sexta-feira, 17 de maio de 2013

Massacrada pela crítica e ridicularizada pelo público, "Salve Jorge" fica marcada pelos equívocos e termina sem deixar saudades

Finalmente chegou ao fim, nessa sexta-feira (17/05), a novela do horário nobre mais criticada dos últimos tempos. Estreando em outubro de 2012 com a difícil e ingrata missão de suceder o fenômeno "Avenida Brasil", "Salve Jorge" iniciou seu ciclo de uma forma nada animadora: recheada de problemas, equívocos e repetições, a história derrubou a audiência do horário e sofreu uma forte rejeição. O tempo foi passando e os erros, ao invés de serem corrigidos, foram aumentando. O resultado final não poderia ter sido outro: a trama saiu de cena massacrada pela crítica, debochada pelo público e considerada o pior trabalho de Glória Perez.


Após acompanhar por muitos meses os movimentados capítulos de "Avenida Brasil", o público sentiu a mudança ao se deparar com os capítulos de "Salve Jorge" e foi inevitável não comparar. Porém, as comparações seriam facilmente esquecidas caso a novela tivesse empolgado através de sua história e de seus personagens, o que não aconteceu. Apresentando o tráfico de pessoas como tema central, a trama se perdeu em meio a situações totalmente inverossímeis, excesso de personagens, direção equivocada e núcleos paralelos irrelevantes.

Abordar o tráfico de mulheres foi um grande acerto da autora. Afinal, além de movimentar a história com um bom suspense, ainda serviria para alertar os telespectadores a respeito de um crime pouco conhecido. Entretanto, somente o segundo objetivo foi alcançado, uma vez que a condução dessa temática foi
completamente equivocada e cheia de furos. Vítima (Jéssica - Carolina Dieckmann) que, ao invés de chamar a polícia, conta para a vilã (Lívia - Cláudia Raia) que já sabe tudo sobre ela; vilã que mata mulher (Rachel - Ana Beatriz Nogueira) dentro de um elevador sem ninguém ver; vilão (Russo - Adriano Garib) que vai até uma delegacia dizer que uma traficada é sua sobrinha e nem é obrigado a apresentar a identidade; mocinha que grita por socorro na Turquia mas ninguém lhe ajuda por não entender sua língua, embora na novela todos falem português; Polícia Federal que envia uma policial (Jô - Thammy Miranda) para investigar a quadrilha mas acaba enviando também uma vítima (Morena - Nanda Costa) para o antro dos traficantes; uma traficada (Maria Vanúbia - Roberta Rodrigues) arrumar um canivete do nada para se defender, enfim, o que não falta é erro. Mesmo sendo ficção, existe a necessidade de exibir o mínimo de verossimilhança para que o público não se sinta subestimado. Licenças-poéticas são necessárias em qualquer teledramaturgia, mas essa trama ultrapassou todos os limites, sendo ainda pior nesse caso porque a história buscava retratar a realidade do tráfico humano.

Infelizmente os erros não ficaram somente no núcleo central. A novela contou com inúmeros personagens sem função e quase todos os núcleos paralelos eram irrelevantes. Tinha mais personagem do que história. A trama do exército foi um fracasso. Fernanda Paes Leme (Márcia) viveu uma mulher sem conflitos e Flávia Alessandra (Érica) interpretou uma espécie de santa que era passada pra trás a todo instante, mas sempre perdoava. Praticamente uma trouxa. O vilão Élcio (Murilo Rosa) tinha como função fazer armações bem bobocas em cima do Theo (Rodrigo Lombardi) para tentar prejudicá-lo. E falando em Theo, o capitão já entrou para a lista de mocinhos rejeitados da Glória Perez. Um sujeito prepotente, que traiu a namorada várias vezes, transou com a vilã e ainda deixava a mãe se meter na sua vida, não pode ser chamado de ' o cara'. 

O núcleo de Leonor (Nicette Bruno) começou tendo a cachorrinha Emily como protagonista e o enredo se baseava na herança da cachorra que todos os integrantes da família cobiçavam. No entanto, essa foi mais uma história que não deu certo e o núcleo foi ficando de lado. O curioso é que, na reta final, todos começaram a aparecer de novo mas a cadelinha simplesmente sumiu. E, após ter brilhado tanto em "A Vida da Gente" como a bondosa Iná, foi uma lástima ver Nicette com um papel tão ingrato. 

Outro caso claro de desperdício de atores foi o núcleo turco. Além de cansar o telespectador exibindo um país com costumes, vestimentas e danças semelhantes a Marrocos e Índia ---- locais amplamente abordados pela autora em "O Clone" e "Caminho das Índias" ----, os personagens pouco apareceram e nada acrescentaram à história. Triste ver atores talentosos como Ernani Moraes, Elizângela, Walderez de Barros, Isaac Bardavid, Jandira Martini, Domingos Montagner, Tânia Khalill e Narjara Turetta desperdiçados em um núcleo repetitivo e irrelevante.

Há ainda os casos de atores que tinham personagens tão pequenos que acabaram sumindo sem maiores explicações. Sacha Bali, por exemplo, apareceu nos primeiros capítulos vivendo Beto, um traficante que era pai do filho de Morena e parecia que perturbaria a vida da mocinha. Não perturbou. Sumiu mesmo. Cristiana Oliveira (Yolanda) e André Gonçalves (Miro) foram outros que desapareceram. Nem parecia que ambos faziam parte da novela. Eva Todor precisou se ausentar por causa de uma queda que sofreu, mas logo se recuperou. No entanto, nunca mais foi chamada. Só deu o ar da graça na última semana e para dizer uma frase. Também é importante citar os profissionais que tiveram aparições esporádicas e com pouquíssimas falas: Rosi Campos (que servia apenas de 'orelha' para Áurea - Suzana Faini), Flávia Guedes, Cris Vianna, Cissa Guimarães, Mariana Rios, Jonas Mello e Natália do Valle. A ótima Ana Beatriz Nogueira entraria nessa lista caso não tivesse pedido para sair da novela.

Entretanto, alguns núcleos conseguiram um pouco de destaque, dando boas oportunidades aos atores. Berna e Mustafá tiveram uma boa participação com a história da falsa-adoção de Aisha e o trio Zezé Polessa, Antônio Calloni e Dani Moreno conseguiu protagonizar grandes cenas. Delzuíte acabou se beneficiando desse destaque porque era mãe verdadeira de Aisha, o que acabou favorecendo Solange Badim, uma ótima atriz que pouco aparece na televisão. Outra situação que conseguiu render foi a alienação parental praticada por Celso, onde o mau-caráter influenciava a filha contra a mãe, Antônia, sua ex. Caco Ciocler e Letícia Spiller fizeram boas sequências. Entretanto, todas essas tramas não podem ser citadas como acertos, pois eram cansativas e andavam em círculos, porém, os atores envolvidos merecem elogios pelas suas respectivas atuações e o destaque que tiveram precisa ser citado.

E entre os enormes equívocos de "Salve Jorge", é preciso enfatizar a direção. Marcos Schechtman, Fred Mayrink e equipe erraram do início ao fim. Todas as cenas de briga (e foram muitas) ficaram a desejar, as sequências envolvendo acidentes e perseguições foram decepcionantes e as orientações dadas a muitos atores ---- principalmente Cláudia Raia para compor sua Lívia Marini --- foram infelizes e deixaram muitos personagens exagerados (Betty Gofman e Neusa Borges são outros exemplos). Outro amadorismo da direção foi em cima da continuidade. Os erros cometidos ---- como os diferentes tipos de cabelo da Morena ---- chegaram a constranger. Sem dúvida essa foi uma das maiores falhas da novela, que teve todos seus problemas piorados graças a essa decepcionante direção.

Mas "Salve Jorge" também teve acertos. Totia Meirelles pôde viver sua primeira vilã e deu um show. Wanda roubou a cena e virou a grande víbora da trama. Adriano Garib finalmente ganhou um papel de destaque e mostrou o ator talentoso que é ao dar vida a Russo, o capanga de Lívia Marini. Paloma Bernardi também merece aplausos pela sua Rosângela, após ter vivido duas mocinhas puras em seus últimos trabalhos. Laryssa Dias, a Waleska, foi uma grata revelação e tem um futuro promissor pela frente. A participação de Carolina Dieckmann deu tão certo que a atriz sairia no capítulo 20 mas acabou ficando até o 75. A atriz fez uma boa dupla com Nanda Costa. E o que dizer de Giovanna Antonelli? A Dona Helô virou a protagonista da novela e sua personagem caiu no gosto popular. Mais uma vez o público aplaudiu de pé a atuação da talentosa Giovanna, que ainda fez uma ótima e divertida parceria com Alexandre Nero, o advogado Stênio ---- infelizmente, a compulsão de sua personagem por compras foi esquecida e acabou entrando na lista de erros. A periguete Maria Vanúbia também merece ser lembrada como um grande êxito. Infelizmente Roberta Rodrigues foi desperdiçada em meio a cenas repetitivas, mas ainda assim sempre se destacava e roubou a cena na última semana da novela. Seus bordões eram divertidíssimos: "Pipipi, olha o recalque!", "Sou Maria Vanúbia", não sou bagunça!", "Quem é você na fila do pão francês?" são apenas alguns deles. Já Nando Cunha, embora tenha tido um papel praticamente sem história, divertiu na pele do malandro Pescoço e pode ser incluído nesse pacote de acertos. Thammy Miranda foi um outro caso surpreendente: começou desacreditada e terminou elogiada por causa de sua desenvoltura como a investigadora Jô.

Infelizmente os acertos ficaram insignificantes diante de tantos equívocos. Definitivamente a história de vida da mulher pobre, moradora do Complexo do Alemão, que se apaixonou por um capitão do exército e se viu nas mãos do tráfico humano, não funcionou e acabou sendo desenvolvida de uma forma totalmente errônea. É de se lamentar também que a autora não tenha aceitado nenhum tipo de crítica, classificando todas as reprovações como 'pura inveja do bonde dos recalcados'. Ainda tentou, sem sucesso, explicar as situações inverossímeis de sua obra alegando que o telespectador tinha que 'saber voar'. Também insinuou que muitas pessoas recebiam dinheiro para falar mal da novela. Pena, pois a autora poderia usar esse tempo para refletir em tudo o que não estava dando certo e melhorar, como tentou fazer na época de "América".

"Salve Jorge" terminou apresentando um último capítulo mais longo, exibindo a derrocada de Lívia Marini e seus comparsas, a libertação das traficadas, o casamento de Helô e Stênio e a felicidade de Theo e Morena, o insosso casal protagonista. Mas, sem dúvida, o grande acerto desse final foi o desfecho de Wanda, que virou evangélica na prisão. Uma ótima ironia da autora em cima dos marginais que se 'convertem' quando são pegos e também uma estocada em Guilherme de Pádua, o assassino de sua filha. O último capítulo obteve 45 pontos de média, com 49 de pico. Já a média geral da novela foi de 34,3 pontos em SP, a pior média do horário nobre, tirando o injusto título que até então era de "Passione" (35,3), que quase empatava com "Insensato Coração" (35,6).

Finalmente fechou-se o ciclo dessa história para o alívio de muitos. Após tantos meses no ar, tantos erros exibidos e tantas críticas recebidas, a trama de Glória Perez se despediu do telespectador pela porta dos fundos e sem deixar saudade. Que venha "Amor à Vida"! 

72 comentários:

paulo disse...

Salve Jorge, fracasso=49 pontos
Avenida Brasil,"Fenômeno"=51 pontos.
Nossa, por dois pontinhos Salve Jorge não esvaziou as ruas, kkkkkkkkkkkkkkk.
Abrçs!

Carlos disse...

Olha, a crítica do Paulo foi perfeita. Essa é a mídia que tanto fala. Mas essa novela foi tão ruim que não tinha como vender nada a favor dela.

E tenho mais nada pra falar dessa ou de outra trama, pq falar mal tbm é chato. Vou aparecer aqui as vezes agora pq estou meio ocupado e quase nem tenho visto tv. Novela então menos ainda. Bom divertimento pra quem gosta.

Abraço

Anônimo disse...

Existe um ditado que diz que contra fatos não existem argumentos. Pois é, a novela Salve Jorge não foi um fracasso, isso é fato. A trama pode não ser das melhores, tem muita gente que gostou, assim como há pessoas que não gostaram da histérica Avenida Brasil, as opiniões variam e são relativas.
Entretanto, em tempos de crise de audiência, não se pode afirmar que essa novela foi fracasso. Isso é fato.

Thallys Bruno Almeida disse...

Bom artigo, Sérgio.

Foram tantos os erros de continuidade e verossimilhiança que eu não conseguiria enumerar todos aqui.

Por exemplo: a Turquia não foi aproveitada e explorada como o Marrocos ou a Índia. Dessa vez NENHUM bordão pegou.

Theo é talvez o pior mocinho da história, pelo conjunto da obra. E Theo e Morena já pode ser considerado um dos casais mais rejeitados de todos os tempos. Uma coisa de se esquecer. Nanda Costa, por sua vez, alternou altos e baixos. Não impliquei de cara com ela justamente por ser favorável aos novos rostos. Mas o que se viu foi uma personagem bem chata, marrenta demais e que se achava mais esperta do que realmente era.

Ver tanta gente ter o talento desperdiçado dessa forma foi triste.

A máfia de traficantes foi de uma incompetência sem tamanho, mas se salvou por revelar a Laryssa, proporcionou à Paloma se diferenciar e conseguir seu destaque, e premiou Totia Meirelles e Adriano Garib. Em compensação, Lívia Marini foi uma perda de tempo pra Cláudia Raia. A incompetência da personagem, disfarçada pelas caras e bocas de Cláudia que a deixaram artificial no início, contribuiu pra ela ser rapidamente esquecida.

Maria Vanúbia poderia ter rendido ainda mais se não passasse cinco meses tomando sol na laje e arrumando brigas. Mas valeu pela ótima atuação da Roberta e pelos bordões da personagem. A Dieckmann surpreendeu mesmo e finalmente ganhou uma personagem onde o público pedia pra ela não morrer. Antonelli, então, é curinga de carisma e taento em qualquer trabalho que faça. Helô e Stênio não à toa foram o grande par da trama.

De um lado, se a criticamos por seus deboches no twitter, chamando aos críticos da trama de recalcados; de outro, reconhecemos a coragem da autora ao enfrentar a campanha de intolerância religiosa que se moveu contra a trama. Afinal, se criticamos SJ é porque foi ruim, não porque leva nome de santo católico.

Wanda foi tão vilã, de tal forma que recebeu o final mais coerente, a ironia em cima do Pádua e dos "falsos convertidos".

Torço, de coração, para que Glória retome a boa forma de O Clone, investindo em novas histórias e temas. Mas fico aliviado porque o Sílvio de Abreu se livrou da pecha de "pior audiência das 9" (se bem que agora ele tem a pior das 7, mas dos males o menor). Agora, é coisa nova. Nossa torcida para Walcyr se consagrar no horário nobre é grande e tudo que tem sido divulgado de Amor à Vida faz a trama ter uma expectativa boa. Que venha a segunda-feira. Abçs!

Sérgio Santos disse...

Paulo, 45 de média e 49 de pico. A menor audiência das últimas novelas do horário. Av. Brasil teve 52 de média e pico de 54 (parece pouco, mas não é). Porém, o desempenho geral de Salve Jorge foi infinitamente pior.

Entretanto, em nenhum momento eu disse no texto que a novela foi um fracasso. Aliás, espero que tenha ao menos lido porque deu um trabalhão escrever.

A novela reagiu na reta final, porém, ficará marcada por tudo o que deu errado. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Carlos, não suma de novo! Não tem como dizer que a repercussão e a audiência de Avenida Brasil e Salve Jorge foram parecidas. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, eu afirmei que a novela foi um fracasso? Não mencionei isso em nenhum momento. Porém, a novela era totalmente ignorada. Só passou a ser comentada justamente por causa dos erros grotescos. Digamos que isso não seja lá algo bom...

Sérgio Santos disse...

Thallys, é tanta coisa que meu texto ficou gigantesco. Nem sei se todos terão paciência pra ler. Foi muito erro.

Os acertos como Helô, Wanda, Russo, Maria Vanúbia mereceram elogios. Porém, ficaram pequenos diante de todos os equívocos. O final valeu pelo final da Wanda que foi sensacional. Ver a vilã virar crente foi ousado e um tapa nesses bandidos que se dizem crentes após serem pegos. Também espero que a Glória tenha sucesso em seu próximo trabalho, mas que faça por merecer isso. Abraços.

Carlos disse...

Sim, Sérgio, nem tem. Me referi a parte em que Paulo falou sobre "ruas vazias". Assim como o "apagão". Da onde que alguém vai começar a fazer as tarefas de casa após a novela? Isso que eu quis dizer. Olhe essa manchete e veja a pouca movimentação na pista "esquerda" (link: http://televisao.uol.com.br/noticias/redacao/2012/10/19/ultimo-capitulo-de-avenida-brasil-tem-509-de-ibope-e-e-maior-audiencia-da-tv-no-ano.htm). 21h com congestionamento de 19h é improvável. Mas é pra vender, né?

Salve nem tem a mesma repercussão e audiência de Avenida, isso sem dúvida, mas acho que no PNT a diferença foi pequena. E mesmo que não tenha sido, Avenida chegou nos 50 nas últimas semanas e mesmo assim só o capítulo final que alcançou 52 (alguns sites dizem 51, já nem sei. Esse que te mandei, diz 50,9) e 75% de share. Patricia Kogut já disse 80& hoje no site dela... Cada um vende o peixe como pode...

Abraços

Anônimo disse...

Eu acho que se a novela foi um equivoco o final foi surpreendentemente genial. A Jô seduzir o russo e algemá-lo foi sensacional. A Wanda e a Lívia na prisão com a primeira virando crente e a outra dizendo que ela se adapta a tudo foi um tapa na cara dos evangélicos e hilário ao mesmo tempo. A volta ao Brasil de Morena e Théo com a filha no colo e o encontro com a comunidade foi emocionante, e a musica do Roberto encerrando foi perfeito. Confesso que foi um dos melhores finais de novela e olha que não acompanhei. Ao contrario de Avenida Brasil que teve um final bobo, previsível e confuso com aquela revelação tosca da morte do Max e a Carminha boazinha, uó!

Milene Lima disse...

Eu também gostei do final, deu pra assistir inteiro sem ser chato e meloso demais. Foi um final de novelas instigante,aonde não se sabia com antecedência todas as cenas.

No mais, você falou tudo com bastante pertinência. Adeus,Salve Jorge. E por favor não volte no Vale a Pena Ver de Novo.

Beijo,Sérgio.

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia
Sérgio
não tem nada a acrescentar em sua análise final sobre Salve Jorge.
além de todos os "furos" citados,o fato de transformar Wanda em evangélica, além de ser uma ironia em cima dos marginais que se 'convertem' quando são pegos e a estocada em Guilherme de Pádua, dizem ter sido uma resposta dada pela autora à campanha de boicote que sua novela recebeu no início dos evangélicos...
Gostei do momento final da policial Jô.
De resto...sem surpresas mesmo, vilões punidos e os mocinhos felizes. Picaretas impunes.Muitos personagens nem apareceram ,dado ao excesso.Um final previsível e sem invenções , desta vez , totalmente verossímeis
Obrigado!
Bom final de semana
Abraços

✿ chica disse...

Acabou tudo bem! Família reunida, surra no Russo, tantas coisinhas bem previsíveis. Valeu,vamos em frente esperando a próxima...abração,chica

Letícia disse...

Meu caro Sérgio, bom dia,

Agora é a minha vez de dizer que concordo com cada palavra, cada frase e cada parágrafo que escreveu em seu texto. Onde devo assinar?

Salve Jorge realmente foi um fiasco e finalmente chegou a fim para alívio de muitos, principalmente da Globo que tinha cortado 17 capítulos (3 semanas) da história. Apesar de partir de uma premissa interessante sobre tráfico humano, mas a novela se perdeu fôlego (se é que teve algum).

Primeiro: um dos erros mais gritantes, excesso de personagens para pouca história, muitos poderiam ser cortados sem prejuízo para a trama, provavelmente tornaria o texto mais enxuto. Obviamente causou constrangimento para autora e para os próprios atores ver tantos sem função. Uma bela cadelinha aparecia mais que muitos personagens, acredito que isto levou a autora deixar de lado a adorável Emily. Personagens que prometiam, mas que não vingaram como o pai do filho da Morena (isso para citar apenas um deles).

Segundo: Casal de protagonista mas sem sal da história da dramaturgia brasileira. Nada contra os atores, mas definitivamente o casal não passava nenhuma emoção. Não havia aquela química que cativa quem assiste e deixava com vontade de assistir mais. Eu acredito que quando dois atores são escalados para fazer um casal, eles devem, ao meu ver, sentarem e conversarem, junto com a direção, com o autor sobre como será aqueles personagens, como deve se a linha que vão seguir para fazer que aquele casal se torne crível. Fazer com que exista uma intimidade, uma cumplicidade, que sabemos não ser real, mas que precisa parecer ser pela história e pelos personagens. Os atores pareciam que apenas se comunicavam em cena. Como disse nada contra os atores, mas a escalação deles não bem sucedida.
Nanda Costa, apesar de talentosa, não teve o carisma necessário para segurar sua Morena. Li em algum lugar que a personagem principal era para ser vivida pela Giovana Antonelli, mas a autora optou pela Nanda, assim remoçando a personagem, antes tivesse ficado com a escolha anterior, mas Giovana (de quem sou mais fã a cada trabalho) deu um show de interpretação com sua adorável Helô, foi quem realmente roubou a cena. Rodrigo Lombardi, reconheço que o acho um tantinho canastrão, mas tem carisma, mesmo assim não conseguiu fazer de seu Théo o que fez por Raj em "Caminho das Índias", desta vez foi ele quem sentiu a rejeição sofrida por Márcio Garcia com seu Bahuan e tudo isto ao som daquela musiquinha chata do Roberto Carlos, foi bastante constrangedor. Um dia da caça outro do caçador. Outro dia lendo um artigo na Revista Veja eu vi que a Globo está mais preocupada em encontrar atores que sejam carismático, do que talentosos assim para atrair público, se fosse da Globo iria querer os dois perfis. Assim ela poderia teria mais opção na hora de escolher seus protagonistas.

O final em si, para mim foi um resumo triste da própria história, sem emoção, sem vontade de querer ver mais, enfim não vai deixar saudades. Tirando a invasão a boate a parte mais interessante foi a conversão da Wanda em crente, boa sacada da autora, é só chegar na prisão que muitos buscam se converter (para bom entendedor... ). Mas a triste realidade é que Salve Jorge não convenceu, ficou no meio da caminho e não deixou saudades.

Que venha Amor à vida é boa sorte para a nova das nove.

Um abraço é ótimo final de semana.





Thallys Bruno Almeida disse...

Errata: verossimilhança

Emanuella disse...

Eu não nunca achei Avenida Brasil isso tudo que falam, acho que outras tramas do horário nobre foram melhores, mas não dá pra negar que foi um sucesso. Pode não ter sido um dos maiores ibopes da emissora, mas foi sim fenômeno de repercussão. No trabalho ouvia as pessoas falarem de Salve Jorge mas sempre tirando onda das situações, e olha que a maioria dos meus colegas de trabalho nem acompanha as zoações da internet sobre a novela.

Ah, você esqueceu de citar outras situações absurdas (eu sei, são muitas e o texto ficaria ainda maior, rsrsrs):NUNCA a Polícia Federal daria uma ARMA para uma VÍTIMA AJUDAR NAS OPERAÇÕES; a delegada fez uma operação de mentirinha no avião e DEIXOU QUE MULHERES FOSSEM LEVADAS PARA SEREM TRAFICADAS; Helô PERMITIU QUE AS TRAFICADAS ESPANCASSEM O RUSSO (é sempre bom ver o vilão apanhar, mas isso ter acontecido com o aval da polícia federal ficou feio).

Texto excelente, parabéns!

Fernando Oliveira disse...

Aconteceu com Salve Jorge o mesmo que aconteceu com Esperança em 2002, porém a posição de Glória Perez há 11 anos era de conforto. Ao suceder O Clone, Benedito Ruy Barbosa tinha a difícil missão de manter a audiência de O Clone, mas sua trama fracassou, pois ao entrar no ar com Esperança, as cenas alegres e os bordões que pegaram o público deram lugar às cenas escuras e o drama intenso de uma novela desesperançada. Ao final, Esperança até que me conquistou, Walcyr Carrasco entrou e deu uma arrumada na novela fazendo com que certas coisas que estavam fora do lugar fossem colocadas aonde deveriam estar. Salve Jorge recebeu uma boa audiência de Avenida Brasil? Não, pois se tivesse recebido sua média no primeiro capítulo teria sido de 40! e não de 36 ou 37 (não me recordo bem do número) o que sei é que antes de todos os erros e de todo a massacrante e maçante crítica, houve de cara, de imediato, uma rejeito inexplicável no primeiro momento para com Salve Jorge, ou seja, estou falando que já no primeiro capítulo houve uma espécie de "boicote" ou vários, mas principalmente dos órfãos de Av. Brasil. Podemos comparar uma trama com a outra? Não, pois o Brasil transitou livremente pela Avenida sem grandes engarrafamentos, tirando fora a Nina não ter pen drive em pleno 2012!!o.O Mas infelizmente não fomos Salvos por Jorge que se perdeu ou no morro do Alemão ou na Turquia ou em meio ai tuítes desaforados Glória Perez.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Assisti ao último capítulo sem emoção alguma, talvez porque a maioria dos acontecimentos já eram previsíveis e outros foram pré anunciados através de revistas e sites.
A análise que você fez da trama foi perfeita e não deixa nada a acrescentar.

Um fato que achei estranho desde o início da novela foi que a matriarca dos turcos, que iniciou a novela como uma alienada, se transformou na pessoa mais lúcida e sábia da família.

Enfim, 'Salve Jorge' não deixará saudade. Que venha 'Amor à Vida'!

Excelente final de semana.

Beijo.

Clau disse...

Oi Sérgio,bom dia!
Sua crítica está perfeita.
Só tenho à acrescentar que transformar Wanda em evangélica foi um sarcasmo.Um deboche...
Mas,esperar o que de uma autora que perdeu o rumo da própria novela?!
Ainda bem que terminou \o/
Bjs!
Aproveita o fim de semana.

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Oi Sergio, achei que fosse pegar mais pesado rs, mas adorei o texto, falou dos erros que foram muitos, e valorizou os acertos. Acho que a novela já foi muito mal recebida no inicio, pois iria substituir Avenida Brasil e Glória faz parte daqueles autores pelo qual muita gente já torce o nariz antes mesmo de a novela começar como (Wacyr, Benedito, Lombardi, Aguinaldo e etc, uma espécie de preconceito digamos assim rs) Mas se a novela fosse boa, teria conseguido reverter isso, infelizmente não conseguiu. Acho que a grande dificuldade da Glória, como ela mesma disse foi encontrar o tom certo para contar a historia, porque trata-se de um tema muito pesado e isso exigiria um certo cuidado para não chocar o publico. Por isso a trama foi muito oscilante, começou como um dramalhão, depois virou uma trama policial (onde acho que a Glória fugiu totalmente de seu estilo e por isso acabou derrapando) até tornar a trama como uma cara farsesca e caricata, banalizando um tema tão sério. Ainda assim, sempre tive boa vontade com a novela e senti que em alguns momentos tentou encontrar seu caminho e pareceu engrenar, mas sempre acabava desandando porque no geral acho que o tema foi muito pouco propicio para uma novela de quase 200 capítulos. E o que mais incomodou foi a direção, que foi péssima, não casou com o texto de Glória, e além de enfatizar os furos de roteiro ainda piorava a coisa com mais erros ainda, passou a impressão de certo desleixo. Apesar de todos os erros, ainda acho que pegaram pesado com a novela, com esse massacre todo de críticas, muita gente não se mostrou em nenhum momento disposto a dar um voto de confiança a novela, e fizeram de SJ um momento de grande diversão onde todos se reuniam para malhar a trama, acho que até sentiram saudades de odiar Sj rsrs. Assim, as brincadeiras até achei bacana, brincava também, mas tem gente que é meio ofensivo, usa o @ da autora no twitter para depreciá-la, espezinhar, a desqualificar como autora como se ela nunca tivesse acertado antes, coisas que para mim não era insatisfação era falta de respeito mesmo. Acho que foi mais isso que a fez perder a linha, e falar besteiras, se fosse ela procurava não me envolver, mas ela resolveu partir para o enfrentamento e só piorou as coisas. Uma lástima pois gosto de Glória e acho ela uma das autoras mais importantes, pois sua obra no geral, vai além do entretenimento. De qualquer forma, SJ valeu pelo alerta feito ao público em torno do tema do tráfico humano, colaborou para que pessoas fossem libertadas, ou seja, mandou seu recado, cumpriu o objetivo de informar e levar o tema para discussão.
Bom, apesar dos pesares, sentirei saudades da Donelô e Stenio que eu adorava, das vilanias de Wanda, e dos bordões hilários de M. Vanúbia, os melhores da trama. Ah, e quero dizer também que a Nanda Costa fez direito seu papel, deu conta do recado e se mostrou uma grande atriz, torço muito para que ela tenha um bom futuro em sua carreira. Agora é aguardar Amor a vida, que parece ser bem melhor e esperar que Glória volte com um sucesso na próxima.

Abraços

Anônimo disse...

Contando todos erros e acertos, trama, personagens etc etc, não há um pingo de comparação entre "Avenida Brasil" e "Salve Jorge".

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Ótima crítica, Sérgio. Assino embaixo. Acrescento Odilon Wagner como talento desperdiçado. Nas cenas finais, gostei da libertação das traficadas. Lívia tentando seduzir o diretor do presídio foi um desfecho em aberto convincente. Achei precipitado o final feliz de Érica e Haroldo. Já Celso e Amanda se merecem. Russo apanhou tanto das vítimas, sem ao menos um hematoma.
"Salve Jorge" teve um único ponto alto: a abordagem do tráfico humano. A alienação parental foi outro tema interessante. O caso da adoção da Aisha demorou demais para ser solucionado. A novela não deixará saudades.

André disse...

Sergio,adorei sua critica pois mesmo voce nao tendo gostado muito da novela voce nunca debochou da autora(coitada,fiquei com do dela) e apesar de ter criticado voce tambem soube elogiar os bom personagens que teve(Jèssica,Wanda,Helo) e algums nucleos que deram certo(mostrar como funciona o trafico humano,adoçao de Aisha,e a alienaçao parental)
Parabens,voce é um otimo critico


Eu sinceramente adorei a novela,porém teria mudado algumas coisas

Anônimo disse...

O que você achou do desempenho de Nanda Costa? No meu caso, eu me surpreendi com ela e achei que ela cresceu muito na novela. Abraços

Cristiano disse...

Sergio 45 pontos foram somente a previa,nos consolidados vai dar provavelmente 46 ou 47.
De coque jeito Salve Jorge foi uma novela legalzinha,fico meio decepcionado pois podia ter sido a melhor novela de todos os tempos

O final foi otimo,melhor do que o de Avenida Brasil, porém eu estava torcendo para que Rosangela e Irina se salvassem,voce concorda comigo? E tambem queria que tivessem mencionado a personagem Jéssica que morreu,do resto:

Wanda evangelica foi otimo!
Livia presa fazendo striptease tambem foi incrivel
Russo apanhando foi gostoso de ver

Rita disse...

Bom Sergio concordo com vc sobre essa novela, até que acabou bem os personagens, mas só não entendi, pq o Sr Pescoço ficou de boa vagabundando como sempre/ele ligou pra Livia,,,,ou não..sei la......mas ir todos pra cadeia foi bom demais...Quanto a Vanda foi maravilhosa, só não gostei dela ser evangélica no fim......nada contra os evangélicos pelo amor de Deus....mas pelo que vemos é assim que termina alguns presos...
Se falei algo errado me corrija
Deixo um abraço de bom final de semana
Bjuss
Rita!!!

joao eduardo leal disse...

Deveria considerar a media, nao o pico. Avenida teve mais de 60 ptos de pico.

Danizita L. disse...

Sim, a cachorrinha, tinha esquecido dela, rsrsrs. Bom, eu acho que a Glória deveria ter deixado de lado esse negócio de "país exótico", depois de duas novelas tão marcantes como "O clone" e "Caminho das Índias", esse tema já estava saturado, por isso o núcleo turco não vingou.Uma pena uma novela com um tema central tão forte como o tráfico humano ter se perdido assim...Se não fosse o excesso de personagens, de subtramas inúteis e os erros da direção, teira sido com certeza uma grande história,ótimo o texto Sérgio, bjs ; )

A viajante disse...

Acabou!!!!!!!!!!!!!!!!! Ufa! O final foi indiscutivelmente ruim... risos... beijo!

Lulu disse...

Sérgio amei seu post.
A novela foi um erro de absurdos.. Concordo com a sua observação sobre os acertos da trama. Giovanna roubou a cena e virou protagonista, porém acabou em pizza aquela compulsão por compras né? Fiquei tão curiosa em ver o q tinha naquelas sacolinhas.
Big beijos

MARILENE disse...

Você disse tudo, Sergio, em uma excelente postagem. A novela foi um tremendo fracasso e fico feliz que tenha chegado ao fim. Bjs.

Zilani Célia disse...

OI SÉRGIO!
O QUE NÃO DÁ PARA ENTENDER, É QUE DESDE O INICIO ESTA NOVELA FOI MARCADA PELA FALTA DE TUDO PARA SER UM SUCESSO E NADA FOI FEITO PARA MUDAR O QUE NÃO ESTAVA DANDO CERTO, ATÉ PARECE DESCASO COM O TELESPECTADOR.
VEREMOS O QUE VEM POR AÍ.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Sissym disse...

Sergio,

Uma novela que tinha um otimo conteudo, mas cheia de equivocos, tantas falhas que poderiam ser evitadas. Até no ultimo capitulo houveram várias. Que pena.

Bjs

Vera Lúcia disse...


Oi Sérgio,

Agora há pouco estava lendo uma crítica no face e achei que foi muito bem lembrada. É sobre os tais telefonemas que o 'pescoço' teria dado para a Lívia. Que ligação teria esta figura com a Chefe do tráfego?-rsrs.

Bons sonhos.

Beijo.

Sérgio Santos disse...

Ah tá, Carlos, agora entendi o que quis dizer. Mas a repercussão foi infinitamente superior msm. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, também gostei do final da Wanda e Lívia na cadeia e da Jô algemando o Russo. Porém, a cena do espancamento dele foi ridícula porque a trilha sonora estragou a cena. Colocaram uma música animada ao invés de uma de suspense. Já a chegada da Morena eu não vi nada demais. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Olha, Milene, não voltará no Vale a Pena Ver de Novo. Graças a Deus! Já foi tarde. bjsss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Felis. O grande acerto da Glória foi o final da Wanda. Ter virado evangélica foi genial. Sim, muitos personagens nem tiveram final porque era tanta gente... Lamentável. abraços.

Sérgio Santos disse...

Que venha a próxima, chica. bj

Sérgio Santos disse...

Oi Letícia, boa madrugada! Que bom que gostou do texto, deu trabalho. rs

Concordo com todo o seu comentário. Só discordo nesse 'tantinho' canastrão sobre o Rodrigo. O acho muito mesmo.

Helô roubou a cena enquanto que Theo e Morena formaram um casal tão insuportável quanto Pedro e Marina em Insensato Coração.

Realmente a história terminou sem deixar saudades e o último capítulo foi um retrato do que foi a novela: personagens sumidos, núcleos avulsos, finais nada empolgantes, enfim... O grande acerto foi o final da Wanda! Entrou pra história a vilã virar crente. E muito verossímil. Nem gostei da invasão da boate, adrenalina zero.

A Emily nem apareceu mais. Nem final teve. Aliás, nem sei que fim levou a tal herança da cadela que todos tanto cobiçavam. Enfim, acabou e já foi tarde. bjão!!!

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado, Emanuella. Pois é, eram tantos os erros que nem tinha como eu colocar tudo. Aliás, quando terminei o texto e olhei me questionei: quem vai ter saco de ler tudo isso? Ficou muito grande. rsrs

Boa lembrança a sua. A PF jamais daria uma arma pra vítima, aliás, nem mandaria a vítima pra servir de isca. E a ida de Morena foi inútil porque já tinha a Jô infiltrada, não precisava daquela embromação toda.

A Riva até reprimiu a Jõ, mas a Helõ permitiu. Depois ela ainda disse pra nenhuma traficada falar nada porque senão iria 'complicá-la'. Mas por que se a Helô tinha permitido? Enfim... bjssss

Sérgio Santos disse...

Ótimo comentário, Fernando. Acho que o problema de Esperança foi que Benedito Ruy Barbosa tentou copiar sua própria novela anterior (Terra Nostra) e não soube conduzi-la. Parecia um remake mal produzido. A novela foi péssima do início ao fim. Walcyr ainda conseguiu movimentar a história mas já era tarde.

Glória já tinha errado s mão em América e Caminho das Índias, no entanto, ambas conseguiram contornar os problemas iniciais no ibope, terminando sendo sucessos. Ela teve sorte. Agora, com Salve Jorge, o quadro não se reverteu. Tá na hora dela rever seus conceitos. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Vera, essa novela foi totalmente equivocada, inclusive na composição de muitos personagens. Vc deu um bom exemplo com a matriarca da família turca. Aliás, ela mal aparecia.

Sobre o tal telefone do Pescoço, foi apenas mais um furo dessa novela. Eu confesso que nem sabia disso porque não vi a trama com assiduidade, aliás passei um bom tempo passando longe dela. Mas foi outro fio desencapado deixado pela autora. Que fim levou Miro? Deve ter morrido, sei lá... O Celso é filho mesmo do tal milionário? Irina foi presa ou solta depois que contou sobre a Lívia? Que fim levou Russo? Enfim, haja erro... bjssssss

Sérgio Santos disse...

Rafael, eu tentei ser o mais justo possível. Mas jura que achou que eu peguei leve? rsrs

Eu gosto muito da Glória e admiro como pessoa. Porém, nunca gostei da sua novela. Concordo que Salve Jorge já começou recebendo a má vontade do público como resposta, porém, acho que isso foi culpa da própria autora. Afinal, foi só ver as primeiras chamadas pra bater um desânimo e, digamos, indignação. Como olhar pra Turquia sem lembrar de Marrocos e Índia? Quer dizer, só isso já fez com que boa parte do público e crítica torcesse o nariz e com razão.

Sempre desci a lenha em Salve Jorge no Twitter, mas nunca fui até a @ da autora para ofendê-la ou debochar. Aliás, vi até alguns que se dizem "entendedores de novelas e críticos" fazerem isso. Lamentável. Me decepcionei com algumas pessoas que exigiam que a autora fosse educada mas não davam o exemplo. Respeite para ser respeitado.

Nem acho que os acertos da novela farão falta justamente porque até eles foram mal desenvolvidos. Caso da Maria Vanúbia, por exemplo, que ficava restrita às mesmas situações e só deslanchou no final. Enfim, acabou, tchau, não sentirei saudades. rs Abraços!

Sérgio Santos disse...

Concordo, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Elvira. Odilon foi desperdiçado também, mas em comparação com os outros até achei que ele teve mais 'sorte'. A emoção das traficadas após a libertação foi uma bela cena. Porém, o espancamento do Russo foi ridículo por causa da trilha sonora. E nem pudemos ver se ele ficou com hematoma ou não porque ele nem pareceu mais.

O tráfico humano serviu de alerta mas não de entretenimento. A condução da história foi deprimente. Érica foi mais uma personagem sem função e que só sofreu. Não deixou saudades mesmo. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado, André. Realmente eu detestei essa novela, mas elogiei os acertos quando achei necessário e não escrevi só textos criticando. Eu procuro ser justo sempre.

Nunca debochei dela mesmo e fiquei indignado quando ela me bloqueou no Twitter. Mas, não sei o que houve, talvez tenha visto que eu nunca a ofendi, Glória me desbloqueou. Menos mal. Critiquei muito a novela e criticaria tudo de novo, mas daí ofender a autora é demais. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, eu gostei do desempenho da Nanda. Ela foi muito bem e convenceu. O problema é que sua mocinha era mal construída e o que tinha de esperteza no início teve de imbecilidade depois. Mas não foi culpa dela. abraços.

Sérgio Santos disse...

Clau, eu achei esse sarcasmo dela muito bom. E foi diretamente relacionado ao Guilherme de Pádua, assassino de Daniela Perez. Agora ele é evangélico e 'bondoso'. Foi uma ironia em cima desses assassinos hipócritas. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Cristiano, também acharia interessante se a Rosângela escapasse e virasse uma Lívia Marini 2. Já Irina deveria ter um desfecho porque ninguém soube se ela ficou presa depois da delação premiada ou não. O final da Livia e da Wanda na cadeia foi ótimo. abraços.

Sérgio Santos disse...

Rita, a sua dúvida é a de todo mundo. Essa trama do Pescoço é mais uma que não teve explicação. Mais um erro.

Eu gostei da Wanda ter virado evangélica até porque ela n~]ao virou, só fingiu, como muitos marginais fazem. Por isso mesmo que gostei dessa sacada da Glória. bjsssss

Sérgio Santos disse...

João, Av Br teve 60 de pico? Tinha me esquecido. Que bom então. abçs

Sérgio Santos disse...

Pois é, Danizita, se não fosse tudo isso seria uma boa novela. Mas não foi. Uma pena.

E a cachorrinha simplesmente SUMIU. E olha que ela era a figura central do núcleo. Bjs

Sérgio Santos disse...

Acabou, Ju! FINALMENTE! bjs

Sérgio Santos disse...

A Giovanna Antonelli foi maravilhosa ,Lulu. Foi a verdadeira protagonista. Mas a sua compulsão por compras foi mais uma trama que não foi desenvolvida e jogaramn no lixo. Triste. bjsss

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado, Marilene! Que venha Amor à Vida! bjs

Sérgio Santos disse...

Exato, Zilani. Nada foi feito para melhorar. Pelo contrário, foram piorando o que já estava ruim. bjssss

Sérgio Santos disse...

Sissym, a ideia central foi boa mas o desenvolvimento... bjssss

Barbie Californiana disse...

Novelas, filmes e desenhos sempre tem furos e são "mentirosos"... Eu gostei de Salve Jorge, Sérgio! beijos e bom começo de semana.

Anônimo disse...

Sérgio, concordo com a tua análise sobre Salve Jorge. Foi sim o pior trabalho de Glória Perez.
Mas tenho algo a comentar... Você não acha que depois de tantas novelas os autores consagrados começam a se desgastar e perder a criatividade, pois os maiores sucessos de hoje são dos autores mais jovens?

Sílvio de Abreu não agradou com o remake de Guerra dos Sexos - a novela simplesmente não decolou. Passione não me agradou e acho Belíssima seu último bom trabalho.

O último sucesso de Gilberto Braga foi Celebridade, pois Paraíso Tropical e Insensato Coração mostraram o desgaste do estilo desse autor.

Aguinaldo Silva, apesar do sucesso, enganou a todos com as suas Duas Caras e com sua Fina Estampa. Senhora do Destino foi sua última boa novela.

Faltou ritmo A Viver a Vida de Manoel Carlos, a história era boa com bons personagens e ótimas atuações, mas a tramas demoravam a se desenvolver. Mulheres Apaixonadas foi seu último êxito.

Acho que Glória Peres cria grandes histórias e é engolidas por elas. Salve Jorge, Caminho das Índias, América, foram novelas com histórias grandiosas e, acho eu, Glória se perdeu em todas elas. Seu último e melhor trabalho foi O Clone, e isso em 2002.

Mas temos aí Walcir Carrasco, Duca Rachid, Thelma Guedes, Isabel de Oliveira, Felipe Miguez, Lícia Manzo e João Emanuel Carneiro. Eles tem grandes desafios pela frente. Torcemos pela criatividades deles para o nosso entreterimento.

Sérgio Santos disse...

Barbie, mas no caso dessa novela houve um abuso. Mas respeito que vc tenha gostado. Bjão!

Sérgio Santos disse...

Acho sim, Anônimo. Porém, discordo de algumas coisas.

Na minha concepção, Silvio de Abreu continua ótimo. Achei Passione uma excelente novela em todos os sentidos. Guerra dos Sexos, apesar do fracasso, foi uma boa novela e cumpriu seu papel.

Concordo que Gilberto Braga se equivocou totalmente em Insensato Coração, que foi péssima. Porém, discordo sobre Paraíso Tropical.l Achei aquela novela ótima e até melhor que Celebridade, embora também tenha achado essa espetacular.

Sobre o Aguinaldo e Maneco, concordo. Seus últimos bons trabalhos foram mesmo Senhora do Destino e Mulheres Apaixonadas.

Os novos autores ainda nem tiveram tempo para se desgastaram, o que é natural. Enfim, vamos torcer para que eles se renovem. Abraços!

Kellen Bittencourt disse...

Novelinha patética essa, a neimmm, sem duvida alguns atores brilharam apesar dos erros da autora que até no ultimo capitulo casou a delegada sem a presença de Morena que não sei por quê voltou da Turquia tempos depois de todo mundo já ter voltado ????? não entendi, foi ridiculo! Abraçosss

Anônimo disse...

Pipipi, olha o recalque Sergio! Salve Jorge foi boa sim, erros toda novela tem, o problema é que ultimamente parece que virou moda ficar buscando lógica em novela e nenhuma tem. A sua novela preferida, a chata Avenida Brasil foi um festival de furos e coisas sem pé nem cabeça, o problema é que você não aceita. Fui a feira de domingo e o assunto era o final de Salve Jorge. Até a Sonia Abrao deu 10 pro final da novela hoje. Aceita que dói menos!!!!!!

Sérgio Santos disse...

Kellen, desista de entender essa novela. Não dá. Já foi tarde. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Tudo bem, anônimo, então eu sou um recalcado. ps: Sônia Abrão é um parâmetro pra vc? Ok.

Silvana Haddad disse...

Concordo com o comentário e pensamento do Rafael Barbosa dos Santos, quando escreveu que Salve Jorge valeu pelo alerta feito ao público em torno do tema do tráfico humano, colaborou para que pessoas fossem libertadas, ou seja, mandou seu recado, cumpriu o objetivo de informar e levar o tema para discussão.
Mesmo com erros, na minha opinião, a trama foi EXCELENTE, muito bem amarrada, pois conseguiu reunir em torno do tema central, todo o elenco principal e alguns dos outros núcleos.
Só uma mente como a de Glória Perez, seria capaz de criar uma trama como essa.
Abraços:
Sil
http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Silvana! Respeito sua opinião. Abraços.

Anônimo disse...

Mas o pior foi destruir a relação do melhor casal de Salve Jorge: Bianca e Zyah. Há tempos não se via uma química tão perfeita, mas q, infelizmente, a autora não teve competência para desenvolver, no que poderia ser uma bela história de amor. Os personagens tiveram seus perfis , completamente, modificados ( para pior), para justificar um fim insosso e que só favoreceu o preconceito intercultural, as uniões arranjadas e um casamento sem amor!!! QQ autor, com um mínimo de sensibilidade, adoraria ter um casal desses em sua novela. Uma pena!!!

Sérgio Santos disse...

Anônimo, e esses personagens não tinham a menor função na história, convenhamos.

Aliás, entre tantos erros, ainda teve o fato do Theo nem saber que a Érica perdeu o filho dele. Enfim...

Anônimo disse...

Mas foram eles que deram colorido à trama e alavancaram a audiência...

Tinha tudo para se transformar na história de amor da novela, já que, inicialmente, ambos eram livres e desimpedidos (ele, viúvo e ela separada).Zyah, de corajoso virou um homem covarde, sucumbindo à pressão da família. Bianca, de mulher decidida, foi transformada em uma mulher q se humilhava, " pagando mico atrás de mico, na Turquia" e Ayla, de obcecada (ela e a família aprontaram muito contra Bianca) foi transformada na coitadinha... ou seja, um amor que poderia ter vencido preconceitos, foi desperdiçado por pura incompetência e, segundo alguns sites, por pressão da atriz, que não queria perder, novamente, o galã (como em outras novelas), para ficar com um ator desconhecido.
Como é um espaço democrático, resolvi expôr minha opinião!!!

Sérgio Santos disse...

E sempre expresse sua opinião aqui! Haverá espaço para comentários sempre. EPor mim tanto fazia com quem Ziah ficaria. Achei Domingos Montagner totalmente desperdiçado nessa novela,assim como todo o núcleo turco. E a Cléo e a Cissa Guimarães nem tinham núcleo, eram duas avulsas na história. A trama foi mal construída e pra falar a verdade eu nem reparei nessas mudanças de personalidade que vc mencionou porque eu raramente prestava atenção nesse núcleo quando eu perdia meu tempo vendo a novela. Abraços e mais uma vez obrigado por expressar sua opinão aqui.