terça-feira, 16 de dezembro de 2014

"Amores Roubados", "O Caçador", "O Rebu" e "Dupla Identidade" enriqueceram a faixa das 23h da Globo

Com o ano de 2014 perto de seu fim, é possível constatar que a Globo conseguiu engrandecer sua faixa das 23h com produções que foram verdadeiros presentes para o público. Logo no início do ano, em janeiro, a emissora exibiu a elogiada "Amores Roubados", que deu um bom retorno na audiência. Depois, estreou a ótima série policial "O Caçador", que saiu do ar cedendo lugar para a impecável novela "O Rebu", exibida quatro dias por semana. E, agora, "Dupla Identidade" fecha este ciclo de tramas tão bem elaboradas.


"Amores Roubados" começou sendo exibida logo após a novela das nove, mas com a estreia do "Big Brother Brasil", passou a ir ao ar depois das 23h. Com isso, obviamente, os números do Ibope sofreram uma queda, mas a qualidade não. Escrita por George Moura e dirigida por José Luiz Villamarim, a história de um rapaz que se apaixonava pela filha de um homem poderoso conseguiu prender a atenção e ainda retratou muito bem um lado do nordeste pouco conhecido: o dos ricos empreendedores, através do empresário Jaime Favais (Murilo Benício).

Ambientada em Pernambuco e inspirada no livro "A Emparedada da Rua Nova", a produção contou com um elenco enxuto e de muita qualidade ----- Isis Valverde, Patrícia Pillar, Osmar Prado, Irandhir Santos, Dira Paes, entre outros.
Voltada exclusivamente para o drama e o suspense, a trama conseguiu apresentar uma sucessão de acontecimentos fortes e prendeu o público, que foi envolvido pelos dramas dos personagens. O desfecho trágico e forte encerrou esta microssérie da melhor forma possível.

Exibida entre 11 de abril e 11 de julho, toda sexta-feira, "O Caçador" foi uma série policial de grande qualidade. Com texto de Sérgio Goldenberg, Ronaldo Santos, Victor Navas e Lucas Paraíso, a trama protagonizada por Cauã Reymond apresentou um instigante enredo que retratava a difícil vida de um policial honesto que, após ser preso injustamente, passou a ganhar a vida como um caçador de recompensas, enquanto tentava provar sua inocência. A interpretação de Cauã impressionou e Aílton Graça também fez bonito vivendo o comparsa de André, perfil completamente diferente da Xana Summer, de "Império".

Já no dia 14 de julho, estreou "O Rebu", remake escrito por George Moura e Sérgio Goldenberg, dirigido por José Luiz Villamarim. A mesma equipe da ótima "Amores Roubados" (sendo que Sérgio também escreveu "O Caçador") foi responsável pela impecável novela que fascinou pelas suas inúmeras qualidades. A fotografia escura do grande Walter Carvalho imprimiu um tom sombrio e apropriado para a história, que contou com um elenco primoroso e uma trilha sonora maravilhosa. Os personagens ambíguos e repletos de complexidades engrandeceram um roteiro que já era atrativo por si só: um misterioso assassinato ocorrido durante uma festa de luxo.

A novela, que ficou no ar até o dia 12 de setembro, era exibida em apenas três tempos ----- noite da festa, manhã do dia seguinte e flashbacks do histórico dos personagens ----- e seus 36 capítulos conseguiram prender através de fortes cenas, grandes interpretações, texto bem escrito e uma trama cuja a tensão era a grande protagonista. O penúltimo e o último capítulos mostraram como todo o roteiro estava bem amarrado e o remake fechou seu ciclo com chave de ouro. Destaque para todas as fortes sequências da morte de Bruno Ferraz (Daniel de Oliveira), com direito a um show de Sophie Charlotte (Duda), e do final trágico de Angela Mahler (Patrícia Pillar).

E "Dupla Identidade" estreou no dia 19 de setembro, honrando a qualidade das produções de 2014 que ocuparam a faixa das 23h. Escrita por Glória Perez e dirigida por Mauro Mendonça Filho, a série protagonizada brilhantemente por Bruno Gagliasso, que vive um monstruoso serial Killer, presenteia o público com uma sucessão de boas cenas, todas muito bem interpretadas pelo ótimo elenco, que inclui Débora Falabella, Marisa Orth, Luana Piovani, Marcello Novaes e Aderbal Freire Filho.

O psicopata Edu manipula todos os personagens da história e veste um disfarce perfeito de bom moço. O telespectador é a única testemunha da monstruosidade do personagem e muitas das sequências são aterrorizantes e impressionam pelo grau de realismo. A produção acaba no dia 19 de dezembro e a trama entrou em uma reta final onde os momentos de tensão estão cada vez mais frequentes, uma vez que o serial killer perdeu o controle da situação e virou presa. Os episódios têm apresentados ganchos finais de tirar o fôlego.

E além destas quatro produções excelentes, é preciso fazer duas menções honrosas a dois produtos que também foram exibidos neste ano na faixa das 23h e esbanjaram qualidade: "A Teia" e "Doce de Mãe". Duas séries com temáticas distintas e que fizeram por merecer muitos elogios.

O telespectador sempre merece o melhor e as emissoras de televisão têm o dever de dar a ele. Todavia, infelizmente, muitas vezes isso não acontece. Porém, em 2014, a Globo acertou em cheio com as produções exibidas na faixa das 23h de sua grade. A novela e as séries mencionadas comprovam o quanto que a emissora foi feliz neste ano.

50 comentários:

Ana Carolina disse...

Que postagem boa! Concordo e não é pouco! Essa faixa foi um presente mesmo e amei as 4 produções. Em compensação a faixa das novelas....

Rafael disse...

Sérgio, que texto legal! Foi uma espécie de retrospectiva das 23h. Também concordo que todas as produções foram de grande qualidade e quem pôde assistir a todas não se arrependeu. De todas prefiro O Rebu, mas Dupla Identidade e Amores Roubados estão empatadas no meu segundo lugar. O Caçador coloco em terceiro mas também gostei muito. E bom vc também falar de Doce de Mãe e A Teia que foram muito boas.

Flávia disse...

Sérgio, vc não sabe mas eu sinto falta de O Rebu até hoje! Parece que tudo o que é bom dura pouco. Amores Roubados e O Caçador também foram boas. Essa Dupla Identidade eu perdi uns capítulos, mas vi o penúltimo e fiquei com medo. Realmente enriqueceram a grade. A Teia eu não vi, mas Doce de Mãe eu adorei. bjkkkkkk

Thallys Bruno Almeida disse...

De todas essas produções, destaco Amores Roubados e Dupla Identidade.

O Rebu teve um grande elenco, em especial Tony, Patrícia, Cássia, Morgado, Holtz, Zé de Abreu, grande produção, trilha caprichada, mas meu interesse pela história foi se esvaindo aos poucos e não acompanhei por inteiro. Por isso, não acho a novela tão impecável assim, embora sei que tenha adorado. O Astro continua imbatível na minha preferência entre as novelas das 23h.

Amores Roubados, dos mesmos autores, me agradou muito mais. Trama impactante, precisa, cheia de adrenalina, ação e tudo mais. Um elenco fantástico (embora eu trocasse o Cauã por outro e não entenda essas indicações dele a prêmios). Produto maravilhoso, que mereceu todas as indicações e vitórias na APCA. Murilo, Patrícia, Isis, Osmar, Dira, Cássia, Irandhir, Jesuíta e tantos outros que foram incríveis.

O Caçador. Com todo respeito? Achei uma coisa chata pra cacimba. Uma mistura de nada com coisa alguma, parecia que só servia pro protagonista pegar mulheres a cada episódio, não explorou direito a rivalidade dele com o irmão, etc. Valeu pelo Ailton Graça ter feito mais um papel diferente dos cômicos e pelo Alejandro Claveaux.

Dupla Identidade: aí sim. A redenção de Glória Perez em grande estilo. Um Bruno Gagliasso que ganha vários pontos em meu conceito encarando um papel de altíssima densidade. Uma Débora Falabella que se mostrou outra vez uma atriz pronta pra qualquer desafio. Uma surpreendente Luana Piovani, que tratou de acertar o tom enquanto era tempo e tem aqui um de seus melhores trabalhos. A fantástica trilha sonora pesada criada pelo Andreas Kisser junto com o Sepultura. A direção precisa do Mauro Mendonça Filho. Tudo isso faz dessa série um produto genial. Dá de mil tanto em A Teia quanto em O Caçador.

Os investimentos foram válidos. Mas só Amores e Dupla me conquistaram de fato.

Gabriel Rezende disse...

Concordo com tudo que foi escrito. Essas produções foram maravilhosas. E Glória Perez devia investir em mais séries. Dupla Identidade foi melhor que a maioria das novelas da autora. Se o tema de Salve Jorge fosse desenvolvido em um seriado, teria sido muito melhor.

Fernanda disse...

Que boa surpresa essa sua postagem. Amores Roubados começou o ano muito bem e fiquei em dúvida se a equipe conseguiria fazer uma novela no mesmo ano repetindo as qualidades. E não é que conseguiram? O Rebu foi a melhor novela do ano e o suspense da história somado ao elenco grandioso e ao texto ótimo deixou o telespectador (os sortudos que viram) viciado. O Caçador foi uma série policial muito bem feita e parecia americana. Achei particularmente mais bem feita do que Força Tarefa. Dupla Identidade tem algumas inverossimilhanças da Glória, assim como o texto fraco, mas é muito boa também e conseguiu prender a atenção. Boas menções a A Teia e Doce de Mãe que também foram belas séries. Acho que A Teia tinha que ter sido menos corrida porque isso prejudicou a produção algumas vezes.

Anônimo disse...

Ela acertou mesmo na faixa das 23h. Todos esses produtos tiveram qualidades claras, principalmente O Rebu e Amores Roubados, mas as novelas das 6, 7 e 9 dispensam comentários. Só porcaria.

MARILENE disse...

Sergio, você foi perfeito em sua abordagem e todos os elogios que fez são merecidos. A Globo acertou e foi muito feliz com todas essas séries. Bjs.

Gustavo Nogueira disse...

Bom texto, Sérgio.Amores Roubados foi uma série muito boa e de qualidade, destaco as ótimas atuações de Isis Valverde, Patrícia Pillar, Murilo Benicio e Cássia Kiss.Achei o Cauã Reymond fraco demais, mas isso não mancha a série, foi apenas um erro de escalação.O Caçador eu não assisti, então não posso dar uma opinião concreta.O Rebu foi uma ótima novela, considero a melhor novela das 11, pelo ótimo enredo, a tensão constante e os personagens, todos muito bem construídos.Sophie Charlotte(que evoluiu desde Sangue Bom), Daniel de Oliveira(como ele é talentoso, o seu Bruno não lembra em nada o Duda de Cobras e Lagartos, ele deveria fazer mais novelas), Patrícia Pillar, Cássia Kiss, José de Abreu e Tony Ramos brilharam.O final saiu do clichê e surpreendeu.Já Dupla Identidade também é uma ótima produção, após novelas fracas como América, Caminho das Indias e Salve Jorge, a Glória Perez se redimiu comigo e tem escrito um produto de ótima qualidade.O último episódio foi ótimo, as cenas do Edu matando o Edu foram de pura tensão e de dar medo.Bruno Gagliaso é o grande destaque e já considero o Edu o melhor personagem de sua carreira, Débora Falabella é outra que sempre se destaca.Achava Luana Piovani muito exagerada, mas posso dizer que ela finalmente acertou o tom e ela esteve ótima nas cenas de desespero quando foi sequestrada por Edu, convenceu.Essas produções foram ótimas e também acho que as novelas(com poucas exceções) não têm empolgado este ano, é uma mais fraca que a outra.

Gustavo Nogueira disse...

Corrigindo o meu erro: as cenas do Edu matando as três mulheres

Lulu on the Sky disse...

Oi Sérgio,
Não acompanhei Caçador. Mas amei Amores Roubados e principalmente Dupla Identidade e O Rebu
big beijos

Melina disse...

Sérgio, querido, que excelente crítica! Posso assinar embaixo? Obviamente que falarei de O Rebu que foi uma novela maravilhosa e entrou pra lista de grandes novelas da Globo. Elenco de encher os olhos, texto maravilhoso, direção de qualidade, fotografia do mestre Walter Carvalho, personagens complexos...ai, como eu amei essa novela! Nós amamos, né! Não à toa o APCA a valorizou e ignorou todas as outras novelas do ano com exceção de Meu Pedacinho de Chão, que como vc sabe, achei bobinha embora muito bonita.

Amores Roubados eu também adorei e só reforça a competência dessa equipe que também fez a ótima O Canto da Sereia. O Caçador eu vi muito pouco então não posso falar. Dupla Identidade eu não gostei porque acho a Glória muito over. Mas reconheço as qualidades da série. A Teia também não vi e Doce de Mãe foi uma delicadeza só. Adorei. E Fernandona ganhou o Emmy pela série, né. Parabéns pelo texto. Um beijo.

Kauê disse...

Ótimo texto, Sérgio! Sem dúvidas, o grande atrativo da Globo este ano foram as produções das 23h, um presente para o telespectador e ponto positivo para a emissora.

Eu gostei de todos os produtos da faixa, com destaque especial para o "O Rebu" que foi a melhor novela de 2014. Trama mt bem escrita, bem dirigida e com um elenco maravilhoso! Como já disse George Moura e José Luiz Villamarim fizeram um ótimo trabalho. Em seguida vem "Amores Roubados" que também foi ótima e foi um trabalho feito com muita qualidade, só não gostei do Cauã Reymond nesse papel, mas não tira o êxito da trama. Já em "O Caçador" eu achei ele muito bem, embora eu não tenha gostado mt da série (vai entender né, hahaha). Mas tbm destaco a atuação brilhante de Ailton Graça. Agora, "Dupla Identidade" foi um grata surpresa por se tratar de um produto de Gloria Pérez... Gosto muito da série e do elenco escalado, Bruno Gagliasso vive seu melhor momento na carreira, Débora Falabella já sabemos que é ótima e só comprovou ainda mais o seu talento, Luana Piovani me surpreendeu, Marisa Orth vivendo um tipo não-cômico é muito bom também! Já estou super ansioso pelo ep final. "A Teia" também foi boa, mas acho a mais fraca das produções apresentadas. Doce de Mãe foi bem leve e divertida, Fernanda Montenegro um amor! Enfim, a faixa das 23h foi a mais empolgante do ano.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

De tudo que pude ver e dos comentários que li a respeito, todas essas séries foram envolventes e do tipo que eu gostaria de ter acompanhado na íntegra. Infelizmente, porém, não me foi possível, seja pelo horário, seja por atividades paralelas que me obrigavam a dividir o tempo. Cheguei a ver grande parte de 'Rebu' e também de 'Dupla Identidade', ainda em exibição. Só tenho elogios para a atuação de Bruno Gagliasso. Também assisti um pouco de "Doce de Mãe' e lamentei não ter podido assistir à série. Concordo com você quanto ao acerto da Globo com essas produções. Espero ter a oportunidade de assistir algumas, caso sejam lançadas em DVD.

Sua explanação está brilhante. Parabéns!

Parabéns também pelo 'Xícara de Ouro', merecidamente conquistado.

Fico feliz em saber que ainda voltará ao meu recanto antes do Natal. Assim, deixo para depois os meus votos natalícios.

Beijo.

Adriana Helena disse...

Sérgio, como vai amigo querido?
Eu estava de férias de blog..rsrs
Por isso o meu sumiço geral!
Este final de ano pesou um pouco para mim e eu precisava descansar!

Mas um post maravilhoso como esse tem que ter um comentário, pois todas as séries foram realmente fora de série!
Acompanhei Amores Roubados e Dupla Identidade e nossa, que incríveis! Aliás, todas as produções foram primorosas, assim como os seus comentários, sempre muito apropriados sobre os trabalhos!

Agradeço o seu carinho neste ano amigo!
Em 2015 estaremos juntos de novo, firmes e fortes não é?
Um grande beijo e uma semana cheia de boas notícias!!
É muito bom estar aqui! :))))

Smareis disse...

Sérgio a globo acertou na seleção, foi um grande presente ao público mesmo, essas series foram excelentes. Gostei muito de "Amores Roubados".
Estarei fazendo uma pausa no blog sem previsão para a próxima postagem.
Obrigada por ter trilhado comigo nesse ano de 2014, desejo que no Novo Ano possamos estar juntos novamente.
Desde já te desejo um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de realizações, e que todos seus dias sejam doces, brilhantes, coloridos e mágicos, como são as noites de Natal!
Beijos e um punhado de sorrisos!
Feliz Natal! Feliz 2015!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Concordo com seu comentário, Sérgio.Das séries citadas,preferi Amores Roubados e Dupla Identidade, especialmente ao ver a evolução profissional de Cauã Reymond e Bruno Gagliasso.

Amanda Ventura disse...

Sérgio, sem nenhuma dúvida as produções das 23h são o que há de mais interessante na Globo atualmente. É uma pena que, devido ao horário, não possam ser vistas por mais pessoas.
As produções que você citou foram todas excelentes, com uma única exceção para mim: a Teia, que tinha um ritmo acelerado demais, comprometendo a compreensão de partes da trama.
Ao contrário de alguns aqui, gostei da atuação de Cauã tanto em Amores Roubados quanto em O Caçador, embora tenha sido um erro colocá-lo como protagonista em duas produções tão próximas.
Luana Piovani melhorou visivelmente em Dupla Identidade. Passou muita verdade com seu desespero ao ver que seria morta pelo psicopata.
A propósito: não sei se é problema da minha tv, mas tenho dificuldade de entender alguns diálogos de Dupla Identidade. A música muito alta abafa a fala dos atores. Isso não acontece com as novelas, então acredito que possa ser do áudio da série.

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto, assino em baixo! E destaco mais O Rebu!

Vinícius disse...

O Rebu foi a grande produção teledramatúrgica de 2014. Todos os seus elogios são merecidos. As outras também foram muito boas e concordo que a faixa das 23h foi para poucos e privilegiados.

Anônimo disse...

Ótima crítica misturada com retrospectiva. Amores Roubados foi grandiosa mas o último capítulo me decepcionou. Já O Rebu foi grandiosa do início ao fim e o último capítulo fechou com chave de ouro. Dupla Identidade é boa mas mt copiada do The Fall. O Caçador achei o começo fraco, mas da metade pro final ficou ótima.

Flávia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sérgio Santos disse...

Foram ótimos produtos, né Ana? Bjs

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Rafael. Foi uma espécie de mistura mesmo. E foram tramas muito boas.

Sérgio Santos disse...

Eu tb sinto, Flávia. Aquela novela foi boa demais. Uma produção de encher os olhos. E as outras tb foram ótimas. bjssss

Sérgio Santos disse...

O Caçador teve uma trama mt bem amarrada, Thallys, e bastava ter acompanhado pra entender, mas ok não ter gostado, assim como não gostou de O Rebu. E as 4 produções mereceram todos os elogios que receberam.

Sérgio Santos disse...

Gabriel, é verdade, acho que se ela tivesse explorado isso do tráfico humano numa série ficaria muito mais interessante. Abçsss

Sérgio Santos disse...

Que bom que gostou, Fernanda. Fico feliz. E a equipe está de parabéns por Amores Roubados e O Rebu. Não é qualquer um que consegue fazer duas produções tão primorosas em apenas um ano. Pode ter certeza que todos saíram com mt prestígio. E O Caçador foi mt bem feita mesmo. Tb concordo que o maior defeito de A Teia foi a correria. Isso prejudicou a trama, embora tenha sido uma excelente série tb. E em Dupla Identidade eu entendo essas suas críticas. bjs

Sérgio Santos disse...

O Rebu e Amores Roubados foram excelentes, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Marilene. bjs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Gustavo. E concordo com todo o seu comentário. Tb acho O Rebu a melhor novela das 23h até agora e foi a melhor de 2014. O final fugiu do óbvio e impactou. Foram mtas cenas densas e fortes. Fora os momentos aterrorizantes do assassinato de Bruno. Glória finalmente acertou com essa série após tantas novelas ruins. O Caçador e Amores Roubado tb foram ótimas e eu t achei o Cauã fraco na microssérie, mas achei mt bem na série policial. abçssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Lulu. bjs

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Melina. Vc anda sumida. E foi mt bom ver O Rebu valorizada pelo APCA. Foi uma produção grandiosa mesmo e vc sabia que das 50 maiores audiências da Globo em 2014, ela está no 12º lugar? Fiquei feliz.

Meu Pedacinho de Chão foi maravilhosa, mas só pecou no enredo que de fato não era mt atrativo. E é verdade, Doce de Mãe foi a 'responsável' pelo Emmy da Fernandona.

O Canto da Sereia, Amores Roubados e O Rebu engrandeceram o currículo dos autores e do diretor. bjão

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Kauê. Ótimo o seu comentário. Tb achei O Rebu a melhor novela do ano e achei tb que o Cauã não foi bem em AR, ao contrário de OC, onde ele esteve ótimo. O ponto negativo de A Teia foi a correria da trama que atrapalhou bastante. Abração!

Sérgio Santos disse...

Vera, tenho certeza que vc adoraria todas as produções. Mas ao menos vc conseguiu ver grande parte da maravilhosa O Rebu. Beijão e obrigado pelos parabéns.

Sérgio Santos disse...

Adriana, senti o seu sumiço. Mas que bom que foi pq vc estava descansando. O ano foi brabo mesmo. E Amores Roubados e Dupla Identidade foram maravilhosas mesmo. Bjão e estaremos juntos sim!

Sérgio Santos disse...

Smareis, obrigado pelo comentário e desejo o mesmo para vc. Bom descanso e até o ano que vem! bjão

Sérgio Santos disse...

Entendi, Elvira. Obrigado pelo comentário. bjssss

Sérgio Santos disse...

Sem dúvida, Amanda! E concordo, A Teia teve o problema de uma aceleração que prejudicou mesmo a compreensão de algumas partes. Eu não gostei do Cauã em Amores Roubados, mas achei ele ótimo em O Caçador. Mas tb concordo, foi um erro terem colocado ele em produções tão próximas. E o horário das 23h presenteou o público com ótimas produções.

Olha, já vi muitas reclamações parecidas com a sua em relação ao áudio de Dupla Identidade. E algumas vezes fica sim difícil entender algumas coisas. bjssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anônimo. Concordo.

Sérgio Santos disse...

Concordo com vc, Vinicius. Obrigado.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anônimo. E o último episódio de Amores Roubados só pecou por não ter mostrado o final do personagem do Irandhir Santos. Abçs

Anônimo disse...

O Rebu foi a melhor novela desse ano tão pobre de folhetins. Amores Roubados foi muito bem produzida e O Caçador foi uma série policial que cumpriu o que prometeu. Seu texto faz merecidos elogios a essas quatro produções. Doce de Mãe também foi uma série gostosa, mas discordo de A Teia porque não souberam conduzir o ritmo dela.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, anônimo. O Rebu foi msm a melhor novela e deu gosto assistir. Concordo com todo o seu comentário, inclusive na crítica ao ritmo de A Teia.

Reinaldo SP disse...

Como vai Sérgio, achei muito interessante sua matéria sobre as séries de 2014, é um tema que também precisava ser mencionado visto que essas produções tem se destacado mais que as novelas das 9 (ou mais que as novelas de um modo geral). Das produções que você analisou somente pude conferir ´´Amores Roubados´´ e ´´O Rebu´´ (muitos consideram O Rebu como novela mas prefiro considerá-la como série mesmo), infelizmente não pude acompanhar ´´O Caçador´´, ´´Dupla Identidade´´ e ´´A Teia´´ por indisponibilidade de tempo mas sei que também foram ótimas séries.
Amores Roubados (ganhou o APCA) foi uma excelente produção, teve uma direção impecável e um roteiro muito bem escrito. Os atores que compuseram o elenco também merecem todos os elogios: Isis Valverde, Patrícia Pillar, Murilo Benicio, Osmar Prado, Irandhir Santos (ganhou o APCA), Dira Paes, Cássia Kiss (ganhou o APCA) e Jesuíta Barbosa derão um show do início ao fim. Cauã Reymond é um ótimo ator mas esteve mediano na série, e, a meu ver, Isis Valverde se sobresaiu mais que ele.
O Rebu foi outra produção excelente que também merece ser enaltecida. A série conseguiu reproduzir muito bem a trama de 1974 de maneira que a direção competente a enquadrou perfeitamente aos dias atuais deixando-a mais ágil. Todo o elenco brilhou: Patrícia Pillar, Cássia Kiss (ganhou o APCA por esse trabalho também), Tony Ramos, José de Abreu, Daniel de Oliveira, Sophie Charlotte, Júlio Andrade, Maria Flor, Vera Holtz, Camila Morgado, Mariana Lima, Marcos Palmeira, Dira Paes, Jesuíta Barbosa e Olívia Torres estiveram impecáveis.
José Luiz Villamarim, George Moura e Walter Carvalho são profissionais muito competentes e merecem todos os elogios possíveis, não é à toa que suas produções foram merecidamente reconhecidas pela APCA.
Na minha opinião, esse foi, com toda certeza, o ano das séries, e, claro, incluo também a novela Meu Pedacinho De Chão, foram as únicas produções que trouxeram um ar de novidade. Espero muito que as novelas voltem a se destacar em 2015, Babilônia, Favela Chique e Sete Vidas possuem boas expectativas. E que venham também novas séries de qualidade como as que foram exibidas esse ano. Aguardaremos.

Thallys Bruno Almeida disse...

Por falar em destaque e reconhecimento, gravaram hoje o Melhores do Ano do Faustão e alguns vencedores já vazaram.

Ator - Alexandre Nero. Merecido demais.
Atriz - Cláudia Abreu. Merecido tb, torci por ela e pela Lilia Cabral. E acho que a Patrícia Pillar podia ficar no lugar da Bruna Linzmeyer.
Ator coadjuvante - Ailton Graça. Merecido tb, torcia por ele e pelo Luís Miranda.
Atriz coadjuvante - Drica Moraes. Apesar da Cora dela não ter sido o que se esperava, Drica era a melhor das três e honra o prêmio. Foi um prêmio justo, mas as três indicações da mesma novela foi injusto. Ignorar o trabalho primoroso que a Juliana Paes fez como Catarina em MPdC foi lamentável. Deixar de fora nomes como Vera Holtz e Fabiula Nascimento também. Andreia e Marina são talentosas mas essas personagens não honram a competência delas.
Ator revelação - Chay Suede. Injustiça total. Chay teve um bom começo em Império mas nada que se comparasse ao impecável trabalho do Irandhir Santos em Amores Roubados e Pedacinho. Ganhou pela fanbase
Atriz revelação - deu Josie Pessoa. Ela até que tá bem, mas Paula Barbosa merecia mais. Ganhou pela fanbase do Daniel Rocha (pelo par romântico).
Ator ou atriz mirim - deu Giovanna Rispoli. Merecido demais. Torcia por ela e pelo Tomás Sampaio.
Música - deu a da Banda Malta. Gostos nossos à parte, tá tocando bem, é um hit de rock emplacando no meio de tanto pagode/sertanejo/arrocha.
Ator de série - Bruno Gagliasso. Tinha que ser. Melhor protagonista de série do ano.
Atriz de série - essa eu não tenho muita certeza, mas ~parece~ que deu Fernanda Torres. Grande atriz, mas faz muito tempo que só faz comédia e Tapas e Beijos já não tem mais a mesma repercussão. Ainda mais que concorreu com Isis Valverde e Luana Piovani, ambas ótimas em trabalhos inéditos que fizeram mt mais sucesso esse ano (Amores e Dupla) e, no meu ver, mereciam mais (a Marina Ruy Barbosa me disse no TT que a Isis não ganhou). Apesar de achar improvável Luana ganhar algum prêmio popular pq tem mta rejeição.

Agora é confirmar as outras categorias e esperar pra ver quem Fernandona Montenegro vai entregar o Mário Lago desse ano.

Thallys Bruno Almeida disse...

Ah: Em humorista deu o Leandro Hassum. Um cara muito bom, mas que acho que ganhou mais pelos filmes (Até Que a Sorte nos Separe 2 e Candidato Honesto) do que pela TV (os flops do Divertics e de Geração Brasil). Eu preferia o Marcelo Adnet pelo trabalho impecável no Tá no Ar.

Sérgio Santos disse...

Oi Reinaldo, vou indo e vc? Seu comentário está ótimo. Pena que vc não conseguiu ver tudo, mas ao menos viu Amores Roubados e O Rebu que foram maravilhosas. Concordo com todo o seu comentário e tb acho que essas produções, somadas a Meu Pedacinho de Chão foram as melhores do ano. Tb tenho boas expectativas para Sete Vidas, Babilônia e Favela Chique em 2015. Vamos torcer para serem boas.

E foi bom demais ver o APCA valorizando O Rebu e Amores Roubados. abçsss

Sérgio Santos disse...

Já cheguei a ler os vencedores que vazaram, Thallys, e a maioria mereceu, mas as indicações desse ano foram mt injustas e repletas de injustiças. Achei a homenagem ao Bonner bonita, mas pra mim tinha mais gente pra vir antes dele.

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.