segunda-feira, 8 de abril de 2013

Fina Estampa e Salve Jorge: duas novelas, dois autores e muitas semelhanças

Duas novelas com histórias totalmente distintas e elencos diferentes. Dois autores que apresentam estilos nada parecidos. Teoricamente "Fina Estampa" e "Salve Jorge" são obras diferentes em tudo e qualquer tipo de comparação soa estapafúrdia. No entanto, ao fazer uma análise mais detalhada, é possível observar muitas semelhanças tanto na forma da condução das histórias quanto na atitude dos respectivos autores.


No dia 22 de agosto de 2011, "Fina Estampa" começou a ir ao ar, substituindo "Insensato Coração". E não demorou muito para que as críticas à novela começassem a surgir. Os personagens caricatos e algumas situações esdrúxulas já começavam a incomodar. Nessa época o autor apenas soltava uma ou outra alfinetada em seu Twitter. Porém, com o tempo, os absurdos de sua história aumentaram gradativamente, o que acabou intensificando as críticas. Foi exatamente a partir daí que Aguinaldo Silva resolveu partir para o ataque.

O autor não se importava com o fato de uma queda de escada com poucos degraus fosse capaz de matar qualquer ser humano e um acidente grave de carro, por exemplo, não fizesse nem a vítima perder o bebê que esperava. Não ligava quando a vilã, uma assassina fria, se desesperava após ser amarrada com uma
mangueira pela sua principal rival. Aguinaldo rebatia cada crítica recebida acusando tudo e todos. Ainda chamava os críticos de 'cricríticos', debochando de quem falava mal de "Fina Estampa". Também costumava usar elevada audiência que sua novela alcançava como argumento de defesa. E para se 'vingar' de todos que criticavam os absurdos da trama, o autor encerrou sua obra com a volta da vilã (Teresa Cristina - Christiane Torloni) dentro de um carro importado. Isso depois do público vê-la naufragando no mar ao lado de seu comparsa (Pereirinha - José Mayer), após fugir da polícia. O último capítulo foi um verdadeiro deboche.

Após relembrar um pouco do que envolvia "Fina Estampa", é muito fácil encontrar semelhanças com o que está acontecendo desde a estreia de "Salve Jorge". A história de Morena e companhia já abusou de situações que subestimam a inteligência do telespectador e a quantidade de críticas que a novela recebe é imensa. Para culminar, Glória Perez tem rebatido cada crítica em seu Twitter. Pelo menos a autora não é grossa como seu colega era, no entanto, infelizmente, não recebe bem a insatisfação da imprensa e do público. Claro que ninguém gosta de receber críticas, mas saber aceitá-las é o mínimo. A autora já chegou a dizer que há pessoas que recebem dinheiro para falar mal da trama. Algo totalmente sem lógica, verdade seja dita. Ela ainda faz questão de explicar várias cenas que vão ao ar, justamente para evitar questionamentos a respeito da verossimilhança das mesmas. No entanto, não deixa de ser estranho que seja necessário explicações extras para contar uma história. Quando isso ocorre é porque há algo errado.

Aguinaldo Silva nunca tentou justificar os absurdos de sua novela, apenas atacava quem o criticava. Já Glória Perez age de uma forma diferente nesse sentido. E a autora nem pode se apoiar no ibope --- ao contrário do autor, cuja trama era um sucesso ---- porque sua novela sempre obteve baixos índices (embora esteja melhorando nessa reta final). Porém, no aspecto geral, são 'cenários' muito parecidos: autores tentando se defender das críticas sobre a inverossimilhança de suas obras.

"Fina Estampa" e "Salve Jorge", apesar de serem novelas totalmente diferentes, apresentam mais semelhanças do que se imagina. Apesar de serem autores renomados e com diversos sucessos em seus respectivos currículos, Aguinaldo Silva e Glória Perez sempre tiveram estilos distintos. Porém, ainda assim, enfrentaram em suas tramas mais recentes críticas muito parecidas. Tomara que em seus próximos trabalhos esses profissionais escrevam histórias que façam por merecer muitos elogios, sendo eles semelhantes ou não.

62 comentários:

Michele Nunes disse...

Apesar de tudo que vc falou, realmente Salve Jorge ganha de Fina Estampa em relaçao a inverossimilidade. Estive refletindo hoje e cheguei a conclusão que nao adianta nada SJ falar de temas tao reais e preocupantes, como o trafico de mulheres e bebes, e ao mesmo tempo a autora nos mandar "voar" em certas situaçoes. Eh claro que ela so nos mandar voar em algumas coisinhas realmente ficcionais, mas a impressão que dá de "relaxamento" eh terrivel, algo como "bem, vou tratar o trafico de forma real e f***-se o resto". Se a Gloria se preocupou mesmo em falar algo real, que se preocupassse em ser realista todo o tempo, e nao eh dificil so ter um pouco mais de dedicação! Obrigada, Beijo Sérgio!!!

Carlos disse...

Bom, as última novelas estão nessa vibe de "rir pra não chorar". Morro de rir das tentativas de ação e emoção que esses autores tem tentado fazer. De qualquer jeito, acho uma pena a Glória ter "voado" em um tema tão bom e importante como esse, que seria muito mais interessante se levado a sério. Novela das nove é pra isso, o horário permite, claro que na medida do possível. Se o medo era ficar muito pesado, que atenuasse os demais núcleos e não o principal. Acredito que a mocinha foi a prostituta mais virgem da dramaturgia, fugiu mais que fez programa. Deitou com o Théo mais do que com qualquer cliente. Como engolir uma trama como essa?

Abraços

EDER RIBEIRO disse...

Sérgio, qdo não se reconhece q errou, fica difícil acertar depois. Abçs.

Aleatoriamente disse...

Sérgio não sou muito de assistir novelas, uma vez ou outra assisto. Esta novela Salve Jorge, tem algumas coisas que não bateram, mas procuro pensar que é apenas novela, e tudo que é fictício é aceitável.

Beijinho

Anônimo disse...

Adorei Salve Jorge, foi um dos maiores ibopes dos últimos tempos. A novela era um deboche mesmo, não era pra ser levada a sério. Qual o problema da Tereza Cristina ter se salvado naquele barco? Em tramas bem mais sérias isso já aconteceu: A gêmea má se salvou milagrosamente de um acidente de barco em alto mar, a mesma coisa aconteceu em paraíso tropical. E até na sua queridinha Avenida com aquela cena ridícula da Mãe do Max escondida dentro do barco esperando a Carminha dopa-lo e depois afundar o barco: todos sobreviveram. Não vamos nem falar dos absurdos dessa novela porque é sua preferida e o seu forte não é a imparcialidade.

paulo disse...

A clássica trilogia das novelas absurdas: fina estampa, avenida brasil e salve Jorge. Será que a próxima vai engrossar essa lista? Abrçs!

Felisberto Junior disse...

Olá!
Sérgio
Bela análise
... de uma forma geral, trazer para o publico assíduo algo que já não se tenha visto é um grande desafio...está faltando, sim, um pouco de criatividade!

Obrigado
Boa semana
Abraços

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Penso que os autores das novelas deveriam considerar as críticas com maior humildade e observar a procedência das mesmas para corrigir eventuais falhas.
Sei que novela é novela, mas quando se foge muito do padrão da realidade passa a ser cômico. Os furos de Salve Jorge são gritantes, assim como os exageros. Nunca vi um protagonista tão 'ferrado' quanto o Théo. A Érica, atual mulher dele, não merecia passar por tantos dissabores. Enfim, a maioria dos personagens desta novela são sofredores. Gosto de tramas em que pelo menos algumas falcatruas são logo desmascaradas. Deveria ser como se estivéssemos assistindo a um jogo de futebol, onde se sofre com más jogadas, mas se vibra também com as boas.

Lindo dia para você.

Beijo.

BIA disse...

Oi Sérgio!!!

Eu não assisto... mas eu gosto de ler suas avaliações. As novelas da Glória Perez sempre abordam questões importantes de justiça social e ampliação da consciência.
Ótima semana!!!
Bjs :)

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Bem Sérgio, são duas novelas e universos beeeeem diferentes mesmo, como disse rs.
Eu acho que as falhas de Salve Jorge são mais graves, porque a proposta da trama é justamente tratar de um assunto seríssimo, e nesse caso, é preciso o máximo de cuidado possível no tratamento do tema, o que não vem acontecendo em SJ.
Sobre Fina Estampa, a novela era descaradamente absurda, uma história contada em tom de farsa, sem compromisso algum com a realidade, e isso se via nos diálogos e nas próprias situações que chama de absurdas rs, que naquele universo criado eram possíveis. Para curtir a trama era preciso embarcar na história, e não ficar esperando nada mais sério, FE foi feita para dar risadas, não é a toa que Aguinaldo apostou alto em seus personagens, (Crô, TC, Tia Íris, Pereirinha, Marilda, Baltazar e cia. Acho que foi uma paródia de tudo o que Aguinaldo fez, uma paródia do gênero novela. Acho que o grande erro do Aguinaldo foi apresentar a novela como sendo uma história séria, se desde o inicio já deixasse claro a proposta farsesca da trama, não haveria tanta rejeição. Talvez ele descobriu isso no decorrer dos capítulos e parte do publico se sentiu enganado rs. Enfim, ignorando as falhas, eu me diverti bastante com a trama, ri bastante e por isso adorei Fina Estampa.
Acho que em Salve Jorge, Glória fugiu bastante do estilo dela, enveredou por um caminho que não lhe é favorável. Para mim ela não sabe fazer trama policial, e acaba cometendo esses deslizes. E nessa tentativa de agradar a qualquer custo, fazer uma trama ágil e movimentada como muitos pediram, em busca de audiência, o assunto, o alerta a sociedade ficou meio ofuscado. Salve Jorge abordou de maneira errada o tema.
Sobre eles rebaterem as criticas, acho normal defenderem suas obras, o problema é como fazem isso. Acho o Aguinaldo um grande autor, mas tem o ego lá em cima. A Glória, me parece daquele tipo teimosa. Acho que críticas, todo trabalho sempre vai receber, até Avenida Brasil teve seus detratores, acho que os autores devem analisar as críticas de verdade analisá-las, e aproveitá-las ou não. Porque se for mudar a novela, a todas as criticas que recebem, a novela vira um sambão de crioulo doido. Não adiante ficar rebatendo, se não concorda simplesmente não responde, é melhor ficar calado do que falar besteira. E acho que quem critica deve saber como, tem criticas que ultrapassam a insatisfação, fazer piada e ofender como muitos fazem, não é criticar. Acho que existem excessos de ambas as partes.

Abraços

Joao Eduardo Leal disse...

Nao gosto de salve jorge. Sergio ja assistiu a serie brasileira que estrou na Fox? Chama-se Contos Do Edgar, achei bem interrssante.

Filha do Rei disse...

Em algumas novelas os autores se perdem e não se acham, Glória Peres está neste caminho, agora na reta final está melhorando, sem muito repeteco de ações.O Aguinaldo em Fina Estampa também se perdeu na trama.
Esperamos que eles tenham mais clareza, pois chega a um ponto das novelas que fica tudo confuso que até a gente se perde :)

Parabéns pelas ótimas análises em cada postagem.
Bjs

MARILENE disse...

Sergio, quem escreve deve pesquisar bastante para não incorrer em crassos erros. O povo não pode ser subestimado. Quando as críticas surgem e o autor tem necessidade de explicar fatos de uma novela, óbvio se torna que não correspondem à realidade, que não apresentam a clareza que os deveria envolver.
Fundamentada e consciente sua postagem. Bjs.

Kellen Bittencourt disse...

Olá amigo, de fato ambas estão de doer rsrsr, eu gosto me divirto e tudo mas é muito erro de texto e de produção que insultam a nossa inteligência pelamor rsrsr Abraçossss

Mariana Nascimento disse...

Oi Sérgio
Concordo com tudo que disse.
Sempre gostei muito das novelas da Gloria Perez, por mostrar a luta contra as drogas, a busca de um filho perdido, esquisofrenia e agora trafico humano, apesar de algumas "escorrregadas' que ela sempre dá, só para citar um exemplo q nunca vou me esquecer é da Nazira, personagem da Eliane Guiardine, em O Clone, no último capítulo onde ela voa no cavalo com Miro, aff aquela cena estragou o capitulo final. A autora gosta msmo de voar rsrssrs
Salve Jorge está triste de ver, com excecões de alguns atores, e ainda o pessoal age como se fosse sucesso de critica e de publico, como o faustao ontem com Claudia Raia falando do "sucesso" de sua personagem. Se é para falar de sucesso do presonagem, chama a Totia Meireless ou Giovana Antonelli. A mesma situação era em Fina Estampa, que ao meu ver ainda era pior, só se salvava pelo Clõ, e olha que eu já estava ficando cansada de assisti-lo rsrs.
Até Lilia Cabral, que eu adooooro, mais naquela novela a personagem era péssima e msmo assim ganhou um premio de melhor atriz.Eu se fosse ela nem ia pegar rsrsrs, dava esse premio para Marjorie Estiano, Ana Beatriz Nogueira ou Nicette Brunno que naquele ano fizeram tão lindamente A vida da Gente.
O que me deixa feliz em alguns casos é que novela tem prazo de validade, e assim como FE que acabou, SJ está acabando.....Graças a Deus rsrs
Abraços
Mariana

Letíca disse...

Boa noite Sérgio,

interessante você falar destas duas novelas. Eu como expectadora gosto de assistir um produto com qualidade, isto significa algo que me faça prestar atenção e se puder, apesar disso ser raro, me enriqueça tantinho um como pessoa.
Obviamente que não se deve esperar isso de uma novela. Sou um pouquinho exigente reconheço. Acho que já que estou na frente da TV, nada melhor que assistir algo que seja ao mesmo legal. Às vezes ao assistir uma novela, por exemplo, percebo algo que, pode parecer arrogância da minha parte, mas percebo que a sinopse daquela história não foi desenvolvida adequadamente, o autor não trabalhou nela suficientemente para entregar um produto de qualidade, apenas entrega o rascunho da novela e cumpre a sua obrigação com a emissora. E o pior é que na própria empresa, suponho eu, alguém ou uma equipe que avalia aquela sinopse e dá ou não o sinal verde para ela ser, ou não, desenvolvida. Outro dia li que os autores de Lado a Lado demoraram 5 anos para desenvolver a novela, desde a ideia inicial até seu encerramento no mês passado. Foi bastante tempo para criar uma história bem feita. Suponho que a Globo não tenha tantos autores no seu primeiro escalão (novela das nove) para demorar tanto no desenvolvimento de suas novelas.

Li ontem na Folha de São Paulo que o Walcyr Carrasco já comunicou a Globo que pretende voltar as origens e escrever um novela das seis depois que terminar de escrever a nova substituta de Salve Jorge, a princípio acho interessante isso porque mostra que ele, como autor, não tem preconceito em criar um produto que não seja para o horário mais nobre da programação.

Quando a estes autores citados no seu texto, o que menos gosto é do senhor Aguinaldo Silva, respeito seu trabalho e sua pessoa, mas realmente lamento a maneira como conduziu sua última novela, era claro que a fazia por pura obrigação com a Globo. Acredito que esta atitude acaba passando para a equipe que realiza o trabalho, nem um grande ator salva um texto ruim. A obsessão da vilã pela Griselda não tinha justificativa clara, nunca entendi tanto ódio, não havia um motivo real. Uma era trabalhadora honesta enquanto a outra um dondoca ociosa, e o ódio era anterior a perda do marido para a faz tudo, que aliás nem fica com Chef e sim com o português.

Eu acredito sim que há uma falta de interesse de alguns autores na hora de desenvolver suas próprias novelas e depois tentam justificar o injustificável. Seria melhor se tivesse a humildade de aceitarem que não fizeram um bom trabalho. E o que penso.

um abraço.

Letíca disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Letícia (de novo) disse...

Como disse gostei da ideia o Walcyr, mas desde que ele tenha uma boa história para contar em seu futuro trabalho, mas por enquanto vamos espera "Amor à vida" que vira daqui a poucas semanas.

Sobre a novela da Glória, gosto a autora, mas Salve Jorge é difícil de engolir.

Um abraço

Flávia disse...

Entendi sua intenção em comparar as duas novelas, mas tenho que discordar em alguns pontos. O Aguinaldo Silva nunca propôs que Fina Estampa fosse levada a sério, então, dentro do universo da narrativa daquela novela, dava até para aceitar certas concessões do autor. Com a dona Glória Perez é diferente, primeiro ela faz questão de enfatizar que sua novela será um retrato fiel da realidade em vários assuntos, escreve cenas sem qualquer verossimilhança e depois se irrita quando o publico cobra um pouco de realidade à trama, aí fica dificil!

Thallys Bruno Almeida disse...

Pra começar, Sérgio, vou falar de Fina Estampa.

Olhando pelo prisma atual, Fina Estampa de fato foi um grande deboche com a nossa cara. Se alguma coisa ainda dava pra levar a sério, foi a primeira fase da Griselda, onde ela desmascarou o pulha do Antenor. Porém, mais tarde, essa imagem de "pilar da retidão moral" passou a irritar e desperdiçou o talento de Lília Cabral, além de ela ter pago o mico de canastrar daquele jeito quando o Pereirinha chegou.

Teresa Cristina era a típica "vilã" que no fundo não metia medo em ninguém. Crô era o único acerto, mas logo foi esquecido junto com o último capítulo. Fora a quantidade de núcleos desnecessários (como aquela loja de motos, a pousada-quiosque com todo mundo aplaudindo o sol (????), a menina funkeira), a alta concentração de gente canastrona, o desperdício de talento de gente boa... até o núcleo mais promissor, que foi o de Paulo e Ester (Dan Stulbach e Júlia Lemmertz) foi prejudicado.

O início da trama dava a impressão de que seria uma coisa séria, através dos problemas entre a Griselda e o Antenor, mas logo depois tudo caiu na verdadeira farsa e por isso nós odiamos, resultando em capítulos sem nada de interessante e um monte de baboseiras ocupando o espaço. Em meio a isso, a arrogância de Aguinaldo explicitada em críticas a autores, jornalistas, até mesmo atores, além das sucessivas auto-referências, como se fosse o único grande autor das 21h. Referências essas que só funcionaram no final da Tia Íris, "reencarnando" Altiva e "voltando" pra cidade fictícia de A Indomada.

Na fase popular de Aguinaldo, só Senhora do Destino foi um acerto completo, porque ali ele se preocupou em mostrar uma história verdadeiramente verossímil. Em Duas Caras, sua premissa era muito boa (especulação imobiliária, favelização, o golpe da Maria Paula), mas ele perdeu tempo demais com coisas paralelas como aquele porre do Zé da Feira e o tal do sufocador de piranha. A sorte é que o trio principal brilhou. Acrdio que foi depois daí que ele encrencou com a imprensa toda e a retratou de forma debochada especialmente em Lara com Z e Fina Estampa. O último capítulo, então, foi o retrato fiel do constrangimento que a novela foi.

Anônimo disse...

FINA ESTAMPA FOI SIMPLESMENTE A NOVELA DE MAIOR IBOPE DOS ULTIMOS TEMPOS, TEREZA CRISTINA E CRÔ SÃO ETERNOS, O AGUINALDO SEMPRE USOU DE REALISMO FANTÁSTICO EM SUAS NOVELAS. ATÉ NA ABERTURA DELA A GLOBO ACERTOU, DEIXOU SAUDADES!

Thallys Bruno Almeida disse...

*acredito

E agora, Salve Jorge.

De início, parecia ser só o luto de Avenida Brasil, que teve uma vilã digna do hall das maiores e uma mocinha que subverteu a vários padrões. Mas logo os primeiros capítulos de Salve Jorge nos dariam as razões. Primeiro, mocinha mostrar que é forte e segura de si não precisa ser barraqueira e grossa. E Morena era a segunda coisa. Só porque era do Morro do Alemão não precisava disso.

Segundo, Glória definitivamente não sabe criar mocinhos em tramas próprias. São bobões como Lucas (apesar do Murilo Benício estar inspirado), Tião, isso quando não são babacas como foram o Bahuan e o Theo. Sempre dão um jeito de serem criticados.

Vilã, então, menos ainda. E ainda teve a pretensão do discurso de Cláudia Raia em dizer que seria uma vilã pior que Carminha. E na teoria, até poderia ser, pois lida com um crime de repercussão mundial que o tráfico de pessoas. Mas o que se viu foi Cláudia fazendo uma dondoca, cheia de frescuras, caras e bocas que não assustavam ninguém.

É visível que Glória não sabe lidar com as críticas, haja visto o momento em que ela bloqueou vários twitteiros por críticas à sua trama, muitas vezes levadas a ela pelos outros que a bajulam.

Theo é rejeitadíssimo e ainda assim a Glória insiste nele (vai ver gosta do Rodrigo Lombardi). Manipulado pela mãe, indeciso, não pensa duas vezes quando vai trair Érica com Morena, e agora, esse envolvimento inverossímil com Lívia. O cara tá casado com uma, vai transar com uma segunda pra vingar a terceira e a primeira que se lasque? E a Morena de barraqueira passou pra burra. Escondida sob proteção policial, se manda sozinha na chuva pra ter a menina numa caverna? E aquele nome Jéssica Vitória? E vai confessar que existe tráfico pra chefe do tráfico?

Quando um autor tem que explicar a trama e culpa o público por criticar o que está de errado na mesma, tem coisa MUITO errada. Isso sem falar no mesmo problema de desperdício de atores que culminou até em gente reclamando do mesmo. Se bem que Ana Beatriz Nogueira tinha muito mais moral do que Vera Fischer pra isso, pois preferiu sair daquilo sem precisar fazer escândalos midiáticos.

E aquele morro do Alemão que não passa do repeteco das mesmas coisas das outras novelas da Glória? Lamento pela Bruna Marquezine, cuja única função é exibir sua bela forma, porque sua composição não condiz com nada, não passa naturalidade, ao contrário da Roberta Rodrigues que encaixou perfeitamente na Vanúbia.

Pra mim, Salve Jorge tá conseguindo aos poucos ultrapassar Fina Estampa porque mistura absurdos em uma novela que era pretensamente séria a todo o tempo, enquanto FE não demorou a assumir o deboche. Duas tramas puxadas, que felizmente tiveram um alívio chamado AVBR intercalado pra não nos irritar ainda mais.

É isso. Abçs!

Dayse disse...

Sergio, mais uma vez concordo com tudo....
Salve Jorge está ruim de engolir... Ufa! Que bom que vai acabar agora em maio.
Tão ruim quanto Fina Estampa, não suportava esta novela. Pra mim, nem o Crô salvou pois achava aquilo tudo mto chato.

Para encerrar o comentário, vou com as últimas de Glória:
- Lívia alucinada pelo Théo? Uma traficante de pessoas, super conhecida na mídia, vai fazer barraco na TV mostrando que apanhou de um homem só por dor de corno????? Afff...
- Théo e Morena transam, já pela segunda vez e ele não percebe que ela é uma mulher recém-parida e que está amamentando???? Barriga não está flácida, peito enorme vazando leite???? Cego? Retardado? Ou eles transam por um buraquinho no lençol?

Sérgio Santos disse...

Oi Michele! É verdade, um tema tão importante quanto esse nunca foi tratado com a preocupação da verossimilhança. Obrigado pelo comentário. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Carlos, a Morena foi traficada pra fazer faxina. Porque transar mesmo...
Pelo menos o tema do tráfico deveria ser tratado com seriedade, mas não foi. Uma pena. Abraços!

Sérgio Santos disse...

É verdade, Eder. Abraços

Sérgio Santos disse...

Oi Fernanda. Olha, nem tudo. Há limites. Quando uma novela é baseada em temas ficcionais como vampiros, ou realismos fantásticos, ok. Também é permitido as licenças poéticas como se encontrar toda hora mesmo numa cidade imensa, ou subir no apartamento sem ser anunciado pelo porteiro etc... Mas subestimar a inteligência do telespectador não pode. Beijos.

Sérgio Santos disse...

"Anônimo", Salve Jorge tem o PIOR ibope de todos os tempos. Mas imagino que vc tenha se enganado e esteja se referindo à Fina Estampa. Mas ainda assim continua errado porque a novela teve uma ótima audiência mas passou longe de ser um dos melhores dos últimos tempos. MUITO LONGE. Aliás, ficou com dois décimos a mais que Avenida Brasil, sendo que nunca chegou aos 50 pontos, ao contrário da sucessora.

Vc acha que a trama do Aguinaldo não era pra ser levada a sério? E o motorista espancando a esposa, também era uma piadinha? Entendi.

Bem nem vou comentar essa sua comparação com o fato de Avenida Brasil porque é bem sem sentido. E para o seu desgosto a novela não é minha queridinha, é queridinha do país. Faça uma pesquisa que vc se decepcionará com o resultado.

Se vc acha que imparcialidade é achar tudo uma porcaria ou tudo muito bom, realmente eu não sou nada imparcial. Até porque eu também tenho minhas preferências. Aliás, qualquer um tem.

Sérgio Santos disse...

Paulo, tiraria Avenida Brasil dessa trilogia e colocaria Insensato Coração no lugar. Abçs.

Sérgio Santos disse...

Felis, obrigado pelo comentário. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Vera, concordo plenamente com vc! Tenha uma boa semana!

Sérgio Santos disse...

Oi Bia. Obrigado. bjs

Sérgio Santos disse...

Rafael, exatamente. São situações distintas mas me referi ao universo que envolve as duas novelas, incluindo as reações dos autores.

Olha, esse papo de que Fina Estampa era uma piada de si mesma só cola do meio pro final pq no início o autor estava tratando a novela de uma forma série sim. Aliás, tinha até casos de agressões com o Baltazar a a esposa. Depois virou aquela bobajada dele com o mordomo.

Acho que Aguinaldo desistiu de querer passar seriedade e em meio a tantas críticas ligou o botão do f*da-se e seguiu.

Glória é teimosa mesmo e por isso que comparei ainda mais as novelas. Ela age de uma forma semelhante a do Aguinaldo no Twitter. Mas ele é ofensivo e grosso. Ela não. Mas ainda assim opta por justificativas sem sentido. Melhor seria ficar quieta mesmo.

E concordo com vc. Há pessoas que não sabem criticar e partem para a ofensa e se perdem. Aí ela tem toda a razão de se ofender. Nunca fui até ela no Twitter pra reclamar, por exemplo. Acho grosseiro e desnecessário.

João Emanuel Carneiro foi massacrado no início por causa do núcleo Cadinho. E depois pelo pen drive. Mas ele nunca fez questão de rebater. Certo ele.

E as minhas comparações entre as duas novelas como explicitei bem tem relação com toda essa mescla de 'coincidências', digamos assim. abraços.

Sérgio Santos disse...

Joao, sei que estreou há pouco tempo mas ainda não consegui ver. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Cléu. Pois é, e como se perdem... Obrigado pelo carinho. beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Marilene. Exatamente. Ou então procurar corrigir os erros mesmo a novela ainda estando no ar. Mas pra isso é preciso reconhecê-los. Beijos.

Sérgio Santos disse...

São de doer mesmo, Kellen... rs beijos!

Sérgio Santos disse...

Mariana, adorei seu comentário. Olha, vc citou um ótimo exemplo de O Clone. Aquela novela foi excelente mas essa cena foi RIDÍCULA! Realmente estragou o final da personagem mais carismática da trama. Fato semelhante ocorreu com Maya em Caminho das Indias, quando ela trocou de roupa no último capítulo num passe de mágica. Patético.

Sim, falar que Livia é um sucesso chega a ser constrangedor. Realmente nem a grandiosa Lilia Cabral conseguiu se sair bem naquela novela. E também daria o prêmio para qualquer uma das atrizes que vc citou.

Sim, dia 20 de maio estreia Amor à Vida. Já espero ansiosamente. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Letícia, não é arrogância não. Vc tem direito de exigir um produto de qualidade. Lado a Lado foi uma grande novela e mereceu cada elogio recebido.

Sim, o autor escreve uma sinopse e a direção da Globo tem a missão de aprová-la ou não. Depois que aprova é com o autor. Ele que se vire.

Gosto da Glória como pessoa e a admiro, mas nunca fui fã de suas novelas. Só de O Clone mesmo. Em Salve Jorge ela se perdeu totalmente. Já Aguinaldo é muito arrogante e jamais admitirá que fez um trabalho ruim.

Sou suspeito pra falar porque sou fã do Walcyr, mas tenho muitas esperanças com essa sua nova novela. Também achei de muita humildade ele dizer que gostaria de voltar ao horário das seis. Não se deslumbrou. Mas eu confesso que não queria vê-lo mais fora do horário nobre. Beijão e boa noite!

Sérgio Santos disse...

Oi Flávia. Olha, no início o Aguinaldo quis passar uma trama série sim. Depois que ele resolveu escrachar mesmo. Tanto que tinha até um núcleo que denunciava a agressão doméstica.

Já sobre a Glória eu concordo plenamente com vc. Ela quis passar uma veracidade em situações totalmente descabidas. Aí não dá. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Thallys, a questão do subaproveitamento de grandes atores é um outro caso que pode entrar na lista de semelhança entre as duas obras.

Aguinaldo protagonizava imensos barracos defendendo sua novela e ainda soltava faísca pra tudo quanto era canto. Até o Walcyr foi ofendido por ele gratuitamente. Enfim, nem me lembrava mais daquela loja de motos que vc falou. E sim, ainda tinha aquilo de aplaudir o sol...

Por isso que eu fiz questão de escrever um texto citando todas as semelhanças que existem entre as duas obras por mais diferentes que sejam. Glória não sabe fazer mocinho e nem casal protagonista. Theo é insuportável e se perdeu ainda mais nessa tal relação com a vilã. Morena também não fica muito atrás... Enfim...

As duas novelas estão disputando acirradamente o posto de mico das nove. Abraços!

Sérgio Santos disse...

"Anônimo", Fina Estampa não teve nada de realismo fantástico e sim de situações sem sentido mesmo. E repito, essa novela não teve um dos maiores ibopes dos últimos tempos. Dê uma pesquisadinha.

Sérgio Santos disse...

Oi Dayse. Pois é, uma traficante fria como a Lívia faz se expor dessa forma? E ontem Glória teve que explicar para Cláudia Raia que a vilã não estava apaixonada. Ou seja até a atriz não consegue compreender o papel.

Já a situação envolvendo o Theo é ridícula desde o primeiro capítulo. Só foi piorando... Beijos!!!

Anônimo disse...

O seu problema é que não sabe aceitar críticas. É sua opinião é todo mundo tem que achar a mesma coisa. Assim que quer ser um jornalista?

paulo disse...

Procure no google: "Fina Estampa ibope maior que Avenida Brasil". O problema do Sérgio é que ele se recusa a enxergar certas verdades, tipo 1:Avenida Brasil não foi esse sucesso todo que a imprensa e a globo quis nos fazer acreditar, e foi uma novela bem chatinha e cheia de erros. 2:O Big Brother é um programa baixo nível e já bastante desgastado. 3:a globo não é a poderosa que já foi um dia, é uma emissora que se perdeu no tempo. 4:Ele critica programas e novelas de outras emissoras baseado em um capitulo que assistiu, como balacobaco, que pra mim é superor a Flor do Caribe por exemplo. Se fosse uma novela das 7 na globo ele veria com outros olhos.
Bem, não vou me prolongar mais pois não concordo com as opiniões televisivas do Sergio mas acho ele muito educado e boa gente, apesar de não conhece-lo. É isso, um abraço a todos!

Rafael Barbosa dos Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafael Barbosa dos Santos disse...

É como eu disse Sérgio, o erro do Aguinaldo foi não ter proposto o tom de farsa desde o inicio. Mas desde as chamadas de estréia dava para ver que se tratava de uma novela cômica e caricata, disfarçada de realidade. Talvez, a partir da cena em que TC empurra o mafioso da escada e cita a Nazaré, dizendo que aprendeu com ela empurrar gente da escada é que a novela escancarou de vez, que não passava de uma novela farsesca, onde tudo era possível e que nada mais sério se podia esperar. Não acho que ele tenha mudado de história séria para farsa por causa da crítica, porque embora a novela fosse criticada, a novela ia muito bem de público, talvez o objetivo tenha sido justamente provocar a crítica rs. E a proposta deu certo, não agradou os críticos, mas o publico aprovou e teve uma grande audiência, acho que a maior desde A Favorita né. Eu me diverti pra caramba assistindo, justamente porque sabia que ali tudo podia acontecer rsrs.

Abraços

Paty Michele disse...

Sérgio
nenhuma das duas novelas despertou meu interesse em assistir.

Mas quero te perguntar uma coisa: Por que vc não escreve sobre os programas da TV fechada? Acredito que mta gente hj em dia dá preferência a canais pagos. Bem, fica a dica, pq ultimamente só vejo o GNT, que tem programas excelentes como o Alternativa Saúde, Chuva de Arroz, Chegadas e Partidas, dentre outros.

bjão.

Rita disse...

Boa tarde Sergio, bom eu gostei mais
de Fina Estampa do que Salve Jorge
Essa tem muitos atores bons e que aparece pouco, os lugares são lindos, e a musica tbém....mas a história fala sim de um assunto forte sobre trafico, o que é muito bom....mas as falhas são muitas...pra vc ver como sou emotiva até choro em alguns trechos...do resto espero que tenha um final que vai valer a pena ter assistido.
Bjuss
Rita!!!!

Patricia Galis disse...

Duas novelas horriveis, Salve Jorge poderia ter sido um sucesso se o nucleo fosse menor, e realmente destacassem esse assunto tão importante que o trafico de mulheres, crianças e etc... mas fazer o que o povo reclama mas ta la dando audiencia tem dias que fico desesperada por falat de opção de canais livres....ainda não pude por tv paga..ai que saudades kkk

Sérgio Santos disse...

Amigo sem nome, de onde vc tirou que eu não se aceitar críticas? Se não aceitasse jamais perderia tempo em responder a todos os leitores, inclusive os que discordam. Faço isso porque acho importante valorizar cada um que vem aqui deixar seu ponto de vista. Agora, não espere que eu não conteste uma informação errada ou então que deixe se acusado de parcial.

E eu respondo sempre da forma mais educada possível mesmo que alguns não mereçam.

Sérgio Santos disse...

Paulo, não preciso procurar pq eu vi na época. Foram, se não me engano 4 décimos a mais. Porém, eu não disse aqui que Fina Estampa teve menos ibope, disse? Pelo contrário afirmei que a trama foi um sucesso. Mas nunca chegou aos 50 pontos como Avenida Brasil obteve. E, desculpe, mas 4 décimos a mais é irrisório. Observando esse seu título "Fina Estampa teve mais ibope que Avenida Brasil" parece que teve 5 pontos a mais.

O mesmo caso ocorre em cima de Passione e Insensato Coração. Alguns insistem em encher a boca pra dizer que a trama do Gilberto elevou o ibope do horário e a do Silvio tem a pior audiência. A diferença entre as duas na média geral são 3 décimos. Isso é pra ser comemorado? Por favor...

Obrigado pela defesa e pela crítica simultânea. Eu escrevi sobre Balacobaco baseado na estreia como faço com todas as novelas. Mas depois não posso escrever mais pq não vi. Na reta final eu tentarei ver pra escrever algo. Mesmo que seja para ser criticado por isso. Afinal, tô aqui pra receber elogios e pauladas. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Exato, Rafael. Foi a partir desse momento da escada que eu acho que ele ligou o botãozinho do f*. Mas antes disso não.

Mas muita gente gostou da novela caso contrário não teria sido um sucesso. Só que as críticas negativas tiveram o mesmo peso, digamos assim. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Paty. Já escrevi sobre dois programas do GNT: Oscar Freire 279 e Sessão de Terapia. Mas é verdade, não escrevo muito. Opto pela tv aberta pq é a mais abrangente mesmo. Mas anotarei sua sugestão. =) Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Rita, obrigado pelo comentário. Sim, eu lembro que vc gostava de Fina Estampa. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Patrícia. Vc ainda tá nessa situação? Imagino seu sofrimento... rs bjssss

Sérgio Santos disse...

PS: Paulo, só mais um adendo. Veja que curioso. Escrevi um texto criticando duas novelas da Globo ao mesmo tempo e ainda assim vc acha que eu vejo a Globo com outros olhos. Mas realmente não espere de mim críticas a tudo que vem de lá porque vc sabe que não sou assim. Não carrego nenhum ódio mortal pela Globo e é inegável que a emissora é sim superior em relação aos demais canais abertos.

Aleatoriamente disse...

Sim vendo desta forma concordo plenamente contigo. Alguns se baseiam muito por novelas e fica difícil o exemplo errado.

Beijinho

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Boa crítica, Sérgio. Nada tenho contra Aguinaldo Silva e Glória Perez, pelo contrário, até gostei de várias de suas novelas. Mas "Fina Estampa" e "Salve Jorge" foram suas obras mais fracas e desperdiçaram talentos. Espero que os dois escrevam tramas melhores.

Sérgio Santos disse...

Até numa ficção há limites, Fernanda. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira. Nem eu. Do Aguinaldo já gostei de muitas novelas. Tieta, Pedra sobre Pedra, Senhora do Destino... enfim. Até de Cinquentinha eu gostei. Já da Glória eu tenho mais restrições, embora goste muito dela como pessoa. Gostei de O Clone e achei Hilda Furacão excelente.

Mas as últimas novelas deles foram muito ruins. Beijos!

adailton77 disse...

Aqui nesse post está se falando em Aguinaldo Silva e Glória Perez, certo? Mas vocês lembram ou sabiam que os dois já escreveram uma novela juntos? Pois bem, a novela em questão se chama Partido Alto (1984), do horário das oito e abordava coisas como o jogo do bicho e escolas de samba. Eu era criança na época e me lembro um pouco dessa novela: a mocinha da história era Isadora (Elizabeth Savalla), uma moça rica filha de um industrial poderoso, o saudoso Raul Cortez era o bicheiro Célio Cruz, envolvido com um roubo de jóias, era pai de Celina (Glória Pires) e tinha Jussara (Betty Faria), que atuava como manicure e porta-bandeira de uma escola de samba, Célio era casado mas foi também amante de Jussara. O bairro em destaque na novela, que hoje em Salve Jorge é o da Penha, no Rio de Janeiro, na parte do Morro do Alemão, o destaque de 'Partido' era o bairro do Encantado, também no Rio. A atriz Glória Pires disse com relação a essa novela, ter participado de uma obra sofrível. Aguinaldo Silva e Glória Perez se desentenderam e ele acabou abandonando a condução da novela e ela acabou assumindo a trama sozinha até o fim e para piorar, a trama foi um fracasso na época, desde o tempo de Partido Alto, Aguinaldo e Glória não se bicam, Kkkkkkkk!!!! Quem tiver curiosidade, no Youtube tem a abertura dessa novela onde aparecem dançarinos de break fazendo coreografias ao lado de sambistas, toda embalada na voz de Sandra de Sá. Vocês sabiam ou se lembram dessa, hein?