terça-feira, 1 de outubro de 2013

Passagem de tempo evita enrolação, insere novos dramas e inicia nova fase em "Amor à Vida"

A novela de Walcyr Carrasco tem impressionado pelo bom ritmo. A trama tem evitado enrolar o telespectador e nesse caso o grande número de personagens acabou funcionando como um ponto a favor. Enquanto um núcleo tem seus acontecimentos diminuídos, outro vai crescendo e assim por diante. Apesar de a história principal sempre ter o destaque que merece, o rodízio fica bem evidente. E no capítulo exibido na última quinta-feira (26/09), o casamento de Paloma (Paolla Oliveira) serviu para fechar uma fase de "Amor à Vida" e iniciar outra.


O autor foi corajoso ao casar seus protagonistas bem antes do último capítulo, quebrando um dos mais tradicionais clichês da teledramaturgia. E todas as cenas foram ótimas. A entrada da mocinha na igreja, com Félix (Mateus Solano) de um lado e César (Antônio Fagundes) do outro, ao som de 'When I Was Your Man' (de Bruno Mars, tema do casal) no lugar da marcha nupcial, foi muito bonita e os mocinhos emocionaram. Já a festa apresentou mais um bom embate entre Aline (Vanessa Giácomo) e Pilar (Susana Vieira), e César e Félix, com grandes atuações do quarteto. Outro ponto alto foi o início do processo de ressocialização de Linda e consequentemente o aumento da participação de Bruna Linzmeyer.

E após o brinde dos noivos, ocorreu uma primorosa passagem de tempo que marcou a nova virada da trama. Para dar mais veracidade na 'aceleração', a cena não se resumiu ao tradicional 'meses depois', colocado no canto da tela, pelo contrário: exibiu várias sequências retratando a rotina dos personagens e o que
aconteceu durante esse período. Tudo ao som de 'Get Lucky', do Daft Punk, iniciando de fato a exploração da bem escolhida trilha internacional da novela.

A passagem de tempo durou quase seis minutos e exibiu Leila (Fernanda Machado) viajando para tratar de sua coluna no exterior; Silvia (Carol Castro) enfrentando o tratamento de seu câncer mamário; Aline e César morando juntos; Pilar prosseguindo com o processo de divórcio; Valdirene (Tatá Werneck) comendo e Carlito (Anderson Di Rizzi) cuidando da namorada; Niko (Thiago Fragoso) ansioso pela vinda do bebê de Amarilys (Danielle Winits); Lutero (Ary Fontoura) e Bernarda (Nathalia Timberg) cada vez mais envolvidos; Edith (Bárbara Paz) resistindo ao mordomo (Wagner - Felipe Tito) e Félix tendo suas escapadas com os homens da academia; Paloma feliz abrindo sua clínica beneficente ao lado de Bruno (Malvino Salvador) e Paulinha (Klara Castanho); Márcia (Elizabeth Savalla) indo visitar Atílio (Luis Melo) na prisão; e os respectivos nascimentos dos filhos de Amarilyz, Aline e Valdirene.

Após tantos acontecimentos, a fase foi devidamente concluída para iniciar uma nova, que foi marcada pela chegada de Herbert (grande José Wilker), contratado por César para administrar o Hospital San Magno. O personagem já movimentou a trama e está sendo o responsável pelo merecido crescimento da participação de Carolina Kasting na história. Gina começa a se envolver com o médico, que tem tudo para ser o homem que magoou sua mãe no passado, vide a reação desagradável de Ordália (Eliane Giardini) ao revê-lo. A partir de agora também tem sido possível observar a formação de um ótimo casal: Perséfone e Daniel. Fabiana Karla e Rodrigo Andrade têm uma boa química e a relação está sendo desenvolvida com muita sensibilidade, inclusive através de Linda, que tem sido integrada à sociedade graças aos dois. O autor acertou em cheio ao acabar de vez com as tentativas de 'perda de virgindade' da personagem e inseri-la em um dos melhores núcleos do folhetim. Já o núcleo principal também começou um novo ciclo: Ninho (Juliano Cazarré) voltou rico, está mais 'elegante' e começará a lutar pela guarda da filha, atrapalhando a vida de Bruno e Paloma.

E outra trama que promete boas viradas é a de Leila e Thales (Ricardo Tozzi). Natasha (Sophia Abraão) chega de viagem junto com Rogério (Daniel Rocha) para reivindicar parte da herança de Nicole (Marina Ruy Barbosa). Tudo por causa de uma armação de Lídia (Angela Rebello) para trazer sua filha que teve com o seu patrão de volta e ainda vingar a morte da menina que criou. Uma estratégia (merecedora de elogios) do autor para movimentar o núcleo e ainda voltar a destacar Daniel Rocha, que havia perdido a função depois do fim trágico de sua paciente.

Se os capítulos da semana retrasada foram marcados pelas constantes reviravoltas, é possível dizer que os mais recentes estão sendo marcados pela apresentação da nova fase da obra, que mostra fôlego para continuar por muitos meses no ar e segurar o interesse do telespectador até o primeiro mês de 2014.

O autor imprimiu em sua obra uma característica de série, que costuma ter várias temporadas e ligeiras mudanças em seus personagens. Agora, com a entrada de novos tipos (vide Herbert e Natasha) e fechamento de alguns ciclos, novos dramas começam a surgir. É como se o telespectador estivesse assistindo a uma espécie de segunda temporada de "Amor à Vida"

Não é fácil evitar enrolação e a famigerada 'barriga', principalmente em uma novela das nove, cuja duração dos capítulos é ainda maior do que a das seis e das sete. Porém, Walcyr Carrasco tem conseguido rechear sua trama de bons conflitos e várias viradas. A passagem de tempo, exibida na última quinta-feira, mostrou que o autor não está economizando conteúdo e que "Amor à Vida" ainda tem muita história para contar até janeiro.

58 comentários:

Ana Ma disse...

Achei o casamento da Paloma e do Bruno perfeito ! Com direito a bafões que nós sabemos que acontecem .Acredito que Walcyr perdeu a mão sobre a historia principal que é Paloma + Bruno + Paulinha. São tando nucleos que precisam de espaço que isso foi deixado de lado.Hoje esta nitido o favoritismo pelo nucleo da Valdirene e Marcia , foram nada mais que 7 minutos deste nucleo e 3 minutos do nucleo da Paloma.Tem tanta coisa para ser descoberta ,porém só passa cena desnecessaria.Como no caso da Persefone,Michel ,Silvia ,Guto ...é pedir pra mudar de canal.

paulo disse...

Meu Deus, esse personagem do solano é a coisa mais caricata e chata dos últimos tempos. Hoje vi alguns minutos essa novela(porque tinha visita aqui em casa) e o personagem falou mais um bordão, algo tipo "sera que eu toquei num sei o que lá..." Que coisa boba. E aquela gordinha até hoje querendo fazer sexo? E a periguete piradinha? E o casal lá que só transa? Eu não mereço essas novelinhas de hoje.

paulo disse...

OBSERVAÇÃO: só essa foto do solano entrando na igreja já mostra o quão caricato e irreal é esse personagem, o ator perdeu completamente a mão.

Celina Alves disse...

Eu não assisti o capítulo em que houve a passagem de tempo, mas estou adorando a novela.
BjoBjo;)
Celina Alves
Luxos e Luxos

eder ribeiro disse...

Qdo José Wilker entrou na trama pensei que íamos reviver, com Fluvio Stefanini, a trama da novela Gabriela, acho qie eles participaram da primeira versão, me corrige se eu estiver errado. Concordo com tudo que escreveu, Sérgio. Abççs.

✿ chica disse...

Estou com a novela em atraso, pois estamos em férias na praia e temos que aproveitar.. Deixo um abração praiano,chica

Rosa Branca disse...

Adorei o casamento de Bruno e Paloma, tudo perfeito e os atores estavam muito a vontade. É o negocio esta esquentando, tambem adorei essa pausa sobre a irgindade de Persefane, além de ridículo, imoral era preconceituoso, não achava nada engraçado, também não gostava daquela baixaria aquele agarra nojento de Patricia e Michel, ainda bem que se separaram mesmo... O destaque da Gina estava demorando, uma linda e otima atriz, acho que o Dr. Hebert é mesmo o verdadeiro Pai dela. Por hora, aguardo ansiosa a queda e humilhação do César, velho babão, rssss

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, também gostei dessa passagem de tempo e do realce de alguns personagens, como a Linda e a Gina. Ótima entrada em cena de José Wilker, revivendo com Antônio Fagundes a dupla de Gabriela.
Mas não achei convincente a mudança radical do Ninho, em tão pouco tempo. Outro ponto negativo que espero ver diminuído são as aparições da Nicole.
Será que teremos um "quase-incesto" entre Herbert e Gina, se ele for o pai dela?

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Continuo achando demasiadas as cenas de Marcia e Valdirene e dispensável a volta do Ignácio.

Bell disse...

A novela está melhor, acabou temporariamente com a onda de maldades rs...
Parece que estão todos quietos e em paz. Mas sabemos que logo mais promete pegar fogo.
Aguardaremos =)

Anônimo disse...

Espero que com essa nova fase Bruna Linzmeyer tenha o destaque que merece, sua personagem é muito tocante. Abraços

Regina Rozenbaum disse...

É Sérgio, tem que entrar mesmo muitas outras tramas... Pois até janeiro, são quase quatro meses de novela. Não sabia da filha da "Lídia" e isso com certeza vai ser uma novidade e tanto!
Beijuuss e obrigada pela visita que sempre aprecio muito!

Rita disse...

Bom dia ....Eu gosto dessa novela

Mas acho que já está na hora de ir terminando, cansei da Leila, chata
tem muita coisa pra rolar, mas até janeiro vai ser o óóóóhhh de aguentar
espero que ela seja recheada de coisas boas como vc diz...apesar de gostar de todos os atores, e cada um faz muito bem seu papel,agora estou torcendo pra Valdirene ficar com o Milho dela rsrsrsrsr, mas vamos continuar assistindo até ve ro final...bjuss e tenha um lindo dia


└──●► ¸.·*Rita!!

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Que legal amigo, eu perdi a passagem do tempo mas achei bem bacana a nova fase da novela, tbém fiquei surpresa com o casamento da Paloma e do Bruno sem maiores dramas pelo conflito em torno da guarda da Paulinha que a principio pensei que fosse ser o foco principal da trama, está bom de ver! Abraçosss

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Achei bem interessante a rápida passagem do tempo na forma em que exibida. Também achei que o Autor acertou em acabar com as tentativas de 'perda de virgindade' da Perséfone, que já estava começando a se desgastar. A virada foi importante, caso contrário a novela cairia na enrolação. Penso que merecida a volta de Daniel Rocha com mais ênfase, caso contrário perderia o sentido a sua entrada na novela apenas para uma atuação relâmpago. Penso que o Herbert(José Wilker) seja o pai da Gina (Carolina Kasting), que também estava com um papel sem significância.
Enfim, estou gostando dos novos rumos, menos com o fato de o Ninho tentar lutar pela guarda da filha, que é totalmente descabida juridicamente falando. O que ele teria direito seria somente às usuais visitas, que não poderiam ser impedidas por Paloma e Bruno.
A Amarilyz também está merecendo um corretivo por tentar atrapalhar a relação de Niko com o companheiro e a criança, que acredito ser mesmo filha do casal.

Perfeito, Sérgio. Excelentes as suas considerações.

Abraço.

Lulu on the Sky disse...

Achei ótimo ter uma passagem de tempo, que venhasm coisas boas nessa nova fase.
Big Beijos
Lulu
http://luluonthesky.blogspot.com.br

Luan Bruno disse...

Olá, Sérgio.

Há meses não acompanho a novela. De vez em quando é que resolvo assistir algumas partes. Certo dia assisti o casamento de Paloma e Bruno. Gostei! Achei o máximo!

Depois do seu texto, me deu até vontade de voltar a acompanhar a trama. Assistirei hoje.

#BoaTarde
#Sucesso

MARILENE disse...

A novela continua despertando interesse. Novos fatos vão sendo apresentados e alguns atores passam a ocupar papel de maior destaque. Gosto de ver Perséfone apresentando um outro lado, onde o amor vai estar acima daquela chatice de virgindade.
O novo Ninho não convence (rss).
E ainda teremos surpresas com o bebê de Amarilyz. Para durar até o ano que vem, a novela tem, realmente, que apresentar outros acontecimentos. Bjs.

Barbie Californiana disse...

As histórias dessa novela acontecem num ritmo agradável de se acompanhar e que vestido é esse???? A Paloma arrasou de noiva. beijinhos

Sissym Mascarenhas disse...

Sergio,

Mal pude acreditar que a novela vai continuar! Era para terminar e, segundo soube, foi solicitado ampliar os capítulos. Cada vez mais detesto assistir novelas. Para mim, precisavam ser breves, de no máximo 4 meses. Ideal a cada 3 meses.

Francamente, a novela já está ficando chata!

beijos

Kelvin disse...

Oi, Sérgio. Pensei que você não fosse fazer um post sobre a passagem de tempo. Na minha opinião foi a melhor que uma novela já teve. Eu amei, adoro passagens de tempo. No começo deu aquela sensação de que a novela parecia estar acabando. Mas depois eu percebi qual foi a intenção do autor: Terminar essa fase da novela e começar um novo ciclo para todos os personagens. Como se a novela estivesse se regenerando, recomeçando eu diria, o quê deu á novela ares de seriado americano quando termina uma temporada e depois começa outra. Pelo que eu notei, o Dr.César Khoury se tornou o protagonista e vilão principal da novela, fazendo com que o Félix assuma o lugar de vítima e a Aline o lugar da justiceira (Sim, porquê apesar dela ser uma vagab****, se ela está atrás de vingança, algo de muito ruim ele fez para motivar isso, se é que foi ele o culpado de tudo né?). O quê eu mais gosto nesse autor é que ele cutuca a ferida e mesmo que ás vezes falte lógica e sentido na novela, ele consegue mostrar á realidade de muitos: Como por exemplo a pegação que rola nos hospitais, coisa que acontece sempre, mesmo que eles não admitam. O preconceito contra os gordos também, algo que eu vejo e muito, o quê mais existe são homens como o Michel, que empurra uma mulher gorda para o amigo para depois ficar zoando ele. O câncer de mama, algo que muitas mulheres devem ficar atentas. Um possível caso de incesto que deve estar por vir, algo que é bem atual mas que eu não tenho preconceito, se existir amor envolvido, tudo ótimo. Dr. César é o retrato de muitos integrantes da sociedade em que vivemos, ele está sempre pensando em manter as aparências e á troco disso sempre preferiu fechar os olhos e fazer vista grossa aos trejeitos de Félix ao invés de admitir que tem um filho gay. Muitos dizem que não tem preconceito mas quando o gay faz parte da família é bem diferente. "Eu já disse que não tenho preconceito, mas um filho de César Khoury...Gay?" O pior cego é aquele que não quer enxergar. Eu acho legal também quando falam sobre o aborto nas novelas, é um assunto que divide muitas opiniões. Porquê os psiquiatras reclamaram tanto da cena de eletrochoques em Paloma? Porquê isso é uma realidade, e quem não deve não teme. Esse tipo de clinicas ainda existem sim, mas obviamente eles nunca admitem que usam esses métodos. Mais um ponto para o Walcyr, que não costuma esconder a sujeira por debaixo do tapete. Mostra a verdade nua e crua. Apesar de alguns "cacos" de vez em quase sempre, estou adorando a novela. Conheço seu blog há um bom tempo, mas só agora vim a comentar aí resolvi fazer essa pequena análise sobre a novela, acho que exagerei um pouco.

Mariana disse...

Essa passagem de tempo foi muito benéfica pra novela. Deu um novo ânimo pra história. Tô adorando. Bjinho.

Felisberto Junior disse...

Olá!Boa noite
Sérgio
já gostei de sua análise quando disse o autor foi corajoso ao casar seus protagonistas bem antes do último capítulo, passava da hora de algum autor quebrar essa tradição.
Passagem do tempo e um novo ciclo para todos os personagens,inclusão de novos, e novo fôlego para o autor e telespectadores.
Agradeço
Bela semana
Abraços

Thallys Bruno Almeida disse...

Essa passagem de tempo deu a impressão de dar início a uma outra novela, com mais ânimo em relação à fase anterior.

As cenas do casamento foram lindíssimas, a começar pela noiva (não resisto, rs). Na festa, acrescento ainda o "duelo" entre a belíssima valsa da Paloma e a hilária dança da Valdirene. Sério, foi muito bom. Os embates durante a festa deixaram claras algumas coisas: Aline parece disposta a estender seu plano de destruição a toda a família, não apenas a César. Este se tornou o verdadeiro vilão da trama, desde a descoberta da traição. Félix, por sua vez, usa cada vez mais a mãe no intuito de destruir o pai e a irmã. Paloma, por sua vez, está aos poucos acordando e começando a desconfiar das intenções do irmão, embora ainda mostre certa defesa pelo pai.

A chegada de Herbert foi bem-vinda e, aparentemente, o envolvimento com Gina deixa a sensação de pseudo-incesto, já que ainda fica a dúvida se ele é mesmo pai dela. O "respeito excessivo" de Ordália por ele no primeiro reencontro dá uma ideia do quanto ela sofreu na mão dele. E esse sofrimento pode levar à hipótese da paternidade. A Carolina Kasting merecia demais esse destaque.

No capítulo de hoje ficou claro o quanto a Perséfone cresceu MUITO ao ser integrada à trama da Linda e ganhar seu espaço próprio ao sofrer preconceito dos pais de Linda. Ficou bem gritante a hipocrisia desses ao sentirem "medo" de o filho "namorar uma gorda". Imagina então quando a Leila souber dessa história...

Por falar em Leila, sua arrogância voltou ainda pior e o inferno dela está só começando. Está na cadeira de rodas, com a possibilidade de seu tão sonhado patrimônio da Nicole escapar de suas mãos graças à contestação do testamento, ainda vai chegar a Natasha pra confundir a cabeça dela e do Thales...

E pensar que a Linda também sofre com o cuidado excessivo dos pais que logo se assustaram com a possiblidade de ela namorar. Aos poucos, seu autismo vai diminuindo, mas eles parecem não querer enxergar isso.

Eu iria falar que GRAÇAS que Michel e Patrícia estavam desaparecidos, mas não. Mesmo "separados", eles sempre têm que dar um jeito de aparecer. Aliás, a atitude da Patrícia de contar ao Daniel tudo que a Perséfone confidenciou pra ela só mostra o quanto é uma "amiga da onça" sem precedentes. Não é só o Michel que odeio, a ela também. Mas eles ainda terão o que merecem quando Sílvia e Guto se envolverem, como foi anunciado.

Mas, como nem tudo é perfeito, atualmente eu tenho me desinteressado das cenas da Valdirene. Tatá Werneck continua perfeita, mas a trama dela não me atrai mais como em outros tempos. Tenho me interessado mais pelas tramas sérias de AAV (como a família Khoury, o trio protagonista Bruno-Paloma-Paulinha, o autismo) e a nova fase da trama da Nicole/Leila.

Se eu dissesse que Amor à Vida é a "pior" novela no ar seria um termo muito forte. Mas mesmo com todas as qualidades, das três principais é a que menos se destaca diante da beleza de Joia Rara e do texto ágil de Sangue bom. E quero que a nova fase faça por merecer o esticamento, ainda que desnecessário, e não repita os destaques a cenas erradas da fase anterior. Abç!

Thairys Moreno disse...

Olá Sérgio! Eu adorei essa passagem de tempo, o autor com isso saiu da monotonia e padrão em que se engajam a maioria das novelas, eu sinceramente ainda não entendo pq algumas pessoas criticam essa novela, até pq o autor está sendo bastante ousado e versátil ao compor as histórias, e essa "regeneração" da novela só prova isso, o Walcyr quebrou aquela velha regra que o casal protagonista só se casa no final da novela e depois vem o "felizes para sempre", achei isso ótimo, sinal que o telespectador ainda pode esperar muitas surpresas!

Novela boa mesmo tem confusão, tem conflito, tem segredos, tem comédia, tem altos e baixos, tem gente boa e gente sem escrúpulos, tem amor, sentimentos nobres e sentimentos não tão bons, pois assim é a vida, e eu gosto dessa complexidade, e o autor nesse quesito não tem deixado a desejar, claro que a novela tem seus pontos negativos, mas ele tem tratado certos assuntos com seriedade. No capítulo de hoje por exemplo, ele abordou o preconceito que existe latente em relação aos obesos, quando até mesmo os pais de Daniel ficam contra o namoro de Perséfone e Daniel, pelo simples fato dela ser gorda.

Câncer de mama, obesidade, homossexualidade, preconceito, a hipocrisia, entre tantos outros temas, a novela é rica em detalhes, o Walcyr através da novela tem tocado em muitas feridas abertas da sociedade, não lembro de ter assistido uma novela que tocasse em tantos pontos e com sensibilidade, a homossexualidade antes só era retratada através de piadas e da comédia, nenhum autor foi tão á fundo. Acho que os personagens de caricatos e batidos não tem é nada, e muito menos a novela!
Adorei o texto!
Beijos e ótima semana.

Dona Valdirene disse...

Pelo menos o Walcyr escuta as críticas e enfim a novela sairá da monotonia...

Clau disse...

Boa noite Sérgio!
Faz tempo que não assisto Amor à Vida.Ainda bem que acabei de me informar à respeito!
Gostei de saber sobre os acontecimentos recentes.Muita águas vão rolar até janeiro,então pelo jeito essa nova fase promete...
Bjs!

Filha do Rei disse...

Sérgio, esta fase da novela ficou mais dinâmica, clara, se "rolos", situações que não de desenrolavam.
Bjs

Sérgio Santos disse...

Ana, também achei o casamento ótimo. Mas o numeroso elenco funcionou como ponto a favor. Agora outros núcleos estão crescendo a a novela aumentou o dinamismo. Valdirene e Márcia têm mais cenas pq fazem parte do núcleo mais querido da trama, normal. Michel e Patrícia eu concordo, mas discordo do resto. Ainda mais agora que Perséfone e Daniel estão se envolvendo. bj

Sérgio Santos disse...

Discordo, Paulo. O Solano está magistral. E o bordão dele já acabou, agora ele fala várias frases e todas ótimas. Agora também não tem mais desculpá de que ninguém desconfia que ele é gay, ele se assumiu mesmo e não tá nem aí. E tem gay assim, não é ficção.

A Perséfone não quer mais transar com um por semana, isso também foi alterado. O autor ouve as críticas.

Sérgio Santos disse...

Eu também tô, Celina. bj

Sérgio Santos disse...

Participaram sim, Eder. O Wilker participou do remake também, do mesmo Walcyr. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Descansar é sempre bom, chica. bjs

Sérgio Santos disse...

O casamento foi ótimo mesmo, Patrícia. Agora Perséfone está com uma ótima trama. Já Patrícia e Michel ao menos se separaram, é melhor que nada... Aline vai desgraçar a vida do César. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Elvira, a passagem de tempo foi muito benéfica.

Não achei forçada a mudança do Ninho, afinal, passaram-se nove meses. Um bom tempo. E ele continua um babaca, ou seja, não mudou tanto assim.

Eu li que o Walcyr tinha desistido da trama do incesto (vai ver pq começaram a reclamar). Confesso que tinha gostado de mais essa ousadia dele, mas, se desistiu mesmo, o pai da Gina será outro e não Herbert. bjssssss

Sérgio Santos disse...

Elvira, eu gostei da volta do Inácio. Até porque Valdirene e Márcia morarão com ele e a sogra maldita. Boas cenas devem vir.

Sérgio Santos disse...

Isso não dura muito, Bell. E que bom porque assim a novela fica movimentada. bjs

Sérgio Santos disse...

Concordo com vc, anônimo. abçsss

Sérgio Santos disse...

O que não falta é trama na novela, Regina. bjs

Sérgio Santos disse...

Rita, não acho que até janeiro será ruim de aguentar não, pelo contrário. Eu tô achando a trama ótima. A Valdirene ficará com o Carlito no fim. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Eu também, Kellen. Achei que o Walcyr ia esconder esse segredo da Paulinha até as últimas semanas, mas ele surpreendeu. E já casou os protagonistas. Tá ótima a novela. bjs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Vera. Vc, como advogada, deve saber do que tá falando. E realmente a entrada da Natasha vai aumentar a participação do Daniel Rocha que estava merecendo.

Gina também começa a brilhar na história. Enfim, estou gostando de todos os desdobramentos. bjsss

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Lulu. bj

Sérgio Santos disse...

Luan, te aconselho a acompanhar. Tudo bem que sou suspeito, mas tá muito boa. abraços e obrigado.

Sérgio Santos disse...

Continua mesmo, Marilene. E esse outro lado da Perséfone está muito bacana de acompanhar. Ninho continua um desgraçado. rs A Amarilys a cada dia mais sonsa. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Paolla Oliveira tava linda de noiva, Barbie. Ainda mais, né. bjs

Sérgio Santos disse...

Sissym, concordo que as novelas deveriam ser mais curtas, mas discordo que AAV esteja chata. bjão!

Sérgio Santos disse...

Kelvin, muito obrigado. Que bom que vc me acompanha há tempos. Eu não podia deixar passar essa situação na novela. A passagem de tempo foi muito boa e deu a impressão de série americana mesmo. Concordo com o seu comentário e também gosto dessas cutucadas do Walcyr. Aliás, essa novela é extremamente corajosa.

E vc não exagerou, não. Escreva o quanto quiser. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Concordo, Mariana. bj

Sérgio Santos disse...

Felis, o autor foi corajoso mesmo e mostrou que tem ainda muito mais cartas na manga. Nós agradecemos. Abçssss

Sérgio Santos disse...

O casamento foi excelente, Thallys, assim como seus desdobramentos. Ótimas cenas.

Li que Walcyr desistiu do incesto. Lamento porque seria mais uma ousadia, mas já tinha gente reclamando. Porém, a Gina continuará em destaque. Ele havia dito que todos teriam destaque e eu confiei nele. Fiz bem.

Eu continuo adorando as cenas da Valdirene com Márcia, ainda mais agora que elas ficarão num apt de luxo. Walcyr tem conseguido mexer nesse núcleo tb, sendo que um monte de gente disse que seria um famoso por semana até o final.
Amor à Vida e Sangue Bom estão empatadas no primeiro lugar pra mim, sendo logo seguida de Joia Rara. Não vejo novela pior no ar. Vejo todas boas. Abçs

Sérgio Santos disse...

Thairys, eu também não entendo, mas sinceramente, desistir de tentar entender. Até porque alguns que criticam são pessoas que desprezam o Walcyr, ou seja, o criticariam independente da trama.

Assino embaixo de absolutamente tudo o que vc escreveu. Nem ouso acrescentar nada. Amor à Vida é uma grande novela e ousada também. bj

Sérgio Santos disse...

Valdirene, o Walcyr sempre escuta as críticas. Essa é uma das qualidades dele. abç

Sérgio Santos disse...

Que bom que te informei, Clau. rs bjssss

Sérgio Santos disse...

Exatamente, Cléu. Bjsssss

Milene Lima disse...

Sério que o Daniel acabou o namoro? não vi os dois últimos capítulos, estou meio voando.

Bacana isso de evoluir nas tramas, reinventá-las. Dá mais vontade de assistir, né? Continuo achando o César insuportável, babaca, burro. E afetou minha admiração pelo Fagundes. Tô parecendo a minha mãe... Hahaha.

Beijo, Sérgio.

Sérgio Santos disse...

Milene, durou menos de um capítulo. Hoje ele já voltou com ela e a pediu em casamento. Uma cena linda.

O Walcyr conseguiu mesmo reinventar e reciclar as tramas. Continua odiando o Fagundes, Milene? rsrsrs bjsssss

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.