sábado, 31 de maio de 2014

Reality marca o verdadeiro início da história de "Geração Brasil"

A estreia de "Geração Brasil" foi promissora e até agora a novela de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira tem seguido um caminho interessante. Os capítulos começaram exibindo para o telespectador tudo o que aconteceu antes do concurso 'Geração Brasil'. Ou seja, os autores resolveram apresentar o prólogo da história 'voltando ao passado', aproveitando uma característica cada vez mais comum em produções da Globo. E a novela iniciou de fato quando Jonas Marra (Murilo Benício) anunciou os selecionados para o reality que escolherá seu sucessor na Marra Brasil.


A seleção foi feita justamente através de um desafio, onde os hackers teriam que quebrar um sistema de segurança e invadir o site do empresário, provando que entendem tudo de computação e tecnologia. Os dez primeiros que conseguiram foram selecionados para um reality show, onde terão que passar por provas, até restar um, que será o vencedor, assumindo uma posição de destaque na empresa. Toda esta situação serviu para centralizar o tema da novela e ainda inserir Davi (Humberto Carrão) no núcleo principal, provocando um encontro com o poderoso Jonas, além de causar uma aproximação com seus dois pares românticos: Manu (Chandelly Braz) e Megan (Isabelle Drummond). 

Os autores acertaram na condução da trama e ainda usaram com criatividade o artifício do reality dentro da teledramaturgia. Vale lembrar que "Sangue Bom" fez isso no último capítulo com a entrada da Tina (Ingrid Guimarães) no hilário "AQCP - A Que Ponto Chegamos", e "Amor à Vida" mesclou com competência ficção e realidade com a presença de Valdirene (Tatá Werneck) no "Big Brother Brasil 14".
Agora, em "Geração Brasil", um reality fictício foi usado como ponto de partida para o início dos conflitos da novela e também para movimentar todos os núcleos ao mesmo tempo, uma vez que cada família da história teve um integrante inscrito e selecionado.

No capítulo da última quarta-feira (28/05), a novela voltou ao seu início. Encerrou seu prólogo, iniciando uma nova fase na história, que agora está sendo contada no tempo presente e não mais no passado. Filipe Miguez e Izabel de Oliveira transformaram o reality show no grande protagonista temporário e o intuito é focar a trama em uma só situação para que o telespectador não se perca durante o período que o folhetim ficará fora do ar ---- "Geração Brasil" deixará de ser exibida por 8 dias por causa da transmissão dos jogos da Copa do Mundo. Apesar de ter sido uma ideia arriscada ---- afinal, apostar em um reality para levar a história, ainda que por um tempo limitado, pode prejudicar seu conjunto ----, os autores foram ousados e criativos.

E as situações vividas pelos 'nerds' no confinamento estão interessantes. Realmente, parece um reality show e quem acompanha "BBB" identifica várias semelhanças, incluindo as provas e desafios. Além dos conflitos vividos pelos jovens aspirantes, também está sendo possível acompanhar a genialidade de Jonas Marra e a ótima atuação de Murilo Benício, que tem feito uma dupla muito boa com Cláudia Abreu (Pâmela Parker, esposa do todo poderoso). Humberto Carrão, Chandelly Braz e Isabelle Drummond formam um promissor triângulo, enquanto que Felipe Abib (Ernesto), Miguel Roncato (Danilo) e Thiago de los Reyes (Zac Vírus) compõem um interessante time que ajuda a movimentar o reality.

Além dos atores citados, é preciso elogiar também os que não fazem parte desta trama, mas que estão muito bem na novela. Caso de Taís Araújo (Verônica), Leandro Hassum (Barata), Renata Sorrah (Gláucia Beatriz), Titina Medeiros (Marisa), Luiz Miranda (Dorothy Benson) ---- que infelizmente perdeu muito destaque ----, Gisele Fóes (Rita), Rodrigo Pandolfo (Shin-Soo) e Aracy Balabanian (Iracema). Todos sempre se destacam quando aparecem e os personagens são ótimos.

Porém, algumas tramas precisam de ajustes e há alguns perfis que cansam com certa facilidade. Brian Benson (Lázaro Ramos), por exemplo, é um personagem cômico que já começa a apresentar sinais de esgotamento e muitas de suas cenas nada acrescentam. Já o núcleo liderado pela grande Aracy Balabanian ---- além dela, há Marcelo Airoldi, Felipe Abib, Mônica Torres e Elisa Pinheiro ---- está deslocado na história e apresenta um enredo pouco atraente. E Megan Lili, embora seja uma personagem divertida, precisa ter uma trama própria mais interessante, pois até agora é apenas uma patricinha fútil e mimada ---- nada contra, mas se não surgir um drama bom, o papel ficará repetitivo. E claro que a novela ainda está no início e há muito o que ser apresentado ao público, portanto é difícil prever como tudo se desenvolverá ao longo dos meses.

E o reality show que está no centro das atenções, embora tenha sido uma criativa ideia dos autores, corre o risco de afastar parte do público mais tradicional, uma vez que algumas situações vividas pelos participantes são um pouco bobas demais e com o tempo podem cansar. A passividade dos demais núcleos ---- quase sempre todos os personagens ficam apenas assistindo ao programa onde estão inscritos seus familiares, sem haver qualquer tipo de conflito ou desenvolvimento ---- também pode ser um fator prejudicial. Entretanto, o saldo geral por enquanto é positivo, ainda que a audiência esteja muito baixa.

Até o momento, "Geração Brasil" tem se mostrado uma novela divertida e agradável de se acompanhar. Ainda está longe de ser classificada como uma trama excelente, mas os autores Filipe Miguez e Izabel de Oliveira criaram uma boa novela das sete. Se a história evoluirá, superando as expectativas, ou retrocederá, decepcionando após um bom começo, não há como adivinhar. E tecnologia não é um tema muito fácil de ser abordado na teledramaturgia ---- a fracassada "Tempos Modernos" está aí para provar. Entretanto, a nova fase da novela, iniciada recentemente, agradou e conseguiu despertar interesse para os próximos capítulos. 

75 comentários:

Thallys Bruno Almeida disse...

Acredito que a audiência esteja baixa porque o tema tecnologia é um assunto meio difícil de lidar em um formato de maior alcance como uma novela - vide o fracasso de Tempos Modernos que ainda contou com uma péssima abordagem do tema. E os autores de Geração Brasil merecem é elogios pelo fato de tentarem sair da zona de conforto.

O que eu queria mesmo era que cancelassem Em Família e exibissem Geração no lugar, o que talvez não prejudicaria tanto, mas vai saber...

Sobre o Lázaro Ramos, acho o personagem chato (assim como o núcleo à sua volta), mas a caricatura é visivelmente proposital e, dito isso, considero que ele está muito bem. Caso alguém não goste, ok, pode-se criticar a atuação dele por qualquer razão, porém, dizer que ele está se repetindo, aí seria uma argumentação que pra mim não procede. Não sei porque a Bel Wilker entrou nesse núcleo e torço para que remanejem o Luís Miranda (melhor atuação daquele núcleo) de volta pro Brasil pra retomar a parceria com a Cláudia Abreu.

A Taís Araújo depois de Cheias de Charme veio numa crescente maravilhosa que apagou por completo aquela Helena desgraçada. Ainda conseguiu se salvar na furada do Dentista Mascarado e agora tá muito bem de novo vivendo uma jornalista analfabyte. A sintonia entre ela e o Benício é muito boa, mas tem um problema: ele funciona com a Cláudia Abreu tb. E aí fica a dúvida, dois pares bons, como que faz?

A Isabelle eu tô adorando, porque ela conseguiu dar o tom exato de uma típica garota-problema que adora causar escândalos midiáticos e mesmo assim deixá-la uma personagem divertida. Chandelly tá mt bem, Carrão idem. O Hassum prova que se sai bem quando pega um bom roteiro (como Até Que a Sorte Nos Separe 2) ou quando faz de improviso (como num stand-up dele que vi no Jô).

Os trejeitos chineses do Shin Soo me cansavam um pouco, mas gostei de ele ter ganho uma função ao ser aproximado da personagem da Elisa Pinheiro. E o Pandolfo tá conseguindo se sair bem. O Jonas, então, é um personagem fascinante, um presentão pro Murilo Benício.

Eu só sei que estou adorando a trama. Não tem ainda o mesmo impacto de uma Cheias de Charme ou Geração Brasil, mas os autores parecem dispostos a turbinar a trama depois da copa, como eles foram perguntados. Respeito quem não curtiu muito, mas apresentando bons argumentos para não ter gostado. E digo duas coisas:

1. Pra aqueles que torcem o nariz logo de cara com aquela postura "não vi e não gostei", azar de quem tá perdendo.

2. Qual era a novela antecessora mesmo?

Anônimo disse...

Me empolguei com essa novela mas me decepcionei logo depois. Um bando de conflito besta e personagens exagerados. Desisti.

Anônimo disse...

Preferia Além do Horizonte! E tenho dito!

Barbie Californiana disse...

Nem tive tempo de ver ainda. rs beijinhos

F Silva disse...

Algo a comentar...

Sérgio, a temática da novela é realmente interessante e moderna, entretanto, em termos de folhetim, ela é fraquíssima.
O que eu percebo Sérgio, é que os autores e diretores da Globo está tendo dificuldades de associar temas modernos a um bom folhetim em suas mais recentes novelas.

Até agora eu não consegui identificar qual a história de amor central dessa Geração Brasil. Isso porque, um dos elementos que geram sucesso nas novelas, eu disse "um dos", é uma vibrante e interessante história de amor, que cative, que tenha carisma e gere empatia... o que aliás, está faltando nas três novelas em exibição.

Eu estava lendo recentemente uma dica interessante de duas mestras da teledramaturgia: Janete Clair e Ivani Ribeiro, e as duas foram bastante enfáticas ao frisar que a força motriz de uma telenovela é o romance, uma grande história de amor. Para agregar mais ao folhetim entram a comédia, o suspense, a ação, os temas sociais etc...

O romance deixa de ser o tema central quando se trata de uma minissérie, de um filme, ou seja, outros formatos de dramaturgia com poucos capítulos. Tu te lembras do caso de Além do Horizonte? Uma novela com uma pegada de mistério interessante, só que no formato e horário errados.

Vamos torcer para que esses jovens autores tomem como exemplo "as dicas" dos mestres da teledramaturgia, pois novela é pra atingir todos os públicos, desde a eterna dona de casa, que adora um bom drama de amor, até o jovem antenado nos assuntos mais modernos, do contrário, os números estão aí pra confirmar...

Um grande abraço...

Anônimo disse...

Em termos de audiência, até agora, a novela é um fracasso, mantendo os mesmos índices de trama anterior, ou seja, na casa dos 20 pontos de média, o esperado pela cúpula da Globo é de 25 pontos, já que chegar a meta dos 30, na conjuntura atual, é praticamente impossível.

A novela é muito bem produzida, aliás, quase todas as novelas globais são bem produzidas, porém concordo com o comentário do F Silva, os temas modernos devem se adequar a um bom folhetim para não afugentar o velho público das novelas, já que os jovens de hoje ficam quase que 24 horas por dia conectados na internet.
Eu acho que a novela está deixando, aos poucos, de ser o programa de tv predileto do brasileiro, e não acho que seja pelas histórias que apresentam, deve ser porque já estamos dentro de uma outra realidade.
Se isso for verdade, 20 pontos de média, hoje não poderá ser considerada um fracasso.

Alexandre Ribeiro disse...

Que novela patética, kkkkkk, alguém assiste isso???????

Mariana disse...

A novela é bem fraca porque não há trama. Vc bem colocou no texto a questão do reality, mas vamos supor que ele acabasse amanhã. O que teria? Nada. Não tem história, os autores nem desenvolveram um par romântico ainda. É Jonas Marra e resto.

Fora essas talifãs insuportáveis que permeiam as redes sociais e ajudam a piorar o que já está uma porcaria. Ficam desmerecendo o trabalho da Chandelly Braz dizendo que não tem carisma e reclamando do pouco destaque da Isabelle Drummond e exigindo que Megan fique com Davi. Quem aguenta? Concordo com o seu texto quando menciona que Megan precisa de uma trama porque até agora é só uma patricinha fútil e vazia. Mas ela não é a protagonista então não tem que ficar aparecendo toda hora com as fãs querem.

Essas talifãs me lembram as da Fernanda Vasconcelos que tentavam menosprezar a Sophie Charlote em Sangue Bom só pq não admitiam vê-la com Bento. E falando em Bento, esse Davi tem muito dele. Chato igual.

E concordo com vc que a ideia do reality é pra enrolar até o fim da Copa mas esse reality é chato e duvido que consigam prender alguém com isso. Talvez quando resolverem começar a novela mesmo seja tarde demais.

Anônimo disse...

Concordo. Até agora a novela está muito longe de ser chamada de excelente. E nem coloco como boa, classifico como assistível. Também acho que o reality foi criativo mas já tá ficando chato. Imagine mais essa semana toda só sobre isso. Falta trama, como bem disse a Mariana.

Clau disse...

Oi Sérgio :)
Lendo seu maravilhoso post me inteirei sobre o que anda acontecendo em 'Geração Brasil'.
Parece que a trama está interessante.
Para quem gosta de acompanhar novelas, essa é uma que pelo jeito, tem valido a pena.
A trilha sonora é bem diversificada né?!
Desejo uma ótima semana.Bjs!!

Barbarela disse...

Novela maravilhosa, adorando. Manu é melhor mocinha das novelas. O ideal para o personagem da Megan era sumir, chata, futil, mimada, e inutil. Personagem desnecessário que se não existisse na novela nunca seria necessário. Acho que ela é o ponto fraco do Reality até aqui, porque toda vez que entra em cena com seu jeito de falar insuportável e com suas palavras em inglês deixam a cena desagradável. Brian até agora não acrescentou nada também. Ele e Megan podiam sumir juntos pelos EUA.
O triangulo Jonas, pamela e Veronica esta muito bom. Esse sim é um triangulo promissor. Pamela é a uma Megan mais interessante, mais gentil e melhor. Uma Megan já basta. A versão jovem é péssima.
Espero não haver triangulo Manu Davi e Megan, porque uma mulher como a Manu disputar homem com uma caricatura como a Megan não faz sentido. É humilhante para um mulher inteligente ficar disputado com uma Barbie vazia.

Felisberto Junior disse...

Olá,Boa noite,Sérgio
é complicado eu "falar" algo, porque realmente nunca assisti um capítulo, nem da fase anterior, para tecer ao menos um "comparativo".Confesso que nunca tinha nem ouvido falar dos autores, Filipe Miguez e Izabel de Oliveira. Uma pena porque gosto muito do trabalho do Murilo e Cláudia Abreu e queria ver como está inserido a tecnologia ( novamente) na teledramaturgia...
Obrigado pelo carinho, bela semana,abraços!

MARILENE disse...

Sergio, a novela, para o horário, é boa. Murilo Benício está ótimo, assim como Claudia Abreu. No começo, não sabemos se o interesse vai aumentar, mas gosto dela. Quem precisa de um jeitinho é Lázaro Ramos, coitado, com um personagem tão chato. Bjs.

Milene Lima disse...

E será que dá pra render uma novela inteira nesse contexto de reallity?

Espero que sim. Tô curtindo.

Beijo, Sergio.

Pedro Bertoldi disse...

Oi Sérgio. Estou gostando da novela. Concordo com o texto e acho que o reallty é, como vc disse, uma ferramenta pra segurar durante a Copa. Acho arriscado. Sabe porque?
Algumas armações do Zac virus e do Bóris ( apesar de ambos servirem como vilões do realitie e movimentarem o núcleo) seriam inadimissíveis na realidade, ainda mais em um programa filmado. Licença poética, eu sei, mas pode afugentar e ss tornar repetitivo. Ah e sobre os oito dias, temo que seja furada. A novela está boa, looooonge de Cheias de Charme, mas boa. Espero que depois da Copa a trama fique mais delimitada e que agrade, afinal até agora não deu pra destacar uma trama que leve a novela depois do programa. Espero que não fique aquela barriga qie teve depois do fim das Empreguetes em Cheias de Charme. Abraços Sérgio e espero que não tenha ficado chateado pelo meu comentário no outro texto. Continuo te adimirando muito.
Até mais!!!

Patricia Galis disse...

Concordo com o post, o personagem do Lazaro esta meio estranho no começo foi legal mas agora.....e outros atores tem se destacado...por enquanto a novela esta legal.

Melina disse...

Sérgio, querido, lembra que eu disse que não dava muito por essa novela? A cada capítulo exibido eu constato que estava certa. Ainda tenho assistido embora minha paciência esteja se esgotando. A história mesmo parece que só existe no personagem Jonas Marra. Todos os outros parecem avulsos e sem nada que interesse. E é impressionante como até agora não teve um casal formado. Isso que eu chamo de enrolação.

E faço das palavras da Mariana as minhas. Ainda tem essas talifãs da Isabelle que enchem o saco de qualquer um. Aliás, essa acusação injusta em cima da coitada da Chandelly acusando a menina de sem carisma é a mesma que aqueles talifãs da Fernanda Vasconcellos usavam contra a Sophie Charlotte, lembra? Não tem aquele ditado que diz que mãe é tudo igual só muda de endereço? Pois talifã é tudo igual, só muda de ídolo. E adorei você dizer que esse argumento é de quem não tem como contestar o talento de um ator e apela pra isso. É verdade.

Giane e Fabinho tinham química mas Megan e Davi não. Ele claramente não gosta dela e acha uma garota idiota.

E acho Verônica uma Penha com cultura. Até um filho que tem uma especialidade ela tem. Antes era um que sabia dançar e agora é um que sabe mexer em computador. E Pâmela? Continuo vendo um pouco de Chayene nela e até aquela Socorro está na novela também. Os autores não foram nada criativos e resolveram repetir o elenco pra tentar repetir o sucesso daquela novela das empreguetes. Pelo visto não deu certo.

E isso de reality você bem lembrou que não tem nada de novo. A minha querida Sangue Bom já teve e a ótima Amor À Vida também teve. Um beijo.

Anônimo disse...

Essa novela pode ter grandes chances de ter a audiência de Sangue bom. Ou seja, oscilar entre 25 e 28 pontos. O estrago de Além do Horizonte foi tão grande que duvido que Geração Brasil alcance 30 pontos.

Thallys Bruno Almeida disse...

Melina, desculpa te dizer, mas a recíproca era verdadeira tbm. Tinha da Fernanda atacando a Sophie? Tinha. Mas o contrário era verdadeiro tb: o que tinha de fã da Sophie atacando a Fernanda e até mesmo a Isabelle era gritante tb. Nessa atual eu tô fora porque amo a Chandelly e a Isabelle, mas não adianta vitimizar talifãs da Sophie porque eles existiam tb. Mas aparentemente parece que é proibido criticar a dona Sophie por aqui...

Sérgio, só uma coisinha que eu adiciono: eu contei os elencos de Cheias de Charme e Geração Brasil. E posso dizer com tranquilidade que não é essa repetição exagerada que você falava. De uns 80 atores, acho que uns 20 (mesmo que a maioria seja principal) é que são da anterior. O resto é elenco diferente. Então, não tem sentido dizer que é panelinha exagerada.

E, desculpa quem discorda, mas não dá não pra enxergar semelhanças de Cheias de Charme nessa nova novela. Há diferenças visíveis. Mas aparentemente sempre há quem não queira enxergar, mas elogia as mesmas coisas quando outro autor faz - incoerência na cara dura, sabe. Mentalidade fechada, que não reconhece nada de bom, só sabe esculachar.

Melina disse...

É só falar de talifã da Fernanda Vasconcellos que você veste a carapuça, né, Thallys? Mas eu não vou discutir com você. Acho que todos aqui já viram o quanto você é infantil e não aceita ser contrariado. Não é por acaso que você já discutiu com tanta gente aqui e ainda enche o saco do Sérgio repetindo a mesma coisa várias vezes que nem um vitrola quebrada. E você já ficou taxado como o garoto que só fala mal de Amor à Vida e da Sophie Charlotte e lendo esse seu comentário é fácil constatar o porquê. Acho que teve até um comentarista que infelizmente não lembro o nome agora que te identificou dessa forma.

E o seu argumento pra criticar a Sophie era o mesmo desses talifãs doentes. Ela não tem carisma. Me poupe! Cresça e melhore as argumentações antes de tentar impor sua opinião. Sim, porque é isso que você faz aqui IMPÕE sua opinião pros outros.

O elenco não é tão repetido? Ora, faz me rir. É todo igual e você fez questão de contar todos só pra vir contestar o Sérgio? Seu caso é grave, menino.

E só para lembrar, não estava falando com você estava falando com o Sérgio.

Thallys Bruno Almeida disse...

Ah, Melina, esqueci, você desqualifica tudo que não seja de Walcyr Carrasco. Então não me surpreende.

Claro que eu contesto. Incoerências eu contesto e vou contestar sempre. Enfim, faz-me rir.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Geração Brasil está cada vez melhor. Divertida, interessante, com bom elenco, ritmo ágil. Pena que a audiência não corresponda, mas tudo ainda pode mudar, especialmente ao formar pares amorosos. O assunto "tecnologia" não é de agrado geral, mas os autores sabem conduzir sua trama.

Mariana disse...

Melina, obrigado por reforçar meu comentário. Eu também concordo com o seu muito bem colocado. Eu adoro o Sérgio e admiro a paciência que ele tem de lidar com alguns babacas que vem aqui encher o saco dele. Eu nem comento tanto quanto você porque eu não tenho paciência pra essa gente e admiro o Sérgio por ter. Bj.

Flávia disse...

Tô achando tudo mt chato, acabei sendo conquistada mesmo por aquela Pedacinho do Chão que não dava nada. Tenho visto essa novela, mas a Geração Internet eu tenho achado um tédio e esse reality uma bobagem. Bjkkk

Melina disse...

Eu desqualifico tudo que não é do Walcyr? Nossa, menino, essa sua fixação por esse autor é preocupante. Vá se internar que você é doente. O que vc sabe sobre meus gostos pra poder falar? Quem é você? Sangue Bom, uma novela que eu amei ano passado, foi escrita pelo Walcyr? E você tá dizendo que o Sérgio é incoerente? Incoerente é você que acha que tem moral pra chamar alguém de talifã. Justamente você que é um talifã nato e chato pra burro. E pare de ficar copiando a forma dos outros escreverem. Tenha uma identidade! Eu coloco "faz me rir" e depois vc coloca "faz me rir" também? Parece criança. Mas como eu disse, por mais que você queira não perderei meu tempo com você. Até porque já perdi tempo demais.

Melina disse...

Mariana, também admiro a paciência do Sérgio. Um beijo pra você.

A Viajante disse...

Sérgio, eu estou me divertindo muito!! Adorando a leveza da novela e o clima de romance com Murilo Benício e Taís Araujo.

Tomara que a novela continue nesse clima! Beijo, querido!

Sérgio Santos disse...

Thallys, a audiência está baixa provavelmente porque até agora não aconteceu nada de relevante, mas o excesso de tecnologia e o foco no reality podem ter contribuído.

Acho o Brian um personagem irritante e o Lázaro exagerado. Aliás, o papel lembra o Foguinho como eu cheguei a especular no começo. Só que um Foguinho inteligente. A caricatura é proposital mesmo e pro Lázaro isso foi ótimo pq ele exagera sempre.

Tem muito personagem bom, mas tb tem mta gente sem função e descartável. O Shin-Soo nunca me irritou e o fato dele ter tido uma trama interessante ajudou bastante o personagem.

Acho a novela até agora agradável, mas nada de incrível. Se vai piorar ou melhorar, só o tempo vai dizer.

Sérgio Santos disse...

Entendo, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, desci a lenha em Além do Horizonte, mas a reta final foi incrível e a trama melhorou da metade pro final. Sinto falta principalmente de Marlon e Lili e do Calloni.

Sérgio Santos disse...

F Silva, concordo plenamente com seu comentário. Tb não vejo história na novela, apenas uns pontos soltos. E talvez seja o maior erro, até porque até agora ela só está focada no Jonas e na competição pela sua sucessão. Até agora o que deveria ser o casal central não trocou um beijo e mal se falou direito.

É verdade, os meses iniciais de ADH foram bem parecidos nesse sentido. Eu ainda não toco nesses pontos pq deixaram claro que a novela só vai começar mesmo depois da Copa, então ainda estou na espera, embora tenha feito questão de escrever esse texto, colocando que o enredo central finalmente passou para o tempo presente, mas apontando tb os erros da novela até então. Abçs

Sérgio Santos disse...

Ok, Barbie. bj

Sérgio Santos disse...

Anônimo, concordo, os números estão iguais aos de ADH, então tb é considerada um fracasso. E tb imaginei que chegar aos 30 não conseguiria pq a fase das novelas da Globo está crítica. Mas nem acho que seja por causa disso de internet, embora contribua claro. Acho que houve rejeição mesmo.

Sérgio Santos disse...

Mariana, é verdade, caso o reaity acabasse não teria trama. Mas por isso mesmo que enfatizei que o reality marcou o verdadeiro início da novela, pq antes nem dava pra considerar início. Era apenas um prólogo. Mas é preciso mesmo que dramas surjam e as coisas comecem a se desenvolver por igual.

Tb tenho visto essa situação Isabelle X Chandelly e me canso pq pra tudo querem criar disputas. Desnecessário pq as duas são talentosas. E eu me enchi desse papo de sem carisma. Comecei a perceber que essa argumentação é dos que não tem argumento pra contestar o talento de um intérprete. Vieram falar pra mim que Chandelly tinha talento mas não adiantava pq não era carismática. Nossa, que preguiça.

E nem me lembre desses talifãs, pq eu já me enchi tanto com aquela novela que já deu desse assunto. Amei Sangue Bom com todas as forças, mas que esse tipo de coisa me aborreceu várias vezes é fato. Sou paciente, mas às vezes não dá. Cansa.

Sim, Megan não é protagonista e nem acho que ela apareça tão pouco. A Balabanian e a Renata Sorrah, por ex, aparecem bem menos. Mas ela não é protagonista, então é natural que apareça menos. Só que Megan precisa de um drama pq só ficar correndo atrás do Davi vai cansar uma hora. E Isabelle não merece.

Vamos ver se qd começarem a novela não será tarde demais. Mas por enquanto tenho achado agradável de se acompanhar. Bjsssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anônimo. Hj, por ex, já foi um capítulo bem chato, mas ainda tem mt chão pela frente.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Clau. A trilha é variada mesmo. bjs

Sérgio Santos disse...

Barbarela, eu tb adoro a Manu e a mocinha foge da chatice mesmo. Mas eu tb gosto da Megan, msm ela sendo chata, fútil e mimada. Acho ótimo pra Isabelle mostrar versatilidade. Tb acho o triãngulo Verônica/Pamela/Jonas promissor e quando todos os pares combinam é ótimo pq independente do final vc vai gostar. bjs

Sérgio Santos disse...

Sem problema, Felis. abção

Sérgio Santos disse...

Murilo e Cláudia tão ótimos mesmo, Marilene. E eu tb tenho achado a novela bacana. Mas o Brian é um mala msm. bj

Sérgio Santos disse...

Milene, inteira com certeza não. Mas nem será inteira, e sim só na época da Copa lelo que sei. Tava sumida. bj

Sérgio Santos disse...

Pedro, entendo. Realmente, aquelas armações do Zac dentro da casa foram inverossímeis pq tudo era filmado. Mas esse tipo de erro ainda não compromete tanto, só não podem abusar.
Tb torço pra essa novela não ter a barriga que Cheias de Charme teve da metade pro final, mas no caso dessa nem dá pra saber pq ela só engrena mesmo depois da Copa.

Sim, agradeço o carinho e não fiquei aborrecido não. abraços.

Sérgio Santos disse...

Ok, Patrícia. bjs.

Sérgio Santos disse...

Lembro sim, Melina. Bem, eu tenho achado agradável embora nada de incrível. Ainda não desisti. Mas entendo seu ponto de vista. Realmente, a trama precisa de mais acontecimentos além do Jonas Marra.

Olha, tem algumas fãs da Isabelle que realmente são uma talifãs insuportáveis, mas tem outra parte que não é não. Do que tenho sentido, vejo uma equiparação. Mas que é quase unânime o ódio pela Manu e o fato de não ver química nela com Davi é fato. Só que algumas, infelizmente, atacam a atriz, o que é triste. Isso de sem carisma já encheu.

Não vejo nada da Penha na Verônica, a nao ser a situação mesmo de ter um filho solteira (já que o Sandro era um ex que vivia encostado). E tb não vejo nada da Chayene na Pâmela, pelo contrário, vejo mtas diferenças. A semelhança msm fica por conta de ambas serem espalhafatosas na vestimenta e nas atitudes Bjss e obrigado pelo carinho.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, não acho que ADH seja a culpada dos péssimos índices dessa. Até pq, Guerra dos Sexos teve um ibope ruim, mas Sangue Bom (embora tenha sido um fracasso tb) aumentou os números logo no começo e manteve. Essa nem isso fez. Mas ainda é cedo pra prever como será o índice da atual.

Carlos disse...

Concordo com tudo o escrito só discordo de um que disse que Davi tá chato igual ao Bento

Sérgio Santos disse...

Thallys, dá pra contar nos dedos quem não participou de Cheias de Charme. Só que eu incluo personagem mesmo, não tô falando daquele amigo do amigo do Davi que só fala um oi por semana. Panelinha todo autor tem e é normal. Como já disse, eu gosto mt da panelinha em vários casos pq há atores ótimos que só são valorizados dessa forma. Mas nesse caso exageraram. Só que eu nem reclamei mais disso pq o elenco repetido é ótimo.

Sérgio Santos disse...

Elvira, não digo cada vez melhor pq ainda tá longe disso, mas tá bacana. Espero que depois da Copa tudo engrene de vez. bjssss

Sérgio Santos disse...

Mariana, obrigado pelo carinho. Vc comenta pouco msm. bj

Sérgio Santos disse...

Ok, Flávia. Meu Pedacinho de Chão tá mt bonita msm. bj

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Ju. bj

Sérgio Santos disse...

Ok, Carlos.

Anônimo disse...

Acabei de acompanhar Geração Brasil pela falta de tempo, e até onde pude ver havia um envolvimento legal na trama, mas não sei como está agora.

Muitas águas ainda vão rolar, e apenas os personagens caricatos, que protagonizam cenas sem chamativos e não tem um enredo interessante não vão ajudar a conduzir esse rio. O importante é ter história pra contar, e se os conflitos tomarem caminhos relevantes e atraentes, isso só o tempo poderá dizer. É esperar pra ver como Geração Brasil vai se sair.

TITO

Raquel disse...

Oi, Sérgio!

Sobre GB, confesso que ao invés da maioria do público que estava contando os dias pra novela começar, eu sempre olhei a novela com muita desconfiança. Talvez porque a novela parecia o típico folhetim, mas sem trazer nada que me interessasse de verdade, talvez pelo grandemente anunciado triângulo entre Manu, Davi e Megan. Quando penso em triângulo assim, a preguiça já bate forte.

E até então, a novela ainda não me pegou. Concordo com os comentários aí em cima que falam que o maior sucesso das novelas sempre vem de um casal que nos faz torcer e querer ver o capítulo seguinte. Talvez uma história bem construída e tramada também ajude. Mas GB não tem nem uma coisa, nem outra.

Jonas Marra é a melhor coisa da novela, mas até ele sem uma história boa, ficará cansativo. Tá certo que a novela só vai começar depois da Copa, mas acho que já passou da hora de algumas coisas forem sendo reveladas pra história andar. Afinal, o que fez o Jonas voltar ao Brasil? O que aconteceu para Jonas se mandar para os EUA? Se continuar fornecendo perguntas demais e respostas de menos, a novela corre o risco de cair no mesmo erro de ADH e cansar logo no início.

Raquel disse...

Ademais, nem a parte romântica agrada. Davi-Manu-Megan está chato pra caramba. Gosto da personagem da Megan, mas concordo com o meio mundo que ela precisa de mais história do que ser uma pobre menina rica e correr atrás de Davi. E Davi tb precisa de mais do que um cara fodã0 da computação que é defendor dos fracos e oprimidos. E Manuela, a mocinha sofrida, podia dar um tempo na avalanche de desgraças que sobrevieram à sua vida; eu achei meio demais.

Finalmente, acho que o quadrado Verônica-Jonas-Pâmela-Herval bobo. Thaís têm química com Murilo, mas a paixonite dos dois parece coisa de malhação; acho que o potencial dela com o Barata do Hassum muito melhor. E o Herval não dá, né gente?! Fura-olho chato dos infernos!

Raquel disse...

Agora, sobre talifanismo, eu tenho que concondar-discordando de você e de outros comentaristas do Blog e defender um pouco o Thallys, já que nem foi ele que entrou no mérito de Manu X Amora.

Comparar a rejeição às duas é no mínimo curioso já que a Manu é uma mocinha na definição mais pura da palavra e a Amora, bem, era a Amora, né?! Talifãs sempre serão talifãs e é muito fácil perceber esse tipo de argumento capenga. Mas dizer que a rejeição à Amora e à interpretação da Sophie foi apenas questão de talifanismo pela Fernanda Vasconcellos, daí já acho generalizar e simplificar demais.

Na minha humilde opinião, faltou sim carisma e competência à Sophie e aos autores para tornar a personagem mais torcível e menos desprezível. Temos como exemplo o Fabinho na mesma novela que acabou arrebanhando torcida quase unânime (mérito exclusivo do Carrão, que fez um trabalho fenomenal) e de Sílvia na novela das 6 (peguei uma mulher pra não dizerem que é machismo) que mesmo tramando altas coisas contra Hans, Amélia, Ernest e maltratando a Pérola, sempre teve a simpatia total do público que exigiu das autoras que não matassem a personagem (o que fizeram com ela depois é outra história).

Não quero dizer que acho a Sophie uma atriz ruim. Acredito que ela é uma atriz muito talentosa e tem tudo pra confirmar todo o seu potencial mais pra frente. Só acho que NESSA novela, faltou um algo a mais. Sim, porque talifanismo por talifanismo, praticamente 100% dos que gostavam da Amora eram fãs da Sophie.

PS.: Não sou fã da FV e não gostei de nenhuma personagem dela antes de SB. Mesmo em AVDG, a Manu sempre teve a minha torcida incondicional.

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Amigo esta disputa que se iniciou me lembrou o filme "Jogos Vorazes" com a diferença que um não precisa matar o outro srsr Abraços

Anônimo disse...

Partindo do princípio da Raquel, todos os que gostaram do Fabinho já eram fãs do Humberto Carrão. Da Nathalia Dill eu nem falo porque ninguém viu aquela novela então nem torcida pra nada tinha.

Anônimo disse...

Concordo com a Raquel que a Sophie apesar de ter atuado bem como Amora não soube dar carisma a personagem e carisma é sim um ponto importante, o Carrão por ex. conquistou muita gente com seu Fabinho mesmo ele sendo desprezível, e falando sobre carisma eu achei que faltou carisma a Chandelly em Saramandaia mais agora com a Manuela ela soube dar um carisma a personagem que é uma mocinha até divertida, já a Isabelle que sempre se destacou mesmo nos menores papeis está meio apagadinha de Megan

Melina disse...

Sophie não foi rejeitada. A prova é que seu nome foi indicado para prêmios de melhor atuação e só não ganhou porque a novela não foi popular e fracassou. Ela recebeu elogios de toda a crítica e Amora foi a personagem mais difícil e complexa daquela novela. Era vilã e mocinha ao mesmo tempo. A própria Maria Adelaide disse que Sophie fez por merecer essa personagem ou seja ela mesma admitiu que Amora era a melhor personagem da novela mesmo dizendo que não torcia por ela.

E eu sinceramente queria saber que pesquisa foi feita pra alegar que Fabinho conquistou "milhões". Que milhões? Os fãs chamados de Humbelles? O fã clube dele? Não tô questionando o talento do menino e o Fabinho foi um ótimo personagem mas encher a boca pra dizer que ele foi aceito e a outra rejeitada é fácil, ainda mais sem comprovação alguma.

O mesmo caso vale pra essa novela ruim de agora com talifã dizendo que Megan e Davi tem uma forte aceitação popular e que Manu e Davi não tem química. De onde tiram isso? Dos talifãs. E até vale mencionar também aquele tal talifãnismo chamado Clarina sobre o casal lésbico amplamente rejeitado de Em Família. Só porque esse grupelho de adolescentes histéricas diz que o casal é lindo isso quer dizer que a maioria aprova? Não mesmo!

E se a Sophie não tem carisma (o que é um absurdo porque ela tem), a Fernanda Vasconcellos e a Isabelle Drummond também estão longe de ter.

Sérgio Santos disse...

É verdade, Tito, resta aguardar. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Raquel! Olha, eu tb não cheguei a me empolgar mt com essa novela. Mas depois que vi o clipe dela, realmente achei que tinha tudo pra ser ótima. Mas é verdade, ela ainda não disse a que veio e tb acho que a desculpa de só começar depois da Copa não pode ser justificada para tudo o que vem sendo enrolado.

Tb acho que a trama ainda não tem uma história de fato. Tanto que ela só começou mesmo com o reality, sendo que tirando ele não tem mais nada ainda. Fica difícil msm.

Megan precisa de trama pq a atual é fraca. Tb acho que o triângulo pode cansar rapidamente. Eu considerava promissor, mas agora nem acho mais pq tenho lido argumentos que me cansam e se continuar assim será dose de aturar.

Eu acho que a Verônica ficará com Barata msm. Até pq creio que Jonas fique com Pãmela ou então ele morra e ela fique com aquele mala do Herval msm. Mas a novela ainda não me conquistou tb.

Sérgio Santos disse...

Agora, Raquel, com relação a isso de talifanismo, realmente Manu e Amora são incomparáveis por razões óbvias. Mas sinceramente, não vi rejeição alguma a Sophie e mt menos a personagem no âmbito geral. A não ser por causa justamente dessa disputa inútil de talifãs que querem fazer competições de quem atua melhor, quem vai ficar com quem etc... Tanto que eu tenho certeza que se ela fosse uma santa, haveria crítica da mesma forma. E aí entra a Manu. Os fãs extremados de Isabelle com Carrão dizem que Manuela é um mongol, que o casal não tem química, etc. Ou seja, se Manu fosse meio vilanesca, as pedras viriam da mesma forma, mas ao invés de chamar de idiota, diriam que era mau-caráter etc etc etc.

Eu achei que a Sophie foi impecável e será difícil ela, tão cedo, ter algum outro papel melhor que esse. Pra mim ela tem carisma de sobra, mas não costumo usar mt isso pra argumentar. Amora era mocinha e vilão ao mesmo tempo, sempre transitando entre esses dois lados a todo instante. Aliás, quem não gostou desse perfil, não aconselho ver Malévola nos cinemas pq a essência da personagem é bem semelhante.

O Fabinho era um ótimo personagem (por isso não acho que seja mérito exclusivo dele), mas inicialmente ele era só vilão e nada ambíguo. As pessoas que amavam o personagem e amavam a atuação do Humberto e tb gostavam da ironia e arrogância do personagem. Já Amora tb era arrogante e irônica, qual a diferença? Ela era rica. Só. No mais, é implicância mesmo, ou então o fato de não ir com a cara da Sophie ou até mesmo não gostar da atuação dela, o que é direito de cada um.

Já sobre a Silvia, a situação era totalmente diferente. Ela nunca foi vilã como as autoras quiseram passar. Ela queria vingar o pai e isso ficou claro logo no começo. E era óbvio que o romance dela com o Viktor humanizaria a personagem, 'obrigando' uma regeneração no final. Isso independente de público. Pena que as autoras não souberam desenvolver esse papel tão bom.

E Raquel, jura que não gostou da Fernanda em AVDG? Eu achei o seu melhor trabalho até agora. Mas eu tb amava a da Manu e admiradava da atuação da Marjorie. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Nem se compara com Jogos Vorazes, Kellen... rs bjs

Sérgio Santos disse...

Sim, anônimo, isso que acabei de escreve. O princípio é o mesmo, já que nas redes sociais todos que gostavam do Fabinho gostavam tb do Humberto. E eu me incluo nisso. Mas, pelo menos comigo, há casos tb onde eu gosto do ator e odeio o personagem, ou gosto do personagem e odeio o ator.

Sérgio Santos disse...

Mas, anônimo, aí é que está a questão: carisma não se estuda pra imprimir. Ou vc tem ou vc não tem. Não há solução para isso. Por isso, confesso, que não entendo vc dizer que Chandelly não colocou carisma em Saramandaia e colocou agora. Isso não se coloca, isso se tem ou não.
E eu acho que ela tem carisma, assim como a Sophie.

Aliás, já que o papo virou isso de carisma, vou dar alguns exemplos. Tainá Muller. Ela é linda e talentosa, mas não vejo um pingo de carisma nela. Isso importa? Até agora não fez diferença alguma e ela sempre faz bonito em cena.

Agora o Caio Castro. Ele é um cara arrogante, se acha o tal e ainda é péssimo ator. Mas não dá pra negar que ele é carismático. E daí? Não adianta nada.

E a Isabelle tá apagada como Megan pq Megan até agora não tem trama. Não é pq ela não colocou carisma agora e colocou antes. Enfim... abçs.

Sérgio Santos disse...

Melina, concordo, tb não acho que ela tenha sido rejeitada e todos os elogios que ela angariou foram merecidos. Maria Adelaide, obviamente, sabia que Amora era a melhor personagem e era mesmo. Tanto que tudo se movimentada em volta dela. Fora a carga dramática que ela tinha nos momentos de fragilidade.

Se não me engano, ela e a Isabelle foram indicadas como melhor atriz no Prêmio Contigo. Merecem. Agora, tb não acho que irão ganhar pq a novela não fez sucesso msm.

E isso de carisma, eu nem costumo usar pra falar de alguém. A não ser que seja pra falar bem, aí eu até uso às vezes. Citei alguns exemplos pro anônimo que comentou antes de vc, e incluo mais alguns.

Gabriela Braga Nunes. Não vejo nenhum carisma nele. Mas nunca usei isso para criticá-lo.Minhas restrições aos trabalhos dele tem a ver com sua inexpressividade, seu tom de voz que nunca muda, enfim...

A Giovanna Antonelli e a Juliana Paes transbordam carisma, mas se elas não fossem talentosas de nada adiantaria. O Humberto Martins é carismático? Não. Mas tem se mostrado um grande ator em cada trabalho que faz. Então isso de sem carisma é mt relativo e usar como argumento é mt perigoso.

Eu sinceramente, acho que Sophie, Fernanda, Isabelle e Chandelly (já que elas foram citadas) têm carisma. Mas, por exemplo, não acho que a Cristiane Torloni tenha. Só que isso importa? Não, é ela ótima atriz e sempre se destaca. Enfim... bjs

Talue disse...

Oi Sérgio!

Estou tentando acompanhar a nova novela das 19h, mas estou achando tudo realmente muito chato e irritante. Parece que a história anda em círculos. E muita coisa na trama me deixa perdido, seja pelos flashbacks, passagens de tempo, aquelas citações tecnológicas e esse reality que piorou ainda mais o entendimento da história, na minha visão.

Gosto bastante do triângulo Megan-Davi-Manu e desses personagens separadamente também, acho que os atores estão conseguindo imprimir bem o estilo de cada um. Também gosto do Danilo e da Glaucia.

O restante, se eu pudesse, jogaria tudo fora e criaria uma história nova rs. Ou são atores fora do tom, ou personagens mal construídos, ou histórias mal desenvolvidas. Sem comentar o excesso de tecnologia e a falta de humor. Se consegui rir com 3/4 cenas até agora foi muito, aquele núcleo do Brian Benson por exemplo é MUITO sem graça.

Sinto bastante falta de Além do Horizonte, que gostei desde o primeiro capítulo, e também de Sangue Bom, que apesar de todos os problemas tinha excelentes núcleos cômicos e que funcionaram bem.

Abraço e boa semana!

Melina disse...

Sérgio, por isso que é um prazer conversar com você. Você sabe dialogar com educação e inteligência e ainda embasa bem seus argumentos. Fora a paciência que tem com algumas pessoas que insistem em te encher ou desqualificar. Eu nem acho que essas que eu citei não tenham carisma mas quem acha que Sophie não tem não tem moral pra dizer que essas tem. Entendeu? Um beijo e concordo com quase tudo o que você bem colocou.!

Manu disse...

Gosto bastante da novela. Gosto da Manu, não sabia que as fãs da Megan chamavam ela de Mongol, oque é muito estranho porque a Megan é muito mais "mongol" que a Manu. Vale lembrar que o termo é extremamente ofensivo. Manu é uma nerd sabe tudo que segura as pontas da familia e do irmão bipolar. Leva a profissão bem a sério e tem sede de vitória. Queria saber onde entra a mongol nessas caracteristicas.
Megan sim, personagem fútil e mimada que não tem nada de interessante e não acrescenta a trama. Alias esse triangulo não tem o menor cabimento, como que um homem que se interessa por uma mulher como a Manu vai se interessar por uma Mega, e vice versa. Duas mulheres totalmente opostas, não faz o menor sentido. Quem escolhe uma Megan é por aparência e porque quer desfilar com uma barbie. Quem escolhe uma Manu é porque valoriza conteúdo inteligência, dedicação e capacidade. Como que alguém oscila entre uma e a outra. Outra coisa que não aguento mais, Pamela e Megan com as palavras em inglês. já encheu, não aguento mais Daddy isso ou aquilo e Djonas saindo da boca delas.
Mas o pior da novela é o Brian, Não sei o que eles vão fazer para resolver esse péssimo personagem. Esse elenco gringo ta difícil de aguentar. Só salva o Jonas mesmo dos povo que veio dos EUA, de resto não aguento nenhum deles.
Espero que depois da Copa a novela engrene. E diferente do povo que reclama da tecnologia na novela. Eu acho que nem tem tanto assim, pra mim podiam investir mais nisso.

Manu disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sérgio Santos disse...

Oi Talue! Ela tá andando em círculos mesmo, embora eu tivesse pensado que com o reality tudo começaria a andar. Mas até o reality ficou chato. Pena pq tava legal. Tb gosto do triângulo Megan/Manu/Davi e os atores tão mt bem. Mas o núcleo do Brian é um saco. Aliás. não só ele.

Eu critiquei mt Além do Horizonte, mas da metade pro final ela ficou bacana e a reta final foi incrível. Então eu tb sinto falta de vez em quando. Agora, Sangue Bom nem se fala pq fui fã daquela novela. Demorou pra começar, mas qd começou foi ótima até o fim. Não achei ela cheio de problemas, não. Tinha alguns, claro, quase todas têm, mas as qualidades eram superiores. Bjsssss

Sérgio Santos disse...

Ah, sim, Melina, agora entendi. Então eu concordo com você sim. E obrigado pelo carinho. bjão!

Sérgio Santos disse...

Manu, eu tb gosto da novela, embora esses últimos capítulos estejam bem cansativos e nada atraentes. Eu já imaginava que o reality serviria pra enrolar mas não imaginei que fosse tanto.

Olha, quem escolhe a Manu valoriza o interior, claro, mas tb o exterior pq a Chandelly é linda. E eu gosto da Megan tb, mas é uma pena que até agora a personagem não tenha trama alguma.

O núcleo do Brian é um saco mesmo e será difícil de aturar até o final. Bjsss

Alice Moura disse...

Excelente texto, Sérgio. Geração Brasil tem muito potencial pra se tornar uma novela ótima.
Gosto muito do personagem de Murilo Benício e amo o personagem de Leandro Hassun. Não gosto do casal Manu e Davi. E olhe que gosto de Chandelly Braz. Com o pai e o irmão, a personagem é muito boa, forte e sensível ao mesmo tempo. Mas, com Humberto Carrão não está acontecendo. Venho assistindo a novela todos os dias, e sinceramente, não tenho gostado. Também não tenho gostado da Megan. Muito caricata e sem função na história. Isabelle é uma excelente atriz, mas a personagem precisava de um conflito só seu. Talvez, a morte do avô e a doença do pai, a humanizassem mais. Mas, concordo com suas colocações sobre Luís Miranda. Dorothy tem que voltar para o Brasil para o personagem se desenvolver melhor. No mais, acho que tudo vai começar a melhorar depois da Copa.

Sérgio Santos disse...

Alice, a novela precisa começar logo pq isso te "ter potencial" vai acabar com o fim da Copa. É pra dizer a que veio ou não. Por enquanto ainda não disse. Eu gosto de Manu e Davi, embora não ache um casal extraordinário. Tb gosto da Megan, mas é uma personagem rasa. A Dorothy precisa voltar a ter o destaque que tinha no comecinho.