sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Revelação do Pai não surpreende, mas provoca uma boa guinada em "A Regra do Jogo"

Nesta quarta-feira (16/12), foi revelada a identidade do grande líder da facção criminosa, o maior segredo de "A Regra do Jogo". Apelidado de Pai, o poderoso chefão era uma incógnita desde a estreia da novela e o mistério foi mantido até o capítulo 93. A revelação não surpreendeu em nada, uma vez que vazaram várias informações nos jornais e na imprensa semanas antes e a própria história já estava deixando claro que Gibson (José de Abreu) era o grande vilão. Porém, apesar da obviedade, a revelação deu uma boa guinada na história.


João Emanuel Carneiro guardou uma boa gama de explicações para toda esta questão e ainda conseguiu tocar em uma ferida que continua aberta na sociedade: a justiça com as próprias mãos. Isso porque Gibson resolveu criar a facção depois de sofrer um grande trauma, durante um assalto, quando sua casa foi invadida por marginais e sua família foi cruelmente torturada pelos criminosos. Após presenciar o momento de terror, ele constatou a ineficiência da justiça brasileira e resolveu sentenciar os bandidos. Assim, contratou Zé Maria (Tony Ramos) para assassiná-los, que por sua vez arrumou mais capangas para o 'serviço'. Foi o início da organização mais temida da novela.

A cena em que Gibson se revela para Orlando (Eduardo Moscovis) --- surgindo no meio da escuridão ---, deixando claro que sempre soube das armações do canalha e que estava apenas testando sua competência o tempo todo, foi ótima e brilhantemente interpretada por José de Abreu e Du Moscovis. O empresário explicou todo o seu objetivo para o subordinado e ainda fez questão de enfatizar que criou um exército para tirar toda a corja que está no poder.
Uma longa sequência (mais de oito minutos) que prendeu a atenção de quem assistia. O autor provocou uma boa reflexão, além de ter iniciado uma espécie de 'nova fase' da sua novela.

Até porque, no mesmo capítulo, Tóia (Vanessa Giácomo) descobriu que Atena (Giovanna Antonelli) é uma estelionatária e Romero conseguiu ver Gibson na casa de Kiki ---- Débora Evelyn, recém chegada na história e em grande desempenho ----, constatando que ele tramou o sequestro da própria filha e é o Pai. Aliás, a forma como o ex-vereador descobriu foi muito criativa: através do reflexo do espelho que deu para a filha de sua ex-esposa, com o intuito de manipulá-la justamente para atingir esse objetivo. E, vale ressaltar ainda, que a entrada de Kiki ---- implicando no 'aprisionamento' de Romero e na aliança momentânea entre Tóia e Atena ---- também movimentou o enredo.

Porém, todo esse conjunto mencionado resultou em uma certa frustração em relação ao perfil da Adisabeba (Susana Vieira). Ela era uma das principais suspeitas de ser a grande líder da facção ---- até porque estava de preto, elegante e cabelo liso no teaser ---- e sua defesa cega pelo Zé Maria apenas enfatizava isso.  Só que ficou claro que sua atitude não passa de ingenuidade exagerada, para não colocar como burrice. Ou seja, a dona do Morro da Macaca não passa de uma tonta, assim como Dante (Marco Pigossi), que por sua vez tem acordado aos poucos. A única justificativa plausível para Adisabeba estar de preto na primeira chamada da novela é o assassinato de Djanira (Cássia Kiss). A mãe de Merlô (Juliano Cazarré) pode ter sido a responsável pela morte da 'rival' e há ainda a possibilidade do seu filho ser de Gibson, já que ela não o deixa sair do morro de jeito nenhum. Seria ao menos uma boa compensação para o fato da ex-prostituta não ser membro da facção.

Outro ponto merecedor de crítica é o afastamento de Jackson Antunes. Tio era um ótimo personagem, mas desde que foi preso sumiu da trama e faz falta. Tomara que agora, com esta nova guinada, ele reapareça e seja um dos responsáveis pelo encaminhamento da história principal, que está bastante atrativa. Até porque os núcleos paralelos seguem desinteressantes e cansativos, como o quadrilátero amoroso protagonizado por Rui (Bruno Mazzeo), Oziel (Fábio Lago), Tina (Monique Alfradique) e Indira (Cris Vianna); o quarteto Merlô, Andressa Turbinada (Thaissa Carvalho), Ninfa (Roberta Rodrigues) e Alisson (Letícia Lima); e a família do Feliciano (Marcos Caruso), que por sua vez alterna bons e maus momentos. Já a trama da violência doméstica protagonizada por Domingas (Maeve Jinkings) e Juca (Osvaldo Mil) deu uma evoluída com a chegada de César (Carmo Dalla Vechia novamente vivendo um tipo complexado).

Portanto, apesar dos equívocos da novela persistirem, é nítido que a revelação do Pai provocou uma virada bastante convidativa em "A Regra do Jogo". A identidade de Gibson não foi nada surpreendente, mas implicou em uma nova dinâmica no enredo de João Emanuel Carneiro, que conseguiu reunir bons elementos para renovar o fôlego do núcleo central. A partir de agora José de Abreu terá um merecido destaque e chefe da facção tem tudo para protagonizar outras ótimas cenas. Que assim seja.

48 comentários:

Gabriella disse...

Eu fiquei frustrada. Adisabeba tinha que ser a vilã até pra fazer jus a tal presença constante de uma loura diabólica nas novelas dele já que Atena não faz nada. Gibson era muito óbvio e ele tava de branco no teaser, ou seja, não faz sentido.

Décio Lucas Pereira Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Décio Lucas Pereira Rodrigues disse...

A novela melhorou muito com essa revelação de que o Gibson é o Pai da facção, mas assino em baixo: João Emanuel Carneiro pecou nos núcleos paralelos dessa novela! Às vezes, nem parece que é o autor de sucessos como Da Cor do Pecado, Cobras e Largatos, A Favorita e Avenida Brasil que está escrevendo essa novela.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Gostei do texto, Sérgio. Acho que a novela deu uma guinada para melhor desde a entrada em cena da Kiki. Agora, vem a revelação de quem é o Pai. Tenho a comentar que estamos diante de dois psicopatas: Orlando (como quando matou o gato que Dante dera a Lara) e Gibson, que fez suas duas filhas, Kiki e Nelita, casarem com membros da facção, respectivamente, Romero, Zé Maria e Orlando.

Anônimo disse...

Que deu uma guinada deu. Que a explicação foi boa foi. Que o autor é bom é. Que a trama central é ótima é. Mas os paralelos estragam e deveria ter sido uma trama das 23h pra poder eliminar tudo que é inútil aproveitando só o bom.

Sandro disse...

O autor é expert em criar tramas de suspense e essa é mais uma muito bem escrita por ele. Mas peca nas paralelas e talvez por isso seu melhor trabalho tenha sido em A Cura, quando não tinha isso. Eu achei a revelação do Gibson corajosa e ousada da parte do autor, mas concordo que Adisabeba perdeu muito da atratividade que tinha.

Elisa disse...

Tava esperando a Adisabeba até pra justificar o teaser. A explicação foi boa, mas achei meio brochante. O capítulo foi ótimo, mas depois decaiu de novo. Agora parece que retomou com o sequestro de Toia e Atena. Vamos ver...

Hypado disse...

Muito bom, ficou óbvio, mas também espero que Bebinha seja algo a mais e que o Merlô possa sim ser filho dela com o Dr. Gibson.

Ah, me desculpe, mas o núcleo o Feliciano é o núcleo da Família Stewart, que é a família principal da história, uma dramática GIBSON e a outra cômica FELICIANO. Mas toda a família é núcleo central, afinal o pessoal da cobertura do Feliciano é totalmente ligado ao ''Pai''.

Saulo Henrique disse...

Olá Sérgio,tudo bom?
Bem,como você disse apesar da revelação ser beeeem óbvia melhorou mesmo o ritmo da novela de estava ficando estagnada.
Espero que a Adisabeba seja mais alguma coisa ao invés de uma mera idiota. Espero que ela seja pelo menos uma "irmã". À hipótese do Merlô ser filho do Gibson é boa e explica muita coisa.
Existe também a teoria da Atena também ser filha dos dois (sendo que foi deixada na adoção). Isso explica o fato de que em todas às vezes que a Atena for no morro nunca se encontrar com ela e o fato de elas serem parecidas (quase idênticas,mãe e filha mesmo).
Na minha opinião o problema da novela são os núcleos paralelos. JEC deveria seguir Janete Clair e fazer um terremoto no morro e eliminar a maioria daqueles núcleos,às vezes nem parece que ele escreve a novela. Abraço.

Ana Carolina disse...

Eu odiei quando li o spoiler no jornal, mas achei a explicação boa e até diminui minha decepção. A novela parece que agora ficou boa de vez e até aumentou a audiência significativamente. Saiu dos 24 e se estabilizou nos 31. Aumentar 7 pontos é algo bem incomum.

jlgiam disse...

Concordo! Eu também torcia pra que a Adisabeba fosse o Pai da facção, até porque apenas assim a personagem da Suzana Vieira teria razão de existir na trama. Mas o fato de ser o Gibson, mesmo sendo óbvio, é bastante coerente com os fatos que se desenrolaram até aqui. Por exemplo, era questionável a cegueira dele em relação a Orlando, e agora fica claro que ele sabia o tempo todo das intenções do genro bandido e queria testá-lo, como fez com Romero quando este se casou com a Kiki. Lembro que você, Sérgio, se perguntou no Twitter por que Gibson mandaria sequestrar a filha. Isso foi revelado também: a Kiki descobriu que o pai havia fundado uma facção criminosa e queria entregá-lo á polícia, por isso ele planejou seu sequestro. Só não está claro ainda se ela agora pertence á facção também.

Mas essa revelação realmente desencandeou uma ótima virada em "A Regra do Jogo". Não por acaso, a audiência já começou a corresponder: desde o fim de "Os Dez Mandamentos", na Record, a novela global vem registrando entre 29 e 31 pontos. Ainda não é o ideal, mas pra quem chegou a ser vice-líder no horário, não está ruim. Mas você tem razão: várias tramas paralelas da novela são desinteressantes, porém acho que se elas não existissem, a obra seria criticada do mesmo jeito, porque a história policial que envolve os protagonistas é um tanto complexa e sombria pra uma novela das nove. Se com esses núcleos cômicos em volta, ela já é considerada "violenta demais", imagina sem eles. Acho que "A Regra do Jogo" deveria ser uma série semanal, ás 23h. Assim o autor poderia focar apenas na trama policial(que não demoraria tanto tempo pra se desenrolar), sem nenhum tipo de censura e sem precisar fazer concessões ao popular!

Anônimo disse...

Novela péssima, horrível. Como vcs conseguem assistir isso? Se fosse na Record ou qualquer outro canal dava 2 ou 3 pontos mas na Globo o povo assiste qualquer coisa mesmo, tá comprovado.

Mônica Monte de Souza disse...

Além da obviedade do Gibson ser o pai, as justificativas foram, no mínimo, incoerentes: ele montou a facção criminosa para combater o crime, o que já é uma incoerência por si só, e essa facção é responsável por vários crimes cometidos desde então, como por exemplo o assalto ao banco no começo da novela e a tentativa de assassinato da Tóia. E quando uma filha descobre que ele criou a facção, a pobre é sequestrada? Que tipo de proteção é essa que ele queria dar à família. Pra mim, essa novela perdeu o sentido faz tempo. Deveria ser uma série mesmo, com histórias não relacionadas, a respeito dessa facção. Não tem estrutura de novela.

Gabriel disse...

Esse capítulo é só mas uma evidência de como quando o Morro não aparece a novela rende mt mais e capítulo fica infinitamente melho.
Sobre o personagem da Suzana Vieira realmente não vejo sentido, alem de ser um mal aproveitamento da atriz não sei o q a novela ganha com uma personagem tão burra.
A novela vem adicionando novos personagens e revelando os mistérios da trama central eu espero q isso vá deixando as tramas paralelas mais para escanteio.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Já estava mesmo desconfiada de que Gibson fosse o Pai, embora, de início, pensei na hipótese de ser Adisabeba. Portanto, também não me surpreendi, embora nada tivesse lido a respeito de tal revelação.
Não consigo gostar desta novela, por isso, ora vejo, ora não. Facção criminosa, a meus ver, não é tema atraente para a novela do horário, que já é precedida de telejornais jorrando violência por todos os lados.
Os núcleos paralelos realmente deixam a desejar.
Tomara que a novela continue com os bons índices ora alcançados e que não derrape pelo caminho.

Ótima análise. Concordo com suas bem colocadas críticas.

Já que você vai voltar por aqui , aguardarei seu retorno para expressar os meus votos natalinos.

Excelente domingo!

Abraço.

alguém disse...

A revelação de Gibson ser o pai vou convincente, mas como você Sergio eu também fiquei decepcionada com a burrice da Adisabeba. Nessa novela a maioria dos vilões são homens - por isso seria interessante ver uma vilã no estilo da Adisabeba chefiando os marmanjos. Vamos torcer pra que ela também tenha alguma ligação com a facção. Uma hora o pai do Merlô vai ter que aparecer.
E essa da Atena ser filha da Adisabeba eu não tinha pensando ainda, mas faz sentido.
Abraços

Tamires Marins disse...

Oi, Sérgio, tudo bem?

Eu nem posso comentar muito sobre essa revelação ou sobre se ela deu ou não um novo ritmo pra história porque eu não assisto essa novela.

Às vezes eu até sento na sala pra comer e está passando a novela e pra te falar a verdade eu a acho bem ruim! Algumas coisas são muito inverossímeis, sabe?

Aquelas duas garotas com o Merlô? Vergonha alheia daquele núcleo...e acho que nunca se fez uma mocinha tão chata quanto Tóia! hahaha

Beijo
- Tamires
Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook
PARTICIPE DA PROMOÇÃO NATAL LITERÁRIO E CONCORRA A DOIS KITS RECHEADOS DE LIVROS!

Lulu on the sky disse...

Tõ achando ótima a novela agora.
Estou com problemas no computador assim que resolver, volto a postar como antigamente.
Aproveito para desejar um Feliz Natal e um ótimo 2016 pra vc
Big Beijos
www.luluonthesky.com

alguém disse...

Por incrível que pareça, eu gosto do nucleo do Feliciano. Aquele pessoal do Morro da Macaca é que não consigo gostar. O que falar daquele quadrado amoroso? Coisa mais batida e previsível que aquilo impossível (além de chato, por que eu não me importo com nenhum daqueles personagens). Quanto a Domingas, ela merece ser feliz e é a unica personagem dali que me simpatizo e torço, mas achei os ultimos acontecimentos um pouco forçados. Do nada, aquele cara simplesmente cai de para-quedas na casa e na vida dela. Como assim?

Anônimo disse...

Eu até que gostei da revelação mas demoraram demais pra engrenar a novela. Poderia ter sido bem antes.

F Silva disse...

Algo a comentar...

Sabe Sérgio, já há algum tempo que o horário nobre não nos proporciona um boa novela das nove. Um folhetim que realmente empolgue e faça jus ao horário assim considerado nobre.

Esse que, ainda é, o horário mais prestigiado e que já proporcionou grandes clássicos da teledramaturgia anda decepcionando e frustrando os telespectadores, os números estão aí e não me deixam mentir.

Percebo que quase todos os autores estão criando histórias um tanto quanto "over", ou seja, com tramas rocambolescas e com temas recorrentes, que apesar de importantes, já estão ficando bem manjados e cansativos.

A grande maioria dos autores medalhões do horário estão pecando e sem grande criatividade. Já faz mais dez anos que Glória Perez não escreve uma boa novela. Aguinaldo Silva vem enrolando o público com tramas toscas sendo "Senhora do Destino" sua última novela de qualidade. Gilberto Braga há muito que não empolga, desde a agradável "Celebridade". Manoel Carlos cria grandes histórias mas não sabe conduzi-las, sua última grande novela foi "Mulheres Apaixonadas" e já faz muito anos. Walcir Carrasco, ainda não chegou lá, pois "Amor à Vida" não me empolgou. E João Emanuel Carneiro, estreou bem com "A Favorita", melhorou mais ainda com "Avenida Brasil" e é perceptível que ele tenta repetir a mesma pegada com "A Regra do Jogo", porém, ao meu ver, não conseguiu.

Concordo plenamente com o post, aliás o título resume tudo "Revelação do Pai não surpreende, mas provoca uma boa guinada..."

Porém, "A Regra do Jogo" segue como uma "colcha de retalhos", com uma trama central interessante e núcleos paralelos que destoam e que em nada contribuem para o jogo que está rolando no tabuleiro.

Acredito, pelo andar da carruagem, que "A Regra do Jogo" será mais uma novela das nove, entre outras tantas, e está longe de se tornar um sucesso, pois já está na reta final.

Que pena! Nós que gostamos tanto de uma boa novela vamos continuar na expectativa que a próxima seja "Aquela Novela"...

abraços...

Roberto Santos disse...

Esta novela está sofrendo do mesmo problema das tramas da Thelma Guedes e Duca Rachid. Ela anda em círculos: o Dante atrás do Zé Maria, Romero enganando Dante, Juliano atrás da facção, facção tentando matar Tóia...
A diferença é que nas novelas delas, isso ficava para os últimos meses, em A Regra do Jogo, parece que isso vem se repetindo desde o início.

Ed Taborda Assunção disse...

Sérgio,
Confesso que achava essa novela insuportável, depois razoável, mas da semana passada pra cá, ela vem ficando bem instigante. A cena da revelação não impactou por que todos já sabiam, mas foi muito bem feita e os motivos tortos do Gibson foram bem interessantes.
A entrada da Kiki movimentou a novela, algumas cenas dela foram de pura tensão, como quando ela deixou o Romero fugir. O casamento da Nelita também foi outro ponto alto. Porém, o resto da novela é ridículo. Aqueles núcleos que não servem pra nada na favela são chatos e a entrada do Carmo Dalla Vecchia foi bem ruim pra mim, pois não aguento mais olhar pra cara dele. Espero que agora com a revelação do Pai, o núcleo do Feliciano comece a ter alguma função, afinal eles são parte da família dele. Mas provavelmente ainda vai demorar algum tempo pra todos da novela descobrirem isso. Também senti uma diminuição do destaque da Atena, e a Tóia continua uma mala. A Adisabeba não passa de uma trouxa mesmo, e eu esperando tanta coisa dela!
No geral, acho que a novela vem melhorando aos poucos. Apesar do eterno jogo de gato e rato que passa a sensação de uma barriga disfarçada na trama, agora parece que as coisas estão começando a acontecer.

Sérgio Santos disse...

Entendo sua frustração, Gabriella. :(

Sérgio Santos disse...

Exato, Décio. E a novela melhorou msm.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Elvira. E tb acho que deu uma guinada pra melhor. Boas observações.

Sérgio Santos disse...

Bom comentário, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Sandro, A Cura foi mesmo uma produção primorosa dele. E gostei do comentário.

Sérgio Santos disse...

Mas, apesar dos pesares, melhorou bem, Elisa.

Sérgio Santos disse...

Hypado, a Beba deve ter matado a Djanira de forma passional e o Merlô deve ser filho do Gibson. Isso tudo explicaria o teaser. E a família do Feliciano é ligada ao central só pelo parentesco do Gibson com p Feliciano. Mas ele nem interagem mais e o núcleo tá avulso há meses.

Sérgio Santos disse...

Oi, Saulo. Tudo bem. E melhorou msm, isso é fato. Só que os núcleos paralelos enfraquecem realmente. Eu tb espero que a Adisabeba seja bem mais do que tá sendo mostrado.

Sérgio Santos disse...

Ah, Saulo, essa hipótese aí da Atena ser filha da Beba eu já acho viagem demais.

Sérgio Santos disse...

Aumentou bem a audiência msm, Ana! E 7 pontos é coisa pra caramba.

Sérgio Santos disse...

Ótimo comentário, Jlgiam. Tb acho que seria uma boa série policial ou até uma novela das 23h. E é verdade, os núcleos paralelos têm o objetivo de deixar a trama mais leve mesmo, mas são mt cansativos. E tb acho que a explicação do Gibson foi coerente e a Kiki não faz parte da facção, não. Mas ainda assim, ele sequestrar a própria filha sendo que ele criou a facção só por causa do trauma do assalto, que assustou as filhas, é estranho.

Sérgio Santos disse...

Não é péssima, anonimo. É mediana.

Sérgio Santos disse...

Entendo perfeitamente os seus questionamentos, Monica. E isso tudo mostra que o Gibson é um psicopata.

Sérgio Santos disse...

Exato, Gabriel. Assino embaixo.

Sérgio Santos disse...

Agradeço o seu carinho de sempre, Vera. =) bjsss

Sérgio Santos disse...

Pois é, alguém, a estupidez da personagem é decepcionante. Até msm pra alguém que é a 'dona do morro'. Eu não acho que Atena seja filha da Beba, mas quem sabe...

Sérgio Santos disse...

Nossa, esse núcleo do Merlô é um saco, Tamires. haha E eu até gosto da Tóia. =) bjssss

Sérgio Santos disse...

Esses problemas são um saco, né, Lulu? bjs

Sérgio Santos disse...

Alguém, o núcleo do Feliciano, como disse no texto, alterna bons e maus momentos. Tem horas que eu me divirto e outras que acho um saco. Mas concordo com vc sobre o morro da Macaca. Dispensável e esse quadrado é mt ruim. A situação do César tá mt absurda, mas tem segred0os... aguardemos.

Sérgio Santos disse...

Isso é, anonimo.

Sérgio Santos disse...

F Silva, eu assino embaixo de todo o seu comentário, com exceção do Walcyr, pq acho que ele chegou lá com Amor à Vida, a última novela do horário nobre que fez grande sucesso e, na minha concepção, foi excelente. Mas de resto, eu concordo integralmente. bj

Sérgio Santos disse...

Roberto, eu acho que a trama central deu uma boa guinada, mas os paralelos é que andam em círculos. Já na Duca e Thelma, eu discordo, pq a última delas andou em ci´rculos antes msm da metade. ASs outras eu concordo que foram mais pra reta final.

Sérgio Santos disse...

Mt bom o comentário, Ed. E a trama central ficou bem instigante msm e eu tb torço pra família do Feliciano se misturar nisso. Concordo com todo o seu ponto de vista. abçsssss

Jessica Vanhoni disse...

Sérgio,essa novela é chata e não me prende como A favorita e av. Brasil. Assisto raramente,mas é melhor que a vergonha anterior (babilônia) agora Verdades Secretas foi a novela do ano. Agora resta esperar por "Eta mundo bom" sei q vai ser caipira e de época diferente de Vs mais eu curto esse estilo de novela das seis.

Jessica Vanhoni disse...

Sérgio,essa novela é chata e não me prende como A favorita e av. Brasil. Assisto raramente,mas é melhor que a vergonha anterior (babilônia) agora Verdades Secretas foi a novela do ano. Agora resta esperar por "Eta mundo bom" sei q vai ser caipira e de época diferente de Vs mais eu curto esse estilo de novela das seis.