertos como a delegata Helô (Giovanna Antonelli), a atuação da Dira Paes como Lucimar, os vilões Wanda, Russo e Irina (mesmo passando boa parte da novela, limitada naquela cadeira) e até Rosângela (Paloma Bernardi) também conseguiu se dar bem. Fazendo um balanço geral da trama, foi mesmo muito desastrada, não conseguiu dizer a que veio e só conseguiu esboçar uma reação que chamasse de fato a atenção do público já no apagar das luzes da trama, no momento do fechar das cortinas, quando já era tarde demais. Graças a Deus, já acabou. Segundo o que eu li há alguns dias, a autora Glória Perez disse que não vai mais escrever novelas com esse mote de culturas estrangeiras, segundo ela, isso já perdeu a graça. Acho que seria melhor se ela voltasse a investir em temas médicos e polêmicos como a barriga de aluguel na novela de nome idem e a clonagem humana em O Clone que curiosamente foi a última a ter esse tipo de tema e ao mesmo tempo foi a primeira a mostrar culturas estrangeiras.

Um abraço e até a próxima!!!

Sérgio Santos disse...

Adailton, obrigado pelo comentário. Concordo com você. E ainda bem que a Glória desistiu desses temas estrangeiros. Espero que cumpra essa promessa. A novela teve muito mais eros do que acertos e poucos sentirão falta. Que no próximo trabalho ela volte aos bons tempos de Barriga de Aluguel e O Clone. Abraços.

Anônimo disse...

QUEM FARIA MUITO BEM ESSE PERSONAGEM É GIULIA GAM. TUDO QUE ELA FAZ, FAZ MUITO BEM, NA MEDIDA CERTA. TA DANDO UM SHOW EM SANGUE BOM.