quinta-feira, 30 de abril de 2015

Volta de Miguel provoca uma aguardada reviravolta em "Sete Vidas" e deixa a novela ainda mais atrativa

Entre as muitas qualidades de "Sete Vidas", o bom ritmo se configura como uma das principais. Lícia Manzo conta sua história sem qualquer tipo de enrolação, ao mesmo tempo que consegue valorizar cada diálogo, cada momento e cada situação vivida pelos seus personagens. Ou seja, é uma novela que não tem um ritmo alucinante, mas apresenta vários acontecimentos diariamente. E, com o folhetim chegando praticamente na metade (ficará cerca de quatro meses no ar), a grande virada da trama aconteceu recentemente com a volta de Miguel (Domingos Montagner).


A razão para este retorno foi alheia à sua vontade, afinal, era uma questão de vida ou morte. Mais um filho do protagonista foi 'achado' e o rapaz corria sério risco de falecer porque precisava urgentemente de um transplante de fígado. Graças ao esforço de sua mãe (Beatriz - grande Lígia Cortez), Felipe (Michel Noher) conheceu Pedro (Jayme Matarazzo), Júlia (Isabelle Drummond), Laila (Maria Eduarda de Carvalho), Bernardo (Ghilherme Lobo) e Luis (Thiago Rodrigues) e logo se afeiçoou a esta 'nova família'. Mas, após a felicidade de ter encontrado vários irmãos, a decepção se fez presente depois que nenhum foi compatível para a doação de parte do órgão. Foi o estopim para a chegada de Miguel.

O navegador, incentivado pelo melhor amigo Lauro (Leonardo Medeiros), deixou a covardia de lado e resolveu voltar para salvar a vida deste novo filho. O retorno do personagem mais importante da trama provocou a mais aguardada virada de "Sete Vidas" e proporcionou uma sucessão de cenas dramáticas, muito bem interpretadas por todos os integrantes do ótimo elenco.
Se a história já estava envolvente e atrativa antes desta volta de Miguel, agora, pode-se afirmar que a novela conseguiu ficar ainda melhor. Lícia vem escrevendo vários momentos densos e conflituosos, que prendem o telespectador com facilidade.

Como era de se esperar, o retorno do solitário homem provocou uma reviravolta da vida de todos, incluindo na dele mesmo. Pedro, por exemplo, virou outra pessoa depois que descobriu que seu amigo e professor 'João', com quem criou um forte laço em Fernando de Noronha, é na verdade o seu pai. O choque exigiu bastante de Jayme Matarazzo que correspondeu e protagonizou uma ótima cena de briga com Domingos Montagner. O filho do diretor Jayme Monjardim, aliás, também tem feito grandes sequências com Isabelle Drummond, que vive sua melhor personagem da carreira.

Pedro e Júlia entraram em crise depois da volta de Miguel, principalmente porque o rapaz está cego de ódio pelo pai e não aceita qualquer tipo de defesa em cima das atitudes tomadas pelo navegador. Sua ex-meia-irmã, por sua vez, procura entender o protagonista e tem uma maior facilidade de enxergar os fatos já que não criou laço afetivo algum com o amigo de Lauro. Por causa destas divergências de opiniões, o casal novamente ficou estremecido, após ter conseguido superar (ainda que temporariamente) a traumática (e, no fundo, boa) notícia de que nunca foram irmãos. Jayme e Isabelle estão muito bem, sendo necessário elogiar também a sempre ótima Maria Flor, intérprete da Taís, namorada de Pedro.

E o momento mais aguardado da novela foi responsável por uma das melhores cenas até então: o reencontro de Lígia e Miguel. Primeiramente, no hospital, quando ele entrou no quarto de Felipe para vê-lo, mas se deparou com Lígia, que entrou em estado de choque e precisou ser sedada. Débora Bloch e Domingos Motagner conseguiram mostrar todo o sentimento que ainda está presente somente através da intensa troca de olhares. Mas a sequência mais dramática veio quando os dois se encontraram para um acerto de contas. Ela foi até o hotel onde sua grande paixão estava hospedada e vomitou tudo que guardava para si por anos.

A cena expôs o talento dos intérpretes e como foi acertada a escolha de Lícia Manzo para dois atores experientes protagonizarem sua novela. Lígia deixou clara toda a sua mágoa e Miguel, constrangido, não soube explicar a razão para ter tomado a atitude de desaparecer. Apesar da forte briga, a atração quase falou mais alto durante alguns segundos, expondo como um é o ponto fraco do outro. O reencontro provocou mesmo uma explosão de sentimentos. Foi gratificante assistir a este embate, que evidenciou a capacidade dramática de Débora e a entrega de Domingos. Os dois proferiram o primoroso texto da autora com toda a intensidade necessária para a sequência.

O trauma da adolescência do Miguel ---- que se julga responsável pela morte da mãe em virtude de uma acusação injusta ---- não justifica seus atos, mas explica. O medo de se envolver e ferir as pessoas que ama o afasta, apesar de não evitar o sentimento e muito menos o sofrimento. Já Lígia se pune por não ter conseguido encontrar a felicidade ao lado de Vicente (Ângelo Antônio), apesar de considerá-lo uma pessoa incrível, e sente raiva de si mesma por ainda sentir um forte amor pelo homem que a fez sofrer tanto. Todas estas complexidades enriquecem não só os personagens, como todas aquelas relações partidas, que estão diretamente ligadas a eles ---- principalmente Pedro e Júlia, cujo amor é tão intenso e problemático quanto. Lícia vem conseguindo mostrar este conjunto de relacionamentos, que ficou ainda mais dramático e denso após a esperada virada, com maestria.

"Sete Vidas" é a melhor novela no ar e esta volta de Miguel proporcionou várias reviravoltas que deixaram o atrativo enredo ainda mais envolvente. Com a história praticamente na metade, o folhetim das seis tem agradado, alcançado números de audiência maiores que o da antecessora, e mantido todas as qualidades vistas nas primeiras semanas. Tudo parece tão real que o telespectador se sente assistindo a todos os dramas pelo buraco da fechadura, sem medo de alguém chegar e abrir a porta.

46 comentários:

Fernanda disse...

Melhor novela no ar. Lícia está inspirada e estou completamente envolvida com essa história. Adorei esse final o seu texto dizendo que a gente se sente espiando tudo pelo buraco da fechadura de tão real que aquelas relações e conflitos são. Tudo é muito verossímil, poderia ser com a gente. A volta do Miguel fez a maior reviravolta da história e me surpreendi ter sido tão cedo, deve ser mesmo porque a novela só terá 4 meses. A cena do Domingos com a Debora foi maravilhosa e os dois vivem um grande momento. O mesmo vale para Isabelle e Jayme. Como eu adorei ver Ligia Cortez de volta. Há quanto tempo ela não aparecei na tv? Estou encantada com a novela e seu texto está impecável.

Anônimo disse...

Novela linda!

William O. disse...

Assino embaixo. Até gravei o capítulo de sábado do encontro da Ligia com o Miguel no hospital porque não podia perder. A reviravolta deixou a novela ainda melhor e concordo com tudo o que você bem escreveu. O elenco tá muito bem escalado.

Daniele H. disse...

O protagonista da novela é o Miguel, mas o coprotagonista é o texto dessa autora que compreende muito bem a alma humana. Essa virada antes da metade me deixou chocada e ainda mais animada com essa novela que eu não quero que acabe. 4 meses é muito pouco, tem trama de sobra pra ir até fim de agosto. Seu texto ficou muito bom e concordo. Só acho que o Pedro está ficando insuportável com aquelas suas cagações de regras.

Anônimo disse...

Reviravolta e tanto!Mexeu com a vida de todo mundo e deixou a gente ainda mais vidrado diante da tevê!Lícia Manzo no horário nobre JÁ!

Bell disse...

Que doideira né?
Ele sempre esteve por perto tentando controlar tudo, porém acredito que mais reviravoltas vai acontecer. Ele tem características de um homem de coração duro, voltado para seu próprio ego.Ta na cara que ele não é feliz com essa vida dupla que estava levando, e fora que sentimentalmente parece que nunca se entregou para ninguém...
Vamos aguardar

Um lindo dia pra vc =)

Olívia Barcelos disse...

Essa novela é um primor e deixa aquela Babilônia no chinelo. Gilberto Braga é um autor superextimado e quase sempre começa suas novelas sendo rejeitado pelo público e crítica. Algumas vezes reverte a situação outras não. Lícia é uma autora sensível que sabe mostrar as relações sem precisar de festival de maldades ou panfletagem sobre corrupção e homossexualidade. Muito boa sua crítica e depois dessa reviravolta a novela conseguiu ficar ainda mais interessante. Estou viciada!

Luma Rosa disse...

Oi, Sérgio!
Quando leio ""Sete Vidas" é a melhor novela no ar..." fico frustrada por ter optado por não assisti-la.
Beijus,

Italo disse...

Novela simplesmente impecável. Não há nada pra falar mal. Abraço.

Juliana Santos disse...

"Sete vidas" cada dia melhor. Eu fico impressionada com o ritmo dessa novela, sem enrolação. Muitas coisas já foram reveladas, e eu fico tentado imaginar o que será que ainda vem pela frente.
o único defeito, é que ela vai durar pouco tempo.
O Pedro tá insuportável, mas eu compreendo. Ele se apegou demais com o Miguel. E agora tá sofrendo muito por ter sido enganado.
Lícia tem que fazer uma novela pro horário nobre. Ela é maravilhosa!!! Bjssss

Lulu on the sky disse...

Essa novela deveria passar mais tarde viu. Emocionante a cada capítulo.

Big Beijos
Lulu on the Sky

Andressa Mattos M. disse...

Dá gosto de acompanhar essa novela, Sérgio. E pensar que a missão dela era complicada: substituir um fracasso de crítica e audiência. Mas não só conseguiu conquistar a audiência como conseguiu também alavancar o ibope. A novela é muito realista e é isso mesmo: a gente se sente vendo pelo buraco da fechadura e sem medo de alguém abrir a porta e nos flagrar! hehe Seu texto sobre a volta do Miguel ficou perfeito, nada mais a acrescentar. E o beijão dele e da Lígia hoje? Ai ai... Beijos.

Rafaella disse...

Parabéns por mais esse belo texto, Sérgio! Lícia Manzo merece aplausos por ter conseguido escrever uma novela tão deliciosa e real. Amei A Vida da Gente e desde então aguardava outra novela dessa autora. Demorou três anos mas ela voltou. Estou encantada com tudo e a cena do Miguel com a Lígia foi maravilhosa. Foi um acerto de contas e de mágoas que não deixou a gente piscar. A cena do beijo exibida nessa quinta então foi melhor ainda. Casal lindo. A volta dele mexeu com a novela toda realmente e deixou tudo ainda mais interessante. Eu tô amando!

Anônimo disse...

Uma novela boa dessas fica só 4 meses no ar, aquela merda de Boogie Lixoogie teve quase 200 capítulo e essa porcaria de Babilônia vai até setembro. Palhaçada!

Gabriel Fonseca disse...

Essa novela é um primor, quase não tem defeitos é a melhor trama atualmente sem sombra de dúvidas.As únicas coisas que me incomodam é a falta de destaque da Selma Egrey e Fernanda Rodrigues.

Paula disse...

Uma história muito bem amarrada que consegue apresentar vários conflitos sem as armações de vilões.Concordo com o texto e esse retorno do Miguel deixou o que já era bom ótimo.

Lilly Silva disse...

A novela está legal, e acho a trama bem amarradinha!!!
Beijos

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Ed Taborda Assunção disse...

Essa novela é ótima e pena não passar mais tarde pois não é sempre que posso assistir. É uma novela com personagens complexos que não precisam ser taxados de mocinhos ou vilões, são personagens extremamente humanos, qualquer um de nós poderia estar ali. Essa volta do Miguel deixou tudo melhor. Só que o Pedro tá ficando mala por que o Miguel não tem obrigação nenhuma de ter laço com ele por que ele foi um doador anônimo. Mesmo assim a gente consegue entender o sofrimento do personagem.
Abraços

Vera Lúcia disse...


Oi Sérgio,

É uma pena que não consigo seguir esta novela, limitando-me a ver algumas passagens ou capítulos. É uma novela que eu seguiria se tivesse oportunidade, pois o enredo da história é muito envolvente. Adorei ler suas ótimas considerações e me atualizar sobre os caminhos da trama.

Abraço.

MARILENE disse...

Sergio, a novela é muito boa. Mesmo vendo apenas algumas partes, dá para acompanhá-la. Gosto da trama, da interpretação dos atores, da leveza. Bjs.

Filha do Rei disse...

Ontem assistia ao Altas Horas e a Isabelle Drummond disse que não era muito de acompanhar as novelas em que ela estava,mas que está ela tem assistido porque é linda.
Pois é, roubo as palavras da Isabelle: a novela é linda! Como não assisti-la? :)

Kauê disse...

Você achou a definição perfeita para "Sete Vidas" é como se estivéssemos mesmo acompanhando tudo pelo buraquinho da fechadura de tão "proxima", humana e realista que é. A volta de Miguel promoveu mais uma reviravolta na trama e dessa vez afetou todos a sua volta e à ele mesmo. Incrível como a inserção desse novo filho (Felipe) veio no momento certo e mais uma leva de acontecimentos tomou conta da trama. Lícia tem conseguindo com maestria expor todo o drama que envolve os personagens de uma forma sensacional através de seu riquíssimo texto, nenhum detalhe passa em branco. Pedro depois dessa reviravolta ficou insuportável mas até chega a ser compreensível diante do choque inicial e Jayme Matarazzo esta mt bem. E no capítulo dessa segunda, Esther (maravilhosa Regina Duarte) em conversa com Isabel definiu mt bem a personalidade de Miguel que até a própria terapeuta passou a enxergar o homem solitário de um outro ângulo. Domingos Montagner esta mt bem e merece elogios pela composição desse personagem dificílimo assim como Deborah Bloch foi a escolha certeira para Lígia e Isabelle Drummond sempre que aparece emociona.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Fernanda. E Ligia estava afastada há tempos mesmo, ela, aliás, faz pouca televisão, é mais do teatro. Sua última novela, se não me engano, foi Sete Pecados em 2007. E é mesmo uma sensação de ver td pelo buraco da fechadura. Que novela linda. bjssss

Sérgio Santos disse...

Fato, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Tinha que ser gravado mesmo, William. Foi bom demais.

Sérgio Santos disse...

A Licia sabe desvendar a alma humana com maestria, Daniele. E Pedro tá insuportável mesmo, tá enfiando os pés pelas mãos.

Sérgio Santos disse...

Concordo, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Perfeito, Bell. É isso msm. bj

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Olivia. Eu tb estou viciado. Babilonia alterna altos e baixos.

Sérgio Santos disse...

É a melhor mesmo, Luma. bjsss

Sérgio Santos disse...

Não há mesmo, Italo. abçs

Sérgio Santos disse...

Perfeito, Juliana. Pedro é humano e tá tentando acertar errando absurdamente. Mas tá insuportável msm, não tem jeito. E pena que durará pouco a novela. Bjsss

Sérgio Santos disse...

Emocionante msm, Lulu. bj

Sérgio Santos disse...

Domingos e Debora têm mta química, Andressa. E a novela conseguiu aumentar a audiência do fracasso anterior que foi mt ruim mesmo. A trama está deliciosa. bjs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Rafaella. E eu tb tô amando. A Vida da Gente foi impecável e essa tb está sendo. Um primor. Dá gosto de acompanhar essa envolvente história. Ligia e Miguel se amam muito. bjs

Sérgio Santos disse...

Entendo sua revolta, anonimo. rs

Sérgio Santos disse...

Gabriel, concordo com vc, a Selma tem aparecido pouco mesmo. Mas acho que a Fernanda está com um bom papel e faz boa dobradinha com a Walderez de Barros.

Sérgio Santos disse...

Perfeito, Paula. bjs

Sérgio Santos disse...

É toda entrelaçada, Lilly. bj

Sérgio Santos disse...

Ed, são todos mt humanos msm e qualquer um de nós poderia estar ali. Pedro tá um saco, mas não dá pra julgar tb, nas novelas da Licia a gente sempre se coloca no lugar. abçs

Sérgio Santos disse...

Vera, é uma novela lindíssima. bj

Sérgio Santos disse...

Que bom que vc consegue dar uma acompanhada, Marilene. Vale a pena. bjs

Sérgio Santos disse...

Eu tb vi, Cléu. A Isabelle está amando a Júlia e é seu melhor papel da carreira. E a novela é viciante mesmo. bjs

Sérgio Santos disse...

Kauê, obrigado. E a gente se sente espiando aquelas vidas todas. Assino embaixo de todo o seu comentário. abçs

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sete Vidas é emocionante e Domingos Montagner e Débora Bloch estão excelentes.

Sérgio Santos disse...

Concordo plenamente, Elvira.