quarta-feira, 27 de agosto de 2014

"A Viagem": uma novela que nunca se desgasta

A versão original de "A Viagem" foi exibida entre 1975 e 1976 pela extinta TV Tupi. A novela de Ivani Ribeiro fez muito sucesso, o que motivou a Globo a fazer um remake da produção em 1994, sendo escrito, inclusive, pela mesma Ivani. Mas nem os profissionais mais otimistas da emissora poderiam imaginar que esta produção fosse fazer tanto sucesso e muito menos que viraria um clássico. Mas virou e o folhetim novamente obtém ótimos índices de audiência, agora no Canal Viva, que está reprisando a história ---- que completou 20 anos de estreia ----, cujo tema principal é o espiritismo.


A novela está sendo exibida às 14h30, no lugar de "A Próxima Vítima", grande trama de Silvio de Abreu. E embora algumas críticas tenham surgido no início, já que muitos telespectadores queriam rever alguma obra nunca antes reprisada, os índices de audiência do canal pago estão ótimos. E isso explica um pouco o fenômeno que foi este folhetim e ainda comprova que é uma produção que nunca se esgota.

Afinal, "A Viagem" já foi reprisada duas vezes pelo "Vale a Pena Ver de Novo", na Globo. A primeira reprise foi ao ar em 1997, substituindo "Mulheres de Areia", e a segunda foi em 2006, no lugar de "Força de um Desejo". E nas duas vezes foi um sucesso.
Para culminar, a trama também foi exibida em forma compacta pelo extinto quadro 'Novelão da Semana', do "Vídeo Show", também obtendo êxito. Ou seja, fazendo uma soma simples, é possível constatar que a novela emplacou nada menos que cinco vezes.

E todo este sucesso é mais do que merecido. Com um enredo espírita emocionante, a novela de Ivani Ribeiro, dirigida por Wolf Maya, envolve o telespectador com uma história que mescla inteligentemente os mistérios que rondam a vida e a morte com os típicos dramas de um tradicional folhetim, incluindo ainda uma parcela de comicidade, através de personagens responsáveis pela dose de leveza na história.

A novela começa apresentando o jovem de classe média-alta Alexandre (Guilherme Fontes), usuário de drogas e álcool, que pratica um assalto e mata um homem. Ele consegue fugir, mas seu irmão Raul (Miguel Falabella) e o cunhado Téo (Maurício Mattar) o entregam à polícia. A única pessoa que fica ao seu lado é sua irmã, Diná (Christiane Torloni), que tenta soltá-lo a qualquer custo. E para tentar ajudar seu irmão, a personagem tenta contratar Otávio (Antônio Fagundes), mas não consegue pois o advogado se recusa a defender Alexandre e ainda declara que fará de tudo para condená-lo, uma vez que era amigo do homem que foi assassinado por ele.

O rapaz acaba mesmo sendo condenado, mas se suicida na prisão. E promete se vingar de todos que o prejudicaram, nesta vida ou na outra. A partir desta tragédia, a trama espírita é inserida na novela, que até hoje é lembrada pela forma delicada e bonita que retratou o 'céu', para onde iam os espíritos de luz, e pelo assustador 'Vale dos Suicidas', onde Alexandre ficou por um bom tempo.

Ao longo da história, o irmão de Diná fez questão de prejudicar a vida de todos seus desafetos. Destruiu o casamento de Raul e Andrezza (Thais de Campos) através do controle que exerceu sobre Dona Guiomar (grande Laura Cardoso), transformando a doce senhora, sogra de Raul, em uma víbora. Também modificou a personalidade de Téo, o induzindo a ser um homem violento, e conseguiu matar Otávio ----- que vivia um romance com Diná, formando o belo casal protagonista -----, provocando um acidente de carro.

O advogado, aliás, vai para o 'céu', chamado de colônia 'Nosso Lar', e lá sofre por estar sem o amor de sua vida, apesar do ambiente lindo e acolhedor. Mas seu sofrimento não dura muito, pois Diná acaba falecendo, por causa de um infarto fulminante, após encontrar sua sobrinha Bia (Fernanda Rodrigues), que estava desaparecida. A situação, por sinal, foi muito peculiar, já que pela primeira vez o público torcia para a mocinha morrer, sem haver qualquer tipo de rejeição à personagem. Ela tinha que falecer logo para reencontrar seu amor. E a cena do reencontro foi muito bonita. Antônio Fagundes e Christiane Torloni emocionaram.

Em meio a toda esta interessante e bem escrita trama, havia o delicioso núcleo cômico da pensão da Dona Cininha (Nair Bello), onde viviam vários tipos interessantes, como Seu Tibério (Ary Fontoura), Naná (Keila Bueno), Geraldão (Cláudio Mamberti) e Padilha (Renato Rabello). Havia ainda um misterioso personagem que não mostrava o rosto e só se comunicava por gestos. Apelidado de 'mascarado', na verdade ele era Adonay (Breno Morony), ex-noivo de Carmem (Suzy Rêgo), que ficou desfigurado após um grave acidente. Este perfil, inclusive, era um dos responsáveis pelos momentos mais tocantes da história. Suas cenas eram lindas e lúdicas.

Vale citar ainda outros tipos inesquecíveis como Dona Maroca, vivida pela saudosa e magistral Yara Cortes. Mãe de Alexandre, Raul, Diná e Estela (Lucinha Lins, com uma atuação impecável), a personagem misturava sabedoria com comicidade e todas as sequências em que aparecia eram maravilhosas. Aliás, a cena onde Maroca chega ao céu, após falecer, encontrando com sua filha Diná e seu genro Otávio foi de uma sensibilidade única. Aquele momento fez muito telespectador chorar e pensar nos parentes que já se foram e que, quem sabe, um dia irão encontrar novamente em outro plano.

Entre os personagens marcantes deste excelente produção, há também o Dr. Alberto, interpretado pelo saudoso e talentoso Cláudio Cavalcanti. Médico espiritualista, ele conseguia detectar a presença de Alexandre e ajudava muito a família do rapaz, que sofria com as interferências do espírito, sem saber. Lisa (Andrea Beltrão), que era namorada do irmão de Diná, foi outra personagem que marcou, assim como Agenor (John Herbert), Glória (Denise Del Vechio), Ismael (Jonas Bloch), Edmeia (Mara Manzan), Zeca (Irving São Paulo), Queiroz (Ricardo Petraglia), entre outros.

"A Viagem" é destas novelas que entram para a história da teledramaturgia e continuam vivas na memória do telespectador. Sendo que no caso deste remake da saudosa Ivani Ribeiro, há a peculiar característica de fazer sucesso todas as vezes que é exibido na televisão, sem apresentar qualquer sinal de esgotamento. Mesmo já sabendo tudo o que vai acontecer, o público faz questão de rever esta primorosa obra e mergulhar novamente no universo do drama espírita de uma novelista que pode estar no lugar que idealizou em seu folhetim.

48 comentários:

Giovana disse...

Lindo texto sobre uma novela belíssima e inesquecível. Está no meu top 5 de melhores novelas e no meu coração. Seu texto já diz tudo de uma novela que encantou não apenas aos seguidores da doutrina espírita, a qual tratou com muito respeito, mas um país inteiro.
Acrescento, apenas, o fato de ter sido a novela que trouxe Christiane Torloni de volta, definitivamente, para o Brasil, a convite do amigo Wolf Maya, após o período que passou em Portugal depois da perda trágica de um filho. Christiane sempre destaca, com emoção, a força e coragem que precisou para gravar diversas passagens de uma novela com esta temática, mas fala também de como fazer "A Viagem" foi importante para que ela compreendesse o poder que uma novela tem de não apenas entreter, mas trazer consolo e alento para inúmeras pessoas. E foi, sem dúvida, uma das melhores ou a melhor de suas personagens na televisão.

Alexandra disse...

Amei o texto! Uma novela realmente marcante e perfeita, que teve pouquíssimos defeitos, e uma quantidade de capítulos ideal que não deixou a trama arrastada, (apenas 167 capítulos). Um elenco fascinante com destaque especial para Guilherme Fontes e Christiane Torloni (que foram realmente impecáveis). Outros que se destacaram foram Antonio Fagundes, Laura Cardoso, Andreia Beltrão, Ary Fontoura, Yara Cortes, Fernanda Rodrigues, e a magistral Lucinha Lins (uma atriz que atua com uma sensibilidade impecável). Sou espírita desde 92 e justamente por isso (e muitos outros motivos) que essa novela me encantou tanto. Na minha lista, fica entre as 10 melhores novelas de todos os tempos.
Ah, gostaria de ver mais textos relembrando novelas, como já comentei em um post antes. Adoraria ver um texto sobre Por Amor, Senhora do Destino, Paraíso Tropical ou História de Amor. Bjs!

elizandra rodrigues disse...

Olá é a primeira vez que comento aqui, mas A Viagem merece... Estou acompanhando pela quarta vez e na reprise da madrugada, o que me deixa pouco tempo para dormir, mas vale a pena, a novela é linda, Otávio e Dinah, assim como outros personagem me encantam ou no minimo me tiram reações, seja prazer ou raiva... Eu na minha humilde opinião acho que nada pior para um ator do que seu personagem passar despercebido em um trabalho... Outra coisa que me faz ficar acordada nas madrugadas para ver algo que já vi são as pessoas que comentam a novela, quem já viu ou está vendo pela primeira vez se encanta a cada capitulo e entra na história... Vou te confessar se passar mais dez vezes vou assistir!!!! Bjs

Wander Veroni Maia disse...

Oi Sérgio! Na medida do possível, estou assistindo a reprise da novela "A Viagem" e me emociono a cada capítulo que consigo acompanhar. É a primeira novela que acompanho uma novela no VIVA que me interessa. Muito gostoso ler o seu texto e relembrar de outras coisas da novela que me esquecia.

Um forte abraço,

www.cafecomnoticias.com

Anônimo disse...

"Mesmo já sabendo tudo o que vai acontecer, o público faz questão de rever esta primorosa obra e mergulhar novamente no universo do drama espírita de uma novelista que pode estar no lugar que idealizou em seu folhetim."

Isso. É exatamente esse o sentimento Sérgio. Que novela primorosa, atuações impecáveis, texto maravilhoso, cenário, tudo nessa novela é emocionante e inspirador. Confesso a ti que a estou vendo pela terceira vez, e não me arrependo. Sem querer ser saudosista mais já sendo, não existem mais novelas / obras como A Viagem. Uma novela que de tão boa, conseguiu chegar e barrar os indicies de audiência da novela das oito na época (Pátria Minha de Gilberto Braga) média de 52 pontos?! Dá para acreditar, uma novela das sete atingir 52 pontos?! Nos dias de hoje com a concorrência de outros veículos e mídias é inimaginável. Mas em 1994 essa maravilhosa obra, A Viagem, atingiu a façanha.

Nos mais, meus parabéns pelo texto e crítica acima. É sempre bom ver que um trabalho maravilhoso como A Viagem, sendo valorizado. Abraços :)

Luna

Bell disse...

Vi no sábado no canal ViVa, o que mais me chamou atenção é como os atores e atrizes eram novinhos.
Gosto tb de ver as roupas, penteados rs...
Muito legal.

Uma linda noite pra vc =)

Paulo Roberto disse...

Bom. Essa novela é incrível. Não tenho muito o que dizer. Vi as duas versões e adorei. Esqueci de falar sobre o Tony Ramos no outro post (que por sinal fez o Téo na 1ª versão) e aí que apenas dizer que ele é maravilhoso e que eu acompanho a carreira desde que ele era coadjuvante na TV Tupi. Aí ele chegou a protagonizar Ídolo de Pano e três anos depois foi para a Rede Globo. Bom é só isso!

Felisberto Junior disse...

Olá, Boa noite,Sérgio
sim,com certeza,é uma primorosa obra, inesquecível,da grande Ivani, que vale a pena ser vista novamente e foi bom saber que está no Canal pago...e tendo emplacado 5 vezes já,mostra ,realmente,que não apresenta esgotamento e o tema por si só,já é um bom chamativo...
Obrigado pelo carinho, bela continuação da semana,abraços!

José María Souza Costa disse...


Olá.
Amei o teu texto. Também gosto demais de novelas.
Parabéns, e um abraço

Roberto Santos disse...

A Viagem é aquela novela em que você assiste 10 vezes e não cansa de se emocionar. Ivani Ribeiro faz falta até hoje, uma das novelistas mais sensíveis e inteligentes que este país já teve. E que saudade dá de grandes mestres como Cláudio Cavalcanti e Yara Cortês para nos brindares com seu real talento e não apenas com rostos bonitos e nenhum talento.
É revendo uma novela como A Viagem que é possível perceber como o gênero teledramaturgia brasileiro está decadente.

Anônimo disse...

Hoje o Alexandre morreu e de novo essa novela foi hiper comentada nas redes sociais, ultrapassando qualquer novela atual em exibição. Meu Deus, assistindo A Viagem a gente ate se "irrita": só tem atores talentosos, as musicas são marcantes ate hoje, a novela tem trama, é tudo amarradinho, empolgante, gostoso de assistir ate pra quem não acredita. As novelas de hoje não tem pé nem cabeça, os atores jovens são péssimos, as musicas são um nojo, trama não existe, enfim, são um lixo! E sobre Ivani Ribeiro é simplesmente a melhor autora de novelas: A Gata Comeu, Amor com Amor se Paga, O Sexo dos Anjos, Mulheres de Areia... hoje temos quem escrevendo novelas mesmo????

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Olá amigo, eu curti muitoooo esta novela na época que passou, acho que foi uma grande contribuição da TV Globo para a doutrina espirita, aliás isso é uma coisa que admiro na Globo, as portas abertas ao espiritismo, muitas vezes incompreendido por muitos, eu não sou espirita mas respeito e acredito! Enfim, foi uma grande novela, deixou saudades, que bom que está sendo reprisada novamente! Abraçosss

Melina disse...

Sérgio, querido, que nostalgia boa. Não estou revendo a novela, mas já vi duas vezes e fui fã. Uma novela sensível e que mostrou um lado do espiritismo que muita gente desconhecia na época. Foi uma novela linda e aquela abertura ao som de Roupa Nova é inesquecível. Bonito vc falar que a Ivani pode estar em um desses lugares que ela tanto idealizou. É verdade.


Sérgio, um comentário à parte. Vc leu que a Sophie será filha da Adriana Esteves em Babilônia e será uma garota de programa? Adorei a notícia mesmo não estando empolgada com essa novela. O prestigio dela está em alta. Um beijo.

Luma Rosa disse...

Oi, Sérgio!
Nunca assisti a novela, mas deve ter sido a primeira a tratar de outras vidas. O mistério sempre chama a atenção do telespectador, ainda mais quando é bem desenvolvido.
Beijus,

MARILENE disse...

Sempre gostei do tema e a novela foi maravilhosa. Você me fez recordar alguns fatos que já havia esquecido, e amei. Foram muito cuidadosos com as abordagens sobre a outra vida, criando expectativas belas em várias pessoas que haviam perdido entes queridos. Essa novela vale a pena ver de novo. Bjs.

OX disse...

Sérgio, essa novela foi um marco. Foi gostoso relembrá-la nessa sua postagem e Ivani tinha uma sensibilidade rara. Também acho que a cena da Yara Cortes chegou ao céu e abraçando a filha foi uma das mais lindas já feitas. E que saudade do Cláudio Cavalcanti e da Nair Bello. Abraço.

Filha do Rei disse...

Sérgio, estou a assistindo neste momento, realmente vale a pena assisti-la mais um vez,assim como a História de amor. Tenha um abençoado fim de semana.Bjs

Lucas disse...

Novela boa msmo, eu curto muito. Uma pergunta, pq tu achas que a Lucinha lins parou de ser chamadas para as novelas da Globo?... Ela é uma P.. atriz na minha opinião, merecia ter tido mais papeis de destaque.

Sérgio Santos disse...

Giovana, essa novela tb está na minha lista de preferidas. Foi uma novela excelente! E boa lembrança, a Torloni precisou de uma dose extra de força pra gravar a novela, que acabou sendo uma boa terapia pra ela. Nada ver por acaso.

Sérgio Santos disse...

Alexandra, tenho feito agora textos em homenagens a novelas mais antigas. Que bom que está gostando. A Viagem foi maravilhosa e concordo com todos os pontos que vc elogiou e como sinto falta da Yara. Era uma das minhas atrizes preferidas. O espiritismo foi mt bem abordado e emocionou. Enfim, é uma novela que entrou pra história. bjs

Sérgio Santos disse...

Elizandra, bem vinda. Tb acho a novela incrível. Embora não esteja vendo novamente, eu fiz questão de ver as duas vezes que passou no Vale a pena ver de novo. É um produção maravilhosa. bjs

Sérgio Santos disse...

Que bom que gostou, Wander. Abraço!

Sérgio Santos disse...

Hj em dia é inimaginável mesmo esse índice, Luna. E Patria Minha foi um fracasso do Gilberto Braga. A Viagem foi um fenômeno e mt merecido. Que novelão! E é sempre um prazer assistir. Vc para pra dar uma olhadinha e acaba vendo tudo de novo. E mt obrigado pelo elogio. Fico feliz que tenha gostado. bjs

Sérgio Santos disse...

Verdade, Bell, outros tempos. bjs

Sérgio Santos disse...

Paulo, a novela é excelente mesmo. E Tony é um gênio, sempre é bom elogiá-lo. abçs

Sérgio Santos disse...

Pois é, Felis, emplacar 5 vezes não é pra qualquer uma. A Viagem pode. abçs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, José.

Sérgio Santos disse...

Roberto, a Ivani faz muita falta mesmo. Era uma novelista de mão cheia.

Sérgio Santos disse...

Mulheres de Areia e A Gata Comeu foram novela excelentes tb, anônimo. Que nem A Viagem. As outras eu não vi. Ivani era gênia.

Sérgio Santos disse...

Kellen, essa novela foi primorosa no tema do espiritismo. Que trama bem escrita e bem interpetada. Além de tocante. bjssssss

Sérgio Santos disse...

Melina, essa novela foi boa demais. E tomara que a Ivani esteja num lugar tão bonito quanto o que ela idealizou pra novela dela.

Sim, eu li isso achei ótima notícia. Depois da desgraça de Insensato Coração eu tb fico com um pé atrás com Babilônia, mas a novela tá parecendo bem boa. E Sophie ser filha da Adriana depois de ter sido filha da Giulia Gam e Patrícia Pillar é um baita privilégio. O prestígio dela tá em alta e é merecido. Pobres haters. Bjs

Sérgio Santos disse...

Nossa, Luma, jura? Acho que vc é a primeira pessoa que conheço que não viu. Foi mt boa! bjsssss

Sérgio Santos disse...

Essa novela sempre vale a pena, Marilene. Bjssssss

Sérgio Santos disse...

Nossa, OX, essa cena da Yara chegando ao "céu" foi tão bonita que me marcou demais. Acho que nunca farão outra igual. E quando ela faleceu eu lembrei disso na hora. Abraço!

Sérgio Santos disse...

Cléu, foi uma novela linda. E História de Amor tb foi ótima. bjs

Sérgio Santos disse...

Não tenho ideia, Lucas. Acho uma sacanagem porque ela é uma atriz extraordinária. Sua última novela na Globo foi uma pequena participação em Chocolate com Pimenta. Merecia voltar e com um baita papel.

Milene Lima disse...

De fato é uma novela inesquecível. Acompanhei o remake e depois as duas vezers no Vale a Pena Ver de Novo. É das minhas preferidas. No Viva eu ainda não vi porque quatro vezes aí também já é demais... rsrs.

Beijo, Sergio.

Andressa Mattos M. disse...

Essa novela é um marco na teledramaturgia, Sérgio. Que delícia de homenagem vc fez! Já tinha lido o seu texto mas não tive tempo de comentar, então comento agora. E todo o sucesso que ela faz é merecido porque é uma história comovente e nos faz mesmo pensar nos entes que já se foram. É até um alento. E é verdade, todo mundo torceu pra mocinha morrer logo pra ficar com o mocinho. E participaram dessa novela quatro grandes figuras que já não estão mais entre nós: Nair Bello, Mara Manzan, Yara Cortes e Cláudio Cavalcanti. Beijo.

Sérgio Santos disse...

Inesquecível, né Milene? Nossa, que novela boa! Ah sim, aí já é demais. rsrs bj

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Andressa. Que bom que gostou. E a novela era um alento mesmo para quem perdeu entes queridos. E esses 4 atores fazem uma falta danada. bjs

Taiane Cecílio disse...

Lindo texto!
Acho que "A Viagem" foi uma das melhores novelas já exibidas pela Globo.
Acho linda a história de amor entre Diná e Otávio. Mas acho que o amor entre as irmãs Estela e Diná era o o mais bonito e especial da trama. As cenas entre as atrizes Lucinha Lins e Christiane Torloni (maravilhosas), eram de uma emoção sem tamanho!

Mais uma vez, parabéns pelo texto!
Abraços.

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado, Taiane. E concordo com vc. Bjssss

Anônimo disse...

E a abertura ao som de Roupa Nova? Essa novela foi maravilhosa em tudo.

Sérgio Santos disse...

Verdade, anônimo, até a abertura era linda. A música marcou muito!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Adorei A Viagem.

Sérgio Santos disse...

Idem, Elvira. Grande novela!

Anônimo disse...

Boa noite alguém saberia me informar onde foi gravado as cenas do sitio da Dona Guiomar. agradecida

lu_deblu disse...

Bem que poderia ter outra nivela assim o problema seria conseguir atores maravilhososociais como eram os atores antigamente