quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Na pele da divertida Darlene, Marília Pêra mostra as várias facetas de seu talento em "Pé na Cova"

Ela é uma das maiores atrizes brasileiras e tem um currículo grandioso. Além de atuar, também canta e ainda é diretora teatral. Após ter participado de inúmeras novelas e de ter vivido várias mulheres elegantes na televisão, Marília Pêra passou a se destacar na pele da ignorante Darlene, em "Pé na Cova", uma personagem totalmente diferente de seus últimos tipos e que acabou virando um dos destaques da série de Miguel Falabella.


Darlene é ex-mulher de Ruço (Miguel Falabella) e maquiadora dos defuntos da Funerária Unidos do Irajá (F.U.I). É chegada em um gim com muito gelo e vive falando impropérios, assim como absolutamente todos os personagens dessa série que abusa dos tipos bizarros e das caricaturas. A personagem sempre teve um bom destaque, porém, na segunda temporada, acabou virando a figura central e a responsável pelas melhores frases.

E esse crescimento, ainda que sutil ----- uma vez que todos os atores do elenco são valorizados ----, serviu para explorar uma faceta de Marília que há tempos não era mostrada. Afinal, após ter vivido a  perua Gioconda em "Duas Caras" (2007), a chique Catarina Faissol em "A Vida Alheia" (2010) e a elegante
Maruska em "Aquele Beijo" (2011), mergulhar no universo da suburbana Darlene era um grande desafio. Mas foi um desafio facilmente superado por essa excelente atriz, que tem divertido o telespectador em todos os episódios de "Pé na Cova".

A personagem é ignorante, fala 'pobrema', vive carregando sua garrafa de gim e ainda se veste de um jeito espalhafatoso, o que nesse caso é uma característica normal na vizinhança mostrada na série. Um conjunto de características inimaginável para uma atriz que já viveu tantas peruas ricas. No entanto, Miguel Falabella ousou e acertou ao escalá-la para viver um tipo tão diferente e escrachado. Aliás, a própria Marília chegou a dizer que uma das motivações para aceitar o papel era o fato de ser algo desafiador e novo em sua carreira.

Sem dúvida uma das partes mais engraçadas da trama é justamente a hora em que Ruço e Darlene começam a discutir e tentam lembrar de nomes e significados a respeito de um determinado assunto. As explicações são sempre estapafúrdias ---- refletindo o texto irônico e afiado --- e os atores fazem uma ótima parceria. Porém, mesmo Darlene tendo se transformado em uma das melhores personagens da trama, é preciso lembrar da impagável Luz Divina (Eliana Rocha), que continua sendo a figura mais adorável e carismática da história.

E apesar de não apresentar cenas muito densas em sua atual produção, Miguel Falabella começou a desenvolver uma história em cima do relacionamento entre Ruço e Abigail  (Lorena Comparatto). A periguete, muito mais jovem do que ele, o traiu com Clécio (Magno Bandarz), novo mecânico da borracharia de Tamanco (Mart`nália). E essa situação já foi o bastante para mostrar a grandiosidade de Marília. O momento em que sua personagem ouve a transa dos dois foi brilhantemente interpretado pela atriz, que nem precisou falar. Sua consternação estava explícita, assim como o olhar de decepção. Foi a primeira vez que Darlene perdeu o jeito despojado e ganhou ares dramáticos. Bom para a atriz.

"Pé na Cova" manteve o deboche, as piadas ácidas e a clássica melancolia que costuma estar presente em todos os encerramentos na sua segunda temporada, embora já comece a apresentar alguns sinais de desgaste e cenas que não têm mais a mesma graça de antes. Entretanto, deixando os pontos negativos da atual temporada de lado, a continuação da série serviu para destacar ainda mais o talento de Marília Pêra, que já tem a Darlene como mais um de seus grandes trabalhos na carreira.

30 comentários:

Leandro disse...

Gosto da Marilia Pera e acho ela fabulosa. Os autores devem valorizar mais as atrizes mais experientes, Regina Duarte é um exemplo de uma grande atris que está longe da TV muito tempo. Não sei se é por escolha dela ou não, mas se não for o caso é uma grande injustiça. É triste ver uma atriz que fez tanto sucesso e teve uma relação com o publico tão forte, que chegou a ser chamada de namoradinha do Brasil, e agora tão desvalorizada.
Já li que acham que o tempo dela passou, que não tem mais espaço para o tipo de personagem com os quais ela fez sucesso, que as mocinhas de hoje tem perfil diferente, bem a Regina é uma atriz ótima e acredito que tem capacidade de fazer sucesso em qualquer papel bem escrito que for dado à ela. Só nos resta que essa ausência não se estenda por muito mais tempo!!!

Barbie Californiana disse...

Realmente ela está muito bem no papel, Sérgio. beijinhos

F Silva disse...

Olá Sérgio... permita-me falar um pouco mais dessa diva.
Marília Pêra é magistral em tudo que faz. É, de fato, a maior atriz brasileira. Pois é a única que possui uma versatilidade ímpar que as outras não possuem. Além de ser fera na interpretação, Marília dança e canta muito bem. Por isso, só ela pôde interpretar determinados personagens como: A estrela Dalva de Oliveira, Carmem Miranda, Maria Callas, Coco Chanel, Florence Jenkins, entre outras.

Em "Brega & Chique"(1987), ela viveu a dondoca Rafaela Alvarai, no humor sagaz do saudoso Cassiano Gábus Mendes. Aquilo sim era o verdadeiro humor das sete.
Em "O Primo Basílio"(1988), fomos presenteados com um show de interpretação com a amargurada Juliana da obra de Eça de Queiroz. Aliás, essa é uma das melhores atuações de uma atriz na teledramaturgia brasileira.
Em "Os Maias", Marília Pêra surge como Maria Monforte. Embora o retorno da personagem não exista no livro do Eça, a adaptação foi bastante feliz, já que uma das cenas mais impactantes é justamente quando a mãe descobre que seus filhos são amantes. Mais um show interpretação de Marília Pêra e Walmor Chagas, numa sequência antológica, acredito que muito dificilmente uma atriz brasileira faria aquela cena com aquela interpretação.

Palmas pra Marília...

Diogo S. disse...

Eu não curti a 1a temporada de Pé na Cova, mas essa tenho achado bem bacana mesmo!! Talvez porque, comparado com aquele lenga-lenga de Tapas e Beijos, Pé na Cova se sobressaí no quesito rir sobre si mesmo e crítica social. Abração Sérgio!

Pedro Bertoldi disse...

Oi Sérgio!!!
Pé na Cova é o melhor programa de humor da Globo! Eu adoro a Marília Pera e quando ela está ao lado do Miguel, seja contracenando ou apenas dizendo algum texto dele, o que já é bom fica melhor ainda! A Vida Alheia já era ótima, a Maruscha era a melhor personagem de Aquele Beijo, mesmo se perdendo no final... E em Pé na Cova não poderia ser diferente a Darlene é maravilhosamente bem escrita e interpretada. Eu gosto de todos os personagens do seriado, mas tenho um carinho especial pela Darlene, pelo Ruço, pela Luz Divina(grata surpresa, só valorizada por Miguel), pela Bá( que diverte com seu catatonismo) e pelo Tamanco.
Espero que Pé na Cova continue viva por muito tempo e que não conheça o Cemitério da Globo tão cedo!!!
Abraços querido!!!!

Patricia Galis disse...

Vi alguns episódios e confesso que ri muito, o elenco é muito bom....agora a Marília é sensacional!!!

Anônimo disse...

Só conheço os trabalhos dela como a impagável Rafaela Alvaray de brega e chique e a governanta má do primo basilio. Os outros papeis que você citou eu nem sabia e nunca assisti essa pe de cova. Admiro a atriz.

Melina disse...

Apesar de ser uma pessoa arrogante, Marília Pêra é mesmo uma grande atriz. Não vejo graça nesse Pé na Cova, mas a admiro muito. Beijos.

Anônimo disse...

Essa série foi muito divertida na primeira temporada mas deveria ter parado lá. A segunda não tem a menor graça e a funerária nem aparece mais. O pior é que terá uma terceira temporada. A Marília Pêra é muito maior que essa série.

MARILENE disse...

Sergio, foi através de sua postagem que tomei conhecimento do que se passa no programa. Gosto muito da Marilia Pera, mas não o assisto.

(Não sei se acontece só comigo, mas seu blog demora um tempão para abrir e vem informação de que algumas páginas não estão respondendo.)

Bjs.

Sérgio Santos disse...

Leandro, concordo com você. Devem mesmo valorizar mais os atores experientes e por isso que admiro tanto Silvio de Abreu e Walcyr Carrasco, dois autores que fazem isso. Aliás, Walcyr chamou Regina para Amor á Vida mas ela não pôde fazer por causa da sua peça. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Barbie. bjs

Sérgio Santos disse...

Claro que que permito, F Silva. Marília é maravilhosa mesmo e multifacetada. Boa complementação sua. Em O Primo Basílio ela foi fantástico mesmo e em Brega & Chique teve uma de suas mais emblemáticas personagens. É uma grande atriz. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Diogo, comigo é ao contrário. Adorei a primeira temporada mas estou começando a desgostar da segunda. Os dois episódios mais recentes me decepcionaram. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Pedro, também gosto de Pé na Cova, embora esteja achando essa segunda temporada um pouco mais fraca. Mas Marília é incrível mesmo e eu ainda sinto falta de A Vida Alheia. Era muito boa. Eliana Rocha é outra que brilha e sua Luz Divina é hilária. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Patrícia. Bjsss

Sérgio Santos disse...

Em O Primo Basílio ela foi extraordinária, anônimo. Abçs.

Sérgio Santos disse...

Algumas pessoas falam que Marília é arrogante, Melina. Eu realmente não sei, porém, depois do que aconteceu em Duas Caras, quando ela recusou um troféu para dar a Guida Vianna, os rumores aumentaram. Mas independente disso, eu a admiro muito. Bjs

Sérgio Santos disse...

Anônimo, confesso que tenho um pouco de receio dessa terceira temporada, mas enfim...

Sérgio Santos disse...

Sem problemas, Marilene.

Olha, não sei se acontece com mais gente, comigo não. Mas vou verificar. Bjs

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Não assisto a Pé na Cova, porque o tema não me agrada. Mas reconheço o talento e a versatilidade da Marília Pêra.

eder ribeiro disse...

Sérgio, Pé na cova é um pé no saco. Abç.

Carlos disse...

Essa série é terrível. Só vive de erros de português. Nem posso falar da Marília porque pra mim ela é mais uma Copélia. Autores se auto plagiando ou querem fazer homenagem a eles mesmos? Nem consigo assistir.

Abraços!

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Elvira! Beijos!

Sérgio Santos disse...

rsrsrsrs Abraços, Eder!

Sérgio Santos disse...

Carlos, confesso que minha empolgação com a série deu uma diminuída, mas eu ainda gosto. Sobre a Marília, discordo que seja uma Copélia, mas entendo a comparação. Abraços!

Mainy disse...

Nem tem muito o que acrescentar, ela está sensacional no papel. Sou fã dos trabalhos da Marília, essa também merece um Emmy!

Thallys Bruno Almeida disse...

Imagino qual seja o 'problema' da temporada atual de Pé na Cova. O texto continua delicioso e rendendo boas tiradas, mas não está mais brincando com o tema da morte, que era a grande essência do seriado. Sem essas brincadeiras, não há sentido algum em se manter o nome Pé na Cova. A série está se desviando muito da proposta e se a anunciada terceira temporada se confirmar, será preciso mais do que nunca resgatar essa essência, ou o desgaste vai se acentuar.

Ainda assim, Marília Pêra é responsável por alguns dos melhores momentos da série. É maravilhoso vê-la brilhando absoluta juntamente ao Miguel, com destaque especial para as tiradas oriundas do vício em gim e a dose dramática no final de cada episódio. Digna de todos os aplausos. Abç!

Sérgio Santos disse...

Oi Maíny, obrigado pelo comentário. Marília é ótima mesmo. bjs

Sérgio Santos disse...

Acho que até o texto ficou mais cansativo, Thallys. Mas a funerária perdeu a função mesmo, assim como a temática. Porém, a série nunca teve história de fato e quando tenta inventar alguma fica chata. Isso tudo vem ficando evidente a cada dia. Seria melhor parar na segunda, mas querem uma terceira. Enfim... Marília é maravilhosa e Darlene uma ótima personagem. abçs