terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Dividida em três fases, "Em Família" estreia com ritmo morno e focada no triângulo central

Nessa segunda-feira (03/02), estreou a última novela de Manoel Carlos. Dirigida por Jayme Monjardim, "Em Família" terá a missão de manter os índices de "Amor à Vida" ou aumentá-los ---- tarefa nada fácil, afinal, o atual momento da Globo não é muito favorável, uma vez que "Malhação", "Joia Rara" e "Além do Horizonte" amargam uma péssima audiência. Mas deixando os números do Ibope de lado e focando na história, já foi possível observar a principal característica do autor logo no começo da obra: os dramas familiares.


Dividida em três fases, a trama é iniciada na década de 80, com o nascimento de Helena ---- a primeira cena foi, inclusive, o batizado. O capítulo foi apresentando os conflitos e as rusgas entre as famílias do núcleo central, cujos atores eram, em sua maioria, desconhecidos do grande público. Porém, o time não comprometeu. Mas a primeira fase pecou no ritmo, que foi arrastado e sonolento. A protagonista foi vivida pela promissora Julia Dalavia, enquanto que Laerte e Virgílio foram interpretados por Eike Duarte e Arthur Aguiar.

A melhor cena desse início foi o afogamento de Helena, graças ao talento de Giovana Rispoli, intérprete da quase-vilã Shirley. O olhar frio e o riso debochado da menina, enquanto via a amiga se afogar sem fazer nada para ajudar, foram assustadores. Entretanto, as demais cenas cansaram e foram entediantes.
Vale citar, inclusive, a sequência de gosto duvidoso, onde Laerte sonha que está voando em cima de uma Fênix. Desnecessário.

Porém, a segunda fase (década de 90), iniciada no final do primeiro capítulo, despertou interesse. A passagem de tempo, aliás, foi de muito bom gosto ---- Helena e Laerte mergulhando em uma piscina e saindo da água no corpo de Bruna Marquezine e Guilherme Leicam. A partir desse momento, o público pôde acompanhar com mais precisão a personalidade de cada um dos três personagens centrais.

Como toda Helena de Manoel Carlos, a protagonista é imperfeita e repleta de contradições. A mocinha se aproveita do poder de sedução que tem para conseguir tudo o que quer e gosta de manipular os dois homens que são apaixonados por ela. Já Laerte, é um jovem voluntarioso e extremamente ciumento, que não suporta ver sua namorada perto de nenhum homem, principalmente de Virgílio (Nando Rodrigues). E Virgílio é um rapaz tímido, rústico e atencioso. Os perfis fazem parte do triângulo principal, que resultará em uma grande tragédia.

Mas em meio aos dramas desse trio, uma personagem correu por fora: a debochada Shirley, que já havia se destacado na primeira fase. Interpretada pela ótima Alice Wegmann, a invejosa garota fez questão de debochar da briga feia que Laerte teve com Helena, após saber que o marido da tia a viu nua. Na terceira fase, a mulher será vivida pela talentosa Viviane Pasmanter. Ou seja, é um tipo que tem tudo para roubar a cena.

Por enquanto, é muito cedo para prever como será a novela. O telespectador verá pelos próximos dias um grande prólogo do folhetim, ambientado em Goiás. A história só começará de fato na terceira fase (passada em 2014 e no tradicional bairro do Leblon), com a chegada de Júlia Lemmertz e demais atores que permanecerão até o fim da trama ---- incluindo o promissor núcleo de Giovanna Antonelli, Tainá Muller e Reynaldo Gianecchini.

Do que foi visto até então, só é possível afirmar que a abertura da novela (com retratos do elenco pendurados em uma grande árvore, ao som de "Eu sei que vou te amar", na voz de Ana Carolina) é simples e linda. E o encerramento dos capítulos, apresentando mini-histórias de momentos em família, foi uma ideia criativa, apesar de causar um certo estranhamento inicial.

"Em Família" tem uma boa premissa e a história de Manoel Carlos --- embora aparentemente repetitiva ---- apresenta situações que podem render grandes cenas e fisgar o telespectador. Tendo as lindas imagens valorizadas pelo diretor Jayme Monjardim, a nova novela estreou com um ritmo morno --- o que talvez explique a baixa audiência (33 pontos) ----- e dramas familiares que já começaram a se intensificar. Resta saber se o conteúdo terá fôlego para prender a atenção do público ao longo de vários meses. Tomara que sim, já que um autor como Maneco merece encerrar esse ciclo em grande estilo.

88 comentários:

Fabrício disse...

Ah, Sérgio, acabei de comentar o post sobre Amor à Vida falando da minha saudade. Achei essa novela muito cansativa. O primeiro capítulo precisa ter algo que desperte atenção e essa não teve nada! Fiquei com sono! A segunda fase é melhor que a primeira mas não consegui me empolgar.

Anônimo disse...

ZZZZZzzzzzzzzzLeblonzzzzHelenazzzZZZZ

Cc disse...

Nossa, serio que deu só 31? Fracasso retumbante pros padrões globais. Mas também acho que o povo já cansou de tanta novela, é igual futebol, entra ano e sai ano e não termina nunca. Tantas opções em outros canais, eu adoro a programação do h&h, alguém aqui assiste?

✿ chica disse...

Achei interessante e me passou uma boa sensação.Pode vir coisa boa!1 Vamos ver! abração,chica

Rafael Barbosa disse...

Eu amei a estréia, sou suspeito porque sou fã do Maneco, mas gostei muito da forma com que ele esta construindo sua historia, inserindo os conflitos aos poucos e passeando pela juventude dos protagonistas nessas primeiras fases. Os diálogos estão saborosos, a direção também, e o elenco não fez feio, adorei a Bruna e a Alice, e a pequena Shirley da primeira fase. o Ritmo é o característico do Maneco, não dá pra esperar outra coisa, ainda mais que essa novela propõe resgatar o estilo tradicional de uma novela, em a historia vai ganhando aos poucos. Gostei da historia, e o texto já fez varias referencias a tragédia que esta por vir. Não vi a cena do sonho como sendo de gosto duvidoso e tampouco desnecessária, a novela se chamaria Fénix que sera o simbolo do amor de Helena e Laerte, uma metáfora bem vinda, estranhei quando vi a cena, mas gostei. e a série no final de cada capítulo é interessante e promete. os números foram péssimos, mas torço para que subam. Só o que me preocupa por enquanto, é essa idade dos personagens que destoa totalmente da idade real dos atores. E a abertura é linda, bem melhor que a das duas últimas do Maneco. Enfim, o capítulo deixou gostinho de quero mais. Abraços

Fernando Teixeira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando Teixeira disse...

Eu gostei muito da estreia da novela Sérgio, apesar do ritmo lento e morno, como todas as novelas do Maneco.O grande destaque da novela na minha opiniÃO foram a Giovanna Rispoli/Alice Wegman como a venenosa Shirley.

Leandro disse...

Nossa, não vejo a hora de ver Viviane Pasmanter, as vilãs dela são impagáveis. Quem não lembra dela em Felicidade e Por Amor, ela sabe fazer tipos psicóticos e doentios, acho ela uma ótima atriz ainda mais interpretando uma vilã.

Thallys Bruno Almeida disse...

Sérgio, na vdd eu achei a estreia agradável. A audiência de 31 pontos pra mim ñ quer dizer nada, tanto que minha novela preferida atualmente marca sub-20 e eu continuo adorando.

Não achei o ritmo morno/arrastado/sonolento, e sim suave, leve, agradável. Um oásis de leveza em meio à mania de velocidade e adrenalina que tem se abatido sobre as novelas mais recentes (e olha que eu adoro agilidade). E de fato, eu não tenho problema com ritmo, mas isso se o conteúdo me agradar (o que já não acontece com as novelas do BRB). Mas de fato a segunda fase pareceu mais promissora.

Sobre a Fênix, eu vou elogiar sim a cena. Não vi nada de péssimo gosto ou desnecessária, só tive o estranhamento inicial, mas achei muito bem-produzida (e só pra lembrar, já que vc adora dizer que só criticam Walcyr, eu não critiquei aquela viagem no centro da Terra/luta com os dinossauros que ele fez no fim de M&A). Aliás, o Rafael até lembrou bem, Fênix era um dos títulos cogitados para a novela.

A Giovanna Rispoli foi de longe a melhor do elenco mirim. Os traços que ela deu à Shirley me remetiam a uma pequena Íris (personagem da Deborah Secco em Laços de Família), abrindo caminho pra entrada da Alice Wegmann. Aliás, as duas e Bruna Marquezine (a 2ª Helena) foram as melhores da estreia. Já amo a Shirley e a segunda Helena. O Virgílio me pareceu mais promissor (em atuação) na 2ª fase, enquanto com Laerte acho que a coisa só deve melhorar na 3ª fase quando o Braga Nunes entrar - achei tanto Eike quanto Leicam frios, apáticos.

Uma belíssima abertura, muito superior às duas últimas de Maneco, e uma boa escolha da versão da Ana Carolina pra Tom Jobim. Um alívio para os ouvidos depois de aturar oito meses e meio de Daniel. Os encerramentos, mostrando os momentos em família (dirigidos pelo João Daniel Tikhomiroff, mesmo diretor das últimas vinhetas de fim de ano da Globo e co-diretor dos últimos especiais RC), foram outro acerto.

Quanto a premissa, prefiro acreditar que, como Maneco está se despedindo das novelas, provavelmente vai se cercar de referências usadas com sucesso nas anteriores, talvez um apanhado geral da carreira dele. Acredito que como o capítulo de hoje já vai estar totalmente mergulhado na segunda fase, tem tudo pra ser superior ao primeiro, mas que a coisa vai engrenar mesmo é na sexta/sábado da semana que vem, quando virá a terceira fase e entrarem Julia Lemmertz, Viviane P., Reynaldo, Tainá, Giovanna, Braga Nunes e toda a turma. Sendo assim, que venham os próximos. abç!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Concordo com sua análise, Sérgio. Quase adormeci nesse capítulo de estreia. A trama girou apenas em torno da Helena e seus pretendentes. As cenas das irmãs lembraram as de Mulheres Apaixonadas. Também achei bem feita a cena do afogamento da Helena, presenciado pela Shirley, e de mau gosto a do voo da fênix.
Da abertura, só se salvou a linda Eu Sei que Vou te Amar. Muitas imagens ao gosto do diretor Jayme Monjardim. Podem ser apenas impressões prematuras, mas espero que o enredo se torne mais interessante.

Felisberto Junior disse...

Olá,Sérgio
sim, quem acompanha telenovelas de Manoel Carlos, já sabe o que encontrar... o retrato do cotidiano, situações já conhecidas ,além de "suas" Helenas e , principalmente, a velocidade muito particular. Agora, só precisamos aguardar para ver se a qualidade da história vai atrair o
telespectador, igual à tantas outras...apesar que estamos "sedentos" por novidades, hehehe!
Bela análise!
Obrigado, bela semana, abraços!

Rita Sperchi disse...

Bom dia Serginho, o começo é assim mesmo mas pelos atores a atrizes vejo que vem coisa boa por ai.....Podemos nos surpreender eu espero que td seja mesmo uma grande família, gostei do começo sim

Tenha uma bela terça de calor, e vamos assistindo para ver como fica bjuss com meu carinho de sempre

_________Rita!!

Alexandra Amaral disse...

Discordo, não achei o ritmo morno ou lento. A novela teve 3 fases em apenas 1 capítulo. O ritmo do Maneco que é mais leve do que as anteriores do horário, que foram super pesadas e ágeis. Só não gostei do elenco da fase mirim, salva-se apenas Giovana Rispoli, ótima. Boa idéia para outras novelas. Discordo também da cena da fênix, não vi nada de ruim.
Era horrível temos que aguentar cenas de dinossauros em Morde e Assopra (o Walcyr é bom autor, mas, errou a mão na novela).
Sobre essa audiência de 31 pontos, é ruim, mas, eu nem ligo pra audiência. O que me importa, são novelas de bom gosto, seja elas, ágeis, ou mais lentas.

Alexandra Amaral disse...

Gostei também da Abertura, líndissa ao som de ''Eu sei que eu vou te amar''. De Daniel, para Ana Carolina. Nossos ouvidos agradecem. Na abertura, só não gostei da fonte dos créditos, rídiculas.

OX disse...

Concordo com o texto e com o comentário da Elvira. Também quase dormi na estreia. Deu sono. A segunda fase apresentou uma leve melhora mas nada de muito incrível. Muita repetição e pouca novidade. A cena da Fênix foi tosca e lembrou a tosquice daquele fantasma em Páginas da Vida. Maneco já foi um grande autor mas se perdeu com o tempo.

Anônimo disse...

Que novela foi essa que a Alexandra viu que teve 3 fases???? Eu só vi duas! Vai ver ela cochilou na estreia e se confundiu!

Anônimo disse...

OS MESMOS QUE AGORA ALEGAM NÃO SE IMPORTAR PRA AUDIÊNCIA DESQUALIFICAVAM AMOR À VIDA CITANDO NÚMEROS DE IBOPE E COMPARANDO COM ANTECESSORAS! HIPÓCRITAS!!!!!!!!!! EM FAMÍLIA TEVE UMA ESTREIA SONOLENTA E ACHEI VOCÊ ATÉ BEM GENEROSO COM A CRÍTICA! NO LUGAR DE MORNO EU BOTAVA ARRASTADO! ABRAÇO!

Anônimo disse...

desculpa, mas se alguem assistir novela de Manoel Carlos esperando inovação...com certeza está bem por fora sobre o autor, as novelas deles nao tem inovação e tem um ritmo lento...eu adoro o estilo, mas reconheço que hoje em dia esse formato não agrada, é uma jogada arriscada da Globo. das novelas dele, gostei só de por amor, historia de amor e laços de família.
bjss

Letícia disse...

Achei a estreia fraca mas, assim como você, acredito que só dê para analisar a novela depois que a terceira fase iniciar. Mas eu garanto que todas as pessoas que criticaram a superficialidade das abordagens do Walcyr criticarão a lentidão da profundidade das abordagens do Maneco. Só reclamam, essa é a verdade! Um beijo, Sérgio!

Maria Lúcia Gromann disse...

Concordo com o anonimo de cima, não assistam novelas de Maneco esperando uma inovação teledramatúrgica. No mais, achei a estréia morna, sonolenta. Mas é cedo para julgar se será uma Páginas da Vida ou uma Viver a Vida II. A abertura é bonita, ao som de Eu sei que vou te amar, mas, essa forma que os créditos foram colocados é horripilante. Cade os hans donner?
Bjs Sérgio, mtas saudades

alma disse...

ta dificil algum autor de novelas inovar, Manoel Carlos é sempre o mesmo com suas novelas, a abertura é confusa, aquele amontoado de creditos, elenco desconhecido, cade os medalhoes, por ser sua ultima novela faltou: Tony Ramos, que fez varias novelas com ele, Beatriz Lyra, Paulo Figueiredo, Regina Duarte, Jose Mayer, Suzana Vieira, Lilia Cabral, e outros, isso sem falar nos titulos: Por Amor Historia de Amor, Novo Amor, Laços de Familia, Em Familia, Viver a Vida, Paginas da Vida, onde está a criatividade?

Melina disse...

Sérgio, querido, não direi que me decepcionei porque não esperava nada por essa estreia. Então não me frustrei. Concordo com seu texto mas incluo a segunda fase como arrastada também. O primeiro capítulo foi muito sonolento e entediante. A direção do Jayme Monjardim nunca foi compatível com o Maneco. Essa parceria foi equivocada em Páginas da Vida e Viver a vida mas resolveram insistir nisso em Em Família. Será que melhora? Não sei, o futuro a Deus pertence, ou melhor ao Manoel pertence.

Só sei que eu estou com abstinência de Amor à Vida e sinto falta dos personagens! Félix, Niko, Valdirene, Márcia, Palhaço, Lutero, ai que saudades! Um beijo!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

OX, obrigada pelo reforço.

Clau disse...

Olá Sérgio \o/
Mais uma novela, que eu vou saber dos pormenores aqui no seu blog!
Tomara que 'Em Família' surpreenda de alguma forma, pois manter os índices de 'Amor à Vida' não será tarefa fácil.
Vamos ver quais as bandeiras sociais que Manoel Carlos irá levantar...
Bjs!

Alexandra Amaral disse...

Anônimo: foram 3 fases nesse capítulo: Helena bebê, Helena/Julia Dalávia e Helena/Bruna Marquezine.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Também achei a estréia um tanto monótona, mas acredito que é o normal de toda estréia, a não ser quando o primeiro capítulo é mais extenso e com acontecimentos de maior suspense.
Concordo com você quanto à cena do Laerte sonhando que estava voando em cima de uma Fênix. Achei até um tanto ridícula. O caráter maldoso da personagem Shirley já ficou escancarado.
Aguardemos os próximos capítulos. E que sejam cativantes.

Ah, também gostei da abertura.

Beijo.

Flaviana disse...

Agora fica a questão: quem achou a reta final de Amor à Vida e a primeira semana de Amores Roubados lentas, o que será que está achando dessa novela do Maneco?

Bia Hain disse...

Ai, Sérgio, sei que sou chatinha pra novelas, hahaha, mas Manoel Carlos, na minha opinião, é de amargar.. muito dramático! Mas, quem sabe vem com novidades ao longo da trama, não? Um abraço!

Barbie Californiana disse...

Eu acho que vi um "erro" em seu texto, Sérgio, mas ficou bem escrito. E mesmo sendo longo, o primeiro capítulo foi lindo, mas eu sou suspeita para falar, pois sou apaixonada pelas tramas de Maneco, ele arrasa do enredo à trilha sonora. Tudo perfeito! :D beijinhos

Anônimo disse...

Não gostei dessa estreia, a novela pode até ter um texto legal mas é lenta e com fracos ganchos mas o pior é ver que o povo que odeia Amor á Vida elogiando tudo dessa novela só pra provocar, aí um personagem fala "Eu te amo" e o povo posta que dialogo sensacional pisa no texto de Amor á Vida, mas a verdade é que eles amaram a novela e devem tá morrendo de saudades.
Vou esperar a terceira fase, mas acho que vai ser pior ainda #VoltaAmoráVida #VoltaFeliko #VoltaValdelicia

Rafael Barbosa disse...

Aproveitando o comentário do Thallys sobre a cena da fênix! Concordo que haja perseguição com Walcyr, assim como há com Gloria, Aguinaldo e outros, e também tenho quase certeza que fosse a cena da fênix em uma novela dele, não faltaria gente criticando. Sobre a viagem ao centro da Terra no final de morde e assopra, sinceramente nunca entendi as criticas, pois esse local foi falado desde o inicio da novela e fazia parte do mistério envolvendo os pais da Julia, tinha até os sonhos da personagem, desde o inicio ficou claro que haveria esse lugar e a possibilidade dos dinossauros ainda vivos, portanto sempre achei dentro do contexto da novela e coerente com que a novela apresentou. Já o túnel de luz pelo qual Nicole passou em Amor á Vida me incomodou bastante, destoante da proposta inicial, pareceu uma saída fácil pra tirar a personagem da trama, achei bem desnecessário, mas achei bonitinha a borboleta simbolizando o espirito dela, e até trocaria as aparições fantasma dela pela borboleta aparecendo sempre. E a Fênix, além de uma metáfora do amor de Helena e Laerte e da experiencia vivida por Helena de "viver " e em seguida "ressuscitar", não passou de um sonho do protagonista. Abraços

Rafael Barbosa disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Odacyr Roberth disse...

Eu achei razoável. Mas preferi assistir Pecado Mortal, de Carlos Lombardi na Record. Só um detalhe que eu reparei no "trailer" da novela: A Helena, quando jovem mora em Goiás e tem sotaque carioca fortíssimo. Depois, na terceira fase, ela muda-se para o Rio de Janeiro (e vira Giulia) e perde o sotaque carioca?

Filha do Rei disse...

Considero Manoel Carlos o poeta das novelas e o que me chama a atenção é que ele nos retrata realmente: pode não ter um Félix, uma Valdirene; mas tem a mim,a ti, o vizinho,o chefe ou um amigo nosso.Estou apostando. Bjs

MARILENE disse...

Sergio, a novela começou bem devagar (rss), sem atrair. Você evidenciou uma cena que também me chamou a atenção, interpretada por Giovana Rispoli. O olhar da menina impressionou. Vamos aguardar, pois o autor merece crédito. Bjs.

Lulu on the Sky disse...

Eu começaria a novela de forma diferente, narrativa em off com a Julia Lemmertz e intercalando as cenas do passado.
Big Beijos
Lulu
luluonthesky.blogspot.com.br

Anônimo disse...

A Patrícia Kogut escreveu a crítica de estreia dessa novela hoje e falou quase a mesma coisa que você. Isso só prova o quanto que você é um bom crítico! Parabéns, cara!




Italo

paulo disse...

Pra poder afirmar qualquer coisa com propriedade tentei assistir essa novela e confesso que foi um sacrifício imenso, definitivamente a globo não é mais a mesma. Nem o Maneco que era minha ultima tentativa de acompanhar uma novela atual conseguiu me cativar. Que novelinha chata, imagem péssima(já comentei sobre isso), elenco irregular, etc, etc. Olha, até Pecado Mortal dá de mil a zero nisso(se fosse na globo as 7 no lugar daquele outro lixo seria um sucesso),apesar de que também não tenho paciência pra acompanhar. E aproveito também o espaço pra dizer que a programação da globo nunca foi tão caída, nada na sua grade me interessa. O ibope tá ai que não me deixa mentir. Pra mim a ex-poderosa morreu, que pena! Aceita a realidade, Sergio, eu venho falando isso há tempos...
Abrçs.

Anônimo disse...

A novela é um porre saudades de AAV e olha que eu nem era tão fã, te recomendo assistir Pecado Mortal é 1000000000000000000000000 vezes melhor, elenco direção e texto afiado e trama ágil

Maxxi disse...

Respondendo a sua pergunta chave, que fechou seu texto belo...

Não confio que Maneco venha a levantar os indíces, gosto dele, dos dramas familiares que ele apresenta, porém não confio nisso. Torço bastante (ao contrário do arrogante Aguinaldo Silva que nunca torço!), mas não creio que ele seja capaz de tanto.

Acho que fui tão mal acostumado com Mulheres Apaixonadas (e Laços de Família, por que não dizer?) que sempre espero uma novela do mesmo nível. Mas se assim fosse, semrpe esperaria uma Celebridade de Gilberto Braga e uma Belíssima de Silvio de Abreu. Já nem estou acompanhando. A trama em si, não traz nada de novo.

Sérgio Santos disse...

Oi Fabrício. Também sinto mta falta! O ritmo dessa tá bem vagaroso e a novela ainda ão atrai muito, mas acho que a trama tem potencial. abçs.

Sérgio Santos disse...

Deu 33 no consolidado, CC. Mas não creio que seja por isso pq Amor à Vida estava mt bem.

Sérgio Santos disse...

Vamos ver, Chica. bj

Sérgio Santos disse...

Rafael, eu admiro o Maneco e era fã dele até Mulheres Apaixonadas. E por isso discordo que esse seja o ritmo dele. Virou depois de Páginas da Vida, pq antes elas não tinham um ritmo alucinante, mas tb não eram arrastadas e tinham ótimos momentos diários. Ainda é cedo pra falar dessa nova, até pq só começará mesmo na terceira fase. Tudo é um grande prólogo por enquanto.

Eu achei a cena da Fênix desnecessária e de gosto duvidoso. Eu sei que foi um sonho, mas ainda assim seria melhor não ter tido.

Sobre M&A, as críticas aos dinossauros na época foram ridículas. Naquela novela havia licença poética nessa trama e da dos robôs e tudo seguiu um ótimo caminho. Foi, inclusive, um último capítulo que fugiu do óbvio. Mas no caso da Nicole, apesar de algumas cenas da Nicole fantasma terem sido bonitas, ficou destoante com a proposta da novela e não ficou bom. Tanto que eu torcia para sumissem de vez com isso da novela. Seria melhor se ele só tivesse matado e pronto.

Uma coisa que eu tb queria citar, lembra da primeira cena do cap de Em Família? Com aquelas pessoas se estapeando na porta da igreja por causa de uma discussão de trânsito? Se fosse o Walcyr diriam que era pastelão, mas o Maneco pode, fica "legal". Isso que acho ridículo. Aliás, não vi nada demais na cena, é bom dizer. Não critiquei.

E sim, a questão da idade é uma grande falha da novela. Bobearam feio. Mas vamos ver. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Fernando, a Giovana é um talento. Adorei a menina. abçssss

Sérgio Santos disse...

Viviane Pasmanter é ótima mesmo, Leandro. Pena que só Maneco a valorize. abçs

Sérgio Santos disse...

Thallys, eu pouco me importo com audiência, tanto que amei Lado a Lado, Guera dos Sexos e Sangue Bom. Quanto ao ritmo, se vc não achou lento ok, mas não deixa de ser estranho já que vc achou a reta final de AAV arrastada.

O Maneco já usa elementos de suas novelas anteriores bem antes dessa última, então isso não mudou. E se for bem desenvolvido ok. A terceira fase será o começo da novela, o que dará uma perspectiva da trama. Por enquanto é só achismo.

Sobre M&A, jurava que vc tinha achado o final tosco, mas se vc disse que não, ok, acredito.
Sobre a novela se chamar Fênix, ainda bem que não chamou pq era um nome horrível. Abçs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Elvira. Confesso que não havia parado pra pensar nessa sua referência às irmãs de Mulheres Apaixonadas, mas realmente faz sentido. O capítulo de terça melhorou bastante mas o de hoje já foi sonolento novamente. Vamos ver como será o futuro. bjssss

Sérgio Santos disse...

É verdade, Felis, não dá pra esperar ousadia do Maneco. Mas ao menos um bom ritmo seria bom já que ele conseguiu isso antes de Páginas da Vida e Viver a Vida. Abçssss

Sérgio Santos disse...

Rita, não se apegue muito aos atores pq todos irão embora. Só restará a Bruna Marquezine. rs Esse calor tá um inferno. bjssss

Sérgio Santos disse...

Sem problemas, Alexandra. Claro que Manoel Carlos tem um estilo diferente, mas enfim. Quanto aos dinossauros em M&A, eram perfeitamente aceitáveis dentro do contexto da novela, que fez um merecido sucesso. A abertura de Em Família é mt bonita. bjs

Sérgio Santos disse...

OX, a cena da Nanda fantasminha era mt ruim mesmo. A da Fênix foi desnecessária mas pelo menos foi só um momento. Abçs

Sérgio Santos disse...

Calma, anônimo, vc está mt exaltado! abçsss

Sérgio Santos disse...

Anônimo, realmente hoje em dia não se pode mais dar ao luxo de ter um ritmo arrastado. As pessoas mudam de canal. Mas o estilo do Maneco não é alucinante, porém, até Mulheres Apaixonadas passava longe de ritmo lento. Só começou isso depois, com o Jayme Monjardim. bjsss

Sérgio Santos disse...

Letícia, com certeza, só na terceira fase é que saberemos a capacidade da novela. Mas sim, mta gente ama reclamar. Porém, agora no Twitter, eu vejo todo mudo reclamando dessa mas tô nem aí pq tudo o que eu falava anteriormente está se cumprindo. Quase uma profecia. rs bjs

Sérgio Santos disse...

Maria, é verdade, não dá pra esperar grandes inovações. E realmente a fonte das letras da abertura não ficaram legais. bjsss

Sérgio Santos disse...

Alma, o Tony só ganhou personagem grandioso do Maneco. Seria bom vê-lo na última novela mesmo. Mas Susana não teria como pq ela estava em Amor á Vida e interpretando uma grande personagem. Os títulos de novelas mtas vezes não são nada criativos. bjs

Sérgio Santos disse...

Entendo, Melina. Tb nunca gostei dessa parceria do Maneco com o Jayme, apesar de ambos serem competentes. Mas não casou bem. Preferia que o Ricardo Waddington dirigisse esse último trabalho, mas enfim...

Eu tb estou com abstinência! Nossa, que saudades desses personagens e da novela. Dá um vazio mesmo. bjs

Sérgio Santos disse...

Não será mesmo, Clau! E obrigado pelo carinho! =) bjsss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Vera! Shirley foi e está sendo o grande destaque da novela até agora. A personagem promete! Vamos ver como a trama se desenvolverá. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Excelente pergunta, Flaviana. Muito bom! bjs

Sérgio Santos disse...

Bia, as novelas dele são puro dramalhão mesmo. Mas eu gosto de dramalhão. rs Só espero que tudo seja bem feito. bjs

Sérgio Santos disse...

Qual erro, Barbie? bjssss

Sérgio Santos disse...

Anõnimo, isso que vc falou é verdade, sou obrigado a concordar. Alias, o Twitter tem coisas engraçadas. No caso, a novela mal estreou e o personagem diz "Bom dia" e já vem dizer "Que texto maravilhoso, que incrível etc etcetc". Exagero é pouco. Até pq, por enquanto, o texto da novela tá bem declamado e muitas vezes fica piegas -- vide as comparações de amor com Fênix, enfim. Mas eu não vejo problema algum pq texto vai de cada autor. abçs

Sérgio Santos disse...

Odacyr, não reparei nisso do sotaque, mas vou tentar olhar. abçs

Sérgio Santos disse...

É verdade, Cléu, é o cotidiano, os dramas familiares, a vida, etc. É um estilo bacana e que tb está presente na Lícia Manzo, que emocionou em A Vida da Gente com um texto profundo e emocionante. bjs

Sérgio Santos disse...

Foi devagar mesmo, Marilene. Mas a Giovana foi incrível. Que seja aproveitada pela Globo! Promete a menina. bjsss

Sérgio Santos disse...

Mas aí ficaria muito flashback, Lulu. bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Italo. Voltou! Obrigado pelo elogio! Eu li a crítica e ficou parecida mesmo, mas isso só significa que eu e ela tivemos percepções parecidas. =) Abraços!

Sérgio Santos disse...

Paulo, aconselho vc ver o capítulo depois do décimo capítulo, quando a terceira fase iniciar. Ali os veteranos entrarão e todo esse elenco que vc viu sairá. Sim, todo. Só a Marquezine ficará. Abçssss

Sérgio Santos disse...

Anônimo, na minha humilde opinião, o que a Record fez foi uma sacanagem com o público da novela. E errou feio pq Pecado Mortal tá perdendo até pra reprise de Rebelde no SBT. M,as de vez em quando eu vejo uns trechos. abçs

Sérgio Santos disse...

Eu tb não sei se ele irá conseguir, Maxxi, mas se a novela for boa eu vou torcer muito pra ele conseguir. Laços de Família e Mulheres Apaixonadas foram as melhores novelas dele pra mim. Incríveis! Depois coloco Por Amor e História de Amor. E eu entendo sua percepção. abçssss

Patricia Galis disse...

Assino em baixo acho que a Shirley vau roubar a cena, a Viviane Pasmanter é demais poderia ser a Elena.
A unica coisa que não gostei foi a roupa da mãe da Elena barbaridade que coisa feia, ela é uma mulher rica e naquela época poderia ter se vestido melhor.
Qto ao trio do futuro não sei a Julia dara conta como Elena, já que provalvemente será a ultima de Manoel poderia ter escolhido uma atriz mais forte tipo Gloria Pires sei lá....agora o tri irá fazer mais ou menos idade de 40 anos, a Julia tem 51 até passa tá bem na fita, o Gabriel tem 42 está certo, agora o Humberto tem 53 e ta acabadinho, seria melhor o Marcos Palmeira sei la kkkkk mas ficção é ficção...rs

Rafael Barbosa disse...

Nossa, mas eu não tenho achado Em Família arrastada, como Viver a Vida e Páginas da Vida, na minha visão a novela tem o ritmo que todas as suas novelas sempre teve, seu ritmo característico. Mesmo novelas como Laços de Família ou Mulheres Apaixonadas, hoje em dia seriam tidas como arrastadas na minha visão, porque hoje tudo tem que ser rápido, como se rapidez e qualidade andassem juntas, não é bem assim. Particularmente já tava cansado de tanta agilidade e carente de uma boa novela lenta pra ver rs, e em Família tem suprido isso, adoro a delicadeza e a forma com que Maneco vai construindo suas historias e seus personagens, focado mais em psicologia e em diálogos, do que em ação. Sobre o Walcyr, esse tipo de perseguição é uma praga, ha uma onda hoje em dia de falar mal de tudo, vira modinha, assim como o endeusamento de outros autores, mas ele não e o único, Gloria passa pelo mesmo, a cena da Fênix numa novela dela também seria tido como uma viagem na maionese por enfim acho que quem gosta de novela tem que torcer pelo gênero sempre, independente de autor, e tem que haver espaço para todos os estilos. Agora não atribuo todas as criticas que a amor a vida sofreu somente a "perseguição", elas não vieram só de "haters", a de se separar uma coisa da outra. Abçs

Leandro disse...

Concordo plenamente em que as novelas do MC tiveram uma mudança visível depois de Paginas da Vida, se tornando mais lentas e calmas, para mim isso não é problema, porém reconheço que o publico em geral quer agilidade e a acontecimentos que "causem". Também gostei muito de Mulheres Apaixonadas, foi uma ótima novelA. Laços de família não fica atrás, só acho que a interpretação robótica e engessada da Vera Fischer prejudicou muito a protagonista.Como sou um fã incondicional de Regina Duarte, as minhas novelas preferidas do MC são Histórias de Amor e Por Amor, e aproveito para mais uma vez deixar exposta minha indignação sobre a ausência dessa atriz maravilhosa nas novelas.
Gostaria de saber sua opinião sobre o desempenho da Bruna Marquezine na segunda fase.

Athyne Tedesco disse...

Achei o primeiro capitulo bem lento, e quase nada me agradou naquela primeira fase, do elenco só destaco a ótima Giovana Rispoli, que menina ótima, o trio protagonista não me convenceu, mas na segunda fase eu senti uma melhora tanto no enrendo quanto quanto no elenco, com a chegada da Bruna Marquezine (que merecia um bom papel depois daquele horível de Salve Jorge) do Guilherme Leicam que está bem melhor do que em Malhação, e o Nando Rodrigues se mostrou uma grata revelação.

O segundo capitulo foi bem superior ao primeiro, mesmo com o ritmo lento característico do Manoel Carlos e achei legal criar protagonistas tão complexos como Laerte e Helena, apesar de que do trio eu prefira o Virgílio, porém achei o terceiro capitulo bem chatinho.

Para saber se a novela será boa ou não o melhor é esperar a terceira fase, já que por enquanto é apenas um prologo, por enquanto estou achando uma novela gostosinha de assistir, mas nada que me prenda como Amor á Vida.

Anônimo disse...

EM FAMILIA MARCOU 29 PONTOS POR 2 DIAS SEGUIDOS, DOIS
MAS NINGUÉM DISSE NADA NÉ, PQ AGORA A DESCULPA DE TODO MUNDO É QUE AUDIENCIA NÃO CONTA, MAS NO TEMPO DE AMORZÃO (AMOR Á VIDA) ERA SÓ MARCAR 32 PONTOS QUE TODO MUNDO DIZIA "HHAHAHAHAHA AMOR Á VIDA É UM FIASCO DE AUDIENCIA" BANDO DE HIPOCRITAS, E ADOREI SUA CRITICA SÉGIO ;)

Sérgio Santos disse...

Patrícia, acho que a Viviane não seria uma boa Helena. Acho que Julia foi um ótimo nome escolhido. Só trocaria por Lilia Cabral. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Mas, Rafael, eu não estou dizendo que a novela é arrastada que nem essas duas. Até pq só tem 4 capítulos até agora. Mas que o início foi arrastado foi, tanto que a própria Globo resolveu acelerar a novela e editou os capítulos. Mas não dá pra saber como será o ritmo da novela, tá mt cedo.

Claro que mtas críticas que Walcyr recebeu não eram de haters, sei disso. E a novela não foi perfeita, teve erros. Eu citei o que considerei equivocado. Mas uma parte eram de haters, sim, e inclusive daqueles que eram incapazes de reconhecer as qualidades da obra. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Leandro, eu discordo de vc. Vejo problema em Páginas da Vida e Viver a Vida, pq além do ritmo arrastado demais, as histórias foram fracas. E tb discordo sobre a Vera Fisher. Achei a interpretação dela como Helena excelente, aliás, aquela foi uma das melhores Helenas pra mim. Depois daquela novela a Vera nunca mais foi a mesma e passou a atuar cada vez pior.

Regina é maravilhosa mesmo e fez 3 Helenas ótimas. Eu tô gostando mt da Bruna na segunda fase. Ela e Alice Wegmann tão roubando as cenas. Abçssss

Sérgio Santos disse...

Athyne, concordo plenamente com vc. A primeira fase eu achei mt fraca e a segunda melhorou bastante. Mas o terceiro capítulo foi mt chatinho. Hj tb foi cansativo. Mas amanhã será a cena do crime, então deverá ser um grande capítulo.

Tb tenho achado a novela legalzinha até agora, mas nada que me prenda como AAV. Só na terceira fase é que teremos a prova dos nove. bjssss

Sérgio Santos disse...

"Amorzão", anônimo? Ok.

Kelvin! disse...

Olá, Sérgio! Tudo bem?
Até que eu estou gostando dessa "Em Família" viu? Adorei o logotipo, a abertura, a música, a fotografia. E a história até que é boa, só estou achando chato esse foco exagerado no casal principal, O Laerte e a Helena (Intragáveis, diga-se). O texto da novela é excelente, muito rico e denso, a Helena da vez até que é uma personagem interessante, mas esse Laerte é chato demais. E outra coisa: Novelas de Manoel Carlos a gente precisa ter paciência porque ele gosta de contar suas histórias nos mínimos detalhes, mas eu confesso que esse ritmo lento tem me incomodado um pouco, acho que "Amor a Vida" e "Avenida Brasil" nos deixou muito mal acostumados. Vou esperar pra ver se a próxima fase será melhor que essa, só acho uma pena desperdiçarem uma jovem tão talentosa como a Alice Wegmann, gostaria que ela fizesse algum papel na terceira fase da novela, mas enfim... Bruna Marquezine também está indo muito bem mas o Guilherme Leicam está muito canastrão. Abraços!

Sérgio Santos disse...

A novela por enquanto só tem um núcleo, Kelvin. Não deixa de ser um risco, já que acaba ficando cansativa mesmo. Av Br e AAV acostumaram mal o público mesmo, mas se o Maneco mantiver o ritmo de todas suas tramas até Mulheres Apaixonadas será ótimo. Mas se fizer como Páginas da Vida e Viver a Vida será trágico. Tb lamento a não-permanência de Alice no elenco. abçsss

Barbie Californiana disse...

Eu só não queria entrar em conflito a toa... mas a novela tem 4 fases que aparece a Helena Bebê (batizado - fase 1), criança (pacto de sangue e afogamento - fase 2), adolescente (formatura e quase casamento - fase 3) e adulta (passando agora - fase 4). Creio que os anos 80 foi a 2º fase onde Helena já criança faz aquele pacto de sangue com Laerte, acho que a fase do batizado (1º), onde Helena é bebê, ainda no colo, começou antes dos anos 80... até mesmo porquê a Júlia Lemmertz está na casa dos 50 anos, sei que na novela ela faz papel de uma mulher na casa dos 40 como foi citada pela companheira de Laerte ontem... enfim, para ter começado em 80, onde ela era um bebê, ela deveria estar na casa dos 30. ;) beijinhos

Sérgio Santos disse...

Barbie, é verdade. Mas no caso do batizado, nem é fase pq foi uma lembrança da Chica. Um flashback da estreia. Bjssssss

Anônimo disse...

Essa novela é mt chata!

Sérgio Santos disse...

O capítulo da morte do Itamar foi ótimo, anônimo. Mas o ritmo é bem arrastado mesmo.