terça-feira, 27 de março de 2012

Avenida Brasil: mais um acerto de João Emanuel Carneiro

Após a fraca "Fina Estampa", o telespectador estava precisando uma uma novela que não subestimasse sua inteligência. E apesar de ser um pouco cedo para analisar, pode-se dizer que "Avenida Brasil" já mostrou a que veio. João Emanuel Carneiro não fez questão de apresentar os personagens ao público, fato comum em praticamente todas as novelas. Preferiu partir logo para os 'finalmentes'.


Logo que começou, a novela já fez questão de mostrar o quanto que Carminha é uma vilã pérfida. Será aquela personagem que o telespectador amará odiar. Adriana Esteves deu um show em todas as cenas. Impressionante ver o talento dessa atriz, que já havia se destacado positivamente vivendo a mocinha Júlia de "Morde & Assopra". Foi cruel ver a megera maltratando sua enteada, Nina/Rita, vivida pela estreante Mel Maia. Aliás, anotem o nome dessa criança. A menina é um talento. Convenceu e mostrou que irá crescer muito na emissora. Uma pena que só participará dos primeiros capítulos. Tony Ramos fez uma pequena (e ótima) participação como Genésio, o marido de Carminha.

Falando nesse personagem, o autor ousou
mais uma vez ao mostrar a vilã sendo desmascarada logo no primeiro capítulo e sendo feita de boba pela sua vítima. Carminha planejou com seu comparsa, Max (Marcello Novaes), um assalto onde ambos ficariam com o dinheiro roubado de seu marido. Mas ela não contava que Nina/Rita fosse ouvir o plano. A menina fez questão de contar tudo ao seu pai, numa sequência tensa. Após receber essas informações, Genésio resolveu comprovar o fato, colocando papel dentro da bolsa onde seria colocado o dinheiro. Pronto. A vilã teve sua primeira derrocada.

Difícil acreditar que todos esses acontecimentos foram ao ar logo no primeiro capítulo. Mas foram. Além dessa excelente trama central, vimos o núcleo do subúrbio. Ali fomos apresentados ao Tufão, jogador de futebol, interpretado por Murilo Benício. Marcos Caruso e Eliane Giadini dão vida aos pais do atacante. Prometem roubar a cena. Otávio Augusto é o treinador de Tufão e Heloisa Périssé a namorada do rapaz. A atriz, após ter tido um bom desempenho em "Dercy de Verdade", voltou a interpretar a si mesma.

Em meio a tantos elogios, pode-se dizer que a história de Cadinho não é muito atraente. O personagem, vivido por Alexandre Borges, terá três mulheres: Debora Bloch, Carolina Ferraz e Camila Morgado. Elas, claro, não sabem da existência uma da outra. O ator sempre tem sido escalado para viver 'galinhas' e, além disso, a trama em si é muito repetitiva. Já vimos essa mesma situação com Farid (Mouhamed Harfouch) em "Cordel Encantado" e Berillo (Bruno Gagliasso) em "Passione", só pra citar casos mais recentes. Mas o trio feminino é composto por atrizes talentosas e pode agradar.

No segundo capítulo, Carminha irá abandonar sua enteada em um lixão e lá aparecerão os personagens de Vera Holtz e José de Abreu. As imagens no local impressionam. Realmente parece um lixão de verdade. É a Globo mostrando sua qualidade se sempre.

"Avenida Brasil" conseguiu atrair o telespectador com uma trama central muito bem escrita e densa. O texto do autor é primoroso. As frases ditas pela vilã foram fortes e geraram todo o impacto necessário. A ansiedade despertada pelas chamadas da novela foi justificada quando a trama foi ao ar. Um primeiro capítulo recheado de cenas excelentes e muito bem dirigidas pelo experiente Ricardo Waddington. A audiência foi de 37 pontos, inferior ao sucesso de "Fina Estampa" (que marcou 41), mas superior ao capítulo de "Insensato Coração", que deu 36. Nada para se preocupar ou se vangloriar por enquanto.

Assim como "A Favorita", já ficou claro que a trama central será o principal atrativo. As maldades de Carminha prometem ser tão perversas quanto a da inesquecível Flora (Patrícia Pillar). Vamos torcer para que essa primeira impressão se confirme com o desenrolar da obra. Seja bem-vindo, João Emanuel Carneiro. O telespectador sentia sua falta.

13 comentários:

Fabiano disse...

Concordo plenamente! Avenida Brasil chegou chegando, como se diz. O primeiro capítulo prendeu o telespectador tão firmemente que esqueci que estava jantando hehehe. Além de tudo o que foi dito por você, acrescento a ótima trilha sonora, a abertura e a fotografia. As cenas de Rita correndo atrás do pai, seguido de trilha sonora apreensiva prendeu mais que as discussões inúteis de Tereza Cristina. E por fim, só um detalhe, o nome do personagem de Marcelo Novaes é Max, e não Alex como você disse. Acontece. Abraço

Sérgio Santos disse...

Fabiana, obrigado pelo comentário. Realmente a novela promete. A trilha de suspense foi muito bem utilizada e aumentou ainda mais o clima de tensão do capítulo, você tem razão. Já corrigi o erro apontado por você. Abraço!

Thallys Bruno disse...

Estreia sensacional!!!! As expectativas já eram as melhores possíveis, mas o que se viu foi melhor ainda!!!

Adriana Esteves foi o grande nome da estreia. Já chegou dando show e mostrando que Carminha não está pra brincadeira. Séria candidata a entrar no hall das grandes vilãs da teledramaturgia brasileira. E torço muito por isso.

Mel Maia: guardem esse nome mesmo. A pequena atriz foi brilhante e estou ansioso para ver as cenas em que ela é levada ao lixão. Já começou fazendo uma ótima parceria com o grandioso Tony Ramos. Pena que ele já saiu.

Murilo Benício também começou com o pé direito e gostei especialmente da caracterização dele, fora de forma, ajudando a ser realista em tempos de Ronaldinho Gaúcho, Adriano, etc.

O núcleo do Cadinho é repetitivo sim, mas quero ver como JEC o desenvolverá. Alexandre Borges agradou (pelo menos na minha opinião), mas achei Camila Morgado muito igual à Malu de Viver a Vida. Mas foi só impressão inicial.

Gostei da abertura e da música, principalmente porque quem canta não é o Latino (rsrsrsrs...). A fotografia em estilo de cinema (usada nas últimas das 21h) foi outro acerto.

Enfim, Sérgio, pelo visto compartilhamos da mesma animação com AvBr. Só o primeiro capítulo engoliu a antecessora (qual era o nome mesmo??? kkkkk) inteira. João Emanuel Carneiro já deixou impressa sua marca e tudo indica que vem mais um novelão por aí, que irá honrar as novelas das 21h. Que o altíssimo nível se mantenha!!

Marcos Fernandes disse...

Audiência inferior a Fina Estampa: honestamente, não sei o que público brasileiro quer. De qualquer forma, ótimas pontuações suas, como sempre!

http://palavrasdepijama.blogspot.com.br/2012/03/viu-como-se-faz.html

Sérgio Santos disse...

Fabiana, não. FabianO! Desculpe, amigo. Abraço

Sérgio Santos disse...

Thallys, obrigado pelo comentário. As perspectivas se confirmaram, né? Que novelão! Vamos torcer para que continue nesse ritmo até o fim. Adriana Esteves foi sensacional, que atriz! Mel Maia é um talento! Tambpem lamento a saída rápida do Tony.

Também notei muitas semelhanças na atuação da Camila Morgado com o seu papel em Viver a Vida. Achei o Alexandre mais do mesmo, mas posso mudar de opinião mais à frente. A trilha e a fotografia foram impecáveis. Gostei muito da abertura e também achei ótimo não ser o Latino o cantor. rs

Enfim, o segundo capítulo promete. Vamos aguardar!

Sérgio Santos disse...

Pois é, Marcos. Mas ainda tem um pingo de esperança que Avenida Brasil seja um sucesso de audiência. Não custa sonhar. Pelo que nos foi apresentado no primeiro capítulo, ela merece esse feito. Obrigado pelo comentário. Abraço!

Fabio Dias disse...

Achei fantástico o primeiro capítulo, concordo com tudo no texto!

Achei até superior ao de A favorita!

Sérgio Santos disse...

Fabio, obrigado. Em A Favorita não tivemos tanta adrenalina assim no primeiro capítulo porque tudo era uma dúvida. Ninguém sabia quem era mocinha e quem era vilã. Acho que por isso Avenida Brasil empolgou mais na estreia. Abraço!

Cicero Edinaldo disse...

eu assistir ontem e gostei muito! A Adriana Esteves deu show e a estrela mirim também. Belas cenas. Espero que a novela continue assim !

Sérgio Santos disse...

Cicero, a primeira impressão da novela foi a melhor possível. Vamos torcer para que não tenhamos nenhuma decepção posteriormente. Abraço!

Dualys F.Souza disse...

Belo Post, Sérgio! Até agora foi a melhor crítica que li a respeito da novela. E concordo com grande parte acima...
Fiquei boquiaberto com a qualidade desta nova novela. A trama é muito envolvente.
O roteiro, a trilha, a direção, a FOTOGRAFIA são ótimos! A forma como foi gravada lhe dá um ar de cinema. Só tenho um contra. Que é a abertura. Ficou a desejar, não me agradou... mas entendi o real sentido dela.
A atuação da Mel Maia está muito boa, ao contrario do que vi nas chamadas, -talvez por estar fora de contexto.
A agilidade da trama é tão grande, que é bem capaz, se o telespectador deixar de acompanhar por um ou mais dias, poder se perder. (muito antagônico a sua antecessora).
João E. Carneiro é mesmo especialista em atrair atenção dos jovens para sua novela. Enfim... basta o JEC continuar com essa criatividade até os capítulos finais... se é que vai ter fim (por mim viraria um seriado) rss
Abraços.

Sérgio Santos disse...

Dualys, obrigado pelo elogio. Que bom que gostou. Eu achei a abertura ótima! rs Achei divertida e muito bem produzida. Bem animada. Avenida Brasil cumpriu o que prometeu nas chamadas. Pelo menos por enquanto. A fotografia é muito bonita mesmo. JEC está de parabéns, assim como o elenco e Ricardo Waddington. Abraço!