terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Idade dos personagens prejudica "Em Família" e subestima telespectador

A nova e teoricamente última novela de Manoel Carlos ainda está dando seus primeiros passos. A história entrou em sua terceira fase, após a Globo interferir e acelerar os capítulos por causa da baixa audiência, e tem conseguido apresentar uma boa história. Claro que é cedo para saber se a trama se sustentará pelos próximos meses, mas o conjunto parece promissor. No entanto, a história apresenta um grave problema que afeta a verossimilhança da trama: a idade dos personagens principais.


A segunda fase de "Em Família" foi responsável pela apresentação do núcleo principal e pelo desenrolar do conflito que move o triângulo amoroso. Através desse conjunto, o telespectador pôde conhecer as características dos personagens e se familiarizar com os dilemas. Porém, apesar de ter proporcionado as melhores cenas da novela até então, essa fase acabou comprometendo ainda mais a realidade da terceira.

Maneco foi muito feliz na escalação de Júlia Lemmertz para viver sua última Helena, que começou com Lilian Lemmertz, mãe da atriz. Ela está ótima e nem chega a ser surpresa, já que seu talento é conhecido. Entretanto, subestimou o telespectador quando escalou Natália do Vale para interpretar a mãe
da protagonista. Elas parecem irmãs e chega a ser ridículo ouvir Helena chamando Chica de 'mãe'. Claro que o ator não precisa ter a mesma idade do papel, mas precisa sim aparentá-la. O que se dá através de uma boa caracterização, ou então, de uma escalação apropriada.

Na fase anterior, Chica (Juliana Araripe), apesar de ser jovem, tinha bem mais idade que Bruna Marquezine, a Helena adolescente. Agora, o público vê duas mulheres maduras, cuja diferença de idade é praticamente nula. E para agravar a situação, a personalidade da mãe foi completamente alterada. Antes, ela era introspectiva, tímida e recatada; agora está debochada, atirada e altiva. Sem dúvida, a personagem mudou drasticamente por causa da morte do marido (feito por Oscar Magrini), que a controlava, mas não há como negar que mudar a atriz e ao mesmo tempo as características do papel, causa estranhamento. A Chica de 2014 não lembra em nada a Chica de 1990.

Outro ponto que causa incômodo é Juliana. A tia de Helena ----- que aparenta ser muito mais jovem que ela ---- foi interpretada pela ótima Gabriela Carneiro da Cunha e atualmente é vivida pela talentosa Vanessa Gerbelli, que já vem roubando a cena. Só que a primeira atriz é muito mais baixa que a segunda, ou seja, a impressão passada é que a personagem cresceu mesmo depois dos 30 anos. O mesmo caso se aplica ao Felipe, irmão alcoólatra da protagonista. Interpretado por Guilherme Prates na segunda fase --- um garoto alto ---, o rapaz agora é vivido por Thiago Mendonça que é muito mais baixo. Parece que ele encolheu.
Obviamente, não era preciso escalar atores com exatamente a mesma altura, mas também não precisava escolher pessoas tão diferentes.

E para piorar a situação envolvendo esse núcleo familiar, há Clara, vivida por Giovanna Antonelli. A personagem é irmã de Helena e Felipe, só que é a caçula. Ou seja, é mais jovem que o papel de Thiago Mendonça. Um parentesco totalmente inverossímil. Ainda nesse caso, a caracterização mais atrapalhou que ajudou: colocaram uma franja na atriz que soa artificial e parece peruca.

O caso de Ana Beatriz Nogueira e Gabriel Braga Nunes também merece atenção, já que a atriz e o ator tem poucos anos de diferença. Entretanto, nesse caso, principalmente se comparado com os demais, não houve tanto problema. Gabriel não aparenta ter a idade que tem e a produção se preocupou mais na caracterização da mãe. Selma usa um óculos de grau e roupas que a envelhecem. E, ao contrário de Chica, manteve todas as suas características vistas na segunda fase: egoísmo, superproteção com o filho, enfim. Ou seja, ficou mais fácil de assimilar a personagem e a situação que a cerca.

Mas em meio a tantos erros de escalação, é preciso elogiar o acerto na escolha das intérpretes de Shirley. Alice Wegmann e Viviane Pasmanter se parecem fisicamente sem fazer esforço e o amadurecimento da personagem não ficou inverossímil justamente por esse fato. E embora há algumas críticas em relação a Humberto Martins ser contemporâneo de Gabriel Braga Nunes na história, não há erro nesse caso, já que logo no começo da trama ficou claro que Virgílio era mais velho que Laerte.

Não é a primeira vez que atores com idades próximas interpretaram mãe/pai/tia e filho/sobrinho. Há vários outros casos na teledramaturgia. Entretanto os mais recentes foram verossímeis. Houve, por exemplo, o parentesco em "Alma Gêmea": Ofélia (Nicette Bruno) era mãe de Divina (Neusa Maria Faro) ------- mas nessa trama de Walcyr Carrasco se preocuparam com o envelhecimento de Nicette, que ficou com os cabelos brancos e até bengala usava. Ou seja, deu para aceitar. Ainda falando do mesmo autor, há Bernarda (Nathalia Timberg) e Pilar (Susana Vieira) em "Amor à Vida" ------- além de Susana não aparentar a idade que tem, envelheceram Nathalia colocando uma peruca branca na grande atriz. E no remake de "O Astro", colocaram Rosamaria Murtinho para interpretar Magda, a tia de Clô Hayalla, interpretada por Regina Duarte. A princípio a situação soaria forçada, mas Regina aparenta ter menos idade que Rosamaria, o que deixou a trama digerível.

"Em Família" não será afetada drasticamente por causa da questão das idades, caso a história seja boa e bem desenvolvida. Também vale ressaltar que, deixando a faixa etária de lado, os atores são ótimos e o erro da escalação não foi pela falta de talento dos intérpretes. Entretanto, não tem como ignorar todos os erros na escolha de alguns atores para interpretar certos personagens. O estranhamento do público foi perfeitamente compreensível. Tanto que a própria produção da novela, segundo várias notícias divulgadas na imprensa, está tentando amenizar esses absurdos com o tempo. Mas agora é um pouco tarde para correr atrás. O telespectador se sentiu subestimado, a verossimilhança da história foi prejudicada e as críticas que surgiram foram merecidas.

89 comentários:

Anônimo disse...

Natália do Vale como mãe da Júlia Lemmertz foi ridícula, sendo que Natália é só 10 anos mais velha que Júlia.

Ps: Acho Natália ótima atriz, mas não pra fazer esse papel.

Anônimo disse...

ridículo*

Raquel disse...

Oi, Sérgio!

Acho que o problema de escalação provavelmente é culpa do Maneco. O autor se empolgou com o fato de essa ser a sua última novela e começou a convidar atores à torta e à direita. Acabou sobrando pra direção se virar pra escalar pras 1a e 2a fases (que ao meu ver fazem bem mais sentido na história do que essa salada-mista da 3a fase). Daí todo mundo ficou pensando que ninguém ia notar essas discrepâncias em face dessa ser a "última Helena". Deram mole pro azar e pra propaganda negativa.

Maneco fez o que bem queria na escalação da novela. Agora resta saber se a história vai compensar o "clube do Maneco" que virou Em Família.

✿ chica disse...

A novela está apenas engatinhando.Esse problema realmente existe, mas os desempenhos estão legais e assim os esquecemos! abraços,chica

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Concordo com sua análise, Sérgio. E acrescento que, até agora, Em Família não me empolgou. A única trama parece girar em torno da relação Laerte-Helena-Virgílio, ou, então, do envolvimento de Luisa com Laerte. O amor obsessivo de Juliana pela pequena Bia lembra o de Amarilys pelo Fabrício, em Amor à Vida.

Thallys Bruno Almeida disse...

Bem, Sérgio, isso já chegou a me incomodar mais. Mas sinceramente? Hoje não me vejo levando isso tudo tão a ferro e fogo. Assim como o Video Show novo, só me incomodou no início, hoje já me acostumei mais às gracinhas do Zeca. Não acho que seja uma desgraça tão grande a ponto de subestimar ou comprometer seriamente a novela. A única estranheza mesmo foi Vanessa Gerbelli ter sido colocada como tia da Helena.

E não é a primeira vez que isso acontece, já que no passado tivemos o Benício como pai da Mariana Ximenes em A Favorita (só que nesse é outro exemplo que ainda passava porque a Mariana aparenta ser mais nova), ou o caso tão falado do Sérgio Mamberti em Flor do Caribe na versão jovem (Duda Mamberti), já que o Duda só tem 27 anos a menos que o pai e da 2ª Guerra pra cá tem uns 70 anos. A teoria da Raquel faz sentido: Maneco, na ânsia de convidar o elenco dos sonhos, teria esquecido de posicionar direito os personagens.

Ainda assim, não acho que isso comprometa tanto a trama, que pra mim tá ótima, do jeito que o Maneco sabe fazer, e dessa vez com a direção do Monjardim fluindo melhor. Praticamente tá todo mundo ótimo (Júlia, Natália, Herson, Giovanna, Tainá Muller, Reynaldo, Leo Medeiros, Braga Nunes, Bruna), mas destaco em especial a Gerbelli. Ela tem feito as melhores cenas da trama e talvez só a Viviane Pasmanter com sua Shirley faça frente a ela, já que ela tem sido mto aguardada depois do sucesso da Alice Wegmann. Só que agora sem ter aquele peso que, p. ex., a Débora Falabella carregou quando a Mel Maia saiu de AVBR. Sobre as cenas do concerto, mesmo não sendo o maior apreciador de música clássica, acho corajoso por parte dele inserir as cenas e gostei. Mas enfim, se vc acha um problema de dimensão maior, ok.

Bell disse...

Minha opinião é: Júlia Lemmertz é velha para o papel.
O irmão dela na trama tb está muito novo, no inicio da novela ele já era um adolescente que fazia a faculdade de medicina.
A personagem da Giovanna Antoneli, era mais nova que ele.
E agora se vc comparar ela se apresenta mais velha.
Existem diferenças de idade visíveis se vc der uma olhada geral na familiar toda.

Anônimo disse...

Um festival de absurdos em uma novela que só tem dramalhão! Não tem um núcleo de humor nessa novela. E pobres? Também não tem. Natália ser mãe da Júlia é ridículo! O telespectador foi feito de burro!

Anônimo disse...

Só mais uma coisinha, você foi muito bonzinho no caso da Ana Beatriz e do Gabriel. Você realmente achou que o óculos a envelheceu? Eles tem 5 anos de diferença. É tão ridículo quanto os outros.

Lulu on the Sky disse...

Maneco convidou a maioria do seu elenco que já participou de outras tramas dele. Até listei os atores qdo postei sobre a estreia da novela. É um absurdo deixar a Vanessa Gerbelli como tia da Julia Lemmertz.
Big Beijos
Lulu on the sky | Vote no nosso blog para o premio Top Blog 2013/2014 | Acerte Bolão do Oscar

Alef disse...

Perfeito o seu texto! E ainda acrescento a Giovanna Antonelli falando que nem uma pateta! É pra que? Pra parecer que é uma adolescente imatura? E a Bruna Marquezine precisava manter exatamente o mesmo visual como Luzia? Não parece filha parece um clone! Tudo muito malfeito!

Felisberto Junior disse...

Olá, Sérgio
você tem toda a razão,o telespectador sentiu se subestimado, ao "ver" a idade dos personagens principais. Natural que Maneco escale e convoque sempre os seus preferidos.Mas,se a história for bem desenvolvida e boa, creio que não irá prejudicar ou comprometer seriamente a novela.
Obrigado,bela semana,abraços!

Flávia disse...

Sérgio, discordo da novela parecer promissora! Não vejo nada de promissor! Mas o texto tá perfeito e eu concordo! Essa questão das idades ficou ridícula! Falando em coisa ridícula, cadê aquela Fênix bizarra? Tô sentindo falta de rir daquilo! kkkkkk Beijo!

Patricia Galis disse...

Ainda não estou gostando da Julia, mas apesar de todos esses desajustes eu acho que a novela vai melhorar, apesar dos erros de idade os atores são ótimos.
Isso era a direção que deveria ter visto e revisto né ficou estranho mas....

Melina disse...

Sérgio, querido, concordo com seu texto! Que bom que você fez uma postagem abordando essa questão. Ficou absurda a trama da novela por causa desses erros de escalação. E eu nem excluo o caso da Ana Beatriz Nogueira e Gabriel Braga Nunes, porque também acho forçado apesar de ser menos estapafúrdio que o caso da Natália e da Júlia.

A Regina Duarte poderia ter sido a mãe da Júlia e seria interessante vê-la numa novela do Maneco sem fazer uma Helena e sim a mãe de uma. E eu não gosto da Natália do Vale. Pra mim é sempre a Natália do Vale. Não vejo diferença nas suas interpretações. E por que o Gabriel Braga Nunes fala sussurrando? Me incomoda demais!

Endosso o comentário da leitora Elvira Nascimento. A novela também não me empolgou e a personagem da Vanessa é igual a Amarilys. Não vejo nada de diferente. E essa filha da Helena é tão irritante quanto a mãe. Ai, Sérgio, essa novela precisa melhorar muito ainda. Que saudades de Amor à Vida! Um beijo!

Karina disse...

Cheguei a achar que ia adorar essa novela porque gosto do Maneco mas Em Família é muito arrastada. Dá um sonoooooooooo... E seu texto sobre a questão das idades está ótimo e bem fundamentado.

Rita Sperchi disse...

Ah Serginho esse texto vc disse tudo

Como pode né ter tantas diferenças na
idade, mas tudo bem os atores são bons...e a Helena tá bravinha demais, elas sempre são as HELENAS doces..acho que ela ainda ama o Laerte e fica assim furiosa.

A tal da cicatriz já era pra ter saido, uma cirurgia plastica ia muito BEMMMM

Humberto Martins parece um songa monga paradão...quando jovem era melhor

Então vamos assistindo e vendo que vem por ai

Abraços de sempre

└──●► *Rita!!

Milene Lima disse...

Pois é, essas coisas são chatas e eu não me obrigo a acompanhar porque é novela das "oito". Não é o público que tem de ser condescendente e compreender os equívocos, é quem faz a novela que deve ter mais consideração e buscar oferecer o melhor.
Mas, talvez, eu apenas não esteja empolgada ainda... Talvez.

Beijo, Sérgio.

Adriana Helena disse...

Oi Sérgio, tudo bem amigo
?
Ah, essa novela literalmente está dando um nó de parentesco na minha cabeça!
Personagens com idades muito próximas fazendo mãe e filha, como no caso da Júlia e Natália do Valle, ficaram muito esquisitas! Inclusive, a Natália tem um ar até mais juvenil do que a Júlia Lemmertz, o que acabou piorando mais ainda!

Tomara que a novela engrene amigo, pois cada dia sinto mais saudade das tiradas espetaculares do Félix....kkkkkkkk "Pelas contas do rosário"... "Eu salguei a Santa Ceia, só pode!" ah... que saudades....kkkkk

Beijão e obrigada por sua análise! Era do jeitinho que eu estava pensando!
Linda semana! :)))))

Letícia disse...

Boa tarde meu caro Sérgio,

Eu reconheço que ainda não assisti a nenhum capítulo de Em família, porém, antes mesmo da novela começar eu já tinha reparado nestes pequenos detalhes... Primeiro, dá a entender que Helena é uma mulher de quarenta anos, ou bem próxima a isso, porém a Julia Lemmertz aparente bem mais... Mesmo estando conservada para a idade dela, sei que há a questão da licença poética, porém tem que haver bom senso... Sei que a atriz não tem culpa e que provavelmente esteja fazendo um excelente trabalho... Vanessa Gerbelli, esta sim uma mulher de 40, ser tia da Helena, realmente ficou um tanto fake, basta olhar para o rosto das duas e digam quem parece ser a tia...
No caso do Humberto Martins e Gabriel Braga Nunes, tudo bem que o personagem do primeiro seja mais velho, mas, mesmo assim é visível que agora a diferença é gritante... Humberto, provavelmente já está na casa do cinquenta, enquanto o Gabriel, apesar de já ter passado dos 40, nem aparenta ter isso, parece ser muito mais jovem... Talvez na tal segunda face, pelo que vi dos atores jovem não era notado, mas agora... Até a Júlia Lemmertz aparente bem mais idade que o Gabriel... Sei que há a tal questão da licença poética, porém como disse há um limite... Talvez se tivesse envelhecido a personagem da Natália do Vale, sei que hoje em dia as mulheres usam vários recursos para se manterem jovens, porém, mesmo como eles o envelhecimento e inevitável, é a lei da vida... Acho que foi uma bela mancada da produção da novela e resolver isso agora, já com ela no ar, não sei se adianta muito não...
A questão da altura, realmente eles poderiam ter escolhido atores com tamanhos levemente semelhantes... No caso do ator que fez o irmão da Helena na segunda fase ser bem mais alto que o que faz agora, realmente foi uma falha grotesca, bastava colocar um saltinho no sapato do atual, ou mesmo escalar alguém mais compatível na altura... Mas pelo que vi, os atores são totalmente diferentes, um não lembra em nada o anterior... E olha que nem precisei ver a novela para reparar nestes detalhes...
É estranho que a Globo, que sempre esmerou, por um trabalho bem acabado tenha cometido erros tão grotescos e que poderia ter sido sanados antes mesmo das gravações... Estranho mesmo...

Bjs Sérgio e uma ótima semana

Sissym Mascarenhas disse...



Embora, Sergio, esteja gostando da novela, tanto enredo quanto personagens, francamente, não precisavam exagerar nas escolhas, visto que temos muitos atores e atrizes capazes de compor muito bem os personagens sem fazer estas diferenças.

Contudo, o que parece ser estranho é o fato de conhecermos todos atores. Se o que importa é o "representar", não deveríamos nos importar com este detalhe.

Bjs

Fabrício disse...

Novela é ficção mas os autores não podem abusar! Jogar os atores nessa sinuca de bico foi um grave erro e o elenco nem tem culpa. Mas não dá pra se fazer de cego e ignorar esses erros crassos! Texto ótimo, Sérgio! Detalhou muito bem todos os pontos que mereciam ser criticados. Assim como alguns outros comentaristas, não tirou a Ana Beatriz e o Gabriel disso. Também foi escalação errada. Abraço!

Michele Nunes disse...

Sergio, essa questão das idades logo no começo da novela so serviu pra estragar uma boa obra como promete ser Em Familia, mas sáo problemas pontuais e ate faceis de serem resvolvidos se alguem tivesse vontade.
A questao do grande elenco que o Manoel queria montar com seus queridinhos, era so criar personagens de acordo com a idade dos atores. Fazer as passagens de tempo para que a Helena tenha tipo uns 45 que eh o minimo que se pode se dar pra Julia, apesar de ela estar conservadissima, e a personagem da Natalia do Valle ser a tia e não a mãe dela, só dois exemplos.
O caso da tia Juliana poderia ser resolvida colocando a Vanessa pra fazer a personagem em todas as fases da personagem, ela é jovem o suficiente pra fazer as 3 fases, com 20, um pouco mais de 20 e por ultimo com 40!
E o caso do Felipe era mais facil: se era apenas uma participação, poderiam ter escolhido um garoto mais baixo pra fazer o personagem na 2 fase, nao seria dificil de encontrar!!

Anônimo disse...

Nossa, perfeita a sua colocação! Você escreve bem! A questão afetou a verossimilhança da história e ainda abusou da inteligência do público! Quer escalar escale mas faça direito e não esculhambe porque é sua última novela!!!! Faltou citar a filha da Shirley já estar com quase 3 anos depois de uma passagem de tempo de meses. E as músicas tocadas nos aos 90? Era música da década de 80 e os carros também!

Barbie Californiana disse...

Embora o autor não leve isso em consideração por ser apenas uma história, os público percebe e não aprova, Sérgio e como a opinião pública conta, eles deveriam ser mais criteriosos na escolha... beijinhos

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Melina, obrigada pelo reforço.
Gostaria de acrescentar que não gosto da caracterização da Giovanna Antonelli, com aquela franja, que lhe dá um ar de jovenzinha deslumbrada. Já o Cadu só sabe falar de gastronomia, o que torna o personagem monocórdico. Do trio, a melhor é Tainá Muller, no papel da sofisticada Marina.

OX disse...

Seu texto está impecável, Sérgio! O melhor que eu li sobre essa questão das idades da novela. Mas gostaria de fazer uma colocação sobre a Giovanna Antoneli. Sei que você gosta dela, mas concorda que ela tá parecendo uma deficiente mental? Eu acho que o Cadu se casou com a irmã da Linda de Amor à Vida.

Leandro disse...

É, infelizmente o MC pecou nas escolhas de alguns atores e atrizes, e contra isso não tenho argumento. Mas tenho a impressão de alguns estão de má voltade com a novela desde o começo, dizem que ela é "arrastada", eu acho que é um estilo diferente. Acredito que a história seja boa e ainda vai nos surpreender. Abraços!!!

Flávia disse...

Sérgio teu comentário no Twitter sobre a diferença de idades dos atores da novela foi publicado hoje no Jornal Extra! Você leu? Tá famoso!!!! kkkkk Beijo.

Maíra disse...

Antes mesmo da novela estrear eu já achava essa escalação um absurdo. Claro que ninguém questiona o talento deles, mas a atores tão talentos quanto os que foram escalados e com aparência mais convincente para viver ma~e desse, irmão daquele e etc e tal... A Globo tem um vasto elenco, gente é o que não faltaria. Mas parece que o autor e o diretor queriam trabalhar com esse e aquele e os escalaram para personagens bons sem se importar com a verossimilhança. E não gosto das declarações do autor em não se importar com isso, foi grosso da parte dele. Um minimo de coerência não faz mal a novela e da mais credibilidade.

Agora temos que engolir boca abaixo isso, não da pra voltar atras. Mas que é estranho é, que foi um erro foi. E não adianta a direção fechar os olhos pra isso, que o talento compensa e bla bla bla que não tornara crível.

Um caso semelhante que me incomodou bastante foi em "Salve Jorge", Giovanna Antonelli tendo uma filha Mariana Rios.

Mas tenho que realçar a perfeita escolha das interpretes de Shirley, desde o começo quando vi uma foto das duas fiquei impressionada com a semelhança e como seria incrível o fato de elas viverem a mesma pessoa, realmente Alice parasse Viviane Pasmantter mais jovem, rs.

Anônimo disse...

ACHO ENGRAÇADO QUE MUITOS DOS QUE APEDREJAVAM AMOR À VIDA AGORA FINGEM QUE NÃO SE IMPORTAM COM OS ERROS GROTESCOS DESSA NOVELETA! É MUITA CARA DE PAU!!!!!!!!!

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Fiquei lendo suas considerações e rindo aqui, pois até parece que você ouviu a minha conversa com a Marilene, lá na Bahia, a respeito do disparate entre as idades dos personagens e da estranha mudança de personalidade e jeito de agir da personagem Chica, antes tão simplória e agora tão desenvolta.
Realmente, foi um tremendo equívoco os itens que você focalizou e espero que com o desenrolar da trama tal equívoco seja superado. Na verdade, ainda não estou envolvida pela novela, mas estou assistindo.

Nota mil para as suas coerentes observações.

Abraço.

MARILENE disse...

Procedentes considerações, Sergio. Ficou estranha a terceira fase, com a escolha de alguns atores, embora ótimos. A questão da altura, que mencionou, é gritante (rss). O irmão de Helena era um adolescente bem alto e quando o vi nessa fase não aceitei bem o ator. Mas o importante será o desenvolvimento da trama. Espero não ficar decepcionada com a última novela do autor. Bjs.

Rafael Barbosa disse...

Bem, sobre essa questão das idades, sinceramente não vejo isso como "subestimar" o telespectador, primeiro porque é ficção, segundo que há outros fatores mais relevantes que tornam a relação entre personagens crível. Concordo com o que Julia disse sobre esse preciosismo. Quantas vezes já não ouvi pessoas comentando sobre uma mãe e uma filha e dizendo que parecem irmãs, e idade nem sempre condiz com aparência, digo pelo meu pai, por exemplo, que tem 43, mas por praticar esportes, é super conservado e todos acham que tem 30 e poucos, já disseram até que minha mãe, 5 anos mais nova, é mais velha que ele, além de outros casos que a gente sempre se depara. Ainda acho que poderiam ter envelhecido um pouco a Natália, mas pra evitar esse estardalhaço todo, que atrapalha a repercussão da novela. O que assustou foi a diferença de dez anos entre as atrizes, me preocupou inclusive, fiquei com medo de ficar estranho no vídeo, mas na primeira cena de Julia e Natália juntas, já vi ali uma mãe e uma filha, o texto e interpretação de ambas permitiu isso, e são esses os elementos que desencadeia "a suspensão da descrença", não vi nada de ridículo, ainda bem. Atrizes que interpretam personagens, cuja idade e aparência se encaixem, podem não conseguir passar nenhuma verdade na relação delas e acabar ficando forçado se não houver um bom texto, não houver entrosamento e se o desempenho for fraco, é relativo. Vejo as pessoas muito presas a idade real das atrizes. Julia me parece perfeitamente como uma mulher de 40, inclusive soube com essas notinhas de antes da estreia, que ela tinha 50 e fiquei espantado, porque ela parece bem mais nova, dava uns 44 pra ela no máximo. A Natália não parece ter 60, parece mais nova, mais quantas mulheres hoje em dia não parecem mais novas, quantas não se cuidam, não fazem plasticas, N tratamentos de beleza e etc, . O caso mais gritante e o único que me incomodou de fato foi a Gerbelli de tia mais velha de Julia, mas também já me acostumei. Enfim, acho super natural o estranhamento inicial e mas não ao ponto dessa importância exagerada que tao dando. Sobre a altura dos atores, então, nem comento porque já acho preciosismo demais, se for puxar todas as as novelas que tiveram primeiras fases com elenco diferente, haverá vários casos assim, não consigo de jeito nenhum me apegar a isso, nunca nem parei pra pensar nisso.
Agora discordo totalmente quanto essa "suposta" mudança drástica na personalidade de Chica, nem vejo ela tão tímida e recatada na segunda, e nem tão altiva e debochada na terceira. Na segunda fase, estava presa a um casamento infeliz, mas respeitava ele, no entanto não negou que ficou mexida com Ricardo, haja vista os comentários humorados que fez com a irmã após te-lo conhecido "acho que estou perdidamente apaixonada por esse piloto, largaria marido, filho e tudo... ai que calor", saiu caçando ele no aeroporto depois, sem falar nos papos com as irmãs, sempre foi uma leoa quanto aos filhos, sempre se mostrou do tipo que não leva desaforo, brigou com irmã, com o marido qdo ele reclamou de estrias, bateu de frente na crise da familia e chegou a dizer que Helena é parecida com ela quando jovem que chegou a amar dois ao mesmo tempo, coisas que não a classificam como tímida e recatada. Na terceira fase, ela conserva essas características, apos 20 anos sem se envolver com alguém, esta se permitindo um novo romance, mas no seu ritmo, tanto que já achou ter ido rápido demais apos o primeiro beijo e se auto intitulou "semi-virgem" por estar "fora" de forma quanto a relacionamentos. Ela guarda uma meiguice e um jeito acolhedor que foi mostrado na da segundo e permanece agora. Enfim as mudanças que ocorreram foram as naturais de uma mulher que fica viuvá, muda de cidade, de ambiente e recomeça uma nova vida, mas a essência é a mesma. Acho construção de personagem, uma das melhores características de Maneco. Abçs

Rafael Barbosa disse...

ao anonimo acima, falando por mim, critiquei bastante Amor à Vida, mas muito pouco ou quase nada quanto a furos e eventuais erros de direção, continuidade e etc, e sim muito quanto a texto, detalhes da historia, rumo dos personagem, situações e etc.

lucas disse...

É que tem gente que curte mediocridade, vulgaridade e superficialidade e quando se depara com um produto de certa qualidade e que ão tenha pretensão de ser uma inivação ou de "entrar para a história da teledramatirgia" não consegue reconhecer e se prende a detalhes tolos...

Anônimo disse...

A Patrícia Kogut disse que até o elenco está insatisfeito com essa questão das idades! Ficou ridículo!

Daniellyn disse...

Como bem disse Maíra, agora não da pra voltar atrás, nos resta engolir. Mas espero que essa repercussão negativa sirva de lição para as escalações na Globo, que ultimamente tem sido uma bagunça. É gente emendando uma novela na outra, é repetição exacerbada de casais e essas idades que não batem. Giovanna Antonelli mãe da Mariana Rios, José Mayer avô da Laura Neiva, Flávia Alessandra mãe da Juliana Paiva, Murilo Benicio pai da Mariana Ximenes, Antônio Fagundes avô da Luiza Valdetaro, Cauã Reymond filho da Adriana Esteves (aqui o erro é dele, já que Jorginho tinha no máximo 24 anos, pois a novela teve uma passagem de 12 e ele era uma criança de uns 12, e Cauã não convence mais como novinho) é uma Gabriela de 30 e poucos anos.. enfim esta um oba oba nas escalações que tem incomodado os telespectadores, pelo menos a mim.
Que depois dessa a Globo seja mais cuidadosa nas escalações.

Anônimo disse...

Esse é um grande problema mesmo Sérgio, mas outra coisa que merece ser criticada nessa novela é o casal ClaRina (Clara e Marina) está muito apelativo e está constrangedor, nem se compara com a delicadeza que era Feliko (Felix e Niko) em Amor á Vida

Leonardo disse...

Deveriam reclamar muito também da idade da Helena da 3ª fase, ela tem 40 anos(completou o ensino médio no fim da 2ª fase) e é interpretada por alguém 10 anos mais velha e que aparenta mesmo ter essa idade.

Lucas disse...

"Delicadeza de Felix e Niko"....kkkk Pelo amor de Deus... desapega cara, já era. Nem todo gay é caricato como o Felix e não vi nada de apelativo, não vi nada de "anjinho" meu "doce", "mami poderosa", "papi soberano", isso sim era ridículo....

Sérgio Santos disse...

Anônimo, se a Nathalia aparentasse ter mais idade, não teria problema mesmo tendo essa diferença de 10 anos. Mas não aparenta e nem se preocuparam em caracterizá-la. Aí ficou ridículo msm.

Sérgio Santos disse...

Raquel, a culpa é do Maneco mesmo, mas não por querer contar com seus atores preferidos em sua última novela. Ele poderia ter escalado todos eles, mas não nesse papéis. Ele abusou, até pq não foi um caso, foram vários. Bjão

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentario, Chica. bjssssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Elvira! Não tenho detestado a novela, mas tb não tenho achado incrível. Pelo menos tá dando pra assistir. E sobre a Juliana, ela lembra mesmo a Amarilys. Ela vai sequestrar a menina que nem a outra fez com Fabrício. bjsss

Sérgio Santos disse...

Se vc não vê problema, Thallys, ok. Mas que é uma questão que subestimou o telespectador, é. E o caso que vc citou de A Favorita não entra pq o Mrilo aparenta mais idade e a Mariana mais nova. Tanto que ele ser pai do Cauã em Av Brasil foi verossímil. O Cauã aparenta ser bem mais jovem do que é. Mas o caso de Flor do Caribe foi absurdo mesmo, o que não ameniza isso de Em Família.

Regina e Rosamaria têm idades parecidas, mas uma parece mais velha do que a outra e por isso não afetou a trama em O Astro.

Mas o Maneco abusou e todas as críticas que vieram foram justas. Se o que vale era só a ficção, coloquem o Cauã Reymond sendo avô do Ary Fontoura e pronto.

Porém, se a trama for boa e bem desenvolvida, valerá a pena engolir isso. Tanto que critico agora que a novela tá no começo, depois nem terá mais cabimento falar.

Achei a cena do concerto sonolenta, o que não implica que tenha sido uma porcaria.

Sérgio Santos disse...

Bell, não vejo problema na escalação da Júlia pq toda Helena é mais madura mesmo. O problema foi o seu redor. Isso que vc falou da Clara é fato. A Giovanna Antonelli interpreta uma personagem mais nova que o Thiago Mendonça. Como assim? Não dá. bjs

Sérgio Santos disse...

Anônimo, é melhor que não tenha núcleo de humor porque Maneco não sabe fazer. Suas novelas nunca tiveram comicidade e a única que tentou ter foi uma desgraça. Aquele triângulo encabeçado por Camila Morgado, Marcelo Airoldi e Letícia Spiller em Viver a Vida foi péssimo.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, não me considerei bonzinho, mas eu acho que as roupas e o óculos deixou a Ana mais envelhecida. Dá pra engolir, o problema é que o núcleo principal tem tanto erro nesse quesito que ninguém perdoou nem isso.

Sérgio Santos disse...

Eu sei, Lulu. Mas o problema não foi tê-los na novela, foi escalá-los para esses papéis.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Alef! A Giovanna não tá mt bem, mas ela não pode fazer milagres. Foi escalada para viver uma mulher imatura e irmã caçula da família, ou seja, teoricamente a recém-saída da adolescência. Sobre o visual da Luiza, concordo.

Sérgio Santos disse...

É verdade, Felis. abçssss

Sérgio Santos disse...

Flávia, respeito vc não gostar da novela. Eu não tenho amado, mas tb não tenho achado péssima. Vamos ver como caminha até porque ainda há personagens para entrar, incluindo a Shirley. Acho que a Fênix se aposentou, que bom! bjssss

Sérgio Santos disse...

Jura, Patrícia? Estou achando a Júlia tão bem! Mas respeito sua opinião. bj

Sérgio Santos disse...

Melina, obrigado! Entendo que vc não exclua o caso do Gabriel com a Ana Beatriz. E eu tb acharia ótimo se a Regina Diarte fosse a mãe da Júlia. E seria interessante mesmo vê-la sendo mãe de uma Helena, após ter feito três! Ela queria ter participado da novela, inclusive.

Sobre o Gabriel, eu concordo. Não o acho tão incrível como muitos acham e os sussurros dele me incomodam. Mas tb não o acho péssimo.

A Luiza é tão sonsa quanto a Helena era. Particularmente não gostei porque queria ver Bruna vivendo um tipo diferente do que ela viveu na segunda fase, mas ela tá bem do msm jeito.

Sobre a Juliana, sim, ela tem claras semelhanças com a Amarilys, mas não vejo problema pq a personagem é ótima e Vanessa idem. Mas é curioso, pq se a novela do Walcyr viesse depois de Em Família, certeza que falariam que ele tinha plagiado Maneco. bjssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Karina. bj

Sérgio Santos disse...

Rita, sobre a cirurgia plástica, é verdade, mas nesse caso é licença poética pra deixar a marca da ferida no Virgílio. Não vi problema nessa questão. bjssssss

Sérgio Santos disse...

Milene, esse tipo de reação era previsível porque uma novela quando começa é avaliada de todas as formas e essa questão é uma das principais. Ficou na cara a forçada de barra na família central. Mas paciência. bjs

Sérgio Santos disse...

Adriana, tá uma confusão mesmo! Eu me perco várias vezes, assim como muita gente. E ficou exagerada essa escalação do autor. Difícil de engolir. Eu tb sinto falta do Félix e de vários outros personagens. Isso acontece quando a gente se apega a uma novela. bjão e obrigado pelo carinho.

Sérgio Santos disse...

Olá, minha cara Letícia! Eu acho que o ero não foi na escalação da Júlia, até porque toda Helena (com exceção de Felicidade e Viver a Vida) são maduras. Mas tudo que cerca a personagem é que ficou sem sentido e de difícil compreensão. E a questão da altura ficou explícita e nem precisava. Claro que conseguir dois atores parecidos de altura é mt difícil, mas não precisava ser tão diferente.

Tenho acompanhado a novela e ainda estou em um período de análise, digamos assim. Não acho incrível, mas tb não acho péssima. Por enquanto tá regular pra mim.

E resolver com a novela no ar é impossível. Aliás, qd li essa nota nem entendi. Como solucionariam isso agora? Agora já era, não tem mais jeito. Bjão e bom fim de semana.

Sérgio Santos disse...

Exageraram mesmo, Sissym. E nem precisava pq tem muito ator veterano ótimo e que precisa de oportunidades. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Fabrício, concordo, o elenco não tem culpa mesmo. Tanto que fiz questão de não criticar ninguém, e sim as escolhas. Obrigado pelo elogio. abç

Sérgio Santos disse...

Michele, concordo plenamente com o seu comentário. bj

Sérgio Santos disse...

Anônimo, a questão do filho da Shirley, eu citei no Twitter, mas realmente não falei no texto. Sobre a questão das músicas, não vi problema porque poderiam até não ser dos anos 90,. mas naquela época as do Cazuza eram mesmo ouvidas toda hora. Vi a questão dos carros como equivocada, mas da música não. Até pq não é pq vc tá em 1990 que não pode escutar música de 80.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Barbie. bj

Sérgio Santos disse...

Elvira, concordo com isso tb. Até coloquei no texto que a franja parece peruca. Cadu tá sendo descrito como um tonto pro público nao se dividir. bjs

Sérgio Santos disse...

OX, mt obrigado! Fico lisonjeado. Sim, eu gosto da Giovanna, mas concordo que ela não está tão bem como poderia. Mas tb não acho uma retardada. Porém, ela ganhou uma personagem jovial e imatura, sendo que ela tem bem mais idade que isso. Então ela se atrapalhou. O curioso é que a única interpretação dela que eu não gostei foi em Viver a Vida,do mesmo Maneco. abç

Sérgio Santos disse...

Ok, Leandro. Não acho arrastada, mas tb não acho que o ritmo esteja satisfatório. Não precisa ter pressa, até pq Maneco não é desse tipo, mas se tiver o ritmo de Laços de Família e Mulheres Apaixonadas está ótimo.

Sérgio Santos disse...

Li sim, Flávia. =) bj

Sérgio Santos disse...

Maíra, foi um absurdo mesmo e tinha Glória Menezes, Vera Holtz, Beatriz Segall, Nívea Maria, Arlete Salles, enfim, o que não faltava era atriz talentosa pra viver esses papéis.

Não achei o Maneco grosso porque ele sempre é mt cordial, mas entendo sua concepção.

Sabe que não vi absurdo na Giovanna ser mãe da Mariana? Mariana passa bem por uma menina de 20. Salve Jorge foi repleta de absurdos, mas não enxerguei esse como um deles.

Sim, Shirley está mt bem representada e a semelhança da Alice com a Viviane é impressionante. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Calma, anônimo. Mas, sim há um exagero em algumas pessoas sim. Um personagem dessa novela espirra e falam "Nossa, que texto lindo!" Mas enfim.

Sérgio Santos disse...

Vera, mt obrigado. Será que eu ouvi o papo de vcs? rsrs Sobre a personalidade da Chica, só ajudou no estranhamento do público. Mudou atriz e características da personagem, ou seja, mta mudança junta. Não dá pra condenar quem criticou. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Pois é, Marilene, como se não bastasse tudo, ainda tem a altura. Quer dizer, abusaram mt! rs bjssss

Sérgio Santos disse...

Rafael, respeito que vc não veja problema pq ame a novela, mas não há como negar que essas escalações foram forçadas e causaram estranhamento. E não é pq é ficção que tudo pode. Se for assim coloquem Humberto Martins pra ser pai do Murilo Benício, ou Mariana Ximenes ser mãe da Alinne Moraes, etc. É ficção mas bom senso prevalece. E nem era tão difícil assim envelhecer as atrizes já que as queriam tanto nesses papéis.

Altura é complicado, claro, mas precisava ser tão gritante? O Thiago é um baixinho por natureza, pra que colocar o Guilherme Prates antes?

Eu escrevi no texto que a mudança de personalidade da Chica é explicada pela libertação do marido que morreu, mas convenhamos que mudar atriz e personalidade causaria estranhamento. E causou. Mas isso é o de menos.

Enfim, os responsáveis pelas escalações deveriam imaginar que a avalanche de críticas surgiria. Mas só resta se acostumar mesmo. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Ok, se vc acha detalhes tolos sem problemas.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, eu li essa nota da Kogut. Isso deve afetar o ego deles mesmo.

Sérgio Santos disse...

Daniellyn, de todas as escalações absurdas ditas por vc só concordo com a Juliana Paes pra viver uma menina inocente e "sapeca". Mas de resto não vi absurdos. Porém, concordo que algumas escalações são equivocadas. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Anônimo, apesar da homossexualidade, são casais diferentes e com estilos diferentes. Comparar é besteira, até porque Félix e Niko entraram pra história, gostem ou não. E os atores deram um show.

Eu acho que o autor errou ao aproximar Clara e Marina sem mostrar a relação dela com o marido e o filho. Nem dá pra saber o que há de errado, apesar do Cadu se apresentado como um bobo. Mas vamos ver como se desenvolverá.

Sérgio Santos disse...

Leonardo, não vi problema da escalação da Júlia. E acho que ela pode se passar por uma mulher de 40.

Sérgio Santos disse...

Lucas, as pessoas têm o direito de lembrar e sentir saudades do que quiser. Acalme-se.

Lucas disse...

To calmo cara, mas me enche o saco esse pessoal comparando. Eu leio seu blog a certo tempo e mesmo achando Amor a vida uma droga nunca tinha comentado nada sobre o autor e nem fiquei criticando, ai começou Em família o pessoal começou a descer lenha no Maneco e tals, dai resolvi dar minha opinião também. Mas na real concordo com vc, acho idiotice ficar comparando, são autores diferentes com estilos diferentes, eu como acho que o Maneco escreve pacas e que as novelas dele são as ultimas a terem um certo ar literal tenho preferencia por elas, mas vcs que curtem Walcyr vão ficar defendendo ele. Bobagem mesmo comparar, cada um curte o seu e quem não curte espera até outro autor assumir o horário das 21...

Anônimo disse...

Essa novela tá marcando 30 pontos e foi encurtada em 20 capítulos pela Globo. É o fiasco dos fiascos! HAHAHAHAHAHAH

Sérgio Santos disse...

Cada autor tem um estilo, Lucas. Não dá mesmo pra comparar. Tanto que tem autores que eu não gosto justamente por isso, já que não curto as tramas deles.

Sérgio Santos disse...

Sim, anônimo, eu li que querem encurtar a novela por causa dos baixos índices. Mas no fundo será melhor pro Maneco pq ele já queria uma novela de 150 caps mesmo. Só que não farão isso pq ele quis e sim pq o ibope não correspondeu. Mas acho cedo pra classificá-la como "fiasco dos fiascos".

Fabíola Oliveira disse...

Oi, Sérgio!

Fico com a sensação de que essa novela é apenas mais do mesmo de alguns trabalhos que Manoel Carlos fez e que, em outros tempos, fora muito bem sucedido.

É o rapaz alcoólatra... Ele já trabalhou esse tema em outra trama e Walcyr recentemente tratou, ainda que rapidamente, de igual tema em Amor À Vida.

É a mãe que entra em conflito com a filha por ter interesse no mesmo homem, é a mulher ciumenta e desequilibrada que em uma manifestação de puro ego, queima todas as roupas do ex marido.

A homossexual que tem interesse em outra mulher... Dessa vez uma casada...

Aliás, bem cara-de-pau essa Marina, viu. Dando em cima de uma mulher casada e já com um filho... Tudo bem que se algo acontecer entre elas, foi porque a Clara consentiu. Mas... Eu a acho muito é descarada e o casamento da Clara nem vai tão mal assim para se falar em separação.

A tal da Marina sabe insistir, viu, e sabe se aproveitar do fato de ser uma mulher que leva um estilo de vida interessante para impressionar a outra, que é apenas uma pacata dona de casa sem vida social.

Tudo o que parece ser o centro dessa nova trama já foi visto em outras...

Bem, eu achei essa novela apenas assistível, mas boa não é... Todos os conflitos da Helena parece girar em torno de um amor mal resolvido do passado...

Beijos!

Thallys Bruno Almeida disse...

Sérgio, a partir do seu último comentário, não acho que o encurtamento de Em Família seja apenas porque o índice não correspondeu. Joia Rara também não correspondeu às expectativas de ibope, também é fracasso e nem por isso foi encurtada, continua com seu cronograma normal. Então, ainda acho que o desejo do Maneco de fazer uma coisa mais curta também tinha tido lá sua importância juntamente com os baixos índices, ainda mais que a alegação oficial deles é a copa. Em Máscaras o Lauro César Muniz lamentou o fracasso e, ainda que de forma torta, conseguiu um objetivo que defendia, que eram as novelas mais curtas.

Sérgio Santos disse...

Thallys, os outros casos de fracassos não se aplicam pq as novelas substitutas náo estavam tão adiantadas quanto a do Aguinaldo. Mas já desmentiram a notícia. E provavelmente falarão disso daqui a um tempo e ficará nesse chove não molha. Mas o papo da Globo de ter sido por causa da Copa não cola pq ela já sabia que teria o evento.

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...



Leiam a materia abaixo e vejam q estes erros ja aconteceram em varias outras novelas.
Erros de escalação de 'Em Família' remetem a outras novelas
Amor à Vida (2013/14) - Nathália Timberg (Bernarda) (84 anos), mãe de Susana Vieira (Pilar) (71 anos). Diferença de idade: 13 anos.
Flor do Caribe (2013) - Daniella Escobar (Natália) (44 anos), mãe de Tainá Muller (Ludmila) (31 anos). Diferença: 13 anos.
Sangue Bom (2013) - Fafy Siqueira (Madá) (58 anos), mãe de Giulia Gam (46 anos) (Bárbara Ellen). Diferença: 12 anos.
Salve Jorge (2012/13) - Giovanna Antonelli (Helô) (37 anos), mãe de Mariana Rios (Drika) (28). Diferença: 9 anos.
Passione (2010/11) - Cleyde Yáconis (Brígida) (88 anos), mãe de Mauro Mendonça (Eugênio) (81 anos). Diferença: 7 anos.
Avenida Brasil (2012) - Adriana Esteves (Carminha) (44 anos), mãe de Cauã Reymond (Jorginho) (33 anos). Diferença: 11 anos.
A Favorita (2008/09) - Murilo Benício (Dodi) (42 anos), pai de Mariana Ximenes (Lara) (32 anos). Diferença: 10 anos.