terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Walcyr Carrasco e Elizabeth Savalla: uma parceria de sucesso

Ele é um autor com vários sucessos em seu currículo e ela uma grande atriz. Cada um foi seguindo seu rumo em suas respectivas bem-sucedidas carreiras, até que Walcyr Carrasco escalou Elizabeth Savalla para viver a arrogante Imaculada, na novela "A Padroeira", em 2001. A partir desse 'encontro', nasceu uma parceria que, para a sorte do público, nunca mais seria desfeita.


Embora "A Padroeira" tenha sido o único fracasso da carreira do autor, a trama acabou sendo a responsável pelo começo dessa 'relação' de Walcyr com a atriz. E, coincidentemente, a personagem dela era um dos poucos acertos daquela obra. Elizabeth Savalla estava afastada das novelas ---- após brilhar em "Quatro por Quatro" (1994), de Carlos Lombardi, na pele da inesquecível Auxiliadora e ter participado de "Quem é você?", de Ivani Ribeiro, em 1996 (vivendo Maria Luísa) ---- quando voltou em 2001 para viver a beata Imaculada de Avelar, que acabou roubando a cena na novela.

E esse papel era apenas o início da parceria da atriz com Walcyr Carrasco. Em 2003, ele a escalou para viver a impagável Jezebel, vilã cômica de "Chocolate com Pimenta". A trama que contava a história de vingança da destemida Ana Francisca (Mariana Ximenes) foi um imenso sucesso e a personagem da Savalla
era um dos grandes atrativos. Apesar das maldades, a perua divertia com seus trejeitos e olhares, além de sempre fracassar em seus planos. Ela ainda fazia uma ótima dupla com seu mordomo, Epaminondas, vivido pelo talentoso Ary França.

Já em 2005, o autor resolveu presenteá-la com um papel dramático em "Alma Gêmea", fenômeno que quebrou vários recordes de audiência. Era a sofrida Agnes, milionária que ficou de luto e perdeu a alegria de viver após a morte de sua única filha, Luna (Liliana Castro). A atriz impressionou e convenceu em todas as cenas. Tanto nos momentos em que sua personagem tinha fortes embates com sua irmã (Débora - Ana Lucia Torre), quanto nas horas em que mostrava dureza e se negava a acreditar em reencarnação. Ela ainda emocionou quando a ricaça encontrou um novo amor e passou a ter esperança na vida.

Após ter ficado anos no horário das seis ---- onde emplacou ainda "O Cravo e a Rosa" em 2001 ---- , Walcyr foi transferido para a complicada faixa das sete, horário marcado por não ter um público muito específico. Sua estreia foi com "Sete Pecados", novela que apresentou problemas durante sua exibição, o que fez o autor pedir ajuda a seu colega Silvio de Abreu. Porém, apesar dos percalços, a trama conseguiu superá-los e obteve ótimos números no Ibope. E, claro, que Elizabeth Savalla estava presente na história. O papel da vez era a fútil Rebeca, mulher viciada em tratamentos estéticos ---- representava a vaidade, um dos sete pecados capitais ---- e que fazia de tudo para ficar bonita. Ela mais uma vez conseguiu se destacar e angariou elogios.

Em 2008, Walcyr escreveu outra novela das sete e emplacou mais um grande sucesso na carreira com "Caras & Bocas", história protagonizada pelo inesquecível macaco Xico. Depois de ter escrito para Elizabeth vários tipos ricos, o autor decidiu presenteá-la com uma mulher humilde e trabalhadora nessa trama. Era a cozinheira Socorro, mãe do protagonista (Gabriel - Malvino Salvador) e avó da impagável Bianca (Isabelle Drummond), que lutava para manter funcionando seu bar, conhecido pelas deliciosas coxinhas feitas por ela. Foi um papel diferente e que novamente destacou o talento da atriz.

Ainda no horário das sete, Elizabeth Savalla ganhou do autor a vilã Minerva, esposa de Izaías (Ary Fontoura), prefeito corrupto, em "Morde & Assopra" (2011). O folhetim que misturava robôs e dinossauros na trama central, apesar de ter apresentado alguns problemas iniciais, foi mais um sucesso de Walcyr e a atriz fez uma ótima dobradinha com Ary. A primeira-dama despertava raiva mas também divertia em vários momentos.

Depois de fazer sucesso no horário das seis e das sete, a Globo resolveu escalar Walcyr para escrever o remake de "Gabriela" em 2012, o transferindo para o horário das onze. O autor bem que tentou repetir a parceria com Savalla, mas dessa vez não conseguiu. Ele queria a atriz para viver a clássica Maria Machadão, mas o papel acabou nas mãos de Ivete Sangalo. Porém, foi um hiato que não durou muito.

Com mais uma obra bem-sucedida em seu currículo --- o remake obteve ótimos índices ----, Walcyr Carrasco foi promovido para o horário nobre em 2013, com "Amor à Vida". E, obviamente, que sua parceira de todas as horas não poderia ficar de fora da sua estreia no horário mais cobiçado da Rede Globo. Para dar continuidade a essa boa relação, o autor a presenteou com a impagável ex-chacrete Márcia, mãe da periguete Valdirene (Tatá Werneck), e personagem-chave da novela, responsável pelos maiores segredos da trama.

Com essa personagem, a atriz pode exercer todas as facetas de seu talento. Márcia protagoniza cenas hilárias com sua filha e emociona nos momentos tristes de Márcia, que já sofreu muito no passado. Ela cresceu na novela graças ao sucesso do seu núcleo e semanas atrás arrancou lágrimas do telespectador na cena em que a ex-chacrete conta para Félix (Mateus Solano) que era sua babá anos atrás, e acabou sendo indiretamente responsável pelo acidente que causou a morte do irmão do vilão. É um papel enriquecedor e que mescla muito bem comicidade com dramaticidade. Aliás, ela tem protagonizado hilárias cenas com Mateus, já que agora Félix está na pior e vendendo cachorro-quente com a mais nova amiga. A sintonia entre os atores está perfeita e Márcia e Félix conseguem emocionar e divertir ao mesmo tempo.

Walcyr Carrasco e Elizabeth Savalla ---- que já ganhou, em 2013, o Prêmio Extra de Melhor Atriz Coadjuvante e o APCA de Melhor Atriz devido ao seu trabalho na novela das nove ---- formam uma boa dupla. Pena que essa grande atriz só esteja sendo valorizada pelo Walcyr nos últimos anos. E essa atitude do autor é merecedora de muitos elogios, uma vez que sempre presenteia sua amiga com ótimas personagens e já escreveu vários tipos diferentes para ela interpretar, sempre com maestria. O resultado é o que tem sido visto no ar desde 2001: uma parceria de sucesso.

41 comentários:

Thallys Bruno Almeida disse...

Elizabeth Savalla é sempre maravilhosa. Uma atriz eternizada por personagens como Malvina (Gabriela original), Lili (O Astro original), Irmã Angélica (Estúpido Cupido), Carina (Pai Herói), Auxiliadora (4x4) e tantos outros não poderia ficar esquecida pelos outros autores, o que faz com que seja um acerto Walcyr lembrar dela.

De A Padroeira ñ posso falar muito pq nem prestei atenção, mas a Jezebel de CCP era hilária. Uma das personagens mais sensacionais daquela trama. A Agnes de Alma Gêmea e a Socorro de C&B, ambas indo pro lado dramático, foram maravilhosas tbm.

Quanto à Minerva, olhando M&A hoje em dia, tinha coisa ali que lembrava demais a Jezebel. Alguns dos trejeitos da personagem deixavam essa semelhança bem evidente (ñ por culpa dela, claro, mas talvez Walcyr já não estivesse tão inspirado quanto antes de C&B). Mas valeu pela dupla com o Ary e pelas cenas com Narjara, Marina e Cássia Kiss.

E, por sua vez, a Márcia. Uma das atualmente poucas personagens atraentes de uma novela que se revelou uma decepção. Suas parcerias com a Tatá Werneck e o Mateus Solano são ótimas, muito embora eu preferisse as primeiras cenas cômicas da Valdirene e não esteja achando a menor graça nessa fase de vendedor de hot-dog de Félix - com ele eu prefiro a parceria dramática, que rendeu cenas como o momento em que ela revela ter sido babá do mesmo na frente da família na grande revelação.

Torço para que Elizabeth Savalla continue brilhando e nos presenteando com essa genialidade por muito tempo, com ou sem Walcyr, mas ao mesmo tempo quero desde já desejar que Solano, Vanessa Giácomo e Fernanda Machado (pra ficar com 3 exemplos) não fiquem presos ao Walcyr por mto tempo. É uma faca de 2 gumes: a Flávia Alessandra se deu mal pegando duas personagens ruins em SJ e ADH ao recusar Gabriela e AAV. Mas como exemplo positivo tem a Ana Lucia Torre, que fez sucesso em Insensato Coração (Gilberto Braga acordou a tempo e desistiu de matá-la) e agora tá em Joia Rara (de Duca e Thelma). É algo gratificante por ver a atriz brilhando, mas ao mesmo tempo desolador saber que outros ñ se lembram. Abç!

Letícia disse...

Boa noite meu caríssimo Sérgio,

Belo texto e Elisabeth Savalla merecia tal homenagem. Semana passada já havia falado da atriz, talvez hoje não tenha muito o que dizer.

O Walcyr agiu muito bem em escalar Savalla para A Padroeira, não vi a novela, porém me lembro que na época me dei conta que a atriz estava a muito tempo afastada da TV. Acredito que um dos problemas seja o fato de haver muitas atrizes no cast da Globo na mesma faixa etária da atriz, o pouca oportunidades para bons papeis e talvez um pouco de panelinha mesmo. Felizmente o Walcyr a colocou na dele e ela se tornou quase um amuleto para ele.

Competência ela tem de sobra, pelos papeis que relacionou no seu ótimo texto é visível que ela consegue se mudar para cada papel.
Pena que os outros autores preferem a ignorar, é lamentável pois teriam em mãos uma excelente atriz.

Mas Sérgio o problema de escalação não é só da atriz, pode perceber que muitas outras também passam por tal problema, Regina Duarte, Malu Mader, Viviane Pasmanter, a própria Suzana Vieira, apesar de estar no ar na mesma novela. Pode reparar que são atrizes que ficam longos períodos, até anos, fora do ar. O último papel da Regina, foi em O Astro, faz mais de dois anos, se fez algo mais apenas participação e olha lá. A Malu Mader, nunca mais repetiu a parceria com Gilberto Braga, as últimas novelas foram com Maria Adelaide Amaral... Viviane Pasmanter participou do fiasco Tempos Modernos e mesmo assim ficou um bom tempo afastada da drama. Há outros exemplos, mas não dá para citar todos...

Falta bons papeis para atrizes mais maduras. Olha só o caso da novela Além do Horizonte, Flávia Alessandra faz o papel de mãe da Juliana Paiva, tudo bem que ela já tenha quase 40, mesmo assim não se justifica, uma atriz um pouco mais de idade, talvez combinasse mais.
Adriana Esteves fez mãe do Cauã, Ana Paula Arósio, de três jovens que poderiam ser suas irmãs em Ciranda de Pedra... Giovana Antonelli mãe da Mariana Rios em Salve Jorge e assim por diante. Tudo bem que um bom ator representa qualquer papel, mas a Globo tem em seu cast atrizes mais velhas que poderiam dá mas veracidade neste aspecto... E acabam escalando jovens atrizes para ser mães de outras que teriam idade no máximo para ser irmãs mais novas.

É mais uma prova que a velhice não é muito valorizada...

Walcyr foi genial ao dá uma chance para Savalla e ela com competência agarrou a chance e fez de um limão uma deliciosa mousse de limão....

Um abraço e tenha uma excelente semana Sérgio...

Maxxi disse...

Nossa Sérgio... Fiquei duplamente feliz, com a verdade inconstestável desse post e pelo post em si. Nao sei se você chegou a ver, mas eu pedi que você fizesse uma pequena análise da carreira do Walcyr nos comentários sobre Além do Horizonte. Fiquei mega feliz quando vi esse post aqui, mesmo se o escrever desse texto não tenha sido motivado pelo meu pedido :)

Elizabeth Savalla é uma excelente atriz e FIM. Mas entre os personagens que você citou, devo destacar a mais emocionante: a dona SOcorro de Caras e Bocas. Eu não conseguia ver a Elizabeth fazendo uma mulher do povo, após tantas dondocas tão bem defendidas. Mas ela provou ter mais de uma faceta humana num papel surpreendente e emocionante. Foi a melhor novela das sete da época, e Elizabeth provava que sua parceria com o Carrasco era mais que acertada. Agora senti falta dela em Gabriela, embora Ivete não tivesse comprometido a personagem.

Alexandra Amaral disse...

Elizabeth Savalla é uma excelente atriz e entre 1996 e 2001 senti muita falta dela. Eu me lembro que adorava os tipos dela em ''De Quina Pra Lua'' e ''Quatro por Quatro'' e da sofrida Maria Luísa da insossa ''Quem é Você'', uma novela que só valeu a pena pelos protagonistas, pois os coadjuvantes eram todos péssimos e o elenco era terrível.
A Padroeira foi uma novela bem mais ou menos, mas não sei o que me levou a asssitir em 2001. Adorava a personagem que deu leveza a trama, pesada até demais pro horário das seis.
2003 foi um ótimo ano na TV, pois a Globo tinha nas mãos novelas com ótimos indices de audiência. Chocolate com Pimenta foi uma das melhores novelas que vi, super leve e divertida, com algumas doses de romance e drama, simplesmente ótima. Elizabeth desempenhou um belíssimo papel na novela, Jezebel me lembrou a Marcela de ''O Cravo e a Rosa'' só que mais velha. Ela irritava e instanteamente conseguia fazer rir. Adorei.
Alma Gêmea é um estrondo de audiência, uma trama deliciosa, romântica e com uma trama super bem entrelaçada, e Agnes foi uma das melhores persoagens da novela. Mostrou também além de um Walcyr mais dramático, uma Elizabeth Savalla bem dramática. Provou que sempre vai ter talento pro drama e pro humor.
Sete-Pecados foi uma novela terrível, com um elenco ótimo, mas extremamente inchado, com uns 100 personagens. Muitas vezes personagens de atores medalhões ficaram sumidos da novlea, fazendo com que alguns atore pedissem para sair da novela, como Maria Zilda.
Apesar do bom desempenho de Beth, a personagem era bem clichê e não desempenhava nenhum interesse. Acho que na trama eu só gostava da personagem de Cláudia Raia, só que ela morreu, e então desisti da novela.
Caras e Bocas foi uma novela deliciosa, rica, e com vários personagens com uma história super interessante. Marcante a cena de Raquel Ripani, que raspou a cabeça na novela. Mostrou que é uma atriz de verdade. Socorro está com certeza entre as 3 melhores personagens da atriz, uma mulher do povo, pobre, e que mostrou a versatilidade da Savalla. A novela vai ser reprisada e vou adorar revê-la.
Morde e Assopra na minha opinião é a pior novela de Walcyr, consegue superar até Sete Pecados, mas a personagem da Beth como sempre ótima, foi a única que me depsertou interesse, junto com Narjara Turetta e Cássia Kiss. Aliás, odiei o fim daquela novela, com a morte da personagem da Cássia. A Minerva era igual a Jezebel, irritava e instantaneamente conseguia fazer rir.
Senti a falta dela em Gabriela, ter ela no elenco seria até uma homenagem, já que a atriz fez a Malvina em 1977. Maria Machadão caíria muito bem nas mãos da Elizabeth Savalla, posso até imaginar. Mas Ivete Sangalo mostrou não ser canastrona e pelo menos pra mim não decepcionou.
Agora, em Amor A Vida ela vem brilhando como Márcia, essa personagem cômica, mas com um passado tenebroso e dramático.
Papel muito rico e muito bem desempenhado.
Abraços!!

Alexandra Amaral disse...

2003 foi um ótimo ano na Globo* quiz dizer.

Adriana Helena disse...

Bom dia Sérgio, querido amigo!
Ah, falar de Elisabeth Savalla, uma atriz incontestável! Radiante, uma estrela por sua própria natureza! ADORO!!
Mas como muito bem frisou, pena que só o Walcyr a valorize como mereça!
Ela é incrível e um dos maiores sucessos na atual novela! Finalmente ela conquistou o horário nobre e espero que não saia dele nunca mais, pois suas cenas, seja com qual personagem for, são sempre emocionantes e com uma pitada de humor que só ela sabe empreender!! GOSTO DEMAIS!!

Assim como adoro vir aqui e me deliciar com seus textos amigo! Neste ano de 2013 você arrasou e tenho certeza que em 2014 será ainda melhor e nossos laços de amizade se estenderão, cada dia mais!! Obrigada por sua amizade Sérgio!

Tenha uma semana maravilhosa, e de antemão já vou desejando um Natal incrível e um Ano Novo repleto de felicidade em sua vida!!
Beijos da amiga que te admira e te gosta muito!
Adriana

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia, Sérgio...
sim, Elisabeth Savalla, sempre foi muito talentosa, e esse ano está sendo melhor ou mais reconhecida...quanto à parceria,Entre ela e Walcyr, q vc destacou, brilhantemente... eu penso que sempre temos alguém/algumas, que nos identificamos mais...é dificíl fugir de nossa zona de conforto e buscar atores/atrizes que tenham concepções muito diferentes das nossas. Cada vez mais, à medida em que os anos vão passando, vamos procurando àqueles/as que sejam particulares e que digam o que já sabemos ou o que esperamos ouvir...hehehe!
agradeço pelo carinho,bela semana, abraços!

Anônimo disse...

Uma dupla de sucesso e a novela está a cada dia melhor. Vários ganchos, reviravoltas, brigas e cenões!

Fábio Coutinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fábio Coutinho disse...

A Elizabeth Savalla é realmente uma ótima atriz Sérgio, consegue ir da comédia ao drama com muita facilidade, uma grande atriz.Queria muito que ela fosse valorizada por outros autores de novelas, como Manoel Carlos, Gilberto Braga, para sair da repetição de sempre atuar nas novelas do Walcyr Carrasco.

Anônimo disse...

Grande e merecido texto sobre esses dois! É uma lástima que só o Walcyr saiba reconhecer a grandeza de Elizabeth Savalla.

Mas ao contrário do que o comentarista acima diz não é repetição porque ela já interpretou várias personagens diferentes com o autor.

(Moura)

Flávia disse...

Sérgio, esses dois tem um casamento perfeito! Adorei o texto! Agnes, Gesebel, Socorro e agora a Márcia foram as melhores personagens que o Walcyr escreveu pra Elizabeth! Os outros autores é quem perdem ignorando a atriz! Beijos!

Barbie Californiana disse...

Ela está sensacional nessa novela, Sérgio, foi uma parceria perfeita mesmo. beijinhos

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, realmente o Walcyr sempre prestigia Elizabeth Savalla e ela corresponde à confiança depositada. Lembro que o autor quis que ela fosse a Maria Machadão, de Gabriela, não deu e então ele acabou presenteando-a com a personagem Marcia.
Gostei das atuações dela especialmente na primeira versão de Gabriela, em Estúpido Cupido, Pai Heroi, O Astro, Chocolate com Pimenta.

Melina disse...

Sérgio, querido, que bonita homenagem você fez à Elizabeth Savalla e também ao Walcyr Carrasco. A parceria deles é bem sucedida e a Márcia é mais uma grande personagem na carreira dela e graças ao seu amigo! Adorei o texto!


E a novela está muito boa! Ontem o gancho final com Bruno esganando Glauce foi desesperador! Um beijo!

Patricia Galis disse...

Concordo pena que só sendo reconhecida por este autor, é uma grande atriz sem duvida.
Obrigada por estar ao meu lado no momento de dor quando perdi minha tia, sem duvida suas palavras muito me confortaram.
Já estou ausente do blog até janeiro mas passei aqui para te desejar um natal cheio de paz ao lado da sua família e um ano novo repleto de conquistas.

Clau disse...

Olá \o/
E quem ganha com esta parceria de sucesso,e o público!
Walcyr Carrasco é um autor estupendo e Elizabeth Savalla,dispensa comentários.
Olha,mais um post que gostei muito...
Sérgio,parabéns pelo prêmio Xícara de Ouro'!
Bjs!

Smareis disse...

Olá Sérgio!

Uma dupla excelente.
Elisabeth Savalla esta desempenhando o seu papel muito bem.
Li uma matéria que a Aline (Vanessa Giácomo) esta tendo problema com o Walcyr Carrasco devido algumas cenas de nudez que ela não quer fazer. Vai entender esses artistas.
Desejo um abençoado Natal pra você e toda a sua família. Que os dias do Ano Novo sejam uma seqüência de profundas realizações e vitorias.
Feliz Natal e Próspero 2014!
Um beijo de carinho em teu coração!

Sérgio Santos disse...

Savalla é grandiosa e Walcyr acerta ao valorizá-la, Thallys. Torço para que ele continue se lembrando dela, mas tb que outros autores a escalem.

Porém, o fato de só fazer tramas do Walcyr não a prejudicou, já que ele a deu inúmeros papéis distintos. Aliás, fica difícil não haver uma personagem um pouco parecido em meio a isso, ainda que Minerva nada tivesse a ver com Jesebel.

As pessoas que dizem que Solano é a única coisa boa da novela deveriam refletir um pouco no elenco e parar pra observar a grandeza desse time. São vários grandes nomes brilhando e nem vou citar aqui pq ia ficar longo demais.

Esses atores que vc citou são outros exemplos de grandes profissionais que só o Walcyr valoriza. Espero que ele ainda dê pra Fernanda uma mocinha. E a Ana Lucia ainda está na 'panela' pq Duca e Thelma trabalharam com Walcyr por mts anos, inclusive em Alma Gêmea. E ainda assim a governanta seria da Zezé Polessa. Abçs

Sérgio Santos disse...

Excelente comentário, Letícia! Assino embaixo de tudo!
Sobre a Regina, o Walcyr a tinha escalado para AAV, mas ela não pôde fazer por causa da peça dela.

Mas vc tem razão, ás vezes criam parentescos que forçam a barra ao invés de escalar atrizes de uma faixa etária apropriada.

Eu não me incomodo com esse tipo de situação desde que as profissionais sejam talentosas e que a diferença de idade consiga ser disfarçada (vide casos da Rosamaria Murtinho ser tia da Regina em O Astro, da Neusa Maria Faro ser filha da Nicette Bruno em Alma Gemea e da Susana Vieira ser filha da Nathalia Timberg em AaV), porém, há casos que extrapolam.

A Savalla tinha feito novela em 96 antes do Walcyr chamá-la em 2001, ou seja, tempo pra caramba. E se não fosse ele, ela não estaria no ar até hoje! Uma lástima.

Mas é bom ver essa parceria de sucesso. Bjão!

Sérgio Santos disse...

Maxxi, eu li sim e acabei de responder. Fiquei feliz por essa boa coincidência! E que bom que gostou do texto!

Tb gosto da Savalla e fim. A Socorro foi uma grande personagem mesmo e aquela novela foi excelente. Uma das melhores do horário. Sucesso merecido.

E senti falta dela em Gabriela. Nunca escondi minha decepção com a imposição de ser a Ivete. Ela de Machadão seria excelente. Mas fazer o que.. Pelo menos agora veio a Márcia. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Alexandra, A Padroeira eu vi muito pouco. Primeiro pq estudava mt na época e não tinha tempo, segundo pq não tive paciência pra aguentar Deborah Secco e Maurício Mattar de protagonistas. Nem sendo fã do Walcyr deu pra engolir.

Sete Pecados teve suas falhas, mas depois engrenou quando Silvio de Abreu ajudou. Porém, achei regular. Mas todas as demais eu adorei mesmo. Todas, sem tirar nenhuma.

Savalla e Walcyr fazem uma grande dobradinha e ele sempre a valoriza. Que bom que fez questão de levá-la junto com ele para sua estreia no horário nobre. Pena que os prêmio só chegaram agora e por causa da repercussão da trama no horário mais cobiçado da Globo. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Adriana, muito obrigado pelo seu carinho e sua amizade. Mais um ano se passou e a gente por aqui interagindo. Que ano que vem continue assim!

E tb torço para que Savalla ganhe outros personagens e não suma mais do horário nobre, porém, infelizmente acho que ela só voltará quando o Walcyr escrever uma nova trama para o horário, depois que voltar para o horário das seis. Ele escreverá uma para seu antigo horário e depois voltará para as nove. Bjs

Sérgio Santos disse...

Exato, Felis, é normal autores escalarem sempre os atores que confiam. Porém, a panelinha saudável (como esse caso) é sempre válida. Só não pode exagerar e repetir quase todo o elenco. Abçs.

Sérgio Santos disse...

Fábio, ela é uma atriz completa. Sou fã! Apesar de sempre fazer novelas do Walcyr, não vejo repetição pq sempre são personagens mt distintos. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Moura, obrigado pelo comentário! Abçs!

Sérgio Santos disse...

É verdade, Flávia, os outros é que estão perdendo! Tb adorei essas personagens! Bjssss

Sérgio Santos disse...

Verdade, Barbie. bj

Sérgio Santos disse...

Pois é, Elvira, Walcyr a queria como Maria Machadão e seria maravilhoso. Principalmente o par feito com o Fagundes, de Ramiro Bastos. Mas infelizmente nessa batalha ele perdeu. Que bom que veio AAV e a Márcia.

E pensar que nessa ele tb teve que lutar pela Savalla, já que Wolf Maya queria a Betty Faria pra viver a ex-chacrete. Bjsss

Sérgio Santos disse...

Oi Melina, obrigado. Estava devendo esse texto há tempos!

A novela está ótima mesmo e Walcyr tem conseguido milagres com tantos acontecimentos mesmo com a novela esticada. E vale lembrar, ela foi esticada em duas semanas e tb na duração dos capítulos, que estão mais longos que o normal. Qlq outro no lugar dele teria optado pela barriga master.

Apesar do gancho ótimo de ontem, a cena de hoje decepcionou. Foi constrangedor a canastrice dos atores. Pelo menos a cena final do suicídio ficou esplendorosa! Bjsss

Sérgio Santos disse...

Patrícia, vc pode contar comigo sempre. Eu sei como é isso e como dói. Amigo é pra toda hora. bj

Sérgio Santos disse...

Ah, Patrícia, bom Natal e bom ano novo pra vc tb. Até janeiro!

Sérgio Santos disse...

Clau, que bom que gostou do texto. Obrigado pelo carinho pelos parabéns! =) bjssss

Sérgio Santos disse...

Oi Smareis, obrigado. Savalla e Walcyr fazem uma boa dupla!

Olha, eu li isso, mas não acredito, confesso. Eles têm uma relação ótima e a Vanessa, apesar de constrangida com as cenas, não é do tipo de reclamar. Ela até fez questão de agradecê-lo no seu Arquivo Confidencial. Claro que posso estar enganado, mas não creio. bjssss

Melina disse...

Sérgio, é verdade. A cena foi constrangedora! Um show de atuações de quinta categoria. Pelo menos o suicídio foi bem realizado e o resultado ficou bom. E parabéns, querido, por criticar a novela quando necessário mesmo gostando dela. Isso se chama imparcialidade e bom senso. Um beijo.

Karina disse...

Esses dois são como queijo e goiabada, Sérgio! Que ninguém ouse destruir essa parceria! Adorei o texto! Elizabeth Savalla e Walcyr Carrasco são ótimos e a Márcia é um dos pontos altos de Amor à Vida.

Anônimo disse...

Texto maravilhoso e merecido! Amo essa dupla de paixão!!!! Os outros autores deveriam aprender com o Walcyr a valorizar atores experientes!

Sérgio Santos disse...

Melina, pois é, a cena foi ridícula, mas o acidente ficou excelente! Bjsss

Sérgio Santos disse...

Gostei da comparação, Karina. rs bj

Sérgio Santos disse...

Anônimo, todos os autores deveriam valorizar os veteranos. Mas só Walcyr e Silvio de Abreu fazem isso com maestria.

Anônimo disse...

Grande Walcyr Carrasco Foi ele quem fez minhas novelas Preferidas:Sete Pecados,Caras e Bocas e Alma Gemia.