sábado, 12 de abril de 2014

História bem construída e promessa de bons conflitos marcam estreia de "O Caçador"

Um policial por vocação, agente da divisão anti-sequestro, filho mais velho de uma família de policiais, dedicado, honesto e cuja capacidade de encontrar criminosos é sua principal qualidade. Após ser traído pelo próprio pai, esse policial é preso injustamente. Três anos depois, ele sai da cadeia disposto a provar sua inocência e, expulso da polícia, acaba virando um caçador de recompensas. Essa é a história de André (Cauã Reymond), o protagonista de "O Caçador", série que estreou na Globo na última sexta-feira (11/04), depois do "Globo Repórter".


Classificado como um drama criminal, o seriado começou usando uma fórmula que já está um pouco repetitiva: a volta no tempo. Assim como aconteceu com "Amores Roubados" e "A Teia", a primeira cena foi do presente e depois foi explicado tudo o que aconteceu no passado para culminar na situação exibida, no caso, a saída de André da prisão. Mas apesar dessa repetição, o primeiro episódio conseguiu prender a atenção ao apresentar uma atraente história, repleta de meandros.

Além de ter sido traído pelo pai (Saulo - grande Jackson Antunes), que falece por causa de um câncer de pulmão, André tem uma forte rivalidade com o irmão (Alexandre - promissor Alejandro Claveaux), um policial que se torna delegado muito jovem e não acredita em sua inocência. Alexandre ainda é casado com
a sensual e bipolar Kátia (Cléo Pires), por quem André é apaixonado. E o protagonista só consegue o 'emprego' de caçador de recompensas graças a Lopes (Ailton Graça), delegado que era seu parceiro e acaba sendo o único que lhe estende a mão.

Toda essa trama foi exibida sem muitos detalhes na estreia, mas já ficou perceptível que a premissa rende bons conflitos. O primeiro episódio ainda contou com a sempre grandiosa participação de Milton Gonçalves e Nanda Costa fará parte da série interpretando Marinalva, uma ex-prostituta que vira evangélica e é filha de um dos homens responsáveis pela prisão injusta de André.

A série despertou interesse justamente por causa dos fios soltos deixados propositalmente e pela história de vida do protagonista, que precisará se arriscar duplamente na vida pós-prisão. Afinal, André agirá à margem da lei pegando criminosos internacionais refugiados no Brasil e irá atrás de sua inocência sem ajuda da polícia e usando métodos nada legais para alcançar seu objetivo. Sem dúvida, um conjunto que atrai bastante em uma série policial, ainda que a onipresença de Cauã Reymond esteja cansativa (o ator, que protagonizou "Amores Roubados" há menos de quatro meses, precisa descansar sua imagem urgentemente).

O único ponto negativo é o horário de exibição. Está na hora da Globo repensar sua estratégia envolvendo a faixa pós-"Globo Repórter". Seria bem mais produtivo se a emissora exibisse as séries, normalmente destinadas para o horário das 23h30m, depois da novela das nove. O jornalístico não perderia muita audiência e os seriados ganhariam mais telespectadores.

Com texto de Fernando Bonassi e Marçal Aquino (os mesmos responsáveis pela excelente "Força-Tarefa", protagonizada por Murilo Benício) e dirigida por José Alvarenga Jr. e Heitor Dhalia, "O Caçador" teve uma boa estreia e a trama envolvendo um rapaz que é presa e caçador ao mesmo tempo promete bons desdobramentos ao longo das próximas semanas.

26 comentários:

A Viajante disse...

Que legal a sua postagem, Sérgio! Mas não consegui ficar acordada... tenho um problema com seriados, pelo horário. Mas vou tentar assistir, para conhecer de perto essa obra que parece mesmo boa. Beijo!

Thallys Bruno Almeida disse...

Acho válida a ideia de se produzir séries com conteúdos mais tensos, indo além da comédia. Mas pela estreia eu esperava um pouco mais. Já cansou essa história de começar no tempo atual pra retroceder depois e contar a história.

Talvez o fato de alguns detalhes não estarem muito claros tenha me deixado a impressão de história confusa. A abertura é muito bem-feita e a escolha de O Patrão Nosso de Cada Dia (Secos e Molhados) foi certeira, mas a adoção do tema "fundo do mar" me pareceu deslocada da proposta de algo policial.

Do elenco, gostei mais da Cleo Pires (ela tem um appeal fortíssimo, é impressionante), do Alejandro Claveaux, Ailton Graça (que fez bem em optar por personagens sérios, tanto em Flor do Caribe quanto agora) e os dois veteranos (Jackson e Milton). O Cauã me parece um pouco melhor agora, mas confesso que não aguento mais a imagem dele.

E mesmo tentando não misturar as coisas, um dos motivos desse meu cansaço é a polêmica recente onde ele foi envolvido. Aliás, traço até um paralelo: as cenas do Cauã com a Ísis em Amores já são bem fichinha perto do que vem aí, a carga sexual dessa série nova já se mostra muito mais forte (vide a cena da prostituta).

Espero que o segundo episódio seja melhor. E também torço pra que a Nanda Costa, quando entrar, desfaça a má impressão deixada pela Morena em SJ.

Barbie Californiana disse...

Gostei da estreia desse novo seriado, foi bem agitado... parece que vai ter um bom ritmo. beijinhos

Vera Lúcia disse...


Oi Sérgio,

Eu estava com muita vontade de ver, mas fui dominada pelo sono. Você tem razão, pois o horário deixou a desejar. Espero conseguir ver o próximo episódio, pois me parece bem envolvente. Gosto da imagem Cauã e, não sei porquê, não me canso de vê-la na telinha-rsrsrs.

Ótimo final de semana.

Abraço.

Fabrício disse...

Gostei da estreia e bons conflitos prometem mesmo. Só não sabia que o Milton faria apenas uma participação. Gostaria que ele permanecesse na trama. E eu também concordo com essa overdose de Cauã. Ninguém aguenta mais! E parece que o João Emanuel Carneiro quer ele de novo numa novela.

Anônimo disse...

Sergio, respondi sua pergunta no post do dia 28 de março. Se puder ler eu agradeço.

MARILENE disse...

Você está certíssimo com relação ao horário. Eu me interessei pela série mas não vou conseguir acompanhá-la. Bjs.

Sérgio Santos disse...

Entendo, Ju, pq o horário é mesmo ingrato. Esse é o pior horário para a faixa de séries. bj

Sérgio Santos disse...

Achei justamente o oposto, Thallys. Explicaram até bem demais a história no primeiro capítulo. Deixaram tudo até bem claro, só não revelaram obviamente a situação que envolveu a prisão do protagonista.

Isso de voltar no tempo cansou de fato e eu escrevi isso, mas não afetou o todo. E nada tenho que falar da abertura que achei linda. O mar foi colocado com um tubarão que representava o caçador.

Achei Cauã mais do mesmo e a imagem dele está saturada. Poderiam ter escolhido outro ator para viver o André.

Sérgio Santos disse...

Tb achei, Barbie. bj

Sérgio Santos disse...

Bem, Vera, imagino que vc goste de ver o Cauã. As mulheres amam mesmo, mas pra mim já deu. Tá uma overdose desnecessária. rs Mas acho que vc adoraria essa série. bjs

Sérgio Santos disse...

Verdade, Fabrício. Olha, eu espero que Milton apareça em mais episódios, mas pareceu que ele apenas foi um ouvinte do André para ter o pretexto de voltar ao passado da trama da série. E, sim , o JEC adora o Cauã e vai escalá-lo de novo. Fazer o que... abçs

Sérgio Santos disse...

Li e respondi, anônimo. abçs

Sérgio Santos disse...

Pois é, Marilene. A hora é ingrata. bjs

Felisberto Junior disse...

Olá, Bom dia,Sérgio
vi agora os melhores momentos, como dito,o horário não é ( foi) propício , não pude deixar de notar a semelhança da fórmula que vimos na "A Teia", os flashbacks. E , sinceramente,Cauã Reymond não me convence...opinião particular!
Obrigado pelo carinho, belo domingo,abraços!

Lulu on the Sky disse...

Gostei muito da estreia do Caçador, a trama é envolvente e tem tudo para ser um grande sucesso.
big beijos

Clau disse...

Oi Sérgio,
Adoro séries policiais, e essa parece ser bem atrativa.
Não vou poder assistir, mas que trama excelente hein?!
Uma pena que o horário não ajuda...
Bjs \o/

Melina disse...

Sérgio, querido, ótima crítica. Gostei mas não achei a série tudo isso. A estreia foi muito didática e me irritou um pouco tanta explicação. Parecia que estavam contando a história para pessoas burras sem capacidade de entender. Mas a premissa é boa e acho que irei acompanhar os próximos. Um beijo!

Patrícia disse...

Olá Sérgio,

Gostei bastante da série, como não vi A Teia, não achei repetitivo nem nada, mas para quem viu imagino que seja.

Gosto muito de séries policias e horário tem que ser este mesmo pois já teve cena forte.

Sobre o Cauã, ah ele é lindo e a imagem dele não cansa, rs.

Sérgio Santos disse...

Felis, tb não acho o Cauã o grande ator que alguns enxergam. E a questão da volta no tempo foi repetitiva mesmo, mas não prejudicou o conjunto. Abçs

Sérgio Santos disse...

Sucesso eu creio que não, Lulu, até por causa do horário, mas acho que promete mesmo. bj

Sérgio Santos disse...

A trama é mt boa mesmo, Clau. bjão

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Melina. Sim, houve um certo didatismo na estreia, mas não me incomodei, sinceramente. Acho que a trama promete bons conflitos. Mas não achei algo extraordinário. Foi uma atraente estreia. Ao menos por enquanto. bjs

Sérgio Santos disse...

Patrícia, se vc gosta de séries policiais, eu te aconselho mt ver A Teia. Vc vai amar. Foi excelente! Mas antes do Globo Repórter não afetaria tanto a questão das cenas pq seria depois das 22h30, ou seja tarde. Bjssss

Fernanda disse...

Boa crítica! Achei a estreia bem boa e vou acompanhar! Achei até melhor que A Teia.

Sérgio Santos disse...

Fernanda, melhor que A Teia não sei, mas acho difícil. Vamos esperar. bj