terça-feira, 28 de agosto de 2012

Nina: uma mocinha jamais vista na história da teledramaturgia

Uma estreia de novela é sempre cercada de muita curiosidade. O público se encontra entusiasmado por uma nova história ao mesmo tempo que se encontra de luto pela trama que se encerrou (claro, se esta tiver sido bem aceita). A imprensa se cerca de expectativa e já começa a analisar personagens, núcleos, texto, enfim... Mas, nos últimos anos, o principal motivo de preocupação dos autores é a fatídica mocinha, alvo de um festival de críticas tanto do público quanto da mídia especializada. Em "Avenida Brasil, João Emanuel Carneiro soube criar uma protagonista que todos estavam esperando há tempos: Nina.


Se anteriormente o telespectador se via diante de mocinhas choronas, passivas, irritantes e sem uma história realmente atraente, na atual trama do horário nobre , o público se deparou com uma mulher determinada, vingativa, politicamente incorreta e que enfrenta a vilã de igual para igual, sem esperar a 'justiça divina' ou as 'leis do homem'. Para não chocar o público, o autor soube perfeitamente o que fazer: na primeira fase da novela, fez questão de mostrar o quanto que Rita (Mel Maia) sofria nas mãos de Carminha (Adriana Esteves) e o inferno que virou sua vida quando perdeu o pai e foi parar no lixão. Os anos se passaram, mas o desejo de vingança da personagem só cresceu. Rita virou Nina e Mel Maia virou Débora Falabella; e esta mocinha (muito bem interpretada pelas duas atrizes, diga-se de passagem), que cresceu diante dos olhos do telespectador, foi traçando milimetricamente seu plano para destruir Carminha e Max (Marcello Novaes). 

Apesar de ter se apaixonado por Batata (Bernardo Simões), hoje Jorginho (Cauã Reymond), Nina deixou o amor de lado para seguir com seu objetivo de vingança. Uma mocinha que não teve tempo a perder com romances. É uma personagem capaz de tudo, não há limites éticos para
ela. Vale fingir, dissimular, furtar, chantagear, seduzir, enfim. "Até onde você iria por justiça?" não foi uma pergunta feita por acaso no 'teaser' da trama antes da estreia.

É impossível o espectador ficar indiferente com o comportamento de Nina. Muitos a odeiam porque não admitem vê-la deixando um amor em segundo plano para se vingar, outros a idolatram justamente por fugir do esteriótipo de bobona e politicamente correta. E ainda há os que enfatizam que Nina e Carminha são iguais. Na verdade, apesar da pluralidade de sentimentos, é notório que os telespectadores torcem pela protagonista, afinal, não teve uma pessoa sequer que não tenha se deliciado com as cenas em que a mocinha humilha a vilã. "Me serve, vadia, me serve!" e "Oi vaca!", são, por exemplo, frases que jamais serão esquecidas. Que protagonista já utilizou termos tão chulos? 

Revidar à altura uma humilhação sofrida, uma agressão ou qualquer que seja o ato lesivo, é um sonho de qualquer ser humano, por mais que não se admita. É claro que na vida real, muita vezes, é necessário segurar estes sentimentos negativos, parar, respirar e tentar esquecer ou ignorar, no entanto, é na ficção que todos lavam a alma vendo a vítima se vingar do seu algoz. Quem nunca quis fazer com um inimigo tudo o que Nina fez com Carminha que atire a primeira pedra. 

A vingança não é nada inovadora na teledramaturgia, afinal, já tivemos várias personagens, inclusive mocinhas, que passaram vários capítulos planejando dar o troco na (o) rival. A própria Ana Francisca, em "Chocolate com Pimenta" (sendo atualmente reprisada), voltou à cidade que a humilhou para se vingar, no entanto, sempre foi ética e justa. Ainda temos Tieta (Betty Faria), que fez questão de mostrar sua riqueza para todos que a expulsaram da cidade; a vilã Laura (Cláudia Abreu), de "Celebridade", que planejou se vingar de Maria Clara (Malu Mader); a Maria Paula (Marjorie Estiano em "Duas Caras") que não sossegou enquanto não pisou em Ferraço (Dalton Vigh); ou Norma, (Glória Pires em "Insensato Coração"), que não poupou Léo (Gabriel Braga Nunes) da sua ira. Enfim, exemplos não faltam, mas uma mocinha politicamente incorreta como Nina é, de fato, inédito na teledramaturgia.

Após protagonistas tão insuportáveis quanto Sol (Deborah Secco em "América), Marina (Paola Oliveira em "Insensato Coração") e Helena (Taís Araújo em "Viver a Vida"), o telespectador estava precisando de uma personagem tão rica e bem construída quanto Nina. Além de ser uma novela ágil, bem escrita, com imagens de muita qualidade e elenco valorizado, "Avenida Brasil" inova apresentando uma protagonista muito controversa. Do que esta personagem será capaz de fazer com Carminha até o último capítulo? Com certeza todos ficarão grudados diante da televisão para saber.

70 comentários:

Thairys Moreno disse...

De fato João Emanuel Carneiro deu um tiro certeiro na construção da protagonista Nina, a mocinha com um caráter um tanto elástico caiu no gosto do público, e não poderia ser diferente, acho que nós telespectadores ávidos por novelas estávamos mesmo precisando sair daquela monotonia e aquela chatice de ver aquelas mocinhas fracas, desprotegidas, irritantes e que choram do início até o fim. Acho que muita gente se sentiu vingada de alguma forma ao ver Nina massacrando Carminha, depois da mesma ter sofrido tanto nas mãos da vilã,rs.
Beijos e ótima semana!

✿ chica disse...

Nina é de fato uma mocinha diferente. Mas, confesso, por várias vezes, já mudei de canal por não aguentá-la também,rs...

Não gosto de choronas... Ou gosta dele ou não gosta. Na real, nenhuma mulher faria o que ela fez. Deixar de lado um grande amor, arriscando perdê-lo por vingança. Nunca!! Só lá mesmo,na novela. abração,chica

Valquiria Novaes disse...

Adorei ver as primeiras cenas da vingança, mas acredito que já deu. Essa brincadeira de gato e rato da nina e da carminha já encheu o saco kkkkkkk
Bjos e boa semana!

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Nina é um personagem muito bem construído, e também muito complexo, é uma verdadeira heroína. Acho que o fato dela movimentar a história, empurrar a trama para frente, é que faz dela uma heroína diferente, ela não reage, ela é quem age, e isso é o interessante. O fato dela se comportar como vilã, apimenta ainda mais as características dessa mocinha fora do comum. Confesso que as vezes me irrito muito com Nina rsrs, mas não tem como não torcer por ela!
http://brincdeescrever.blogspot.com.br/

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia!
Sérgio!Tudo bem por aqui?
...não sei o porque tenho uma impressão que iremos ter uma surpresa, rsrs, no final da novela!
Que apesar do rótulo mocinha e vilã, dado a Nina e Carminha, respectivamente, eu penso que ambas são iguais!Como é o mesmo autor creio que seguirá a mesma linha de Flora e Donatella ( Favorita) onde os telespectadores ficaram em dúvidas sobre quem é quem!Fora isso, não dá para negar o excelente trabalho da Débora!Muito consistente em seu papel...
Valeu?
Obrigado!
Boa terça feira!
Abraços

Paty Michele disse...

Maravilha, Sérgio.
A NIna fugiu mesmo do estereótipo de mocinha de novela. É quase uma anti heroína.
Não curto essa história de vingança, mas admiro aqueles que perseguem seus ideais. Ela tbm teve que se corromper pra conseguir o que queria e o amor, o amora está ali bem ao alcance dela. Vc viu o sorriso do Jorginho ontem? Coisa linda! O rapaz já estava há mtos capítulos atormentado e enchendo o saco do telespectador. rsrs
Reta final, acho que agora só coisas boas pra Nina, né?

Um beijão.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Gostei da sua análise, Sérgio. A escolha de Débora Falabella para um papel tão denso surpreendeu especialmente porque a atriz ficou famosa graças a personagens doces, condizentes com sua aparência delicada e frágil. Débora está cada vez melhor no papel e "duela" de igual para igual com Adriana Esteves. As atitudes da Nina realmente estão longe do que se convencionou esperar de uma mocinha.
Quanto à personagem: Nina subestimou a Carminha e deixou de lado aliados importantes como Max e Nilo, que não demorarão a lhe dar o troco.

Cla disse...

Sérgio, bom dia,

Realmente estamos cansados de mocinhas bobas, que não tem sangue frio na hora de se mostrar forte diante de quem te derrubou, Nina mostra sem medo a vontade de massacrar Carminha e isso faz com o telespectador queira mais e mais. Mesmo sendo apenas uma teledramaturgia o ser humano tem uma vontade imensa de fazer isso com aqueles que o machucam.

Com certeza não haverá tão cedo uma mocinha má, novela surpreendente.

Um abraço Sérgio, tenha um ótimo dia.

Carlos disse...

Ok, muito bonito, mt legal, mas na boa? A teoria foi ótima, a prática um desastre. A Mel Maia foi brilhante em seu início, graças a criatividade inicial do autor, que foi muito inteligente em sensibilizar o público com o sofrimento de uma criança. O problema foi depois. Débora Falabella é uma ótima atriz, mas a coitada pegou um abacaxi enorme, pq os "saudosistas de uma semana" já queriam a pequena Mel de volta, e isso só aumentou com a sequencia de chororos da Nina. Sim a mocinha continuou com esse mal das donzelas em perigo e chorou muito. Não que eu veja problema nisso, mas aquele sofrimento todo de dúvida do amor de infância, não cola. Nem ela e nem pro Jorginho. Quero dizer, na era da internet pq ELE, que diz tanto amá-la (patético), não procurou a garota pela internet? O autor poderia ter explorado esse lado, dele mesmo com a Débora, não ter esquecido a Rita e ter corrido atrás dela, a única "ligação" que o autor colocou foi a foto do casamento dos dois, ficou meio século passado.

A vingança em si, é meio século passado. Se formos analisar, a vingança em si, só rolou uma semana. Isso mesmo, uma semana. O resto, foi mais gente se ferrando por conta da mocinha indiretamente, do que o plano dela em prática. E pra quem planejou durante 12 anos... Até agora tento entender: pq uma mulher que quer vingança, leva algo do passado pro seu quarto na casa da inimiga? Nina levou uma boneca, e assim o Jorginho descobriu.

São esses moles (e alguns furos) que me fazem não ver AB como uma novela genial. Pode ser legal ver a mocinha xingar a vilã? Ok, mas ainda falta tempero. Não por acaso, a maioria acha a Nina chata e torce pra Carminha. Não acredito que isso seja um carisma maior da Adriana em relação a Débora, eu acho que isso foi o mal da glamourização das vilãs que os autores vem fazendo. Meio que um: "tenho que fazer uma vilã melhor do que as anteriores pra marcar muahauhauha".

CONTINUA

Carlos disse...

CONTINUAÇÃO


Enquanto a Carminha é alegre, dá apelido, diz coisas engraçadas, vive uma vida, o autor focou apenas na vingança com sua mocinha. Ela não vive, não brinca, não cria apelidos ("bruxa" não é apelido, por favor), não é engraçada, fica querendo pagar de virgem pra se dar bem com o Max, e pior ele cai (só novela, neh?).

A Nina "quase" chegou lá, mas ainda tem o mal de toda mocinha: é indecisa, chora muito e por motivos bobos, faz doce (que palhaçada foi essa dela com o Jorginho, de ele não ter acreditado nela?), é burra (não me conformo em uma pessoa, conhecendo seu inimigo, fazendo coisas como pedir uma massagem nas costas dentro de uma BANHEIRA. Não me conformo em uma pessoa trazer uma boneca e esconder no quarto. Não me conformo em uma pessoa contar seu "plano de vingança" pra todo mundo, como pra Mãe Lucinda, Nilo... Só faltava ela contar pra Carminha também kkkkk).

Nina não colou, e a vingança tbm não, não me venham falar em "Primo Basílio" que estou nem aí. Foi muito bobo esse "Me serve, vadia". Parecia uma criança birrenta. Legal ver a Carminha se ferrando, mas foi uma semana de puro lenga-lenga. E aí entra uma coisa que falei em outro tópico: como que uma mulher sendo sustentada por um jogador a 12 anos, iria se rebelar do jeito que a Carminha vem fazendo com a Nina? A garota tem provas contra ela, por mais louca e psicopata que ela possa ser (são as desculpas que dão), ela tem noção da gravidade do fato.

Não sei se vc vem lendo as notícias dos próximos capítulos, mas parece que Carminha vai chantagear o Jorginho dizendo que Tufão pode se matar se souber a verdade, principalmente dele estar com a Nina. ISSO É SÉRIO JEC? Jorginho com Nina é mais grave que uma mulher: deixar o filho no lixão, ser amante do marido da cunhada e ter dois filhos com esse e trair por 12 anos. Cade a lógica?

Desculpe, fui além, mas é pq essa novela vai pra mim muito mais longe do que a Nina. Quem sabe, na próxima novela, ele não faz uma protagonista que realmente faça sucesso, pq a Nina é tão detestada quanto as outras, e não é culpa da atriz, mas do autor.

Kellen Bittencourt disse...

Oii amigo, concordo que ela seja uma ótima atriz e concordo tbém com a ideia de uma mocinha menos mocinha, em alguns muitos momentos p mim ela foi a própria vilã, mas na minha opinião a atriz para esse papel deveria ter sido outra, não acho que a Débora tenha sex apell para deixar de 4, 3 homens como ela deixou na novela, claro que não precisava ser uma Suellen da vida mas uma atriz um pouco mais atraente do que ela teria me convencido mais! Abraçooosss

Patricia Galis disse...

Talvez o sucesso seja que ela é mais normal, pois não acredito em gente boazinha o tempo todo rs

Clau disse...

Oi Sérgio :)
Vc resumiu muito bem,Nina é sem dúvida uma 'protagonista muito controversa'.
Ela deixa muitas 'mocinhas' no chinelo.
Adoro seus posts.
Bjs!

Mirian disse...

Sergio
compartilho de sua opinião, gosto e torço muito pela Nina, e acho que a Debora Falabella foi uma escolha muito feliz, pois apesar do aspecto fragil e da beleza nada convencional, a sinto um leão em cena, contundente, fazendo cenas memoraveis independente do parceiro! Até Jorginho se tornou encantador com ela ontem, inclusive acho que muito do sucesso de Adriana, que recebe elogios rasgados a cada cena, com razão, se deve à sua rival, que soube ser uma rival à altura!

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Desde o início achei que a Débora não tinha o perfil para a personagem Nina. Acreditava que para tal deveria ser uma mulher mais exuberante, em todos os sentidos. Com o passar dos capítulos, não sei se porque me acostumei, fui mudando de opinião. Concordo que a personagem foge à regra das mocinhas de outras novelas. Ela age, faz acontecer, é forte e destemida.
Por outro lado, creio que houve e está havendo "excesso de vingança".
Já cheguei a ter raiva da Nina e a desejar que ela se desse mal, perdendo o Jorginho para a rival.
Daí, talvez, o sucesso da personagem, que chega a mexer com os sentimentos dos telespectadores.
Para mim, já deu. Torço para que a novela chegue logo ao seu final, pois já está ficando repetitiva, o que poderá levar ao desinteresse de muitos.

A Débora e a Adriana estão de parabéns pelo belo desempenho na novela.

Beijo.

Dandara Blue disse...

Sérgio,

Que texto impecável!
Nina/Rita é um marco para a dramaturgia, para Débora e principalmente para nós.
Acho que o que mais valorizo é o risco que o autor assumiu pois levouem conta que o espectador é pensante e merecia uma heroina por quem valesse a pena entender, antes mesmo de torcer.
Li seu texto 2 vezes, realmente adorei a forma como expôs isso.
Um grande beijo.

FaloTV disse...

Eu Amo a nina, ela é minha mocinha preferida, gosto de sua garra e atitude e de seu amor verdadeiro que sente pelo jorginho o que a torna ainda mais "perfeita", pensei que a débora iria ser rejeitada devido a brilhante atuação da mel maia na primeira fase, mas não ela agradou o público, mesmo que alguns prefiram a carminha, no fundo eles veem que ela está fazendo a "coisa certa". JEC criou uma linda personagem, ninguém nunca (Exagero, ou não) irá esqueçer o "Me serve, vadia" e os diversos memes dessa inesquecível personagem. Abçs zamenza

Thallys Bruno Almeida disse...

Perfeito artigo, Sérgio.

Acho que algumas críticas negativas que vejo à personagem Nina talvez seriam pelo fato de ela usar de atitudes típicas das vilãs em algumas das etapas de sua vingança, como manipular Max e Nilo a seu favor. Esse tipo de personagem "anti-herói" é mais comum com tipos masculinos e essa talvez seja uma das poucas vezes em que temos um exemplar feminino que rompe totalmente com a mocinha típica.

Sobre Débora, achei sua escolha perfeita e aos poucos ela foi honrando a oportunidade, neste que é um de seus melhores papéis, mesmo que herdando grande responsabilidade pelo sucesso feito pela Mel Maia na fase infantil. Seria muito justo se Débora pudesse dividir os prêmios de melhor atriz desse ano com Adriana Esteves.

EDER RIBEIRO disse...

O que destoa nessa novela é a personagem de Cauâ Raymond, mal interpretado pelo mesmo. Abçs.

Fabio Dias disse...

Nina é perfeita em todas as cenas!
Seja se vingando de Carminha ou nas cenas de amor com Jorginho ela sempre surpreende! Não consigo imaginar outra atriz fazendo que não seja a Débora!

Fabio
www.ocabidefala.com

Augusto disse...

Cláudia (Malu Mader) de Fera Radical já em 1988 tinha esse perfil de vingadora justiceira que abalou as estruturas não só de uma personagem, mas de uma família inteira, que havia destruído a sua na infância. Nina não é tão novidade assim, apenas esse perfil de protagonistas foi esquecido por um certo tempo na teledramaturgia.

Sérgio Santos disse...

Oi Thairys, realmente nós que já estávamos cansados daquelas mocinhas chatas, principalmente no horário nobre, precisávamos desse tipo de heroína ou anti-heroína. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Chica, olha não sei, hein? Depois de tudo o que ela sofreu é normal querer se vingar a qualquer custo. Realmente há uma pluralidade de sentimentos; uma hora ama-se outra odeia-se. rs Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Valquíria, obrigado pelo comentário. Eu continuo adorando, mas respeito sua opinião. Beijos e boa semana! =)

Sérgio Santos disse...

Oi Rafael, é verdade, ela é principal por mover a história e exerce com louvor o papel de protagonista. A trama precisa dela para se desenvolver. Confesso que eu me irritei muito pouco com a Nina... rsrs Abração e obrigado pelo comentário.

Sérgio Santos disse...

Oi Felisberto, tá tudo caminhando. Pois é, acredito que um fim surpreendente será possível. Confesso que a morte de Nina não irá me agradar, mas será engrandecedor para a personagem e atriz. No entanto, não acho que tenha a ver com Flora/Donatella, justamente porque ali o público foi enganado pela vilã da mesma forma como ela fez com os personagens (sacada genial, diga-se), mas agora todos nós vimos desde o início a trajetória de todos. Por mais que Carminha tenha tido uma vida sofrida, não justifica seus atos cruéis. Abração!

Sérgio Santos disse...

Oi Paty, vi sim. Aliás, cenas muito bonitas protagonizadas por Nina e Jorginho. Mas sinto em te desapontar: é justamente agora que a situação vai virar e Nina comerá o pão que o diabo amassou. A revanche da Carminha está próxima. Beijos!!

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira, obrigado. É verdade, Débora está impecável e o autor foi corajoso ao escolhê-la justamente porque ela já estava cada vez mais marcada pela mocinhas bondosas e meigas.

Verdade, Nina agora já perdeu Nilo e Max descobriu que ela o fez de bobo, ou seja, a derrocada está próxima. Mais emoções à vista. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Cla, você disse tudo. É exatamente isso, Nina quando quer consegue ser tão má quanto Carminha e na ficção o telespectador se vê de alma lavada com uma vingança bem dada. Já que na vida real isso muita vezes se torna impossível de acontecer, cabe desfrutar disso numa obra ficcional. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Carlos, olha isso é verdade, no início todos queriam a volta de Mel Maia e eu me incluo nessa patota. Mas logo depois de 1 semana já havia me apaixonado pela atuação da Débora e pela perseverança de Nina, assim como grande parte do público também.

Sobre o choro, sim ,ela chorou muito, mas por motivos bem mais aceitáveis. Basta ver sua vida desde a infância e, além disso, ela ainda tinha que segurar o estômago ao ver as constantes armações da vilã com seu comparsa o tempo todo. Ela não ficava em prantos porque seu namoradinho a traiu como quase todas as mocinhas fazem.

Sobre a internet, discordo, porque Jorginho a conheceu criança e nem a reconheceu adulta e além disso ela mudou de nome, ou seja, nem adiantaria nada.

Também discordo sobre o desastre. Ela é odiada por uns, mas amada por outros e prefiro muito mais uma mocinha odiada por suas atitudes do que pela sua passividade. E como eu disse, é uma protagonista que tem torcida, caso contrário ninguém teria se deleitado com as humilhações na mansão. Agora as pessoas torcem por Carminha para que a novela tenha uma nova reviravolta e novas situações aconteçam.

A vilã sempre acaba marcando mais, porém, nessa novela, a mocinha terá a mesma importância na recordação de todos porque não dá para se lembrar da Carminha sem se lembrar dos embates épicos com Nina. Uma está intrínseca na outra.

Também não a acho burra e já acho uma evolução e tanto uma protagonista não ser politicamente correta e usar de várias ofensas contra a vilã. Como eu cheguei a dizer, Nina acha que tem o controle da situação e por isso cairá. O mesmo motivo ocorreu na banheira: achou que Carminha já estava rendida, o que não era o caso.

E Nina só contou da sua vingança para Mãe Lucinda e Begônia que sempre soube. De resto ninguém mais sabia. Nilo descobriu por conta própria e o mesmo vale para Max. Enfim... rs Abração!

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen, na verdade acho que aquele cabelo da Débora foi bem desnecessário. A masculinizou muito. A atriz realmente não tem o biotipo de mulher fatal, mas é muito bonita e no filme especial produzido pela Globo ano passado ("Homens de Bem") ela estava sensualíssima. Beijos e obrigado pelo comentário! =)

Sérgio Santos disse...

Oi Patrícia, nem eu!!! Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Clau, agradeço o seu carinho de sempre. É uma personagem muito rica dramaturgicamente. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Mirian, concordo com você! Carminha é uma grande vilã, mas tem mesmo uma rival á altura, tanto no quesito atriz quanto no quesito personagem. É um leão voraz. As cenas com o Jorginho foram muito bonitas e ele até ficou menos insuportável ali. Beijos e obrigado pelo comentário.

Sérgio Santos disse...

Oi Vera, lembro dessa sua desaprovação quanto á escalação da Débora. Mas a atriz está muito bem e que bom que você mudou de opinião.

Olha, agora Nina vai realmente se dar mal novamente e Carminha terá uma revanche. Continuo adorando a novela e lamentarei muito o seu final. Beijos! ;)

Sérgio Santos disse...

Oi Dandara, que bom que gostou. Leu duas vezes? Obrigado pela paciência. Nina é uma personagem envolvente e que deixa o telespectador impressionado com tudo o que passou na vida. Sem dúvida é uma história bem atraente e bem escrita, além ,claro, de fugir do politicamente incorreto. Aliás, até agora não sei como o Ministério da Justiça não veio encher o saco. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Falotv, é verdade, as frases não serão esquecidas e nem acho que seja exagero dizer. Carminha é uma personagem incrível, assim como Nina e vários da novela, mas é claro que muitos que torcem por ela é mais de 'brincadeira' e também par dar uma movimentada na trama. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Thallys, obrigado! Também acho que algumas das críticas seja porque Nina ás vezes não é correta e acaba 'imitando' a dissimulação da vilã. Também adoro a interpretação da Deb´ra e seria muito justo que ela e Adriana dividissem todos os prêmios, mas é uma pena que não ocorrerá. e Cláudia Abreu acabou dando 'azar' em ter uma personagem tão incrível quanto Chayene numa mesma época que Avenida Brasil esteja no ar. Caso contrário ela ganharia vários prêmios, mas na atual situação Adriana levará todos os troféus, o que também é muito justo, diga-se. Abração.

Sérgio Santos disse...

Oi Eder, olha, detesto o Jorginho também. Só quando ele fica com Nina que melhora e muito sua personalidade irritante. Não acho o Cauã esse grande ator que muitos pintam e acho que ele altera boas e péssima interpretações. No geral vejo muita repetição nele. Abração.

Sérgio Santos disse...

Oi Fábio, também não, viu? E quando isso acontece é sinal que a atriz está perfeita no papel. Abração!

Sérgio Santos disse...

Oi Augusto, obrigado pelo comentário. Sem dúvida a personagem da Malu era uma justiceira, assim como as demais que eu citei no texto, no entanto, nenhuma se utilizava de tantas atitudes controversas e questionáveis quanto Nina. Abração.

paulo disse...

Sergio, desculpe a sinceridade mas a maioria de seus textos voce demonstra não ter muito conhecimento de TV pra comentar. Qto a personagem nina não vejo nada de inovador, como muitos aqui já citaram houve SIM inúmeras mocinhas vingativas e politicamente incorretas, lembrei principalmente de Fera Radical como um amigo citou, a Cláudia(Malu Mader) era uma mocinha que qdo criança sofreu nas mãos da familia Flores, teve sua familia dizimada num incendio e volta já adulta pra se vingar, como empregada deles na fazenda. Passando-se por boa e prestativa ela se vinga de todos eles, um a um, infernizando a vida deles e com atitudes politicamente incorretíssimas. Qual a novidade da nina de Avenida Brasil mesmo? Isso só pra citar uma novela que associei imediatamente a personagem, poderia citar tambem a mesma Malu Mader em O dono do Mundo e tantas outras. Abrçs.

♥ Luciana de Mira ♥ disse...

E todos aguardam o final da Carminha... rs

VERINHA disse...

Olá Sergio retornando, peço desculpas pelo sumiço, muitos contratempos.
Então eu confesso que estou adorando a novela, realmente a Nina nos provoca muitas reações. Acredito que o sofrimento da Nina quando criança foi grande,como todo brasileiro cansado por esperar uma justiça que nunca chega, resolveu arregaçar as mangas e tomar alguma providencia, não sei se alguem teria coragem o suficiente na vida real em fazer justiça desta forma.
Esta novela vai ser por muito tempo lembrada.
Aqui na cidade a brincadeira é de colocar apelidos nos amigos, temos o Leleco, o Tufão, o Cadinho e tantos outros personagens, mas Nina não tem não,ainda...kkkkk.
Um grande abraço.

Rita disse...

´´E verdade muitas pessoas crescem com sede de vingança, e enquanto não faz o que planeja não sossega, mas vamos la...quando é por uma boa causa será que vale a pena? mas cada um tem seu jeito, ela sofreu muito e os dois tem que pagar ..vamos ver o final como vai ser a Dona Carminha, e o Max
Tomara que que tenha um final agradável...senão já viu como vamos ficar
Bjussde bom dia meu querido
Rita!!!!

Carlos disse...

Mas Nilo e Max descobriram como? Pq ela deu mole, do mesmo nível da "boneca" com o Jorginho. É nisso que eu falo que ela é burra, pq ela teve 12 anos e planejou nada. Parece que tudo é improviso. Se ela não viesse alimentando isso a anos, ok, mas não é o caso. E a Bethânia, a Nina contou, por tabela o namorado dela soube tbm. Só nessa brincadeira já são 6 pessoas sabendo de um segredo. Vc não acha burrice ela voltar e contar pra Lucinda quem era? Pq não fez o mesmo que ela fez com o Jorginho? A Tah, pq o autor fez com que Lucinda visse semelhança entre "Mel" e "Débora". Mas só Lucinda, pq o resto não reconheceu...

Quanto a internet, realmente o Jorginho não descobriria por causa da troca de nome, mas mostraria INTERESSE e assim o público torceria pelo casal, mas não, o autor só mostrou eles transando, e ela confusa por ele, e transando, e mais confusão na cabeça dela.

Aliás, essa confusão é que irrita a maioria. O público só gostou daquela semana, pq foi ali que a vingança tava sendo colocada em prática, mas na mesma semana, o próprio público que aplaudiu na segunda-feira, era o que já estava reclamando na quinta-feira, pq não saía daquilo, foi uma vingança parada. Foi uma semana parada, onde não aconteceu nada na novela como um todo (família Tufão só sabia comer e gritar, aliás como sempre).

E Nina não é odiada por suas ações apenas, mas tbm por ser chata, só pensar em vingança. Pq ela não passeia pelo Divino e conversa com outros personagens, pq o autor não manda ela fazer uma social, ainda mais agora que ela está por cima? Carminha, a vilá idolatrada, faz/fazia isso...

Não vejo problema em choros, o problema é quando tem muito e pelo mesmo motivo. Ela chorava pela dúvida com o Jorginho, vomitava pela Carminha (o autor deve ter parado com essas cenas até pela reclamação do público, bem desnecessárias). Pelo que ela passou é compreensível, mas com o tempo, ela não ficou mais fria e racional, ela continuou com o mesmo comportamento.

O problema é que eu pego muitos detalhes, e assisti 3 meses, mesmo assim já estava irritado kkkk. Gosto de estória que faça sentido, mesmo quando o personagem é contraditório. Até nisso, tem que ter lógica. Considero a Nina complexa, mas a profundidade dela é confusa. Vc disse que ela subestima e tudo mais, mas ela é uma mulher culta, sabe de história... Será que ela nunca aprendeu que não deve subestimar o inimigo? Entendeu onde quero chegar, Sérgio? Se ela subestimasse uma vez, se ferrasse e depois voltasse mais cautelosa, ok. Mas não é isso que acontece. Poderia ter estória se tudo caminhasse de outra maneira, e acredito que seria muito mais interessante e original do que essa que está indo ao ar.

Abraço

Barbie Californiana disse...

Sérgio, a Nina me agradava muito até que ele fotografou a Carminha e decidiu continuar sua vingança ao invés de acabar logo com tudo naquele momento para ficar com o seu grande amor... E isso, faz com que as vezes eu pense: será que ela vai deixar de ser a mocinha da história, ficar amarga e vai virar vilã? E a Carminha será que vai deixar de ser vilã, se arrepender e virar mocinha por causa disso? beijos e linda semana.

Barbie Californiana disse...

Ps.: Mas independente do desfecho, a Débora Falabella está dando um show de interpretação! ;)

Augusto disse...

Havia citado Cláudia de Fera Radical, e me lembrei de outro exemplo. Outra personagem que também já teve o perfil ainda mais avassalador e polêmico que Nina de Avenida Brasil foi a Xica (Taís Araújo), de Xica da Silva: o que ela aprontou direta e indiretamente contra a vilã Violante e contra aqueles que se voltaram contra ela deixam as armações de Nina pianinho. Ali também foi uma rixa de igual pra igual no plano das ações. Xica mentiu, enganou, mandou matar, mandou torturar e fez outras atrocidades na mesma medida da cruel Violante, em prol daquilo que acreditava.

Nina é uma ótima protagonista que chama a atenção realmente por se diferenciar do entediante perfil de mocinha chorona ou passiva sem muitos conflitos a mostrar, que é o perfil usual atualmente. Nisso eu concordo e aplaudo o seu texto. Mas quanto ao argumento de esse perfil de Nina ser inédito na teledramaturgia brasileira, discordo plenamente. Mesmo Janete Clair já criava nos anos 70 protagonistas nada ortodoxos e bem duvidosos, como Selva de Pedra e O Astro. Em menor escala, claro, mas já existia.

Abraço.

Mary Miranda disse...

Nossa, esse post deu o que falar: tantos comentários! rsrs

Adorei a temática, Sérgio!!!!
Sim, Nina é a mocinha que faltava no cenário folhetinesco!
E assino TUDO o que falou: mocinhas chorosas, ninguém merece!!!! (Por isso que sempre torci para os vilões, mas que pagassem no último capítulo, é claro...)
Numa das poucas vezes que torço vigorosamente para a mocinha é agora porque, tanto uma quanto outra (Nina/Carminha) fazem maldades semelhantes, embora com motivações totalmente diferentes! João Emanuel confirma o que os grandes estudiosos sempre dizem que todo ser humano tem ambos os lados dentro de si, o que vai fazer a diferença (bem/mal) é a contextualização de suas atitudes!
Portanto, para endossar o que disse acima, afirmo que sou FÃ DE NINA/ RITA! Ela tem a maldade certa que uma pessoa de bem poderia ter e como você falou, ela faz tudo o que nós talvez não tivéssemos coragem, o que nos leva à sensação de "alma lavada"! rsrs
Querido, ao contrário da maioria esmagadora que odiava a Marina ("Insensato Coração"), eu gostava muito dela por duas fabulosas cenas: uma onde ela armou como o Lázaro Ramos dar uma lição num dos sócios (achei fantástica, com direito a socos e tudo!!!!) e a outra, quando ela parou num barzinho fuleiro e bebeu cerveja! (Nunca tinha visto uma mocinha de novela bebendo algo tão "povão" e masculino!). Mas as cenas com o Eriberto Leão eram bem mornas mesmo... Acho que foi isso que a estragou!!!! hehe


Abração, e torçamos para que Nina vire uma constante na teledramaturgia!
Adorei o post, como sempre!!!!

Mary:)

Milene Lima disse...

Eita que o negócio deu pano pra manga.

Eu confesso que não tenho tido muito ânimo pra ver a novela não. Há duas semanas que não vejo. Não é justo o Tufão ser tão enganado, sendo que tanta gente sabe da verdade. A história da Nina proteger a família é papo furado, o negócio dela é vingança pura. Sobre ela e o Jorginho, acho estranho eles terem retomado o amor de forma tão "visceral", sendo que quando se conheceram eram crianças, amor puro, enfim. Foi intenso demais, rápido demais.
Eu acho que só volto a ver quando houver alguma mudança na situação do pobre Tufão, morro de pena dele. É isso q o personagem inspira, pena.
A Nina é chata, eu sempre achei, enfim. Mas sou a minoria absoluta.

Beijo, Sérgio. Adoro assistir tudo de novo a partir da tua visão.

Milene Lima disse...

Voltei só pra dizer que, em relação a ela ser uma mocinha politicamente incorreta, acho a ideia massa... Não sei se me recuperei da imensa chatice e falta de talento da Paola Oliveira e sua Marina... Mas, sei lá, viu?
Rrsrs... Beijo de novo.

Sérgio Santos disse...

Paulo, obrigado pelo comentário. Não me lembro de ter dito que tinha um vasto conhecimento sobre tv, aliás, na descrição do próprio blog está escrito que é apenas um espaço de uma pessoa apaixonada por televisão e que gosta de comentar sobre. Apenas isso.

Há vários blogs e sites profissionais de pessoas com um conhecimento incrível de televisão (leio muitos) e lá eles ganham um salário para comentar, não é o meu caso.

Você também se esqueceu de citar a Nice, de Anjo Mau, que também era uma personagem que fugia do esteriótipo. Mas mesmo tendo estas outras (inclusive incluí algumas no texto), considero Nina a mais ousada, incluindo a ironia e o deboche com que ela trata a vilã. Abraço.

Sérgio Santos disse...

Oi Lu, qual será o final??? Só vendo! rs Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Verinha, que saudades!!! Imagino e até acho que sei quais foram seus contratempos! A novela será lembrada por muito tempo mesmo e Nina é uma personagem excelente. Na sua cidade tem isso de botar apelidos de personagens? Espero que não tenha nenhuma Carminha aí! Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Rita, olha nem imagino qual será o final, embora tenha minhas suspeitas. Quanto ao Max é provável que morra bem antes do fim. Beijos e obrigado pelo carinho!

Sérgio Santos disse...

Carlos, isso é mesmo, eles descobriram porque ela deu mole. Não soube se preservar o bastante. Quanto aos vômitos, o autor parou por causa das críticas e achei louvável ele reconhecer que havia um exagero ali.

Sobre subestimar, é fato que não se deve fazer isso com um inimigo ,mas até agora ela não levou uma rasteira da Carminha. Quando ocorrer será em todos os lados e Nina ficará sem saída, encurralada, sofrerá o diabo. Aí aprenderá a lição, mas será tarde.

Aliás, insisto que você deveria ver pelo menos agora que não falta muito para terminar, embora eu ache que um pouquinho pelo menos você veja! rs abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Barbie, olha, a Carminha virar mocinha é IMPOSSÍVEL! rs Aliás, pelo capítulo de hoje já deu pra ver que ela voltou com tudo. Já Débora está dando um show mesmo, assim como Adriana! Beijossss

Sérgio Santos disse...

Augusto, também já haviam me lembrado da Xica no Twitter. Aliás, a Veja publicou uma crítica há umas três semanas atrás cujo título era "Nunca ouve uma mocinha como Nina". Li hoje, ótimo por sinal, embora com bastante atraso.

Sem dúvida o perfil vingador não é novo, assim como o protagonista com atitudes duvidosas (até citei a Nice, de Anjo Mau, e ainda teve a Helena, de Por Amor, que deu o próprio filho, num ato totalmente reprovável), no entanto, vejo a Nina como uma personagem com um grau de complexidade muito peculiar, além de ser debochada, irônica, e sarcástica com Carminha, que a faz disputar de igual pra igual com a vilã. Quanto ao Herculano Quintanilha, de O Astro, eu discordo porque é uma situação bem diferente. Obrigado pelo comentário! Abraços! =)

Sérgio Santos disse...

Oi Mary!!!!! Rendeu, né? Gosto disso! \0 Jura que gostava da Marina? Nossa, eu não tolerava nem ela e nem aquele Pedro! A única cena que gostei foi a que a personagem estapeou a rival vivida pela Lavinia Vlasak.

Mas voltando para Nina, também torço para que ela seja uma constante, mas infelizmente não acredito muito. A atual mocinha consegue ser tão dissimulada quanto a vilã e não tem medo de enfrentá-la olho no olho. Também torço por ela e vamos ver no que vai dar isso tudo! Beijão!!! =)

Sérgio Santos disse...

*"Nunca houve uma mocinha como Nina", me corrigindo!

Sérgio Santos disse...

Oi Milene, viu que pano longo? rs São assuntos que despertam vontade de comentar, isso é muito legal.

Também tenho pena do Tufão, coitado. Bem, sobre mudanças, como você detesta Nina, creio que vai gostar da fase que se aproxima com a coitada voltando a se ferrar nas mãos da vilã! Carminha está com sangue nos olhos!

Aquela Marina era uma mala mesmo e a Mary foi a primeira pessoa que eu conheço que gostava dela. rs Beijos!!!!

Carlos disse...

Pro azar do autor vejo nas partes mais bizarras, como ontem por exemplo, que teve um erro de continuidade: o Max foi embora de táxi mas chegou de carro. Na verdade essa cena toda foi meio bizarra, nem sabia que o Max sabia qual era o apartamento do Jorginho, e muito menos que ele tinha a chave do apartamento do rapaz. Foi um erro na cara, mas já tiveram outros e não da parte técnica, mas do texto.

Pois é, um mês sem ver e dou de cara com isso kkkkkkkk

Carlos disse...

Até quando não quero assistir essa novela a Globo me inventa de empurrá-la através de outro programa. Hj a Grande Família falou dela, minha nossa...

Pelo menos a estória paralela nada tinha a ver, sem contar que eles pegaram uma das melhores estórias da novela: o sequestro da Carminha (que eu amei). A "interpretação" de Agostinho, Bebel, Paulão e sequestradores foi uma graça kkkkkkkk

E por falar na novela, apesar de não gostar da Nina, gostei do casamento de hj, mas incrivel como o Jorginho ficou parado assistindo (e esperando) a Carminha puxar a Nina. WTF?!?!

Abraço

Sérgio Santos disse...

Oi Carlos, na verdade o Max saiu totalmente desorientado do apartamento e quase foi atropelado, ou seja, até se esqueceu que veio de carro. Não vi erro de continuidade.

A cena do casamento foi muito bonita, também gostei muito. Conseguiu ser mais emocionante do que muito casamento em igreja cenográfica. Se o Jorginho impedisse a Carminha de ferir a Nina, nem iam ter as sequências seguintes no hospital! rsrsrs abração!!!!

ps: para a sua alegria o Ricco confirmou que A Grande Família continuará ano que vem! =)

Carlos disse...

Pensei nisso tbm Sérgio, só que o Max já apareceu "voltando" pra pegar o carro? Eu confesso que vi esses 2 ultimos capítulos por isso e verei hj de novo por isso tbm hehe

É isso que me irrita, essas coisas que "devem" acontecer pra acontecer uma coisa seguinte na novela. É que nem a Begônia não saber quem é o Max, sim pq pra ele passar a perna na garota (como dizem que vai acontecer, ela não pode conhecê-lo). Ok, sei que é novela, mas chega de vilão se dando bem toda hora e de formas meio bobas. Nina tá dando mto mole pro meu gosto kkkkkkk.

ps.: tentei não dizer o que vai acontecer, pra nao estragar a surpresa, mas como vc é noveleiro acredito que já até sabe kkkkkkk.

Abraço

Sérgio Santos disse...

Carlos, pois é, foi aquilo mesmo, ele nem se lembrou que tava de carro. E sim, eu sei o que vai acontecer com Max e Begônia. Parece até que a ficção foi também para a vida real. Aliás, acho péssimo que agora tudo está sendo divulgado e as surpresas foram extintas.

Pelo que eu ACHO, Begônia será seduzida pelo Max mesmo sabendo quem ele é. Se bem que ela nunca viu a cara dele, só da Carminha, enfim, vai saber... rs Abração.

A viajante disse...

Nina é tudo isso graças à Débora Falabella que sabe aproveitar bem seus dotes físicos (olhar angustiado, de medo, de raiva) e lançar choramingos e palavras fortes com doçura. Eu adoro a novela e sinto muito ter que me despedir de Carminha, papel da Adriana Esteves que sem dúvida alguma, o melhor de todos, seguido de Max, Murici, Leleco e toda a turma do Divino. Beijo, Sérgio! Ótima crítica!

Sérgio Santos disse...

Oi Ju, muito obrigado! Concordo plenamente com o seu excelente comentário! Beijão! =)

Sérgio Santos disse...

Ah, e desculpe a demora em agradecer sua presença! Beijos.