segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Avenida Brasil: a novela que congelou o país e consagrou João Emanuel Carneiro

Há alguns anos atrás, quase todas as novelas do horário nobre da Rede Globo conseguiam parar o Brasil e gerar índices absurdos de audiência. Mas os tempos mudaram e a queda dos índices ficaram nítidas. O que não significa que o país está vendo menos televisão, longe disso. Só que graças à internet, televisão no celular e à possibilidade de assistir ao seu programa predileto no horário que bem entender, fez com que o telespectador não se visse mais preso à tevê. Antigamente, a média mínima que a emissora exigia era: 30 pontos às 18h, 35 pontos às 19h e 45 pontos às 21h. Hoje os números mínimos passaram para: 25, 30 e 40, respectivamente, demonstrando uma menor exigência da empresa. Entretanto, deixando o passado de lado, podemos dizer que "Avenida Brasil" foi uma novela que fez o Brasil voltar no tempo. A correria para chegar em casa e assistir ao último capítulo estava de novo presente e o desfecho da trama congelou o público, deixando ruas vazias na hora do aguardado final.


A novela obteve 52 pontos no último capítulo, índice superior ao de "Fina Estampa", que conseguiu 47 no dia de seu desfecho. Porém, se levar em consideração a quantidade de gente que viu a trama em um mesmo local, reunidas com amigos, família, ou até mesmo em bares, cinemas e teatros; esse índice ultrapassaria os 60 pontos facilmente. O país esteve diante de um sucesso de repercussão. É inegável, até mesmo para os poucos críticos, que "Avenida Brasil" foi uma novela que conquistou o público e fez até telespectador que não via novela há anos, voltasse a acompanhar uma história por meses a fio.

Foi um verdadeiro conjunto de acertos. Um elenco reduzido, onde todos os atores tiveram a chance de brilhar; uma trama central densa e instigante; núcleos paralelos que despertaram a simpatia de todos; personagens carismáticos; grandes profissionais envolvidos; direção primorosa; ganchos impactantes e uma agilidade invejável. Foram muitas
as qualidades de "Avenida Brasil".

João Emanuel Carneiro soube prender o telespectador assim que sua obra estreou e está mais respeitado que nunca no seleto time de autores da Globo. Após dois grandes sucessos às sete horas ("Da Cor do Pecado" e "Cobras & Lagartos"), a emissora resolveu arriscar e transferiu João para o horário nobre. Foi um dos maiores acertos da empresa nos últimos anos. Graças à ousadia global, o público pôde acompanhar a inovadora "A Favorita", onde mocinha e vilã não eram declaradas e cabia a cada um observar quem estaria falando a verdade. Até hoje ninguém se esquece da víbora Flora e do trabalho magnífico de Patrícia Pillar e nem do sofrimento de Donatella (Cláudia Raia).

Em "Avenida Brasil", o autor soube corrigir os erros da trama anterior. Ao contrário de "A Favorita", sua recém-terminada novela não teve grandes atores sendo subaproveitados. Já os núcleos paralelos tiveram tanta força quanto o central e a agilidade se fez bem mais presente. João soube utilizar velhos clichês novelísticos a seu favor e conseguiu inovar até mesmo em situações como o 'quem matou?' e os famigerados sequestros. Outro grande acerto foi a inspiração em vários filmes, como "Kill Bill", "Pequena Miss Sunshine", dentre tantos mais. Criar situações que não demoraram muito para ser revolvidas foi uma excelente sacada, dando todo um dinamismo e uma rapidez que impediam o telespectador de abandonar a história. A congelada no final de cada capítulo, ao som de uma trilha de suspense marcante, também foi um dos marcos dessa novela. Até mesmo os furos --- como Nina sair do banco com um milhão em dinheiro vivo e a ausência da tecnologia ao armazenar as fotos --- ficaram menores diante de tantos pontos positivos.

Impossível não ter sido conquistado pela sofrida história de Rita, menina lindamente interpretada por Mel Maia, que teve sua vida arruinada, sendo abandonada em um lixão por uma madrasta monstruosa. Adriana Esteves fez uma Carminha brilhante e inesquecível, sem dúvida seu melhor papel na carreira. Débora Falabella viveu uma mocinha que fugia dos esteriótipos e enfrentava a vilã de igual para igual, utilizando vários métodos nada corretos. Ísis Valverde encantou com a periguete mais amada do Brasil e formou um lindo par com Roni (Daniel Rocha), despertando uma imensa torcida do público pelo casal. Vera Holtz, José de Abreu e Juca de Oliveira fizeram de Mãe Lucinda, Nilo e Santiago, personagens fascinantes e que guardavam todas as chaves do misterioso e nada agradável passado. Marcos Caruso fez um Leleco hilário. Murilo Benício compôs um Tufão ingênuo, mas crível. Juliano Cazarré, Cláudia Missura e Cacau Protásio viram Adauto, Janaína e Zezé crescerem ao longo da trama. As refeições da Família Tufão, com todo mundo falando ao mesmo tempo, eram um show à parte. Até mesmo o núcleo do Cadinho e suas mulheres apresentou uma significativa melhora com a entrada de Betty Faria e quando a turma toda faliu, indo morar no Divino.

"Avenida Brasil" foi uma novela rara e que marcará a teledramaturgia. Seu sucesso foi até citado na imprensa estrangeira, como a Forbes, por exemplo, que considerou a trama como a mais bem-sucedida comercialmente do país. João Emanuel Carneiro saiu consagrado após mais este vitorioso trabalho e o telespectador já aguarda com ansiedade sua volta ao horário nobre. Que venha a próxima história!

48 comentários:

✿ chica disse...

Ele se consagrou mesmo!Acredito! E ótimo início de novela pra ti! abração,chica

Kellen Bittencourt disse...

Parabéns ao autor pelos seus enormes acertos e pequenos erros, certamente marcou mesmo a teledramaturgia e foi bom p todos que participaram! Agora vamos Salvar Jorge rsr Abraçosss

Angel Negro disse...

Li esse texto no site RD1 na coluna OVNI e achei interessante compartilhar esse ponto de vista que concordo com tudo falado.....
João Emanuel Carneiro e a direção da novela colocam uma partida do time do Divino como a última cena. Confesso que, na hora, não entendi. Mas agora, após o calor da emoção, dá pra interpretar de uma forma um pouco mais lógica. Avenida Brasil acabou fazendo referência à forma como foi feita e vista, que é como uma partida de um time de futebol. Time esse que fez de todos nós, telespectadores dessa novela, membros fiéis de uma torcida organizada, que lotava as arquibancadas, sofás, cadeiras e redes sociais da internet todas as noites, por 179 capítulos, urrando nosso bom e velho grito OI OI OI de guerra. Time esse que marcou verdadeiros gols de placa, graças a um elenco de craques. Alguns atores/jogadores tropeçaram, outros deram verdadeiras bolas pra fora. Mas a quase totalidade marcou verdadeiros “golaços” de placa. Tudo isso orquestrado pelo técnico João Emanuel Carneiro, que soube definir o melhor esquema tático possível para que esse time “divino” de pessoas e personagens envolvidos em Avenida Brasil fizessem de um simples jogo de futebol, de um capítulo final, uma final de Copa do Mundo....

EDER RIBEIRO disse...

Sua crônica, Sérgio, deu uma percepção do que foi a novela. Nessa novela, houve a cena do perdãp entre Carmina e Rita/Nina, mãe Lucinda e Jorginho que foi primorosa tanto na escrita qto na direção. Essa cena ficará gravada na minha memória. Abçs.

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia!
Sérgio...
Parabéns ao autor pelo sucesso. Pelo tanto que apareceu nas redes sociais, ferramenta que faço muito uso,não tem como questionar isso.
Penso que o elenco reduzido, com as tramas paralelas resolvidas rapidamente e humildade para corrigir alguns erros no caminho foram os trunfos do autor.
Parabéns pela sua crítica! Muito boa!
Boa semana!
Obrigado!
Abraços

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Boa crítica, Sérgio. "Avenida Brasil" não foi perfeita, mas deixou uma ótima impressão.
Gostei especialmente das citações dos livros e referências cinematográficas.
O sucesso e a repercussão foram merecidos.

Carlos disse...

Não li seu texto todo por pura preguiça (AB me cansa), mas teve uma parte que gostaria de destacar: " Porém, se levar em consideração a quantidade de gente que viu a trama em um mesmo local, reunidas com amigos, família, ou até mesmo em bares, cinemas e teatros; esse índice ultrapassaria os 60 pontos facilmente.".

Destaquei essa parte pq sinceramente, SE começarmos a brincar com esse SE...: SE AB fosse da Record, seria bem criticada e não teria 51 muito menos 60 pontos, nem a metade da metade da metade disso. SE fosse com outros atores, não haveria todos esses elogios. SE fosse de outra emissora não teria todos esses fãs... Viu como com um SE dá pra construir ideias, todas ao contrário?

Só escrevi isso pq o que tem/tinha de fã chato em relação a essa novela. "Ah, mas SE não tivesse horário político", "Ah, mas SE fosse exibido mais tarde"... Como se no final das contas isso fosse fazer alguma diferença pra Globo. Sucesso é sucesso, pronto. O que tem de programa que dá altos pontos e não tem repercussão ou o contrário...

Não gostei dessa novela, mas sei que ela fez sucesso, dizer o contrário seria ignorância. Por favor fãs, não procurem "SE", aceitem o "É".

Anônimo disse...

Eu teria mudado o destino da Carminha... teria feito que ela fugisse com o capanga que sabia pilotar o avião e os 20 milhões. Depois ela ia aparecer em Miami, rica, loira, poderosa, toda vestida de branco, cheia de jóias e mais arrogante do que nunca. A surpresa seria que a Zezé ia estar com ela... arraaando no ingrês!

Sissym disse...

Eu já vou sentir falta da Carmiiiinha, Carmiiiinha!
O conjunto era bom, mas Adriana foi um show contínuo! Eu tambem gostei da Beth Faria, ela realmente fez a diferença naquele nucleo.

Não sou chegada a assistir novelas, acho que demoram demais, contudo, esta prendeu a atenção de todos, seja pela curiosidade do que ia acontecer, seja pelos desempenhos notáveis da maioria dos atores.

Bjs

Camila disse...

Sergio o ibope divulgou hoje e Avenida Brasil marcou 52 pontos não 51. :) Salve JEC

Tatiane disse...

Concerteza o a novela foi muito boa e o JEC saiu ainda mais valorizado.

Patricia Galis disse...

Não assisti a novela mas estava em casa na sexta-feira sozinha e vi o final, fiquei perplexa com a Adriana Esteves, ninguém jamais poderá dizer que essa menina não é top.

tutankamon disse...

Não somente joão Emanuel.,mas a maioria dos atores e atrizes,velhos e novos talentos que agarraram a oportunidade e deixaram seus nomes inscritos na teledramaturgia brasileira ,inclusive com novas imagens e clichês (Vampi ,revolução dos efeitos e bordões)
O antes e o depois-para muitos - Av Brasil,o divisor de águas!!!!
Serjão,
abraços fortes

paulo disse...

Essa novela só conseguiu inovar pra quem assiste novelas de uns 15 anos pra cá. Mocinhas que voltam pra se vingar, personagens que acreditavam ter cometido um crime e são inocentes, casal de vilões, quem matou, e até o negocio de congelar a ultima cena... tudo isso outras centenas de novelas já mostraram, parece que as pessoas tiveram uma amnésia e ficaram achando que tudo em AB era uma novidade. Eu ainda acho que houve muita forçassão de barra com essa novela, antes de começar a globo já estava prometendo uma novela fantástica, etc e tal. Tudo bem, acho que se eu tivesse 20 e poucos anos ou menos eu tambem acharia essa novela boa, ou cheia de novidades, mas repito que AB foi um amontoado de coisas que outras novelas já mostraram. Novidade nenhuma a meu ver. E 51 pontos pra todo esse auê foi DECEPCIONANTE! A tão criticada Fina Estampa deu 47 no fim, apenas tres a menos, e sem um milésimo de todo o merchand que esse final de AB teve. E Fina Estampa no geral teve mais ibope que AB, importante dizer. Sem contar que novelas sem um pingo de repercussão como páginas da vida deram 53 no final!!! E não venha com se isso, se aquilo, foi frustrante esses 51 de AB, admita! Abrçs.

Milene Lima disse...

Olá, Sérgio. Estou eu aqui para falar outra vez de Avenida Brasil. Minhas teorias não mudaram tanto, nem sei se serei bem vinda nos comentários aqui. Fiquei mais de um mês sem assistir a novela e não senti falta nenhuma. Continuei, até o final, achando o núcleo do Cadinho (com Beth Faria e tudo) intragável (exceto pela Verônica perguntando no último capítulo se a pobreza dele era só aquela ou ainda ia piorar.Hilário! E me pego questionando a hipocrisia impregnada nos telespectadores que se escandalizam com uma intimidade maior entre casais homossexuais, mas um sujeito com três mulheres tá valendo e é até engraçado. Enfim.
As últimas semanas foram mesmo bem bacanas, valeram a novela. Mas, é sério que estão questionando um final subliminar? Misericórdia. Por mais "genial" que seja, é uma novela. Ou surgirá uma saga e no próximo episódio o Jorginho virá vilão, mostrando a herança genética dos pais e avôs?
Eu continuo achando o fim do mundo alguém de uma empresa tão importante feito a Eletrobras se pronunciar dizendo que trabalhará a fim de evitar um apagão no horário da novela, mesmo sendo essa, indiscutivelmente marcante.

Beijo, Sérgio.

Bia Hain disse...

Sérgio, na sexta eu estava em um jantar de formatura e não assisti ao final, hahaha, mas o fiz no sábado. Mesmo não entrando no roll das minhas novelas preferidas, acho que esse autor é muito feliz quando resolve escrever tramas diferentes das convencionais, e não discuto sua capacidade, apesar de dar alguns furos ao longo da trama. Vamos ver como será a próxima. Gosto da abordagem histórica e cultural que a Glória Peres traz a suas novelas, porém no meio fica sempre ficando meio chatinha...Vamos ver. Um abraço, ótima semana!

Carlos disse...

Ah, Milene, vc focou em um ponto que já tinha até esquecido. Essa tal falta de luz anunciada. Isso chegou a ser patético. Quantas novelas já tiveram com um final assim, capaz de "parar" o Brasil? Posso citar 3: Celebridade, Senhora do Destino e América. Foram em sequência e não correram esse "risco". É ser muito inocente acreditar nesse papo.

E não é apenas isso o fim do mundo, pior que isso é a presidenta sair em nota de jornal como se tivesse deixado de "trabalhar"(era um comício, se eu não me engano) pra ver novela, marcando apenas no dia seguinte. E isso ainda saiu no exterior. É pedir pra não ser levado a sério. Não sabemos se isso foi real (ela gosta de novela, mas isso não prova nada. E tbm tem nenhum problema dela gostar), mas sair em nota, dando a entender que o país, incluindo a líder, parou, não é bom.

LUIZ disse...

Eu acho que Avenida Brasil foi o maior golpe da TV nos últimos tempos, isso sim! A globo transformou toda sua programação numa overdose da novela, resumo dos capitulos no video show, atores da novela marcando presença em todos os programas da globo, chamadas em revistas e jornais(aqui na minha cidade tinha um outdoor da novela dentro do shopping), e aquelas ridiculas "reportagens" mostrando as ruas vazias e o povo correndo pra casa, mas parece que metade do povo não ligou pra novela, os números comprovam. O mais bossal de tudo isso foram as manchetes (identicas) em todos os sites dizendo que AB foi o maior ibope do ano. DO ANO? Mas isso era o mínimo que se esperava do ultimo capitulo da novela das 9, seria sucesso se fosse MAIOR IBOPE DOS ULTIMOS ANOSSS. Me pareceu tudo um golpe de marketing da globo, e não deu certo. Acorda Brasil!!!

Samuel disse...

A novela foi boa, mas pecou com exageros, como a ingenuidade do Tufão e sua familia, a falta de tecnologia em um novela do século XXI, mas enfim a trama era agil e eletrizante isso eu não posso negar.

Anônimo disse...

Essa novela foi uma DROGA! Ainda bem que acabou, quanta bobagem.

ELAINE disse...

Meu amigo Sérgio! Como estás? Adorei o post! Como sempre, muito bem escrito! Bem, depois deste sucesso todo, que consagrou autor e atores, será que a emissora conseguirá uma trama a altura para substituir Av. Brasil? Vamos aguardar pra ver... Um início de semana iluminado!
Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

A viajante disse...

Eu já estou na crise da abstinência e sem conseguir assistir Salve Jorge sem pensar na família Tufão e no povo do Divino... amei demais a novela e só a comparo com O Clone, outra novela que marcou a tv brasileira! Beijo!!

Sérgio Santos disse...

Oi Chica, obrigado pelo comentário. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen, sim, parabéns mesmo! rs Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Angel, gostei muito do texto! Abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Eder, obrigado. Na minha também, viu? Abração.

Sérgio Santos disse...

Oi Felisberto, muito obrigado! Concordo com o que você disse também. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira, também acho que perfeita não foi, mas cada elogio recebido e todo o sucesso foram muito merecidos. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Carlos, gosto da sua sinceridade. Mas citei o 'se' porque a novela parou mesmo o país e isso não foi a Globo que disse, foi visto. E isso desde o início do dia, só se falava do último capítulo.

Sobre o seu comentário para a Milene, não disse que a novela foi a única a parar, mas disse que foi uma das e que voltou a fazer isso após um longo tempo sem termos tramas que realmente gerassem tanta repercussão.

As três citadas por você pararam mesmo, embora América tenha parado por causa do tal beijo gay não mostrado e não pela qualidade, porque foi uma novela horrível. Abraços.

Sérgio Santos disse...

"Anônimo", seu final seria divertido, mas ficaria parecido com as últimas vilãs do horário nobre que saíram impunes. Abração!

Sérgio Santos disse...

Oi Sissym eu também sentirei falta da Carminha. Betty foi uma grata presença.

O seu caso reflete muito o que Avenida Brasil fez: conquistar o telespectador que não via novelas há tempos. Beijão.

Sérgio Santos disse...

Oi Camila, já alterei o número no texto e com prazer. =)

Sérgio Santos disse...

Oi Tatiane, sem dúvida. Muito valorizado. Beijão.

Sérgio Santos disse...

Oi Patrícia, Adriana Esteves foi fantástica mesmo. Grande atuação. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Tutankamon, também acho que Avenida Brasil foi um divisor de águas, principalmente na questão da agilidade nas novelas. Abração!

Sérgio Santos disse...

Paulo, obrigado pelo comentário. Porém, você tá mal informado. Avenida Brasil empatou com Fina Estampa na média geral e com um detalhe: a trama de JEC teve 179 capítulo e a do Aguinaldo Silva teve 185, ou seja, se Avenida Brasil tivesse a mesma duração de Fina Estampa passaria facilmente. E 51 pontos foi uma grande audiência, e a repercussão que ela teve foi três vezes maior que o ibope. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Milene, como você não vai ser querida aqui? Como?

Entendo perfeitamente o seu ponto de vista e respeito. Também achei Verônica hilária e foi um destaque nesse núcleo.

A hipocrisia em aceitar um homem com 3 mulheres e rejeitar o contrário se faz presente, infelizmente. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Bia, então você perdeu o último e só viu no sábado? Foi uma das poucas! rsrs Acho JEC genial e já estou no aguardo de sua próxima obra. Glória é uma autora talentosa, mas não costumo gostar de suas novelas. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Luiz, mas discordo totalmente. Golpe de marketing? Você não deve usar muito redes sociais, porque caso usasse veria o tanto de repercussão que teve.

E se for assim a Globo já achou a fórmula do sucesso; basta encher a programação falando da novela e pronto: o sucesso será uma consequência. Não é assim que funciona.

Os programas da emissora se aproveitaram do sucesso de Avenida Brasil e não Avenida Brasil fez sucesso por culpa dos programas da Globo. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Samuel, concordo que tiveram alguns furos, o que a impediu de ser perfeita, mas que foi épica, foi. Abraços.

Sérgio Santos disse...

"Anônimo", ok, é a sua opinião. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Elaine, obrigado pelo comentário. Pois é, será difícil outra novela repetir o sucesso de Av.br. Vamos ver se outra irá se sobressair. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Ju, também estou com abstinência. Mas fazer o quê? Tudo acaba um dia. rsrs Beijos!

Carlos disse...

Sérgio, América tava a semana inteira tendo audiência, pode até ter sido que no final uma das desculpas pra assistir tenha sido o beijo, mas não foi a unica a razão pq a novela tava fazendo sucesso.

Bom, pegar internet como exemplo de "parar" o Brasil é fácil, ja falei isso em outro tópico. No final de Cheias tbm tinha mta gente comentando, e vamos combinar, novela das 8 cai mais nas graças do público que uma das 7.

Vi as fotos da uol de estabelecimentos vazios (como se tivessem ido pra casa assistir) e outros de bares cheios (decidiram ver na rua). Quer dizer, tudo é favoravel a novela? A novela fez sucesso, mas a mídia tbm "deduziu" demais.

Abraço

Paty Michele disse...

Essa novela marcou a história da TV brasileira. Pra mim, foi a melhor de todos os tempos. Vilões e heróis inesquecíveis.

E vc sempre aqui trazendo as deliciosas resenhas.
Vou ficar com saudade!

bjão.

Sérgio Santos disse...

Carlos, veja bem, eu não usei a internet para falar de parar o Brasil, eu falei da internet para citar a repercussão. É diferente.

Parar parou mesmo e eu, embora seja suspeito, nunca vi minha rua tão vazia numa hora de rush de uma sexta-feira. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Paty, obrigado! Também ficarei com muitas saudades! Beijão!

Anônimo disse...

info Nice;) Obrigado pelo seu tempo ...;)