quinta-feira, 29 de março de 2012

Troféu Imprensa: uma tradição que virou piada

No último domingo (25/03/2012), foi exibido no SBT mais uma edição do "Troféu Imprensa", um programa onde são premiados os melhores programas e artistas da televisão. Todas as emissoras participam, sem distinção --- fato que não costuma acontecer em eventos semelhantes promovidos na concorrência. Sem dúvida é um prêmio que detém a sua importância. Criado em 1958, pelo já falecido Plácido Manaia Nunes, a premiação só foi para a tevê quando o jornalista passou os direitos para Silvio Santos em 1970.


Porém, o que era tradição acabou virando uma espécie de show, onde alguns jurados preferem aparecer fazendo piadinhas nada engraçadas, e na hora de votar acabam mostrando que não têm um pingo de preparo para analisar os candidatos selecionados pela atração.

Os jurados são quase sempre
 os mesmos. Sônia Abrão, Décio Piccinini, Nelson Rubens, Leão Lobo, Paulo Barboza, José Armando Vanucci, Regina Rito, Paulo Cabral, Valença Sotero e Keila Jimenez. A parte 'cômica' ficou a cargo de Nelso e Décio. Os dois ficavam o tempo todo se alfinetando e fazendo gracinhas um para o outro. Na hora de avaliar as atrações, dificilmente falavam alguma coisa interessante. Sônia Abrão mostrou estar despreparada para analisar programas televisivos. Foi constrangedor ver a apresentadora e Décio votarem em "Fina Estampa" como melhor novela ao invés de "Cordel Encantado", por exemplo e alegando a audiência como principal justificativa. Já Leão Lobo, apesar de muitas colocações sensatas, foi grosseiro diversas vezes. Desnecessário. Regina Rito, Valença Sotero, Keila Jimenez e Paulo Cabral mal falavam. Simplesmente votavam e pronto. Poucas vezes desenvolveram algo mais que duas frases. As exceções ficam por conta do sempre competente José Armando Vanucci e do veterano Paulo Barboza, embora este último também não tenha falado muito.

Outro motivo para o telespectador se indignar foi as indicações. Gabriel Braga Nunes concorreu com Chay Suede (!) e Caio Castro (!). Sim, você não leu errado. O que fizeram com Marcelo Serrado, André Gonçalves, Herson Capri, Marco Ricca, Domingos Montagner, Marcos Caruso, Osmar Prado e tantos outros que roubaram a cena em 2011? Não sabemos. Ah, o Gabriel ganhou, importante dizer. No quesito 'Melhor Novela', vimos "Rebelde" estar indicada enquanto que "A Vida da Gente", "Morde & Assopra" e "O Astro" foram totalmente ignoradas. Na categoria 'Melhor Atriz', Christiane Torloni disputou com Lilia Cabral e Glória Pires. Cadê Cássia Kiss Magro pelo seu impecável trabalho como Dulce em "Morde & Assopra"? E Ana Lucia Torre como a ótima Tia Neném de "Insensato Coração"? Lilia ganhou. Apesar de ser uma grande atriz, pode-se dizer que sua atuação como Griselda não foi merecedora de prêmios. Glória se destacou muito mais como Norma, de "Insensato Coração".

O "Troféu Internet" premiou tudo que fazia parte de "Rebelde". Obviamente devido ao imenso número de adolescentes que votam incessantemente para agraciar seus ídolos. Não comentarei sobre cantores e bandas, já que aqui não é um blog de música, porém não posso deixar de falar sobre o fato de Roberto Carlos estar disputando com Michel Teló e Luan Santana.

A apresentação de Silvio Santos continua sendo o ponto alto do programa. É um comunicador nato e fica totalmente à vontade. Não perde a oportunidade de alfinetar os jurados e muito menos quem vai receber o troféu 'ao vivo'. Outro situação que costuma ser peculiar é ver o experiente apresentador nunca saber sobre o que se passa na concorrência, ou no cenário musical. Costuma perguntar a algum ator que todos nós conhecemos, por exemplo, há quanto tempo ele trabalha na televisão ou se uma cantora 'X' faz sucesso há muito tempo. Claro que ele sabe, mas finge bem. Faz parte do show. Mas isso tinha que ficar em segundo plano, já que os premiados é que são os destaques desse tipo de evento. Ou deveriam ser.

O que aconteceu no "Troféu Imprensa" esse ano foi triste de se ver, porém acaba não sendo muito diferente dos anos anteriores. Há tempos que a premiação deixa a desejar em vários aspectos. É necessário se fazer urgentemente uma reestrututação nesse time de jurados e uma escolha mais criteriosa dos concorrentes. Mas ao que tudo indica nada irá mudar. E verdade seja dita, esse festival de injustiças acaba sendo comum em praticamente todas as premiações. No próximo domingo teremos "Os Melhores do Ano" no "Domingão do Faustão". Salve-se quem puder.

4 comentários:

Thallys Bruno disse...

Ótimo texto, Sérgio. Uma pena ver o prêmio que já foi o de maior credibilidade da TV brasileira (e cuja transmissão eu gostava muito quando mais novo) virar isso que vimos.

Ver os tais "Rebeldes" ganhando foi risível. Aliás, nem sei onde isso faz sucesso, pois a versão mexicana exibida pelo SBT (com a banda RBD) fez infinitamente mais sucesso por aqui.

A competência do José Armando Vanucci foi um oásis em meio à guerrinha Décio-Nelson e à falta de preparo da Sônia Abrão. Sílvio, como sempre, foi o dono da noite, pelo carisma e bom humor.

Injustiças sempre têm, mas elas acabam aumentando nos últimos anos (pelo menos em uma ou duas categorias e mesmo em prêmios mais abrangentes, como o da Revista Contigo, que tem candidatos de várias emissoras). Estou torcendo mais do que nunca pela Cássia Kiss no prêmio do Faustão.

Sérgio Santos disse...

Thallys, obrigado pelo comentário. O Troféu Imprensa acabou sendo uma decepção mesmo, mas nos anos anteriores não foi muito diferente. Também estou torcendo pela Cássia na premiação do Faustão, mas ela está concorrendo com Deborah Secco. Quem será que vai ganhar? Uma pena que está tão óbvio... Abraço!

daniel yagami disse...

muito bom seu blog sergio,aqui a gente encontra as noticias atuais e como o nome ja diz ficamos de olho nos detalhes muito bom!

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo elogio, Daniel! Seja bem-vindo! Abração!