segunda-feira, 22 de abril de 2013

SBT acerta na reformulação do "Astros"

No dia 2 de abril, estreou mais uma temporada do "Astros" no SBT. Após ficar meses no ar em 2012 sem conseguir índices de audiência muito satisfatórios, a atração voltou reformulada, muito provavelmente para tentar alavancar esse números e também evitar comparações com o "Got Talent Brasil", estreia recente da Record. Após alguns programas já exibidos, pode-se constatar que a decisão de alterar algumas características da competição foi acertada.


Agora há duelos diretos entre os participantes. A cada rodada ocorre uma disputa entre duas equipes, que podem ser musicais, cantores, números circenses ou variedades. Os quatro jurados ficam encarregados de mexer uma alavanca, onde a mesma comanda uma seta que pode ficar do lado verde  (aprovação) ou do lado vermelho (reprovação). O candidato que obtiver mais verdes é aprovado para voltar no final do programa e assim disputar com os demais aprovados do dia o prêmio de cinco mil reais.

Ao deixar de lado a tradicional fase de aprovações consecutivas, empurrando os aprovados para outras fases, até chegar na "grande final", a produção demonstrou inteligência. Havendo um vencedor por programa, o formato acaba ficando mais
atraente para o telespectador que não quer se prender a uma atração por longos meses, ao mesmo tempo que rompe de vez as semelhanças existentes entre o "Astros" e realities como o "Got Talent" e "Ídolos". A atração do SBT, após muito tempo, finalmente conseguiu uma identidade própria.

Além de todos os acertos da reformulação do "Astros", ainda há a presença dos jurados mais competentes e carismáticos do país. Thomas Roth, Cyz Zamorano, Arnaldo Saccomani e Carlos Miranda são produtores musicais, mas não entendem só de música, também sabem fazer análises coerentes a respeito de qualquer tipo de número apresentado no palco. O quarteto foi essencial nas duas primeiras edições do "Ídolos" (quando era produzido pelo SBT), no "Qual é o seu Talento?", no formato antigo do"Astros" e agora com a edição reformulada. A ausência de um bom time de jurados é o que justamente prejudica os programas do gênero na Record. Não é por acaso que o SBT renova o contrato do quarteto todo ano; a emissora sabe que tem quatro bons profissionais 'em mãos' e que podem se adaptar bem a qualquer formato que tenha apresentações de novos talentos.

Ao comparar o "Astros" com o "Got Talent Brasil", fica claro que o SBT conseguiu produzir um produto melhor e mais atraente. Para piorar a situação, ainda há um agravante que prejudica o reality da Record: a produção do programa selecionou vários participantes que já haviam se apresentado no extinto "Qual é o seu Talento?" e no próprio "Astros" do ano passado. Fica difícil fugir das comparações ao aceitar a presença de profissionais que já competiram na atração da concorrência.

O "Astros" estava pra lá de desgastado e a edição de 2012 foi recheada de equívocos ---- que transformaram o show em um festival de cafonices. No entanto, em 2013, o SBT acertou ao apostar em uma nova reformulação que funcionou perfeitamente no ar. O programa ficou mais agradável de se assistir e deixou o compromisso de lançar um 'astro' de lado. Levando em consideração que dificilmente esses formatos lançam 'fenômenos' no país, nada melhor do que mirar exclusivamente no entretenimento, lançando vencedores semanalmente, evitando assim uma longa competição, onde, após vários meses de cansativas disputas, o grande ganhador cairá no esquecimento.

13 comentários:

Felisberto Junior disse...

Olá!
Sérgio
faz tempo que não assisto "Astros".Nem no velho e nem no novo formato.
Mas, você tem razão em citar a diferença , para melhor , já que era inevitável a comparação com "Got Talent Brasil"... a presença dos 4 jurados. E a "premiação" semanal creio que "prende" mais os telespectadores..
Obrigado pelo carinho da visita
Boa semana
Abraços

Milene Lima disse...

Eu ainda não vi o programa nessa temporada,mas gosto muito dos quatro jurados, principalmente da rabugice do Arnaldo e da marra do Miranda. Que bom que está bacana, verei o próximo.

Beijo,Sérgio.

Anne Lieri disse...

Eu assisti ao primeiro programa dessa temporada e acho legal cada programa ter um vencedor.Dá mais agilidade e fica bem interessante.Gosto dos jurados tb.Eles sustentam esse programa,em minha opinião.Bjs e boa semana!

Anônimo disse...

Oi, Sérgio!

Não assisto Astros, até por não gostar de três dos jurados, mas fico feliz de verdade com o SBT voltando a melhorar e reagir na audiência, já que a Record está difícil de acertar.
Acho ótimo também para o público que passam a ter mais opções boas, além da emissora líder, e o SBT ganha muito com isso também, claro.

Um bom exemplo é a emissora ter voltado a exibir novelas mexicanas inéditas e está conseguindo além da ótima audiência, o segundo lugar absoluto todos os dias e quase chega perto da Globo nesse horário. Para quem gosta dos dramas mexicanos, como eu, assistia muito a programação deles antigamente e procura mais opções nesse horário, é ótimo.

E melhor ainda foi ter voltado logo com Cuidado com o Anjo que fez sucesso em vários países e deu para a protagonista, nos Estados Unidos e México, o título de nova Rainha das Telenovelas.
Fico feliz mesmo pela volta delas, a melhora da emissora e porque isso provavelmente vai fazer com que eles tragam em seguida outras da atriz dessa novela, que queria muito assistir e talvez possa ver agora pela Tv.
Espero que eles aproveitem o sucesso de algumas produções e caprichem ainda mais para termos um "duelo" dos bons mesmo, como há alguns anos atrás e assim o público ganhar mais com isso também.
Só é uma pena os horários das inéditas (e das boas que eles vêm reprisando), mas não sei se em outro horário daria certo também, poderiam testar...
Bom, espero também que não cortem as cenas, eles até agora estão indo muito bem. Torço para melhorarem ainda mais em outras atrações também!
Rosa

Aleatoriamente disse...

Olá Sérgio,
vim te deixar um beijinho, e te ler também.
Interessante.

Beijinho

Thallys Bruno Almeida disse...

Bem, Sérgio, eu resolvi ver o episódio de hoje e deu pra perceber que essas reformulações fizeram bem ao programa. Afinal de contas, se na maioria deles o vencedor só tem 15 minutos de fama depois de um total de várias fases de classificação, é melhor adotar esse formato mesmo, do vencedor por episódio. E ajudou a dar a identidade própria, lembrando de forma positiva os bons tempos do Qual é o Seu Talento, mas afastando de vez o fantasma do formato original Got Talent.

Sobre os jurados, é até incrível ver o quão bem funcionou o quarteto Thomas-Cyz-Saccomani-Miranda que a gente até esquece o fraco apresentador. Em especial, os dois últimos, por serem os tipos "do contra", o rabugento e o desbocado. E a experiência do Saccomani como produtor foi útil ao SBT, que o encarregou de produzir a trilha sonora de Carrossel (que vendeu muito para o cenário atual) e a de Chiquititas que vem aí. Não é à toa que o SBT apostou certo em manter o time em seus programas de talentos de 2006 pra cá.

Sobre a inconsistência dos jurados da Record, tanto Luiz Calainho (Ídolos 2008-10) quanto Rick "Creuzebek" Bonadio (2011) tiveram problemas evidentes com Marco Camargo, o único constante nas temporadas da emissora da Barra Funda (ajudado pelo fato de ser diretor musical de lá).

O novo Astros foi um acerto do SBT e, mesmo não sendo aquele sucesso estrondoso, vale a pena pra quem gosta do gênero mas quer vê-lo em um formato que flui mais naturalmente, sem aquela aura de pretensão recordiana que impregna o GTB - apesar das qualidades do mesmo, não deu em muita coisa, apesar de toda a pompa com que foi anunciado. O novo formato encaixou como uma luva.

Por falar em Bonadio, ele lançou recentemente no Multishow o Fábrica de Estrelas, que segue uma linguagem mais documental, no qual o momento mais esperado foi o reencontro das integrantes do Rouge, a única banda vencedora de um programa de talentos que conseguiu perdurar mais de dois anos. Quatro delas ensaiaram uma volta, com direito a uma música nova.

Thallys Bruno Almeida disse...

O comentário da Rosa sobre a exibição de mexicanas inéditas no Brasil (como Camaleones e Cuidado Con el Ángel) demonstra que aos poucos a Televisa vai fortalecendo a reaproximação com o SBT, embora Rebelde da Record tenha dado certo em termos comerciais. Inclusive, "Cuidado Con el Ángel" quase foi refeita pela Record, mas com 20 capítulos escritos pela autora e uma certa pré-produção com nomes anunciados e cidade cenográfica em construção, a Record anunciou a mudança pra Rebelde, por ser mais lucrativa.

É isso. Abçs!

Sérgio Santos disse...

Oi Felis. Obrigado pelo comentário. Abraços! Boa semana.

Sérgio Santos disse...

Oi Milene. O Arnaldo e o Miranda são os meus jurados preferidos. rs E tente ver que tá bem legal. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Anne. Essa reformulação foi muito acertada, melhorou 100% o programa. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Rosa. Também acho bacana essa retomada do SBT e tomara que a emissora não se perca no caminho e se estruture melhor na guerra pela audiência. As tardes estão bom uma boa audiência mesmo e de noite também, uma vez que o Programa do Ratinha é quase sempre vice absoluto.
Obrigado pelo comentário. bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Fernanda. Outro pra você.

Sérgio Santos disse...

Thallys, concordo com você! E os quatro jurados são excelentes mesmo. O programa ficou bem mais interessante e descompromissado.

A Televisa não fez um bom negócio ao romper com o SBT e parece que viu isso bem depois. Vamos ver se a reaproximação é pra valer.

Me lembro disso da Record ter desistido de um projeto e partido pra outro.

O Rick Bonadio foi o único jurado que eu gostei do Idolos da Record. E justamente foi o que menos durou. Sim, eu soube desse programa, mas ainda não consegui ver. O Rouge fez um baita sucesso e tem tudo pra fazer de novo nessa volta. Abraços!