quarta-feira, 18 de junho de 2014

"Central da Copa" erra ao inserir novidades constrangedoras e desnecessárias

A atração foi criada na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, e acabou se firmando na grade da Globo, voltando na Copa das Confederações em 2013 e agora, em 2014, na Copa do Mundo no Brasil. O "Central da Copa" mistura jornalismo e entretenimento com competência e a boa repercussão do formato acabou ajudando Thiago Leifert, que se destacou como apresentador graças ao programa. Porém, algumas 'inovações', exibidas nesta edição, acabaram mais prejudicando do que melhorando.


O programa em si pouco mudou. Nos dias de jogos do Brasil, há uma edição especial com plateia, convidados, conversas sobre o jogo e uma edição independente, ou seja, o formato se sustenta sozinho. Já nos dias de jogos das outras seleções, o "Central da Copa" é inserido no "Jornal da Globo", como se fosse um quadro do telejornal, para analisar as partidas de uma forma mais sucinta. Entre as novidades de 2014 ---- além da entrada de Alex Escobar ----, está uma mesa interativa moderna (apelidada de mesa tática), onde Caio Ribeiro (que comanda a atração com Thiago) mexe nos jogadores, que aparecem em forma de holograma. A tecnologia já existia na edição de 2013, mas a diferença é que agora o rosto dos jogadores aparece com perfeição.

Esta modernidade é interessante e ajuda a incrementar os comentários a respeito dos jogos. Porém, resolveram colocar também hologramas em tamanho 'real', com Caio (ou Marcius Melhem, que é uma espécie de convidado fixo) interagindo com eles, 'brincando' e dando dicas a respeito de faltas que poderiam ter sido evitadas ou de jogadas mal executadas.
O quadro tem o nome de "Campo Virtual". A situação é no mínimo desnecessária, para não dizer constrangedora. Além de expor o comentarista ao ridículo, a 'novidade' não acrescenta em nada e tampouco diverte. A ideia de promover este tipo de interação foi uma grande, usando a linguagem do futebol, bola fora.

Mas uma outra 'inovação' conseguiu ser pior do que a citada: a entrada de um boneco gigante de Messi, craque da Argentina. Dublado pelo humorista Nizzo Neto, o personagem faz umas piadas, uns comentários bobos, conversa com os apresentadores e depois sai de cena. Sem dúvida, outra situação constrangedora e que não serviu para melhorar o programa em nada, pelo contrário. É a típica novidade que deveria ter ficado somente na ideia de quem criou, sem ser colocada em prática.

O formato em si não necessita de muitas inovações. É apenas um debate sobre futebol de forma interativa e bem humorada, onde o jornalismo se mistura com o entretenimento. A tradicional e longeva 'Mesa Redonda' que surgiu na década de 70, e ainda existe, serve como comprovação de que o menos muitas vezes é mais.

O "Central da Copa" ainda pode ser considerado como um acerto da Globo e o programa continua sendo uma boa opção para os que gostam das tradicionais conversas e análises sobre futebol, principalmente em época de Copa do Mundo. Entretanto, as principais novidades da atual edição acabaram sendo grandes equívocos, que ao invés de bons momentos para o telespectador, proporcionam situações bastante constrangedoras e desnecessárias.

22 comentários:

Leandro disse...

Na realidade, para mim, o único grande destaque nessa copa na tela da Globo é a Patrícia Poeta, ela está se mostrando muito dinâmica, espontânea, e com jogo de cintura para neutralizar os exageros do Galvão. Ela sempre tem comentários corretos na hora certa e um leve humor muito conveniente, mesmo ela "bufando" caiu nas graças do público. E tudo isso com um estilo próprio, sem lembrar em nada a antiga musa das copas do JN Fátima Bernardes.

Letícia disse...

Boa noite, meu caro Sérgio, tudo bem?

Pois é, Copa do Mundo... E reconheço que nada entendo de futebol... Assisto alguns jogos e normalmente acabo tirando um cochilo no meio de um ou outro... Não posso fazer nada, sou assim... E isso incluí até o do Brasil. Adoro o momento de cantarem o Hino e depois não ligo muito...
Voltando ao tema... Acho legal o Central da Copa pelo Tiago e pelo Caio... Os dois juntos tem uma boa química... Sobre estes avanços tecnológicos, eu também acho os bonecos em tamanho natural desnecessários e um tanto grotescos... Acho esquisito... Acho legal a mesa tática... Gosto mais dos apresentadores interagindo com a plateia... O Tiago é um comunicador nato, às vezes exagera um pouco, porém temos o Caio que é mais contido o que equilibra um pouco...
Enfim, como disse nada entendo de futebol, acho que a festa da Copa bonita, queria ter ido, porém não deu... fazer o quê... Só para assistir mesmo um jogo e dizer para os futuros filhos que já assisti um jogo da Copa, infelizmente não deu... Deixa para a próxima, quem sabe?

Um grande abraço meu caro Sérgio e até o próximo post.

Anônimo disse...

O grande problema da Globo é que ela resolveu colocar piadinhas em todos os jornais esportivos. Virou moda por culpa desse Leifert. Essas coisas ridículas mencionadas por vc devem ter sido ideia dele, aposto.

Anônimo disse...

Globo mais perdida que cego em tiroteio. E por acaso esses dias tive que acordar mais cedo e dei uma olhada no bom dia brasil e não é que esta a cópia do fala brasil? Depois dizem que a outra é que copia.

Bia Hain disse...

Oi, Sérgio, como vai?
Concordo que essas alterações foram desnecessários. O boneco do Messi, então, muito sem graça!!! O humor é um campo perigoso, em que a linha entre o engraçado e o cheto é muito tênue. Um abraço!

Melina disse...

Sérgio, querido, fiquei constrangido com esse boneco do Messi. Era pra ser engraçado? Que bobagem! Esses jogadores holográficos em tamanho real em nem vi porque não tive paciência de ver o programa todo. Concordo com o seu texto, muitas vezes o menos é mais e esse programa é apenas um debate sobre os jogos. Deveria focar só nisso e pronto. Sem frufrus. Um beijo.

Mauro M. disse...

Concordo com a crítica. O programa já era bom do jeito que estava. Foram querer inventar demais pioraram. Esse boneco é uma bosta e os hologramas dos jogadores não servem pra nada a não ser mostrar que tem grana pra novidades tecnológicas.

Anônimo disse...

Eu adorei a Central da Copa, especialmente o novo Campo Virtual onde os jogadores estão interagindo com o apresentador.
Gosto dessa ideia da Globo de inovar e mostrar o que é possível de ser feito com a computação gráfica, dando oportunidade para brasileiros mostrarem o seu talento, o seu trabalho. Acho que foi a primeira vez que vi algo do gênero na televisão brasileira. Não gosto dos programas "engessados", sem mudanças. Eu quero é NOVIDADE! Quanto a corrida do Caio, não vejo nada demais, afinal ele sempre correu nos campos de futebol e nunca senti vergonha alheia por isso. O boneco do Messi é tosco, porém é um boneco-robô manipulado através de controles remotos e usa uma técnica de animação chamada animatronic. Cara, eu também nunca vi essa tecnologia antes. #recalque

Sérgio Santos disse...

Leandro, tb gosto mt da Patrícia e acho que ela está mt bem. E a coitada nem 'bufou', aquilo pode parecer uma explicação esfarrapada, mas realmente há esses exercícios que quem trabalha em tevê faz mt. Principalmente antes de um link ao vivo.

Mas vc não acha que o destaque mesmo é a Fernanda Gentil, não? Eu acho. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Olá minha cara Letícia, tudo indo. Não tenho saco de ficar vendo jogo pq sempre fico nervoso e me aborreço, então não tenho paciência pra ver. Mas com Copa é diferente, eu gosto mt.

E é verdade, Thiago e Caio formam um boa dupla e comandam mt bem o Central da Copa. A mesa tática tb é mt interessante e a tecnologia só ajuda. Mas não havia necessidade daquelas interações bestas. Beijos e até a próxima!

Sérgio Santos disse...

Anônimo, tb acho que o excesso de humor prejudica. Não precisa. Mas de quem foi a ideia eu realmente não sei.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, tudo bem gostar da Record, mas daí a dizer que o Bom Dia Brasil copia o Fala Brasil é um pouco demais.

Sérgio Santos disse...

Bia, até agora não entendi a razão desse boneco do Messi. Não serve pra nada. O programa não precisa disso. bjs

Sérgio Santos disse...

Melina, as piadas são bobas e não há função pro boneco. Ok, realmente é mt bem feito e a tecnologia que o movimenta é impressionante, mas fica nisso. Pro programa, nada acrescenta. Foi uma bola fora. bjs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Mauro.

Sérgio Santos disse...

Ok, anônimo, estou com recalque.

Anônimo disse...

Os jogadores em tamanho real eu gostei mas aquele Messi é uma tosquice.

MAX disse...

Esse programa foi legal no começo mas depois encheu o saco. Cansou.

Leandro disse...

AAAh Sergio vou ter que discordar de você, na minha modesta opinião, a Patrícia está dando um banho nas outras "musas" dessa copa.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Max, ainda é um bom programa, mas há coisas desnecessárias.

Sérgio Santos disse...

Mas eu acho que a Patrícia está mt bem, Leandro, só acho que a Fernanda se sobressaiu em 2013 e repetiu o feito agora.