terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

"Joia Rara" se perde em seus próprios desdobramentos

A atual novela das seis começou empolgando o telespectador. O capricho da produção, os lindos cenários, o grande elenco, o figurino, a história voltada para o budismo, enfim, tudo chamava atenção. Entretanto, a audiência da trama nunca decolou e após o início do horário de verão os números afundaram de vez. E para tentar melhorar os índices, Duca Rachid e Thelma Guedes mexeram na trama e ainda chegaram a agilizar algumas situações. Mas o resultado dessas mudanças não refletiu no Ibope e acabou prejudicando "Joia Rara".


As histórias foram se perdendo, passaram a andar em círculos e vários personagens ficaram sem função. A novela começou a mostrar suas deficiências quando Manfred (Carmo Dalla Vechia) se transformou em um psicótico obcecado por Amélia (Bianca Bin). O vilão, que antes tinha características próprias, passou a lembrar imediatamente o Timóteo (Bruno Gagliasso), de "Cordel Encantado". A tentativa de sequestrar Franz (Bruno Gagliasso) e Amélia, ainda aumentou mais essa sensação de semelhança com a trama passada; afinal, não há como esquecer os constantes sequestros que Açucena sofria ---- até a atriz é a mesma.

E Manfred passou a exercer a função que seria de Silvia (Nathalia Dill). Isso porque o vilão começou a chantagear Ernest Hauser (José de Abreu), o submetendo a todo tipo de humilhação, depois que descobriu que seu 'pai' (ele é na verdade filho de Venceslau - Reginaldo Faria) matou a esposa, Catarina,
mãe de Franz, Viktor (Rafael Cardoso) e Hilda (Luiza Valdetaro). Ou seja, a trama passou a focar exclusivamente nos surtos e vilanias do rapaz, que se transformou no grande malvado da história, uma vez que Ernest está se regenerando.

Com isso, a vingança de Silvia foi deixada de lado e ela ficou muitas semanas tendo pouco destaque na história, enquanto se recuperava do acidente que sofreu. Agora, pelo menos, Nathalia Dill voltou a aparecer mais e protagonizou a linda cena do reencontro de sua personagem com Viktor. Entretanto, ela está desmemoriada e será feita de boba por Manfred, o que acaba mais uma vez anulando seu processo de vingança, a colocando como mocinha inocente. Mais um caso de equívoco na condução da trama.

Mas infelizmente há outros problemas em "Joia Rara". O Cabaré, por exemplo, praticamente sumiu da história e os shows espetaculares das primeiras semanas acabaram. Esse núcleo era o que mais gerava expectativas. Tanto que o cenário foi cercado de mistério antes da novela estrear e nenhuma foto havia sido divulgada antes do primeiro capítulo. Porém, o contexto ficou rapidamente repetitivo e as autoras resolveram 'transferir' todas as dançarinas para um núcleo que passou a ter um grande destaque: a pensão de Dona Conceição (Cláudia Missura). Com isso, os grandes Marcos Caruso, Rosi Campos e Nicette Bruno ficaram esquecidos em meio a uma trama que mal se desenvolve.

Carolina Dieckmann e Domingos Montagner ficaram avulsos depois que Iolanda saiu da casa de Ernest para viver com Mundo. O casal aparece pouco e só para dar uns beijos em cena. Matilde (Fabíula Nascimento) e Sonan (Caio Blat) foram outros personagens que caíram na mesma armadilha. Eles se casaram e agora ficaram sem função. O mesmo vale para Aurora (Mariana Ximenes) e Davi (Leandro Lima), um dos melhores pares da trama. Após o casamento deles, a história perdeu a importância e as autoras acabaram criando umas brigas bobas para tentar destacá-los um pouco.

O casal protagonista virou figuração. Franz e Amélia perderam a importância e nem parecem que são o principal par romântico do folhetim. Já Pérola (ótima Mel Maia) se transformou em um oráculo ambulante. A menina vomita frases de auto-ajuda o tempo todo e ainda prevê tudo o que vai acontecer na história, ou seja, além de cansar com discursos em prol do amor, da bondade, do perdão e da pureza, a menina ainda quebra os possíveis clímax da obra. É um típico papel que se perde em meio a tanto pedantismo.

Outra situação que não empolga é o triângulo Gaia - Toni - Hilda. Ana Cecília Costa e Luiza Valdetaro estão maravilhosas ---- e Thiago Lacerda apenas não compromete ----, mas a condução não está sendo feliz. A partir do momento que Toni traiu Hilda com Gaia, o 'encanto' se quebrou e a relação ficou sem brilho. E para culminar, o sonho de Hilda ---- de ser cantora ---- foi adiado desde que ela se casou com o comunista. Vale lembrar que as autoras já cometeram o mesmo erro em "Cordel Encantado", com o triângulo protagonizado por Guilherme Fontes, Felipe Camargo e Emanuelle Araújo. Na época, toda a trama que envolvia o trio se perdeu.

Entre os acertos do atual momento da novela de Duca Rachid e Thelma Guedes, há o que sempre foi merecedor de elogios: o capricho da produção, o excelente elenco e a direção. Porém, "Joia Rara" acabou se perdendo em seus próprios desdobramentos e se transformou em um presente que atrai mais pelo embrulho do que pelo conteúdo. Uma pena. 

71 comentários:

Amcguedes Guedes disse...

Olá, Sérgio
Bom dia.
Realmente, a trama começou muito boa mas estou achando um pouco chatinha, agora.
Bjs
Lúcia

Anônimo disse...

Alguem assiste isso???????

Pamela Sensato disse...

Eu acho a novela ótima.....porém está ficando confusa realmente.

- Post nova no blog ^^

Beijoss *-*

==> Blog Resenhas da Pâm

Bell disse...

Eu assisto muito pouco,e fico confusa rs....

Anônimo disse...

Isso é bem feito para aqueles que acharam Duca e Thelma criativas. Bem feeeeeeeeito hahahahahaha
Cordel Encantando foi uma porcaria!
Agora aguentem!!!

Thallys Bruno Almeida disse...

Como falei dos problemas no artigo do Marcelo Médici, então não vou me repetir mto.

Mas, ainda assim, acho que a trama do Manfred/Ernest tá sendo bem desenvolvida. E não o vejo tão Timóteo assim, já que a obsessão dele pela Amélia, pelo menos aqui, ficou em segundo plano. O que eu tenho mais visto são os confrontos entre ele e o Ernest. E sim, acho que já deu de "redenções", mas acho a do Ernest bem pautada. Ele não perdeu a essência orgulhosa, autoritária, arrogante, mesmo com o arrependimento de ter matado a mãe de seus filhos.

É uma pena mesmo que tantos personagens tenham ficado sem história, mas do pouco que se vê, acho isso um mal menor do que ficarem numa história péssima ou num estilo de humor chulo ou repetitivo em estilo Zorra Total.

Joia tem problemas visíveis, mas não consigo achá-la nem de longe uma trama ruim. Sei lá pq, me afeiçoei a essa trama, é gosto pessoal, não tem jeito. É uma pena que os núcleos paralelos tenham se perdido, mas continuo confiando plenamente na capacidade de Duca e Thelma, até pq vc sabe que eu amei Cordel mesmo com o problema do duque Petrus (Felipe Camargo) tendo traído o Zenóbio (Guilherme Fontes). E confesso que, mesmo não tendo sido o novelão que eu achava que iria ser, sentirei falta sim. Afinal bem pior pra mim é Benedito Ruy Barbosa vindo com mais um remake de trama rural que é só o que ele tem feito nos últimos 10 anos. Abç!

Thallys Bruno Almeida disse...

PS: trama rural com aquele mesmo marasmo e ainda por cima com Rodrigo Lombardi no elenco.

OX disse...

Parabéns, Sérgio! Que crítica bem escrita! A novela não me empolgou nem no primeiro mês. Logo no início já percebi que seria uma trama repetitiva e essa perda de rumo mostrou que as autoras não sabem lidar com dificuldades. Quem sabe depois desse fracasso problemático elas amadureçam.

Alexandra Amaral disse...

Gosto de Joia Rara, mas não há como se negar, a trama andou se perdendo. Yolanda, de Carol Dieckmann simplesmente sumiu da novela. Quando aparece, raramente, ela abraça o Mundo (coitada, rs)
E a personagem da Mariana Ximenes mal aparece na trama. Tirando esses pontos, a novela seria perfeita. Apesar da repetição do perfil de Timóteo, Carmo Dalla Vecchia está se destacando em um monte de cenas avassaladoras. E sobre esse Anônimo, cuja insignificância me recuso a aguentar, só um aviso: Cadê você trancado num quarto assistindo Fina Estampa? Bjs Sérgio.

Alexandra Amaral disse...

Errata: Mariana Ximenes nessas ultimas semanas mal aparece na trama***

Melina disse...

Sérgio, querido, essa novela nunca chegou a me empolgar. Acho Duca e Thelma autoras cansativas e sem criatividade. Se você se lembrar, isso de sequestro acontece desde O Profeta. Quantas vezes Sônia foi raptada? Perdi as contas. Cordel Encantado valeu pela criatividade de unir sertão com realeza mas a história mesmo andou em círculos o tempo todo. Essa Joia Rara, então, reuniu todos os defeitos delas. Seu texto está impecável! Parabéns! Um beijo!

Barbie Californiana disse...

Sérgio, eu não estou vendo essa novela. Pena que não esteja indo bem. beijinhos

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Você fez uma boa análise, Sérgio. Realmente, Manfred lembra o Timóteo, foi uma pena as autoras deixarem Silvia de lado por tanto tempo, o núcleo do cabaré raramente é interessante ou divertido e desperdiça talentos, Carolina Dieckmann e Domingos Montagner perderam sua função. Mariana Ximenes é outra com o talento desperdiçado.Gosto do desempenho do José de Abreu, tanto na primeira fase quanto nesta, e também dos personagens Gaia-Toni-Hilda, e também da Laura em sua nova vida, longe do tirânico Valter.
Os cuidados de produção continuam excelentes.

Anônimo disse...

Realmente a novela estar bem chatinha que venha logo
Meu pedacinho de chao adoro as
Novelas do benedito ruy barbosa.

Anônimo disse...

De todos os textos que leio sobre televisão digo com tranquilidade que os seus são os melhores! Parabéns por mais essa crítica! Tocou em tudo que era preciso.

Anônimo disse...

Sergio por favor voce sabe quando vai
Acabar joia rara e quando vai ser
A estreia de meu pedacinho de chao
Se voce puder me responder agradeco.

Andressa Mattos M. disse...

Crítica exemplar, Sérgio! Concordo com todos os seus pontos bem colocados e nem tenho muito o que acrescentar. Essa sua comparação do triângulo Hilda/Toni/Gaia com o caso do Duque Petrus de Cordel Encantado foi perfeita! Eu bem que bem perguntei se eu já não tinha visto uma situação semelhante e com os mesmo erros de condução em outra novela. Era essa e das mesmas autoras. Um triângulo amoroso precisa ser desenvolvido com cuidado senão perde o encanto e a trama passa a irritar. E quando há traição é quase impossível o telespectador torcer. Veja o que o Walcyr fez com Paloma e Bruno. Aline fingiu que transou com ele mas não transou. Se tivesse tido traição, o casal protagonista iria perder o brilho como você bem postou. Eu ia querer que Bruno ficasse sozinho, assim como acho que Toni merece ficar. Mas eu vejo pouco essa novela porque ela se perdeu mesmo. Nem dá ânimo pra acompanhar. Beijo.

Raquel. disse...

Oi, Sérgio!

Postei parte do que eu acho de JR num comentário no post sobre o Marcelo Médice. A novela não me empolga, são quase inexistentes as linhas da história que me interessam. Passo dias sem ver e nem sinto falta.

Talvez por não ter assistido CE, eu gosto muito do Manfred. Destaque para o Carmo que na minha opinião, fez uma composição muito interessante. Concordo que é desnecessária essa obsessão dele pela Amélia, mas o forte dele sempre foi com Ernest e é nisso que eu me foco.

Sílvia sempre foi a personagem mais interessante da novela pra mim. Tinha sede de vingança e não gostava da Pérola, mas sabíamos que ela amava muito o pai e que a relação com Viktor foi um dos melhores acertos da novela. Colocaram ela desmemoriada e frágil, perdendo 80% da graça da personagem. Espero que em pouco tempo ela volte a ser a Sílvia que a gente conhecia...

Adorei a redenção de Ernest e acho que foi um dos poucos acertos da história. Dentre um mar de vilões redimidos nesses últimos tempos (parece moda), ele foi o único que me convenceu. Parabéns às autoras e a José de Abreu. Uma regeneração verossímel está raridade hoje em dia.

Mas tirando isso, a novela se perdeu completamente. Eu sinceramente não sei o que mais falta acontecer; parece que a novela se arrastará numa barriga até o final.

Kaká disse...

Realmente, Sérgio, mais uma vez você fez uma excelente análise. Gosto muito de Joia Rara, não perco um capítulo, mas devo admitir que a mesma apresenta graves erros no que diz respeito às tramas paralelas. Como você disse, Iolanda e Mundo não têm mais trama, aparecendo apenas como figurantes. Amélia também não é valorizada,aparecendo apenas em cenas com o Franz, assim como o Viktor não tem história própria, aparecendo apenas em função da Sílvia, que, depois de um tempo sumida, reapareceu e vai poder ter mais destaque na novela. Outro erro está no núcleo do cabaré. Tirando a Aurora e a Lola, que ganharam certo destaque, as outras vedetes aparecem apenas como figurantes e os atores veteranos citados por você acabaram sendo desperdiçados em cenas bobas, que não trazem nenhum acréscimo à história. Quanto ao núcleo principal, considero o ponto alto da novela, com os atores (Carmo, José de Abreu e Ana Lúcia) com atuações memoráveis.A redenção do Ernest está sendo bem construída e o ator brilha em todas as cenas. No entanto, esse reinado do Manfred, que aparece em todos os lugares e horas já ficou cansativo. Tomara que esse ciclo possa se acabar. Já a Pérola também não me agrada com todas aquelas previsões e pressentimentos, apesar de sempre brilhar nas cenas com o avô ou com os pais. Bem, apesar dessas falhas, continuo achando Joia Rara excelente e espero que as autoras possam encontrar alguma maneira de valorizar os outros núcleos para que a novela faça jus ao título. Abraços

A Viajante disse...

De férias, eu tento me aproximar das novelas, já que em casa de mãe, com única tv, e sem wifi, não há outro jeito de me distrair. Juro que tento. Não consigo. Muitas cenas sensuais para o horário e casais que não me seduzem, embora cheia de belos rostos. Não sei o que houve. Não sei se faltou uma trama de verdade. Uma pena. Beijo, querido!

Anônimo disse...

Joia Rara pode não ser uma Cordel Encantado, mas tem seu encanto. Seu maior erro, foi ser exibida num horário e época errada. Quanto ao desperdício de alguns personagens/atores, isso existe em qualquer trama, não tem jeito. O Cabaré por exemplo, para mim, nunca foi interessante, um núcleo sem função. Nunca gostei da Aurora, personagem prepotente e antipática. Mariana já teve personagens melhores. Semelhanças com tramas anteriores das autoras, também atrapalharam o desempenho desta novela. Sílvia, continua sendo uma personagem interessante para mim, passou de vilã para mocinha. A química entre Nathalia e Rafael é incrível e eles passaram a ser donos da história. Não acho que tenha se tornado uma boba nesta fase desmemoriada. Um erro foi tê-la afastado da trama por um bom tempo. Espero que ao recuperar a memória volte consiga concluir sua vingança, ou justiça. Mundo e Iolanda, foram perdendo a graça no decorrer da trama, assim como Franz e Amélia, uma pena. Joia Rara é uma trama para ser exibida no horário das 23 hs, creio eu, assim poderia dar enfoque maior na trama, elaborando mais em assuntos que no horário das seis não puderam ser mais aprofundados. Apesar desses percalços, Joia Rara continua sendo uma boa novela.

Patricia Galis disse...

Gosto muito desta novela mas concordo com vc alguns personagens se perderam espero que mude logo até pq já esta ficando cansativo praticamente a estoria empacou.

Flávia disse...

"Um presente que atrai mais pelo embrulho do que pelo conteúdo". Perfeito, Sérgio! O texto tá ótimo mas esse final foi o melhor! Bjinho.

Filha do Rei disse...

Está se tornando um pouco cansativa, o Franz ter q se esconder e o Manfred sempre conseguir se livrar está se tornando monótono :)
Mas acredito que melhore ,mas ainda é uma excelente obra, só que os autores se perdem um pouco como em toda obra,principalmente novelas que são muitos capítulos.
Tenha lindos dias. Bjs

F Silva disse...

Algo a comentar...

Joia Rara é a típica novela que não deveria ter uma longa duração. Todos os problemas citados no teu texto se dá justamente por esse fato.
Em novela os conflitos são apresentados no início da trama. Quando se percebe que estão chegando no ápice, é a hora de chegar a reta final.
Nem todo tipo de história é apropriado para se ter intermináveis capítulos. Joia Rara já era para ter encerrado a sua jornada.

Felipe disse...

Essa novela é bem feitinha mas a história é um saco! Merece o fracasso e li que o IBOPE está menor que o de Lado a Lado! Sabia que a novela tinha muitos erros mas lendo seu texto notei que tinha mais do que eu imaginava! Faltou você citar a sacanagem que fizeram com a Norma Blum, uma de nossas maiores atrizes! Ela ainda tá na novela?

regina trompowski disse...

eu assisto essa novela só por falta do que fazer mesmo. mas andei reparando que mariana ximenes (uma das melhores atrizes da geração jovem) sendo disperdiçada. Mal aparece. aliás,o nucleo do cabaré, não deu certo. tornou-se algo repetitivo. como alguns comentários feitos acima, não acho thelma e duca autoras cansativas, pelo contrário, o texto delas é bom e não desagrada. o problema, é que elas se perderam na trama de joia rara. atualmente anda bem arrastada, parece q esta sendo forçada a andar. a solução seria encurtá-la ou poderia ser exibida as 23h, nao pelo núcleo do cabaré e sim pela exibição, que seria bem menor e sem tempo pra barrigas. beijos de curitiba, sérgio. :)

Patrícia disse...

Acho Joia Rara uma novela boazinha de assistir, gosta de novelas de épocas, não são apelativas.

Não lembro muito dos personagens do Carmo Dalla Vechia mas me recorde se ele já não vez outro(os) personagens tipo psicopata.

A parte do Cabaré acho muito chata mas gosto bastante da Mariana Ximenes e daquela outra que era Paquita da Xuxa (esqueci o nome dela rs) pena que agora fizeram elas terminarem o casamento, adorava o casal da Aurora com o Davi.

A Luiza Vadetaro acho muito chatinha em todos os personagens que ela faz.

A Nathalia Dill era legal como a bandida da história, pena que deram essa reviravolta.

Mas no geral é legalzinha pra se ver. Melhor do que aquela novela das sete insuportável.

Patrícia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
paulo disse...

Globo transforma Zeca Camargo em bobo da corte* Globo atravessa pior crise de audiência de sua historia* Nova novela das 9 tem pior ibope de todos os tempos* Globo faz mudança radical em sua grade* Big Brother não empolga e Bial dá sinais de cansaço* Horário da manhã é critico pra emissora e globo planeja mudanças.
Noticias publicadas em sites sobre TV, o que acha disso Sergio?

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

O triângulo amoroso Arlindo-Miquelina-Volpina lembra o do Leleco-Muricy-Tessália, de Avenida Brasil.

Anônimo disse...

Essa novela foi uma grande decepção! A última grande novela das seis foi Lado a Lado. Flor do Caribe foi um tédio e essa é uma colcha de retalhos como você chegou a dizer! E que ridículo transformar a Silvia nessa retardada! Ela se lembra do Viktor mas prefere acreditar no Timóteo, ops, no Manfred? A barriga dessa novela já está maior que a do André Marques!

Letícia disse...

Boa noite meu caríssimo Sérgio.

Joia Rara não cumpriu a promessa de ser boa, que pena. Ouço falar dela quando ainda estava no ar Amor eterno Amor, primeiro como o nome temporário de Pequeno Buda. Se não me engano Mel Lisboa estava até escalada para fazer de Melissa em Lado a Lado e foi remanejada para Joia Rara, antes tivesse feito. Eu, a princípio até me animei com a novela, depois fui deixando de lado e quando vi já não assistia a semanas... Agora que tenho assistido alguns capítulos e mesmo assim sem grande interesse... Pena.
A nova é uma promessa que não se cumpriu e para piorar em uma época ruim, praticamente mais da metade dela no horário de verão...
Outro problema é que as autoras vivem a sombra de Cordel Encantado, Manfred é a cópia fiel de Timóteo, apenas foi a troca de atores. O núcleo do teatro está mais perdido que cego em tiroteio... Agora virou moda regenerar o vilão e tentam fazer isso com o personagem do José de Abreu.. Era mais interessante quando ele cometia suas maldades... O núcleo budista também perdeu força e Pérola, apesar de ser a reencarnação de Ananda é apenas uma criança, deveria ser mais condizente com a condição e não soltar ensinamentos budistas a torto e a direito... Silvia se tornou uma boa mulher desmemoriada e ainda manipulada pelo Manfred...
Definitivamente foi uma promessa que não se cumpriu... E tinha tudo para ser tão linda quando LAL... Quem sabe na próxima as autoras acertam a mão novamente.
Bjs Sérgio...

Letícia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sérgio Santos disse...

Amcguedes ,obrigado pelo comentário. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Pamela.

Sérgio Santos disse...

Mas isso ocorre em toda novela que se vê pouco, Bell. rs bj

Sérgio Santos disse...

Porcaria? Menos, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Não acho que a trama do Manfred esteja sendo bem conduzida, Thallys, por tudo o que explanei no texto, mas a regeneração do Ernest eu não vejo nada de ruim. Está sendo bem desenvolvida, assim como as redenções em Amor à Vida e Sangue Bom tb foram. M,as ele tinha que se regenerar depois de sofrer a vingança da Silvia, antes fez com que ela perdesse ainda mais a 'função'.

O humor usado nas briguinhas entre Lola e Aurora é bem bobalhão, mas eu gostava na época que a rivalidade era bem explorada. Agora isso de tantos personagens desperdiçados serem um 'mal menor' é pq vc acha já que ama a novela.

Eu não sentirei falta alguma dessa novela, embora não ache a trama péssima ou ruim. Porém, a trama do Benedito promete ser tão chata quanto, assim como a que virá depois. Portanto, posso queimar a língua mas é bem provável que fique distante das novelas das seis por um bom tempo.

Sérgio Santos disse...

Muito obrigado, OX! Gostaria de vê-las em uma novela das sete pra ver como se sairiam. abçsss

Sérgio Santos disse...

Alexandra, não acho que sótirando esses dois pontos a novela ficaria perfeita, tanto que apontei bem mais equívocos no texto. Mas respeito que goste. O Carmo está mt bem mas ele viveu um tipo obcecado pela mocinha em Amor Eterno Amor e o Manfred ainda parece o Timóteo. bjs

Sérgio Santos disse...

Entendo, Melina. Realmente a Sônia foi raptada mtas vezes mas era a primeira novela delas e a trama, na minha opinião, foi ótima. Cordel começou bem mas andou em círculos da metade pro final e se perdeu mesmo. JR me empolgou muito no começo e eu cheguei a achar que seria a melhor novela delas, mas queimei minha língua. Bjs e obrigado pelo elogio.

Sérgio Santos disse...

Bjs, Barbie.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Elvira! O Manfred tá um clone do Timóteo e a novela foi exibida em 2011. Sabe, não dá. Eu goto mt da atuação da Luiza e da Ana, mas esse triângulo ficou irritante pq as autoras mais uma vez não souberam conduzir. Tanto que li que Armando Babaioff entrará na novela pra ter um romance com Hilda e eu já torço para que fiquem juntos, pq Toni e Gaia viraram dois malas.

Eu nem sabia desse envolvimento da Volpina. Ela ficou com Venceslau, com Valter e agora isso? Com certeza foi uma tentativa das autoras de destacarem o núcleo, mas ele sempre amou tanto a Miquelina. Não entendi nada. Mas de fato vc fez uma boa comparação, é a mesma situação de Av Brasil. Bjssssss

Sérgio Santos disse...

Anônimo, respeito seu gosto, mas eu não sou fã das novelas do Benedito e acho todas lentas e cansativas. abçsss

Sérgio Santos disse...

Puxa, anônimo, mt obrigado. Mesmo. abção!

Sérgio Santos disse...

Anônimo, o remake do Benedito começa dia 7 de abril.

Sérgio Santos disse...

Andressa, mt obrigado. E eu concordo plenamente com vc. Um triângulo amoroso não é tão fácil de ser conduzido sem se perder. A sua comparação foi mt boa. Se Bruno tivesse mesmo transado com Aline o encanto se quebraria e eu tb dificilmente torceria para ele ficar com Paloma. Tudo precisa ser feito com cuidado e as autoras pecaram em Cordel e se repetiram agora. Pena pq, assim como na novela passada, ocorreu com ótimos personagens. Mas eu tb nem me importo mais, no entanto, não nego que quero que Toni e Gaia se ferrem. E aquele menino chato tb. Bjsssss

Sérgio Santos disse...

Oi Raquel, eu li e respondi! Eu ants acompanhava assiduamente, mas depois que o Manfred sofreu essa transformação fui perdendo o ânimo até me deprar com vários núcleos se perdendo. Aí passei a ver capítulos esporádicos e nem consigo ver mais na íntegra. Só qd leio que terá alguma cena que possa render.

Nada tenho contra Carmo, pelo contrário, gosto mt dele, mas o vilão se perdeu e pior só surta quando convém. Que diabos de doença é essa?

Sobre a regeneração do Ernest, concordo, está mt bem conduzida e todo personagem ambíguo pode se regenerar de forma plausível. Ainda acaba sendo bom pro ator que mostra várias facetas em um só trabalho.

Sim, tb não vejo mais nada que possa acontecer na trama. Bjão!

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Kaká! São mts erros e a novela se perdeu quase que totalmente. Sem Silvia, o Viktor sumiu. E o sonho dele pelo desenho? Sumiu tb que nem o da Hilda em ser cantora.

As vedetes viraram meras figurantes com falas inúteis. Lola e Aurora nem dançam mais e agora vi uma cena de troca de casais que eu achei uma bobagem.

A redenção do Ernest é o ponto alto, concordo com vc. Pena que Manfred tenha virado um lunático que tomou conta da novela toda. A Pérola virou uma mala sem alça. Aqueles discursos são insuportáveis e esse tipo de personagem é o que eu mais desprezo em novelas. Parece a filha da Serena, de Alma Gêmea, que tb vomitava frases de autoajuda. Só falta ela dizer que o céu é azul, as flores doces e a natureza bela... Abçsss

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Ju. bjs

Sérgio Santos disse...

Anônimo, eu não achei Cordel incrível. Mas em comparação com essa foi melhor pq tinha originalidade. Quanto a elenco, sim, quase todas têm pelo menos uns 3 ou 4 atores, porém, no caso dessa há gente demais. Silvia vai se vingar de quem agora se o Ernest tá arrependido? Nem se ela quisesse. Silvia era uma das melhores personagens mas tb se perdeu por causa daquele acidente, o que comprova que as autoras iriam mesmo matá-la, mas se arrependeram antes.

Ela está uma boba e só deixará de ser qd recuperar a memória, óbvio. Silvia nunca foi vilã, embora tenha sido vendida como uma. A regeneração era previsível, mas conduziram de forma equivocada na minha concepção.

Aurora sempre foi uma excelente personagem pra mim, mas perdeu a função, assim como o Cabaré. Ela tinha tudo pra ser uma das melhores personagens da Mariana, mas agora não mais.

Sim, às 23 h e com menos capítulos, essa novela poderia ser excelente. Abçs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Patrícia. bjs

Sérgio Santos disse...

Valeu, Flávia. bj

Sérgio Santos disse...

Cléu, é um jogo de gato e rato. Era a mesma coisa em Cordel com Timóteo e Jesuíno. bjssss

Sérgio Santos disse...

Concordo, F Silva, mas nem acho que seja o caso porque essas alterações que prejudicaram a novela começaram a se dar antes da metade da novela. Mexeram por causa do Ibope, mas mexeram errado e o resultado é isso. Bjs

Sérgio Santos disse...

Felipe, a última vez que li estava 4 décimos a menos que Lado a Lado, ou seja, um empate técnico. Concordo, Norma Blum não foi valorizada na novela. abçs

Sérgio Santos disse...

Regina, ainda quero conhecer Curitiba! Mariana tinha uma grande personagem em mãos mas lamentavelmente a trama dela tb se perdeu. O texto das autoras é bem parecido com o do Walcyr, mas não cito isso como uma crítica. Pena que a trama tenha se perdido tanto. Bjs do RJ! =)

Sérgio Santos disse...

Patrícia, a paquita é a Letícia Spiller. Sim, o Carmo já viveu outros dois psicopatas. Um em A Cura e outro em Amor Eterno Amor. Mas no caso do Manfred tá mais exagerado, que nem o Timóteo. Considero o melhor papel dele na série do João Emanuel Carneiro. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Paulo, não sei se vc leu um dos três textos que escrevi criticando o Zeca e o Vídeo Show. Isso de maior crise da história é comentado todo ano, né? Mas atualmente, todas as novelas no ar estão com um ibope péssimo. Mas o que vc quer que eu faça?

Sérgio Santos disse...

Anônimo, não tenho visto a trama diariamente pra saber se a barriga tá grande ou pequena, mas que tá cansativa tá mesmo. Lado a Lado deixou mtas saudades. Abçs

Sérgio Santos disse...

Olá minha cara Letícia. Pra variar, concordo integralmente. Só discordo sobre Ernest pq achei a regeneração dele bem feita, só não gostei pq fizeram isso antes da Silvia se vingar. Mas de resto, assino embaixo.

Nossa, tb acho, a Mel filha da Laura em Lado a Lado seria ótimo. Bem melhor que aquela menina robótica que colocaram. E, sim, Pérola é uma criança mas age feito um adulto, ou seja tudo o que é mais abominável em um papel infantil.

Sim, a novela prometia muito. Eu mesmo fiquei empolgado só de ler a sinopse e ver notas a respeito da nova trama. E quando as chamadas começaram a ir ao ar eu tinha certeza da capacidade da obra. E as primeiras semanas foram excelentes. Mas tudo acabou virando decepção. Beijão!

Anônimo disse...

Fico até assustada do quanto que essa novela ficou ruim. Tá andando em círculos e num joguinho de gato e rato já visto em todas as novelas dessas autoras.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, esse jogo de gato e rato é comum mesmo nas obras das autoras, o que nada mais é do que 'andar em círculos.' Bjs

Sr. Soares disse...

Joia Rara começou muito bem.
Sempre gostei do trabalho de Duca e Thelma, mas nos últimos tempos a trama se perdeu. Talvez uma tentativa de mudança para emplacar a audiência, não sei...
O elenco é muito bem afinado e estão em sintonia. O problema ficou na trama.
A Pérola vive a dizer que o amor é bonito ou que sonhou que alguém estava em perigo (geralmente o Franz). Isso é um porre. Não falo da Mel, mas da Pérola, personagem.
Iolanda depois que saiu da casa do Ernest ficou esquecida na trama, aparece vez ou outra pra beijar o Mundo e só.
Aurora tem um humor que agradava quem assistia a novela, e quando a personagem aparecia, o astral dos capítulos mudavam, tinham um outro ar. Ela tinha uma história muito envolvente: Vinha ao Brasil se vingar, se envolve com o vilão e se apaixona pelo rapaz que estava paralítico.
Depois que ela casou, foi esquecida. Quase não aparece. Só em uma ou duas cenas.
Mariana Ximenes é considerada a melhor atriz de sua geração. Os maiores autores do Brasil já trabalharam com ela (Walcyr Carrasco, Glória Perez, João Emanoel Carneiro, Sílvio de Abreu e o Carlos Lombardi. Sem contar com autores que gostariam de tê-la em uma produção sua, como Aguinaldo Silva e Manoel Carlos, além de Gilberto Braga que conseguiu participações). Duca e Thelma escreveram um personagem que tinha tudo para se tornar um dos melhores da carreira da Mariana, ao lado da vilã Clara, em Passione. Porém, sem quase participação, fica difícil.
O Tiago Abravanel também desapareceu da novela. Não gostava muito dele, mas esse personagem era bom de se ver, e hoje tá esquecido.
Sem contar as outras vedetes do cabaré, que além de Matilde (que se casou) e Serena (que está grávida), ficaram de figurantes no núcleo da pensão, onde estão também grandes talentos como Marcelo Médici.
Tudo bem que um capítulo tem poucos minutos de arte, uma novela das seis têm menos capítulos que uma das nove, mas dava para ter aproveitado todos os atores, sem queimar a trama.
Em meio a tudo isso, podemos destacar a brilhante atuação do Carmo e o texto muito bem construído das autoras, que continuam sendo muito competentes. E o belo trabalho da direção, produção, figurinistas, etc...
Enfim, espero que no mês de março, voltem a apostar nos demais personagens;

Mainy disse...

Sérgio meu querido, estou total de acordo com seu texto. Minhas expectativas antes de Joia Rara começar era enormes, pois sempre admirei os trabalhos de Thelma e Dulca, principalmente Cama de Gato, que considero a melhor novela delas. A trama tem um excelente elenco, digno de novela das 9, mas nos últimos dois meses (pelo menos pra mim), se perdeu totalmente. Acredito que boa parte dos núcleos se resolveu muito rápido e ficou sem história, foi muito mal planejado. A trama começou ágil, me lembrando o estilo de Avenida Brasil, já que possui os mesmos diretores, mas se desgastou no caminho. Também não comprei idéia da vilã ser mocinha, ainda mais a Silvia que prometeram ser uma grande antagonista. A história do Manfred que era interessante já se tornou cansativa, enfim, como você falou a trama se perdeu. O cabaré, meu núcleo favorito sumiu, mas o que mais me deixou chateada foi a desvalorização de alguns atores, Carol Dieckmann é um exemplo, e principalmente a Mari Ximenes. Aurora é uma ótima personagem e depois que casou quase não aparece. Pena pelas autoras que tinham uma boa trama na mão e se perderam totalmente, enfim, é isso.

Ana P. disse...

Sérgio, essa novelinha está muito cansativa, é o pior trabalho de Duca Rachid e Thelma Guedes. Me desculpe se você gosta da Nathalia Dill, mas esse é o pior papel da carreira dela, inclusive até que a fraca Débora de Avenida Brasil, parece que ela ainda está procurando o tom da personagem, achei muito bonita a cena do reecontro dela com o Viktor, mas nas outras cenas está complicado, sem contar que ela podia ter sido uma ótima vilã e não aconteceu. Carmo Dalla Vecchia é o grande nome da novela, na minha opinião, Manfred é um personagem complexo e ele está dando conta do recado. Bruno e Bianca Bin tem uma ótima quimica, mas a história não desenvolveu. Mundo e Iolanda que também era um casal interessante só aparecem pra se beijar. O triângulo Toni-Hilda-Gaia começou interessante, mas ficou mal construído... E o que falar do cabaré? Ele reuni um elenco afiadíssimo e sumiu da trama, uma pena que a parte divertida da novela quase não exista mais. Lamento pela Mariana Ximenes que é uma atriz fantástica, ela não merecia fazer figuração de luxo. Aurora e Davi eram um par empolgante e agora quase não tem importância. Se essas autoras forem mesmo para o horário nobre tem que fazer muitos ajustes e um melhor planejamento. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Sr. Soares, é verdade, começou mt bem. Eu estava empolgado com a novela e cheguei a achar que seria a melhor delas. Mas a trama foi se perdendo até virar isso que está no ar. Uma pena. O elenco é ótimo, mas mta gente perdeu a função e alguns personagens se perderam junto com a novela. Aurora tinha tudo mesmo pra entrar na lista das melhores personagens da Mariana, mas não tem como. O papel não tem mais trama.

Não sabia que o Tiago tb tinha perdido a importância, mas faz sentido já que ele é do núcleo do Cabaré que não deu certo e foi abandonado.

O Carmo está mt bem, mas o vilão dele é cansativo e difícil olhar sem associar ao Timóteo. Abçs!

Sérgio Santos disse...

Oi Maíny! Concordo com o seu comentário também, embora nunca tenha sequer achado que o ritmo dessa novela era igual ao de Av. Brasil.A Silvia nunca foi vilã na história. Na verdade ela foi vendida pelas autoras de forma totalmente errônea. Garantiram que ela seria diabólica, mas bastou a trama começar pra vermos que ela sofreu e só queria vingança msm. Mas essa redenção dela foi mal desenvolvida.

Concordo sobre a desvalorização dos atores e tb sobre o aniquilamento do Cabaré. Mariana Ximenes foi uma das vítimas. Pena.

E eu tb considero Cama de Gato a melhor novela delas. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Ana P., posso assinar embaixo do seu comentário? Então eu assino. Só discordo na parte da Nathalia e vc não precisa se desculpar. Eu continuo achando ela mt bem, mas concordo que a Silvia era bem melhor antes. De resto nem tenho mt o que acrescentar. bjssss

Anônimo disse...

A mel maia é. falsa e arrogante com as pessoas . tem muitas atrizes mirins melhores. que ela .metida