quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Com uma história que foge do comum, "Animal" desperta interesse e mostra ousadia do GNT

O Canal GNT apostou em uma nova série, após o começo da terceira temporada de "Sessão de Terapia". No dia 6 de agosto, às 23h, estreou "Animal", superprodução do canal pago, em uma inédita parceria com a Globo ---- a emissora era detentora do projeto, mas como não tinha espaço em sua grade, optou em ceder para a Globosat. Desenvolvida pelo diretor Paulo Nascimento e protagonizada por Edson Celulari, a trama de suspense é recheada de mistérios, que começam a ser desvendados a partir do primeiro capítulo, com a volta de Dr. João Paulo Gil à sua cidade natal, após 50 anos.


Biólogo, Gil retorna à fictícia Monte Alegre com um objetivo: encontrar a cura da sua doença rara, a teriantropia ---- que existe de fato. A enfermidade é uma espécie de esquizofrenia, onde a pessoa acredita que tem características de um puma, chegando a desenvolver o olfato e a visão como se fosse mesmo o animal. E o problema também acaba deixando o doente com momentos de descontrole, onde a agressividade predomina, o transformando em um bicho. 

Gravada em Minas de Camaquã, interior do Rio Grande do Sul, a série começou de forma equivocada, com uma câmera de mão que tremia demais, provocando até um mal-estar em que estava assistindo. Claro que a situação foi proposital, mas o efeito causado não funcionou, pelo contrário, prejudicou o começo da trama.
Era difícil até prestar atenção no que estava sendo dito. Mas ao longo do primeiro episódio esta questão foi eliminada. A partir de então, foi possível observar o início da enigmática história com mais facilidade. 

A cidade de Monte Alegre é um lugar distante, marcado por acontecimentos estranhos. Ao voltar ao local, Gil tem o apoio de Dr. Estácio (Clemente Viscaíno), o homem mais poderoso da região que era amigo de seu pai. Ele esconde muitos segredos, mas acolhe o biólogo e incumbe seu neto (Felipe - Leonardo Machado) de acompanhá-lo em suas investigações. Já os moradores da cidade não recebem bem Gil e o observam com desconfiança. 

O protagonista também encontra o apoio de Jaques (Nelson Diniz), o estranho líder de um comunidade que espera a chegada de ETs para engravidar vinte virgens que abriga. Esta parte da história, inclusive, descambou para a bizarrice e soou desnecessária para o enredo. Mas Jaques sabe da doença de Gil e procura ajudá-lo de todas as formas, inclusive salvando sua vida ----- o biólogo sofre várias tentativas de assassinato desde que chega ao local.

Há outros personagens na série, cujos segredos ainda estão bem escondidos. Como a prefeita da cidade, Mariana (Cristiana Oliveira) ----- uma ex-delegada que se interessa por João Paulo Gil assim que ele retorna a Monte Alegre -----, a dona de um prostíbulo que leva seu nome, Maria Pequena (Neusa Maria Faro) ----- uma senhora reclusa, que perdeu a visão há dez anos e estava com vários cadernos de anotações do pai de Gil ----- e Lia (Fernanda Moro), que foi criada pela dona do cabaré e tem um bar. Ainda vale citar o preguiçoso delegado Roveda (Zé Victor Castiel) e o enigmático Glênio Terra (Dannys Gris), homem apaixonado por esculturas, que rivalizava com Dr. Estácio no passado.

Apesar do problema inicial da câmera tremida, não há como negar o elevado investimento da produção. Ao contrário do que ocorre em quase todas as séries dos canais pagos, há muito mais cenas externas do que em estúdio, proporcionando um maior leque visual para o telespectador, o situando na tal cidade enigmática.

E a história conseguiu despertar atenção no primeiro episódio. O conflito do protagonista e todos os mistérios que o cercam deixaram uma curiosidade no ar, que implica, claro, na vontade de assistir ao episódio seguinte. A atuação de Edson Celulari é outro atrativo, pois o ator está totalmente entregue a este personagem tão diferente dos tipos que costuma interpretar nas novelas. Cristiana Oliveira também merece elogios, assim como Leonardo Machado e Neusa Maria Faro.

O segundo episódio manteve uma atrativa dose de mistério e suspense, onde houve uma maior participação do elenco. E ainda contou com a participação do ótimo Cacá Amaral. Ao longo da primeira temporada, aliás, terão algumas participações, como a de Rafael Cardoso, por exemplo.

Apesar das falhas iniciais e pontuais, "Animal" se mostrou mais um acerto do GNT, que se beneficiou com a parceria inédita da Globo, que realmente investiu nesta série que foge do comum. A saga do biólogo João Paulo Gil despertou atenção e conseguiu conquistar os telespectadores, uma vez que a audiência do canal pago aumentou consideravelmente no horário da nova produção. E a equipe parecia confiar no projeto, pois, segundo várias notas divulgadas, mais duas temporadas já estão garantidas. Resta continuar acompanhando a história e esperar para descobrir, não só a cura da doença do protagonista, como também se o nível de interesse pela trama continuará. 

21 comentários:

Rita Sperchi disse...

Serginho querido vou deixar meu abraço e carinho de sempre, não assisto esse canal o que é uma pena não ver coisas boas
Entao deixo para outro post

Bjuss de boa noite
✿ (¸.•`Rita ¤ (¸.•✿

Fernanda disse...

Eu vi o primeiro episódio e não gostei, mas acabei vendo o segundo e achei melhor. A trama desperta interesse mesmo, o problema é o exagero de algumas situações. O tal cara que cuida de virgens é muito tosco. Mas o resto parece bom.

Anônimo disse...

Vi muitas críticas a essa série mas não concordo. E estou de acordo com o texto. Apesar do começo ruim (aquela câmera tremida deu enjoo), a história é boa e tá sendo bom ver o Edson com um tipo tão diferente.

MAX disse...

Fiquei curioso mas me decepcionei na estreia. Nesses minutos iniciais com a camera tremida eu já desisti e mudei de canal. Mas pelo seu texto eu deveria ter insistido mais um pouco. Tentarei dar uma chance na semana que vem.

Ana Carolina disse...

Como tenho acompanhado Sessão de Terapia, tenho visto essa série porque começa sempre depois da outra nas quartas. É, a trama é boa mas ainda não sei se é ótima. Porque os momentos bizarros ditos no seu texto me incomodam bastante. Mas ao longo da temporada pode vir alguma virada boa, quem sabe.

Sérgio Santos disse...

Sem problemas, Rita. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Fernanda, essa parte das virgens ficou bizarro mesmo, mas no geral gostei bastante e pretendo acompanhar. Bjs

Sérgio Santos disse...

Concordo com vc, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Sim, MAX, tente ao menos ver o terceiro episódio pra ver se muda de opinião ou não.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Ana, não dá pra saber se será incrível, mas esse início foi bacana. Tá interessante até agora.

Anônimo disse...

Gostei da série. Achei bem produzida.

Andressa Mattos M. disse...

Sérgio, vi os dois primeiros episódios e me surpreendi com a série porque não estava nada A trama é instigante e estou gostando de ver o Celulari num tipo tão complexo. Até que enfim deram um papel diferente pra ele. Cristiana Oliveira também está ótima e quando vi a Neusa Maria Faro na série lembrei de vc na hora.

Lulu on the Sky disse...

Sérgio,
Não acompanho essa série.
big beijos

Fabíola Oliveira disse...

Vim aqui parabenizá-lo pelos seus um milhão de acessos, Sérgio. Esse é o resultado e um trabalho realizado com sensatez e ponderação.

Mas se posso dar uma sugestão, por que você não fala sobre a grande minissérie Hilda Furacão, Sérgio? Gostaria muito de ver uma resenha sua sobre isso.

Seria também até uma ótima oportunidade de relembramos de alguma forma a Ana Paula Arósio, que está afastada da TV...

Abraços e, mais uma vez, parabéns!

Sérgio Santos disse...

Tb, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Lembrou de mim quando viu a Neusa, Andressa? Eu sou mt fã dela mesmo. E eu comecei detestando a série mas depois foi gostando do desenvolvimento. E tá mt bom ver o Edson num tipo diferente mesmo. Ele tá mt bem. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Ok, Lulu.

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado, Fabíola. Pra um blog/site grande essa marca não é nada, mas pro meu, que não recebe ajuda de ninguém é uma marca incrível. Agradeço a todos que acessam.

E vou ver se escrevo. Tem mta gente me pedindo pra escrever sobre A Viagem e vou escrever em breve. Bjssss

MARILENE disse...

Sergio, gostaria de ter paciência para acompanhar séries. Costumo aguardar terminem todas as temporadas, para assistir tudo de uma vez, da mesma forma que faço com as estrangeiras. Bjs.

Sérgio Santos disse...

Marilene, eu não tenho saco pra ver as estrangeiras, com exceção de Revenge. Mas as nacionais tenho visto bastante. bjssss

Luciano disse...

Li seu comentário nos primeiros dois episódios e continuei assistindo. É algo muito ousado mesmo. o episódio 7, foi apavorante como nunca vi na TV. É uma série que veio para mudar, realmente.