quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O talento de Ana Lucia Torre

Ela é uma das melhores atrizes do país, embora não receba o devido valor. Sua carreira televisiva foi iniciada em 1977, na novela "Dona Xepa", quando viveu Glorita Camargo, uma perua falida. A partir desse trabalho, emendou várias outras tramas, como "Sinhazinha Flô" (1977), "Marron Glacê" (1979), "As Três Marias" (1980), "Ciranda de Pedra" (1981), "Corpo a Corpo" (1984), "Tieta" (1989), "Renascer" (1993), entre tantas mais. A profissional em questão é Ana Lucia Torre, que atualmente tem brilhado na pele da governanta Gertrude, em "Joia Rara".


A atriz não tinha muito destaque no início, mas sua participação foi crescendo na trama de Duca Rachid e Thelma Guedes. Ana sabe aproveitar todas as oportunidades e se destaca sempre que aparece. A governanta virou cúmplice das maldades do filho Manfred (Carmo Dalla Vechia), que virou o grande vilão da história, e assumiu o posto de 'vice-vilã'. Apesar da história andar em círculos e das autoras terem perdido o rumo de várias situações, elas souberam valorizar essa personagem, aproveitando o talento da intérprete.

E Ana Lucia Torre sabe interpretar vilãs como poucas. Seu melhor papel na carreira foi a víbora Débora, em "Alma Gêmea" (2005). A interesseira mulher era mãe de Cristina (Flávia Alessandra), a grande vilã da obra de Walcyr Carrasco, e ajudava a filha em todos os seus planos maquiavélicos. A parceria
deu tão certo que as duas formaram a melhor dupla de vilãs do horário das seis. O telespectador amava odiar as cobras e aplaudir o desempenho das atrizes.

Essa trama de sucesso serviu para 'oficializar' o carinho de Walcyr por Ana. Após ter interpretado brilhantemente a xucra Neca em "O Cravo e a Rosa" (2000), o autor lhe deu sua melhor personagem da carreira em "Alma Gêmea" e a escalou para o remake de "O Profeta" (2006) ---- onde interpretou a inspetora Hilda ----, trama que marcava a estreia de Duca e Thelma como autoras, supervisionada por Carrasco. Depois, ela participou de "Sete Pecados" (2007), vivendo a Anja Guilhermina.

Dois anos depois, Walcyr quis contar com sua presença em "Caras & Bocas" (reprisada atualmente no "Vale a Pena Ver de Novo") e a presenteou com a judia Esther; uma mulher rígida e seguidora fiel do judaísmo. Foi sua última novela em parceria com o autor. Já em 2011, a atriz deu um show na pele da impagável Tia Neném, em "Insensato Coração". A personagem morreria logo no início da história, mas, como roubou a cena, acabou permanecendo na produção até o final. Foi um dos poucos acertos (ao lado da Norma - Glória Pires) da cansativa trama de Gilberto Braga e Ricardo Linhares.

A atriz ainda tem uma carreira sólida no cinema e no teatro. O longa "Reflexões de um Liquidificador" (2009) foi aclamado pela crítica justamente devido ao grandioso desempenho da atriz, que também participou de filmes como "Quanto vale ou é por quilo?" (2005), "Primo Basílio" (2007) e do sucesso "Nosso Lar" (2010). Entre as peças teatrais que contaram com a atuação de Ana, há "Eles não usam black-tie", "Norma", "Seria cômico se não fosse sério" ---- peça que lhe rendeu uma indicação de Melhor Atriz ao Prêmio Shell ---- e "Como se tornar uma supermãe".

Ana Lucia Torre é uma grande atriz e merecia ser mais valorizada pelos autores. Uma profissional com seu currículo tinha que ter sempre papéis de destaque em todas as produções que contassem com sua presença. Afinal, nada mais justo do que o telespectador ser presenteado com sua grandiosa atuação na pele de personagens que façam jus ao seu talento.

41 comentários:

Thallys Bruno Almeida disse...

Que super atriz é Ana Lucia Torre.

E pensar que em O Cravo e a Rosa eu a confundia com a Laura Cardoso, rs, talvez por traços da aparência que me levassem a essa impressão.

Sua dupla com a Flávia Alessandra em Alma Gêmea foi maravilhosa demais. A personagem de Caras e Bocas idem - aliás, aquele núcleo judeu todo era maravilhoso, apesar do Benjamin (Sidney Santiago) ter virado um completo babaca depois que abandonou a Tatiana (Rachel Ripani) com câncer.

Em Insensato Coração o Gilberto Braga felizmente salvou a personagem e percebeu o potencial que as bebedeiras da Tia Neném poderiam proporcionar em cena.

E em Joia Rara, ela ganhou uma personagem maravilhosa e vem fazendo cenas excelentes ao lado do Zé de Abreu e do Carmo Dalla Vecchia. Só discordo de duas coisas: não acho que a trama esteja cansativa/andando em círculos, pelo contrário; e não acho que o Manfred tenha ~virado~ o grande vilão. Eu sempre o vi nesse posto. A Gertrude sim, assumiu o posto de vice-vilã que deveria ser de Sílvia, embora eu não ache que esta tenha virado uma idiota, e sim uma pessoa atormentada pelas lembranças de todo o mal que fez.

E tomara que outros autores continuem valorizando Ana Lucia. Ela merece.

Gustavo Nogueira disse...

Concordo, Sérgio.Ana Lúcia Torre é uma ótima atriz e sabe aproveitar cada oportunidade em cena para brilhar e se destacar.E infelizmente Sérgio Joia Rara se perdeu, acho que a personagem que as autoras mais prejudicaram foi a Sílvia, que nem sequer teve um confronto com o Ernest(já que seu objetivo no início era se vingar dele) e se tornou uma personagem medrosa e boboca.Sérgio, me diga, o que você achou desse romance bizarro entre a Amélia e o Manfred no passado?Ninguém nunca tocou no assunto e agora todos vão saber, as autoras se perderam muito na trama e subestimaram a inteligência do público.

F Silva disse...

Algo a comentar...

Oi Sérgio. É que eu já vi grandes atrizes em grandiosas atuações no teatro e na televisão, porém não consigo enxergar Ana Lúcia Torre como uma "ótima atriz" e nem nunca a vi numa "grandiosa atuação" na televisão. Talvez por isso.

Ela é uma boa atriz que atua corretamente, mas é só.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, assino embaixo do seu comentário. Ana Lucia Torre sempre convence nas personagens e repete o bom desempenho em Joia Rara. Tem feito ótimas cenas com José de Abreu, Carmo Dalla Vecchia e Reginaldo Faria.

Vinícius disse...

Ana é uma grande atriz e a Débora ainda é lembrada. E concordo com você sobre essa novela. Anda em círculos e fica nesse joguinho de gato e rato que sempre está nas novelas dessas autoras repetitivas. Manfred sequestrou Amélia de novo ontem, não sei se viu. E tem uns babaovos que endeusam essa novela chata só porque é de época! zzzzzzz

Felisberto Junior disse...

Olá, Bom dia,Sérgio
seu início de análise já me disse tudo:Ana Lúcia Torre não recebe, por parte dos autores ou mesmo do público, o devido valor, apesar de ser considerada uma das melhores atrizes do país...e isso, infelizmente, não acontece somente com ela, muitos outros e outras, também, passam por isso!E não só na televisão e arte,mas, sim, em todos os setores da vida!
Obrigado pelo carinho e força, já está tudo melhor, belos dias,abraços!

Anônimo disse...

A Débora me dava medo! Ela é uma grande atriz e sou fã! Mas essa novela não dá. Se perdeu completamente.

Melina disse...

Ana é uma grandiosa atriz, Sérgio! Post merecido! A Débora foi a melhor personagem dela e eu amava odiá-la! A morte dela envenenada pelo próprio veneno foi antológica. Não sabia que ela já tinha feito tanta novela do Walcyr! Também acho essa Joia Rara perdida e não vejo mais a novela. Não tenho visto nenhuma novela pra ser bem sincera. Em Família vejo esporadicamente e sinto sono.

Adorei a postagem e a homenagem. Só um comentário aleatório, querido Sérgio, é impressão minha ou a Shirley é um Félix de saias? Vi ontem a entrada dela e me pareceu. E a cena da humilhação da filha gorda parecia a da Carminha com aquela guria em Avenida Brasil. Um beijo!

Raquel disse...

Oi, Sérgio!

Muito legal da sua parte lembrar da Ana Lúcia Torre, uma atriz que sempre tem atuações ótimas em todos os (poucos) personagens que fez. A única novela em que ela esteve que eu acompanhei de vdd foi Cravo e a Rosa, mas lembro-me que a Neca era uma das minha personagens favoritas.

É sempre essencial lembrar que existem MUITOS atores ótimos por aí que não estão sempre da boca do povo, como alguns medalhões da Globo, mas que sempre fazem um bom trabalho. Talvez por não serem "bonitos" pelo padrão da mídia. Em compensação, quantos rostinhos bonitos não explodem de sucesso mesmo com talento duvidoso?

Um viva à Ana Lúcia e a tantos outros ótimos profissionais que dão dignidade à profissão de ator.

PS.: Escrevi mais nos posts de ADH e sobre o Sílvio de Abreu... Dá uma olhadinha. ;)

Maxxi disse...

Ô Sérgio, obrigado por lembrar da Ana Lúcia...

Há tempos venho percebendo a joia que a rede Globo tem nas mãos... Pena que a gente vê um esgotamento de Flávia Alessandra, Gagliassos e até o Júlio Rocha, mas quando se fala em atuações gostosas de se ver, lembro da Ana Lúcia...


Olha que não assisto as novelas todas (como você, amigo!), mas tive a sorte de assistir todas as recentes. De O Cravo e a Rosa, passando por Alma Gêmea, chegando em Caras e Bocas e desembocando na fraca Insensato Coração. Destaque tb a Joia Rara, que nem acompanho, mas sei que ela faz uma governanta memorável. Gosto de ler sobre atores assim, tão bons, mas às vezes ignorados pela Globo. Ao menos ela sempre têm papeis relevantes, imagina se ainda fossem papeis coadjuvantes?????

Mariana disse...

Sobre a Ana, ok, ela é maravilhosa, incrível e uma atriz com a maiúsculo. Parabéns pelo post! Mas essa novela está RIDÍCULA!!!!! Que balela é essa da Amélia ter tido um caso com Manfred no passado se isso NUNCA FOI SEQUER EXIBIDO OU INSINUADO??????? As autoras acham que somos idiotas???? Não sabem encher linguiça sem usar sequestros ou tramas que nada tem haver com o contexto???? AI, SÉRGIO, ESSA NOVELA TÁ UM PORRE! Eu vou desistir dela. Chega!

Sérgio Santos disse...

Ana é uma grande atriz e o núcleo judeu de C&B era ótimo. Sidney Sampaio esteve fraco como de costume, mas era exceção.

O grande vilão da novela era Ernest Hauser, isso era claro. Depois que começou a se regenerar, ele virou o grande vilão. A novela anda em círculos utilizando recursos manjados de disfarce, como uma suposta reviravolta, que normalmente é refletida com uma suposta queda do vilão ou um sequestro.

Sobre a atriz, ela está incrível como sempre.

Sérgio Santos disse...

Gustavo, concordo com seu comentário. Ana sempre se destaca e merece ser mais valorizada. Sobre Silvia, acho que foi uma dos muitos. Além dela teve Aurora, o núcleo do Cabaré, monges, Pérola, enfim...

Isso que vc falou de romance da Amélia com Manfred é verdade mesmo? Mariana tb escreveu um comentário sobre a mesma situação. Não será algum spoiler que saiu? Se for, não acredite em tudo que lê.

Mas se for verdade eu não tenho ideia. Ela nunca teve nada com Manfred. No início da novela ele chegou a agarrá-la mas Franz chegou e deu um soco nele. Mas se as autoras fizeram isso foi patético porque é um claro furo no roteiro. Abçs.

Sérgio Santos disse...

F Silva, respeito sua opinião, embora discorde. Acho Ana maravilhosa. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Elvira, não tenho visto a novela então não sei dessas cenas, mas escrevi esse post com base no talento dela e com o merecido destaque que começou a ter. Bjsss

Sérgio Santos disse...

Débora foi uma vilã sensacional, Vinícius. Inesquecível. Sim, tb vejo esse jogo de gato e rato. Não vi o sequestro, mas ele a sequestrou DE NOVO? Realmente, complicado... Aí fica difícil.

Sérgio Santos disse...

E isso é uma lástima, Felis. Ela merecia estar na lista dos grandes nomes da Globo, disputada a tapas pelos autores. Mas assim como ela, há outros tb, tem razão.

E que bom que está tudo indo bem! Que continue assim. abçsssss

Sérgio Santos disse...

Concordo, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Melina. A morte dela foi antológica mesmo. A personagem em si foi maravilhosa. Pois é, ela é uma das atrizes preferidas do Walcyr. Ele chegou a escalá-la para Amor à Vida mas ela não pôde aceitar na ocasião pq estava com uma peça.

Sobre a Shirley, eu adorei a entrada dela e tem um quê de Félix sim. Mas não vejo problema nisso, tanto que ela já é um dos pontos altos da novela, que estava precisando de algo pra movimentar.

Sobre a humilhação dela com a filha, sim, lembra mt a Carminha com a Ágatha. Mas tb não vejo problema. Porém, vale ressaltar que se fosse novela do Walcyr diriam que era plágio. Bjsssss

Sérgio Santos disse...

Raquel, eu tb adorava a Neca. E o trio com Pedro Paulo Rangel e Suely Franco era maravilhoso. Ana sempre se destaca e merecia ser mais valorizada.

Já li todos seus comentários e todos estão devidamente respondidos. =) Bjssssss

Sérgio Santos disse...

Maxxi, obrigado. Sou fã dela e sempre admirei seu trabalho. Walcyr é um dos poucos que a valorizam e Duca e Thelma herdaram esse carinho dele já que eram colaboradoras do autor. Ainda assim, as autoras escalaram Cássia Kiss e Zezé Polessa pra viver a governanta. Ou seja, só optaram pela Ana qd as duas recusaram. Mas que bom que ao menos a escalaram. abçssss

Sérgio Santos disse...

Mariana, o Gustavo escreveu acima a mesma coisa e me custa acreditar que seja verdade. Mas se for, é um claro furo das autoras e uma tentativa falha de enrolar a novela mesmo. Mas a trama já se perdeu há um bom tempo. Eu nem tenho acompanhado. bjs

Gustavo Nogueira disse...

Isso é verdade, Sérgio.A história sobre o envolvimento de Amélia e Manfred foi ao ar no capítulo de quinta-feira e no capítulo de sexta-feira apareceu flashbacks dos dois saindo juntos, o que foi um absurdo.

MARILENE disse...

Sergio, ela é brilhante e já o demonstrou ao longo da carreira. Seu papel foi crescendo, nessa novela, graças ao seu indiscutível talento.
Há tantas escolhas equivocadas por parte dos autores e eles têm um rol grande de atores que deveriam ser mais valorizados e lembrados. Bjs.

Mariana disse...

Você não está entendendo, Sérgio! Isso já foi ao ar e pior, o Manfred pode até ser o pai da Pérola. Olha que ridículo. As autoras estão completamente perdidas e sem rumo. E falavam da coitada da Glória Perez...

Sérgio Santos disse...

Então, Gustavo, isso é um absurdo mesmo! Não faz o menor sentido e nunca sequer induziram a isso. A não ser que tenham induzido nos meses que deixei de acompanhar a trama; mas ainda assim é forçado demais. Abçs

Sérgio Santos disse...

É brilhante mesmo, Marilene! Sou fã! bjssss

Sérgio Santos disse...

Nossa, Mariana até pai da garota? Realmente é bem ridículo isso. Encheção de linguiça que subestima o telespectador. Isso é uma reviravolta disfarçada que prejudica ainda mais a trama que andava perdida. Pena. bjs

Zilda Assis disse...

Olá, concordo em gênero, número e grau, com você. Mas ela tá mais do que certa. Aproveita as oportunidades e muito bem. É uma lição para os autores.

Abraço,

Zilda de Assis
www.porquegenteeassim.blogspot.com.br

Patricia Galis disse...

Postagem merecida ela é sem duvida uma grande atriz, além deste trabalho em Joia Rara os outros dois que adorei como vc já lembrou É Alma Gêmea e O cravo e a rosa.

Sérgio Santos disse...

Zilda, obrigado pelo comentário. bj

Sérgio Santos disse...

Ana brilhou mt em Alma Gêmea e O Cravo e a Rosa, Patrícia. Foram personagens incríveis. bjs

Thallys Bruno Almeida disse...

Percebo que existe uma certa má vontade da sua parte com relação às novelas atuais. E não é pouca. E tenho feito o possível pra respeitar as opiniões contrárias à minha, mas tem algumas que fica BEM difícil.

Primeiro, não é porque Joia Rara embarcou nessa trama esquisita do Manfred inventar de ser pai da Amélia que está tão desastrosa assim quanto você aparenta no artigo. Falo porque acompanho a trama e não me arrependo de nada. E ao contrário do que vc disse pra uma seguidora que discordou em relação aos rumos da Sílvia, não acho que esteja tudo lindo e perfeito. Tenho percebido que os núcleos alternativos ganharam um fôlego extra e a rivalidade Aurora e Lola tem ganhado mais espaço, a Hilda realizou o sonho de virar cantora (as autoras não esqueceram disso, ao contrário do que vc disse), a Pérola não está nem de longe chata, enfim, a novela não me subestima nem um pouco como telespectador. Falo porque vejo todo dia e não me arrependo. Aliás, vale a pena ver as cenas de ontem da Mel Maia com o Zé de Abreu no site.

Quanto a Além do Horizonte, sinceramente, acho que dá pra contar nos dedos quem torce por Marlon e Lili sem ser por causa de Malhação. E acho outros núcleos mais interessantes que esse triângulo com o William (personagem que não decola por ser o ator uma porta). A comunidade, o drama amoroso da Heloísa, as loucuras da Inês, os momentos cômicos das Anas, tudo isso pra mim chama mais atenção que o casal-malhação (e eu adoro a Ju Paiva).

E quanto a Em Família... Na boa. Aquele texto do Fefito é simplista demais. O que é que tem demais o Maneco querer abordar novamente assuntos que já abordou como o amor lésbico, o alcoolismo, o racismo e etc e tal? Pelo menos ele domina isso e sabe como fazer, ao contrário do Sr. Carrasco que encheu sua novela de temas sociais e não soube abordar decentemente 93% deles. Não vejo nada de arrastado na trama, pelo contrário, acho o ritmo agradável, sem pressas, sem correrias. È uma pena esse tipo de opinião, pois Maneco tem se esmerado pra se despedir com chave de ouro. Mas essa falta de reconhecimento é triste.

Não tenho poder de obrigar ninguém a gostar do que gosto, mas tem coisa que eu leio que é visivelmente escrita pura e simplesmente de má vontade. Porque ao contrário de Walcyr, que dava RTs em bajuladores, caçava brigas com um monte de gente e até bloqueava quem fazia as críticas mais simples; Duca-Thelma, Gregório-Bernstein e Maneco estão visivelmente fazendo o possível pra apresentar bons produtos e é isso que eu respeito. Mas, cada um com seu pensamento...

Melina disse...

Sérgio, desculpa te perturbar com isso de novo, mas até quando você vai deixar esse garoto te atingir com indiretas e ainda querendo impor a opinião dele como sendo a mais correta? Hoje a jornalista Patrícia Kogut publicou um artigo dizendo que o tal Manfred vai escapar da polícia de novo! A novela anda em círculos e eu nem preciso ver pra saber. Aí vem esse menino bancar o entendedor de dramaturgia. E ele ainda tá com o sucesso de Amor à Vida entalado na garganta, tadinho! Para de ser tão paciente, Sérgio. Chuta o balde!

Thallys Bruno Almeida disse...

Sucesso de Amor à Vida, Melina? hahahahahahaha. A trama foi esculachada por 90% dos críticos e tem média geral menor que Avenida, Fina Estampa, Salve Jorge...

E você acha que só você pode opinar aqui? Acha que é a dona do blog pra pedir pra me censurar?

Thallys Bruno Almeida disse...

Pera: retiro Salve Jorge.

Vc acha que é a dona da verdade pra querer me impedir de opinar aqui, me censurar?

Anônimo disse...

OI??????? Dá pra contar nos dedos quem torce pro casal sem ser por causa de Malhação???? HUAHUAHUAHUAHUA Se não fosse por causa desse casal essa novela seria ainda pior do que já é!!!!!!! Se enxerga, garota!!!! Você acha que a atual fase de novelas globais tá boas????? HUAHUAHUAHUA Só novela fracassada e sem repercussão com tramas que andam em círculos. Joia Rara é um plágio de Cordel e a tal Em Família serve pra cochilar!


Anônimo disse...

E ainda diz que Amor à vida não fez sucesso!!!!!!! HUHAUHUAHUAHUA Falta de vergonha na cara!

Melina disse...

Você nega o sucesso, Thallys? E se baseia nos críticos que agora estão esculachando Em Família? Você fala tanta bobagem que nem se dá conta! Mas deve ser a idade! Parece um adolescente mimado que quer impor suas vontades aos outros. Vários comentaristas já perderam a paciência com você aqui!

Ainda inventa dados! Se Amor à Vida não fez sucesso com a média que teve essa agora que está no ar fiascando é o que? UM MICO? Acorda, menino!

Não censuro não, cada um se expressa como quiser, ainda que só diga asneiras. Democracia tem os dois lados. Só tenho inveja da paciência do Sérgio com pessoas como você!

Anônimo disse...

Melina sambou na cara desse Thallys!!!!!!!! HUAHUAHUAHUA E essa em família está com um ibope catastrófico e é esculachada por todo mundo!!!!!!

Thallys Bruno Almeida disse...

A partir do último comentário já deu pra ver quem é o imaturo da história. Aliás, imaturo e anônimo, né, pq nem pra deixar nome tem coragem...