segunda-feira, 19 de maio de 2014

Há quatro anos, estreava "Passione": mais uma grande novela de Silvio de Abreu

No dia 17 de maio de 2010, estreava "Passione", até agora a última novela de Silvio de Abreu no horário nobre. A novela tinha como principal qualidade seu esplendoroso elenco, que apresentava grandes nomes do teatro e da televisão com personagens de destaque. A trama, dirigida por Denise Saraceni, substituiu a criticada e fracassada "Viver a Vida", de Manoel Carlos, e presenteou o publico com uma excelente história, contada ao longo de 209 capítulos.


Com o núcleo principal encabeçado por ninguém menos que Fernanda Montenegro, a novela apresentou vários núcleos, onde todos eram intercalados e repleto de dramas fortes. A empresária Bete Gouveia (Fernandona) começou a história já sabendo que seu filho não havia morrido, iniciando uma saga em busca do ente querido. E a partir desta revelação, a grande vilã Clara Medeiros (Mariana Ximenes) arquitetou um plano, com a ajuda de seu parceiro e amante Fred (Reynaldo Gianecchini), para encontrar este rapaz antes da milionária e se casar com ele, com o objetivo de herdar automaticamente toda a fortuna da Família Gouveia.

E o filho de Bete Gouveia era Totó (Tony Ramos), que vivia com sua família na Itália. Todos eram característicos italianos, abusavam do sotaque e eram muito unidos. Ele tinha uma forte ligação com os quatro filhos ---- Adamo (Germano Pereira), Agostina (Leandra Leal), Agnello (Daniel de Oliveira) e Alfredo (Miguel Roncato) ---- e com a irmã, Gemma, interpretada brilhantemente por Aracy Balabanian.
Além dos núcleos citados, havia também o cômico, composto por Irene Ravache (que vivia a inesquecível perua Clô), Francisco Cuoco, Flávio Migliaccio, Alexandra Richter, Simone Gutierrez, Bruno Gagliasso e Gabriela Duarte.

A trama foi marcada pelas fortes cenas e também pelo tom de mistério, que estava presente na vida de vários personagens, como Gerson (Marcello Antony) ---- que gostava de ver sexo sujo na internet (segredo que frustrou parte do público) ----, Felícia (Larissa Maciel) ---- que era mãe da Fátima (Bianca Bin), mas fingia que era sua irmã ----, Stela (Maitê Proença) ---- que tinha inúmeros casos com homens mais novos ---- e Fred ---- que era filho de um funcionário da Metalúrgica da Família Gouveia, que havia se matado depois que processou a empresa por ter uma mão amputada.

"Passione" começou com um ritmo intenso e, por incrível que pareça, acabou causando estranhamento no público, que pediu para os acontecimentos serem apresentados de forma mais devagar. Os pedidos (ouvidos após uma pesquisa) foram atendidos e o autor diminuiu um pouco a velocidade, mas continuou sem economizar nos acontecimentos. E, como é quase uma tradição nas novelas de Silvio de Abreu, o 'quem matou?' surgiu com a morte de Saulo (Werner Schunemann). A partir de então, o tom policial impregnou na obra, deixando o conjunto ainda mais atraente. Uma observação curiosa é que Silvio avisou com antecedência que um personagem iria morrer, mas não disse quem. Ou seja, despertou curiosidade no público, que não sabia quem seria assassinado e nem quem ia matar.

A complexidade da vilã Clara foi outro ponto positivo. Mariana Ximenes ganhou a melhor personagem de sua carreira e brilhou do início ao fim, aproveitando a oportunidade dada pelo autor. Ao mesmo tempo que a víbora transbordava frieza com suas maldades, ela também mostrava um amor imenso por sua irmã (Kelly - Carol Macedo), que sofria nas mãos da avó (cujo principal objetivo era prostituir a neta), Dona Valentina (grande trabalho de Daisy Lucidi). Os embates entre Clara e a 'velha porca' eram sempre ótimos e muito bem interpretados.

Mariana Ximenes também fez uma ótima dupla com Reynaldo Gianecchini e as cenas do casal do mal eram repletas de química. Não por acaso a música-tema era 'Fogo e gasolina'. Vale lembrar ainda duas situações geniais criadas pelo autor: Clara fingiu uma regeneração durante a novela e deixou uma imensa dúvida na cabeça dos personagens e também do público --- no final das contas, tudo não passava de mais uma plano da vilã. E Fred (outro tipo complexo e muito bem interpretado) foi devidamente punido no final da trama, mas o vilão foi condenado por um crime que não cometeu ---- o assassinato de Saulo. Ou seja, foi duplamente castigado, já que era um mau-caráter, mas ficou na cadeia por algo que não havia feito.

E ao citar a morte de um dos filhos de Bete Gouveia, é preciso aplaudir a grandiosidade da sequência. Clara matou com uma faca, que escondia atrás de um travesseiro, o homem que abusava dela quando ainda era uma criança. O assassinato veio acompanhado desta forte revelação, que motivou a vilã a cometer o crime com o intuito de se vingar de Saulo. Além da interpretação primorosa de Mariana Ximenes, a cena impressionou pelo nível de realismo e também pela ousadia. Um momento impactante.

Vale elogiar ainda a maravilhosa atuação de Vera Holtz, que emocionou com sua Candê, a mãe de Fred e Felícia. A cena em que sua personagem dá uma surra em Valentina, após descobrir que a amiga na verdade prostituía a neta também vale a menção. E o folhetim ainda foi o último que contou com a magnífica presença de Cleyde Yáconis, atriz que sempre era valorizada pelo Silvio de Abreu. Sua Brígida era adorável e o triângulo amoroso que ela protagonizava ao lado de Diógenes e Antero (grandes Elias Gleiser e Leonardo Villar) era muito divertido ----- no final, ainda virou um quarteto com a chegada de Benedeto (Emiliano Queiroz).

Mais uma boa característica da trama era a valorização de todos os atores, um feito que está ficando cada vez mais raro. Apesar do numeroso elenco, todos tiveram espaço, até mesmo os personagens de menor importância. Vide Luiz Serra (Seu Talarico), Marcella Valente (Francesca), Débora Duboc (Olga), Marcelo Médici (Mimi), Júlio Andrade (Arthuzinho), Daniel Boaventura (Diogo), Adriana Prado (Laura) e Tammy di Calafiori (Lorena).

A novela, apesar de ótima, chegou a ficar cansativa durante algumas semanas, mas o autor criou uma reta final eletrizante. Totó fingiu que estava morto em um plano muito bem elaborado por todos da família e voltou para desmascarar Clara. O resultado foi uma cena antológica, com Tony Ramos, Mariana Ximenes, Aracy Balabanian e Fernanda Montenegro dando um show de interpretação. E o capítulo em questão, exibido na última segunda-feira da trama, chegou a atingir picos de 59 pontos. Aliás, embora tenha ficado com uma média geral baixa (35 pontos), o folhetim ultrapassou os 40 pontos com facilidade nas últimas semanas e os cinco capítulos da semana final passaram dos 50 pontos, comprovando que a obra passou longe de ser um fracasso. Porém, a verdade é que o produto merecia uma ótima audiência desde o início.

"Passione" ----- cujas cenas finais ainda contaram com a fuga de Clara da prisão, e com uma incrível perseguição a Fred, com direito a carro indo na contramão de uma movimentada avenida e passando na frente de trem ----- foi uma novela muito bem desenvolvida por Silvio de Abreu, que, apesar de também ter apresentado alguns erros ---- vide, por exemplo, a condução equivocada da personagem Diana (Carolina Dieckmann), que foi rejeitada pelo público e acabou morrendo; e o segredo de Gerson que não foi tão interessante quanto se supunha ----, teve suas inúmeras qualidades sobrepostas aos equívocos, presenteando o telespectador com um legítimo novelão. Resta torcer para o autor voltar ao horário nobre o mais rápido possível. Está fazendo falta.

50 comentários:

Anônimo disse...

Nossa, há quatro anos? Oh, quanto tempo, não? Mas serio, por que não escreve sobre novelas relevantes e antigas, como Dancin Days que esta passando no viva?

Cc disse...

NAO ASSISTI MAS FALAVAM QUE ERA A NOVELA DA CLARA E DA GEMA, KKK.

✿ chica disse...

Credo como passa!! Caí dura:4 anos??? Muito legal,gostava dela! abração,linda semana!chica

Bell disse...

Parei e pensei o mesmo que os comentários acima, mas já 4 anos.
Acho que perdi a noção do tempo rs...

Tenha um linda semana =)

Anônimo disse...

Já que esta lembrando as novelas que já passaram, fale sobre historia de Amor, disparado a melhor novela do Manoel Carlos. A melhor Helena de todas, melhor desenvolvimento da trama, etc. Ate o Nilson Xavier concorda e a maioria dos comentários na pagina dele. Se fosse ao ar as 9 na época tinha sido um estouro ainda maior.

Anônimo disse...

Essa novela foi muito boa. E muito melhor que aquela superestimada Avenida Brasil com um bando de gente gritando e cheia de músicas ruins!

Melina disse...

Sérgio do céu, eu adorava essa novela! E você fez um resumão tão bom que deu pra relembrar da novela todinha! Silvio fez uma grande novela mesmo e conseguiu sustentar as tramas com competência. Eu amei! Me irritava com a burrice do Totó mas só depois fui perceber que o Passione do título era justamente por causa da paixão cega que ele tinha pela Clara.

A cena do assassinato foi mt forte e a melhor que eu já vi em folhetins. Mariana Ximenes me impressionou e eu nem dava muito por ela. A partir desse trabalho ela me conquistou.

Adorei esse post! Um beijo.

Maíny disse...

Tinha que aparecer aqui pra comentar sobre minha novela das 9 preferida, né?
Passione teve o poder de me envolver do começo ao fim, claro que o fato de ter Mariana Ximenes e Gianecchini como vilões ajudou, pois sou fã de ambos há muitos anos, mas eu amei a trama, de verdade. Concordo plenamente com tudo que foi citado no texto. Até o momento de ''marasmo'', que felizmente não durou, graças a genial trama policial desenvolvida.
Esse elenco que Silvio conseguiu foi um dos melhores já vistos, ele sempre valoriza os atores veteranos e isso é um baita presente para o telespectador.
Clara foi sem dúvidas a melhor personagem da trama, e a Mariana teve quimica com todos os seus parceiros, principalmente com o Giane, que também brilhou. Os embates com Tony, Fernanda e Daisy foram épicos e a grandiosa cena final do assassinato do Saulo, algo memorável!
Ps: Nunca vou me conformar com a media geral ter sido tão baixa, mas enfim... Foi um NOVELÃO!
Sobre o pico do capítulo de segunda, foi dito em vários sites que marcou 54 de media, picos de 59. O último 52 de media com picos de 58.

Ainda sou viúva de Passione, foi a última novela da 9 que me conquistou totalmente. Saudades define!

Adorei o texto Sérgio, bjs.

OX disse...

Essa novela eu vi e gostei bastante. Silvio de Abreu repetiu algumas coisas de suas novelas anteriores mas ainda imprimiu uma boa originalidade em Passione. E o elenco era mesmo grandioso. Um dos melhores que eu já vi reunidos com algumas exceções como aquele Cauã Reymond, Maitê Proença e o Rodrigo Lombardi que considero fracos.

A Clara Matoli foi uma grande vilã e Gema foi o último bom papel da Aracy Balabanian. Sempre é bom ver Fernanda Montenegro ainda mais protagonizando uma novela. Principalmente hoje em dia onde jovens estão sempre nos papéis principais e os mais velhos relegados a mera figuração. Gostei da lembrança, Sérgio. E que saudades da Cleyde Yáconis.

Aninha disse...

Adorava esta novela, e teve um dos melhores finais. Ximenes roubou tanto a cena, que ninguem lembrou que a Dieckmann era a mocinha, tadinha. Deixou saudade.

Ricardo disse...

Giane e Mari brilharam na novela, a dupla de viloes despertava até torcida.

Clau disse...

Oi Sérgio, boa tarde!
Foi bom relembrar a trama de Passione, e seu elenco de primeira!
Bjs e ótima semana :)

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Lembro da novela especialmente pela reunião de grandes atores veteranos, pelo show de atuação de Irene Ravache e por apresentar os melhores papeis do Reynaldo Gianecchini e da Mariana Ximenes até hoje. Sem falar nas belas paisagens da Toscana.

Adriana Helena disse...

Olá Sérgio, tudo bem amigo?
Ah, quanto saudosismo!

Eu amava a novela Passione e fiquei de cara em saber que já faz tanto tempo que passou..rsrs
Estou ficando velhinha mesmo amigo, o tempo está voando e as boas novelas ficam para trás! Ai, que saudades!!

Adorava a personagem da Fernanda Montenegro e do Tony Ramos! Além da Mariana imenes que deu realmente um show!!

Foi muito marcante, amei!
Obrigada por trazer lembranças tão agradáveis amigo,passou tudo na minha mente como um filme...

Beijos e uma especial e produtiva semana! :)))


Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Uma novela marcante. Gostei muito e acompanhei. Boa lembrança.
Suas considerações estão perfeitas e nem merecem acréscimo.
O tempo está mesmo voando, hein? Quatro anos??? Ô louco!

Abraço.

Flávia disse...

Eu amei essa novela, Sérgio!!!! Clara Mattoli era uma diaba! kkkk A cena da facada foi aterrorizante! E as transas dela com Fred? Que calor!!!! kkkk Gema era maravilhosamente bem vivida pela Aracy. Eu amava ela chamando Clara de ESQUIFOSA! E Fernanda de Bete Gouveia? A Ravache de Clô? Ai, é muita gente boa! bjk

Anônimo disse...

A novela que a volta do Totó fez explodir em audiência. Eu lembro da cena dele descendo as escadas e da Clara ficar em choque vendo. A novela foi bem boa mesmo. Podiam reprisar no futuro mas do jeito que teve tema forte não será nunca. O Vale a Pena Ver De Novo virou uma frescura só!

Anônimo disse...

Confesso que vi pouco dessa novela, só lembro mesmo do Rey Gianecchini fazendo cara de mau. O Silvio de Abreu deveria voltar a fazer novela das 21:00. Não é o meu autor preferido, mas é ótimo e pelo menos não está ultrapassado como o Maneco.

Fernanda disse...

Essa novela foi ótima! Teve mesmo alguns tropeços mas toda novela acaba tendo e é raro ter alguma obra impecável. Concordo que as qualidades foram sobrepostas ao erros e achei sua homenagem merecida. Na época dessa novela ainda não tinha descoberto seu blog, que pena. Clara, Totó, Gema, Candê, Clô, Kelly, Dona Valentina... Eu lembro de todo mundo. Que elenco bom e que personagens bem escritos. A abertura também era de muito bom gosto com obras do Vic Muniz que eu me recordo. Saudades.

Fabrício disse...

Acho Silvio de Abreu o autor mais talentoso do país. Com a morte de Dias Gomes e Ivani Ribeiro ele passou a ser o único que mantém o vigor em suas obras. O resto infelizmente se perdeu em seus próprios egos. Acho que além dele o Walcyr consegue se renovar e se adequar ao público sendo a salvação da Globo nos últimos tempos. Mas no geral é o Silvio que continua sendo o melhor. Passione foi uma grande novela e eu fiz questão de ver todo santo dia. Só não gostei daquele Mauro do Rodrigo Lombardi mas até da Diana eu gostava. Achei que foi mal compreendida. Abraços.

MARILENE disse...

Sergio, com tantas novelas ruins sendo apresentadas, é bom relembrar aquelas que prenderam nossa atenção e que ficaram na lembrança. Gostei de ler sua postagem e de reviver o enredo de Passione, que teve um elenco de primeira. Bjs.

Lucas disse...

Bah cara, dessa vez vô ter que concordar com vc, só pra nossa relação não cair na rotina, kkkkk... mas sério eu curti muito essa novela, o Silvio escreve pacas,,,,

Sérgio Santos disse...

Anônimo, vou ver se escrevo. Ano passado eu escrevi sobre a reprise de A Próxima Vítima no Viva.

Sérgio Santos disse...

Tinha essa piada mesmo, Cc, era uma ótima novela.

Sérgio Santos disse...

Passa mesmo, Chica. bjs

Sérgio Santos disse...

Boa semana, Bell. bjs

Sérgio Santos disse...

Anônimo, gosto é gosto, mas na minha desimportante opinião a melhor novela do Maneco foi Laços de Família empatada com Mulheres Apaixonadas. Mas achei História de Amor excelente tb.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, eu gostei tanto de Passione quanto gostei de Av. Brasil e quanto gostei de Amor a Vida. Aliás, essas três novelas foram as únicas que eu gostei do horário nobre nos últimos anos.

Sérgio Santos disse...

Melina, eu tb adorava. Pensei até se valia eu fazer essa homenagem, mas me lembrei que na época da novela o blog ainda estava começando e nem escrevia direito, era mais um espaço para um desabafo sobre as novelas mesmo. Então resolvi escrever esse texto pra relembrar a novela agora que o blog tem bem mais leitores.

A cena do assassinato foi incrível mesmo e tb considero uma das melhores, senão a melhor. Bjsssss

Sérgio Santos disse...

Maíny, acho bom mesmo, viu! Vc não poderia deixar de vir mesmo! Era obrigação. rs

Eu tb gostei mt da trama e quando acabou senti aquele vazio típico de qd uma novela que vc ama muito acaba. Mariana e Gianecchini fizeram uma baita dupla e foi uma delícia ver os veteranos com personagens tão importantes. Silvio é um dos meus autores preferidos por isso tb.

Eu procurei pesquisar e li picos de 57, mas confio em vc e já alterei para 59. Tb achei um absurdo a média ter sido tão baixa, mas pelo menos ela conseguiu esses índices que nenhuma outra conseguiu até agora. E se nem Av Brasil conseguiu, acho difícil que outra consiga. Bjão!

Sérgio Santos disse...

OX, todos os autores veteranos repetem algumas coisas em suas novelas, não tem jeito. Nenhum escapa. Mas, é isso, o Silvio repetiu alguma coisa, mas apresentou várias tramas novas e uma novela que prendia o telespectador.

Gemma foi msm o último grande papel da Aracy e sinto mta falta da Cleyde. Só o Silvio a valorizava. Pelo menos a última novela dela foi com ele, não deixa de ser algo bonito. E curiosamente, Gianfrancesco Guarnieri era outro grande ator só valorizado pelo Silvio e sua última novela foi tb com o autor: Belíssima.

Concordo que Rodrigo Lombardi e Cauã não convenceram, embora não tenha achado a Maitê ruim. Abçsss

Sérgio Santos disse...

Tb adorava, Aninha. Mas não considerei Diana mocinha pq naquela novela o Mauro tava longe de ser um mocinho. Ali, a protagonista era a Fernanda Montenegro e o verdadeiro mocinho enganado da trama era o Totó, o co-protagonista. A Dieckmann foi mt mal msm e a personagem era horrível tb. bjs

Sérgio Santos disse...

Eu lembro, Ricardo. abçs

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Clau. bjs

Sérgio Santos disse...

Elvira, assino embaixo de tudo o que vc falou. Todas essas foram lembranças marcantes. bj

Sérgio Santos disse...

Ah, Adriana, obrigado. Vc é sempre um poço de carinhos comigo. Pois é, o tempo passou e fiz questão de lembrar dessa novela que eu tanto gostei. O elenco era incrível, os personagens ótimos, enfim, valeu a pena acompanhar. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Vera, obrigado. Foi boa, né? E, sim, o tempo voa. bjs

Sérgio Santos disse...

Clara era uma diaba maravilhosa, Flávia. Saudades dela e de todos esses que vc citou. bjs

Sérgio Santos disse...

Essa cena do Totó voltando foi antológica, anônimo. Mas a novela não será reprisada nunca no VAPVDN justamente por causa dos temas pesados.

Sérgio Santos disse...

Tb acho que o Silvio tinha que voltar logo pro horário nobre, anônimo. E ele é um dos meus autores preferidos.

Sérgio Santos disse...

Isso, Fernanda, teve erros tb, claro, mas quase toda novela tem. Mas as qualidades foram bem maiores. Foi uma grande novela. E a abertura era linda mesmo, eu tb lembro. Com música do Lenine, inclusive. Pois é, nessa época o blog ainda engatinhava. bjs

Sérgio Santos disse...

Fabrício, da Diana eu não gostava não. Gostei mt qd ela morreu. Mas tb acho Silvio um dos melhores autores do país. Aliás, ele, Walcyr Carrasco, João Emanuel Carneiro e Lícia Manzo são meus autores preferidos. abçs

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Marilene. bjssss

Sérgio Santos disse...

Tá vendo, Lucas, milagres existem. Há sempre uma concordância ainda que em meio a tantas discordâncias.

Thallys Bruno Almeida disse...

Passione. Uma ótima novela, embora eu a considere um pouco inferior a Éramos Seis, Rainha da Sucata, Próxima Vítima e Belíssima - que elejo como as melhores do Sílvio de Abreu.

Foi impressionante e gratificante ver tanta gente veterana ter um grande espaço e personagens excelentes. Fernandona, Emiliano, Aracy, Tony Ramos, Cuoco, Irene, Elias Gleizer, Cleyde, Schunemann, Daisy Lúcidi (que fez pouca TV na carreira). Foi tanta gente boa que nem Cauã Reymond e Kayky Britto conseguiram atrapalhar.

Mariana Ximenes recebeu um presentaço. Foi maravilhosa em todos os sentidos, absolutamente brilhante, daquelas vilãs pra se dar gosto de odiar e até torcer pra acabar com algum personagem chato. Reynaldo se saiu bem vivendo um vilão e gostei do final dele mostrando outra falha do judiciário brasileiro (no caso, uma prisão injusta). Sem contar que os dois esbanjaram química daquelas explosivas. Um par que deu certo demais.

Só é uma pena que Gabriela Duarte e Leandra Leal tenham ficado muito tempo presas àquela história sem noção do Berillo (Gagliasso). E foi bom vc mencionar esse período cansativo. Se não me engano foi quando Clara estava se fingindo de boazinha, e voltei a gostar quando ela se recuperou. (Talvez eu esteja meio confuso qto às datas, mas foi no meio da novela e era chatinho msm).

Sobre Diana, hoje em dia eu diria que me arrependo de tê-la criticado. A bem da vdd, a morte da Diana já era pedida há tempo, o Sílvio só veio a matá-la no final da novela; a própria Carolina tava bem apática na atuação, o triângulo com Antony e Rodrigo só piorava; mas atualmente acho que eu posso ter pego um pouco pesado com ela.

O motivo: surgiria uma muito mais insuportável, a Morena de Salve Jorge. Pelo menos o Sílvio atendeu o pedido de matar a Diana, enquanto a Glória Perez insistiu com a Morena o tempo todo pra tentá-la fazer de "guerreira, forte, decidida" na marra.

Passione e Avenida Brasil foram as duas novelas pós-2010 que me agradaram. E essa foi uma novela mt boa, embora não tão impecável quanto foram A Próxima Vítima, Rainha da Sucata e Belíssima. e E torço pra que Sílvio de Abreu possa em breve voltar ao horário nobre.

PS: Vendo a tua lista de autores preferidos, eu podia jurar que a Rosane Svartman estaria nela, até porque amou a Malhação 2012/13 e ela tb tem apenas uma novela, como tem a Lícia. Enfim, só sei que os meus são JEC, Sílvio, Gilberto Braga, Duca e Thelma, Miguez e Isabel e Maria Adelaide.

Karina Marques disse...

Nossa, adorei Passione. Pra mim está na lista das grandes novelas do horário nobre.Nunca entendi o motivo da baixa audiência mas pelo menos ela alcançou índices que nenhuma outra conseguiu. E a sua lista de autores preferidos também é a minha. Só acrescento a Maria Adelaide Amaral.

Sérgio Santos disse...

Eu fui fã de Passione e achei a novela maravilhosa, mas claro que ela tb teve seus defeitos. Cheguei a apontar todos na época, mas aproveitei esse texto pra relembrar tb o que não funcionou. O período cansativo foi msm qd Clara tava boazinha pq Silvio demorou demais com isso. A ideia foi genial, mas alongada demais.

O único problema do núcleo do Berilo era justamente o Berillo. Pq o resto eu achava excelente. Cuoco, Ravache, Gabriela, Alexandra, enfim.

O Silvio escreveu uma grandiosa novela e até hj sinto falta. Não me arrependo das críticas que fiz a Diana e nem ao Mauro, eu faria tudo de novo pq detestei msm. No caso dele o papel era bom, mas ele que tava ruim. No dela, ela tava ruim e o personagem tb era péssimo.

Coloquei a Lícia na minha lista de autores preferidos pq conto a série Tudo Novo de Novo que tb foi linda e emocionante. Então já são dois trabalhos. A Rosane não coloquei pq ela só fez a Malhação. Mas se essa nova temporada que ela está escrevendo for tão boa qt a outra a incluo tb.

Sérgio Santos disse...

Karina, pra mim tb ela está nessa lista. E não sairá, não. Pois é, a baixa audiência foi uma injustiça, mas os altos números da reta final pelo menos compensaram. Eu tb adoro a Maria Adelaide. Ela é excelente.

Anônimo disse...

Novela ótima e repleta de talentos. Nunca mais veremos uma outra novela com um elenco desses. Era uma aula de atuação a cada capítulo. Pena que tinha Rodrigo Lombardi, Kayky Brito, Carolina Dieckmann e Bianca Bin mas nada é perfeito.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, o elenco era magistral e um feito raro mesmo. Mas claro que tinham algumas poucas exceções.