quinta-feira, 26 de maio de 2016

"Joliza", "Arliza" e o triângulo de "Totalmente Demais" que despertou torcidas passionais

O triângulo amoroso é um clássico da teledramaturgia. Toda boa novela que se preze tem pelo menos um. Porém, durante um longo período, esse conflito romântico era quase sempre composto pelo casal de mocinhos (ou de bonzinhos) e um vilão ou vilã. Entretanto, já há algum tempo que os autores vêm compondo o trio com perfis repletos de defeitos e qualidades, ou seja, humanos ----- vide Manu, Rodrigo e Ana em "A Vida da Gente"; Amora, Bento e Malu em "Sangue Bom"; e Júlia, Pedro e Felipe em "Sete Vidas", citando exemplos mais recentes. E isso provoca uma clara divisão no público, afinal, todos os envolvidos têm pontos positivos e negativos, deixando de lado o maniqueísmo da vilania, o que costuma ajudar bastante a destinar a torcida toda para apenas um par. Foi exatamente essa situação que aconteceu em "Totalmente Demais", fenômeno das sete que se aproxima do seu desfecho.


Jonatas (Felipe Simas), Eliza (Marina Ruy Barbosa) e Arthur (Fábio Assunção) formaram um triângulo na trama das sete e Rosane Svartman e Paulo Halm conduziram os relacionamentos em fases, mas sempre deixando claro os reais sentimentos de cada um através de sutilezas nas cenas (como troca de olhares) e no texto. O romance "Joliza" ---- junção de nomes muito comum na internet que significa 'shippar' o casal (torcer pelo par) ---- sempre teve como fonte de inspiração o clássico filme "Luzes da Cidade", estrelado por Charlie Chaplin em 1931, cujo enredo era o amor que nascia entre um vagabundo e uma florista cega. Já "Arliza" é oriundo da peça "Pigmalião", de 1913, produzida por George Bernard Shaw (já inspirada no mito do "Pigmalião"), onde um culto professor transforma uma humilde florista em uma mulher refinada e se encanta com sua criação.

As duas relações foram bem conduzidas em "Totalmente Demais" e ajudaram a inserir inúmeros bons conflitos na trama. Os mocinhos do enredo sempre foram Jonatas e Eliza, tanto que os primeiros meses de novela foram todos voltados para a linda relação dos dois, que crescia pouco a pouco. Arredia e agressiva por conta dos abusos sofridos com o padrasto, a menina chegou ao Rio de Janeiro sozinha, foi roubada por duas picaretas e se viu abandonada nas ruas.
Jonatas, que se autointitulava um 'empresário das ruas' (vendia balas de dia e era flanelinha à noite), logo se apaixonou pela garota e se prontificou a ajudá-la. Apesar do receio inicial, Eliza foi ficando cada vez mais à vontade com o seu único amigo e aprendeu a vender flores com ele. 

A cumplicidade foi ficando cada vez maior até que Eliza também se viu apaixonada por um garoto que não tinha absolutamente nada a ver com o príncipe que tanto sonhava. Pelo contrário, estava mais para um 'sapo'. Tanto que a sua primeira vez foi com Jonatas em um momento repleto de delicadeza e poesia, onde os dois transaram em um cinema abandonado após verem alguns trechos de "Luzes da Cidade". A menina venceu o pânico de se aproximar de qualquer homem com o seu 'carrapato', apelido dado pela própria para o menino que vivia no seu pé. O casal é a representação do primeiro amor e do romance típico dos contos de fadas, tendo a ótima ironia do príncipe ser sujo, pobre e não ter condições de andar em um cavalo branco (no máximo um pangaré achado nas ruas). 

E o romance do casal foi interrompido não por uma cruel vilã (ou vilão) que fez de tudo para separar os pombinhos, mas sim por um agenciador de modelos que usou a garota como ferramenta de uma aposta feita com a mulher que sempre amou. Arthur desafiou Carolina (Juliana Paes), garantindo que conseguiria transformar aquela 'mendiga' em uma modelo refinada e ganhadora do concurso Garota Totalmente Demais. Chegou até a levá-la para morar com ele. Foi a partir de então que a relação "Arliza" começou a ser desenvolvida. Entretanto, inicialmente, o bon vivant apenas tolerava a menina e tinha repulsa do jeito grosseiro e sem modos da garota. Contou, inclusive, com a ajuda do fiel escudeiro Max (Pablo Sanábio) e da mãe Stelinha (Glória Menezes) como 'instrumentos' de ajuda na transformação ----- Stelinha, aliás, fez o filho simular uma expulsão de Eliza do apartamento para obrigar a garota a se separar de Jonatas, passando a focar somente no concurso.

À medida que Eliza ia virando uma mulher elegante, Arthur ia se encantando por sua criação. Até que ele começou a cortejar a nova modelo, mas a menina não cedia, pois ainda estava triste com o fim de seu namoro com seu amor. Entretanto, ao longo das fases do concurso houve uma aproximação inevitável entre eles, que ficou mais forte com a vitória da ex de Jonatas na competição, atingindo o seu tão sonhado objetivo. Os dois, então, namoraram e seguiram com a relação harmonicamente. Porém, a mocinha não conseguia disfarçar sua reação cada vez que se encontrava com Jonatas ou o via com Leila (Carla Salle). Os olhares que ambos trocavam eram reveladores. Já Arthur, apesar de todas as armações e idas e vindas, não conseguia se afastar de Carolina, por mais que tentasse. Mesmo que os encontros resultassem em discussões, onde o seu fascínio por se apaixonar era sempre exposto por Carol, que fazia questão de repetir o quanto que ele não aceitava perder uma disputa amorosa. 

Os autores souberam aproveitar muito bem todas as possibilidades e conflitos que essas relações resultaram, movimentando a trama e evitando qualquer tipo de desgaste, o que não é fácil em uma produção que ficou sete meses no ar. E, assim como já havia acontecido em "Malhação Sonhos" (com brigas de torcidas "Duancas", "Joancas", "Perinas", "Cobrades", "Dunats" e "Cobrinas"), conseguiram conquistar torcidas fervorosas e apaixonadas, que defendem seus casais preferidos, elaborando vários argumentos para embasar a paixão. Esse também costuma ser o termômetro de um sucesso, além de números de audiência e repercussão. O público foi realmente arrebatado por essa novela tão deliciosa e bem escrita. 

Agora, na reta final, todo o enredo ficou voltado para o quarteto central, provocando mais uma mudança do triângulo, evidenciando o amor que sempre esteve vivo entre Jonatas e Eliza, implicando ainda em uma reaproximação entre Arthur e Carolina, graças ao menino que foi adotado pela ex-diretora da revista. Toda a história foi bem encaminhada e vem sendo finalizada aos poucos com extrema competência, deixando, claro, um tom de mistério sobre com quem Eliza ficará no último capítulo, ainda que todas as evidências deixem explícitos os sentimentos dos personagens, que passaram por muitas transformações. Aliás, o amadurecimento foi a principal razão para a volta dos casais do início da novela. Se não fosse pelo relacionamento que teve com Jonatas, Eliza nunca conseguiria se envolver com Arthur em virtude de seus traumas, ao mesmo tempo que Arthur nunca conseguiria enxergar o amor que Carolina sente por ele se não tivesse deixado um pouco seu ego de lado quando resolveu ser fiel por Eliza. Até mesmo Jonatas mudou, pois (além de ter um trabalho bem remunerado) deixou de se rastejar por Eliza, e terminou com sua amada, se cansando de sofrer por ela, fazendo a mocinha refletir sobre suas atitudes. 

"Totalmente Demais" chega ao fim nesta segunda-feira (30/05) e não foram poucos os elogios à novela de Rosane Svartman e Paulo Halm, dirigida por Luiz Henrique Rios. Um dos acertos foi justamente a condução de todos esses conflitos amorosos do quarteto central, resultando em um triângulo amoroso que provocou torcidas fervorosas e apaixonadas. A disputa entre "Joliza" e "Arliza" foi apenas um dos muitos ingredientes bem trabalhados no atual fenômeno das sete, que já está deixando saudades. 

26 comentários:

Pedro disse...

Perfeito o texto. Desenhou direitinho a novela. Quem sabe lendo isso as burras que tão chorando pelo final entendam do que e trata essa novela.

Gabriella disse...

Concordo e o que foi o capítulo de hoje, Sérgio????? ARREPIADA!!!!!!!!!!

porlapazyporlavida lc disse...

Ótimo texto, Zamenzito! Sou Joliza desde sempre e vejo nos olhares, no texto, em detalhes o quanto os autores deixam explícito o amor que um sente pelo outro. Confesso que nunca fui fã de Carthur, não por não gostar dos personagens, mas por não enxergá-los como casal. Recentemente, entretanto, percebo neles o amor que eles transbordam quando estão juntos e torço paque os dois fiquem finalmente juntos e felizes. A trajetória de Carolina foi muito lindo e vero quanto ela amadureceu e passou a não ter medo de mostrar seu lado sensível me enche os olhos. Aliás, Juliana Paes está bem demais. Digo o mesmo de Marina, Felipe a Fábio. Um quarteto principal genial.

dvip disse...

Concordo com vc, totalmente demais foi muito bem conduzida, ótima novela, meu destaque vai para a Juliana Paes, com a ótima Carolina, provavelmente sua melhor personagem, muito bem defendida por ela. Com relação aos triangulos amorosos, só gostaria que as pessoas fossem menos passionais e observassem todas as nuances, como vc fez e não jogassem uma história ótima como essa no lixo, porque A ficou com B e não com C, o que algumas pessoas não se tocam é que ser shipper pode acabar com o próprio prazer da pessoa em assistir uma novela.

Anônimo disse...

Se mesmo depois desse seu minucioso texto ainda tiver idiota dando chilique porque Jonatas e Eliza ficarão juntos é pq é mta infantilidade mesmo.Adorei!!!

Victor disse...

Quando todos os envolvidos do triângulo são humanos há mesmo essa divisão de torcidas e os torcedores que torcem pelo casal que não fica junto no final sempre usam os mesmos argumentos: forçado, sem lógica, autores ridículos, novela lixo e nunca mais vejo nada deles. Já reparou?

Pâmela disse...

Sou Joliza SEMPRE ❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️ Foi uma das relações mais bonitas já construídas em novelas, no geral. Que capítulo hoje hein? Me tirou o fôlego e isso não acontecia desde da morte da Sofia. Autores fodas, novela foda!
Ah, e que saudades de ' A Vida da Gente' Era Manu e Rodrigo shipper ��

Ana Carolina disse...

Vc simplesmente desenhou toda a trajetória dos personagens e evidenciou tudo o que os autores sempre deixaram claro na história. Só não viu quem não quis.

Anônimo disse...

Maravilhosa resenha sobre todo o conflito desse triângulo ainda inserindo a Carol que também é peça fundamental. Esse seu texto nem seria necessário se não existisse os imbecilóides que não sabem interpretar uma trama de novela e ficam fazendo escândalo no Twitter. Parabéns, senhor Sérgio Santos!

Anônimo disse...

Cada um tem seus gostos né, mas fico impressionado com a falta de capacidade dos reclamões de analisarem uma novela, querem tudo do jeito deles. Eu não fico dando chilique quando meu par não está junto. Os chiliques vem mais da parte dos Arliza mesmo. Na época de Imperio ficavam dando os mesmo chiliques por Alfredisis. Fora que a maioria que vive dando chilique é a mesma que vive falando mal de Eta Mundo Bom.
Os berrões são os mesmos de sempre, só pra citar alguns: Omar Rebouças, Daniel Luis de Souza, FaClubeNathaliaDill, LeoMartin19, Andrea Barros, Thallys eles vivem falando mal de você pelas costas, mas quando é algo que agrade eles daí ficam bancando os anjos curtindo e dando retweet nos seus comentários.

Sheila disse...

Bem, respeito sua opiniao mas nao concordo. Arliza consolidou a audiencia da novela. Se voce acha o final coerente porque entao os autores da novela criaram cenas intensas, encantadoras e tao verdadeiras para arthur e Eliza? O amor dos dois superou e surpreendeu o publico, cativou. Um amor que nasceu devagar , sem pressa e de uma forma harmonica nao tem sentido terminar do jeito que foi. 90% da novela foi para mostrar a transformacao de arthur e eliza. A pergunta que nao quer calar é : para que serviu a transformacao dos dois? É incorrente esse final joliza. Pior é colocarem o dono da novela-Arthur- nos braços da mulher que destruiu o amor da sua vida e o fazerem de pateta. Os autores sao sim incoerentes. Fabio Assuncao deu um show de interpretação - alias nao tou surpresa atendendo e considerando o carisma e a competencia do autor. Todas as cenas do Fabio tinham expressao, eram tao reais de arrepiar qualquer um. Sem duvida o melhor ator da novela. Ja o Jonatas, eisshh, sem comentarios. Respeito quem o julga bom ator. O que mais me desagradou foi a cena ridicula do Urugai que os autores escolheram para o fim Arliza. Ridicula a cena! Irritante foi posteriormente a postura de Eliza... tornou se ingrata, arrogante insuportavel... nao fosse o Arthur ela ainda estaria morando na rua ou na melhor das hipoteses na casa do Jonatas com um monte de filhos parecidos nao sei com quem! Definitivamente melhor assistir novela mexicana... . Parei de assitir TD+ faz tempo. Para os que ainda acham cativante a novela, força ai, divirtam se, facam bom proveito. Guardarei na memoria as melhores cenas Arliza.

Sheila disse...

Bem, respeito sua opiniao mas nao concordo. Arliza consolidou a audiencia da novela. Se voce acha o final coerente porque entao os autores da novela criaram cenas intensas, encantadoras e tao verdadeiras para arthur e Eliza? O amor dos dois superou e surpreendeu o publico, cativou. Um amor que nasceu devagar , sem pressa e de uma forma harmonica nao tem sentido terminar do jeito que foi. 90% da novela foi para mostrar a transformacao de arthur e eliza. A pergunta que nao quer calar é : para que serviu a transformacao dos dois? É incorrente esse final joliza. Pior é colocarem o dono da novela-Arthur- nos braços da mulher que destruiu o amor da sua vida e o fazerem de pateta. Os autores sao sim incoerentes. Fabio Assuncao deu um show de interpretação - alias nao tou surpresa atendendo e considerando o carisma e a competencia do autor. Todas as cenas do Fabio tinham expressao, eram tao reais de arrepiar qualquer um. Sem duvida o melhor ator da novela. Ja o Jonatas, eisshh, sem comentarios. Respeito quem o julga bom ator. O que mais me desagradou foi a cena ridicula do Urugai que os autores escolheram para o fim Arliza. Ridicula a cena! Irritante foi posteriormente a postura de Eliza... tornou se ingrata, arrogante insuportavel... nao fosse o Arthur ela ainda estaria morando na rua ou na melhor das hipoteses na casa do Jonatas com um monte de filhos parecidos nao sei com quem! Definitivamente melhor assistir novela mexicana... . Parei de assitir TD+ faz tempo. Para os que ainda acham cativante a novela, força ai, divirtam se, facam bom proveito. Guardarei na memoria as melhores cenas Arliza.

Sérgio Santos disse...

Que bom que gostou, Pedro.

Sérgio Santos disse...

Foi genial, Gabriela.

Sérgio Santos disse...

Isso, porlapazyporlavida lc! Sempre ficou explícito.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, dvip. E seu comentário tá ótimo.

Sérgio Santos disse...

Que bom, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Claro que já, Victor. É sempre esse mimimi de forçado, incoerente e afins qd o casal que a pessoa quer não fica junto.

Sérgio Santos disse...

Eu tb, Pamela. E tb era Manu e Rodrigo em A Vida da Gente. Que saudades

Sérgio Santos disse...

Isso, Ana.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, anonimo!

Sérgio Santos disse...

Eles continuam falando mal de mim pelas costas, anonimo? Mas não me esquecem mesmo, hein. rs

Sérgio Santos disse...

Tb respeito a sua, Sheila, mas discordo. Não, não foi Arliza que fez dessa novela um fenômeno, foi todo o conjunto perfeito dela. Se fosse assim tb poderia usar o argumento que Joliza salvou a novela. E teve Arliza simplesmente para criar um conflito dramamturgico necessário em toda novela. Jonatas não podia ter ficado com Eliza a novela toda pq seria um tédio. Arliza foi um ótimo obstáculo criado pelos autores para o amor dos mocinhos.E esse papo de falar que Arthur é dono da novela não cola, né. É mta infantilidade desmerecer o grande elenco só pra endeusar um. E isso é outro ponto da torcida de vcs. Pra vcs só arliza era bom, o resto era uma porcaria. E até o Felipé vcs desprezam gratuitamente. Mas enfim, gosto é gosto. E os autores não foram nada incoerentes, mt pelo contrário.

Thiciane Diniz disse...

Costumava comentar sempre seus textos, Sérgio. Mas ultimamente tenho discordado completamente deles. Em 'Totalmente Demais', seus comentários realmente foram péssimos. Esse texto, por exemplo, completamente errado. O casal Arliza movimentou a trama e ganhou um grande público pela história da transformação e do amadurecimento. Você escrevendo que o casal foi um "obstáculo" criado pelos autores...pelo amor de deus Sérgio, você já teve mais bom senso em se tratando de novelas. Francamente..está parecendo aquele adolescente que torce pelo casal "Joliza" falando..Partindo do seu ponto de vista, Joliza também foi em determinado ponto , um obstáculo no caminho do casal Arliza, assim como Carolina também foi. HA :D

Juliana Paes é maravilhosa, mas nem ela pôde fazer milagre com esse personagem horroroso da Carolina. Vi algumas comparações com a Amora, de Sangue Bom, e discordo completamente. Amora era rica em nuances e complexos, isso a humanizava, diferente de Carolina, que simplesmente se tornou uma mulher recalcada e obcecada por Arthur. Uma relação, que aliás, foi péssima do início ao fim. Só fez mal aos dois. Carolina se tornou uma mulher vingativa, má e rancorosa. O casal Carolina e Arthur não emplacou. A mudança de carolina sendo feita através de um filho é uma boa trama, mas foi feita às pressas, e acabou ficando forçado. O personagem Jonatas é um dos mocinhos mais caricatos dos últimos tempos. "O mocinho que nunca erra, o mocinho que nunca mente, o mocinho perfeitinho". Pra mim, não emplacou. Tanto que sumiu da novela em meados de janeiro e só voltou no final de abril. Felipe Simas foi muito feliz com o personagem Cobra em Malhação, mas como Jonatas, só regrediu. Esse rapaz precisa melhorar a dicção também. Fato.

Fábio assunção foi o grande acerto e o grande nome, na minha opinião. O personagem Arthur desenvolveu e movimentou toda a trama. São méritos dele a popularidade do personagem, que aliás, foi eleito o personagem masculino mais querido da novela!

Marina cumpriu bem seu papel e prova que amadureceu mesmo na telinha. Já A personagem Eliza nesta reta final se tornou volúvel e indecisa demais, o que acabou cansando.

Uma novela que mereceu a repercussão que teve, mas que pisou feio nesta reta final. E aliás, desde a volta da personagem Sofia. Sendo assim, prefiro lembrar dos momentos de auge da novela (janeiro-abril), e esquecer desta reta final grotesca e "feita nas coxas".

Mais uma coisa Sérgio: Quando gostamos de algo (ou de certos autores), não precisamos bajular aquilo 24 horas por dia. Os erros existem e precisam ser falados também. #DICA.

Totalmente Demais NUNCA chegará aos pés de Cheia de Charme e Sangue Bom.

Sérgio Santos disse...

Percebi seu sumiço mesmo, Thiciane, mas vc poderia continuar comentando e discordando sem o menor problema. Desde que com respeito, não tem problema algum. E desculpe, Thiciane, mas quem parece adolescente é quem dá chilique pq o final da novela não foi do jeito que queria, mesmo tendo dado todos os sinais claros do desfecho. E lógico que Arliza foi obstáculo de Joliza. Joliza sempre foi o casal de mocinhos. Vc não achou que o Arthur era o mocinho da novelas, né? Ou será que achou? O quarteto protagonista honrou o destaque e as torcas de casais eram necessários não só para o andamento do roteiro como para o amadurecimento dos perfis. De todos os 4. O que de fato houve. E como Joliza pode ter sido um obstáculo de Arliza se já eram um casal apaixonado antes msm de Arliza nascer? Meio sem lógica, né.

E não me surpreende que toda trama que não é aceita seja classificada como "forçada". Respeito sua opinião, mas discordo. Sempre ficou claro a dubiedade de Carol, principalmente quando ela ficava com a irmã. Ela foi vilã, frágil, arrogante e sofrida ao mesmo tempo. Um perfil complexo. E toda o seu processo foi de perfeita condução.

E só não admito que me chame de bajulador só pq eu gostei de uma novela e não vi defeitos. E eu sou um dos únicos que tem coragem de falar sobre os autores que admira e que estão na lista de preferidos. Os outros tentam fingir, sem mt sucesso. Só que não é por isso que fecho os olhos. O João Emanuel, por ex, é um dos meu prediletos, mas eu não fingi que A Regra do Jogo foi perfeita, pelo contrário, apontei todos os defeitos que enxerguei. Só que não criei defeitos em Totalmente Demais só pq as arlizas quiseram. Eu realmente não vi defeito e elogiei com toda sinceridade do mundo. E elogiaria de novo. Fico feliz que o fenômeno de audiência reconheceu a qualidade dessa produção.

Só um detalhe. Concordo que o Arthur foi um dos melhores papéis do Fábio e ele esteve ótimo mesmo, elogiei do início ao fim. Mas não é só mérito dele não, é dos autores tb que criam um perfil excelente. E Jonatas não era o perfeitinho, seu maior defeito era justamente a falta de orgulho ao sempre se rastejar por Eliza. E foi esse o seu amadurecimento no final, ao terminar com ela e pensando em si primeiro, evidenciando todo o cuidado que os autgores tiveram na condução de cada papel.

Cintia disse...

Eu sou Arliza e achei totalmente incoerente o Final e uma coisa que todos esqueceram de comentar é que a Eliza conheceu o Arthur primeiro que o Jonatas e o Arthur logo de cara falou que ela era encantadora e o Arthur mudou por causa da Eliza e discordo quando você fala que o Arthur tolerava a Eliza antes de transformá-la em uma mulher Elegante tanto quando a Eliza foi na agência falar que aceitava ele já a olhava encantado e em seguida já sentia ciúmes do Jonatas.Arthur e Eliza tinham muita Quimica tanto que nas redes o público só queria Arliza e acho que em nenhum momento os autores ficaram indecisos pra mim foi preferência ao Felipe Simas.E pra mim eles Eliza e Jonatas davam certos como amigos.E agora é esperar pra ver Fábio e Marina como Par romántico.