sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

"Além do Horizonte": um conjunto de erros

Carlos Gregório e Marcos Bernstein definitivamente não foram felizes quando decidiram escrever "Além do Horizonte". Os autores se preocuparam exclusivamente com a trama central e não souberam amarrar bem a história, que peca pela lentidão de acontecimentos e poucos personagens bem construídos. O conjunto de equívocos tem refletido na audiência, que está abaixo de qualquer estimativa mais pessimista.


O capítulo da quarta-feira da semana passada (04/12) chegou a marcar 15 pontos, o pior índice do horário das sete da Globo. A novela chegou a ficar por alguns minutos em segundo lugar, um feito raro, já que até mesmo uma trama fracassada consegue se manter na liderança isolada com certa facilidade. E claro que o horário de verão é uma das causas para essa queda, entretanto, ele apenas ajudou a derrubar números que já estavam abaixo do esperado.

Audiência nem sempre implica em qualidade e há várias produções que comprovam isso. "A Vida da Gente", "Lado a Lado", "Guerra dos Sexos" e "Sangue Bom" ---- tramas que não mereceram o baixo ibope ---- são apenas alguns exemplos recentes que corroboram essa constatação. Porém, há casos em que
os números fazem jus ao que é apresentado para o telespectador: tanto em cima do que é bom quanto do que é ruim. E a atual novela das sete se enquadra nessa situação.

A história central é repleta de incógnitas, o que deixa o telespectador perdido e desinteressado. Manter um mistério para incrementar a trama é sempre válido, mas abusar desse recurso e não saber desenvolvê-lo de uma forma atraente afasta o público. Para culminar, os núcleos que se aproximam das características de um folhetim clássico, são cansativos e entediantes. Os personagens também não ajudam, uma vez que quase todos apresentam conflitos bobos e nada envolventes.

O elenco fraco e a falta de um casal que empolgue também prejudicam a trama. Thiago Rodrigues é um ator limitado e inexpressivo, enquanto que Vinícius Tardio demonstra uma total inexperiência e não convence em nenhuma cena. Infelizmente colocaram os dois como protagonistas e ambos disputam a mocinha, Lili, vivida por Juliana Paiva. A atriz está bem no papel, mas o romance da sua personagem com William e a relação dela com Rafa cansam. Já Rodrigo Simas tem ficado completamente avulso na pele de Marlon e ainda contracena com a fraca Christiana Ubach (Paulinha).

Aliás, após o sucesso do casal Bruno e Fatinha, na temporada passada de "Malhação", Juliana e Rodrigo tinham tudo para formar novamente um par repleto de química, mas os autores preferiram (ao menos por enquanto) não repetir o romance da novelinha teen. O que acaba sendo um erro em uma obra onde não há um par romântico sequer que desperte interesse.

Em relação ao resto do elenco, há alguns bons nomes, entretanto, os atores não têm muito o que oferecer ao público. Seus personagens guardam muitos mistérios e a demora em revelá-los, os impede de crescer na história. Caso de Carolina Ferraz, Alexandre Nero, Antônio Calloni, Cláudia Jimenes, Cássio Gabus Mendes, Isaac Bardavid, Marcello Novaes e Caco Ciocler. Já Flávia Alessandra e Alexandre Borges , apesar de já terem feito par romântico em "O Beijo do Vampiro" (2002), não funcionaram juntos. As cenas entre Heloísa e Thomaz são insossas. Já o núcleo de Tapiré é o responsável pelas sequências mais desinteressantes da história, apesar de ter o talento JP Rufino (Nilson) nele.

E como se não bastasse tanto erro, a novela ainda apresenta um ritmo muito arrastado. Os acontecimentos vão se desenvolvendo vagarosamente e o telespectador pode ficar sem assistir a vários capítulos sem ter medo de perder algo relevante. Difícil conquistar o público assim, ainda mais com uma obra cuja temática é a subjetiva busca pela felicidade.

A Globo também pecou por não colocar um autor experiente para ser supervisor da trama. Em alguns casos, esse artifício não é necessário em virtude da qualidade do folhetim, vide "A Vida da Gente", onde Lícia Manzo não contou com a ajuda de um veterano. Porém, em casos onde a proposta é tão arriscada, há necessidade de um profissional de mais renome; ainda que "Eterna Magia" (escrita pela então estreante Elizabeth Jhin e supervisionada por Silvio de Abreu) e "Tempos Modernos" (escrita por Bosco Brasil e supervisionada por Aguinaldo Silva), dois fracassos, sejam exemplos de que nem sempre a estratégia funcione.

"Além do Horizonte" tem mostrado uma sucessão de equívocos, que acabam fazendo jus ao fracasso da trama de Carlos Gregório e Marcos Bernstein. O folhetim ---- que, por causa da forte rejeição e da baixa audiência, teve seu fim antecipado (antes acabaria em maio de 2014 e agora se encerrará em março) ---- ainda tem um longo caminho pela frente e muita coisa pode mudar. Porém, por mais que se altere algumas histórias e mexa em determinados núcleos, será complicado reverter o atual quadro. O conjunto de erros que se vê no ar dificulta qualquer sinal de melhora. O caminho em busca felicidade era mais difícil do que os autores imaginavam.

61 comentários:

Thallys Bruno Almeida disse...

Bem, Sérgio, eu só acrescentaria que Lícia Manzo estreou como novelista sem supervisor, mas já utilizou este expediente em Tudo Novo de Novo (com a Maria Adelaide). E essa experiência a credenciou a estrear por conta própria em set/2011.

E falando sobre Além do Horizonte: essa novela tá chegando no nível Tempos Modernos de erro. Nem o marasmo de Aquele Beijo chegou a tanto.

Um monte de núcleo desnecessário, um mistério que parecia ousado desenvolvido de forma equivocada, elenco jovem fraco (onde só Juliana e Simas conseguem dar alguma dignidade), adultos que não têm muito o que fazer... Tá triste. Pelo visto, o caminho da felicidade é Miguez e Izabel chegarem com Geração Brasil (nome meio esquisito, mas who cares). Abç!

Lulu on the Sky disse...

Detesto essa novela.
bom fds! Amanhã tem festa no blog!
Big Beijos
Lulu
http://luluonthesky.blogspot.com.br

Alexandra Amaral disse...

Novela podre! Quando eu coloco no twitter a tag #AlemdoHorizonte vejo uns bobões elogiando a novela. Que raiva! Essa novela é horrorosa, nada faz sentido, personagens idiotas, sme história, elenco terrível, autores inexperientes e deconhecidos e que precisam de supervisão (Lícia Manzo não precisou porque do primeiro ao último capítulo foi magnífica), enfim... Nada nessa novela funciona. Tempos Modernos, Começar de Novo, Aquele Beijo foram tramas sem graça mas Além do Horizonte consegue ultrapassar todas no quesito trama ruim. Aliás, aqui em Curitiba a trama marcou mínimos 9 pontos em um dia de chuva. Vi também que a novela pretende acabar em 7 Março, com mínimos 107 capítulos. Tomara. E que venha logo Geração Brasil, sem erros que nem Cheias de Charme.
Aquela novela das seis ''Amor Está no Ar'' (96), era exatamente igual essa. Elenco ruim, trama com ETS e totalmente incorreta e superficial, e péssima audiência...
Não vai melhorar, com certeza.
Abraços

Thairys Moreno disse...

E bota equívoco nisso Sérgio!!!
Acho até que vc foi gentil na sua crítica, faz tempo que não assistia uma novela tão inexpressiva e desinteressante, e com um elenco tão ruim!
Acho que nem os próprios autores sabem onde fica essa tal felicidade, pq percebe-se que estão perdidos nessa trama louca e sem nexo.
Já se passaram alguns capítulos e eu e a torcida do flamengo ainda não conseguimos entender a proposta da novela, além de núcleos mal formados e nada atraentes.
Uma verdadeira sucessão de erros!
Beijos e ótimo final de semana.

Mainy disse...

Concordo totalmente Sérgio. Não consegui entender absolutamente nada dessa novela. Elenco muito mal escalado, história desinteressante. Pelas chamadas imaginei que fosse pior que tempos Modernos e está mesmo conseguindo ser rsrs. Só nos resta agora, aguardar por Geração Brasil. Bjs.

Michele Nunes disse...

Sérgio, vc disse bem o que eu penso em relação a essa novela: mal construida e sem algo que realmente prenda!!
A novela ta sendo reescrita e hoje meio que ficou claro que o pessoal que organiza essas "excursoes pra felicidade" sao uma organizaçao criminosa, pelo menos escusa!! Espero que logo a novela saia desse misterio todo e va pra parte da investigaçao com o personagem do Caco Ciocler sendo bem usado!!
Sinceramente, eh mais tortura ver essa novela do que Tempos Modernos, dessa nao sei o nome de nenhum personagem que nao seja os bem principais e do menino Nilson, pq o resto é taç solto e parece aparecer do nada que nem entendo!

Anônimo disse...

Pois eu acho que a parte mais legal da novela é o núcleo de Tapiré. Aliás eu só estou assistindo a novela para ver a professora celina, o matias, e o menino Nilson, que é uma graça.
Quanto a parte da felicidade, não é tão complicada assim, basta prestar um pouquinho de atenção e ter um pouquinho de paciencia para entender. Os casais da trama principal realmente não empolgam,mas eu torco muito por celina e matias.

Vegan (CuteSoy) disse...

Eu entendo porque é preciso muito tempo, até anos para se apaixonar e desenvolver personagens com paixão, mas com essa comercialização de história hoje temos filmes e novelas que dá para sentir que foram feitos na pressa, esquecemos que a criatividade jamais poderá ser uma fábrica, e que leva tempo de gestação assim como a vida.

paulo disse...

Nossa, uma novela das 7 da globo ficou em segundo no ibope? Eu já sabia que a globo estava decadente mas não a esse ponto. Tira esse lixo e reprisa uma novela dos anos 80, tipo Brega & Chique pra ver o sucesso que será!

Fábio Coutinho disse...

Concordo com você Sérgio, essa novela é horrível, muito arrastada e com uma história confusa.Só discordo em um ponto: de que o núcleo do Tapiré é desinteressante.Estava assistindo essa novela dias atrás e acompanhei um pouco o núcleo de Tapiré e posso dizer que esse núcleo é o melhor e a única coisa que salva na novela, na minha opinião.Gostei da professora Celina, interpretada pela Mariana Rios e do vilão Kléber, interpretaod pelo Marcello Novaes.Mas acho que nem isso é capaz de salvar essa novela, já que apresenta mais erros do que acertos.

VERINHA TIBURSKI disse...

Olá Sergio, querido amigo.
Escreveste maravilhosamente bem, foi bem isso que senti, por estes dias assisti bastante novela pois estava acamada devido a uma entoxicação alimentar, realmente Alem do horizonte não me deixou fascinada, mas não deixa de ser uma estoria legal, o problema é o entusiasmo talvez dos autores, não gosto da atriz Flavia Alessandra não sei te explicar do porque, só sei que nunca gostei de suas atuações, mas claro esta é minha opinião. Quem sabe com o desenrolar do tempo as coisas fiquem mais apimentadas por lá.
Já minha amiga esta adorando não ouvi nenhum comentário negativo sobre a novela, mas ela é super viciada em novela, até que tivemos altos papos por estes dias,era ela que estava cuidando de minha pessoa, então assistimos todas...rsrsrs, mas adorei.
Aproveitando e agradecendo o carinho e companhia neste ano que esta quase ao fim, obrigada por tudo. Parabéns pelas indicações e selinho merecidamente este blog é o melhor sobre novelas e realmente você sempre esta de olho nos detalhes, parabéns ao blog e blogueiro.
Que Deus abençoe com muita paz, saúde e harmonia a você e sua família, um maravilhoso natal.
Beijinhos.

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia,Sérgio!
é aquilo, que vc, bem tem analisado, era um risco da inovação. Se não tivesse uma trama bem amarrada,melhores protagonistas e um experiente na supervisão, já que os autores são novatos, a concorrência como horário de verão e Festas...a novela iria entrar num marasmo e queda...uma pena!
Agradeço, obrigado, belo final de semana, abraços!

Rita disse...

Bom dia e um lindo sábado pra vc!

Vim deixar meu abraço pelo ano todo que você
esteve comigo, desejo que me 2014 nossa amizade
permaneça sempre com muito amor e nossos sonhos
e realizações venha com grande vitória, mais uma vez
agradeço por tudo que ganhei nesse Blog , volto em janeiro
Boas festas e um ano cheio de muita paz e luz!!!

Rita!

Ϡ₡ღ¸✿-:¦:-•´¯` ✻.¸¸.ღ♡ღ .¸¸.✻´´¯`•-:¦:Ϡ₡ღ¸✿-:¦:-•´¯` ✻

Rita disse...

Serginho sobre essa novela, por motivos que vc já sabe com minha irmã, não pude ver o começo, uns dois capítulos só. então não estou assistindo, mas pelo que falam não é nada boa..bjusss meu querido e bom final de ano

________Rita!!

Rafael Barbosa disse...

Na minha opinião, a premissa da novela é das mais interessantes, mas não se encaixou no formato, daria um ótimo seriado, mas para novela os autores tiveram que desenvolver outras historias paralelas que não dão suporte a central e que são descartáveis, e se veem na difícil missão de desenvolver o grande mistério que norteia a trama diariamente, o que acaba gerando essas enrolações e ritmo arrastado. Como seriado, não haveria necessidade de outras tramas, poderia se focar só no mistério central, e isso uma vez por semana, podendo assim construir melhor a história. Sem falar que a ausência de ingredientes básicos a qualquer novela faltam em Além do Horizonte, o que deixa claro pra mim que inovar e fugir totalmente dos elementos inerentes ao folhetim é um risco enorme, o elenco irregular e com ausência de rostos com os quais o publico esta acostumado, também é o problema. É uma pena, porque pelo pouco que eu vi, a novela faz bonito quando o assunto é direção, os diálogos são eficientes e como disse antes, a idéia da trama central é boa, os autores só escolheram o formato errado para apresentá-la o que impede de desenvolve-la como se deve.

Abraços

Chris Ferreira disse...

OI Sérgio, eu não gosto dessa novela e não consigo vê-la. Desde o início achei muito cara de "Aramação" e arei de ver já no primeiro capítulo.
Parabéns por estar na Xícara de Ouro do blog Café entre Amigos da Patrícia Galis.
beijos
Chris
Inventando com a Mamãe

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, concordo com tudo. O que se salva são os cuidados de produção, especialmente nas cenas da floresta de Tapiré, e algumas músicas da trilha sonora. Entre os atores, Antônio Calloni é o melhor. Para falar a verdade, deixei de assistir à novela e só vejo cenas esparsas.

F Silva disse...

Olá Sérgio

Uma pena! É assim que eu começo comentando sobre essa novela.
Gostei muito da temática. Não há como negar que o tema e os cenários são interessantes e, pelo menos que eu lembre, nunca antes explorado na teledramaturgia.
O problema é que os autores criaram uma forma equivocada de contá-la.
Nada contra os mistérios e enigmas em uma trama, porém, acho que o telespectador gosta de ser um pouco cúmplice na história. Gosta de torcer, contra ou a favor, pelos personagens e suas histórias, mas com tantos segredos e mistérios, não dá pra rolar uma empatia por parte do público.

E permita-me discordar um pouco de você. Mesmo que unissem o Rodrigo Simas e a Juliana Paiva nessa história, não melhoraria em nada, porque os personagens (Lili, William, Rafa e Marlon), são apáticos e a história que está sendo contada não ajudaria. Bruno e Fatinha, da excelente temporada anterior de Malhação, eram personagens carismáticos e tinhan uma história de paixão e amor muito bem contada. Um grande acerto das autoras Glória Barreto e Rosane Svartman.
Não dá pra encaixar nessa nebulosa trama de Além do Horizonte um romance que seja realmente atraente. A não ser que mude totalmente o foco.

Um grande abraço Sérgio.

Sissym Mascarenhas disse...


Estimado amigo noveleiro!
Amigo Sergio,

Eu desejo tudo de bom a voce, seus familiares e a todos nossos amigos presentes.
Que seja a magia do amor o instrumento para a transformação de cada dia num outro ainda melhor.

Boas Festas, muita paz.

Beijos

Barbie Californiana disse...

Não parei para ver, Sérgio, mas depois dessa nem vou... rs beijinhos

Anônimo disse...

Eu achei válido a iniciativa de não repetir o casal de Malhação da Juliana Paiva e Rodrigo Simas. É muito chato essa coisa de colocar um casal que foi sucesso estrondoso de novo só pra se garantir. E não fica legal ainda mais consecutivamente. Eu pelo menos não gosto. Eu que amo Isabelle Drumonnd e Humberto Carrão ando bem chateada pelo fato deles fazerem um par romântico pela 3º vez consecutiva, numa novela das sete, sendo que tiveram apenas 1 novela de intervalo e sempre na mesma época do ano. Cara é muito repeteco. Acho que fica até sem graça até para a carreira deles. Merecem outros voos, outros parceiros. Ainda mais que são jovens, tem uma carreira inteira pela frente, imagina quantos outros pares formaram, já que a química é constatada e os diretores vão querer apostar no obvio. Tem que dar um tempo, não abusar para não enjoar. É claro, que os fãs adoram, mas o publico de uma novela é muito maior que fãs de um ator e outro.

Luma Rosa disse...

Oi, Sérgio!
Confesso que dei apenas uma chance à essa novela - Assisti o primeiro capítulo e não gostei! De vez em quando, quando estou zapeando, ainda dou uma paradinha. Noutro dia estava olhando a atuação da Flávia Alessandra e tive dó! Talento desperdiçado por um papel ruim, daí creio que a culpa pelo ibope é mesmo dos autores.
Boas festas e um feliz 2014!!
Beijus,

A Viajante disse...

Sérgio é isso aí... erros grotescos... só gosto da trilha sonora, especialmente a música do casalzinho... risos... beijo, querido!

Sérgio Santos disse...

Mas Tudo novo de Novo era um seriado, Thallys, teoricamente mais simples que uma novela. Aliás, ótimo seriado.

Vi dois capítulos essa semana para poder escrever e foi uma tortura porque tá tudo muito ruim. Merece os índices pífios. Espero que essa próxima novela seja boa, embora não esteja tão entusiasmado assim. abç

Sérgio Santos disse...

Também, Lulu. bj

Sérgio Santos disse...

Alexandra, marcou só 9 pontos em Curitiba, é? Nossa, tá difícil a situação. Mas merece porque é muito fraca mesmo. Começar de Novo, Três Irmãs e Tempos Modernos foram novelas horríveis, mas ao menos tinham um bom elenco. Essa nem isso.

Tb espero que Geração Brasil venha sem os erros de CDC e empolgue. Mas melhor que essa será com certeza. bjs

Sérgio Santos disse...

Me achou gentil, Thairys? rs Mas eu não poupei nada e nem poderia. É um conjunto de equívocos e o resultado desastroso está sendo visto. Nada funciona e a história é muito cansativa. Bjão!

Sérgio Santos disse...

Maíny, nem é questão de entender, até porque nada foi explicado até agora, então, teoricamente, o objetivo é esse mesmo: não entender nada. Mas eles contaram que o telespectador fosse ter paciência de esperar tudo ser desvendado aos poucos. Mas não teve. E nem tinha como ter. Não há nada que prenda a atenção. bjssss

Sérgio Santos disse...

Michele, não sabia que havia suspeita dessa organização ser criminosa. Tenho visto pouco da novela. Mas os autores não souberam construir bem a trama e nem desenvolvê-la. Uma pena porque a temática é interessante. bjssss

Sérgio Santos disse...

Anônimo, respeito vc gostar desse núcleo. E não disse que a questão da felicidade era complicada, e sim subjetiva. E da forma como tudo é mostrado, fica cansativo e confuso. Não sei quem é Matias, mas a Celina é uma personagem simpática. abç

Sérgio Santos disse...

É mesmo, Vegan, mas eu acho que os autores demoraram nesse projeto. Só achei estranho a Globo ter aprovado. Nada contra ousadia, mas tem que ser feita com competência. E eles são profissionais talentosos, mas não foram felizes. bj

Sérgio Santos disse...

Por alguns minutos ficou, Paulo. Nem recebi seu elogio por estar falando mal de uma produção da Globo...

Sérgio Santos disse...

Fábio, obrigado. Mas eu realmente acho o núcleo de Tapiré um dos mais chatos. O vilão do Novaes mais ladra do que morde e acho quase todos os personagens dali insuportáveis.

Acho que nada mais salva a novela. Abçs.

Sérgio Santos disse...

Verinha, muito obrigado pelo carinho. Olha, se sua amiga gosta, ok, mas é uma das poucas. rs

Eu gosto da Flávia, mas ela pegou outra personagem ruim depois de Salve Jorge.

Vcs estão mt apressados, tem um bando de gente me desejando bom Natal. Calma, é só dia 25. rsrs Bjão!

Sérgio Santos disse...

Exato, Felis, os risos eram gigantescos e ainda havia fatores extras, como horário de verão, festas, férias e afins. Tudo ia contra e resolveram apostar em algo que não foi bem desenvolvido. O resultado tá aí. abçs

Sérgio Santos disse...

Rita, os votos são recíprocos. E espero que sua irmã continue melhorando! Beijos.

Sérgio Santos disse...

Eu também acho, Rafael. O tema é ótimo e poderia render. Aliás, mistério e suspense em uma novela é sempre ótimo, ainda mais sendo tema central. Mas não desse jeito. Tudo muito mal desenvolvido, ritmo lento, personagens ruins, elenco fraco, enfim... Seria melhor como série mesmo e sem os núcleos inúteis, ou seja todos.

Ousar é sempre válido, mas não dessa forma, tirando tudo de um folhetim tradicional. Um pouco precisa ter, senão deixa de ser novela. Abçs.

Sérgio Santos disse...

Chris, a novela é fraca mesmo. Obrigado pelo carinho! bjssss

Sérgio Santos disse...

A trilha é ótima, Elvira. Isso é inegável, mas o resto é dose... Tb tenho visto mt pouco e pra poder escrever tive que assistir dois capítulos e não foi fácil. Deu sono. bjs

Sérgio Santos disse...

É uma pena mesmo, F Silva. A temática era promissora e vc tem toda razão quando diz que o público quer ser cúmplice. Eles exageraram tanto nos mistérios que a gente tb não entende nada e se desinteressa, ainda mais com um ritmo arrastado e sonolento.

Concordo que juntar Juliana com Rodrigo não melhoraria nada, porém, teria ao menos um casal com química, o que está em falta nessa produção. Claro que Bruno e Fatinha são incomparáveis, mas ao menos a sintonia entre os atores se repetiria.

E acho que, posso estar errado, podem reescrever tudo que nada irá mudar. O público abandonou. Abçs!

Sérgio Santos disse...

Ah, Sissym, muito obrigado pelo seu carinho. Desejo o mesmo pra vc. bjs

Sérgio Santos disse...

Faz bem, Barbie. bjssss

Sérgio Santos disse...

Anônimo, concordo que repetir muito casal não é lá muito bom. E esse casal de Geração Brasil, apesar da química de Isabelle com Humberto, me preocupa por ser em tão pouco espaço de tempo. Corre o risco de estigmatizar os atores e limitá-los.

Porém, nesse caso, acharia válido simplesmente por não haver um casal sequer com química nessa novela. Nenhum par empolga e a sintonia entre os atores poderia ao menos servir como base para o surgimento de um novo casal. Porque Thiago Rodrigues e Vinícios Tardio são mt ruins. Abçs.

Sérgio Santos disse...

Luma, o papel da Flávia é muito ruim mesmo. A trama é muito equivocada. bjs e desejo o mesmo.

Sérgio Santos disse...

Ju, a trilha é ótima. Isso é verdade, eu tb gosto muito. Bjsss

Maxxi disse...

Oi Sergio...

Considero realmente que a historia esta sendo desenvolvida equivocadamente - assim como Máscaras que tinha um enredo,atraente somente ao autor -, mas a culpa maior é da direção e sobretudo do elenco que não nos permite acreditar na historia.

Que time fraco os protagonistas, ainda me pergunto porque escolheram Thiago Rodrigues para protagonizar mais uma novela. Veja as últimas dele: Guerra dos Sexos e Tempos Modernos. Acho ele um dos piores atores da Globo atualmente ao lado do tb péssimo Júlio Rocha. É uma pena que essa ousadia toda não tenha tido estrutura para se firmar como novela.

Melina disse...

Novela insuportável! Como você bem escreveu nesse ótimo texto um conjunto de erros! Que saudades de Sangue Bom, da Amora com o Bento, Giane com Fabinho, Damáris, Bárbara Ellen... Esses protagonistas de Além do Horizonte são péssimos!

Francisca Baptista disse...

Essa tranqueira ta é queimando o filme da minha cidade e minha regiao. Aqui nao tem "bestas" nem é esse marasmo todo. Nao sei o que esses autores ouviram falar da regiao Norte, mas como sempre foi tudo errado. Rs. É uma regiao muito linda isso sim. E a Felicidade se acha como em qualquer outro lugar. Pronto Falei!
bjs Sergio

Sérgio Santos disse...

Maxxi, é verdade, um bom tema sendo desenvolvido equivocadamente. E nem sei pq investem ainda nesse Thiago, ele é muito fraco. Enfim tá tudo errado. Abraços.

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sérgio Santos disse...

Muitas saudades, Melina! Essa novela tá fazendo falta! Bjs

Sérgio Santos disse...

Francisca, a besta faz parte da ficção e não vejo problema nisso, desde que seja uma trama boa, o que não é o caso. Pelo que vi, a besta é o vilão e nem sei se explicaram mais algo. A novela é mt ruim. Pena que sua região seja o pano de fundo pra isso. rs bjsss

Letícia disse...

Boa noite Caro Sérgio,

sei que não se deve chutar cachorro morto, mas Além do Horizonte é uma novela muito ruim mesmo! Assisti poucos capítulos e não me empolguei. Os protagonistas são muito fracos e não sei da onde a Globo os tirou, custava fazer a Oficina de atores da emissora, há bons cursos de teatros, Tablado, Escola de Atores do Wolf Maia, CAL e assim por diante. Quem sabe assim os protagonistas teriam alguma experiência... Até o cigano Igor era mais convincente...

A trama em si é muito esquisita, a busca da felicidade... Há algo de errado quando você tem que largar tudo e buscar por algo no meio de sei lá onde e parece mais uma máfia do que outra coisa... Sem contar que a estória não é nada atraente...

É compreensível que a novela não tenha vingado e provavelmente nem vá. Uma boa estória cativa e não cria repulsa com esta.
Desculpe minhas palavras ásperas, não dá para se referir a novela de outra forma...

Um Abraço

Sérgio Santos disse...

Ola minha cara Letícia! Não peça desculpas de nada, ótimo comentário. Concordo com você. A novela começou errada e foi piorando. A trama não empolga, os personagens são fracos, muitos atores tb são, ritmo lento, enfim, tudo para dar errado. Dito e feito. Beijão!

Anônimo disse...

Gente, raciocinem. A trama não quer mostrar o drama de jovens indo atrás da felicidade. Já ficou bem claro q o grupo eh uma organização criminosa q mantém relações com o Kleber, e que a professora vai acabar descobrindo todo o bagaço. E eu não li isso em lugar nenhum, ficou bem claro soh assistindo a novela. Basta prestar atenção.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, é óbvio que a organização tem podres, até pq se não tivesse não tinha trama. Mas a história central é sim a busca dos protagonistas pelos parentes que foram em busca da felicidade.

Pedro Bertoldi disse...

Oi Sérgio, desculpa estar comentando só agora seu texto. Tem algumas coisas que não concordo.
A tram tem uma temática e protagonistas jovens. O ideal seria um ritmo mais ágil. Acho que.o erro inicial foi a demora para inserir os protagonistas no miolo do mistério. Quando isso aconteceu,a novela deu uma melhorada significativa. Quanto ao núcleo de Tapiré, acho o mais bem organizado. Veja, ali temos um casal romântico, um núcleo cômico, o vilão, o mistério, ou seja, todos os elementos de uma novela tradicional. No começo,me parecia que os núcleos não se interligavam,mas desde a explosão do barco em Tapire, houve a revelação.de alguns segredos e a história melhorou bastante. Li em algum lugar que o supervisor da novela é João Emanuel Carneiro. E vamos combinar que a novela bem dirigida pelo Gustavo, que imprime enquadramentos diferentes nas cenas, dando linguagem de cinema. Essa é a minha opinião, espero que entenda!
Abraços!

Sérgio Santos disse...

Sem problemas, Pedro. Respeito sua concepção. Mas o JEC não é supervisor, não. A novela não tem supervisor. Vi uns trechos nessa semana e a novela parece ter melhorado um pouco mesmo, mas ainda acho mt equivocada. E sem dúvida o ritmo lento e a demora da entrada desses personagens foram decisivos para o afastamento do público. Abração!

Anônimo disse...

Não sei se estou atrasada, mas, acho que ainda está valendo o comentário. Também não gostei dos primeiros capítulos, parecia um livro de auto-ajuda com aquela história de felicidade. Não dava para comprar a ideia de que jovens abandonassem tudo e se arriscassem para ir em busca de algo tão subjetivo, que nem eles sabiam ao certo o que era, se ainda fosse um tesouro ou algo do gênero. Acho que o problema é que a sinopse era para uma série e transformaram em novela, sem considerar os elementos necessários a um folhetim. E não dá para ter uma novela onde ninguém sabe nada, nem personagens, nem público. Engraçado que no livro do Daniel Filho, ele faz uma autocrítica em relação a Suave Veneno dizendo exatamente isso, que a novela não deu certo porque botaram mistérios demais e o público não entendia e nem tinha por quem torcer. Sinto que repetiram o erro com Além do Horizonte. Em novela, ou o público precisa saber o que o personagem desconhece (ex: Sangue Bom - sabíamos dos exames de paternidade trocados e os personagens não) ou o personagem sabe o que o público desconhece (em Avenida Brasil, mãe Lucinda sabia dos segredos que o público desconhecia e isso criava expectativa, o que ela esconderia?).
A maior falha de Além do Horizonte, me parece, era justamente essa, ninguém sabia nada, aí não dava nem para torcer nem para ter expectativa. Mas, preciso dizer, que vi os últimos capítulos e a novela vem melhorando bastante, agora está pelo menos "assistível" e tenho esperanças que ainda melhore (até porque sempre torço pelos autores novos). Melhorou justamente quando pararam de repetir todo dia aquela baboseira de "felicidade concreta" e começaram a inserir velhos e bons elementos folhetinescos (como revelar ao público os segredos que os personagens desconhecem).
Outra coisa: no capítulo de ontem vi a Lili, de Juliana Paiva, passar a dividir alojamento com o Marlon de Rodrigo Simas, graças a estratégia da vilã Tereza para aproximá-los e desestabilizar o namorado da moça. Daí fiquei pensando se não era também uma estratégia para atrair público fazendo uso da comprovada química dos atores. Vamos ver se funciona e no que isso vai dar.

Anônimo disse...

A temática é muito boa, mas os atores novatos são péssimos e o público que gosta deste tema não assiste novelas e ainda mais neste horário. Realmente o público deste horário não entende e não curtiu este tema. Uma pena!

Leonardo de Cassio disse...

Não concordo.
Talvez a novela tenha errado em alguns pontos sim, mas acho que foi uma das primeiras (e únicas)novelas que botaram o povo brasileiro para pensar.
sabe, acho que muitos não gostaram dela pelo simples fato de sair da mesmice. Não continuar naquela de "gay, mulher má tentando separar casal bom, gente se matando por herança e etc..."
É sempre assim, não vejo mais novelas boas na Globo, creio que a sua qualidade já foi melhor.
A audiência não possa ter sido essas coisas, mas essa novela foi um impacto. Pelo menos para mim. Ótimos autores e surpresas agradáveis. É uma pena que o povo brasileiro não tem logica pra apreciar uma novela criativa e policial como foi Além do horizonte. Geração Brasil vai ser sucesso sim. Sabe por que? Por que é fácil de se imaginar. O povo não vai precisar pensar e tal. E é isso que o povo brasileiro gosta, de coisas fáceis. Onde não usa o cérebro. Galera, na moral, cansei dessa história de "Quem matou tal ou outras coisa", o povo brasileiro está gostando cada vez mais dessa história de mesmices,e bla-bla-blá, espero ansioso a próxima novela desse autores que admiro muito.