segunda-feira, 13 de abril de 2015

O show de Beatriz Segall e a ótima estreia de "Os Experientes"

A velhice não é o fim da vida, mas uma parte dela. E, assim como a juventude, merece ser valorizada. A idade não mostra somente os sinais da passagem do tempo, ela também expõe a experiência e toda a vivência da pessoa. Portanto, nada melhor do que criar uma série para contar algumas histórias onde os personagens mais velhos são os protagonistas. Tendo esta proposta como base, Fernando Meirelles e seu filho, Quico Meirelles, criaram "Os Experientes, que estreou na segunda sexta-feira de abril (10/04).


A série é fruto de mais uma parceria bem-sucedida da Globo com a O2 Filmes e roteirizada por Antônio Prata e Márcio Alemão Delgado. Foi produzida entre novembro e dezembro de 2013, sendo finalizada no início de 2014, mas só foi ao ar em abril de 2015. A justificativa da Globo era a falta de espaço na grade, porém, depois do primeiro episódio primoroso, fica difícil compreender a razão desta demora em estrear o produto. Porque o capricho da produção ficou evidente logo nos primeiros minutos de exibição.

Serão apenas quatro episódios dissociados e todos debatem sobre o envelhecer, destacando como a sociedade se comporta diante dos mais idosos. Os atores veteranos são as grandes estrelas. A estreia foi protagonizada pela talentosa Beatriz Segall, que viveu a perspicaz Yolanda, uma senhorinha sequestrada dentro de um banco durante um assalto.
Ela ficou presa no lugar sob a mira de uma arma e acabou se aproximando do assaltante, o inseguro Kléber (João Cortês em um grande momento), que se meteu neste crime por pura inconsequência. Todo este enredo foi conduzido com maestria e foi recheado de momentos tensos, cômicos e dramáticos.

Com o título de 'O Assalto', o episódio conseguiu mostrar como os idosos são desrespeitados pela sociedade, ao mesmo tempo que fugiu de qualquer tipo de pieguice ou merchandising social. O intuito foi apenas expor a inteligência emocional de uma senhorinha aparentemente indefesa, enquanto exibia o pânico de um assaltante, que não tinha consciência do que estava fazendo, e o desprezo da polícia e da imprensa para com esta velhinha que de boba não tinha nada.

Foi um privilégio ver Beatriz Segall de volta na pele de uma personagem tão interessante ---- sua última aparição havia sido na elogiada "Lado a Lado" (2012), vivendo a Madame Besançon. Yolanda era uma médica e ficou bem mais calma que o bandido durante o assalto. Ela, inclusive, fez uma pequena cirurgia nele, dentro do próprio banco, para salvar sua vida. E a virada na trama ocorreu quando aquela aparentemente inofensiva senhora diz para Kléber que já tinha sido presa anos atrás por ter assaltando um banco com seu marido, que foi assassinado pela polícia na sua frente (o choque ainda a fez perder o filho que ela nem sabia que estava esperando).

Beatriz, como nem poderia deixar de ser, honrou o protagonismo, e fez uma ótima parceria com o novato João Cortês, mais conhecido pelos seus trabalhos nos comerciais de celular. Ele, aliás, já havia mostrado um bom trabalho na maravilhosa série "3 Teresas", do GNT. Os dois fizeram uma boa dobradinha cênica e foi muito bacana ver diferentes gerações de atores lado a lado, do início ao fim do episódio, e totalmente entregues.

É preciso ainda aplaudir a cena final, com Yolanda indo embora chorando, praticamente invisível na multidão, e caminhando sozinha, tendo sua bengala como única companhia. A sensibilidade da sequência foi imensa. Beatriz Segall brilhou absoluta e chega a ser inadmissível que uma atriz deste nível esteja há tanto tempo longe da televisão, sem um bom papel em alguma novela ou série. A própria já reclamou publicamente da falta de bons perfis para atores da sua idade e tem total razão, uma vez que são poucos os autores que valorizam os veteranos ---- Walcyr Carrasco, Lícia Manzo e Silvio de Abreu, por exemplo, são algumas exceções.

A estreia de "Os Experientes" foi merecedora de todos os elogios e a escolha deste episódio impecável para iniciar a curta temporada se mostrou mais do que acertada. Fernando Meirelles (que dirigiu recentemente a excelente microssérie "Felizes para sempre?") e seu filho, Quico Meirelles (idealizador do projeto), conseguiram produzir algo diferente, de boa qualidade, e que valoriza os grandes atores. Resta torcer para que os outros episódios sejam tão primorosos quanto este primeiro.

30 comentários:

Andressa Mattos M. disse...

Sérgio, Sete Vidas que é uma novela maravilhosa terá só quatro meses e essa série que estreou muito bem só terá quatro capítulos? A Globo tem alguma coisa contra produções primorosas? Eu adorei a estreia e nem apostava muito pra ser bem sincera. Beatriz me emocionou e adorei esse menino. Que grata surpresa! Torcendo também para os 3 episódios restantes serem tão bons quanto esse. Beijo.

Flávia disse...

Oi Serginho! Voltei! Tava sumidinha! Adorei essa estreia e não dá pra entender mesmo esse sumiço da Beatriz Segall. Essa personagem dela até me lembrou a Dona Picucha! Achei a estreia deliciosa! Bjkkkkkk

Anônimo disse...

Os autores não valorizam mais os velhos, os jogam pra escanteio. Vc tem razão quando diz que Walcyr e Silvio são exceções, já essa Licia eu não conheço. Por isso mesmo a série merece valor porque deu um papel à altura de Beatriz Segall, nossa eterna Odete Roitman.

Tainá disse...

Uma série boa como essa e a Globo coloca pra depois do Globo Repórter, começando quase meia noite de uma sexta-feira. Parece brincadeira!

Italo disse...

Beatriz Segall é um patrimônio das artes cênicas e não recebe o valor que merece. Dizem que ela é uma pessoa difícil, então talvez isso influencie também. Adorei essa série e verei os outros episódios, mas acho que esse será o melhor. Como está no texto, foi cômico, tenso e dramático ao mesmo tempo. Abraço.

Bruna disse...

Adorei esse episódio e nem apostava nessa série porque achei a chamada meio ruim, mas me surpreendi. E vc falou da Beatriz Segall, mas onde está Glória Menezes, Tarcísio Meira, Lima Duarte, Eva Wilma e tantos outros grandes nomes da nossa tv? Os autores parece que se esqueceram que eles existem. Preferem essas Brunas Marquezines da vida.

Anônimo disse...

Uma série de qualidade e Fernando Meirelles é um profissional de alto nível. Não é coincidência Felizes para sempre e Os Experientes serem produções dirigidas por ele.

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Olá amigo, que pena, não vi, mas acchei bem bacana nas chamadas a união dos dois em um trabalho, ela tão experiente, consagrada retornando as telinhas e ele tão jovem e já mostrando a que veio através de uma campanha de celular, eu sabia que ele logo estaria entrando em nossas casas em outros personagens globais, muito bacana! Abraços

Karina disse...

Oi Sérgio!
João foi uma grata surpresa eu não esperava que ele tivesse tanto talento logo deve estar em alguma novela ou malhação (espero que em uma boa temporada). Quanto a sempre gênia Beatriz faz muita falta mesmo mas vi uma vez uma entrevista que ela dizia que tava muito cansada pra encarar novamente uma novela inteira não tinha mais idade, o que achei uma pena mas uma participação seria sempre bem vinda. É só torcer para chamarem ela de volta!

Elaine disse...

Eu fiquei encantada! E foi feita em 2013/2014?????? A Globo é a única emissora que pode se dar ao luxo de não colocar coisa no ar por falta de espaço. As outras usariam até para tapar buraco. Eu concordo muito com seu texto e deu uma saudade da Bia Segall...

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, também gostei da estreia de Os Experientes: trama, direção e atuações de Beatriz Segall e João Cortês.

Anônimo disse...

MARAVILHOSA ATRIZ E SÉRIE DE QUALIDADE REALMENTE. MAS ESSE MENINO NÃO ME CONVENCEU.

Arthur Silva disse...

Os autores precisam valorizar quem escreveu história na tv! Não vi a estreia, mas verei pq amo Beatriz.

Vinícius disse...

Beatriz Segall merecia mais que só uma participação em Lado a Lado e até hoje lamento ela não ter ficado até o final. E essa série é bem construída. Adorei a estreia mas não sei se o segundo episódio manterá as qualidades porque não gostei muito da chamada daqueles sambistas. Vamos aguardar, não é.

MARILENE disse...

Sergio, as chamadas já mostravam que valeria a pena ver "Os Experientes", mas deixei passar (rss). Você está certíssimo, Beatriz Segall é uma grande atriz e as emissoras não têm valorizado veteranos como ela, que merecem nossos aplausos. Bjs.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Andressa, que ironia, né? Só 4 episódios, mt pouco. E essa estreia foi com o pé direito. Beatriz maravilhosa, João idem e trama boa demais! Que os outros sejam assim tb!E Sete Vidas está impecável.

Sérgio Santos disse...

Oi Flávia. Tava sumidinha msm, hein. Boa comparação, ela lembrou a Picucha msm. Aliás, saudades. bjsssss

Sérgio Santos disse...

A Licia é uma autora maravilhosa, anonimo. Está com Sete Vidas no ar e vc deveria conhecê-la. Walcyr e Silvio são exceções msm na valorização dos veteranos, não por acaso estão na minha lista de autores preferidos.

Sérgio Santos disse...

O horário é ingrato msm, Tainá.

Sérgio Santos disse...

Italo, esse da estreia foi primoroso msm e acho difícil outro superar, mas podemos nos surpreender. E dizem isso msm da Beatriz, mas ainda assim é um absurdo não escalá-la. abçssss

Sérgio Santos disse...

É verdade, Bruna. Mas algumas boas notícias: Glória Menezes estará na novela das sete da Rosane Svartman e do Paulo Halm que estreia em novembro. Eva Wilma está em Verdades Secretas, novela das 23h que estreia em junho. Lima Duarte fará uma pequena participação (infelizmente) em I Love Paraisópolis, próxima das sete e Tarcísio tá sumido msm.

Sérgio Santos disse...

Concordo, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Kellen, se puder assistir eu te aconselho. Vale a pena! bjs

Sérgio Santos disse...

Karina, eu já tinha visto o bom trabalho do Joao em 3 Teresas, então não me surpreendi, mas ele é mt bom. Em Malhação funcionaria msm. Olha, eu não li essa entrevista, mas li outra dela dizendo que os autores não tinham mais personagem pra gente da idade dela. Enfim.. bjssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Elaine. Pois é, demorou pra ir ao ar, né? bjs

Sérgio Santos disse...

Foi bom demais, Elvira!

Sérgio Santos disse...

Ok, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Arthur, tente ver!

Sérgio Santos disse...

Sim, vamos aguardar, Vinícius. E tb torci na época pra personagem da Beatriz não sair de Lado a Lado. Era ótima!

Sérgio Santos disse...

Que pena, Marilene, foi mt boa. =) Bjão!