terça-feira, 21 de maio de 2013

Com ritmo ágil, bons personagens e história atraente, "Amor à Vida" estreia devolvendo qualidade ao horário nobre

"Hoje em dia o amor se manisfesta de muitas formas. Existe o amor na sua forma mais pura, mas também existe o amor ao poder, o amor ao dinheiro, o amor ao sucesso, o amor ao corpo, o amor ao belo, o amor ao sexo, o amor ao nada, o amor ao tudo. Mas no fundo, o que todos deveriam ter era amor à vida." Foi com esse texto que o 'teaser' da nova novela das nove foi apresentado ao público. E após o animador e movimentado primeiro capítulo de "Amor à Vida" (exibido nessa segunda-feira - 20/05), ficou bem claro que o título dessa trama não poderia ser outro. As variadas formas de amor e a diversidade das relações humanas é que irão movimentar essa história que marca a estreia de Walcyr Carrasco no horário nobre.


O  primeiro capítulo foi longo e recheado de acontecimentos. O autor realmente parece disposto a fisgar o telespectador pela quantidade de conflitos existentes em sua história. Apresentando um ritmo acelerado, mas sem ser corrido, a estreia contou com um número de situações que poderiam ter sido desenvolvidas em até uma semana, no mínimo. Logo no início, o público viu Paloma (Paolla Oliveira) viajando com a família em Machu Picchu, no Peru, para comemorar sua entrada na faculdade de medicina. Pouco tempo depois, há um forte desentendimento, e a mocinha acaba rompendo com seus familiares e fugindo com um aventureiro (Nino - Juliano Cazarré), por quem se apaixona. Depois de um breve envolvimento, ela descobre que está grávida. Só que seu recém-companheiro é preso pela polícia após ser flagrado traficando drogas pouco antes de embarcar no avião que levaria o casal de volta ao Brasil. Assustada, Paloma viaja sozinha e ao chegar conta para seu irmão Félix (Mateus Solano) que está grávida. Há uma passagem de tempo e o ponto chave da trama central é iniciado.

Bruno (Malvino Salvador), um jovem batalhador, vai do céu ao inferno: sua esposa (Luana - Gabriela Duarte) e seu filho morrem no parto. Enquanto essa tragédia atinge a vida desse personagem, Paloma se encontra desesperada em um banheiro de bar após brigar com Ninho --- que tinha acabado de sair da cadeia. Prestes a ter
seu filho, ela liga para pedir ajuda mas não consegue. Quem a auxilia é Márcia (Elizabeth Savalla). A mulher ajuda no parto e liga para a emergência, mas logo depois vai embora com medo. Paloma desmaia após o parto. Já o vilão, que sempre odiou e invejou a irmã, ao chegar no local, a encontra desacordada e, achando que está morta, pega o recém-nascido. Sem o menor ressentimento, joga a criança em uma caçamba de lixo. E é nessa caçamba que Bruno encontra a menina logo após sair do hospital, chorando e desorientado após a tragédia que havia ocorrido em sua vida. Com essa forte cena, se encerra o vertiginoso e excelente primeiro capítulo, dando o pontapé inicial para o começo dessa história que tem grandes chances de conquistar o telespectador.

Por enquanto somente o núcleo central foi apresentado, porém, já é possível dizer que os todos os personagens têm potencial para protagonizar grandes sequências. Antônio Fagundes e Susana Vieira se destacaram vivendo Cesar e Pilar, os pais da protagonista e do antagonista da novela. Paolla Oliveira está lindíssima e teve um ótimo desempenho, mostrando que a apagada Marina de "Insensato Coração" ficou mesmo para trás. Juliano Cazarré enterrou de vez o hilário Adauto, de "Avenida Brasil", e se mostrou bem à vontade vivendo um sujeito doce e irresponsável. Já Mateus Solano tem um excelente papel em mãos: viver o grande vilão do horário nobre é uma responsabilidade e tanto, que só aumenta com a 'característica' peculiar do odiável personagem: um gay enrustido e muito sarcástico. Por tudo o que fez na estreia, o ator mostrou que saberá aproveitar muito bem essa oportunidade na pele do odioso Félix. Será um monstro que o Brasil amará desprezar. Leona Cavalli e Elizabeth Savalla, apesar das rápidas aparições, foram outras que se destacaram positivamente.

Além das ótimas atuações, do ritmo ágil, da avalanche de acontecimentos e da atraente trama central, o primeiro capítulo contou com lindas imagens do Peru e de São Paulo que apenas enriqueceram a história e não foram usadas para 'preencher o tempo'. A linda fotografia e os belos cenários funcionaram apenas como pano de fundo, sem ofuscar a trama. Infelizmente há muitas novelas onde o conteúdo não é nada atraente e o mesmo acaba sendo neutralizado por uma eventual bela paisagem, que acaba virando o único atrativo. Definitivamente não foi o caso de "Amor à Vida".

O curioso e o animador é que tudo de bom que foi apresentado nessa estreia não representa a totalidade da história. Ainda há todos os núcleos secundários, que apresentaram personagens promissores nas chamadas. Caso de Márcia, a ex-chacrete, e sua filha, a periguete Valdirene. Elizabeth Savalla e Tatá Werneck obviamente serão as grandes sensações da novela e darão todo o refresco que o público precisa, aliviando um pouco o núcleo central que apresenta situações mais fortes. Além dessa impagável dupla, há ainda muitos outros personagens que não entraram: o casal gay vivido por Thiago Fragoso e Marcello Antony, a secretária interpretada pela Vanessa Giácomo, entre tantos mais.

A agilidade da trama foi um presente para o público que está cada vez mais exigente em relação ao ritmo de uma novela. Não deu para o telespectador piscar em virtude da quantidade de acontecimentos. A sensação era de estar vendo um filme. Já a direção merece uma legião de elogios. Mauro Mendonça Filho, Wolf Maya e equipe fizeram um excelente trabalho e capricharam nas cenas. Uma obra pode ter a qualidade que for, mas se não tiver um bom time de diretores para dar um suporte, tudo vai por água abaixo. E pode-se dizer que o conjunto exibido no primeiro capítulo do 'novo amor das nove' foi ótimo.

Walcyr Carrasco é um autor de sucessos, com exceção de "A Padroeira". Se destacou na Manchete com "Xica da Silva" e no SBT com "Fascinação". Na Globo, escreveu sucessos de audiência às 18h, às 19h e às 23h. "O Cravo e a Rosa" e "Chocolate com Pimenta" foram muito bem-sucedidas no início da tarde e "Alma Gêmea" foi o grande fenômeno do horário --- chegava a atingir impressionantes 50 pontos. "Sete Pecados", "Caras & Bocas" e "Morde & Assopra" foram outros projetos que deram um excelente ibope no horário das sete, apesar da primeira e da terceira terem apresentados problemas nos primeiros meses. Já o remake de "Gabriela" foi outra produção vitoriosa. Agora, o autor tem a difícil missão de estrear no horário nobre e recuperar os números perdidos com a fraca "Salve Jorge". O ibope do primeiro capítulo foi de 35 pontos, o mesmo alcançado com a estreia da trama de Glória Perez. Porém, pelo currículo que Walcyr tem e pela história apresentada em "Amor à Vida", não será surpresa se mais um sucesso fizer parte de sua carreira.

64 comentários:

Thallys Bruno Almeida disse...

Que estreia foi essa, hein? De deixar todo mundo com o coração na boca com tanta adrenalina!!!

O acerto já começou logo mostrando a relação disfuncional entre Paloma, Félix e os pais. E a "semelhança" que podia existir com IC ficou só no boato.

A Paolla já começou com o pé direito. Protagonizou ótimas cenas de briga com a Suzana, mostrou uma química explosiva com o Juliano Cazarré (na noite de amor dos dois), emocionou na briga de Paloma e Ninho, já no Brasil; brilhou no momento em que os pais descobrem a gravidez do tal aventureiro e arrasou na sequência em que ela sente as dores do parto. Tá mais linda do que nunca. Adorei a personagem dela logo de cara.

Mateus Solano foi o grande nome do capítulo. Não bastasse a arrogância e frieza que nunca deve faltar a um vilão, os toques de monstruosidade de Félix foram retratados com uma precisão ímpar. Um vilão que não veio ao mundo novelístico a passeio, é daqueles pra gente odiar mesmo. Tem grandes chances de ser o maior nome dramático da trama.

Juliano Cazarré marcou pela versatilidade ao viver um tipo meio "vida loka" e teve seu grande momento na cena da prisão de Ninho, ao ser descoberto com drogas. O conflito junto com Paloma e Bruno (Malvino Salvador) é outra coisa que promete.

Fagundão, um de nossos maiores atores, dispensa comentários. E Suzana Vieira, para nossa alegria, não tentou dar uma de diva. Sua Pilar deu um tom que chegou até a lembrar (no ponto positivo) a saudosa Branca Letícia de Por Amor.

Leona mandou bem no pouco que apareceu, mas o aumento de seu espaço me permitirá falar com mais propriedade. Rever a Savalla foi mto bom e principalmente o Fúlvio Stefanini. Esse tava fazendo falta. Gabriela Duarte emocionou na estreia e já deixa saudades.

Amor à Vida funcionou porque junto com as paisagens e a trilha (tirando o Daniel gritando a música do Gonzaguinha), tinha texto, ritmo, conteúdo e direção. E tudo funcionou a muito contento. Superou as expectativas, apesar da estreia ter sido a mesma da antecessora.

Walcyr, Mauro Mendonça Filho, Wolf Maya e o elenco merecem nossos aplausos pelo espetáculo apresentado. Que venham os próximos caps!

Thallys Bruno Almeida disse...

Ah: a abertura foi de um primor sem precedentes, apesar do cover do Daniel. Baseada em um trabalho do Ryan Woodward, animador de Os Vingadores. E não copiada, como dizem, já que o próprio Woodward esteve no Projac e gravou um vídeo falando sobre a criação da abertura. Melhor coisa da trilha sonora: Pontes Indestrutíveis do CBJr.

Neli Souza disse...

Simplesmente arrebatador este primeiro capítulo de Amor à Vida.Vejo a agilidade da narrativa e o desenrolar de tantos fatos da ação num mesmo dia como um retrospecto.O momento da narrativa da novela é o presente, quando a filha da Paloma já está crescidinha ,na pré-adolescência.Hoje,fomos apresentados ao início de uma história que será contada,em um outro ritmo,10 ou 12 anos decorridos.Espero muito desta novela. A direção já mostrou a que veio: talentosa, ágil.Os personagens muito bem construídos.O elenco fantástico, com Mateus Solano genial!E muito mais ainda vem por aí, como você tão bem pontuou, Sergio.Ao que tudo indica, teremos de volta o prazer de acompanhar uma boa novela das 9.

paulo disse...

Deixei de fazer mil coisas mais interessantes hoje, inclusive deixei um amigo esperando pra fazer o sacrifício de assistir a esse primeiro(e pra mim ultimo) capitulo dessa novela. Poderia começar falando que a falta de criatividade que ronda as novelas na rede globo já começa no titulo. Mas nesse caso veio o conjunto todo: logomarca, abertura e aquela fonte dos créditos, o que esta acontecendo com a globo??? Aturar o Daniel berrando aquela musica cafona naquela abertura esquisitíssima por meses já seria dose, mas e a novela em si? Bem, quando começou o capitulo já tive a impressão que Salve Jorge não tinha acabado ou seria mais uma novela da Glória dessa vez ambientada no Machu Pichu? Depois tive a impressão que era o João Emanuel Carneiro que voltou ao horário nobre com sequencias cheias de ritmo, ação, câmera nervosa e cenários escuros. Mas peraí, estou esperando uma novela e não um filme. Aliás a sequencia do Cazarré no aeroporto com a droga foi totalmente chupada do filme "Expresso da meia noite", daí entrou a tal abertura medonha e quebrou todo o clima do que se viu até então. Voltou do intervalo e ai a coisa ficou um pouco mais light com apresentação dos outros núcleos e ai já deu pra sentir que realmente estávamos diante de mais uma novela do Carrasco. Muitos clichês, muita canastrice(inclusive dos veteranos), e um final que só deve despertar a curiosidade de assistir os capítulos seguintes quem não vê novelas com frequência ou quem é muito jovem e nunca viu nada parecido em trocentas novelas com aquela manjada estória de bebê trocado que cresce em outra família e tal...
Olha, haja paciência e falta do que fazer pra conseguir acompanhar novelas hoje em dia cada vez mais manjadas e com aquela imagem de película escura e péssima que a globo adotou de vez em suas novelas, enfim, boa maratona pra quem se habilita.
Abrçs.

paulo disse...

ps.: posso estar enganado mas acho que essa novela tem tudo pra ser o maior fiasco do horário nobre dos últimos tempos, atirou pra todos os lados e não acertou nenhum. A chamada desesperadora nos intervalos do JN já mostravam que nem a globo acreditava no que estava por vir. E o ibope hein???

Anônimo disse...

Sérgio, no caso da cena da Márcia que você disse que ligou para os familiares... Se você rever a cena, verá que não, ela liga para a emergência e não para os familiares.

Sérgio Santos disse...

Estreia boa mesmo, Thallys. Deu gosto de ver! Paolla está ótima e sua mocinha promete. O Félix é um vilão genial e o autor acertou na mosca ao colocar um gay como antagonista. Susana e Fagundes também foram ótimos.

Coisa boa ver a Savalla e o Fulvio no horário nobre graças ao Walcyr que sempre os valoriza. Aliás, bacana também ver Cristina Mutarelli, outra só valorizada pelo autor. E ainda tem muita gente para aparecer.

Um capítulo recheado de acontecimentos e que poderiam ter sido desenvolvidos em duas semanas, no mínimo. Mas Walcyr parece ter uma história bem rica em mãos. Nós agradecemos porque estávamos precisando. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Ah, sim, a abertura também ficou muito boa. Concordo que aquela voz do Daniel estraga tudo. Se mudassem o cantor seria perfeito. Mas é tarde demais agora. A animação é sensacional. abçs

Sérgio Santos disse...

Foi muito bom, né Neli? Direção acertada, trilha inspirada e uma história ótima e muito bem desenvolvida, sem qualquer tipo de enrolação. Finalmente o horário nobre volta a ter qualidade. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Paulo, ao menos vc viu, já é um fato positivo. Ainda que tenha sido pra falar mal.

Não parecia novela da Glória porque os estrangeiros não falavam português. E vc ter citado o caso do João Emanuel Carneiro para mim é um elogio à novela, vc sabe, né? Mesmo vc detestando o autor.

Claro que a situação do bebê é um baita clichê, porém, toda novela terá clichês. O acerto dessa novela é que o autor soube inserir modernidades dentro disso. A forma de contar a trama, por exemplo. E vc vai discordar que o fato de ter um vilão gay enrustido não foi uma grande sacada? Aliás, um mocinho (Ninho) é, digamos, um maconheiro, e o outro mocinho (Bruno) adota a criança por meios ilegais. Convenhamos, situações que fogem da obviedade.

Só posso crer que vc tenha visto canastrice na Susana Vieira porque me recuso a achar que vc achou isso do Fagundes, da Savalla e do Ary Fontoura.

Bem, ser mais 'fiascada' que Salve Jorge em audiência é praticamente impossível. Porém, em se tratando de qualidade, trama e direção, a nova novela se mostrou infinitamente superior.

ps: vc disse que espera uma novela e não um filme, mas critica os clichês da novela. Ou seja, não entendi bulhufas. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, obrigado pela correção. Realmente errei ali e já corrigi. =)

Anônimo disse...

Realmente as novelas agora parecem recorrer a cenários milionários, correria e ação pra esconder a falta de conteúdo, de criatividade e de talento, só pode. E já no primeiro capítulo tantos absurdos que já periga superar os das 3 ultimas novelas juntas. Gravidez de risco e parto normal? O vilão num carrão "discreto" desce e abandona a criança e ninguém vê, não tem câmeras naquela rua? E a coincidência incrível do Malvino encontrar a criança? Sinceramente não gostei.

✿ chica disse...

Sérgio, pelo primeiro capítulo, promete. Mas deviam ter um ritmo melhor, me deu sono das movimentações devagaaaaaaaaaaaaaaaaaaar. Mas a trama tá parecendo boa e quero poder ver!rs abração,chica

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Ual, que estréia hein! Não sei se é exagero dizer, mas a estréia foi padrão Avenida Brasil, eu amei, eu esperava boa coisa, mas foi bem mais que eu imaginava, superou todas as minhas expectativas. Walcyr apresentou algo diferente de tudo o que ele ja fez, o que prova que independente de tudo, é um autor versátil, que não se prende a um único estilo e manda bem sempre. Todas as atuações foram marcantes, mas claro que Solano se destacou com seu vilão,o personagem é incrível, a Carminha de calças, e o Solano está sensacional. A historia foi muito bem apresentada com agilidade, fluente,(nada de pressa como alguns já disseram) além disso, promoveu cenas de ação, emoção e tensão. O ponto alto de tudo, foi a direção inspirada, impecável, trilha sonora instrumental acertada, belas imagens, enfim, novela bem dirigida é outra coisa, dá gosto de ver. É isso, a trama envolveu, deixou a gente ansioso para ver o 2° capítulo, um bom sinal de que será um sucesso, torcendo muito.

Abraços Sérgio

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Adorei a apresentação da novela.
O desenrolar dos acontecimentos aconteceu de uma maneira ágil e impecável, como precisa ser num primeiro capítulo.
Gostei e acredito que poderá ser um grande sucesso.

Parabéns pelo texto excelente e pelas bem colocadas considerações.

Ótimo dia.

Beijo.

Fernando Oliveira disse...

Como nao amar Paolla Oliveira? E Susana Vieira?! Tudo utimo na estreia ate tocar a pavorosa musica tema de abertura. Abertura muito bem feita, na qual foi abandonada a fonte arial. Mas Daniel cantando vida vida vida nao da!

Raylan disse...

Apesar dos diálogos bastante ruins e de todo o didatismo característico do Walcye, as situações e a direção compensaram. Não gostei da Suzana Vieira, muito canastrona, achei a Paolla Oliveira boa, mas não ótima e o Mateus Solano sensaional, concerteza vai roubar a novela para si. O seu vilão tem tudo para ser um dos melhores, pois além de cruel tem todo um senso de humor sarcástico.
A novela não é uma Avenida Brasil, mas é muito superior à Salve Jorge. Se eu tiver paciência para os diálogos toscos do Walcyr, pretendo acompanhar.

Letícia disse...

Bom dia Sérgio,

Gostei muito do primeiro capítulo de Amor à vida. Bem desenvolvido, bem dirigido, bem filmado, com bela fotografia e sem contar o texto bem amarrado.

Adorei ver os dois mocinhos da trama, apesar de serem bons são capazes de deslizar (os fins justificam os meios, mais Maquiavel impossível), um foi capaz de traficar para conseguir dinheiro, apesar de ser pego e o outro vai "adotar" de forma ilegal a criança que achou ao tentar amenizar a dor pela perda da esposa e filho. Não há mais mocinhos acima do bem e do mal, são normais como qualquer outra pessoa.

Outro detalhe que me chamou a atenção foi o grande vilão dessa história, Felix, magistralmente pelo Mateus Solano, já disse ao que veio ao envenenar a irmã adotiva contra os pais. Foi invejoso, maldoso, cruel e sem contar que jogou a própria sobrinha em uma caçamba, e estamos ainda no primeiro capítulo (é capaz de deixar Carminha morrendo de inveja rsrsrs).

Os clichês, existem e sempre existiram, na literatura, no teatro, no cinema e nas novelas. O tempo passa, as pessoas passam, mas os clichês sempre serão os mesmos, mesmo com uma nova roupagem.

um abraço

MARILENE disse...

Você resumiu tudo com a perspicácia que lhe é característica. O primeiro capítulo já mostrou alguns dos caminhos que serão percorridos e prendeu a atenção. Realmente, não abusaram de cenários e se fixaram no roteiro, bem interessante. Depois do fracasso da anterior, creio que a novela tem tudo para agradar. Bjs.

Raquel disse...

Oi, Sérgio!

Achei seu texto tão inspirado quanto o capítulo de estréia, hein?! Parabéns. :)

Gostei do primeiro capítulo e da forma como as coisas se desenvolveram sem muita enrolação. Espero que o Walcyr ainda tenha muitas cartas na manga pra manter o fôlego e não deixa a trama andando em círculos... Isso eu acho que é o maior desafio dos noveleiros da atualidade. Apesar da história em si não ter nada de muito novo, o gostoso vai ser como vai se desenrolar e torço pra que dê muito certo. Adoro o Walcyr e "Cravo e a Rosa" e "Chocolate com Pimenta" são das minha favoritas de todos os tempos. Toda sorte pra ele.

Ruim mesmo só foi aquela música na abertura! Pelamor, gastaram um dinheirão, trouxeram um cara de Hollywood pra fazer a animação e me botam o Daniel se esgoelando! Pode até ser implicância, mas também achei que a música não casou em nada com a animação.

Estrela dourada pra Mateus Solano e seu Felix. Engraçado que há alguma semanas atrás eu li que a produção da novela estava meio apreensiva com a atuação do Mateus porque tava muito dura e dava pinta de menos. Bom, ou era exagero do jornalista ou o Mateus conseguiu se recuperar totalmente, porque tá perfeito! Até o esforço de fazer o sotaque mais paulistano tá valendo!

Resumindo: foi legal e desejo uma ótima novela a todos.

Lulu disse...

Amei o primeiro capítulo e tem tudo para ser um sucesso. Destaco a participação do Mateus Solano que promete ser o vilão que iremos odiar.
Big Beijos

Rita disse...

Sergio assisti, e gostei, pq o lugar já é um sonho, quero conhecer um dia......Atores maravilhosos, pra mim por egto está bom, mas vamos ver se vai mesmo dar aquele up que precisamos tomara que sim.....abraços de boa tarde
até mais
Rita!!!

Diogo S. disse...

Eu gostei da estreia... Embora queria conhecer os núcleos secundários... Ah, achei a abertura feia e o tema musical muito ruim! rsrs. Abração!

Filha do Rei disse...

Sérgio, também gostei da estreia e espero que o autor consiga manter o inesperado,as imagens lindas, as situações sem se tornar chato.

Patricia Galis disse...

Vi e gostei, apesar de algumas falhas como a morte da Luana já que a gravida que tem pressão alta jamais pode ter parto normal, e as duas cenas de sexo que achei desnecessária pelo horário, no demais todos foram muito bem mas minha salvas de palmas vai para Mateus Solano, que com certeza vai ser uma peste e tanto, chique, invejoso, maldoso...enfim nota dez foi no ponto, acho que vai ser um daqueles papeis inesquecíveis para o ator. Se continuar assim acho que essa eu vejo rsrs...

Adriana Helena disse...

Boa noite Sérgio!
Eu gostei demais do primeiro capítulo da novela e das suas considerações sobre os acontecimentos!

Creio que o único porém foi a música de abertura: decididamente não combinou com a singeleza dos traços das imagens que deram início à novela. Será que a voz estridente do Daniel vai continuar ou então será adotado aquele recurso que existia em novelas passadas onde a música da abertura sempre mudava..rsrs Tomara que sim não é ?

As imagens no Peru foram belíssimas como os atores interpretando divinamente!
Creio que essa novela promete! :)

Adorei amigo!
Abraços e ótima noite!

Aleatoriamente disse...

Olá Sérgio querido, desculpa a ausência mais agora sou mãe rsrsrsr.
Estou brincando rsrsr.

Assisti um pouco acho que a primeira parte da novela, mas somente. Mas com certeza por aqui ficarei bem informada. Beijo querido.

Danizita L. disse...

Também achei ótima, e realmente o capítulo foi longo hein, rsrsrs. Tomara que continue com o ritmo emocionante.
Bjs ; )

Paty Michele disse...

Eu adorei!
Nem queria gostar, pq novela vicia, e essa termina tarde.
Apesar de não ser mto fã da Paola Oliveira, gosto mto do Mateus solano. Acho que o vilão dele vai mesmo entrar pra história da TV brasileira.
Vamos ver.

Um bjo, Sérgio.

Zilani Célia disse...

OI SÉRGIO!!
NÃO TENHO O COSTUME DE VER OS PRIMEIROS CAPÍTULOS DE NOVELAS POIS ACHO CHATO, MAS, PARA VARIAR, DESTA EU VIE TE DIGO QUE ESTOU ESPERANÇOSA, TOMARA QUE SEJA BOA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Silvana Haddad disse...

Sergio:
Assisti ao 1º capítulo da nova novela, e confesso que não vi nada além do trivial.
Admiro tanto o trabalho do Walcyr Carrasco, quanto o da Glória Perez.
Mas são autores de novelas, com estilos totalmente distintos e incomparáveis.
Glória tem a capacidade de trazer para tela os costumes e culturas de outros povos. E merece meus aplausos, por essa façanha.
Já Walcyr, tem tramas mais açucaradas e leves, típicas do horário das 6.
Será um grande desafio enfrentar o horário nobre e manter o telespectador ligado e interessado no enredo.
Abraços:
Sil
http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/

Bruno Marques disse...

Eu simplesmente adorei o primeiro capitulo.Aliás adorei o segundo também.
Novelão digno do horário.Walcyr mostrando que é bem versátil e sabe escrever tramas absolutamente diferentes já que passou por todos os horários da globo.
Destaque máximo para Mateus Solano e seu gay enrustido!!!
Espero que a novela mantenha o ritmo!!!Por enquanto tô adorando tudo!!!

paulo disse...

Sergio, me referi a sequencia do personagem do Juliano Cazarré tentando embarcar com drogas que foi totalmente copiada do filme "Expresso da meia Noite", desde a sequencia no banheiro, passando pela revista no embarque até a prisão na pista com o personagem mandando a namorada embarcar e ele sendo preso. Até a sonoplastia com um barulho de batidas de coração é idêntico. Eu vi a cena e imediatamente associei a sequencia do célebre filme e depois constatei com os comentários na internet. Aliás o Walcyr não é nada criativo e adora plagiar outras novelas e filmes, quem não se lembra da cena de Chocolate com pimenta onde o balde com lama cai na cabeça da Mariana Ximenes? Tirada do filme "Carrie, a estranha" e diga-se de passagem o Silvio de Abreu também copiou a cena em Rainha da Sucata. Mas nesse caso perdoa-se pois foi uma cena apenas do filme que os autores se "inspiraram" mas no caso da novela atual das 9 foi uma sequencia inteira igualzinha, aí já caracteriza plágio! E como um todo a novela não me agradou com tantas coincidências, absurdos e diálogos caricatos típicos do Walcyr, o mais mexicano dos autores de novela. E aquela imagem vermelha e escura de cinema que a globo adotou de vez em suas novelas acabou de me desanimar de vez de tentar acompanhar novelas atuais, ainda bem que existe o canal viva, rsrs...
Abrçs.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Também tive uma ótima impressão do capítulo de estreia, Sérgio. Bom texto, ritmo ágil, paisagens deslumbrantes, ótimas atuações de Mateus Solano, Juliano Cazarré, Leona Cavalli, Malvino Salvador, Elizabeth Savalla. Achei Paola Oliveira muito tensa e nervosa, mas convincente em algumas cenas. Antônio Fagundes e Susana Vieira repetiram desempenhos anteriores. O ponto alto, para mim, foram as sequências do embarque do Ninho, apesar de semelhantes às do excelente filme "O Expresso da Meia-Noite". Gostei da abertura e da inclusão na trilha sonora de "Pontes Indestrutíveis", de Charlie Brown Jr. Resta aguardar que o pique continue (embora o segundo capítulo tenha sido mais piegas) e que os outros núcleos sejam bem desenvolvidos.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Paulo, pensei o mesmo que você, tanto nas cenas de "Amor à Vida" quanto em "Chocolate com Pimenta". Mas uma sequência parecida a esta de "Carrie, a Estranha" fora levada ao ar anos antes, em "Rainha da Sucata".

Barbie Californiana disse...

A estreia dessa novela, foi sensacional... que bom você está gostando, tbm, só é uma pena, pois com o final de Salve Jorge eu não poderei mais implicar contigo... hahaa beijos

Bia Hain disse...

Oi, Sérgio, como vai? Embora não goste muito de tramas dramáticas, sei do quanto o Walcyr tem o dom de fazer a trama ser surpreendente e a atuação de Matheus Solano foi digna de aplausos. Promete! Um abraço!

A viajante disse...

Adorei a estreia e Mateus Solano como vilão promete e muito! Malvino Salvador é um fofoooooo... risos.. beijo!

Sérgio Santos disse...

Anônimo, pelo visto vc deve morar num bairro invejável onde há várias câmeras monitorando as ruas. Bem, se não tivesse essa coincidência do Bruno achando a criança como o enredo se desenvolveria? Respeito sua opinião mas discordo.

Sérgio Santos disse...

Chica, o começo foi mais devagar mesmo, para depois dar espaço para a avalanche de acontecimentos. bjs

Sérgio Santos disse...

Que estreia, Rafael! Todas as perspectivas se confirmaram. Também não vi correria alguma no capítulo, muito pelo contrário. Vi várias tramas se entrelaçando de uma forma ágil e dinâmica. Walcyr está na minha lista de autores preferidos. Mereceu estar no horário nobre. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Vera, muito obrigado. Também adorei tudo e a novela promete. Alás, os dois capítulos posteriores foram tão bons quanto. bjs

Sérgio Santos disse...

Fernando, a música de abertura é linda. O problema é que erraram o intérprete. Daniel não dá. É o único erro até agora. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Raylan obrigado pelo comentário. Eu achei a novela excelente. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Letícia, obrigado pelo comentário. Os mocinhos têm defeitos mas são pessoas boas e não imbecis como o Theo, por exemplo. O Walcyr acertou em cheio com essa movela e os elogios são mais do que merecidos. Mateus está incrível vivendo esse vilão. Aliás, a novela tá ótima.

Realmente, clichês estarão presentes em toda a teledramaturgia. Resta ter competência para saber apresentar algumas variações e ainda contar a história com inteligência. bjssss

Sérgio Santos disse...

Pois é, Marilene, depois daquele fiasco nós merecíamos uma coisa boa. Obrigado pelo elogio. bjs

Sérgio Santos disse...

Raquel ,muito obrigado! Tomara que o Walcyr tenha muitas cartas na manga. Pelo ritmo da novela até agora ele tem e muitas.

A minha preferida dele foi Alma Gêmea. Mas também gostei muito dessas que vc citou.

Foi uma bela estreia e os dois capítulos posteriores mantiveram a qualidade. Beijos!!!!!

Sérgio Santos disse...

Lulu, tem potencial mesmo. O Félix é um vilão excelente e muito bem construído. Aliás, como bem disse a Raquel, erraram feio quando disseram que o ator não estava bem. Bjs

Sérgio Santos disse...

Vamos torcer, Rita. Beijos!!!

Sérgio Santos disse...

Diogo, nessa quinta já surgirá a Valdirene. Eu achei a abertura linda mas a música cantada pelo Daniel é irritante. Teria sido melhor se mantivessem na voz da Maria Bethânia. abraços.

Sérgio Santos disse...

Também espero que ele consiga, Cléu. bjs

Sérgio Santos disse...

Veja sim, Patrícia. rsrs Olha, concordo que o caso do parto normal foi um erro mas acho que colocaram assim porque vivemos numa sociedade onde uma parte da população "abomina" a cesárea e com certeza iriam criticar. Em quantas novelas as mulheres tiveram filhos por cesárea? Raras. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Adriana, também acho que o grande ero da novela foi a abertura com o Daniel cantando. Irrita, é inevitável. Também estou na torcida para que mudem. rsrsrs bjssss

Sérgio Santos disse...

Que susto, Fernanda! rs bjssss

Sérgio Santos disse...

Foi mais longo, né Danizita? Mas valeu a pena e nem deu pra ver o tempo passar. rs bjsss

Sérgio Santos disse...

Vc já estava prevendo que ia gostar, né Paty! Aliás, eu também. E já estou preso pela novela. Já me viciei. rs bjs

Sérgio Santos disse...

Zilani, acho que quase todo mundo tá esperançoso. Aliás, depois de Salve Jorge nós merecemos. bjs

Sérgio Santos disse...

Silvana, essa trama do Walcyr não tem nada de açucarada e leve, pelo contrário, é bem apropriada ao horário das nove. Mas realmente não há nada de muto inovador, tirando o vilão gay, que foi uma excelente sacada. bj

Sérgio Santos disse...

Concordo, Bruno. E Walcyr é o único autor da Globo que já passou por todos os horários. E teve ~exito em todos. Tomara que tenha agora também porque tem feito por merecer. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Paulo, não vejo problema em ter cenas de filmes em novelas, desde que não sejam gratuitas e que estejam dentro de um bom contexto. Aliás, o que não falta é novela inspirada em filme. Vc mesmo lembrou bem de Rainha da Sucata. Estou achando a novela ótima. Um novelão. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira. O Juliano Cazarré deu um show nessa cena. Também achei uma das melhores.

Até vc que estava desanimada gostou da estreia, o que é um ponto positivo. Eu adorei o segundo capítulo e mais ainda o terceiro. Aliás, os acontecimentos estão ocorrendo com muita rapidez. bjs

Sérgio Santos disse...

Pois é, Barbie, e agora? rsrs bjão!

Sérgio Santos disse...

O Mateus Solano está impagável nesse vilão, Bia. Já é um dos destaques. Beijos e obrigado pelo comentário.

Sérgio Santos disse...

Promete, né Ju? É uma frase melhor que a outra... bjssss