segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

"Junto & Misturado": um programa de altos e baixos

O "Junto & Misturado" estreou em outubro de 2010 e terminou em dezembro do mesmo ano. Ia ao ar às sextas, depois do "Globo Repórter", horário considerado problemático na Globo. O programa chegou a ter uma segunda temporada confirmada e cinco episódios foram até gravados, entretanto, ela nunca foi ao ar e o material chegou a ser arquivado pela emissora. Passado três anos, o formato voltou e foi inserido na grade noturna de domingo, após o "Fantástico", para substituir os especiais de "Sai de Baixo", que por sua vez substituíram a série americana "Revenge".


Pouca coisa mudou em relação aos episódios exibidos há três anos, porém, algumas esquetes ficaram um pouco mais longas e o elenco está mais numeroso. Aliás, o time é muito bom. Letícia Isnard, Gabriela Duarte, Marcelo Médici, Kiko Mascarenhas, Débora Lamm, Fabíula Nascimento, Fernanda de Freitas, Bruno Mazzeo (que também assina o roteiro), Renata Castro Barbosa, Augusto Madeira, Luiz Miranda e Rodrigo Pandolfo protagonizam inúmeras cenas e mostram boa sintonia.

Com direção de Maurício Farias, o programa tem a mesma fórmula do "Porta dos Fundos", canal do Youtube, do site Kibeloco, e que apresenta várias esquetes. A diferença, claro, fica por conta dos palavrões que não são falados na televisão. E, justiça seja feita, o "Junto & Misturado" veio antes do projeto
que virou um fenômeno na internet. Inclusive, Fábio Porchat e Ian SBF, atuais redatores do "PdF", eram os responsáveis pelo texto da primeira temporada da atração da Globo.

A estreia da segunda temporada teve altos e baixos. Algumas situações não tiveram a mínima graça, vide a cena onde um mendigo honrava a tradição de ser um pedinte, e outras foram inspiradas, vide a divertida propaganda de "A Bíblia 2 - mais sagrada do que nunca". E a utilização de temas atuais, como os protestos que marcaram esse ano (a esquete do estudante sendo atacado por um PM divertiu), a polêmica das biografias não-autorizadas e a Lei Seca, foi um acerto do programa.

Fica até injusto elogiar algum ator específico, já que todos os integrantes são ótimos (com exceção de Bruno Mazzeo que sempre interpreta ele mesmo), porém, é necessário destacar Marcelo Médici e Débora Lamm, que conseguem se sobressair sempre que aparecem e têm um tempo de comédia perfeito. Os dois convencem em todas as situações e sabem fazer rir sem forçar.

O humor de "Junto & Misturado" não é popularesco e as crônicas do dia a dia são a principal fonte do programa ---- que tem também um pouco do saudoso "TV Pirata" no DNA. Porém, nada disso faz o formato ser garantia de diversão. Até porque, como são várias esquetes, a chance de ter situações ótimas e péssimas ao mesmo tempo é grande. E foi exatamente o que aconteceu na estreia e o que acontecia com frequência na primeira temporada. Há momentos cômicos e outros sem um pingo de graça. Esse fator, aliás, deve ser levado em consideração para os que torcem pela criação de um programa de televisão para o canal "Porta dos Fundos". Como as fórmulas são praticamente as mesmas, fica a dúvida a respeito do resultado que esse tipo de atração teria em uma emissora aberta. Na internet, o telespectador fecha a página quando não está gostando do vídeo em questão, já na tevê ele muda de canal e dificilmente volta a assistir ao produto.

A segunda temporada do "Junto & Misturado" terá cinco episódios e a principal missão será manter os bons índices obtidos pela exibição dos especiais do "Sai de Baixo" produzidos pelo Canal Viva ---- o que a princípio não deu muito certo, já que o "Pânico na Band" alcançou a liderança por alguns minutos e na média geral a atração perdeu para o "Programa Silvio Santos" ----- a Globo ficou com 11 e o SBT com 12 pontos. De acordo com o que foi visto no primeiro episódio, exibido nesse domingo (01/12), o programa será marcado por altos e baixos. O que não é nada bom para um produto que enfrentará um dos horários mais competitivos do domingo.

32 comentários:

✿ chica disse...

Perdi a estréia, mas vim desejar um lindo dezembro e ótima semana,abraços,chica

Melina disse...

Gostei mais desse primeiro programa do que de toda a primeira temporada, Sérgio. Mas você tem razão quando diz que há altos e baixos. Beijos.

Van disse...

Oi Sergio

Ainda não assisti, mas lendo você me deu curiosidade.

Beijos

Anônimo disse...

Tão sem graça quanto o Casseta e Planeta. E a família trapo da Record? Deu vergonha!

Lulu on the Sky disse...

Oi Sérgio,
Realmente o programa tem altos e baixos. Tem esquetes hilárias e outras nem tanto.
Big Beijos

Vinícius disse...

O programa só me arrancou alguns risos amarelos e olhe lá! Você fez bem em ressaltar o bom elenco e algumas esquetes engraçadas mas no geral é muito ruim. Não merecia voltar! E o seu levantamento é válido, será que vale mesmo a pena ter o Porta dos Fundos na tv?

MARILENE disse...

Sergio, o conteúdo de alguns programas conheço através de suas postagens. Esse é um dos que nunca me atraíram. Talvez assista para avaliar, pois o time, como mencionou, é muito bom. Bjs.

Felisberto Junior disse...

Olá!Boa tarde, Sérgio!
Como vai? Comigo, bem!
vi a chamada no Fantástico, mas perdi a estréia. Eu tenho a mesma opinião que vc, tem um grande elenco, com exceção de Bruno Mazzeo que sempre interpreta ele mesmo.
Agradeço pelo carinho, belos dias, abraços!

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Olá amigo, eu não assisti, aliás provavelmente nem vou, durmo cedo srrs Abraçosss

Anônimo disse...

Entre o humor popularesco do Zorra Total e o humor refinado do Junto e Misturado eu fico com humor nenhum!

Letícia disse...

boa noite Sérgio, tudo bem?

Eu nem tinha planos de assisti ao programa, mas acabei assistindo assim mesmo. Concordo com seu texto, houve momentos bons e outros nem tanto. A parte do mendigo foi triste. Para ser bem honesta, gostei mais das partes que serviram de base para os esquetes, onde conversam normalmente. Lembra bastante o Porta dos Fundos, se não me falha a memória o Fábio Porchat participou da primeira temporada. Talvez tenha até servido de inspiração para o seu programa. Não sei se vai conseguir manter a audiência, por outro lado, creio que a questão de Ibope deve até ser revista. Acredito que dificilmente a Globo consiga manter estes padrões de audiência, não falo do programa específico, mas de toda a sua programação. Não creio, também, que vá deixar de ser líder, porém seria interessante a emissora rever seu conceito neste aspecto. Sem contar, que se leva muito em conta os números de São Paulo e esquece
do restante do país.

O cômico da situação é perder audiência para um programa tão ruim quanto o Pânico na Band, realmente é horrível, pois, particularmente nem gosto do humor dessa turma.

Não sou muito fã de programa de humor, para ser bastante sincera, dificilmente acho qualquer graça. Para você ter uma ideia, acho até Esquadrão da Moda mais engraçado do que alguns programas de humor que vejo por aí na TV aberta.

Sérgio, espero que programa tenha sucesso, não sei se verei novamente porque não me chamou atenção, como o Sai de Baixo, mas é mais interessante que Pânico na Band, pois é menos grotesco e isso para mim já é um grande feito.

Um abraço e uma ótima semana...

eder ribeiro disse...

Sérgio, isso é unânime, o Bruno não sai do papel de ser Bruno Mazzeo. Abçs.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, concordo com a crítica. O elenco é bom, o tipo de humor lembra o da TV Pirata e do Monty Python (guardadas as devidas proporções), há altos e baixos nos episódios. Resta aguardar os demais, mas o horário é ingrato.

Sérgio Santos disse...

Chica, obrigado, pra você também. bj

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Melina. bjs

Sérgio Santos disse...

Van, não sei se vale muito a pena, mas tente dar uma conferida. bjs

Sérgio Santos disse...

A Família Trapo na Record foi triste mesmo, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Lulu, o programa fica numa corda bamba. bj

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado, Vinícius. Eu acho que o debate em cima da Porta dos Fundos é uma bobagem, porque, afina, o Junto e Misturado é quase a mesma coisa. Ou seja, ficou claro que não dá mt certo na tv. abçs

Sérgio Santos disse...

Marilene, acho que vc não ia gostar muito. bjssss

Sérgio Santos disse...

Oi Felis, bom te ver de volta! Sim, o Mazzeo sempre interpreta ele mesmo, não tem jeito. Abçs.

Sérgio Santos disse...

Kellen, vc não ia gostar. rs bjs

Sérgio Santos disse...

Hoje em dia está difícil rir desses programas, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Oi Letícia, tudo indo. O programa alterou altos e baixos e ele sempre teve essa característica.

Vc tá certa, o Porchat participou da primeira temporada, assim como o Gregório Duvivier, que como estão agora com a Porta dos Fundos não puderam voltar. Mas é quase a mesma coisa e provavelmente por isso que eles transferiram a ideia do J&M para a internet. Só acho um ero eles falarem que é algo novo porque não é, em 2010 já tinha e na tv.

Eu gosto do Pânico na Band, mas tem alguns quadros deploráveis mesmo. E eu duvido que o J&M tenha uma boa audiência. Não teve em 2010 e dificilmente terá agora. É só um tapa-buraco mesmo porque Revenge e Sai de Baixo acabaram. Beijão e boa semana.

Sérgio Santos disse...

Verdade, Eder. abçs

Sérgio Santos disse...

Elvira, acredito que os demais deverão manter essa linha do altos e baixos. Não é um programa que me atraia, confesso. Bjssss

Barbie Californiana disse...

Eu nem vi, Sérgio... rs beijinhos

Thallys Bruno Almeida disse...

Junto e Misturado é de fato um programa instável, alternando momentos bons e fracos. Se bem que eu gostei da sátira das manifestações e principalmente da "Bíblia 2", rs.

Eu diria que só gostei do Mazzeo em Beleza Pura fazendo dupla com a Carol Castro (e ainda assim ela era muito melhor que ele). O resto do elenco dá um banho, em especial Débora Lamm e Marcelo Médici.

Mas percebo que o Porta dos Fundos, ao levar este formato para a internet, tem tomado um melhor cuidado na elaboração dos vídeos deles, o que talvez explique o sucesso deles.

Não vi muita coisa do primeiro episódio pois estava mais concentrado na releitura que a Record fez da Família Trapo, mas acho que dificilmente vai pegar de novo. Se até o Sai de Baixo sofreu... Abç!

Sérgio Santos disse...

Sem problemas, Barbie. bjs

Sérgio Santos disse...

Ey tb gostei da dobradinha do Bruno com a Carol, Thallys, mas era o Bruno sendo o Bruno. J&M alterna altos e baixos e só voltou mesmo pra tapar o buraco na grade. Dificilmente voltará.

O Porta dos Fundos tem vídeos bons e ruins, é a mesma coisa e caso viesse para a tv o resultado seria quase igual. Abraços.

Fabíola Oliveira disse...

Oi, Sérgio!

Domingo passado andei dando uma assistida nesse programa. é razoável e realmente alterna momentos engraçados com outros não tão engraçados assim.

Sinceramente eu preferia Revenge. A Globo parece que começou bem empolgada com essa série americana, fazendo, inclusive, várias chamadas durante a semana, mas parece que depois foi perdendo o estímulo, a ponto de preferir apostar em produtos da casa.

Revenge não trouxe o retorno esperado para a Globo, Sérgio? Não sei por que, mas fico com a impressão de que a Globo, fora os filmes, não goste muito de exibir enlatados americanos. Talvez por achar que possa fazer melhor com seus próprios programas... vai saber...

Só sei que eu ficava mais tempo com a TV ligada na Globo depois do Fantástico quando existia Revenge...

Abraços, Sérgio!

Sérgio Santos disse...

Fabíola, eu me viciei em Revenge porque comecei a assistir quando a Globo passou nesse horário. O início foi muito bom pra grade, que teve uma boa audiência com a série, mas depois o ibope foi caindo. Mas independente disso, ela ia ter que parar pq agora só poderá exibir a terceira temporada quando acabar na tv americana, ou seja, só em meados do ano que vem. Eu tenho acompanhado a terceira temporada na Sony. Bjão!