sábado, 27 de outubro de 2012

Gabriela chega ao fim e mostra que Walcyr Carrasco está apto a estrear no horário nobre

A nova adaptação de "Gabriela" terminou na noite dessa sexta-feira (26/10) e encerrou com chave de ouro mais um sucesso de Walcyr Carrasco. Com um último capítulo onde Coronel Ramiro Bastos (Antônio Fagundes) morre no meio da praça; Mundinho (Mateus Solano) e Gerusa (Luiza Valdetaro) finalmente se casam; uma nova política chega em Ilhéus e Nacib (Humberto Martins) perdoa Gabriela (Juliana Paes); o telespectador pôde se emocionar com os finais felizes e não se arrependeu de ter acompanhado esse remake desde a estreia.


O autor modificou a história em vários aspectos e deu uma nova roupagem à obra de Jorge Amado. Ao inserir personagens cativantes como Lindinalva (Giovanna Lancellotti), Dona Dorotéia (Laura Cardoso), Juvenal (Marco Pigossi) e Berto (Rodrigo Andrade), por exemplo, Walcyr aumentou as possibilidades da novela, o que gerou uma resposta imediata do público: o núcleo acabou virando um dos mais queridos e os atores foram excelentes. Outro acerto foi aumentar o destaque de Coronel Jesuíno, que mal aparecia no livro, e acabou tendo uma grande importância na novela, presenteando o telespectador com o show de José Wilker. Vanessa Giácomo, mais uma talento, fez uma Malvina  revolucionária e apaixonante --- pena que não tenha aparecido  no último capítulo. Já Fabiana Karla surpreendeu ao compor sua Olga e convenceu. Gero Camilo fez um Miss Pirangi sarcástico e foi ótimo ver acompanhar o mistério sobre o misterioso par do 'invertido' ---  Coronel Amâncio (Genésio de Barros),  filho de Dorotéia, um sujeito hipócrita e machista, mas que se redimiu no fim.

No entanto, nem tudo foram flores. A protagonista da trama não emplacou e Juliana Paes, apesar de ser uma boa atriz, acabou não convencendo ao viver Gabriela. Tinha momentos onde a personagem não aparentava inocência, mesclada com sensualidade, e sim que tinha problemas mentais. O excesso de sorrisos também prejudicou. Outro que errou feio foi
Humberto Martins. Além de ter sido um equívoco colocar Nacib com sotaque baiano, o ator deu um ar de abobado para o papel, totalmente desnecessário. Tonico Bastos também está na cota dos tropeços da novela: Marcelo Serrado é um ótimo ator, mas escorregou ao tentar imitar Fúlvio Stefanini (intérprete do tipo em 75) e não agradou.

A rejeição do público em cima da protagonista, acabou fazendo o autor mudar o perfil de Gabriela. Ao transformar Zarolha (Leona Cavalli) em uma quenga invejosa, cujo objetivo era separar Nacib de sua amada cozinheira, Walcyr optou pelo tradicionalismo; afinal, esse é o mote de quase todo casal protagonista: ser separado pela vilã. No entanto, não chegou a comprometer em nada a qualidade da trama. Embora alguns considerem o luxo do Bataclã como um 'total absurdo', achei válido optarem por essa licença poética para dar um pouco de beleza ao ponto mais cobiçado de Ilhéus. Falando no núcleo, Ivete Sangalo não chegou a comprometer como Maria Machadão.

"Gabriela" apresentou um elenco primoroso, uma abertura linda, direção excepcional de Mauro Mendonça Filho e fez um gol de placa ao manter a trilha original da novela, fazendo muito telespectador voltar no tempo, onde 'tchú tchá' ainda não havia surgido no país. Esse verdadeiro conjunto de escolhas acertadas, fez do remake mais um êxito das onze: o último capítulo obteve 30 pontos de média, com picos de 31 e conseguiu a mesma média geral de "O Astro", sucesso exibido ano passado, inaugurando a faixa das 23 horas.

Ao concluir mais esse trabalho, Walcyr Carrasco mostra que está mais do que apto para assumir o horário nobre. Após sucessos como "O Cravo e a Rosa", "Chocolate com Pimenta", "Alma Gêmea" (às 18h), "Caras & Bocas", "Morde & Assopra" (às 19h) e agora "Gabriela" (às 23h); o autor tem tudo para emplacar mais um vitorioso trabalho às 21h, substituindo "Salve Jorge". Boa sorte a ele!

38 comentários:

Thallys Bruno Almeida disse...

Concordo com a maior parte do artigo, Sérgio.

1 - Olha, se há alguém pra dizer que pode ser considerada a dona da novela, é Dona Dorotéia. Em uma memorável atuação de Laura Cardoso, a "beata" foi responsável por vários dos conflitos envolvendo os casais da trama. A crueldade de Dorotéia misturada ao seu humor ácido fez da personagem a maior força dessa novela. Principalmente nos últimos capítulos, quando se viu sozinha, foi desmascarada e comprou briga com Jesuíno. Laura merece os mais variados prêmios por uma inesquecível composição.

2 - Tanta gente boa se destacou nessa nova versão, como Vanessa Giácomo, Luiza Valdetaro, José Wilker, Antonio Fagundes, Tarcísio Meira em participação curta, Genézio de Barros, Frank Menezes e seu divertido padre, Fabiana Karla (mostrando que é possível se des-zorra-totalizar), entre outros.

3 - Nos tropeços, eu concordo sobre o Humberto Martins e o Marcelo Serrado, especialmente o segundo, o mais irritante (se bem que o Nacib era outro chato de marca maior). Mas também acrescento Henri Castelli, Raoni Carneiro e

4 - Sobre Juliana Paes, é aí que entra a minha discordância. Afinal, vc sabe o quanto eu gostei dela como Gabriela, sempre defendi a atuação dela e por isso mesmo discordo de que ela "pareça retardada" em certos momentos. Sim, ela foi ofuscada por outras tramas e em alguns momentos abusou da sensualidade em uma personagem que deveria mesclar mais esse aspecto com a inocência, isso eu não contesto, mas não a achei chata/irritante em nenhum momento, pelo contrário, eu entendia muito bem a personalidade da nova personagem. Acho muito louvável o esforço dado pela Juliana pra sua Gabriela e por isso dou o crédito positivo a ela (afinal 100% apagada ela não ficou). Mas isso eu falo por mim.

5 - Não vi problemas no Bataclan ser um tanto elegante demais e também achei que Ivete Sangalo apenas não comprometeu na atuação. Ainda a prefiro na música, que é realmente a praia dela.

6 - Walcyr tem um grande currículo de sucessos, mas até onde sei, Morde e Assopra não foi tão consagrada quanto as outras, pelo contrário: dividiu muitas opiniões, teve um final muito criticado e, mesmo marcando alguns números superiores a TiTiTi em alguns capítulos, foi considerada bem inferior (muito mesmo) à antecessora em matéria de qualidade.

Enfim, ressalvas à parte, parabenizo Walcyr, elenco e equipe pelo sucesso de Gabriela, consagrando a faixa das 23h iniciada pela maravilhosa O Astro 2011. E que Saramandaia possa repetir esse sucessos.

Thallys Bruno Almeida disse...

Errata: Henri, Raoni, Erik Marmo, Fernanda Pontes e Amanda Richter, os maiores erros de escalação.

Milene Lima disse...

Eu vejo o trabalho da Luiza Valdetaro em Gabriela e Cordel Encantado e fico com a vergonha alheia quando me lembro do que fizeram com ela na última novela do Manoel Carlos (que esqueci até o nome), dando um papel quase de figuração pra menina.
Não acompanhei Gabriela desde o início, mas quando peguei gosto, viciei. De tudo o mais bizarro foi o turco com sotaque baiano e aquele caminhar estranho, mas enfim, no todo, foi bem bom. Laura Cardoso e o Wilker, comentar mais o que? Sublimes!

Boa madruga, Sérgio.
Beijo.

Sérgio Santos disse...

Thallys, obrigado pelo comentário. Sim, imaginei que você fosse discordar sobre a Juliana e respeito sua opinião. O elenco foi excelente mesmo e justamente vários desses talentos foram inseridos e criados pelo próprio autor.

Sobre Morde & Assopra, concordo que foi uma trama bem criticada, embora eu tenha adorado, no entanto, fez um sucesso incontestável. Tanto que foi 4 décimos superior ao sucesso de Ti ti ti na média geral, embora eu nem considere isso como 'superação', porque décimos eu considero empate. Se considero Passione e Insensato Coração empatadas, também tenho que considerar esse caso a mesma coisa.

Sobre os atores que você citou, também concordo que foram muito ruins, mas pouco apareceram e isso foi bom. (exceção: Erik Marmo que apareceu muito) Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Milene, olha, nem me lembre disso. A coitada MAL ABRIA A BOCA em Viver a Vida. Ela era a ajudante de uma figurante. Absurdo mesmo. Ela é ótima e pode interpretar uma protagonista facilmente.

Laura e José foram excelentes mesmo e a novela muito boa. Beijos e boa madrugada pra você também!

✿ chica disse...

Passando pra deixar um abração, desejando um lindo fds!chica

Cecilia sfalsin disse...

Ei Sérgio..

Bom dia meu amigo,

Acompanhei Gabriela a fio, e con cordo com você , a trama teve lá seus vacilos porém não se perdeu , o autor estava atento aos movimentos do público o que o fez devagar indo trocando peças, aprimorando, acrescentando.

Também achei que o personagem Nacib não foi bem trabalhado, passou mais como uma pessoa bobada , que baiano o que no início atrapalhou muito.

Realmente Gabriela mais sorria do que atuava o que não deu tanta força ao seu papel dito como principal.

Mas mesmo assim o final foi encantador, bem feito, bem pensado e com finais marcantes.

Até a beata saiu do armário não é mesmo? declarando que mais vale ser quenga do que esposa rsrs, vixi, deixando as moças velhas puras de orelha em pé..rsrs..

Enfim gostei e assino embaixo, o autor esta apto para o hora´rio nobre...

Beijos e lindo final de semana pra ti..

Marcos Mariano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcos Mariano disse...

Oi Sérgio

Sinceramente não assisti a minissérie, mas sou um fã da história e quando soube da minissérie, principalmente estrelada por Juliana Paes, confesso que fiquei meio receoso de que o resultado não alcançasse a grandeza da obra. Mas pelos comentários e criticas que já ouvi por ai, parece que o saldo foi positivo, sem contar que abriu um novo horário para novelas.

Abraços

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Concordo com boa parte da análise, Sérgio. Gosto do Walcyr Carrasco, mas não gostei muito da sua adaptação de "Gabriela". Assisti à versão original e a preferi. Concordo com os elogios a José Wilker, Laura Cardoso, Mateus Solano, Luiza Valdetaro, Vanessa Giácomo, Giovanna Lancelotti, Marco Pigossi, Bete Mendes, Chico Díaz, o núcleo dos coroneis. Como Antônio Fagundes se parecia com Antônio Carlos Magalhães!
O par romântico central, Gabriela e Nacib, não empolgou o público (concordo com as críticas a Juliana e Humberto). Marcelo Serrado não convenceu, Ivete Sangalo não comprometeu.
Belos reconstituição de época, figurinos, fotografia, trilha sonora.

Felisberto Junior disse...

Olá!Boa tarde!
Sérgio...
... não acompanhei muito Gabriela!
mas, eu creio que uma Série deveria ser baseada de forma mais consistente na obra literária bem estabelecida, um substrato mais sólido ou deveria ter...mas faz parte. Juliana não convenceu porque não conseguiu dar um tom mais "juvenil" á personagem...Laura Cardoso foi a melhor "coisa", com seu talento inigualável ( mesmo essa personagem não existente na obra).
Obrigado!
Bom final de semana!
Abraços

A viajante disse...

Olá Sérgio! Não assisti a novela [ou seriado?], mas entre os amigos e uma irmã, todos me falaram maravilhas das personagens e da trama. Também não assisti a novela em 1975...era muito novinha!!! Risos... mas das cenas que, realmente concordo contigo: não me identifiquei e talvez eu não goste mesmo de Juliana Paes como atriz, ou talvez goste muito menos como Gabriela, uma personagem que deveria marcar pelos jeito e não pelas curvas... beijo!

Zilani Célia disse...

OI SÉRGIO!
ACOMPANHEI O REMAKE DE GABRIELA E DESDE O INÍCIO, COMENTEI QUE ACHAVA QUE O AUTOR ESTAVA ERRANDO AO REESCREVER, SEM TER COMO PRIORIDADE E PERSONAGEM CENTRAL A GABRIELA.
ACHO QUE A ATRIZ NÃO FOI A GRANDE CULPADA DO INSUCESSO DA PERSONAGEM E SIM O AUTOR QUE FRUSTROU QUEM AINDA TINHA NA CABEÇA UMA "SONIA BRAGA" QUE ENCARNOU A PRIMEIRA GABRIELA MARAVILHOSAMENTE, POR ISTO ACHO QUE JULIANA FOI TRAÍDA, POIS RECEBEU UMA PERSONAGEM, BEIRANDO A IDIOTICE.
QUANTO AO RESTO ADOREI, A NÃO SER O FATO DE QUE A IVETE COMO ATRIZ, É UMA GRANDE CANTORA.
ABRÇS

zilanicelia.blogspot.com.br/
Click AQUI

EDER RIBEIRO disse...

Sérgio, vou discordar delicadamente de vc, a Juliana Paes não é uma boa atriz, mas uma atriz boa, tanto é q sua trajetória artistica é baseada na exploração do seu belo corpo. Qto ao Humberto Martins, ele pode ser colocado no rol dos piores atores juntamente com o Marcos Pasquim e Cauã Raymond, são caricatos q todas as suas personagens chegam a causar asco por ser mal interpretados. Hj eu tou ácido...rsssss. Abçs.

Raylan disse...

Olha, confesso que eu gostava muito do Walcyr Carrasco. Gostei muito de Alma Gêmea e adorei Caras & Bocas. Não sei se ele mudou ou eu era muito novo na época e pouco entendia de detalhes técnicos, mas hoje acho ele um dos piores autores da Globo.
Morde & Assopra foi um festival de equívocos, e o único sentimento que causava era vergonha alheia, não entendo como você pôde gostar. Mas não vou julgá-lo, pois também já gostei de novelas que depois fiquei sabendo que eram muito criticadas, por exemplo, América, adorava a Sol da Débora Secco.
Enfim, o didatismo exacerbado de seus textos me incomoda bastante. Tudo bem que novela é mastigada, mas ultimamente, as do Walcyr são "ruminadas". E tem também a questão da infantilização, outra de suas marcas registradas.
Tenho medo do que ele trará ao horário nobre, que anda tão mal servido (exceção feita à João Emanuel Carneiro apenas, melhor autor do Brasil), ainda mais tendo Wolf Maya na direção. Acho que vêm uma segunda Fina Estampa por aí... A menos, é claro, que ele volte à velha forma de Adamo Angel ou de "O Senhor das Seis". #oremos

bernar55 disse...

Olá.gosto do autor mas não gostei de alguns atores,nesta novela.Espero que
ele mude sua escolha para as preximas
Novelas que escrever. Bom Domingo.

Sérgio Santos disse...

Oi Chica, obrigado. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Cecília, acordou cedo, hein? Adorei o remake e também não achei que os poucos problemas tenham afetado a qualidade da obra.

A Dorotéia se revelou no fim, hein? rsrs Beijão e bom domingo.

Sérgio Santos disse...

Oi Marcos, obrigado pelo comentário. Os comentários foram bem positivos mesmo e os negativos se restringiram mais à Juliana Paes.

Na verdade que abriu esse novo horário para as novelas foi O Astro, no ano passado. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira, obrigado pelo comentário. Eu adorei o remake, porém, acredito que sempre a versão original ficará marcada. Acredito que em O Astro todos preferiram a primeira versão, assim como em 2013 todos preferirão a Saramandaia original. Mas entendo o seu ponto de vista.

Juliana, Marcelo e Humberto são bons atores, mas foram infelizes na composição dos papéis. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Felisberto, obrigado por emitir sua opinião! Acho que a versão literária acabou sendo retratada em 75 e por isso achei bacana a variação, caso contrário seria melhor uma reprise, mas entendo. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Ju, obrigado pelo comentário. Foi uma novela mesmo, curta, mas um novela. Eu não tenho nada contra a Juliana e a acho uma boa atriz, mas no remake não foi bem. Beijos!!!!

Sérgio Santos disse...

Oi Zilani, obrigado pelo comentário. Não acho que o autor seja culpado porque após a rejeição que Gabriela sofreu, ele acabou reduzindo ainda mais sua participação. Walcyr vai muito de acordo com a resposta do telespectador. E ele nem queria a atriz no papel, mas os diretores insistiram. Aliás, a Ivete Sangalo também não foi uma escolha do autor, que queria Elizabeth Savalla no papel. Beijão!

Sérgio Santos disse...

Oi Eder, fique à vontade para discordar! Eu gosto da Juliana como atriz e encaixo nesse perfil citado por você a Deborah Secco. Ela sim eu acho extremamente valorizada e quase nunca varia na interpretação. Além disso também é escalada mais pelo seu corpo do que pelo seu talento.

Sobre o Humberto, sempre o achei péssimo, mas desde que saiu das novelas do Carlos Lombardi, ele cresceu muito. O acho um bom ator, mas como o Nacib não convenceu. Sobre o Cauã eu concordo, mas até que gosto do Pasquim. Abração!

Sérgio Santos disse...

Raylan, obrigado pelo comentário. Olha, discordo totalmente de você e não o acho mesmo um péssimo autor. Adorei O Cravo e Rosa, Chocolate com Pimenta, Alma Gêmea, Caras & Bocas, Morde & Assopra e achei Sete Pecados regular. Gabriela foi mais um êxito dele.

Achei M&A uma ótima novela e no início a achava muito lenta e sem grandes atrativos. Mas o autor soube mexer na história e conseguiu conquistar o público a tempo, transformando a trama em um grande sucesso.

Sobre a Sol, achei uma das piores protagonistas de todos os tempos, assim como a péssima interpretação da Debora, mas respeito você ter gostado.

Não acredito que a nova trama do autor seja uma nova Fina Estampa, até porque o autor jamais escreveria um troço daqueles. Abração!

Sérgio Santos disse...

Oi Bernar55, obrigado pelo comentário. Abraço e bom domingo pra você também.

Rita disse...

*。¨* ✫ ” ✫. ☽¨¯*。.☆¨*。¯`☆¸.✫˚¯`☆
Passando para deixar um abraço de bom domingo, quanto a Gabriela só sei que
foram grandes atores que participaram
Parabéns a todos, como não assisti não
tenho nada a falar, só elogios a ele
e a Laura Cardoso que é uma fofa
Abraçãoooooo
Rita!!
*。¨* ✫ ” ✫. ☽¨¯*。.☆¨*。¯`☆¸.✫˚¯`☆

Rosa disse...

Boa tarde, Milena e Sergio!!!

A novela que Luiza fez um papel pra lá de coadjuvante, foi em Viver a Vida....ela interpretou Glória, recepcionista de uma pousada em Búzios que pertencia a família da Helena.

Rosa disse...

Olá Sergio, agora vou falar de Gabriela.

Num todo a novela foi muito boa, com textos excelentes, grandes atores, figurino impecável, cenário pra lá de luxuoso, direção primorosa e uma fotografia impecável.

Qnt ao último cap. vou discorar de vc, não gostei......cheguei a ficar indignada.
Foi tudo corrido demais, era nítido até para um leigo que cenas foram cortadas de forma grotesca.

Até agora não entendi pq Walcyr Carrasco nos enfiou goela abaixo, uma cena com 10 minutos de duração, com o dito casal que desagradou a maioria do público....é notório que o casal Gabriela e Nacib não caíram nas graças do público....WC fez de Nacib um bocó, que não andava se arrastava, chegava a ser tosco e qnt a Gabriela, já te disse o que acho....Ju Paes, foi um tiro no pé.
Não tenha nada contra Ju Paes e H Martins, mas eles não passam de atores medianos....não aguentam o peso de personagens protagonistas e pra completar, juntos não tiveram química.
O público aguardava ansiosamente para ver o desfecho entre o casal Mundinho e Gerusa, que de longe era o preferido do público......participava de um fórum de Gabriela, num site especializado em novelas...nesse fórum 99,9% dos frequentadores, assistiam a novela por cauda desse casal e grande maioria ficou decepcionada com a forma corrida das cenas de Mundinho e Gerusa no cap. final.....cenas cortadas(o corte na cena do casamento chega a ser grotesco, logo após o beijo na testa). Até acredito que WC não teve culpa nesses cortes, afinal o último cap. só teve 37 minutos, muito pouco....a Rede Globo sabia que teria debate nesse dia, deveriam achar alguma alternativa, um cap. na 2ª feira, como na primeira semana teria resolvido.

Laura Cardoso e Jose Wilker brilharam e só confirmaram o que já sabemos...quão grandiosos são!!!


Rosa disse...

Continuando.....

Li um crítica no site terra e concordei pontualmente com ela......pra mim as grandes protagonistas dessa novela não tinham pele morena, tinham pele clara, cabelos claros e olhos claros.
Nos primeiros capítulos Zarolha me encantou, o seu chamego com o turco Nacib e sua saga para vestir Nossa Senhora com o manto bordado pelas quengas...Leona Cavalli, só confirmou que é uma excelente atriz.

Depois surge outra protagonista,aquela que se tornou a mocinha da trama.....Gerusa, nos encantou.....como não se apaixonar por menina que sofre a novela inteira, para conseguir ser feliz ao lado do seu amor....
Luiza Valdetaro, brilhou, roubou a cena interpretando a doce e delicada Gerusa........não era um personagem fácil, chorar sempre, muitas vezes se torna repetitivo e piegas.......Luiza, conseguiu fugir do óbvio e mostrou que é uma grande atriz....acredito que ela conseguiu uma dar guinada na carreira....mostrou que pode ser uma protagonista no horário nobre da globo.

Barbie Californiana disse...

Ah! Sérgio, eu não vi a primeira versão, só ouvi falar, mas a segunda ficou perfeita e concordo que Walcyr Carrasco está mais do que preparado para assumir o horário nobre. beijos e uma linda noite.

Sérgio Santos disse...

Oi Rita, obrigado pelo comentário e carinho. Boa semana pra você!

Sérgio Santos disse...

Oi Rosa, obrigado pelo comentário. Luiza Valdetaro é uma grande atriz e também acho que está apta para qualquer tipo de personagem, inclusive protagonista.

Acho que a cena final entre Gabriela e Nacib acabou sendo uma compensação do autor, uma vez que ele mesmo sabe que ambos não agradaram. Então foi, digamos, um prêmio de consolação.

Realmente 37 minutos para um último capítulo é muito pouco, por isso mesmo acho que o autor optou por finalizar as história de Malvina, Professor Josué, Glória, Lindinalva e Juvenal logo na terça-feira. Para evitar correria.

Não achei o último capítulo corrido, mas entendo sua concepção. E realmente 99% das pessoas assistiam Gabriela por causa dos demais personagens e não por causa da protagonista. Beijos!!!!

Sérgio Santos disse...

Oi Barbie, obrigado pelo comentário. Tenha uma ótima semana! Beijos.

Lilly Soares disse...

Infelizmente por ser mto tarde, não consegui acompanhar Gabriela, mas pude conferir alguns capítulos e c/ certeza Walcyr manda mto bem. Tomara mesmo que lhe deem a oportunidade do horário das 9h, esse horário precisa urgentemente ser renovado, pq tem padecido de uma mesmice. Mesmo os bons e renomados autores desse horário, tem deixado a desejar.

Sérgio Santos disse...

Oi Lilly, já deram a oportunidade. Walcyr irá substituir Glória Perez. Sua trama entrará no lugar de Salve Jorge. Beijos e obrigado pelo comentário.

Adriana Helena disse...

Olá Sérgio! Tudo bem amigo?
Puxa, estou atrasadona para comentar sobre o final da novela Gabriela!

Eu perdi alguns capítulos porque passava muito tarde, mas os que acompanhei eu fiquei encantada! Principalmente com a atuação da nossa super "mostra" sagrada que deu um show e me matava de rir, apesar das suas maldades cotidianas com os habitantes da cidade: sim a Dona Dorotéia, vivida por Laura Cardoso. E no penúltimo capítulo, depois de encontrar-se sozinha em casa, apenas Gabriela veio lhe fazer companhia com seus quindins e bolos deliciosos... essa cena me fez chorar amigo, tamanha a interpretação da Laura! Ela foi esplêndida!!!

Quanto aos demais autores, também foram muito bons! Na verdade, Gabriela, vivida por Juliana Paes, ficou até esmaecida ante a consagração de tantos outros atores que deram também um show à PARTE!
Mas em geral, gostei muito!

Ah, outro adendo: a interpretação de José Wilker no dia de seu julgamento! Que primor! E sabe, adoro cenas de julgamentos e ficou muito boa com a intervenção do Juiz da cidade vivido por Tarcísio Meira! Ele soube se controlar diante do Coronel Jesuíno!!! rsrs Se fosse hoje, ele teria sido colocado para fora da sala e preso..rsrs Ficou tudo muito bom mesmo!!!! Adorei!!

Assim como adorei seu texto narrando sobre os pontos culminantes da novela amigo! Sempre em cima dos acontecimentos e com avaliação imparcial,a meu ver, perfeita!

Obrigada e desculpe a demora em vir aqui!
Abração e ótima semana!

Sérgio Santos disse...

Oi Adriana, é sempre bom ler seus comentários. Wilker e Laura foram os maiores destaques mesmo e as cenas citadas por você serão inesquecíveis.

Gabriela foi uma ótima novela e Walcyr escreveu um remake muito bom. Deixará saudades. Beijão e obrigado pelo elogio sempre carinhoso!