quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

"APCA" faz justiça em grande parte das categorias de TV e consagra o sucesso de "Verdades Secretas"

Nesta quarta-feira (02/12), a "Associação Paulista de Críticos de Arte" votou, na sede do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, nos melhores do ano. Dividida em sete categorias, a seleção dos finalistas ---- das grandes produções e dos profissionais que mais se destacaram na televisão brasileira ---- foi uma das mais equilibradas e justas, onde a grande vencedora (assim como ocorreu no "Prêmio Extra", só que o jornal se baseou na votação popular) foi a novela "Verdades Secretas", que levou três troféus.


A trama de Walcyr Carrasco, que foi o maior sucesso de Globo em 2015, levou a estatueta de Melhor Novela e com todo mérito. A instigante história, repleta de reviravoltas e com uma boa dose de terror psicológico, foi um dos melhores e mais bem-sucedidos folhetins do autor. A produção foi de extremo capricho, sendo plenamente recompensada pelo reconhecimento do público e da crítica. A trama concorreu com "Sete Vidas" e "Além do Tempo", que também eram muito merecedoras do prêmio, pois são obras maravilhosas. "Os Dez Mandamentos" e "I love Paraisópolis" (que não merecia estar ali) foram as outras concorrentes.

Grazi Massafera mais uma vez teve a sua total entrega reconhecida e ganhou como Melhor Atriz. A Larissa foi uma das personagens mais impactantes de "Verdades Secretas" e toda a sua degradação nas drogas impressionou. Não só pela triste situação em si, como também pela interpretação visceral de Grazi, que contou ainda com uma caracterização assustadoramente real.
Porém, as concorrentes da atriz eram de peso e qualquer uma merecia o troféu. Irene Ravache deu um show na primeira fase de "Além do Tempo" e está igualmente impecável na segunda; Marieta Severo voltou às novelas em grande estilo na pele da inescrupulosa Fanny, de "Verdades Secretas"; Drica Moraes brilhou absoluta vivendo a ingênua Carolina na mesma novela; e Simone Spoladore mostrou seu talento mais uma vez na série "Magnífica 70", do canal HBO.


E o prêmio de Melhor Diretor tinha que ser do Mauro Mendonça Filho mesmo. Ele dirigiu brilhantemente "Verdades Secretas" e conseguiu engrandecer ainda mais as sequências da história de Walcyr Carrasco. Aliás, foi a terceira parceria bem-sucedida entre autor e diretor, vide "Gabriela" e "Amor à Vida", que também se beneficiaram desse ótimo entrosamento. Mas, como a seleção dos finalistas em praticamente todas as categorias foi equilibrada e justa, os concorrentes eram igualmente merecedores: Rogério Gomes, por "Além do Tempo"; Jayme Monjardim, por "Sete Vidas"; Cláudio Torres, por "Magnífica 70"; e Fernando Meirelles, por "Felizes para sempre?" e "Os Experientes".


Já os demais vencedores também honraram suas vitórias. Monica Iozzi ganhou como Melhor Apresentadora e quem acompanha sua performance ao lado de Otaviano Costa no "Vídeo Show" sabe que o troféu é mais do que justo. Pena que sua saída esteja prevista para janeiro de 2016 ---- ela quer se dedicar ao ofício de atriz. Monica concorreu com Dan Stulbach, pelo "CQC"; Sarah Oliveira em virtude do ótimo "Calada da Noite", no GNT; Fátima Bernardes, que está cada vez mais à vontade no "Encontro"; e Mariana Godoy, que está muito bem no comando do "Mariana Godoy Entrevista", na Rede TV!.


Na categoria Melhor Série/Minissérie/Seriado a vencedora foi a impecável "Os Experientes", série que ficou engavetada na Globo por um ano. A produção falou da velhice de uma forma primorosa e contou com grandiosas participações nos seus quatro episódios. Beatriz Segall, Juca de Oliveira, Selma Egrei e Joana Fomm foram alguns dos que abrilhantaram a obra, dirigida por Fernando Meirelles. A premiada concorreu com as também caprichadas "Amorteamo", "Magnífica 70", "Pé na Cova" e "Felizes para sempre?".


O troféu de Melhor Ator foi para Alexandre Nero, pelo Romero Rômulo, de "A Regra do Jogo". Ele está ótimo na novela do João Emanuel Carneiro; entretanto, Domingos Montagner era bem mais merecedor pelo seu brilhante trabalho em "Sete Vidas", quando viveu o complexo navegador Miguel. Foram inúmeras cenas dramáticas e densas na história de Lícia Manzo e o ator deu show em todas. Tony Ramos também merecia mais a honraria, em virtude do seu violento Zé Maria, um dos grandes vilões de "A Regra do Jogo". O grande Juca de Oliveira ("Os Experientes") e o talentoso Rafael Cardoso ("Além do Tempo") eram os outros concorrentes.


O "MasterChef" ganhou como Melhor Programa e foi mais uma vitória justa da premiação. O reality culinário se mostrou um dos maiores acertos da Band e o imenso sucesso da atração é incontestável. Aliás, a versão "Júnior" está no ar atualmente e é tão boa quanto a adulta. O programa concorreu com o "Zorra" (Globo), "Todas as Manhãs do Mundo" (Nat Geo), "Lucky Ladies" (Fox Life), e "Que Monstro te Mordeu" (TV Cultura).


A Menção Honrosa foi para o programa "Mulheres", da TV Gazeta, pelos seus 35 anos de existência, e o Grande Prêmio da Crítica foi para o mestre Silvio Santos, pela sua trajetória na televisão brasileira. O Rei dos Domingos faz jus ao troféu e é merecedor de qualquer tipo de honraria, uma vez que é, e sempre será, o melhor apresentador do país. Seu programa segue sendo a maior audiência do SBT e há anos incomoda a concorrência, provando que o carinho que público tem por ele nunca se esgota.


Esta foi a 59ª edição do "APCA" ---- reunindo 50 críticos que votaram, além da categoria TV, nos melhores da Música Popular, Teatro, Cinema, Literatura, Arquitetura, Artes Visuais, entre outros ---- e a premiação (que completa 60 anos em 2016) se mostra a mais respeitada do país, principalmente em virtude da justiça na maioria das indicações dos finalistas, assim como na escolha dos vencedores. Há uma nítida preocupação em premiar os melhores do ano, levando em consideração a qualidade e o profissionalismo dos selecionados. O evento de 2015 consagrou o sucesso de "Verdades Secretas" e ainda premiou outras produções e talentos da televisão que também fizeram por merecer.

34 comentários:

Heródoto disse...

Também acho o APCA a premiação mais respeitada e justa que há. Achei a seleção de todas as categorias muito justa assim como a escolha dos vencedores.Mas assim como você não compreendi Domingo Montagner ter perdido.Ele esteve maravilhoso em Sete Vidas e merecia mais que o Alexandre Nero.Se ele ainda perdesse pro Tony Ramos eu compreenderia porque o Zé Maria está sendo bem vivido pelo mestre da atuação.Já as demais categorias nada tenho a falar porque foram justas mesmo.Só abro um parênteses para o erro de colocar Grazi como Atriz e não como Atriz Coadjuvante. Porque como Atriz eu daria para a Drica, Marieta ou Irene.

Gabriella disse...

Adorei todos os vencedores, com exceção do Nero porque também queria o Domingos no lugar. Mas essa premiação é a mais justa mesmo.

Anônimo disse...

Gostei muito da premiação.E foi justo com exceção da categoria Ator. Por isso que vc colocou em grande parte das categorias, não é???

Sandro disse...

Não sabia dos premiados e gostei de ler esse texto e me informar.Poucas vezes vi uma justiça tão grande nos vencedores. Só trocaria Atriz e Ator. Grazi deu show, mas não tem como vencer da Irene, Marieta e Drica.O mesmo vale para Alexandre, que está ótimo, mas vencer do Domingos e do Tony não tem como. De resto, concordo com tudo.

Renato disse...

Muito bom o texto e já que fizeram menção honrosa pro Mulheres poderiam falar porque a Net e Sky não coloca o canal na lista pro pessoal que não mora em SP.

Anônimo disse...

Parabéns pelas observações!

Melina disse...

Sérgio, querido, como Verdades Secretas faz falta. Ela e Sete Vidas, E também achei o prêmio justo na maioria das indicações. Mas também daria o de Ator pro Domingos. Um beijo.

Andressa Mattos M. disse...

Gostei das escolhas e endosso todas as suas observações no texto. No geral, foi um bom ano pra teledramaturgia, apesar de tudo.

Quércia disse...

Grazi foi ótima, mas os críticos exageram em dar pra ela o prêmio e não pra Marieta, Drica ou Irene. Mereciam bem mais. Também erraram premiando o Alexandre Nero que não está nada demais nessa novela. O Domingos Montagner sim fez por merecer. Mas de resto, eu concordo com tudinho.

OX disse...

Sérgio, essa premiação foi em grande parte justa mesmo, tanto em relação aos vencedores quanto em cima da lista dos finalistas, selecionando mesmo os melhores. Só senti falta de mais destaque para Sete Vidas. Tirando isso, tudo certo.Abraço.

Uma Interessante Vida disse...

Grazi é uma diva em todos os sentidos. Verdades Secretas, lacrou com chave de ouro e recebeu esses títulos merecidamente. Alexandre Nero é um ator maravilhoso. Adoro o Silvio, fico feliz de saber que ele está nesse meio. Legal isso. bjs

Lucas disse...

Eu ainda não entendi a fixação que muitas tem com Verdades Secretas. A novela enrolou tanto a partir de um determinado momento que ficou até chato de assistir. Toda vez que a Carolina ia pegar o Alex com a filha, acontecia algo que impedia tal flagra. Eu não entendo como muitas pessoas não conseguem perceber isso. A trama principal parou em determinado momento e somente as tramas paralelas, como a da Larissa e do Bruno, tiveram um desenvolvimento intenso e envolvente. Sete Vidas merece MUITO vencer, MUITO MAIS DO QUE VERDADES SECRETAS.

Vera Lúcia disse...



Olá Sérgio,

A julgar pelas programações que usualmente sigo, pude observar, diante de sua análise, que a premiação foi bastante coerente. Com relação a "Verdades Secretas" e Grazi Massafera nem há como contestar. Particularmente, eu não daria o troféu de melhor ator a Alexandre Nero, pelo Romero Rômulo, embora ele esteja ótimo em sua atuação. Quanto a Sílvio Santos, já é patrimônio da TV Brasileira e, pois mais bobagem que ele faça no palco, temos que tirar o chapéu para ele.

Parabéns por sua excelente análise.

Abraço.

luiz claudio disse...

Que premio mais tosco é esse que bagaceiras concorrem? Dar tantos prêmios a uma novela como essa regra do jogo(flop) e ignorar o maior sucesso do ano ODM só confirma que esse país ainda vive o monopólio da rede Globo. Tantos programas bons em outros canais também e eles vem premiar aquela tosquice de Fatima Bernardes e o combalido vídeo show? Ah, com licença que vou ali gofar.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Também gostei da premiação da APCA, uma entidade respeitada.

F Silva disse...

Algo a comentar...

Prêmio de jornalistas. Um grupo de jornalistas se reúnem, voltam, seguindo cada um seus próprios critérios e gostos. Simples assim...

Sabe Sérgio, nos últimos anos, eu estou cada vez mais dando pouca ou quase nenhuma importância para esses tipos de premiação, pelos motivos acima citados e outros tantos.

Existe premiação dos jornalistas, de internautas, de colegas de trabalho, etc... etc... e são baseadas pura e simplesmente em opiniões pessoais. Desculpa... estou sendo redundante propositadamente, na tentativa de enfatizar meu comentário.

As premiações que eu acho mais justa, são aquelas que são dadas por Menção Honrosa ou pelo Conjunto da Obra, como reverência a trajetória de determinado profissional, nesse caso, merecida a honraria ao melhor apresentador de todos os tempos.

Eu posso estar enganada, mas, creio que os profissionais de cada arte, se interessam muito mais pela recepção do grande público ao trabalho apresentado, afinal quem define o que é ou não é sucesso? Um prêmio dado por jornalistas é apenas uma cereja no bolo.

Agora gosto muito de ler aqui as tuas "premiações" Sérgio Santos, quando fazes aquelas deliciosas retrospectivas no final de cada ano, porque pelo menos aqui, você descreve muito bem os motivos que embasam cada escolha, e aí posso discordar ou concordar, e você com muita elegância nos responde sempre.

Estarei a espera do post sobre o ano 2015, e somente aí, discorreremos sobre nossos "premiados". Ok?

Beijos...

Ed Taborda Assunção disse...

Não vi, mas lendo seu texto achei bem justo, pelo menos mais justo que as outras premiações. Só que pra Grazi eu daria de melhor atriz coadjuvante e pra Irene ou pra Drica de melhor atriz. E o Alexandre Nero ter ganhado do Domingos Montagner eu realmente não entendi. O ator está bom mas o Romero é um chato. Até o Tony Ramos merecia mais. E sobre melhor série eu ainda gostei mais de Amorteamo, mas Os Experientes também foi ótima. Agora quanto ao resto eu concordo com tudo. Interessante ver que Babilônia foi completamente esquecida, assim como Em Família foi esquecida ano passado. Pra ver como fracassaram.
Abraços

Sérgio Santos disse...

Ótimo o seu comentário, Heródoto. Concordo.

Sérgio Santos disse...

Verdade, Gabriella.

Sérgio Santos disse...

Isso é verdade, Sandro.

Sérgio Santos disse...

Isso é um grande mistério, Renato. Tb não consigo entender.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Fazem falta, né, Melina? Concordo. bjs

Sérgio Santos disse...

No geral foi mesmo, Andressa. Não temos do que reclamar.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Quércia.

Sérgio Santos disse...

A época que Sete Vidas foi exibida é péssima pra premiações, OX. Isso é injusto e ela acabou desfavorecida... Pena. abças

Sérgio Santos disse...

Legal msm, Barbie. Silvio é mito. bjs

Sérgio Santos disse...

Era justamente por isso, Lucas. O autor soube conduzir a novela com maestria, criando uma sucessão de tramas paralelas tão envolventes quanto a central, o que impediu qualquer tipo de enrolação, justamente pq a todo momento acontecia algo. E a trama foi a mais ousada da história e extremamente criativa. Mas Sete Vidas foi igualmente maravilhosa.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Vera. E seu comentário tá ótimo tb. Assino embaixo. bjs

Sérgio Santos disse...

Bagaceiras, Luiz? E A Regra do Jogo ganhou um troféu só, vc nem deve ter lido. E vc acha que Os Dez Mandamentos merecia mais que Verdades Secretas, Sete Vidas ou Além do tempo? Menos, bem menos. E a Globo é a que mais produz, gostem ou não.

Sérgio Santos disse...

Verdade, Elvira.

Sérgio Santos disse...

Isso lá é verdade, F Silva. E fico feliz que estava aguardando os posts finais do blog. =) Nem fiz nada ainda, mas farei.

Sérgio Santos disse...

Essas duas fracassaram mesmo, Ed. E a premiação foi justa sim. Tb acho que deveriam dividir a categoria de Atriz pra Grazi ganhar como coadjuvante e uma das outras como Atriz apenas. abçs

Arely disse...

Desejo boa sorte a Magnificent 70 eu teria dado todos os prêmios. A primeira temporada foi um sucesso e a segunda temporada está indo bem. Eu gostei da primeira temporada e até agora o segundo (Deixo horários hbo brasil), pois ele aborda a ditadura brasileira de um ângulo interessante. A censura é crítica evidente dos filmes governo e pornográficos, mas nesta série falando sobre sexo não é importante porque eles mostram um modo de vida fora da lei e dentro da lei. Eles recomendam.