sábado, 20 de outubro de 2012

Com um final ousado e emocionante, Avenida Brasil fecha seu ciclo como um dos maiores fenômenos do horário nobre

Chegou ao fim a melhor novela dos últimos anos. "Avenida Brasil" mobilizou todo o país e seu último capítulo foi tão aguardado quanto  final da Copa do Mundo. Não, isso não é um exagero e nem fanatismo, a novela de João Emanuel Carneiro conseguiu o que jamais era esperado em tempos de internet e novas mídias: fazer todos correrem para assistir ao desfecho da história. Bares, restaurantes, o próprio aconchego do lar e até teatro; não foram poucos os lugares escolhidos para acompanhar o final de Carminha e cia.


Apesar da quantidade absurda de spoilers, o que acabou prejudicando toda a surpresa que o autor havia planejado, "Avenida Brasil" apresentou um último capítulo marcado pela emoção e finalização da vingança de Nina. Logo no início do capítulo, o telespectador viu Carminha arrancar a arma das mãos do pai e enfrentá-lo, protegendo, quem diria, Nina e Tufão, as pessoas que ela mais prejudicou na trama. A parte mais marcante da sequência foi o momento em que a vilã dá a arma para a rival, e a manda acabar logo com sua vingança. Adriana Esteves e Débora Falabella brilharam mais uma vez. Já após o fim do sequestro, sem enrolação, foi desvendado (?) o mistério dessa reta final.

A descoberta do assassino de Max foi primorosa. Conseguiram ousar até mesmo no clichê no 'quem matou'. Toda a construção da morte foi admirável. Max deu uma paulada em Nina, brigou com Lúcio, levou uma coronhada de Ivana e Janaína ainda tentou esfaqueá-lo. Quase todos os suspeitos acabaram contribuindo para o trágico desfecho do malandro. Carminha pegou a enxada e ainda deu a ele a chance de fugir, que foi prontamente recusada. O vilão tentou enfiar uma faca na ex-amante, mas levou uma enxadada na cabeça, o matando na hora. Não, não foi Carminha a autora do crime como pareceu. A enxada da
ex de Tufão estava sem sangue e a víbora se surpreendeu ao vê-lo levando uma pancada e caindo. O assassino de Max foi o mesmo que desferiu a segunda paulada na Nina e não foi desvendado. A vilã assumiu o crime de uma outra pessoa, da mesma forma que Mãe Lucinda fez no passado. Então quem matou Max? Jorginho foi o responsável e a mãe finalmente pôde compensar o mal que fez ao menino no passado, assumindo a culpa do crime. É importante lembrar que antes de levar a primeira pancada, Nina gritou por Jorginho! Ainda houve uma troca de olhares entre mãe e filho na delegacia.

Como se não bastasse ter ousado ao colocar a vilã salvando a mocinha duas vezes e ter escrito uma cena de assassinato riquíssima, João Emanuel Carneiro ainda exibiu a sequência mais emocionante do capítulo final: o abraço que Carminha deu em Nina, após a protagonista chegar no lixão segurando o filho que teve com Jorginho. Não, a vilã não se redimiu, não virou santa, não mudou de personalidade. Carminha saiu da cadeia, após três anos de prisão, foi morar com Mãe Lucinda no lixão, mas continua dando suas patadas, gritando e se achando superior. Entretanto, ao se emocionar vendo o neto e abraçando a rival, Carminha mostra que se humanizou. Nina havia terminado sua vingança: a mocinha conseguiu mudar, pelo menos um pouco, o caráter de sua algoz. Não viraram melhores amigas, mas aprenderam a se respeitar e, principalmente, a perdoar.

"Avenida Brasil" fechou seu ciclo sendo um dos maiores fenômenos de repercussão dos últimos tempos, com direito até a reportagens em jornais estrangeiros. Após todos os elogios de público e crítica que a trama recebeu, nada mais apropriado do que encerrar a história com o time do Divino jogando bonito, com direito até a um gol de pênalti do Adauto. Todo o elenco estava na arquibancada e enquanto os personagens comemoravam a vitória do time de coração, os atores gritavam de alegria por terem participado de um sucesso tão grande. João Emanuel Carneiro escreveu um marco na história da teledramaturgia e o público jamais esquecerá a novela que inovou em vários aspectos, inclusive na fotografia cinematográfica. O "oi oi oi" deu lugar ao "tchau tchau tchau" e o público já começa a sentir a saudade apertar. Adeus, "Avenida Brasil", obrigado por tudo!

62 comentários:

Thallys Bruno Almeida disse...

Perfeito artigo, Sérgio. Nada mais a acrescentar. Eu curti sim esse final e, por ter me precavido evitando ler os tais spoilers, pude até ter pequenas "surpresas". Gostei dessa sacada de "final em aberto", essa incógnita sobre Carminha ter matado ou não o Max, essa margem pra múltiplas interpretações.

E por falar em Adauto, adorei a cena da revelação do segredo dele. Além de falar um pouco sobre o bullying, a cena por mais tosca que pudesse ser, divertiu muito.

Avenida parou o país como numa final de Copa - sem nenhum exagero; fez outros autores engolirem as críticas que fizeram; trouxe personagens marcantes, direção afiada, elenco competente e, por isso tudo, vai deixar tanta saudade. Mas é como disse o Carlos Drummond na época de O Astro 1978. Agora que acabou, é vida que segue, que o Brasil continua aí.

Glória Perez (que inclusive acabou de sofrer mais uma campanha difamatória do Edir Macedo) sabe bem como é a responsabilidade de entrar no lugar de JEC, pois já o fez antes (A Favorita -> Caminho das Índias). Por isso, desejo boa sorte pra ela.

Tatiane disse...

Belo texto Sérgio, a cena da morte do Max ficou confusa mesmo, mas eu acho que não foi Jorginho, ele não seria tão mau-caráter a ponto de deixar a Nina pensar que foi ela ou deixar a Lucinda, aquela que foi sua mãe de verdade, pagar por um crime que não cometeu. Se a Carminha tivesse se entregado logo após a morte do Max menos mal, até poderia achar que foi ele. Deve ter sido a Carminha e a Lucinda se incriminou para compensar a morte da mãe da Carminha que ela achava que era a assassina, mas que a cena ficou confusa ficou.

paulo disse...

Oi, cheguei agora pra opinar, hehe, vamos lá: olha, até que o final foi bem legalzinho, nada de todo mundo se acertando, feliz, etc. A carminha pagando por tudo que fez no lixão, o jogo no final, tudo ok! Mas convenhamos, a novela podia ter ficado sem esse quem matou o max. Isso já esta insuportavel em novelas e esse então foi tosquérrimo. Quer dizer que o max é o jason: levou facada de um, coronhada de outro, paulada(UFA), e só morreu com a tal enxadada, KKKKKKKKKKK, tosco demais, ou seja, podia ser QUALQUER UM que matou, não teve um motivo! E quer dizer que tambem não foi a carminha, ou seja, tá igual o final de fina estampa com o namorado do crô, pode ser qualquer um!!! Realmente, foi o quem matou mais tosco da história, ainda mais que eu sempre lembro da minha novela favorita(não a do JEC): Vale Tudo, onde o assassinato da Odete Roitman(esse sim é clássico e eterno) teve o autor NADA óbvio(Leila) e melhor ainda, com um motivo super criativo e crível, acho que todos lembram. Enfim, espero que nenhuma novela mais tenha "quem matou", cena congelada no fim do capítulo(já encheu), mocinhas vingativas, e tudo que outras centenas de novelas já tiveram e que Avenida Brasil ACHOU que inventou. Abrçs e mais uma vez, sérgio, te desejo coragem e disposição pra mais 200 capítulos da nova bomba da glória Perez!

✿ chica disse...

Gostei do final e da dúvida que restou... Enfim, acabou e vamos nos preparar pra se der, assistir mais uma, os artistas são ótimos...abração,chica

Eduardo disse...

O ultimo capitulo foi otimo, mas Nina e nem Carminha, pra mim quem brilhou no ultimo capitulo foi Adauto chupetinha.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Boa crítica, Sérgio. Achei o último capítulo bom, mas não perfeito. Concordo que a divulgação antecipada de que Carminha era a assassina do Max acabou por diluir o impacto. As cenas da reconciliação de Carminha e Nina, apesar de pouco prováveis, foram emocionantes. Assim como foi emocionante a declaração de amor da Lucinda pela Carminha.
Se Carminha amou mesmo o Tufão, como disse, nada fez para mostrar isso, durante o casamento com ele.
Por que Nilo não revelou antes a Lucinda que ela era inocente da acusação de ter matado a mãe da Carminha?
Faltaram desfechos para Santiago e o suposto filho da Suellen.
Gostei das cenas de todos reunidos torcendo pelo Adauto e pelo Divino. Final alto-astral para uma novela que deixará saudades e uma grande responsabilidade para "Salve Jorge" manter a audiência.

LUIZ disse...

Nunca ví um marketing tão agressivo qto o que foi feito pro final dessa novela, era visível que a intenção da globo era quebrar recordes de audiencia, e mesmo assim deu 50 pontos SÓ??? Desculpe, é um ótimo número, sem dúvida, mas pra uma novela tão comentada, tanta chamada, outdoor, anúncio em jornal, programas vespertinos de outras TVs comentando, era pra dar uns 60 no mínimo. Vamos pensar que novelas anteriores com muito menos repercussão e marketing deram 48, 49 pontos. Acho que Avenida Brasil foi uma novela atípica no seguinte sentido: tinha capítulos que chamavam mais atenção, e´estes davam mais ibope, mas no geral não tinha um ibope tão alto porque era uma novela muitas vezes cansativa, confusa, muitos personagens enjoados, enfim... Um bom dia a todos!

Anônimo disse...

Na minha opinião, vcs estão viajando falando que foi o Jorginho q matou o Max. Primeiro:ele foi descaetado pelo site oficial.Segundo: vc acha q uma pessoa tão perturbada e sentimental como o Jorginho iria matar alguém e ficar de boa,n surtar, como ele já fez em situações mto menos extremas???DEFINITIVAMENTE NÄO. Nina gritou o nome do Jorginho sendo um pedido de socorro,pq com certeza se ela tivesse visto ele, ela iria perguntar, quesrionar,desconfiar. Quando ele chegou no local,Nina n parecia ter visto ele antes..tanto q ela explicou a situação do ocorrido para ele. E a troca de olhares na delegacia foi mais um “olha filho,eu salvei o amor da sua vida,n sou tão ruim assim“. Jorginho JAMAIS deixaria a Nina sofrer por um sentimento de culpa.
Desculpa,mas só pq é um texto de JEC,n tem que ter dupla interpretação em tudo.Às vezes,as coisas são exatamente o que parecem ser.

Danilo Didho disse...

Avenida Brasil realmente superou-se. Esta novela conseguia cativar e encantar telespctadores durante toda a trama sem cessar. João Emanuel Carneiro realmente mostrou a que veio, e fez desta novela uma de suas melhores obras. Agora devemos aguardar para descobrir se Salve Jorge de Gloria Perez que consagrou-se com O Clone conseguirá cativar e encantar o público como sucessora no horário mais interessante da teledramaturgia de nosso país.

Paty Michele disse...

Eu amei a novela do começo ao fim. O desfecho foi incrível, mas juro que não havia percebido esse lance entre a Carminha e o filho. Será que foi porque assisti ao capítulo num bar super barulhento???

Sérgio, te agradeço por compartilhar esses momentos conosco, trazendo suas resenhas e seu ponto de vista, sempre tão perspicaz.

Agora a Globo vai ganhar rios de dinheiro vendendo a novela no exterior! kkkkkkkk

Um bjo e um lindo fim de semana pra vc.

Carlos disse...

Por culpa de vcs, tive que assistir a 3 cenas, fora as últimas cenas que tinha visto. Sim, pq tinha visto o grande segredo do Adauto (nível Gerson e Tereza Cristina) e ao pedido de desculpas da redimida. Bom, assisti as duas cenas da delegacia e a Lucinda visitando a Carminha, essa última nem valeu pra nada, só pra reiterar o que já tinha dito: Adriana Esteves é uma boa atriz, mas infelizmente fez uma personagem escandalosa e nem acredito que seja por culpa dela, mas dos diretores. Vilã que quer vencer no grito é ridículo. Não é real, é irritante. Pode reparar, as melhores cenas da Carminha foram de sentimento, a dela tentando afundar o barco, foi bem legal, fora isso, essas gritarias foram péssimas, não só dela mas dos demais atores tbm.

Quanto ao Jorginho ser o assassino, perdão Sérgio, mas vc está perdido, assim como o autor. Que teoria louca é essa? Da onde Jorginho iria bater na namorada só pra matar o Max? Ele é vidrado nela e mostrou ser durante a novela toda, a ponto de ser muito chato. Não tem sentido nenhum ser ele, pq durante o depoimento o ator fez nenhuma expressão de surpresa, nem quando ela admitiu o assassinato. A olhada no final foi típica de quem nunca ligou pra mãe. Só falta vcs acusarem o Tufão, pq a Carminha o olhou de uma forma bem mais "me acusei por vc", do que pro próprio filho.

Não dianta, mais uma vez o final foi clichê, e já tinha falado aqui que não iam gostar e que ela iria se redimir. Sim, é legal quando os autores humanizam seus personagens, o problema é quando forçam essa situação. Por mais que soubessemos que a Carminha tinha um passado tenebroso, ela NUNCA teve dúvidas de seus atos, em nenhum momento ela titubeou, nem quando foi enterrar a Nina. Ela chegou e fez. Aliás, pq ela não finalizou com a Nina assim como com o Max? Seguindo o raciocínio da personagem, ela tbm não tinha mais jeito naquela ocasião, e qualquer jeito era melhor do que enterrar o corpo e deixar a parte vital a mostra, mas deixe isso pra lá, pois a Nina é mocinha e o Max é vilão.

A cena do "Quem Matou?" tbm foi bem mal feita. Aquela coronhada do revólver da Ivana foi terrível; a Carminha bateu no Max na altura da porta e ela permaneceu ali e ele foi jogado pra frente, a cena foi cortada e ele caiu na altura da porta(???) e Carminha sumiu da cena (???). Sentiram preguiça em regravar a cena? Deveriam ter mudado a posição do ator, foi muito mal planejado. E a Carminha sumiu mesmo, pq ela "surgiu" pra bater no Max, sumiu, e depois surgiu pra bater na Nina, e nem ele, nem a Nina viram a mulher por ali. A enxada, por conveniência, não tinha impressão digital, mas o revólver tinha (a faca poderia não ter pq foi lavada, mas a enxada foi tbm?).

E pelo que li no twitter, as pessoas estavam reclamando de alguns furos, como: Agatha ter sumido, filho de Suelen não ter nascido após anos (o bb não apareceu mesmo?), o Adauto ter estudado anos em um colégio interno e não saber ler... Até no final esse autor cria furos, mas dessa vez a preguiça estava na produção tbm, pq eu nem sabia que tinha passado o tempo na cena da redenção, até ver um bb. Poxa, NINGUÉM mudou o visual? Fizeram um final bem nas coxas, tanto em texto como na direção. E volto a dizer o que já tinha falado: ainda bem que desisti disso lá no início pq 8 meses resumidos em "a vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena" foi patético. Melhor ir ver o filme do pelé.

Abraço

paulo disse...

Cara, essa do sérgio de que foi o jorginho e não a carminha foi a maior viagem, essa não, o sérgio é tão fã do JEC que até interpreta coisas da novela pra não admitir que foi tudo muito OBVIO e... bobo. Quer dizer que o jorginho deu uma paulada na cabeça da nina pra ela não ver nada, matou o Max, viu a nina, depois a lucinda serem presas, e por fim a Carminha e mesmo assim ficou quieto, KKKKKKKKKKKK, menos sérgio, menos...

Carlos disse...

Concordo com o Anônimo (20/10 10:19).

Gostaram de pintar o autor como "Gênio", "Melhor autor de teledramaturgia", "Texto inteligente". Perdão, mas novela inteligente não existe mais, faz tempo. Nem posso dar tanta certeza se um dia existiu pq infelizmente, não lembro de detalhes por ser jovem. Era criança na época de "Vale Tudo" e "Que Rei sou Eu?".

Acho o JEC um bom autor, mas não ótimo, excelente. Vi os seus trabalhos e entendi o pq achar isso. Ele escreveu filmes como Central do Brasil, Redentor e A Partilha. Três filmes que sempre achei um saco. O primeiro só teve repercussão pela maravilhosa Fernanda Montenegro que foi capaz de segurar uma trama dramática bastante arrastada. As outras prefiro nem comentar. De novela, só salvo A Favorita, de série apenas A Cura, mas A Favorita ainda foi superior em relação a série do Selton.

O JEC é bom em criar ganchos, apenas isso, mas em escrever personagens e aprofundá-los, não. Isso, ele não sabe fazer. Ele esquece de detalhes que ele mesmo escreveu, o que é bastante compreensível em uma obra aberta, mas não é compreensível quando feita em excesso e em um personagem só. Escorregões são feitos até em filmes, pq em novela não poderia ter? O problema não é esse, problema é quando fica surreal, quando foge da própria essência, e Carminha boazinha do nada na semana final é uma prova disso. Se ela falou frase como "sem açucar pra não engordar", qual o problema? Isso faz dela arrogante e má? Isso é ser boazinha mas com tolerância. Disse boazinha, não santa. Salvar a Nina duas vezes (qual foi a primeira?), é patético. 8 meses, teve 8 meses pra desenvolver um final decente e fez isso.

Isso pq só estou falando dessa trama, lendo alguns comentários, já estou sabendo que mesmo tendo um casamento em trio do Cadinho, o resto foi formando casal, típico de fim de novela. Soube tbm que Lúcio não foi punido... Pode não ter existido um grande casamento, ou uma grande morte, mas existiu um final insosso, com uma emoção forçada pra ter uma lição de moral no final.

Definitivamente, não tem nenhum autor de novelas que eu goste, provavelmente por não gostar do formato.

Abraço.

Kellen Bittencourt disse...

Oiii amigo, sabe que agora lendo seu texto eu até gostei mais do final, ontem confesso que achei sem graça, esperei um desenrolar mais surpreendente, tipo alguém que não tivessemos imaginado, mas vc tem razão, ficou estranha a morte do Max, e a Nina chamou mesmo pelo Jorginho, eu até pensei que no final fossemos descobrir que não era a Carminha depois que ela saísse da cadeia, achei meio sem graça ter ficado por isso mesmo, no entanto valeu, mas acho que esperei mais do final! Abraçosss

Diego disse...

Eu não acompanhei essa novela, não sou fã dela, sempre a achei sombria, pesada, tensa... Apesar de gostar de dramas, embora prefiro à la Manoel Carlos, aquela autora que escreveu a Vida da Gente... Pois bem, impossível não assistir o final da Avenida Brasil!

A história do Adaulto é meio nonsense, assim como a da Suellen e do Cadinho, apesar de eu, em particular, achar s/ graça, talvez foram escritas p/ diminuir o clima tenso da trama...

Gostei do desfecho da Carminha, eu não mudar radicalmente o perfil da personagem, fazendo ela de boazinha...

Apesar da grande repercussão de Avenida Brasil, não acho que ela foi a melhor novela do ano! Tivemos Cheias de Charme que foi excepcional e agora contamos com Lado a Lado, que é uma trama impecável (apesar da baixa repercussão, infelizmente). Bem, essa é minha humilde opinião Sérgio! Abraços!

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Achei o último capítulo excelente.
No geral, os finais de novela deixam sempre a desejar, o que não ocorreu com Avenida Brasil. O único ponto obscuro, a meu ver, foi a identidade do verdadeiro assassino de Max. Não creio que tenha sido o Jorginho. Não faz o perfil dele e seria decepcionante que a novela terminasse com o próprio filho matando o pai, ainda que um pai ausente e mau caráter. Apesar da cena do assassinato não ter sido clara, não ficou evidente que Carminha tenha sido a Autora do crime, mas, seja quem for, mereceu a proteção dela.

Abraço.

"Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo"-F.P- disse...

Me aborreço ao ver que algumas pessoas insistem em criticar essa obra. Mas Respeito. Contudo, o que me aborrece inda mais é essa mesma falta de respeito por este trabalho tão primoroso.
Como diria a Dandara; "Eles insistem em enxergar a pulga e não deslumbram o unicórnio"
Adorei esse final, mas só gostei mesmo após o término, pq tive tempo pra pensar. No primeiro momento fui arrogante, e mal agradecido. Mas, felizmente minha consciência atinou e me deu um tapa na cara. Entendi o principal. Humanização! Palavra que você usou no seu texto. Um belo texto, bela crítica!
Parabéns.
Até mais ler.

Angel Negro disse...

Penso que cada momento existe suas histórias marcantes ..Adorei o final de Avenida Brasil mostrando um inédito desenrolar do final infeliz da vilã, Carminha (Adriana MONSTRUOSA!), avançando a novela até sua saída da cadeia, fazendo com que a gente visse no que deu. Ousadia demais, para quem tá acostumado a ver vilã no xadrez, ou morta, depois de uma cena de perseguição, etc... Também penso que não há nescidade de viver 100 porcento da realidade em uma novela como nosso colega ali disse: "Eles insistem em enxergar a pulga e não deslumbram o unicórnio"
AVENIDA BRASIL Foi DIVINO .......

Fräulein Renata disse...

Perfeito, Sérgio! Mais um texto incrível seu. Concordo com tudo, sem tirar nem pôr. Beijos!

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Eu gostei do final, teve tudo o que o que fez da novela um sucesso: Tensão, emoção, surpresa, ousadia e humor. Apesar de preferir Carminha gostei de seu final, foi muito criativo, a vilã se redimiu pagou pelo que fez, reconheceu que perdeu, mas não deixou de ser a Carminha de sempre. A cena do abraço entre Carminha e Nina, foi uma das melhores de toda a novela. Adriana Esteves encerrou com chave de ouro sua Carminha. Quanto ao "quem matou" não foi nenhuma surpresa, devido aos malditos spoilers, e porque os últimos acontecimentos levavam a esse final. Não acho que Jorginho seja o assassino e nem que tenha ficado uma coisa subtendida, foi Carminha mesmo rs.
Quanto aos demais núcleos, também tiveram um belo final, com muito humor e alegria como sempre foram. Casamento de Cadinho e suas três esposas foi hilário, e o o segredo de Adauto foi um dos grandes destaques do capítulo, de morrer de rir. Bom apesar de tudo, acho que poderia ter sido mostrado Suelen com o filho, queria ver como ela se sairia como mãe, sem falar que ela foi um dos grandes destaques da trama. Também gostaria de ver o casamento de Débora de Iran, os dois mal apareceram nos últimos capítulos, talvez nem precisasse de casamento, mas uma cena especial onde os dois fizessem planos, talvez rs. E Santiago, poderia ter sido mostrado ele preso, ou algemado, e também seria interessante um confronto entre ele e Lucinda. Também algumas coisas ficaram confusas, são detalhes, mas muita gente ficou comentando. Se Adauto é analfabeto, como estudou em um colégio interno? E como Lucinda viu Carminha chegando no lixão, se ela deveria estar presa? Fora isso foi um bom desfecho para uma trama de sucesso, Avenida Brasil um fenômeno marcará muito, e deixará muitas saudades. Já tem lugar de destaque ao lado de grandes clássicos, como Selva de Pedra, Vale tudo, Roque Santeiro, Pecado Capital, Anjo Mau entre outros grandes sucessos. Parabéns a Jec, Diretores, elenco, e principalmente a grande estrela Adriana Esteves que amo.

Abraços.

http://brincdeescrever.blogspot.com.br/

Clau disse...

Oi Sérgio :)
Não ficou claro quem matou Max,certo?
Então como será que ficou o famoso 'bolão'?!?
Aqui na minha cidade teve muito disso.
Queria saber como dividiram o dinheiro!rsrs
Bjs!

MARILENE disse...

Quase sempre, o final de uma novela deixa a desejar. Aspectos importantes ficam esquecidos e há perguntas sem respostas. Desta vez, confesso que fiquei satisfeita. O perdão foi o ponto alto do último capítulo. Bjs.

Thiciane Diniz disse...

Avenida Brasil é um fenômeno e pudemos comprovar isso novamente em seu último capítulo, que praticamente parou o País na frente da TV. João Emanuel Carneiro provou novamente o talentoso e brilhante autor que é, e nos entregou mais uma excelente obra para acompanhar todos os dias, fielmente, durante vários meses. Assisti todos os capítulos, desde o inicio e para mim, a novela entra sim, na lista de melhores novelas de todos os tempos. Como muitos disseram, Avenida Brasil também foi a novela do twitter. muito bom acompanhar a novela vendo os comentários do público, e o diário Oi Oi Oi no Twitter. Gostei bastante do último capítulo, e de como foi conduzido. Foi emocionante o abraço de Carminha e Nina no lixão, e de como a própria Carminha se puniu, mesmo continuando com sua essência. Adriana Esteves sensacional! Avenida Brasil deixará muitas saudades! Parabéns João Emanuel, parabéns ao elenco, direção, parabéns a todos os envolvidos nesta produção maravilhosa e inesquecível!

Mary disse...

Oi Sérgio!

Eu não passei antes para retribuir
sua visita pq estava um pouco ausente da net.

Quanto ao final de "Avenida Brasil"
Na verdade eu nunca assistir nem um capitulo dessa novela.
O que sei dela é só através de comentários na net mesmo, sei que foi um grande sucesso.

Tenha um excelente domingo.

Karla disse...

Boa análise Sérgio, e concordo com vc, quem realmente matou Max foi Jorginho. Frio ele hein? nem com a mãe mudou ou agradeceu.

Samuel disse...

Sérgio a gente debateu hoje tanto no Twitter que eu resolvi fazer uma visita aqui, kkk, primeiramente te parabenizo pelo texto, e volto a reafirmar que tenho certeza que não foi o Jorginho que matou o Max, por inúmeros motivos:

1. A Nina acordou ao lado do corpo de Max, ela era a principal suspeita, e ela praticamente se acusou se não fosse a Lucinda, seria presa.

2. A Lucinda se acusou para salvar a Nina, e mesmo assim, sendo ele o culpado ele ficaria calado? Ainda se fosse a Carminha, mas a Lucinda que ele ama como se fosse uma mãe? E depois sabendo que ela não era mais ré primária.
(Acredito que ele queria impedir a Nina de investigar, pois já estava cansado do papo dela de justiceira ou então para levantar falsas suspeitas, já que até então ninguém sabia quem era o culpado)

3. Ele pediu para Nina lembrar em uma cena quem foi que bateu nela, que provavelmente seria o culpado. Em outra conversa que ela disse que não acreditava que a Lucinda tinha matado o próprio filho, ele respondeu que provavelmente a Lucinda matou o Max para defender ela.(Ele seria tão cínico e frio assim?

4. Supondo que ele fosse o verdadeiro culpado, e vendo que a Carminha se acusou para proteger ele, ele não a visitaria na cadeia nem por gratidão ou no lixão quando ela foi solta? Precisou a Nina decidir fazer a visita? E mesmo assim, se manteve meio indiferente com ela.

5. E o JEC não perderia essa chance de mostrar ao público que ela se sacrificou pelo filho, já que a sua intenção era de humanizá-la.

A cena foi meio confusa mesmo, mas prefiro que acreditar que foi mal feita ou que foi outra pessoa, do que pensar que o Jorginho seria capaz de deixar a Nina se sentir culpada a ponto de se entregar, a Lucinda pagar injustamente em defesa de Nina, ou então ser ingrato a ponto de não visitar a mãe que apesar de tudo foi presa no seu lugar.

Barbie Californiana disse...

É verdade, Sérgio, vi que foi notícia até na Forbes e deixou alguns furos, mas morri de rir com a pepeta... hihihi beijos e tudo de bom!
Ps.: Não resisti e usei a risada do Nilo de novo... hahaa

Sérgio Santos disse...

Oi Thallys, obrigado pelo comentário. Pois é, com tanto spoiler ficou c complicado ser surpreendido. E até quem não queria saber, como foi meu caso, não pôde evitar.

Agora acabou a novela que mobilizou o pais e a vida segue mesmo. Drummond sabia das coisas.

Achei patética essa campanha do Edir Macedo contra Salve Jorge. Intolerância religiosa é uma característica desse infeliz. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Tatiane, escrevi um outro texto falando sobre essa polêmica e, para mim, fica claro que foi ele. A questão nem é mau-caratismo porque ele disse pra Nina que tinha certeza que ela era inocente. Lucinda quis ir pra cadeia, devido ao profundo desgosto com a vida, o que acabou aliviando ele.

A enxada veio por trás e Nina levou um segundo golpe, como não explicariam isso? Mãe Lucinda assumiu o crime pq achou que foi Carminha, mas a vilã assumiu pra salvar o filho, a única pessoa por quem ela se sacrificaria! Beijos e obrigado pelo elogio!

Sérgio Santos disse...

Paulo, me animei quando li o seu "legalzinho", mas quando cheguei na parte "tosca", já vi que não tinha jeito mesmo. A última novela que gerou tanta repercussão assim com direito até a matérias nos jornais da emissora foi A Próxima Vítima, uma grande novela. Avenida Brasil foi um marco. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Chica, não estou animado com a próxima, não, mas aguardemos. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Eduardo, o "Adauto Chupetinha" foi um destaque do final mesmo. Ri muito. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Elvira, obrigado. Vamos por partes.

Concordo que faltou mostrar pelo menos uma cena rápida do Santiago preso. Ficou subentendido que ele ficou na cadeia porque o delegado disse que ele estava no hospital, ou seja, não fugiu.

Sobre o Nilo, ele nunca contou pra Lucinda porque queria puni-la pela traição que ela o fez passar. Nilo sempre a amou, mas o caso com o Santiago foi traumático pra ele. A maneira de se vingar era atazanando a vida dela com isso.

Sobre o filho da Suellen, acredito que teve dedo do Ministério da Justiça. Duvido que não tenham implicado com o fato de uma criança aparecer com dois pais e uma mãe. A hipocrisia ainda reina.

Beijos!

Sérgio Santos disse...

Luiz, obrigado pelo comentário, mas não vi marketing, vi a mídia retratando a realidade. A trama foi mesmo um fenômeno de repercussão. Abraços.

Sérgio Santos disse...

"Anônimo", obrigado pelo comentário. Escrevi um texto sobre isso! Jorginho ficou aliviado quando Lucinda se entregou justamente porque livrou Nina. E se Carminha realmente matou, a sequência do assassinato ficou muito mal feita e primária (o que não acredito). Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Danilo, obrigado pelo comentário. Pois é, Salve Jorge está com um batata quente nas mãos. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Paty, sim, quando vemos novela com muita gente nunca dá pra prestar atenção. E eu que agradeço a presença de vocês aqui, afinal, escrevo pra isso. Beijão!!!!!!!

Sérgio Santos disse...

Carlos, não acho que eu tenha viajado e muita gente concordou comigo, embora outras discordaram também.

Sobre a Ágatha ter sumido, eu achei ótimo. Com a passagem de tempo era para trocar de atriz e como fariam isso após Ana Karolina ter marcado tanto como a doce menina? Na minha concepção, como disse para a Elvira, não mostraram o filho da Suellen por precaução contra os politicamente corretos e o próprio MJ, por causa de dois pais e uma mãe cuidarem de uma criança. Hipocrisia pura.

Carminha não finalizou Nina justamente porque não finalizou Max, isso que você falou reforça a minha concepção. Quem deu a segunda pancada em Nina? Um figurante, talvez? Foi a mesma pessoa que matou Max e que NÃO foi Carminha. Enfim, achei o final genial justamente por não ter sido óbvio.

Você não acha inovador uma vilã que não foge, não morre, não fica presa e nem enlouquece? Eu achei. Até porque ela se humanizou mas continuou sendo uma arrogante grossa, humilhando todo mundo. Não virou santa. E acabou sendo punida também porque ficou presa, além de ter voltado para o lixão, de onde tudo começou. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen ,obrigado pelo comentário! Beijão! =)

Sérgio Santos disse...

Oi Diego, fico feliz por ter compartilhado sua opinião! Cheias de Charme foi uma ótima novela, mas a imensa barriga da trama a prejudicou em minha concepção. Considero Av. Brasil melhor novela do anos e dos últimos tempos.

Lado a Lado não merece a audiência que tem porque é uma grande novela. Lícia Manzo também escreveu uma obra primorosa e que não teve um ibope justo: A Vida da Gente. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Vera, também achei o último capítulo excelente. Sobre o assassino fica claro que Carminha não foi, até porque Nina recebeu a segunda pancada do assassino de fato. Eu acho que Jorginho seria capaz de fazer isso para proteger sua mãe e sua namorada. Beijão!

Sérgio Santos disse...

Oi amigo, obrigado pelo elogio! Achei a novela excelente e o desfecho idem. Uma humanização e não santificação. No fundo Nina só queria que Carminha a amasse. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Angel, obrigado pelo comentário. Concordo plenamente com você! Vimos uma grande novela. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Renata, obrigado pelo carinho de sempre! Beijão!

Sérgio Santos disse...

Rafael, obrigado pelo comentário! O caso do Adauto foi mal contado mesmo, embora divertido. Também acho que Santiago deveria aparecer na cadeia.

Sobre Mãe Lucinda, ela já tinha sido libertada antes.

Sobre o assassinato eu discordo porque Nina levou uma segunda pancada e Max apanhou por trás. Mas já escrevi muito sobre isso! rsrs Abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Clau, se eu tivesse postado me negaria a pagar a quem disse "Carminha". rsrs Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Marilene, muitas vezes o final deixa a desejar mesmo e nesse caso também fiquei muito satisfeito. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Thiciane, concordo plenamente com o seu comentário! Posso assinar embaixo? rsrs Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Mary, não tem problema. Obrigado e bom fim de semana.

Sérgio Santos disse...

Oi Karla, obrigado pelo comentário. Ele nunca gostou dela e acabou se livrando quando ela assumiu. Ninguém nessa novela foi 100% íntegro. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Samuel, pois é, debatemos muito! rs Obrigado pelo elogio e te respondi lá no outro post! =) Abraço.

Sérgio Santos disse...

Oi Barbie, sim, saiu até na Forbes e em outros veículos estrangeiros. A trama repercutiu em vários continentes. O Nilo será inesquecível assim como sua risadinha! Beijos!

EDER RIBEIRO disse...

Sergio, realmente a cena do perdão foi primorosa, até o Cauã convenceu. A cena do penalty impressionou muito. A direção da novela está de parabéns. Abçs.

Marcos Mariano disse...

Olha eu fiquei impressionado com o sucesso dessa novela, como já falei aqui até eu que não sou noveleiro assisti da maneira que pude pois trabalho a noite, as vezes eu chegava no trabalho e via camaradas meus vendo os capítulos da novela pela net. Esse novela realmente envolveu todo o Brasil.

Abraços

Nívea Marco disse...

Sergio, mais um ótimo texto!
E que maravilha de novela tivemos o prazer de acompanhar, viu?!
Com personagens dúbios, sentimos ódio, amor, paixão e raiva por eles!
Belíssimo texto do autor, ótima fotografia (principalmente no lixão e na mansão do tufão). Sem contar a direção que foi excelente!
Aliás, que sorte do autor em ter os diretores e os atores certos pros papéis.
E a conclusão que fica de que ninguém é completamente mau e ninguém é completamente bom.
Já deixou saudades.
É divino!
Beijos!

tutankamon disse...

O que mede o sucesso são os altos índices de audiência,quanto a isso nada á acrescentar,esta novela entrou para a história.
O roteiro marcou pela ação e suspense,mas ao meu ver, faltou ousadia em aprofundar nos temas polêmicos do Brasil: trabalho infantil,pedofilia,incestos e bullyings,principalmente,os domésticos
Como pouco vejo tv e por acompanhar somente o final,não tenho embasamentos consistentes em nada afirmar,são apenas meus pareceres sobre estes assuntos tratados superficialmente pelo autor
Em relação ao Jorginho.também,observei traços suspeitos de sua personalidade-viraremos a página!
amigão,
abraços fortes

Sérgio Santos disse...

Oi Eder, a cena do abraço foi muito bonita. O pênalti marcou o final da novela da melhor forma possível. Abração!

Sérgio Santos disse...

Oi Marcos, obrigado pelo comentário. Sem dúvida envolveu a todos. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Nívea, já deixou saudades mesmo e eu aproveito para te agradecer pelo carinho e a preocupação em fazer um avatar congelado pra mim! rs Beijão!

Sérgio Santos disse...

Tutankamon, obrigado pelo comentário! A próxima novela vai abordar o tráfico de pessoas, mas confesso que prefiro o suspense na teledramaturgia. Abração!

Paulo Jr. disse...

Perfeito o texto. Embora eu discorde da sua tese fraca sobre o assassinato do Max.

Uma coisa que eu acho que faltou um pouco no final é que o Jorginho que devia abraçar a Carminha (pelo menos também) e não a Nina.

Sérgio Santos disse...

Paulo, obrigado pelo seu comentário! O fato do Jorginho não abraçar Carminha cai justamente no constrangimento que eu citei por causa do assassinato. Abração.